Você está na página 1de 19

Teoria Literária

Osasco, 16/06/2013
Introdução
Este trabalho destina-se a realização das etapas propostas na
atividade pratica supervisionada (ATPS), onde iremos abordar
questões linguísticas e literárias destacando as diferentes estruturas
de cada gênero literário, apresentando também reflexão dialética da
obra de Ariano Suassuna – O Auto da Compadecida, com o contexto
atual do nordestino.
O trabalho que nos foi proposto está divido em quatro (4) partes, na
primeira parte apresentamos a identificação dos textos com
linguagens opaca e transparente, bem como a métrica do poema
Nuda Puella – Luís Delfino. Na segunda parte desta ATPS iremos
abordar a linguagem de um dos textos do século IX – Ilíada. Na
terceira etapa proposta uma deliciosa reflexão sobre o Auto da
Compadecida e os dias atuais do nordeste brasileiro. A quarta etapa
a analise de um conto e um romance.
A metodologia utilizada foi à pesquisa bibliográfica enriquecida com
pesquisas na internet.
ETAPA I
Texto I: Homem morre afogado em lagoa
Texto II: Poema tirado de uma notícia de jornal
1) Qual dos dois textos emprega linguagem “transparente”? E qual
deles usa linguagem
“opaca”? Justifique sua resposta.
O Primeiro Texto emprega a linguagem transparente, pois está
escrito em forma de discurso informativo permitindo que o leitor
veja de forma clara aquilo que é informado.

Em quanto o texto utilitário se volta inteiramente para a realidade o texto utilitário se volta para a expressão que nele é tão ou mais importante do que a própria realidade retratada. 4 A. Seus versos são decassílabos. e o / en / leia.e /ge/me.E /quan/ do /n’a/ gua o /be/ lo /cor/ po /mo/ lha. de Luís Delfino está escrito em forma lírica de soneto. versos estruturados em dez sílabas. que é composto por verbo / substantivo. Seu esquema é Rima Rica. formando uma rima misturada onde não tem ordem determinada entre as rimas.Sol /tas /de /le / ve /as/ rou /p as. uma linguagem artística usa-se. trata-se de um assunto não literário ou texto utilitário. Nuda Puella – Luís Delfino O Poema Nuda Puella. 1 A. Ameniza a realidade utilizando-se de figura de linguagem 2) Qual dos textos tem compromisso com a realidade factível? E qual se compromete com a “verdade” literária? Justifique sua resposta. . Quanto à fonética. Ele contém quatorze versos distribuído em quatro estrofes.A á/gua /so /lu/ ça. um desenvolvimento e uma conclusão. com uma linguagem predominante de noticia. O primeiro texto é informativo e seu objetivo é transmitir conteúdos. pois os sons das letras a partir da ultima vogal tônica dos versos são iguais.Ca /em/-lhe:/ as/sim a/ Ca/me/lia /se /dês /pá/ gi/ na. /uma e/ uma 2 B. O poema possui uma estrutura de introdução. portanto a linguagem opaca. O texto II ao contrario apresenta uma linguagem pessoas carregada de emoções e valores do eu lírico que se sente indignado diante do quadro degradante que vê. são Rimas Perfeitas. e /es/ pu/ ma.O Segundo texto é uma poesia. 3 B. sendo dois quartetos e dois tercetos.

/à /es/pá/dua. 1 C... pois Heitor matara Patroclo pensando ser o herói grego e Aquiles completa dizendo que Heitor vagueará cego. /bem /co/mo à /som/ bra /um/ li/rio /bran/ co.À /nu/ca. /que /per/fu/ma. 3 D. /às/ ná/de/gas.1 A.Co/mo /ao/ lu/ar /um /cac/to.No /or/gu/lho /as/tral /das /deu/sas /des /lum/ bran/ tes!. /e a /luz /em /su/ma 4 B.Co/brem-/lhe /um/ pou/co o/ ros/to.. Aquiles diz que arrancará os olhos.Lo/go /que /ela /no/ ba/nho.. ouvidos e língua de Heitor e que no mundo dos mortos todos dirão: eis o homem que pensava ter matado Aquiles./ de/sa / bro/ lha. 2 E. e a/ a/fa/ ga. /às /co/xas 3 D. porém algumas diferenças. Já no texto literário o diálogo difere um pouco do filme. Etapa II Ilíada versus Tróia No texto literário Ilíada e o filme Tróia há bastante analogia. 2 B.En / vol/ ve-a o /céu /ra/di/an/ te.Vão /ro/lan/do /os/ ca/be/los /a/bun/dan/tes: 1 E. o /flan/ co.Põe-/lhe o /véu /d’oi/ro /em /ci/ma. esse pacto consiste em que o vencedor permita que o derrotado seja entregue aos seus para os devidos rituais fúnebres. 3 A. No filme quando Heitor e Aquiles irão iniciar o combate ocorre um diálogo entre os guerreiros onde o príncipe troiano sugere um pacto. mas o seu adversário diz que não há pactos entre leões e homens. surdo e mudo entre os mortos.E ei-/ la. /mo/le/men/te /em /on/das /frou/xas 2 C. o /sei/o. visto que na poesia épica o príncipe de Tróia pressentindo sua morte pede que seu oponente aceite ouro e bronze de seus pais para deixa-lo ter um funeral digno e implora ao guerreiro Aquiles que não deixe que os corvos o devore. Dentre as diferença que aparece entre .Ao/ sa/ir. e a/ o/ lha.

além disso. A história do rei Édipo . esse vício tem tirado o sono de Estrepsíades que . Dentre os episódios análogos podemos citar a cena em que Aquiles amarra Heitor em seu e o arrasta sem misericórdia. afronta. Quando toda a verdade se esclarece Jocasta sua esposa e mãe se suicida e ele como punição arranca seus dois olhos e se julga o mais desgraçado entre os homens.Sófocles tem ocorrência de hybris. ofensa. Através de um oráculo no templo de Apolo. Após a morte de Laio. porém eles não sabiam que toda a maldição sobre a cidade era uma punição do deus Apolo pelo assassinato de Laio – antecessor do atual rei cometido pelo próprio Édipo sem saber que Laio era rei e. A Hybris Hybris é um termo grego que literalmente significa desrespeito. Feidípides um moço considerado sobremaneira irresponsável por seu pai Estrepsíades é viciado em corrida de cavalos.as obra pode-se destacar também que na poesia a mãe do príncipe de Troia encontra-se em desespero como espectadora da luta e é amparada por outras mulheres e na produção cinematográfica que aparece nessa condição é a esposa de Heitor. etc. A hybris ocorre quando o herói de uma história ofende de alguma forma um deus essa ofensa trás como consequência uma tragédia. um verdadeiro herói que podia livrar a cidade de Tebas (cadmo) da calamidade. A superioridade do rei fica evidente quando todo o povo se prostra diante do palácio clamando por livramento. Édipo toma posse do trono e possui também a viúva de Laio sendo ela sua mãe (mas ele não o sabia). seu genitor. O rei Édipo era considerado um ser superior. pois Édipo não conhecia seus pais biológicos. o deus exige a morte ou o exílio do assassino de Laio para que a paz e a prosperidade voltem a reinar na cidade e o atual rei se compromete a qualquer custo encontrar o assassino sem saber que Laio era aquele quem ele havia matado outrora. visto que quando criança foi entregue a uma família de corinto e matou o rei de cadmo quando fugia de corinto. As Nuvens Na comédia As Nuvens. pois outrora houvera livrado os cidadãos Tebanos. salvador.

porém sai de lá mestre na arte de enganar. visto que certamente sofria abusos. então o busca e obriga-o a ingressar nos estudos. o pai fica desesperado perguntando-lhe o porquê daquilo. assim teria argumentos diante dos credores quando viessem cobrar seu pai livrando Estrepsíades de paga-los. aprenderia a arte da oratória e da eloquência. Indo Feidípides para lá o filho irresponsável abandonaria a equitação e. selas. pois o grande filósofo o julga incapaz de aprender. sendo assim a única alternativa que lhe resta é forçar a Feidípides a tornar-se aluno. A ideia salvadora consiste em corrigir seu filho levando-o ao pensamental onde Sócrates instrui seus discípulos. Estrepsíades engendra um plano que lhe parece infalível. um verdadeiro charlatão e seu pai fica sobremaneira feliz por ver seus planos se concretizando. pois gastou todo seu dinheiro em cavalos. então Feidípides fica irado e diz que não abre mão dos cavalos e sai à procura de seu tio buscando refúgio. eram muito magros. semelhante a mortos ambulantes. a partir daí nos encontros com os credores sempre tem argumentos que o livram de pagar. A tentativa de se tornar mestre na oratória falhou. Estrepisíades não vê outra saída e vai ele próprio ter com o sábio Sócrates. Etapa III Auto da Compadecida De Ariano Suassuna. Perturbado com tanta dívida e sem dinheiro para pagar quando os credores vierem lhe cobrar. além disso. Então Estrepsíades se posiciona ao lado do leito de seu filho acordando-o mansamente e pede que abandone a equitação e torne-se aluno de Sócrates. Feidípides vai estudar contra sua vontade e sai de lá desanimado. em determinado momento Feidípides cheio de revolta ataca Estrepisíades com pauladas. é uma peça clássica do teatro brasileiro. virou uma minissérie de televisão e ganhou uma versão para o cinema .esta sendo diretamente afetado pela irresponsabilidade de seu filho. mas o filho mestre em argumentos justifica de maneira magistral sua atitude. pois os alunos de Sócrates tinham uma aparência feia. porém essa faze boa sofre um rebaixamento inesperado. arreios e vários outros equipamentos utilizados na equitação.

e no filme retoricamente atrai todas essas criticas com uma ênfase de comedia. Jesus Cristo. Três fases decorrentes pode se tornar uma coisa estranha. contribuiu para que se propusesse esse carinho ao animal morto. é a parte do benzimento ao cachorro que morreu. Recife e Pernambuco tendo de entrada em 1974 com a direção belíssima de João Cândido. percebendo na decorrência do filme. mas também tem vários meios a se enxergar nesta parte. não sendo exclusivo . a fase entre o bem e o mal pelo o que era confirmado e julgado naquele tempo. pela lei da igreja era de modo impossível a se fazer. a prática simonia. a preocupação com a aparência e dinheiro envolvidos e as diferenças sociais determinando a ação dos religiosos. O Auto da compadecida pertence ao gênero dramático. além de criticar e claro. atribuindo várias criticas em um ponto sem ser censurado e sim normalizado de outra forma como piadas e manias. Faz uma referencia a escritura social nordestina: o autor mostra em si o contribuinte completamente envolvido com a realidade de sua época. Há uma parte que mostra muito isto que pode opinar. e o modo de como foi tratado o julgamento inserindo pelos modos deles de uma forma social. etc. por lei e não espiritual. como no filme também que é bem referente o coronelismo e religião se julga como superioridade nesta fase. o que. Assim pode notar uma dialética através da obra. mas necessitariam e condicionaria de bem maior pra eles não era bem o sentimento de arrependimentos de seus devotos e cristãos e sim o “financeiro” que eles empregavam a igreja. Existe uma dialética entre a peça. e no caso da igreja ressaltava modos que só podiam ser atribuídos com uma contribuição alheia. “O julgamento” deu pra notar um grau de divergências que foram claras é a cor da pele de Deus. Pois é contemporâneo relacionandose com o Nordeste.escrita em 1955 e sua primeira fase foi em 1956 publicada em 1957 mais ou menos. ou seja. criticando problemas sociais como a falta de respeito e virtudes. Pelo modo que descreve da pra notar que a uma diferença e tanto relatando com bases dez do antepassado aos tempos de hoje. mas com o financeiro. As estruturas sociais e econômicas nordestinas têm a observar por este fato e pela desigualdade que era e ainda é de muita falta no nordeste por inteiro.

mostrando os interesses dos políticos acima da necessidade do povo. etc. assim como o nome “Plutão” que significa deus do inferno. desconfiança. as sensações do narrador. mostrado na obra como uma base muito marcante na vida do nordestino.Edgar Alan Poe O conto é narrado em primeira pessoa no singular e em tempo cronológico. o que se perceber. mas que tudo mudou por causa do uso do álcool. A descrição do animal também é um fator importante. com exceção do gato. pois preta é uma cor que sugere ligação com as trevas. em Mato Grosso. Eis uma frase de Ariano Suassuna: Por isso. o retrato de uma política provinciana. O viajante . .Visconde de Taunay A história tem início em 15 de julho de 1. na estrada da vila de Sant’ana do Paranaíba. possivelmente será condenado à morte pelo assassinato da esposa. Após a leitura do conto O Gato Preto. O conto usa se metáforas e comparações mostrando o gato como um animal macabro e com poderes. Com meu cantar supero o desespero. De acordo com o conto. Etapa IV O Gato Preto . O mesmo relata que sempre teve um comportamento normal. pois é na adega onde as ações mais importantes acontecem. O fato de os personagens não terem nome. pelo fato do gato ser preto e de acontecimentos anormais que acontecem durante a história. remorso.daquela região. O conto inicia-se com o relato de um homem que está preso e que.860. é que a narrativa fala sobre a superstição. mas sim servindo de alerta em vários outros países. sou conta à morte e nunca ei de morrer. e nem características físicas nos ajudam a imaginar. O gato preto é visto por algumas pessoas como um animal místico por ter sete vidas. o espaço em que o autor se refere é a sua casa.do romance Inocência . não vou nunca envelhece. Alan Poe descreve sentimentos que são comuns a nós: raiva.

Próximo a ele está outro viajante. Inocência. seguindo o mesmo caminho. com mais idade. fazendo com que o leitor conheça outras expressões e dialetos. olhos negros e rasgados. que. Cirino viajava sem destino certo. em lugares esquecidos. Conclusão Neste trabalho abordamos os assuntos requistiados na ATPS. mas também o remédio que procurava para a cura de sua filha.Cirino é um homem que viaja montado em seu cavalo. do sertão. cumprimos todos os objetivos que nos foram propostos. Ele tem uns vinte e cinco anos. voltava para casa depois da tentativa de conseguir remédio para a filha doente. O romance apresenta expressões típicas e urbanas. Ele era farmacêutico e dizia que a cura era um milagre. O encontro com Cirino lhe trouxe não apenas um parceiro de prosa. Estes termos regionais faz com que o dialogo entre os personagens se torne naturalmente espontânea. Acompanhou o falante senhor Pereira. a compreensão dos diferentes tipos textos e suas estruturas porque nos permitiu através das pesquisas realizadas desenvolverem e aprimorar nosso conhecimento. Martinho dos Santos Pereira um homem nascido em Minas Gerais. Sua única certeza é que deveria curar pessoas com doenças e feridas. trajado de jeito simples como realmente morador daquela região. Este trabalho foi muito importante para o grupo. quando seguiu pela estrada que ligava a vila de Santana do Paranaíba aos campos de Camapuã. pois proporcionou um aprofundamento dos assuntos. Eles se apresentam e começam a prosear. Bibliografia . nascido em São Paulo e criado em Ouro Preto.

TAUNAY.pd f>Acesso em: 22 Mai.br/download/texto/bn000002. Era uma vez uma lenda.br/wpcontent/uploads/2010/09/Arist%C3%B3fanes-AS-NUVENS. Disponível em: <http://www.São Paulo: Altaya.portalsaofrancisco.dominiopublico. Disponível em: <http://www. Mi. . Homem morre afogado em lagoa. In: Estrela da vida inteira. Alfredo d’Escragnole. Disponível em: <http://www. 2011. Inocência. BANDEIRA.com.ijpr.pdf > Acesso em: 21 Mai. 2013.encontrosdedramaturgia. Recife.dominiopublico. SUASSUNA. 2013.136 GUERRA.br/alfa/arianosuassuna/auto-da-compadecida. 2013.pdf >Acesso em: 22 Mai.MANOEL. Manoel. Portal Domínio Público. LEITE.br/humor/2898950 > Acesso em 25 Mai.recantodasletras. Ariano. 2013.xl. ARISTÓFANES. p. Hybris e transgressão na mitologia heroica. Capítulo II. Auto da Compadecida. 2013. Campo Grande. As Nuvens. Rio de Janeiro. 2006. Disponível em: <http://www.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/homemmorre-afogado-em-lagoa> Acesso em: 19 Mai. Disponível:< http://www.p df >Acesso em: 28 Mai. Rei Édipo – Sófocles.gov. Disponível em: <http://www. Poema tirado de uma notícia de jornal. Portugal. Criação.org.4 .8.gov.2013. 2013.br/download/texto/cv000024.cmjornal. O Viajante.php > Acesso em: 21 Mai. %20H%C3%BDbris%20e%20Transgress%C3%A3o%20na %20Mitologia%20Her%C3%B3ica. 1955. Isabela Fernandes S.br/doc/monografias/Trabalho%20de %20%20Isabela%20Fernandes%20-%20Cria%C3%A7%C3%A3o.1998.p. Rio de Janeiro: Record. F.com. 2000.com. Correio da Manhã. Disponível em: <http://www.

Disponível em:< http://www. Teoria Literária Osasco. Elementos do poema-Rima. 2005. na primeira parte apresentamos a identificação dos textos com linguagens opaca e transparente.psb40. O Gato Preto. BELLODI Zina C.POE. bem como a métrica do poema Nuda Puella – Luís Delfino. 232p. apresentando também reflexão dialética da obra de Ariano Suassuna – O Auto da Compadecida. Roberta Laisa Dantas de. Magaly Trindade.com.org. 2013 GONÇALVES. Edgar Allan. Mardilê.pdf >Acesso em: 25 Mai. com o contexto atual do nordestino. Disponível em: < http://www. Teoria da literatura “Revisitada”. 16/06/2013 Introdução Este trabalho destina-se a realização das etapas propostas na atividade pratica supervisionada (ATPS). São Leopoldo. SOUSA.br/bib/b159. FRIEDRICH.com/literatura/versos-rimasestrofes/>Acesso em: 23 Mai. Na terceira etapa proposta uma deliciosa reflexão sobre o Auto da Compadecida e os dias atuais do nordeste brasileiro. Rio de Janeiro: Vozes.infoescola. Rimas e Estrofes. 2013. A quarta etapa a analise de um conto e um romance. onde iremos abordar questões linguísticas e literárias destacando as diferentes estruturas de cada gênero literário. 2006.br/teorialiteraria/254761 >Acesso em 23 Mai. Na segunda parte desta ATPS iremos abordar a linguagem de um dos textos do século IX – Ilíada. . Versos. 2013. Disponível em: <http://www.recantodasletras. O trabalho que nos foi proposto está divido em quatro (4) partes.

Ameniza a realidade utilizando-se de figura de linguagem 2) Qual dos textos tem compromisso com a realidade factível? E qual se compromete com a “verdade” literária? Justifique sua resposta. uma linguagem artística usa-se. Em quanto o texto utilitário se volta inteiramente para a realidade o texto utilitário se volta para a expressão que nele é tão ou mais importante do que a própria realidade retratada. O Primeiro Texto emprega a linguagem transparente. com uma linguagem predominante de noticia. trata-se de um assunto não literário ou texto utilitário. O Segundo texto é uma poesia. O primeiro texto é informativo e seu objetivo é transmitir conteúdos. portanto a linguagem opaca. Nuda Puella – Luís Delfino . pois está escrito em forma de discurso informativo permitindo que o leitor veja de forma clara aquilo que é informado.A metodologia utilizada foi à pesquisa bibliográfica enriquecida com pesquisas na internet. ETAPA I Texto I: Homem morre afogado em lagoa Texto II: Poema tirado de uma notícia de jornal 1) Qual dos dois textos emprega linguagem “transparente”? E qual deles usa linguagem “opaca”? Justifique sua resposta. O texto II ao contrario apresenta uma linguagem pessoas carregada de emoções e valores do eu lírico que se sente indignado diante do quadro degradante que vê.

pois os sons das letras a partir da ultima vogal tônica dos versos são iguais. /às /co/xas 3 D. e o / en / leia. 3 B.No /or/gu/lho /as/tral /das /deu/sas /des /lum/ bran/ tes!.. 1 A. e a/ o/ lha. são Rimas Perfeitas.E ei-/ la. 1 A. formando uma rima misturada onde não tem ordem determinada entre as rimas. sendo dois quartetos e dois tercetos.Co/brem-/lhe /um/ pou/co o/ ros/to.Ao/ sa/ir. o /flan/ co. /mo/le/men/te /em /on/das /frou/xas 2 C. que é composto por verbo / substantivo. Seus versos são decassílabos..e /ge/me. 2 E.Ca /em/-lhe:/ as/sim a/ Ca/me/lia /se /dês /pá/ gi/ na. e a/ a/fa/ ga.A á/gua /so /lu/ ça..Vão /ro/lan/do /os/ ca/be/los /a/bun/dan/tes: 1 E. Seu esquema é Rima Rica. Quanto à fonética. Etapa II Ilíada versus Tróia .En / vol/ ve-a o /céu /ra/di/an/ te.Lo/go /que /ela /no/ ba/nho. 4 A.Põe-/lhe o /véu /d’oi/ro /em /ci/ma.À /nu/ca. de Luís Delfino está escrito em forma lírica de soneto. 3 D.Sol /tas /de /le / ve /as/ rou /p as. um desenvolvimento e uma conclusão. /uma e/ uma 2 B. /à /es/pá/dua. 2 B. versos estruturados em dez sílabas. 1 C. e /es/ pu/ ma. O poema possui uma estrutura de introdução. 3 A. Ele contém quatorze versos distribuído em quatro estrofes. /às/ ná/de/gas.Co/mo /ao/ lu/ar /um /cac/to. o /sei/o. /e a /luz /em /su/ma 4 B.E /quan/ do /n’a/ gua o /be/ lo /cor/ po /mo/ lha. /que /per/fu/ma. /bem /co/mo à /som/ bra /um/ li/rio /bran/ co..O Poema Nuda Puella./ de/sa / bro/ lha.

pois outrora houvera livrado os cidadãos Tebanos. um verdadeiro herói que podia livrar a cidade de Tebas (cadmo) da calamidade. A história do rei Édipo . Dentre as diferença que aparece entre as obra pode-se destacar também que na poesia a mãe do príncipe de Troia encontra-se em desespero como espectadora da luta e é amparada por outras mulheres e na produção cinematográfica que aparece nessa condição é a esposa de Heitor. ofensa. porém algumas diferenças. mas o seu adversário diz que não há pactos entre leões e homens. Aquiles diz que arrancará os olhos. etc. pois Heitor matara Patroclo pensando ser o herói grego e Aquiles completa dizendo que Heitor vagueará cego. Dentre os episódios análogos podemos citar a cena em que Aquiles amarra Heitor em seu e o arrasta sem misericórdia. surdo e mudo entre os mortos. visto que na poesia épica o príncipe de Tróia pressentindo sua morte pede que seu oponente aceite ouro e bronze de seus pais para deixa-lo ter um funeral digno e implora ao guerreiro Aquiles que não deixe que os corvos o devore. esse pacto consiste em que o vencedor permita que o derrotado seja entregue aos seus para os devidos rituais fúnebres. salvador.Sófocles tem ocorrência de hybris. Édipo toma posse do trono e possui . No filme quando Heitor e Aquiles irão iniciar o combate ocorre um diálogo entre os guerreiros onde o príncipe troiano sugere um pacto. seu genitor. A hybris ocorre quando o herói de uma história ofende de alguma forma um deus essa ofensa trás como consequência uma tragédia. Já no texto literário o diálogo difere um pouco do filme. porém eles não sabiam que toda a maldição sobre a cidade era uma punição do deus Apolo pelo assassinato de Laio – antecessor do atual rei cometido pelo próprio Édipo sem saber que Laio era rei e.No texto literário Ilíada e o filme Tróia há bastante analogia. além disso. O rei Édipo era considerado um ser superior. Após a morte de Laio. A superioridade do rei fica evidente quando todo o povo se prostra diante do palácio clamando por livramento. A Hybris Hybris é um termo grego que literalmente significa desrespeito. ouvidos e língua de Heitor e que no mundo dos mortos todos dirão: eis o homem que pensava ter matado Aquiles. afronta.

sendo assim a única alternativa que lhe resta é forçar a Feidípides a tornar-se aluno. aprenderia a arte da oratória e da eloquência. Estrepisíades não vê outra saída e vai ele próprio ter com o sábio Sócrates. assim teria argumentos diante dos credores quando viessem cobrar seu pai livrando Estrepsíades de paga-los. A tentativa de se tornar mestre na oratória falhou. Então Estrepsíades se posiciona ao lado do leito de seu filho acordando-o mansamente e pede que abandone a equitação e torne-se aluno de Sócrates. Através de um oráculo no templo de Apolo. A ideia salvadora consiste em corrigir seu filho levando-o ao pensamental onde Sócrates instrui seus discípulos. As Nuvens Na comédia As Nuvens. Perturbado com tanta dívida e sem dinheiro para pagar quando os credores vierem lhe cobrar. pois o grande filósofo o julga incapaz de aprender. Quando toda a verdade se esclarece Jocasta sua esposa e mãe se suicida e ele como punição arranca seus dois olhos e se julga o mais desgraçado entre os homens. Indo Feidípides para lá o filho irresponsável abandonaria a equitação e. Feidípides vai estudar contra sua vontade e sai de lá desanimado. então o busca e obriga-o a ingressar nos estudos. além disso. visto que . selas. Feidípides um moço considerado sobremaneira irresponsável por seu pai Estrepsíades é viciado em corrida de cavalos. pois gastou todo seu dinheiro em cavalos. esse vício tem tirado o sono de Estrepsíades que esta sendo diretamente afetado pela irresponsabilidade de seu filho. visto que quando criança foi entregue a uma família de corinto e matou o rei de cadmo quando fugia de corinto. arreios e vários outros equipamentos utilizados na equitação. o deus exige a morte ou o exílio do assassino de Laio para que a paz e a prosperidade voltem a reinar na cidade e o atual rei se compromete a qualquer custo encontrar o assassino sem saber que Laio era aquele quem ele havia matado outrora. Estrepsíades engendra um plano que lhe parece infalível.também a viúva de Laio sendo ela sua mãe (mas ele não o sabia). pois Édipo não conhecia seus pais biológicos. então Feidípides fica irado e diz que não abre mão dos cavalos e sai à procura de seu tio buscando refúgio.

criticando problemas sociais como a falta de respeito e virtudes. Três fases decorrentes pode se tornar uma coisa estranha. porém essa faze boa sofre um rebaixamento inesperado. Pois é contemporâneo relacionandose com o Nordeste. a preocupação com a aparência e dinheiro envolvidos e as diferenças sociais determinando a ação dos religiosos. Jesus Cristo. “O julgamento” deu pra notar um grau de divergências que foram claras é a cor da pele de Deus. etc. além de criticar e claro. pois os alunos de Sócrates tinham uma aparência feia. percebendo na decorrência do filme. semelhante a mortos ambulantes. em determinado momento Feidípides cheio de revolta ataca Estrepisíades com pauladas. eram muito magros. O Auto da compadecida pertence ao gênero dramático. mas também tem vários meios a se enxergar nesta parte. Recife e Pernambuco tendo de entrada em 1974 com a direção belíssima de João Cândido. a prática simonia. porém sai de lá mestre na arte de enganar. é uma peça clássica do teatro brasileiro. e no filme retoricamente atrai todas essas criticas com uma ênfase de comedia. a partir daí nos encontros com os credores sempre tem argumentos que o livram de pagar. um verdadeiro charlatão e seu pai fica sobremaneira feliz por ver seus planos se concretizando. o pai fica desesperado perguntando-lhe o porquê daquilo. virou uma minissérie de televisão e ganhou uma versão para o cinema escrita em 1955 e sua primeira fase foi em 1956 publicada em 1957 mais ou menos.certamente sofria abusos. e o modo de como foi tratado o julgamento . Etapa III Auto da Compadecida De Ariano Suassuna. Faz uma referencia a escritura social nordestina: o autor mostra em si o contribuinte completamente envolvido com a realidade de sua época. atribuindo várias criticas em um ponto sem ser censurado e sim normalizado de outra forma como piadas e manias. Pelo modo que descreve da pra notar que a uma diferença e tanto relatando com bases dez do antepassado aos tempos de hoje. mas o filho mestre em argumentos justifica de maneira magistral sua atitude. a fase entre o bem e o mal pelo o que era confirmado e julgado naquele tempo.

o que. O fato de os personagens não terem nome. com exceção do gato. mostrado na obra como uma base muito marcante na vida do nordestino. Alan Poe descreve sentimentos que são comuns a nós: raiva. como no filme também que é bem referente o coronelismo e religião se julga como superioridade nesta fase. contribuiu para que se propusesse esse carinho ao animal morto.inserindo pelos modos deles de uma forma social. . pela lei da igreja era de modo impossível a se fazer. não vou nunca envelhece. Há uma parte que mostra muito isto que pode opinar. mas que tudo mudou por causa do uso do álcool. mostrando os interesses dos políticos acima da necessidade do povo. por lei e não espiritual. Existe uma dialética entre a peça. desconfiança. mas necessitariam e condicionaria de bem maior pra eles não era bem o sentimento de arrependimentos de seus devotos e cristãos e sim o “financeiro” que eles empregavam a igreja. Etapa IV O Gato Preto . as sensações do narrador. Eis uma frase de Ariano Suassuna: Por isso. Com meu cantar supero o desespero. As estruturas sociais e econômicas nordestinas têm a observar por este fato e pela desigualdade que era e ainda é de muita falta no nordeste por inteiro. O mesmo relata que sempre teve um comportamento normal. o retrato de uma política provinciana. e nem características físicas nos ajudam a imaginar. não sendo exclusivo daquela região. mas sim servindo de alerta em vários outros países. mas com o financeiro. etc. ou seja. possivelmente será condenado à morte pelo assassinato da esposa. O conto inicia-se com o relato de um homem que está preso e que. remorso. é a parte do benzimento ao cachorro que morreu. sou conta à morte e nunca ei de morrer. Assim pode notar uma dialética através da obra. e no caso da igreja ressaltava modos que só podiam ser atribuídos com uma contribuição alheia.Edgar Alan Poe O conto é narrado em primeira pessoa no singular e em tempo cronológico.

em lugares esquecidos. do sertão. Acompanhou o falante senhor Pereira. Ele era farmacêutico e dizia que a cura era um milagre. nascido em São Paulo e criado em Ouro Preto. o que se perceber. pois preta é uma cor que sugere ligação com as trevas. Sua única certeza é que deveria curar pessoas com doenças e feridas. Ele tem uns vinte e cinco anos. O gato preto é visto por algumas pessoas como um animal místico por ter sete vidas. mas também o remédio que procurava para a cura de sua filha. A descrição do animal também é um fator importante. olhos negros e rasgados. Cirino é um homem que viaja montado em seu cavalo. seguindo o mesmo caminho.do romance Inocência . com mais idade. Cirino viajava sem destino certo. quando seguiu pela estrada que ligava a vila de Santana do Paranaíba aos campos de Camapuã. trajado de jeito simples como realmente morador daquela região. o espaço em que o autor se refere é a sua casa. pois é na adega onde as ações mais importantes acontecem. voltava para casa depois da tentativa de conseguir remédio para a filha doente. O encontro com Cirino lhe trouxe não apenas um parceiro de prosa. Inocência. De acordo com o conto. O conto usa se metáforas e comparações mostrando o gato como um animal macabro e com poderes.Após a leitura do conto O Gato Preto. Martinho dos Santos Pereira um homem nascido em Minas Gerais. Estes termos regionais faz com que o dialogo entre os personagens se torne . pelo fato do gato ser preto e de acontecimentos anormais que acontecem durante a história. que. em Mato Grosso.Visconde de Taunay A história tem início em 15 de julho de 1. assim como o nome “Plutão” que significa deus do inferno. Próximo a ele está outro viajante. O viajante . é que a narrativa fala sobre a superstição.860. O romance apresenta expressões típicas e urbanas. na estrada da vila de Sant’ana do Paranaíba. Eles se apresentam e começam a prosear.

2013.com.dominiopublico. Era uma vez uma lenda.br/wpcontent/uploads/2010/09/Arist%C3%B3fanes-AS-NUVENS. Correio da Manhã.encontrosdedramaturgia. ARISTÓFANES. . Disponível em: <http://www.1998. Bibliografia MANOEL. F.gov. Homem morre afogado em lagoa.136 GUERRA. fazendo com que o leitor conheça outras expressões e dialetos. 2013.br/humor/2898950 > Acesso em 25 Mai.p. Disponível:< http://www. Disponível em: <http://www.pd f>Acesso em: 22 Mai. 2013.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/homemmorre-afogado-em-lagoa> Acesso em: 19 Mai. Poema tirado de uma notícia de jornal. 2011. BANDEIRA. In: Estrela da vida inteira.cmjornal. Este trabalho foi muito importante para o grupo.naturalmente espontânea. Rei Édipo – Sófocles. Manoel. 2006. As Nuvens.recantodasletras. Mi. a compreensão dos diferentes tipos textos e suas estruturas porque nos permitiu através das pesquisas realizadas desenvolverem e aprimorar nosso conhecimento.com. pois proporcionou um aprofundamento dos assuntos. cumprimos todos os objetivos que nos foram propostos. Portal Domínio Público. Campo Grande.São Paulo: Altaya.br/download/texto/cv000024. Portugal. Rio de Janeiro: Record. Conclusão Neste trabalho abordamos os assuntos requistiados na ATPS.pdf > Acesso em: 21 Mai.xl. Disponível em: <http://www. 2013.

Disponível em:< http://www.br/teorialiteraria/254761 >Acesso em 23 Mai. Versos. Recife. 2013 GONÇALVES. p. 2013. Alfredo d’Escragnole. Disponível em: <http://www.com/literatura/versos-rimasestrofes/>Acesso em: 23 Mai.ijpr. 2013. Elementos do poema-Rima.LEITE. %20H%C3%BDbris%20e%20Transgress%C3%A3o%20na %20Mitologia%20Her%C3%B3ica. Rimas e Estrofes.gov. . 2006. Inocência. O Viajante.recantodasletras. Magaly Trindade.pdf >Acesso em: 25 Mai. Roberta Laisa Dantas de. Teoria da literatura “Revisitada”. Capítulo II.portalsaofrancisco. Rio de Janeiro. Mardilê.dominiopublico. Ariano. 2013. Auto da Compadecida. FRIEDRICH. 1955. Criação.p df >Acesso em: 28 Mai. São Leopoldo. Rio de Janeiro: Vozes. Disponível em: < http://www.org.com. Isabela Fernandes S.psb40.br/download/texto/bn000002. Hybris e transgressão na mitologia heroica. POE.4 .br/doc/monografias/Trabalho%20de %20%20Isabela%20Fernandes%20-%20Cria%C3%A7%C3%A3o. 2013.8. 2000.pdf >Acesso em: 22 Mai. Disponível em: <http://www. Disponível em: <http://www. 2005. SOUSA. Disponível em: <http://www. Edgar Allan.infoescola. SUASSUNA. O Gato Preto. 2013.php > Acesso em: 21 Mai. TAUNAY.br/alfa/arianosuassuna/auto-da-compadecida.br/bib/b159.org.com. BELLODI Zina C. 232p.