Você está na página 1de 13

ADMINISTRAÇÃO

WEB AULA 1
Unidade 1 – Mercado de Capitais
APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA
Olá pessoal,
É um com grande satisfação que estou apresentando a disciplina de Mercado
Financeiro e de Capitais para vocês. Sou a profa. Karen Manganotti, e é com alegria
que vamos aprofundar nossos conhecimentos sobre esse tema muito comentado na
atualidade, quando se pensa em investimentos pessoais e organizacionais. É evidente
que não temos uma receita perfeita para sempre obtermos bons lucros ou como
desejo, de muitos ficarem milionários, mas entender o Mercado Financeiro pode
auxiliar para que este desejo se torne realidade. É importante ressaltar que esse
tema interage com muitos agentes, e com isso, necessita de constantes atualizações.
As informações e os objetivos podem evoluir conforme o desempenho do mercado
financeiro.
UNIDADE 1
Sistema Financeiro Nacional
Para iniciarmos o nosso estudo nesse tema é muito importante compreender e
entender o funcionamento do Sistema Financeiro Nacional (SFN) que abrange um
conjunto de instituições financeiras. De acordo com Fortuna (2011), o SFN procura
proporcionar condições entre os fluxos de recursos satisfatórios entre os poupadores
e investidores.
Com base nesse objetivo, quando nós investimos ou poupamos dinheiro
através de instituições financeiras estamos ligados ao Sistema Financeiro Nacional.
São estes agentes que permitem o crescimento econômico do país, bem como,
permitem a elevação ou diminuição das taxas para os investidores, bem como para os
poupadores.
Antes de iniciar esse assunto, um conceito importante são os agentes
superavitários, ou seja, que geram excedentes aos que consomem (poupadores) e
os agentes que estão na posição inversa que são chamados de agentes deficitários,
ou seja, que precisam de poupança alheia para complementar as suas necessidades.
Outro conceito utilizado para explicar o Sistema Financeiro Nacional é do autor
Assaf Neto (2012, p. 39):
O Sistema Financeiro Nacional pode ser entendido como um conjunto de instituições
financeiras e instrumentos financeiros que visa, em última análise, transferir recursos
dos agentes econômicos (pessoas, empresas, governo) superavitários para os
deficitários.
Para esclarecer, observem a figura abaixo que apresenta a estrutura do SFN e
percebam
que

duas
divisões
principais: Subsistema
de
Intermediação e Subsistema Normativo.
Figura - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional

Instituições Auxiliares. As atividades vinculadas ao Sistema Financeiro Nacional podem ser alteradas ou modificadas. ou seja. com um mínimo de riscos. Assim. e analisar qual a instituição que melhor pode auxiliar a sua organização de forma a favorecer o crescimento e o desenvolvimento. médio e longo prazo. Para entender as diferenças do sistema financeiro em outras nações. com certeza percebemos que alguns Bancos têm foco específico. O Subsistema Normativo é formado pelos: Banco Central do Brasil. Esse subsistema é composto por: Instituições Monetárias e Não Monetárias. . manifestados pelos agentes econômicos carentes de recursos. devemos conhecer e acompanhar quais são os programas lançados pelo Governo. Porém é importante ressaltar que em cada país. ou seja. Instituições não Financeiras e pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimos. Conselho Monetário Nacional. Após essa pesquisa. há instituições e órgãos específicos que permitem a organização do mercado financeiro. tem maior atuação na habitação como faz a Caixa Econômica Federal. foca-se nesta primeira unidade O Sistema Financeiro Nacional. aplicando ao mesmo tempo o excedente monetário dos agentes superavitários. Rosseti (1997 apud PINHEIRO. Comissão de Valores Imobiliários e através das Instituições Especiais que possuem como finalidade promover o desenvolvimento equilibrado do país e a servir os interesses da coletividade. a instituição que regulamenta os recursos financeiros entre os agentes superavitários e os deficitários no Brasil.Sobre o Subsistema de Intermediação pode-se dizer que tem a finalidade de viabilizar o atendimento das necessidades financeiras de curto. 2012) apresenta os seguintes aspectos:  Os padrões com que as instituições normativas interferem nas regras de intermediação. assim por ser uma área em constante mutação.

A taxa Selic é a taxa média ponderada e ajustada das operações de financiamento por um dia. das instituições de intermediação e de suas carteiras Sistema Especial de Liquidação e Custódia (SELIC) É comum ouvir no noticiário que a Taxa Selic aumentou ou abaixou. p.. destinado à custódia de títulos públicos federais. “[.. e ambas as partes envolvidas têm a garantia da validade da operação efetuada. registra e liquida financeiramente as operações feitas com todos os papéis privados e os títulos estaduais e municipais que ficaram fora das regras de rolagem”. não poderia deixar de citar o comitê que desenvolve as diretrizes da política monetária. bem como à liquidação e registro de operações com base nesses títulos. de forma a operacionalizar os negócios no mercado e reduzir o risco e mal-entendidos. por se tratar de um serviço. 84). Como grande parte dos títulos públicos e privados não são emitidos fisicamente. lastreadas em títulos públicos federais. A diversidade operacionais.  A estrutura dos ativos financeiros. estaduais e municipais. com o tempo se tornou o nome de uma taxa. a famosa taxa Selic. quanto a taxas de participação de cada um deles no estoque do sistema como um todo. e a pergunta que vem à nossa mente é: que diferença isso faz nas nossas vidas? Para que serve a SELIC? Para conhecer esse assunto temos que compreender que a taxa SELIC representa umserviço coordenado pelo Banco Central. Originalmente tem o nome de Taxa Básica de Juros ou Taxa Meta.] a Cetip é o local em que se custodia. Um exemplo dessa operação é realizado através do computador que imediatamente transfere o registro do título para banco comprador e faz o crédito na conta do banco vendedor. Uma curiosidade da SELIC é que.  Os graus de abertura em relação ao sistema financeiro internacional. . Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos (Cetip) Conforme Pinheiro (2012. Como todo o mercado financeiro é interligado. chamada de Comitê de Política Monetária (Copom). monetários e não monetários. foi desenvolvido o Selic e Cetip para controlar essas operações em tempo real. que define a taxa Selic a ser praticada no Brasil. exige-se maior organização em sua liquidação e transferência. o Selic visa promover a segurança e a eficiência na administração dos títulos. Deste modo. Assim.

2012. objetivando promover o desenvolvimento econômico. Para saber mais sobre a Taxa Selic. para o nosso estudo vamos nos ater apenas aos três primeiros acima mencionados. está vinculada à política econômica e à importância de compreender como atua. FISCAL E CAMBIAL Na unidade 1. o cálculo e também sobre o Sistema Financeiro.br/?SELICTAXA Cliquem nos quatro tópicos disponíveis: Descrição. Aproveitem e se atualizem sempre!!! UNIDADE 2 POLÍTICA MONETÁRIA. Com essa definição. utilizar a energia da sua casa.] o controle da oferta da moeda e das taxas de juros que garantam a liquidez ideal de cada momento econômico. obrigatoriamente. a estabilidade de preços e o controle da inflação e promover a distribuição das riquezas e das rendas. equilibrar o volume financeiro das transações econômicas com o exterior.. Política Monetária Primeiramente. comentamos sobre o SFN e toda sua estrutura. porém. E durante todo o tempo falamos das políticas econômicas que compreendem: monetária. Mas antes de iniciar o tema. Mensal e Variação. fiscal e cambial. títulos públicos e taxas de juros. temos que entender que o Estado exerce sua atividade através das políticas econômicas. modificando o custo e o nível de oferta do crédito” (ASSAF NETO. Diária. Conforme Lagioia (2007. 20). é a maneira como o Estado controla a quantidade de dinheiro que circula na economia”.bcb. Acesse: http://www. nos seus agentes e a importância de cada subsistema. p. a política monetária pode ser definida como “[. p. elas abrangem: garantir pleno emprego e sua estabilidade. bem como. Alguns autores inserem a política de rendas também como parte da política econômica.. entre outras. percebemos que toda e qualquer atividade relacionada ao cotidiano como: compra no supermercado. no dia útil seguinte dos processamentos (sistemática D + 1). ou seja. 2). “A política monetária enfatiza sua atuação sobre os meios de pagamento. Quando falamos em políticas de desenvolvimento econômico.gov. precisamos entender o conceito de política monetária.As sensibilizações financeiras por meio sistema ocorrem. .

7). distributiva e estabilizadora. ALÉM. e que quem ganha mais deve ter . reduzindo consequentemente a taxa de juros cobrada. Envolve a definição e a aplicação da carga tributária exercida sobre os agentes econômicos. temos como objetivos na política fiscal: a função alocativa. temos agora o Congresso Nacional que aprova os orçamentos do governo. Nesse caso. 9). terá mais recursos para a economia. GIAMBIAGI. p. bem como a definição dos gastos do governo. Política Fiscal A política fiscal é a que mais interfere nas nossas vidas. 1999 apud LIMA. política fiscal: “É a política de receitas e despesas do governo. Com o equilíbrio. Já na política monetária descrita anteriormente o órgão responsável é o Banco Central. Podemos concluir nesse contexto a relevância do tema nas definições dos tributos. CRAVEIRO. Para Lagioia (2007. p. pois a carga tributária que pagamos é utilizada para despesas e receitas do Governo. 2001. pode-se entender que o contribuinte deve contribuir com uma parcela justa para cobrir os custos do governo. 2003. Diferentemente da política monetária.Com isso podemos deduzir que se houver um recolhimento compulsório menor. que tem como base os tributos captados”. “A tributação deve servir como instrumento para a correção de desequilíbrios conjunturais para a obtenção de taxas satisfatórias de crescimento” (REZENDE.

no controle das transações internacionais executadas no país. e. entender os dois conceitos: A política cambial está baseada na administração das taxas de câmbio. o último item deste tópico. Um exemplo muito conhecido é o Dólar e a nossa moeda.00 estamos fazendo a relação entre as duas moedas. 26). de forma mais abrangente. ele será obrigado a recorrer ao endividamento. que a política cambial está ligada diretamente atrelada à taxa de câmbio. o câmbio flutuante e o currency board. dólar. 27):  Câmbio fixo: tem seu valor atrelado a um referencial fixo. que expressa à relação entre unidades de uma moeda e outra. Portanto. iremos diferenciar as taxas de câmbio: o câmbio fixo. Podemos dizer assim. como ouro. É relevante dizer que quando o governo não arrecada o montante necessário para pagar as dívidas. seja para venda seja para compra. por revelarem. . e claro. ou até mesmo uma cesta de moedas de diversas economias. Segundo Assaf Neto (2012. 2012. atualizada diariamente de acordo com as transações financeiras do dia. onde as cotações de câmbio são fundamentais para que as transações internacionais aconteçam. de modo que as exportações e importações interfiram no mercado financeiro. e destaca-se desta. previamente. p. o conceito de política fiscal está ligado ao de política monetária. Para aprofundar sobre a política cambial. a taxa representa o valor monetário que um país aceita para negociar sua moeda. O desempenho das exportações pode ter grande impacto monetário na medida em que o ingresso de divisas significa conversão para reais e emissão da moeda.um tributo proporcionalmente maior e que para que sejam justos. É fixada de maneira a viabilizar as necessidades de expansão da economia e promover seu desenvolvimento econômico (ASSAF NETO. Vamos a seguir. os impostos devem ser tais que minimizem os possíveis impactos negativos da tributação. absorvendo recursos no setor privado. Assim quando sabemos que $1 dólar é igual a R$2. o Real. Permite maior nível de certeza ao comercio internacional.  Câmbio flutuante: pela sua flexibilidade permite maior liberdade às economias na execução de suas políticas monetárias. tanto na exportação como na importação. promovendo alterações das cotações cambiais. p. Para Lagioia (2007). por atuar mais diretamente por se tratar com as transações econômicas do país com o exterior. o valor futuro da moeda. Com mais agilidade no tratamento de eventuais desequilíbrios econômicos. Política Cambial Iremos verificar no estudo da política cambial. promovendo alterações nas taxas de câmbio. Uma política cambial favorável deverá permitir ao nosso país um volume maior da nossa moeda com o exterior.

tipos de serviços. com o avanço da informática e das telecomunicações. cenários não imaginários acontecendo a todo instante. Vamos nos aprofundar agora. Mas hoje. ou seja. É claro que eventualmente. Com o passar do tempo. e outras ferramentas. Para isso. que tem necessidades de fundos. segundo suas obrigações e direitos. Internet. o setor sofre mudanças. Quando se fala em finanças. podemos ter crises e também. as instituições que operam no mercado financeiro que podem ser classificadas segundo a natureza das obrigações que emitem e pelos tipos de operações a que estão autorizadas a realizar. que tem um excesso de fundos. Antigamente. As instituições bancárias são aquelas que recebem depósito a vista. Utilizaremos nesse contexto. isto é. o mercado financeiro era o lugar físico ou ponto de encontro entre ofertadores e tomadores. fax. o mercado financeiro é considerado um dos mais bem estruturados no país. temos que avaliar todas as variáveis pertinentes e ligadas ao nosso interesse. nos tipos de mercados financeiros e suas possíveis classificações e ativos financeiros. até aquelas deficitárias. foi necessário conhecer os agentes participantes de todo o mercado financeiro que foi resumidamente comentado anteriormente. que podem ser bancárias ou não bancárias. É valido ressaltar que no Brasil atualmente trabalha-se com o câmbio flutuante na economia brasileira. esta exigência física perdeu sua importância. Para Pinheiro (2012) são mercados nos quais os recursos financeiros são transferidos desde unidades superavitárias. e que nesse regime não está prevista a obrigação do Governo de intervir no mercado. bem como as operações e os seus aspectos tributários. com pessoas operacionalizando as transações de compra e venda de ativos financeiros. pode emitir moeda secundária ou escritural e podem oferecer empréstimo como os Bancos . como se verifica na imagem ao lado. além do espaço físico. o mercado financeiro pode ser classificado de outras formas. Apesar da sua estrutura. Currency board (conselho de moeda): é um sistema em que a autoridade monetária assume o compromisso legal de efetuar o câmbio de moeda nacional por moeda estrangeira forte em uma cotação fixa. Mercados e Ativos Financeiros Agora entraremos com o tema principal da disciplina. Podemos definir o mercado financeiro como mecanismo ou ambiente através do qual se produz um intercâmbio de ativos financeiros e se determinam seus preços. mas comparado a outras áreas. mas também pela amplitude. O contato entre os agentes ocorre de diversas formas: telefone. correio.

A estas últimas. Para ficar mais visível vamos analisar a figura abaixo Figura . Além da classificação das instituições e instrumentos. denominam-se instituições auxiliares e compreendem basicamente. é a transferências dos recursos de pessoas que tem muito para pessoas que não tem. vamos entender o processo de intermediação que ocorre no mercado financeiro. onde há a angariação de capital com as operações de risco. e também verificada a possibilidade real do tomador de recurso pagar sua dívida. desde que isso só pode ser realizado com uma análise da possibilidade de pagamento. mas podem oferecer crédito. títulos e valores mobiliários e as Distribuidoras. Como visto anteriormente. assunto que veremos na próxima Web Aula. o objetivo do mercado financeiro. nem operações cambiais. tanto uma organização pode ter recursos disponíveis para emprestar como pode precisar de recursos. Os instrumentos financeiros também podem ser classificados.Processo da intermediação financeira .Comerciais. ou seja. explicado de maneira simples. As instituições não bancárias não podem receber depósito. através de garantias. composto por agentes que fornecem o dinheiro e outros que emprestam o dinheiro. Assim. temos o mercado de capitais. distinguem-se as instituições de crédito daquelas cuja função principal é a distribuição de títulos e valores mobiliários. Dentre as não-bancárias. Claro. Lembrando que a emissão da moeda legal ou primária é monopólio do Banco Central. Sabemos que tanto as pessoas que tomam recursos como as que fornecem os recursos são as mesmas. podemos também classificar os mercados financeiros de acordo com o tipo de operação que realizam. e o recebimento de depósitos à vista é uma concessão realizada deste Banco aos bancos comerciais. Após compreender que o mercado pode ser classificado de várias maneiras. as Sociedades Corretoras de câmbio.

Porém. A empresa aceita receber pelo cartão de crédito muitas vezes pela razão dele ser mais seguro.Fonte: Pinheiro (2012. E a operadora arca com a responsabilidade de cobrar do cliente o valor devido. e como algumas vezes podemos ser tomadores de recursos e outros fornecedores. a empresa prefere receber menos a não ter a certeza. mesmo sabendo que a operadora do cartão irá cobrar uma porcentagem sobre o dinheiro. muitos podem questionar aqui. 26) Com base na figura. p. entre outras. já que ele cobra para realizar essas transações? Um exemplo bem interessante é o cartão de crédito. E o intermediário são as instituições financeiras que podem ser bancos. percebemos como o processo de intermediação acontece no mercado financeiro. seguradores. sobre o porquê da necessidade do papel do intermediário. pois ele repassa a divida para operadora do cartão. fundos. .

de um conjunto de variáveis relacionadas com o emissor. 352) o termo ativo financeiro refere a todos os direitos e benefícios futuros. algo que tenha valor de troca.E o cliente nesse caso não tem acréscimo no valor caso pague em dia. Para Assaf Neto (2012.  Risco: o Entendido como variabilidade ou instabilidade esperada ou a possibilidade de que o emissor descumpra com o pactuado. com que o investidor possa obter os recursos investidos no ativo. Porém como investidor. falando um pouco dos ativos que podem ser considerados um produto. o pagamento do principal e dos juros. O risco dependerá. Capacidade de conversibilidade em outros bens. Os mais conhecidos são: os títulos. portanto. Agora vamos conhecer alguns conceitos sobre o ativo financeiro: Um ativo financeiro é um instrumento que canaliza a poupança até o investimento. as características principais dos ativos financeiros concentram-se em:  Liquidez: o é a facilidade entendida tanto de rapidez como de certeza na recuperação do valor nominal investido. uma ação. e por isso é importante verificar com detalhes os impostos e taxas cobrados na utilização de serviços financeiros.  Rentabilidade: . p. As empresas em sua busca por financiamento podem acudir ao mercado mediante ou ativos financeiros emitindo ações ou emitindo títulos de dívida (PINHEIRO. não pode ser um produto qualquer. ATIVOS FINANCEIROS Agora vamos iniciar o último tópico dessa Web Aula. ou seja. Podemos perceber então. como um livro. Há diversas categorias de ativos financeiros que geralmente são formados por títulos e valores mobiliários em geral. poupança e fundos de investimentos. Entretanto. ou seja. p. as ações. Nesse contexto. no mercado financeiro o ativo tem características especificas e também são controlados pelo Sistema Financeiro. porém a operadora também cobra juros caso tenha atraso. imóvel. percebemos que os ativos financeiros podem ser para captar recursos à organização e também para investir o dinheiro da organização. 102). que o intermediário pode conseguir resultados positivos e negativos. 2012. é necessário uma análise/estudo do ativo e refletir sobre a viabilidade do ativo. Um bom exemplo disso é quando vamos trocar um produto por outro. isto é. na compra de um automóvel. Com base nesses conceitos. 102). entre outros. Pois já disponibilizou o dinheiro para empresa da qual o cliente comprou algo. para Pinheiro (2012. que fazemos no dia-a-dia. p. saca de grãos. o mercado e outros fatores diversos. uma poupança.

teremos impostos e taxas que dependem de cada tipo de transação financeira. atendendo a alguma de suas características descritas anteriormente. com incidência sobre o valor da operação. Pensem como é interessante isso!!! Podemos aplicar na prática todos esses conceitos. sobre o mercado financeiro.  IOF: este imposto é cobrado sobre as operações financeiras. como uma casa. Neste momento não vamos mencionar os custos de tributação de emissão. Os ativos financeiros. e também a possibilidade de rentabilidade se o imóvel pode valorizar ou não. Podem ser segundo se materializem em documentos com suporte físico ou constituam simples lançamentos contábeis. a facilidade em vender novamente esse imóvel. via instituições. se analisados profundamente. produtos do mercado bancário. que o Tesouro Nacional recebe parte dos recursos necessários à execução financeira das contas do governo.o Que é a capacidade de o ativo produzir juros ou outros rendimentos para o adquirente como pagamento de sua cessão de fundos e sua assunção de riscos ao longo de um período de tempo determinado. podemos utilizá-lo para alugar ou arrendar. em função da unidade de gasto que os emite etc. O interessante dessas características é que todas são muito utilizadas para avaliação não apenas de ativos financeiros. na grande maioria das transações financeiras incidem taxas ou impostos embutidos que interferem no ganho real e muitas vezes na análise de decisão do administrador. mas em nosso cotidiano. Capacidade de ganho que esses ativos podem auferir aos seus possuidores. compra ou venda de títulos. Assim. Esse detalhe não vai entrar no mérito se é muito ou pouco. Aspectos de Tributação Sempre pensamos sobre a tributação no Brasil e muitos jornais e meios de telecomunicação informam que as taxas tributárias são exorbitantes e que o valo arrecadado pelo Tesouro Nacional é considerado exagerado para o país. podem classificar-se de múltiplas formas. Títulos Públicos Como mencionado. o sistema financeiro econômico. sejam negociáveis ou não negociáveis. Apenas vamos mencionar os impostos incidentes sobre as operações realizadas com títulos e valores mobiliários:  Imposto de Renda (IR): cobrado sobre o ganho de capital (é a diferença do valor final alcançado menos o valor investido de um bem). e em nesses momentos citamos os títulos públicos constantemente. ações. Quando se trata de tributação. a alíquota cobrada depende do tipo de operação e também das normas estabelecidas. pois cada um tem sua especificidade. segundo seu grau de liquidez. porém precisamos saber que através do mercado financeiro como captador. analisamos a liquidez. por exemplo. analisa-se o risco observando o estado físico e documentação. ou seja. Quando compramos um bem. a política econômica. o tempo todo no nosso diaa-dia. . É importante argumentar e pesquisar no momento de investimento/captar dinheiro que essas taxas ou impostos geralmente incidem na compra e na venda.

] são emitidos e garantidos pelo Governo Federal. e no Brasil. 64) segue o conceito dos títulos públicos: “[. Porém isso é um ativo com um determinado risco. 1). E para investir. Geralmente são utilizadas mediante três formas: oferta pública com a realização de leilões. mas também de perda que chamamos de retorno x risco. p. 1) “[. Conforme JM Malucelli Investimento (2013. p. ou serem utilizados como instrumento de política monetária”. a grande maioria. o governo disponibiliza muitos dados e prazos pré-fixados de recebimento do ganho do título. em relação às instituições financeiras.. emite ações.. são poucas as empresas que publicam títulos. do que as organizações privadas.. 2013. ou seja. Fundos de Investimentos Outro item muito importante dos ativos são os fundos de investimentos. Hoje. muito utilizada pelos . oferta pública sem a realização de leilões e emissões destinadas a atender a necessidades específicas previstas em lei. para captação de recursos. Porém para um perfil de investidor conservador.. pois existe a possibilidade de renda fixa. devido a necessidades de capital de giro ou aumento de investimentos.De acordo com Assaf Neto (2012. e muitos pensam que isso significa que o investimento não é seguro. o lucro. Porém o investidor precisa ser mais agressivo. Os títulos privados tornaram-se uma alternativa que as companhias detêm para tornar isto possível. O orçamento destas companhias. as empresas. por exemplo. p.] um título privado é um empréstimo para uma empresa ou instituição financeira. Títulos Privados A estratégia utilizada pelo governo. Os principais títulos públicos são:  Notas do Tesouro Nacional – NTN  Letras Financeiras do Tesouro – LFT  Letras do Tesouro Nacional – LTN  Certificados do Tesouro Nacional – CTN  Certificados Financeiros do Tesouro – CFT Sabemos que os títulos são para garantir e pagar as dívidas do Governo. Com o objetivo de captar dinheiro as organizações emitem títulos para uma determinada ação. Nesse contexto. que é a junção de empresas. antecipar as receitas. e as debêntures em relação às demais empresas” (JM MALUCELLI INVESTIMENTO. no sentido de possibilidade maior de ganho. Estadual e Municipal e têm por finalidade financiar a dívida pública. “Os principais tipos de títulos privados podem ser considerados os Certificados de Depósito Bancário e os Depósitos a Prazo com Garantia Especial. ou seja. É importante lembrar que geralmente as instituições privadas geram maior rentabilidade nos seus ativos financeiros. é o ideal. por terem maior flexibilidade de ações. pode precisar de mais recursos em determinado momento”. também foi utilizada pelas organizações privadas.

ou seja. pois aplicar o dinheiro em apenas um ativo pode ser perigoso. e uma outra considerada razoavelmente segura como o título público. É muito comum fazer essa diversificação. 202). que trará muitas informações importantes para vocês. e que aprender sobre os conceitos e entender suas funcionalidades. Para compreender melhor os fundos de investimentos. destinado à aplicação em carteira de títulos e valores mobiliários. Fundo de Investimento é uma comunhão de recursos. p. Iremos na próxima Web Aula trabalhar com o Mercado Bancário. que os produtos financeiros são inúmeros. que são muitos. São regidos um regulamento e têm na Assembleia Geral seu principal fórum de decisões” (COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS. ou seja. bem como o mercado financeiro e também seus ativos financeiros. p. Para isso há investidores que contratam gestores de investimento. nessa Web aprendemos bastante sobre o Sistema Financeiro.. a política econômica.] são condomínios constituídos com o objetivo de promover a aplicação coletiva dos recursos de seus participantes. entre outras instituições financeiras. pois o mesmo pode se desvalorizar e todo o recurso pode ser perdido. Assim. como o BNDES. . outros ativos que também estão disponibilizados no mercado financeiro.com. existem possibilidades e oportunidades para aplicar nos fundos de investimentos. e com pouco dinheiro. Mercado de Capitais e também com Derivativos. Percebemos assim. aplicar o dinheiro em várias opções de operações financeiras. 2012. 2009. e também aplicar. constituído sob a forma de condomínio. Muitos dos ativos citados. Vídeo: http://dxe. O importante como dito no vídeo é conhecer os tipos.br/financas/entenda-o-fundo-de-investimentos/ Como vimos no vídeo. vamos assistir ao vídeo abaixo.. pode ajudar sua organização a crescer através de recursos. de corretoras. bem como em quaisquer outros ativos disponíveis no mercado financeiro e de capitais (ASSAF NETO. 5). também serão mencionados na próxima Web. e principalmente ler o prospecto que contêm os detalhes das características de um ativo. Segundo a CVM. Fundos de Investimento “[. é o fundo de investimento.investidores como opção de diversificação da carteira. bancos.