Você está na página 1de 2

Fotos Vídeos Clipping Notícias Ponto de Vista || Voltar para o Site Principal

Brasil na França
Vogue Especial
Vendas superam as metas
Sombra e sushi fresco
janeiro 10, 2010 | Notícias | A Brasserie da Moda
Núcleos criativos brilham e vendem na
estreia
15º Fashion Business: bons negócios
para grandes e pequenos
Vendas de R$ 413 mi nesta edição
superam expectativas em 18%
Dos acessórios à maquiagem
contemporânea
Fashion Business terá 4 edições

camila salek Pesquisar

Com apresentação e mediação do consultor Silvio Chadad, um dos maiores


especialistas em varejo do país, a empresária e consultora Camila Salek falou
domingo, 10 de janeiro, para mais de 100 empresários da moda na abertura do Café
da Manhã no Forum de Lojistas do Fashion Business, na Marina da Glória, sobre as
últimas novidades que agregam valor ao negócio. Chadad lembrou que o Café da
Manhã vai levar, diariamente , às 9 horas, de 10 a 13 de janeiro, informações práticas
para o negócio, que vão impactar o capital de giro e decisões futuras.
Consultora de visual merchandising de marcas famosas como Shop 126, Espaço
Fashion, Forum, Leader, Riachuelo, além de Havaianas e Speedo, Camila Salek
definiu sua especialidade como uma “evolução do vitrinismo”, base do comércio de
moda do Brasil. Lembrou que mais importante em comunicação visual “não é fazer,
mas fazer antes dos outros”. A nova concepção passa pelo planejamento da coleção.
Para definir até como cada peça da coleção será trabalhada na vitrine para gerar mais
lucros nos pontos de venda do país.
Ela chama o conceito de “Comunicação de 360 Graus”. Camila faz referência à técnica
de venda dos supermercados: o ícone da coleção deve ficar no fundo da loja, para
atrair antes consumidor para outros desejos. Em aparte, à pergunta de um dos
presentes, Silvio Chadad lembrou: o caixa deve ficar em ponto discreto, para não
interferir no momento da compra. Camila observa ainda que a vitrine não é para
apresentar o estoque, que deve ficar na loja. Deve ser usada para seduzir, atrair e
‘editar’ a coleção, como se fosse um ‘editorial de moda’, para funcionar como abre alas
no mercado para cada peça a ser trabalhada.

Outro ponto importante citado por Camila Salek é de que a “sustentabilidade virou
moda e veio para ficar”, citando pesquisa recente realizada no Reino Unido na qual
62% dos consumidores indicaram preferir produtos sustentáveis.

Camila Salek disse ainda que o consumidor do futuro, que hoje usa videogames,
Playstation e novas tecnologias, terá de ser sensibilizado no futuro por mensagens em
3D. Ao contrário do que se imagina, o investimento em tecnologia para turbinar vendas
representa menos de 2% do custo de cada coleção e oferecer retorno compensador,
garante. Exemplo do novo cenário é o das lojas Macy’s, que criaram sistema para

http://www.fashionbusiness.com.br/noticias/?s=camila+salek[14/04/2010 15:58:45]
explorar a lista de desejos do consumidor.

A consultora chama a atenção para a necessidade de que os sites de grifes e lojas


multimarcas sejam refeitos a cada 6 meses, com a integração total da comunicação
visual da nova coleção Para Camila Salek, no cenário do futuro, as vitrines passarão a
ser delineadas com tecnologia para despertar emoções e sensações. Uma das formas
de dar essa integração é o uso de E-Models. São cópias (cara, corpo e corpo inteiro)
das modelos das coleções e que permitem reproduzir nas vitrines a identidade da
coleção nos catálogos. Outra opção (para marcas já estabelecidas, como a Speedo) é
usar as vitrines para contar historinhas que reforcem a imagem da marca.

Dulado Design. Login.

http://www.fashionbusiness.com.br/noticias/?s=camila+salek[14/04/2010 15:58:45]