Você está na página 1de 5

Juventude Social Democrata Mensal - Número 24 - 1 de Abril de 2007

OBSERVADOR
Comissão Política Distrital do Porto Director: Rui Monteiro

DISTRITAL DO PORTO
VENCE CONCURSO DA
Joaquim Pinto
Notas Breves
HISTÓRIA DA JSD
Nem sempre as decisões tomadas
pelos políticos da nossa praça têm
em conta, em exclusivo, critérios de
JORNADAS DISTRITAIS
cariz económico e eficiência no que
diz respeito à utilização dos recur-
sos públicos. Efectivamente quem é
DA SAÚDE PROSSEGUEM
eleito, quem representa a popula-
ção, são os políticos, e cabe-lhes,
em última instância, decidir. Afinal,
são os políticos que se sujeitaram
ao escrutínio e serão eles a sujeita-
rem-se a uma avaliação no fim do
mandato. No entanto, este facto não
deve ser utilizado como justificação CPD reuniu com o
para más decisões, que não tiveram Sindicato dos Enfermeiros do Norte
em conta qualquer tipo de racionali-
dade económica e que desbaratam
os recursos públicos (de todos A Toxicodependência e o
nós!). Infelizmente acontece dema- flagelo social associado,
siadas vezes! Infelizmente serve até
para justificar o mau carácter das como encontrar respostas?
pessoas….quantas vezes não se
referem a um “aldrabãozito” do CPD visitou o CAT de Vila
nosso concelho com o sintomático Nova de Gaia
“…é político!” Pois bem, a JSD e
as pessoas que a compõem têm
duas alternativas: ou pactuam com
esta situação; ou a alteram (dia-a-
JSD Penafiel e JSD Paredes
dia, relação a relação, eleições a
eleições)! A população de Portugal
tem de olhar para os políticos de
tomaram posse
outra forma, como pessoas que se
preocupam com a sociedade, com o
Jornadas Distritais da Saúde
futuro, com Portugal! Cabe aos Visita ao CAT Gaia, Eutanásia e reunião com Sindicato Enf. Pag. 2
mais jovens fazer algo para que a
classe política volte a ser uma clas-
se líder, composta por pessoas inte-
Conferência “Bolonha - Oportunidades e Desafios” - JSD/Marco
gras e que formam opiniões! Uma Conferência “Região Norte” - JSD/Matosinhos Pag. 3
coisa é certa: somos claramente
uma geração com índices de JSD Distrital do Porto vence concurso da história da JSD
“tecnicidade” muito superiores à
geração que ocupa o poder actual- Tomada de Posse JSD/Penafiel Pag. 4
mente! Temos mais habilitações e
capacidade! Mas não podemos ficar A Revolta dos Papos d’Anjo - JSD/Amarante
de pernas cruzadas à espera que as
coisas mudem por si só!
Tomada de Posse JSD/Paredes Pag. 5
2 OBSERVADOR
1 Abril 2007

EDITORIAL
A política nos dias de hoje está, de
JORNADAS DISTRITAIS DA
facto, descredibilizada. Quase nin-
guém acredita nos políticos e por-
SAÚDE - PARTE III
quê??? Muitas respostas certamente A JSD do distrito do Porto continua o seu percurso na realização das JORNADAS
existem, mas a principal, na minha DISTRITAIS DA SAÚDE, desta vez visitou a Unidade de Saúde Familiar de Sobra-
opinião, está no não cumprimento do - Valongo, visitou também o CAT - Centro de Atendimento a Toxicodependentes
dos compromissos eleitorais. O Nor- em Vila Nova de Gaia e reuniu com o Sindicato dos Enfermeiros do Norte. Ainda se
te e principalmente o Interior do País discutiu a Eutanásia na Póvoa de Varzim. A Saúde no distrito analisada sob todos
têm de reivindicar uma DESCEN- os pontos de vista !!!
TRALIZAÇÃO OBJECTIVA que se
poderá traduzir em REGIONALIZA- VISITA AO CAT - VILA NOVA DE GAIA
ÇÃO. A criação de Regiões Admi- No âmbito das Jornadas Distritais da Saúde, a JSD Distrital
nistrativas é de facto, em minha opi- efectuou uma visita ao CAT de Vila Nova de Gaia. Este
nião, o futuro para um melhor desen- mênstruo foi conduzido pela directora do Centro, a Dr.ª
volvimento do País. É extremamente Helena Dias que se disponibilizou, em jeito de conversa, a
necessário que Portugal não progrida responder às questões que lhe foram colocadas. O objectivo
a duas ou mais velocidades. Sim, desta visita prendia-se com a necessidade/vontade da JSD
pois Lisboa e Vale do Tejo absorve distrital obter um conhecimento aprofundado sobre um dos
sistematicamente a maior fatia dos locais mais conhecidos para o tratamento e redução de
investimentos públicos em detrimen- danos da toxicodependência. Como se sabe a droga e a sua dependência ocupam um
to das regiões do Interior e do Norte infeliz destaque no quotidiano da população juvenil e
do País. Sempre que o Norte esteve que ao longo dos mais variados mandatos legislativos
bem social e economicamente o País pouco ou nada foi feito para que este flagelo possa ser
esteve em grande desenvolvimento controlado. “Falta investimento nesta área, mais
económico, quando o Norte caiu em apoios, …” confirma a Dr.ª Helena Dias quando ques-
depressão económica o País entrou tionada sobre o que deveria ser modificado, na sua
em recessão. Neste momento é fun- opinião, para que o CAT tivesse uma melhor e mais
damental discutir a REGIONALI- sustentada intervenção. Este Centro de Apoio à Toxi-
ZAÇÃO onde as regiões Administra- codependência, sendo único na sua concelhia abrange
tivas possam catalizar uma alavanca uma área populacional e territorial muito vasta com já
de desenvolvimento das regiões em quase 3 mil indivíduos inscritos nos seus serviços, por
causa. Veja-se o exemplo de Espa- conseguinte o trabalho é muitíssimo amplo e complexo. São facultados aos utentes dife-
nha e da maior parte dos países da rentes opções de abordagem da toxicodependência: quer através de Consultas Individuais
Europa. Muitos são os problemas ou em Grupo, Apoio às Famílias, Jovens e Adolescentes e Terapia Familiar; Programas
causados pela CENTRALIZAÇÃO de Tratamento de Substituição com Metadona ou Buprenorfina e Programas de Redução
do qual este Governo é expoente de Danos com Rastreio Doenças Infecto-contagiosas e Vacinação. Nesta última opção,
máximo - observe-se os sucessivos segundo a opinião da Dr.ª Helena as Salas de Injecção Assistida que poderão ser um par-
PIDDAC - e chegar-se-á facilmente ceiro essencial no labor diário no controlo e tratamento da toxicodependência na área da
á conclusão que vai tudo para Lis- redução dos danos e diminuição dos riscos.
boa. As CPD do PSD e da JSD do REUNIÃO COM O SINDICATO DOS ENFERMEIROS DO NORTE
Porto têm sido os únicos pólos de Foi de facto uma reunião muito agradável com os responsáveis deste órgão representati-
denuncia destas situações mas é vo de uma das classes profissionais que laboram no sector da Saúde. Destaque para os
necessário que as forças vivas da problemas de instabilidade profissional que muitos
região levantem a sua voz a exigir profissionais enfermeiros ainda têm. As inúmeras
um debate sobre a ORGANIZAÇÃO dificuldades para prestar os melhores cuidados aos
POLÍTICA E ADMINISTRATIVA utentes foram os principais temas abordados.
DO PAÍS sem demagogia, de uma VISITA Á UNIDADE DE SAÚDE FAMILIAR DE SOBRADO - VALONGO, AO
forma séria e responsável onde seja CENTRO DE SAÚDE DE PAÇOS DE FERREIRA E EUTANÁSIA
claro para as pessoas que não se Outra área vital para a saúde dos Portugueses em geral e dos cida-
pode aceitar a discriminação da dãos do distrito do Porto em particular que a CPD da JSD é a pres-
Metro de Lisboa e da Carris face ao tação dos serviços de saúde primários e de prevenção, para aferir da
Metro do Porto e STCP - É UM realidade no distrito a CPD visitou no passado mês de Março a Uni-
ESCÂNDALO NACIONAL !!! E as dade der Saúde Familiar de Sobrado, em Valongo, onde pode cons-
promessas de criação de incentivos à tatar este novo modelo de prestação de cuidados de saúde. A direcção da Unidade de
fixação das populações no interior Saúde recebeu a CPD e mostrou todo o trabalho que desenvolve diariamente. De seguida
do País? Onde estão os 150000 pos- deslocou-se ao Centro de saúde de paços de Ferreira com o objectivo de verificar como
tos de trabalho que prometeu? E a estas unidades funcionam e quais os serviços de saúde que estão ao dispor das pessoas
retoma económica? Governar com que residem no distrito do Porto. Uma vez que se torna impraticável visitar Todas as
aumento de impostos é fácil, muito Unidades e Centros de saúde do Distrito procura-se assim, desta forma, perceber quais as
fácil. E mais, já ninguém acredita necessidades das pessoas, as que vivem na área metropolitana do Porto e as que vivem
que os políticos quando se candida- no interior do distrito, evidentemente com necessidades distintas. Este mês ainda se dis-
tam ao Governo não saibam real- cutiu, na Póvoa de Varzim a “EUTANÁSIA” numa Conferência bastante participada e
mente qual a verdadeira situação do onde as questões éticas e dos direitos individuais foram abordados.
País!
Rui Monteiro
3 OBSERVADOR
1 Abril 2007

JSD/Marco - Bolonha”Oportunidades e desafios”


Realizou-se no passado dia 9 de Março, no auditório da Câmara Municipal de
Marco de Canaveses, um colóquio subordinado ao tema “Declaração de Bolonha
– Oportunidades e Desafios”. Uma iniciativa da Juventude Social Democrata
com a colaboração da Associação de Estudantes da Escola Secundário do Marco
de Canaveses.
Ricardo Almeida e Rui Monteiro foram os oradores convidados que falaram
sobre a implementação do tratado de Bolonha no Ensino Superior e esclareceram
os mais novos dos desafios e dificuldades desta nova forma de ensino.
A iniciativa começou com uma intervenção de boas vindas do Sr. Presidente da
Câmara Municipal do Marco de Canaveses, Dr. Manuel Moreira, saudando
os presentes e felicitando a organização pela pertinência da discussão desta temá-
tica para os jovens alunos do 12º ano da escola secundária do Marco de Canaveses.
Rui Monteiro, trabalhador-estudante do ensino superior, na sua intervenção salientou que a implementação da declaração de
Bolonha ainda está numa fase de transição e que é necessário uma adaptação das instituições e dos alunos. Considerou ainda que
esta é uma mudança melhor para todos. Acredita também que “a mobilidade que esta nova forma de ensino proporciona, é uma
mais valia tanto ao nível académico como profissional”.
O ex-deputado, Ricardo Almeida alertou que “não é tudo um mar de facilidades”. Fez salientar que é necessário estar mental-
mente preparado para a competitividade que está associada a Bolonha.
Os alunos da escola secundária mostraram-se interessantes tendo fomentado o debate aberto onde viram as suas dúvidas esclare-
cidas.
No final do colóquio, Luís Vales, presidente da JSD/Marco, fez um balanço muito positivo, até porque, o número de pessoas
que estiveram presentes excedeu as expectativas. “ Considero que foi uma conferência do agrado de todos, tendo sido promovido
o debate e o esclarecimento”.
Esta foi uma acção que se integra no projecto Juventude Com Atitude que tem como objectivo valorizar e projectar os jovens
marcoenses para o futuro.

JSD/Matosinhos organiza conferência


“ Região Norte que futuro?
A concelhia da JSD/Matosinhos promoveu, na passada semana, um debate sobre o futuro da Região Norte. Um dos oradores
convidados foi o presidente da Câmara de S. João da Madeira. Castro Almeida reconheceu que o futuro da região passa pela
realização de um novo referendo. Para debater o assunto, a estrutura de juventude partidária convidou o presidente da Câmara
Municipal de S. João da Madeira. Castro Almeida confessou ser um “regionalista convicto”, razão pela qual defende um
novo referendo. O autarca social-democrata reconheceu ainda a necessidade do PSD, nomeadamente o líder Marques Mendes,
definir a posição relativamente à divisão administrativa de Portugal. “Mesmo que ele seja contra, eu serei sempre a favor. No
último referendo votei contra porque não concordava com as regiões apresentadas”, acrescentou. Outra das questões levantadas
por Castro Almeida foi a necessidade de haver um líder para a região. Hoje em dia, explicou o autarca, encontramos municípios
e associações de municípios. O presidente da Câmara de S. João da Madeira lembrou o caso da Junta Metropolitana do Porto
(AMP), constituída por 14 líderes municipais, “cada qual com o seu feitio, de partidos diferentes e com interesses diversos. Por
isso um exercício de concertação de posições é muito complicado”. Apesar deste cenário, o convidado da JSD/Matosinhos
salientou o papel do Rui Rio, uma vez que o autarca do Porto tem conseguido manter a JMP coesa e unida em torno do projecto
do metro. Castro Almeida reconheceu ainda que o futuro da Região Norte é possível se for feita uma aposta na qualificação de
recursos humanos e na elaboração de um plano para a inovação. “O que nos distingue das outras zonas, nomeadamente Lisboa, é
necessidade de atrair empresas, nomeadamente as de tecnologia, para a nossa região”. In O Primeiro de Janeiro

JSD/Santo Tirso publica edição de Abril da


newsletter “O Jotinha”
A JSD/Santo Tirso lançou a edição de Abril da sua
newsletter, destaque para as inúmeras obras prometi-
das que não estão feitas do executivo socialista da CM
Santo Tirso e para a análise ao Diagnóstico Social
publicado. Ainda as eleições para as Comissões Políti-
cas dos núcleos do Concelho e para as visitas que a
Comissão Política tem efectuado em conjunto com o
PSD local ás freguesias do Concelho.

Envia o teu Curriculum Vitae para a JSD o poder entregar ao Eng.º Sócrates e
queroumemprego@jsd.pt assim estares em condições de ser um dos 150 000 empregados que prometeu.
OBSERVADOR
4 1 Abril 2007

JSD/Penafiel toma posse assumindo o futuro com atitude


Uma verdadeira demonstração de capacidade de mobilização aquela que foi assumida por
Eduardo Nuno Bandeira e a sua equipa, conseguindo reunir mais de 250 pessoas para o jantar
oficial da sua tomada de posse para conduzir os destinos da JSD Penafiel até 2009.
Uma sala muito bem preparada, com iluminação e cenário próprios de eventos políticos de gala
recebeu muita gente jovem, autarcas, históricos e figuras importantes da vida do PSD e da JSD
em Penafiel, bem como convidados das estruturas nacionais, distritais e de algumas concelhias
que vieram assistir aquilo que o novo presidente “jotinha” referiu ser ”a abertura de um novo
ciclo na vida da JSD Penafiel” que a nova equipa quererá pautar por “uma total entrega promo-
vendo o companheirismo entre os actuais e novos militantes da JSD e queremos quebrar barrei-
ras sociais, ideológicas ou até mesmo preconceituosas”, assumindo desejar “que os Jovens de
Penafiel se revejam na nossa atitude e participem nas nossas intervenções e tomadas de posição”.
No seu discurso, garantiu a Carlos Pinto, seu homólogo do PSD – Penafiel, toda a cooperação,
destacando que “partilhamos os mesmos objectivos e estaremos sempre ao seu lado para que
Penafiel e os Penafidelenses saiam vencedores” sem renegar a defesa de uma assumida autonomia garantindo que “teremos a
nossa liberdade de pensamento e a irreverência normal de quem é jovem e tem atitude” rematando “seremos jovens com atitude
e, ao mesmo tempo, jovens com responsabilidade!”. A Alberto Santos, Presidente da Câmara Municipal de Penafiel, Eduar-
do Bandeira, elogiou o trabalho autárquico que descreveu como “de uma extrema importância e de uma qualidade muito acima
da média, sendo motivo de orgulho para nós assim como todos os nossos autarcas o são!” elogiando-os com a admiração causada
pelas “vossas dificuldades e os vossos anseios, desempenhando o vosso cargo com espírito de missão e de total entrega e sacrifí-
cio”, garantindo que “a JSD Penafiel quer colaborar muito convosco, queremos ouvir os vossos problemas e queremos que nos
ajudem a descobrir os Jovens do nosso Concelho”, prometendo que a Comissão Política vai realizar reuniões nas freguesias, pro-
movendo ainda encontros regulares com as associações juvenis “para melhor podermos defender os interesses e anseios dos
jovens de Penafiel”. A formação de quadros será outros dos pontos fortes da nova liderança, dando especial importância a
“intensas campanhas de formação política a fim de que qualquer jovem do nosso Concelho tenha acesso à vida política que por
vezes, de uma forma injusta, só chegam a alguns privilegiados!”. A criação de uma base de dados informática com todos os
dados relativos aos militantes da JSD Penafiel, actualizada de forma permanente e de gabinetes de estudo sectoriais, já em fun-
cionamento desde o primeiro momento após a vitória eleitoral, destinados a apresentar estudos e propostas nas áreas do empre-
go, da cultura, do desporto e das novas tecnologias. O último ponto protocolar da festa dos jovens social-democratas foi reserva-
do à apresentação do novo site da organização, com a morada www.jsdpenafiel.org. Uma apresentação on-line, dinâmica e irre-
verente, apresentando o site como a indispensável ferramenta da estrutura para construir um plataforma de comunicação com os
jovens através da Internet. Em paralelo a JSD Penafiel vai activar brevemente o blog jsdpenafiel.blogspot.com. Este espaço
aspira a uma interactividade com os cibernautas muito alta. Os conteúdos incluirão temas e propostas para discussão em que um
elemento da Comissão Política da JSD servirá como moderador. Temas fracturantes, tabus e com interesse para a Juventude são
uma promessa a ser colocada neste.

JSD do distrito do Porto vence concurso nacional da


história da JSD
Quando, no último Congresso da JSD, no Fundão, Carlos Coelho anunciou o Con-
curso da História da JSD, logo se tornou claro que a Distrital do Porto iria ter uma
palavra a dizer.
Foi feita a equipa, liderada por Orlando Leal, e o trabalho não tardou a aparecer,
tendo dado entrada, dentro do prazo previsto, a História da JSD do distrito bem como
um trabalho individual, ainda de Orlando Leal.
Este trabalho, premiado é fruto de inúmeras entrevistas a personalidades do nosso par-
tido que “nasceram” politicamente na JSD. Reporta tempos idos pós 25 de Abril até à
construção e consolidação da maior e melhor estrutura de juventude Portuguesa. No
passado mês de Fevereiro, em comunicação a esta distrital, Carlos Coelho anunciou
que os 2 trabalhos do distrito haviam saído vencedores, nas respectivas categorias -
estruturas e individual. Como prémio, além do monetário, há 25 militantes que irão a
Bruxelas em visita ao Parlamento Europeu, já agendada para dia 7 de Maio.
Muitos são os relatos, mais ainda as histórias, de facto um óptimo instrumento para
ficarmos a saber como se fez e cresceu a JSD até aos dias de hoje. Esperemos agora
que seja editado e tornado público para todos conhecermos um pouco melhor a JSD e
as personalidades que a tornaram e tornam a maior e melhor estrutura de Juventude
Portuguesa. Ao Orlando Leal e a TODOS quantos colaboraram neste projecto O OBSERVADOR endereça os mais sinceros
PARABENS e Votos de Boa Viagem até Bruxelas para receberem o merecido prémio.

www.cpd-jsdporto.com - O site da Distrital da JSD


Visita, faz os downloads de documentos e do OBSERVADOR
OBSERVADOR
5 1 Abril 2007

O ESTADO DA
JSD/Paredes toma posse (DES)GOVERNAÇÃO
No passado dia 30 de Março, tomaram Posse os Novos Órgãos A insistên-
da JSD Paredes. O Jantar teve a presença de cerca de 250 cia do
pessoas, mostrando assim a capacidade de mobilização desta Governo e
nova JSD. Este jantar teve a presença de Pedro Rodrigues, Can- da maioria
didato à JSD Nacional, Joaquim Pinto, Pre- PS na cons-
sidente da Distrital da JSD, Dr. Miguel trução do
Santos, secretário-geral da Distrital do Porto novo aeroporto Internacional
do PSD, Dr. Celso Ferreira, Presidente do PSD Paredes e Dr. Luís Filipe de Lisboa na OTA é um
Menezes, Presidente do PSD de Vila Nova de Gaia. A Presidente da JSD ABSURDO POLÍTICO E
Paredes, Liliana Barros, agradeceu a presença de todos e aproveitou este UM ABSURDO TÉCNICO,
jantar para anunciar a sua intenção da criação de Núcleos em todas as Fre- foram as conclusões de um
guesias, fazendo assim a descentralização das reuniões e tornando mais fácil debate promovido pela RTP
a vinda de novos jovens. Foi também proposto a criação do Concelho Muni- no seu programa Prós e Con-
cipal da Juventude. Esta é uma Nova JSD com uma ambição e com muita tras, onde o Sr. Bastonário da
irreverência, onde se pode esperar trabalho e dedicação. Ordem dos Engenheiros refe-
riu que a OTA não é a melhor
Solução técnica. Um Gover-
JSD/Amarante - 3ª Revolta dos Papos d’Anjo no prepotente e autista que
ignora os Conselhos técnicos
em favorecimento de que
Foi
nas instalações do Hotel Navarras, em Amarante, que
interesses ???
decorreu mais uma Revolta dos Papos d'Anjo. Atendendo ao
Eng.ª Ana Paula
tema, a Revolta contou com a colaboração de Tiago Vasconce-
Vitorino, Sra.
los, da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), Sec. de Estado
André Cardoso e Sandro Sousa, ambos jovens empresários a dos Transpor-
operarem em várias áreas de negócio. Tiago Vasconcelos tes, deu em 2005
começou por salientar que "um empreendedor não é obrigatoria- a “luz verde”
mente um empresário". Deu conta à preenchida plateia das for- para a implemen-
mas e métodos necessários ao lançamento de um projecto, expli- tação na nova
cou os vários tipos de apoios que se podem obter, mas realçou a rede dos STCP.
importância do esforço, da dedicação e da persistência de todos Esta nova rede
aqueles que pretendem lançar as suas ideias. Tiago criticou a pro- trouxe uma série
paganda feita em torna da criação de empresas, afirmando que de problemas sob
"empresas na hora" é irrealista. Salientou a importância da forma- o signo da forte
ção, e explicou o porquê de o povo português caminhar num futu- redução das
ro menos empreendedor do que o de outros tempos, culpando a i n d e mn i z a ç õ e s
educação por esse facto, afirmando que esta "incute o medo de arriscar, incute o conformismo".
André Cardoso transmitiu a todos as dificuldades de se ser jovem empresário, as dificuldades Vs compensatórias
para a Empresa (-
que existem quando se tenta implementar um negócio. Considerou a legislação como a principal 32% 7 M€). Se
culpada pelo pouco empreendorismo e pela mentalidade conformista. Sandro Sousa relembrou vivemos um qua-
que mais importante do que obter valor material, é necessário solidificar e diversificar, apostan- dro de restrição
do nas parcerias como estratégia de desenvolvimento, "apostem nas parcerias" disse. Salientou a orçamental em
importância da honestidade e das relações de confiança, dando igual relevo à motivação e à dedi- virtude dos problemas finan-
cação, ambas como forma importante de alcançar o sucesso. Juntamente com André, Sandro ceiros do País porque é que a
também reforçou a ideia de que a legislação portuguesa impede e reprime quem quer produzir, mesma política não se aplica
reforçando a ideia de que a mentalidade incutida, desde cedo, aos portugueses é acanhada e limi- à CARRIS e Operadores Pri-
tadora. A plateia, participativa colocando diversas questões sobre o tema, e realçando a questão vados de Transportes Terres-
das oportunidades e apoios, ao que os «3 especialistas» responderam: "Apoios? Esqueçam! Che- tres ( Pois é em Lisboa até os
gam tarde, não vêm a tempo de ajudar e são sempre difíceis de conseguir." O debate foi modera- Privados recebem indemniza-
do por Carlos Carvalho que, juntamente com a organização, aproveitou para realçar a falta de ções compensatórias do esta-
confiança dos jovens quando se pensa em dar um passo à procura do sucesso, rebatendo mesmo do !!!!) para já não falar nos
para as estatísticas, onde se lê que 85% dos estudantes dos EUA têm por objectivo possuir um diferentes tratamentos que
negócio próprio, enquanto que dos portugueses, apenas 33% o pretendem. A esta questão, os três têm os Metros de Lisboa e do
convidados responderam com o que já haviam afirmado, relembrando que a mentalidade incuti- Porto, de facto mais centralis-
da aos portugueses faz com que se tenha medo de arriscar, de se lançar em oportunidades de mo é difícil, não há memó-
negócio. No final, como já é característico, foi altura de se provarem uns bons Papos d'Anjo. ria !!!!!
Agenda: JORNADAS DISTRITAIS DA SAÚDE - Durante o próximo mês decorrerá uma reunião com os vereadores do PSD com o pelouro
da Saúde no Distrito; O XIX CONGRESSO DA JSD em Espinho ; QUINTA DAS IDEIAS - Fórum de discussão temático da JSD/Póvoa -
actividade, aberta também à população em geral, decorrerá todos os meses nas últimas quintas feiras de cada mês; A REVOLTA DOS PAPOS
D'ANJO - Fórum da JSD/Amarante - pretende ser um espaço aberto ao debate sobre os vários temas de interesse para a nossa sociedade. cam-
pos de debate. - www.cpd-jsdporto.com
Comissão Política Distrital da JSD Porto - Rua de Guerra Junqueiro, 64  4150 - 386 Porto  http://www.juventudeactiva.blog-city.com
Direcção: Rui Monteiro. Nesta edição colaboraram: Carlos Pacheco, Vera Garcia , Joaquim Pinto, Eduardo Bandeira, Liliana Barros, Luís Vales e Marco
Vaqueiro e Inês Aguiar.