Você está na página 1de 17

PRODUÇÃO DE SILAGEM

PRODUÇÃO DE
SILAGEM

• Silagem: forragem suculenta, conservada
por meio de um processo de fermentação
anaeróbica

PRODUÇÃO DE SILAGEM

PRODUÇÃO DE SILAGEM

• Silo: local de armazenamento das silagens

• Ensilagem: o processo de cortar a
forragem, colocá-la no silo, compactá-la e
protegê-la com a vedação do silo para que
haja a fermentação.

Forrageiras para ensilagem

Forrageiras para ensilagem

• É possível ensilar praticamente todo tipo
de forrageira

• Melhores forrageiras:
– elevado teor de açúcares solúveis

1

Milheto Forrageiras para ensilagem • Em ordem decrescente de utilização: 6. Milho Forrageiras para ensilagem • Em ordem decrescente de utilização: 3. Capins Forrageiras para ensilagem • Em ordem decrescente de utilização: 5. Cana de açúcar Forrageiras para ensilagem • Em ordem decrescente de utilização: 2. Sorgo Forrageiras para ensilagem • Em ordem decrescente de utilização: 4. Girassol 2 .Forrageiras para ensilagem • Em ordem decrescente de utilização: 1.

8m – Pré-murchamento 3 .Determinação do ponto de corte • Milho: Detalhes da linha de leite – lavoura apresentar entre 30 a 35% de MS – grãos estiverem de farináceo a farináceo duro Ponto para corte Determinação do ponto de corte Determinação do ponto de corte • Sorgo: • Milheto: – grãos estiverem farináceo – grãos estiverem farináceo Determinação do ponto de corte Determinação do ponto de corte • Capim elefante: • Capim elefante: – 60 a 90 dias de idade – altura em torno de 1.

Determinação do ponto de corte Determinação do ponto de corte • Capim elefante: • Cana-de-açúcar: – Inclusão de aditivos absorventes – 5 meses após o plantio ou rebrota Determinação do ponto de corte Determinação do ponto de corte • Cana-de-açúcar: • Girassol: – preferência entre março a setembro • capítulo (flor): está virado totalmente para baixo Determinação do ponto de corte Determinação do ponto de corte • Girassol: • Girassol: • parte posterior do capítulo (flor) já adquiriu coloração amarelada • Folhas mais próximas do solo já murcharam ou já estão secas 4 .

Determinação do ponto de corte • Girassol: Tipos de Silos 1. de superfície Tipos de Silos 5. apresentam certa resistência ao esmagamento Tipos de Silos 2. Tipo trincheira Tipos de Silos 3. tubo ou salsichão 5 . Tipo aéreo Tipos de Silos 4. Tipo bag. Tipo poço ou cisterna • Grãos: quando pressionados.

Tipo cincho Processo de ensilagem 2.Tipos de Silos 6. Vedação Transformaç Transformações que Originam a Silagem 6 . Corte da forragem no campo Processo de ensilagem 3. Descarga e compactação do material Fases no processo de ensilagem Processo de ensilagem 1.

Mudanças no meio Mudanças no meio ANAEROBIOSE ↑ Temperatura Mudanças no meio ↓ pH Tipos de Fermentaç Fermentação Fermentaç Fermentação alcoó alcoólica ou doce Atividades de Microrganismos Microrganismo: agente fermentativo Tipos de Fermentaç Fermentação Fermentaç Fermentação alcoó alcoólica ou doce Ação das leveduras 7 .

Fermentaç Fermentação acé acética Gênero: Coliformes Álcool ácido acé acético 8 .Tipos de Fermentaç Fermentação Fermentaç Fermentação ácida Tipos de Fermentaç Fermentação Ácida 1. Fermentaç Fermentação lá láctica Tipos de Fermentaç Fermentação Ácida 1. Fermentaç Fermentação lá láctica Quanto maior a atividade lá láctica CHO ácido lá láctico Tipos de Fermentaç Fermentação Ácida 2. Fermentaç Fermentação acé acética MELHOR A QUALIDADE DA SILAGEM Tipos de Fermentaç Fermentação Ácida 2. Fermentaç Fermentação lá láctica Gênero: Lactobacillus Ação de bacté bactérias Tipos de Fermentaç Fermentação Ácida 1.

Fermentaç Fermentação acé acética Tipos de Fermentaç Fermentação Ácida 3. Fermentaç Fermentação butí butírica Gênero: Clostridium Aceitá Aceitável: Silagem de qualidade média Tipos de Fermentaç Fermentação Ácida 3.Tipos de Fermentaç Fermentação Ácida 2. Fermentaç Fermentação butí butírica CHO e proteí proteínas INDESEJÁ INDESEJÁVEL ácido butí butírico Alteraç Alterações na massa ensilada Vilão Alteraç Alterações na massa ensilada AROMA COR agradá agradável Cor original: verde intenso Silagem: verde amarelado ou pardacento 9 . Fermentaç Fermentação butí butírica Tipos de Fermentaç Fermentação Ácida 3.

desagradável desagradável 3.5 .5.Alteraç Alterações na massa ensilada Alteraç Alterações na massa ensilada pH Forragem verde = 6.0 > 5.8 . insípido.5 GOSTO e SABOR Ácidocido-adocicado Silagem = 3.2 Avaliação da qualidade das silagens USO DE ADITIVOS QUALIDADE DA SILAGEM BOA MÉDIA PÉSSIMA COR verde amarelada verde oliva marrom escura ou preta ODOR agradável (frutas) vinagre (ácido acético) repugnante (material em decomposição) azedo (ácido acético) menos ácido.0 SABOR pH USO DE ADITIVOS • substâncias adicionadas as forragens durante o processo de ensilagem • substâncias adicionadas as forragens durante o processo de ensilagem – manual USO DE ADITIVOS • Objetivo: – reduzir as perdas – mecanicamente 10 .2 4.4.5 a 4.

18 Fonte: BOVIPLAN Consultoria Agropecuária. densidade e vedação Manejo 3 . ambiente silo Aerobiose no silo Evitável 0-5 Aerobiose na descarga Evitável 0 . 1995. porcentagens de perdas e agentes causais Processo Característica da perda Perda (% MS) Agentes causais Respiração Inevitável 1-2 Enzimas da Planta Fermentação Inevitável 2-4 Bactérias Efluentes Evitável 0-7 Água (% MS) Fermentações secundárias Evitável 0-5 % MS. USO DE ADITIVOS • Objetivo: – enriquecer o valor nutritivo USO DE ADITIVOS • Objetivo: – melhorar a digestibilidade USO DE ADITIVOS • Objetivo: – melhorar a palatabilidade USO DE ADITIVOS • Objetivo: – melhorar o consumo da silagem 11 .Processos e respectivos tipos de perdas.15 Total USO DE ADITIVOS • Objetivo: – estimular as fermentações desejáveis Velocidade carregamento.

Aditivo Inoculantes Bacterianos Principais aditivos Principais aditivos 2. Aditivos nutricionais Uso da silagem 3.Principais aditivos 1. Aditivos inibidores de fermentação indesejável Desprezar camadas podres e com mofo Fatias retas 12 .

sem escavações. Forma errada de retirar silagem do silo: Escavações irregulares (escadas e buracos) Dimensionamento de silos • Calculado em função: – período de alimentação Dimensionamento de silos • Calculado em função: – Densidade da silagem: • 400 a 600 kg / m3 • Média mais utilizada: 500 kg / m3 13 .Manejo correto do painel do silo. Silagem retirada em toda a face do silo Dimensionamento de silos • Calculado em função: – número de animais Dimensionamento de silos • Calculado em função: – quantidade diária a ser fornecida por cabeça.

Dimensionamento de silos • Calculado em função: Dimensionamento de silos • Exemplo: – Margem de segurança (perdas): 10 a 15% – 50 garrotes – Período de suplementação: 120 dias – Consumo médio: 16 kg/animal/dia – Altura: 2 m – Margem de segurança (perdas): 15% – Densidade: 500 kg/m3 Medidas de área do silo trincheira Relação entre as medidas da área do silo trincheira A = (B + b) x h / 2 B=b+h/2 B B h b h b Medidas de volume do silo trincheira V=AxC Produção de Feno • Feno: forragem desidratada até poder se manter estável em condições ambientais C 14 .

Produção de Feno • Fenação: técnica para produção de feno – Corte da forragem Produção de Feno • Fenação: técnica para produção de feno – Desidratação ceifadeiras Produção de Feno Produção de pré-secado • Fenação: técnica para produção de feno – Armazenamento Corte da forrageira Pré-secagem: atingir 50% MS 15 .

Confecção dos fardos Fardos prontos para serem embalados Embalagem: filme de polietileno Fardos prontos: BAGS Sofre fermentação Uso de pré-secado Cana Hidrolisada 16 .

Cana Hidrolisada • Cana submetida a tratamento químico – Cal micropulverizada: 0.5 a 1 kg de cal diluído em 4 litros de água para tratar 100 kg de cana Palha Amonizada • Volumosos de baixo valor nutricional são submetidos a tratamento químico – Melhorar a digestibilidade – Melhorar o consumo Cana Hidrolisada • Aumenta a vida útil • Diminui presença de abelhas • Melhora a digestibilidade Palha Amonizada • Tratamento com solução de uréia: – 1 kg de uréia em 5 litros de água – 25 litros de solução para cada 100 kg de palha a ser tratada • 5 kg de uréia para cada 100 kg de palha Material sendo sumetido a lonamento após a aplicação da solução de uréia Material permanece vedado por aproximadamente 30 dias 17 .