Você está na página 1de 2

Consideramos uma pirâmides de vértice V e altura h1 (pirâmide 1).

Imaginemos que um plano β, paralelo ao plano α da base, corte a


pirâmide à distância h2 do vértice, sendo h2 < h1. A intersecção do plano β com a pirâmide é um polígono semelhante ao polígono da
base e tem o nome de seção transversal. Note que o plano β separa a pirâmide em dois sólidos, um dos quais também é uma
pirâmide de vértice V e altura h2 (pirâmide 2). O outro é um sólido chamado tronco de pirâmide.

As bases das duas pirâmides são as bases do tronco e a diferença H = h1 - h2, quer representa a distância entre as duas bases, é a
altura do tronco. As faces laterais do tronco são traopézios.

Volume do Tronco de Pirâmide

Para calcular o volume do tronco de pirâmide, basta subtrair do volume da pirâmide 1, o volume da pirâmide 2:

VT = V1 - V2

Indicando por B1 e B2 as áreas das bases dos troncos e por H a sua altura, podemo provar que:

VT = H/3 [B1 + √B1√B2 + B2]


Tronco de Cone

Consideramos um cone circular de vértice V e altura h1, cuja base é um círculo de contro O1, e raio r1 (cone1). Imaginemos que um
plano β, paralelo ao plano α da base, corte o cone à distância h2 do vértice, sendo h2 < h1. A intersecção do plano β com o cone, ou
seja, a secção transversal assim obtida, é um círculo de centro O2 e raio r2. Note que o plano β separa o cone em dois sólidos, um
dos quais é também um cone de vértice V e altura h2 (cone 2). O outro é um sólido chamado tronco de cone.

As bases dos dois cones são as bases do tronco e a diferença H = h1 - h2 é a altura do tronco.

Volume do Tronco de Cone

Para calcular o volume do tronco de cone, basta subtrairdo volume do cone 1 o volume do cone 2:

VT = V1 - V2

Então:

VT = 1/3 πr12 h1 - 1/3 πr22 h2

VT = 1/3 π [r12 h1 - r22 h2]