Você está na página 1de 5

ICMS E IPI RECUPERÁVEIS

O IPI e o ICMS pagos na aquisição de mercadorias para revenda e de insumos da produção


industrial (matérias-primas, materiais intermediários e embalagens) não devem integrar o respectivo
custo, quando forem recuperáveis mediante crédito nos livros fiscais pertinentes.

IPI E ICMS NA IMPORTAÇÃO

A segregação do custo de aquisição aplica-se inclusive aos impostos recuperáveis (IPI/ICMS) pagos
na importação de mercadorias destinadas à revenda ou matérias-primas e outros materiais
destinados à industrialização.

CONTABILIZAÇÃO

Uma forma de contabilizar os impostos recuperáveis pagos na aquisição de mercadorias e insumos


da produção é o registro, por ocasião da aquisição desses bens, em contas próprias, classificáveis no
ativo circulante, intituladas “IPI a Recuperar” e "ICMS a Recuperar”.

Exemplo:

Aquisição de R$ 110.000,00 de materiais para a produção, sendo recuperáveis R$ 10.000,00 de IPI


e R$ 12.000,00 de ICMS:

D - Estoque de Matérias-primas (Ativo Circulante) R$ 88.000,00


D - IPI a Recuperar (Ativo Circulante) R$ 10.000,00
D - ICMS a Recuperar (Ativo Circulante) R$ 12.000,00
C - Fornecedores (Passivo Circulante) R$ 110.000,00

Lançamento por ocasião do término do período de apuração do IPI e do ICMS, transferindo-se o


saldo das contas respectivas para a conta do passivo:

D - ICMS a Recolher (Passivo Circulante)


C - ICMS a Recuperar (Ativo Circulante)
R$ 12.000,00

D - IPI a Recolher (Passivo Circulante)


C - IPI a Recuperar (Ativo Circulante)
R$ 10.000,00

TRIBUTOS A COMPENSAR – RECOLHIMENTOS INDEVIDOS OU A MAIOR

Uma vez identificado valores de tributos passíveis de compensação, seja por recolhimento indevido
ou a maior, tais valores devem ser contabilizados em contas do ativo, com a corresponde
atualização, de acordo com a legislação de regência. Para efeito de contabilização e cômputo na
base de cálculo do IRPJ e da Contribuição Social Sobre o Lucro, os juros devem ser apropriados
pelo regime de competência. O valor dos juros calculados com base na taxa SELIC para títulos
federais acumulada mensalmente serão registrados em conta de resultado que pode ser intitulada
como juros ativos, tendo como contrapartida a conta que registra o crédito a compensar.A empresa
deverá manter controles extra-contábeis dos créditos a compensar, bem como dos valores dos juros
apropriados e dos valores compensados, para fazer prova frente a possíveis questionamentos por
parte do Fisco.

Exemplo:
Empresa recolheu, indevidamente, R$ 1.000,00 de COFINS sobre receita de vendas, em meses
anteriores. Calculado o valor atualizado pelos juros SELIC, estes representam acréscimo de R$
200,00.

1) Pelo registro dos valores recolhidos indevidamente, cuja parcela tenha sido registrada
anteriormente a débito de conta de resultado:

D - COFINS a Compensar (Ativo Circulante)


C - COFINS sobre Vendas (Conta de Resultado)
R$ 1.000,00

Nota: a contabilização a crédito de conta de resultado do exercício é plausível, desde que o valor
recolhido indevidamente seja de pequena proporção e relativo a recolhimentos efetuados em
competências do próprio exercício. Na hipótese de recuperação de valores vultuosos, há de se
considerar a necessidade de creditar a conta de “Lucros ou Prejuízos Acumulados”, com histórico
de ajustes de exercícios anteriores. Para detalhamentos sobre as hipóteses e procedimentos de
ajustes de exercícios anteriores, leia o tópico "Ajustes de Exercícios Anteriores", neste guia.

2) Pelo reconhecimento dos juros sobre o valor a compensar:

D - COFINS a Compensar (Ativo Circulante)


C - Juros Ativos (Conta de Resultado)
R$ 200,00

3) Por ocasião da compensação efetivada:

D - COFINS a Recolher (Passivo Circulante)


C - COFINS a Compensar (Ativo Circulante)
R$ 1.200,00

TRIBUTOS SOBRE VENDAS

São considerados tributos incidentes sobre as vendas aqueles que guardam proporcionalidade com o
preço da venda, mesmo que integrem a base de cálculo do tributo.

IPI e ICMS SOBRE VENDAS

O IPI e o ICMS incidente sobre vendas deve ser deduzido da receita bruta na determinação da
receita líquida de vendas. O IPI, quando destacado na nota fiscal e cobrado do cliente, é
contabilizado diretamente em IPI a Pagar, no passivo circulante. Entretanto, há empresas que, por
necessidade de controle ou formação de estatísticas e gerenciamento, contabilizam o IPI destacado
(como também o ICMS cobrado por substituição tributária) em contas de resultado.

Neste caso, sugere-se a adoção da seguinte estrutura de contas:

FATURAMENTO BRUTO
(-) IPI Faturado
(-) ICMS Substituição Tributária
(=) RECEITA OPERACIONAL BRUTA

Exemplo:

Venda de produtos com os seguintes valores constantes na nota fiscal:


Valor dos produtos - R$ 100.000,00
IPI Destacado - R$ 10.000,00
Valor total da NF - R$ 110.000,00
ICMS - R$ 18.000,00

D - Clientes (Ativo Circulante)


C - Faturamento Bruto (Resultado)
R$ 110.000,00

D - IPI Faturado (Resultado)


C - IPI a Recolher (Passivo Circulante)
R$ 10.000,00

D - ICMS sobre Vendas (Conta de Resultado)


C - ICMS a Recolher (Passivo Circulante)
R$ 18.000,00

PIS E COFINS SOBRE VENDAS

Os valores das contribuições PIS e COFINS incidentes sobre a receita de vendas serão debitados em
contas próprias de resultado, tendo como contrapartida contas do passivo circulante, desta forma:

D - PIS sobre Vendas (Resultado)


C - PIS a Recolher (Passivo Circulante)

D - COFINS sobre Vendas (Resultado)


C - COFINS a Recolher (Passivo Circulante)

Para a contabilização dos créditos do PIS e COFINS Não Cumulativos, acesse o tópico respectivo.

ISS SOBRE VENDAS

A contabilização do ISS - Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza segue o mesmo


procedimento adotado no registro do ICMS sobre vendas. Assim como ocorre com o IPI e o ICMS,
a escrituração do ISS poderá ser feita Nota Fiscal por Nota Fiscal, no final do dia, pela soma das
Notas Fiscais ou, mensalmente, com base na escrituração do livro fiscal próprio.

Exemplo:

Valor da Nota Fiscal de Serviços: R$ 5.000,00


Valor do ISS devido: R$ 250,00

1) Pelo reconhecimento da receita:

D - Duplicatas A Receber (Ativo Circulante)


C - Receita de Serviços (Resultado)
R$ 5.000,00

2) Pelo reconhecimento do valor do ISS:

D - ISS sobre Serviços (Resultado)


C - ISS a Recolher (Passivo Circulante) R$ 250,00
Caso a empresa opte pela escrituração resumida, ou seja, quando efetuar os lançamentos em
partidas mensais, o registro contábil poderá ser efetuado com base no livro fiscal destinado a
apuração do referido tributo. Na Demonstração do Resultado do Exercício a conta "ISS s/Venda de
Serviços" será inserida como item redutor da Receita Bruta de Vendas de Serviços, obtendo-se,
dessa forma a Receita Líquida de Vendas de Serviços.

SIMPLES NACIONAL

O procedimento para contabilização dos tributos englobados no Simples Nacional é o mesmo para
os demais tributos que guardam correlação com a receita de vendas, ou seja, debita-se uma conta de
resultado e credita-se a conta passiva relativa a esta obrigação.

Exemplo:

Valor do Simples devido no mês: R$ 5.000,00.

D – Simples Nacional (Resultado)


C – Simples Nacional a Recolher (Passivo Circulante)

RETENÇÕES DA CSLL, PIS E COFINS SOBRE SERVIÇOS

A partir de 01.02.2004, os pagamentos efetuados pelas pessoas jurídicas a outras pessoas jurídicas
de direito privado, pela prestação de serviços de limpeza, conservação, manutenção, segurança,
vigilância, transporte de valores e locação de mão-de-obra, pela prestação de serviços de assessoria
creditícia, mercadológica, gestão de crédito, seleção e riscos, administração de contas a pagar e a
receber, bem como pela remuneração de serviços profissionais, estão sujeitos à retenção na fonte da
Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), da Contribuição para o Financiamento da
Seguridade Social (COFINS) e da Contribuição para o PIS. O valor da CSLL, da COFINS e do PIS
retidos será determinado mediante a aplicação, sobre o montante a ser pago, do percentual total de
4,65%, (quatro inteiros e sessenta e cinco centésimos por cento), correspondente à soma das
alíquotas de 1% (um por cento), 3% (três por cento) e 0,65% (sessenta e cinco centésimos por
cento), respectivamente.

Base: arts. 30, 31, 32, 34 a 36, da Lei 10.833/2003.

COMPENSAÇÃO DO VALOR RETIDO

Os valores retidos serão considerados como antecipação do que for devido pelo contribuinte que
sofreu a retenção, em relação às respectivas contribuições. Desta forma as contribuições retidas na
pessoa jurídica prestadora do serviço, assumem características de um direito a ser compensável, e
assim sendo será classificado no Ativo Circulante como tributos a recuperar. Na pessoa jurídica
tomadora do serviço, que tem a obrigatoriedade de reter e recolher as contribuições devidas sobre o
valor do serviço a ser pago, as retenções serão tratadas como uma obrigação, e assim será
classificado no Passivo Circulante como Tributos a recolher.

Exemplo:

Empresa "A" emitiu Nota Fiscal de prestação de serviços para seu cliente, empresa "B", com os
seguintes dados:

Valor da Nota Fiscal - R$ 1.000,00

Retenções:
CSLL: 1% = R$ 10,00
COFINS: 3% = R$ 30,00
PIS: 0,65% = R$ 6,50
Total das Retenções - R$ 46,50
Valor Líquido a Receber: R$ 1.000,00 – R$ 46,50 = R$ 953,50

1) Contabilização na pessoa jurídica "A" - prestadora do serviço:

a) Pelo registro da Nota Fiscal:

D - Clientes (Ativo Circulante) R$ 953,50


D – CSLL a Recuperar (Ativo Circulante) R$ 10,00
D – COFINS a Recuperar (Ativo Circulante) R$ 30,00
D – PIS a Recuperar (Ativo Circulante) R$ 6,50
C - Receitas de Serviços (Resultado) R$ 1.000,00

b) Pelo recebimento do valor do cliente:

D – Bancos Cta. Movimento (Ativo Circulante)


C - Clientes (Ativo Circulante)
R$ 953,50

c) Pela compensação das contribuições retidas com o valor devido:

D - CSLL a Recolher (Passivo Circulante)


C - CSLL a Recuperar (Ativo Circulante)
R$ 10,00

D – COFINS a Recolher (Passivo Circulante)


C - COFINS a Recuperar (Ativo Circulante)
R$ 30,00

D – PIS a Recolher (Passivo Circulante)


C - PIS a Recuperar (Ativo Circulante)
R$ 6,50

2) Tratamento contábil na empresa "B" - tomadora do serviço:

a) Pelo registro da Nota Fiscal:

D - Despesas Administrativas (Resultado) R$ 1.000,00


C – Contribuições Retidas a Recolher (Passivo Circulante) R$ 46,50
C - Fornecedores (Passivo Circulante) R$ 953,50

b) Pelo pagamento do valor ao fornecedor:

D - Fornecedores (Passivo Circulante)


C – Bancos Cta. Movimento (Ativo Circulante)
R$ 953,50

c) Pelo recolhimento das contribuições retidas:

D - Contribuições Retidas a Recolher (Passivo Circulante)


C - Bancos Cta. Movimento (Ativo Circulante)
R$ 46,50