Toxoplasma gondii

Filo Classe Ordem Família Subfamília Gênero

Classificação

Apicomplexa Sporozoae Eucoccídea Sarcocystidae Toxoplasmatinae Toxoplasma

n

Isolado em 1908 de um roedor do deserto: Ctenodactylus gondii 1923 – descrição do primeiro caso humano 1937 – documentada a transmissão congênita humana

Histórico

n

n

n

1940 – demonstrada a transmissão adquirida 1965 – observou-se a transmissão observoupelo contato de fezes de gatos infectados 1976 – foi descrito o ciclo sexuado do parasita

n

n

Importância
Ser uma infecção cosmopolita n Atacar fetos e crianças n Constituir uma infecção oportunista n Causar mortalidade em animais
n

Morfologia e formas evolutivas
n

Taquizoíto

v Taxon – arco e plasma – molde v Alongado, encurvado em arco (banana) v Núcleo no meio da célula v Complexo apical – conóide, anel polar, roptrias, micronemas v Memb. interna dupla e externa simples

n n

n n

n

Encontrados na fase aguda da infecção Sinonímias: trofozoíto, forma livre ou proliferativa Forma móvel Pouco resistente à ação do suco gástrico Multiplicação rápida (endodiogenia)

bradizoito
n n n n

Encontrado dentro do vacúolo parasitóforo Resiste à ação do suco gástrico Presente em vários tecidos Sinonímia: cisto, cistozoíto

Produzido nas células intestinais dos felinos n Esféricos, parede dupla n Contém 2 esporocistos, com 4 esporozoítos cada n Forma de resistência n Eliminados imaturos
n

Oocisto

Ciclo de vida
Heteroxênico n Ciclo sexuado ou enteroepitelial: Gato e outros felinos n Ciclo assexuado ou extra-intestinal extraGato e outros hospedeiros
n

transmissão
n

n

n

Ingestão de carne crua ou mal cozida (bradizoítos) Ingestão de verduras contaminadas com oocistos Ingestão de leite não pasteurizado(taquizoítos)

n

n

Transmissão congênita (taquizoítos e cistos) Transplante de órgãos (cistos)

Patogenia
n n n n

Depende de: Cepa do parasito Resistência do hospedeiro Modo de infecção

Forma adquirida
n n n n n n n

Período de incubação: 1 a 4 semanas Febre Mialgia Adenopatia Cefaléia Cronicidade de infecção Lesão ocular

n n

Marcador sorológico IgG Reativação de infecção

Toxoplasmose congênita
n

n n n

1º trimestre – aborto 2º trimestre – aborto ou prematuro 3º trimestre – normal ou com doença

n

Síndrome de Sabin
- Coriorretinite - Calcificações cerebrais - Perturbações neurológicas - Alteração do volume craniano

n n n n n n n n n

Hidrocefalia Calcificação cerebral Retardo mental Miocardite aguda Pneumonia Hepatite Retinocoroidite Estrabismo microftalmia

Diagnóstico laboratorial
Demonstração do parasita Isolamento de cultura em células Inoculação em animais de laboratório n Sorológico Detecção de IgM ou IgG
n

Diagnóstico da toxoplasmose congênita
n n n n n

Detecção de IgM no recém nascido Sangue do cordão umbilical Soro Detecção de IgG Título de IgG da criança maior que o da mãe

Epidemiologia
n

Zoonose freqüente em mamíferos e aves Zoonose cosmopolita Alta prevalência sorológica – BR 50-80% Grave – recém-nascidos e imunodeprimidos Prevalência de infecção na população aumenta com a idade

n

n

n

n

Profilaxia
n n n n n n n

Saneamento Educação sanitária Incineração de fezes de gatos Controles de roedores Tampar caixas de areia Não ingerir carne crua ou mal cozida Higienização adequada de verduras

Cercar tanques de areia para recreação de crianças Exame de gestantes e pacientes em situação de risco (sorologia -)

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful