Você está na página 1de 19

Cargas Aplicadas à Indústria da Borracha

CENNE Centro de Estudos e Inovação

Cargas Aplicadas à Indústria da Borracha CENNE – Centro de Estudos e Inovação

Conteúdo

Introdução

2

Cargas Reforçantes Brancas

5

Cargas Minerais

6

Dióxido de Titânio

9

Talco

9

Pó de Borracha

10

Carbonatos

11

Carbonato de Magnésio

12

Silicatos

16

Sílica Hidratada

17

Pó de Borracha

17

de Magnésio 12 Silicatos 16 Sílica Hidratada 17 Pó de Borracha 17 www.cenne.com.br Página 1
de Magnésio 12 Silicatos 16 Sílica Hidratada 17 Pó de Borracha 17 www.cenne.com.br Página 1

Introdução

Sob o nome de cargas, são listados os materiais que se adicionam aos elastômeros para alterar propriedades, já que são raros os casos que se usam elastômeros puros.

Não se conhece nenhum material que satisfaça todos os requisitos para ser considerado uma carga completa, uma vez que são muitas as propriedades desejadas. Entre elas: baixo custo, baixa densidade, estabilidade térmica, obtenção rápida e fácil, neutralidade química, fácil manipulação, atoxidade.

As cargas devem conferir ao produto final: resistência mecânica, estabilidade térmica e dimensional, resistência química e atoxidade. Podem ser divididas em dois grandes grupos: as reforçantes e as inertes.

As cargas reforçantes são aquelas que comunicam melhores propriedades físico-mecânicas, como: rigidez, resistência à tração, compressão, deformação, rasgamento.

As cargas inertes ou materiais de enchimento não melhoram em nada as propriedades, ao contrário, até pioram, porém aumentam o volume do material reduzindo assim os custos, além de melhorarem o processamento.

1 Cargas de uso geral:

aluminade melhorarem o processamento. 1 – Cargas de uso geral: carbonato de cálcio talco sulfato de

carbonato de cálcioo processamento. 1 – Cargas de uso geral: alumina talco sulfato de cálcio mica sílica precipitada

talco1 – Cargas de uso geral: alumina carbonato de cálcio sulfato de cálcio mica sílica precipitada

sulfato de cálcio– Cargas de uso geral: alumina carbonato de cálcio talco mica sílica precipitada óxido de zinco

micageral: alumina carbonato de cálcio talco sulfato de cálcio sílica precipitada óxido de zinco sulfato de

sílica precipitadaalumina carbonato de cálcio talco sulfato de cálcio mica óxido de zinco sulfato de bário caulins

óxido de zincode cálcio talco sulfato de cálcio mica sílica precipitada sulfato de bário caulins tratados www.cenne.com.br

sulfato de báriode cálcio talco sulfato de cálcio mica sílica precipitada óxido de zinco caulins tratados www.cenne.com.br Página

caulins tratadoscálcio talco sulfato de cálcio mica sílica precipitada óxido de zinco sulfato de bário www.cenne.com.br Página

de cálcio mica sílica precipitada óxido de zinco sulfato de bário caulins tratados www.cenne.com.br Página 2
de cálcio mica sílica precipitada óxido de zinco sulfato de bário caulins tratados www.cenne.com.br Página 2

2 Cargas antichama:

hidróxido de alumínio2 – Cargas antichama: trióxido de alumínio carbonato de magnésio trióxido de arsênio 3 – Cargas

trióxido de alumínio2 – Cargas antichama: hidróxido de alumínio carbonato de magnésio trióxido de arsênio 3 – Cargas

carbonato de magnésioantichama: hidróxido de alumínio trióxido de alumínio trióxido de arsênio 3 – Cargas resistentes à

trióxido de arsêniode alumínio trióxido de alumínio carbonato de magnésio 3 – Cargas resistentes à radiação nuclear :

3 Cargas resistentes à radiação nuclear:

litargírioarsênio 3 – Cargas resistentes à radiação nuclear : carbeto de boro 4 – Cargas para

carbeto de boro– Cargas resistentes à radiação nuclear : litargírio 4 – Cargas para usinagem: pós metálicos carbonatos

4 Cargas para usinagem:

pós metálicos: litargírio carbeto de boro 4 – Cargas para usinagem: carbonatos de cálcio polímeros orgânicos rígidos

carbonatos de cálciode boro 4 – Cargas para usinagem: pós metálicos polímeros orgânicos rígidos 5 – Cargas para

polímeros orgânicos rígidosCargas para usinagem: pós metálicos carbonatos de cálcio 5 – Cargas para transferência de calor: alumínio

5 Cargas para transferência de calor:

alumínio em pórígidos 5 – Cargas para transferência de calor: alumina óxido de zinco sílica precipitada 6 –

alumina– Cargas para transferência de calor: alumínio em pó óxido de zinco sílica precipitada 6 –

óxido de zincopara transferência de calor: alumínio em pó alumina sílica precipitada 6 – Cargas para absorção de

sílica precipitadade calor: alumínio em pó alumina óxido de zinco 6 – Cargas para absorção de calor

6 Cargas para absorção de calor:

metais em póprecipitada 6 – Cargas para absorção de calor : óxidos metálicos sílica precipitada www.cenne.com.br

óxidos metálicosprecipitada 6 – Cargas para absorção de calor : metais em pó sílica precipitada www.cenne.com.br Página

sílica precipitadaprecipitada 6 – Cargas para absorção de calor : metais em pó óxidos metálicos www.cenne.com.br Página

– Cargas para absorção de calor : metais em pó óxidos metálicos sílica precipitada www.cenne.com.br Página
– Cargas para absorção de calor : metais em pó óxidos metálicos sílica precipitada www.cenne.com.br Página

7 Cargas para melhorar resistência elétrica:

alumina7 – Cargas para melhorar resistência elétrica: sílica talco mica caulim 8 – Cargas para condutividade:

sílica7 – Cargas para melhorar resistência elétrica: alumina talco mica caulim 8 – Cargas para condutividade:

talcoCargas para melhorar resistência elétrica: alumina sílica mica caulim 8 – Cargas para condutividade: metais em

micapara melhorar resistência elétrica: alumina sílica talco caulim 8 – Cargas para condutividade: metais em pó

caulimmelhorar resistência elétrica: alumina sílica talco mica 8 – Cargas para condutividade: metais em pó grafite

8 Cargas para condutividade:

metais em pósílica talco mica caulim 8 – Cargas para condutividade: grafite negros de fumo óxidos metálicos 9

grafitemica caulim 8 – Cargas para condutividade: metais em pó negros de fumo óxidos metálicos 9

negros de fumo8 – Cargas para condutividade: metais em pó grafite óxidos metálicos 9 – Cargas para resistência

óxidos metálicospara condutividade: metais em pó grafite negros de fumo 9 – Cargas para resistência a tração:

9 Cargas para resistência a tração:

negros de fumometálicos 9 – Cargas para resistência a tração: sílica precipitada fibras carbonato de magnésio materiais

sílica precipitada9 – Cargas para resistência a tração: negros de fumo fibras carbonato de magnésio materiais poliméricos

fibrasresistência a tração: negros de fumo sílica precipitada carbonato de magnésio materiais poliméricos 10 –

carbonato de magnésioa tração: negros de fumo sílica precipitada fibras materiais poliméricos 10 – Cargas para compressão:

materiais poliméricosde fumo sílica precipitada fibras carbonato de magnésio 10 – Cargas para compressão: negros de fumo

10 Cargas para compressão:

negros de fumomateriais poliméricos 10 – Cargas para compressão: caulins tratados sílica precipitada materiais poliméricos

caulins tratados10 – Cargas para compressão: negros de fumo sílica precipitada materiais poliméricos www.cenne.com.br

sílica precipitada10 – Cargas para compressão: negros de fumo caulins tratados materiais poliméricos www.cenne.com.br Página 4

materiais poliméricos10 – Cargas para compressão: negros de fumo caulins tratados sílica precipitada www.cenne.com.br Página 4

para compressão: negros de fumo caulins tratados sílica precipitada materiais poliméricos www.cenne.com.br Página 4
para compressão: negros de fumo caulins tratados sílica precipitada materiais poliméricos www.cenne.com.br Página 4

11

Cargas para impacto:

plastificantes11 – Cargas para impacto: materiais poliméricos cargas reforçadoras em geral 12 – Cargas para abrasão:

materiais poliméricos11 – Cargas para impacto: plastificantes cargas reforçadoras em geral 12 – Cargas para abrasão: sílica

cargas reforçadoras em geralCargas para impacto: plastificantes materiais poliméricos 12 – Cargas para abrasão: sílica negro de fumo alta

12 Cargas para abrasão:

sílicacargas reforçadoras em geral 12 – Cargas para abrasão: negro de fumo alta estrutura carbeto de

negro de fumo alta estruturaem geral 12 – Cargas para abrasão: sílica carbeto de silício resinas fenólicas Cargas Reforçantes

carbeto de silícioCargas para abrasão: sílica negro de fumo alta estrutura resinas fenólicas Cargas Reforçantes Brancas Até poucos

resinas fenólicassílica negro de fumo alta estrutura carbeto de silício Cargas Reforçantes Brancas Até poucos anos a

Cargas Reforçantes Brancas

Até poucos anos a carga reforçadora branca por excelência era o carbonato de magnésio. Com o surgimento da sílica precipitada houve um grande avanço no que se refere à obtenção de produtos brancos com boas propriedades físico-mecânicas. Contudo, apesar das ótimas propriedades das sílicas, ainda não se chegou ao nível de reforço dos melhores negros de fumo.

Para que uma carga seja reforçante, ela deve possuir algumas características fundamentais:

- Granulometria: as partículas devem ser o mais fino o possível, pois o reforço esta relacionado com

a superfície específica;

- Rugosidade: sendo duas partículas de mesmo tamanho, uma esférica e outra rugosa, terão

comportamento diferente; a primeira ocupará espaços intermoleculares sem se prender às

comportamento diferente; a primeira ocupará espaços intermoleculares sem se prender às www.cenne.com.br Página 5
comportamento diferente; a primeira ocupará espaços intermoleculares sem se prender às www.cenne.com.br Página 5

moléculas e a segunda se ancorará originando pontos de atrito estabelecendo uma certa ligação mecânica entre as moléculas;

- Estrutura: uma partícula fina considerada isolada não significa nada, mas se a mesma se organizar

com outras de modo a formar estruturas tem condições de comunicar ao polímero modificações em suas propriedades, pois essa estrutura é decorrente de carga elétrica residual ou reatividade química localizada;

- Dispersão: aqui evidentemente joga-se com o fator econômico, uma vez que quanto mais fácil a

dispersão, mais rápida a incorporação e menor o custo de mistura, dada a economia de energia e mão-de-obra, assim como o aumento da produção. Quanto menor a partícula maior a dificuldade de incorporação;

- Natureza química: muito discutida; estudos atribuíram as características reforçadoras dos negros

de fumo à estrutura química, próxima ao da borracha com a qual reagiria após a incorporação a ela.

As sílicas são materiais que apresentam certa dificuldade para serem incorporadas pelos elastômeros, e por suas características ácidas têm efeito retardante sobre o sistema de cura, motivo pelo qual se costuma usar paralelamente uma base orgânica (glicóis) para eliminar todo resíduo ácido. Bons resultados são obtidos também quando além da sílica se usa carbonato de cálcio ou óxido de magnésio. Usa-se cal hidratada num teor de 5 a 10 phr e o efeito retardante da sílica fica completamente eliminado.

Quando se deseja obter um produto com baixa deformação permanente, devemos restringir o uso da sílica precipitada, uma vez que ela determina a ocorrência de grandes deformações.

Cargas Minerais

O uso de cargas de reforços tem desempenhado um papel muito importante dentro deste contexto, sendo hoje um dos campos de maior crescimento na indústria de materiais plásticos. Esta

sendo hoje um dos campos de maior crescimento na indústria de materiais plásticos. Esta www.cenne.com.br Página
sendo hoje um dos campos de maior crescimento na indústria de materiais plásticos. Esta www.cenne.com.br Página

participação iniciou-se com a necessidade de carregar as resinas de uso geral para compensar o aumento crescente dos custos das resinas virgens e para ampliar a disponibilidade de matéria prima.

Depois o uso se estendeu a certas cargas minerais que exibiam a capacidade de alterar positivamente algumas propriedades da matriz e resina. Nos dias atuais, é grande a necessidade de obter-se um balanço específico de tais propriedades, como alta resistência mecânica, módulos elevados, temperaturas e distorções mais altas, baixa expansão térmica, e o que é mais atraente, com custos competitivos.

Cargas minerais são intencionalmente incorporadas à matriz polimérica com o objetivo principal de atingir um aumento perceptível em propriedades mecânicas. Ou seja, quando tais cargas são incorporadas espera-se delas um compromisso com a matriz polimérica no sentido de haver uma interação mecânica perceptível.

Tal conceito, entretanto, deverá ser diferenciado do termo “reforço” propriamente dito, onde este será aplicado aos produtos que irão interferir numa escala muito maior sobre as propriedades mecânicas.

A característica de reforço que um carregamento mineral possa vir a promover pode ser

entendido pela relação módulo de flexão versus resistência ao impacto.

A maioria das cargas minerais promove um aumento em rigidez, ou seja, aumento do

módulo de flexão. Entretanto, uma característica só é entendida se, juntamente com o aumento em

rigidez, também haja um aumento em resistência ao impacto ou à tração. Neste caso, a partícula de carga mineral deve ter uma interação tal com a matriz polimérica de modo que a tensão de esforço sobre o polímero seja imediatamente transmitida à fase mineral.

À medida que as características de reforço foram sendo incrementadas mediante o entendimento dos fenômenos de relacionamento carga / matriz, os parâmetros a serem levados em conta na seleção de uma carga mineral começaram a ser estabelecidas. Além das características óbvias, tais como disponibilidade, custo e constituição mineranológica, a seleção de cargas minerais

como disponibilidade, custo e constituição mineranológica, a seleção de cargas minerais www.cenne.com.br Página 7
como disponibilidade, custo e constituição mineranológica, a seleção de cargas minerais www.cenne.com.br Página 7

para termoplásticos evoluiu para o estudo das características físico-químicas. Tais características físico-químicas são principalmente:

A razão de aspecto, ou seja, a relação comprimento / diâmetro da partícula, é talvez o

parâmetro mais importante para promover uma característica de reforço. Quanto maior for a razão de aspecto da carga mineral, maior é a probabilidade de atuar como uma carga reforçante. A razão

de aspecto depende da estrutura morfológica das partículas. Deste modo podemos ver tipos de estrutura morfológica básica para diversas cargas.

O tamanho médio das partículas e a distribuição de tamanho influenciam tanto as

propriedades mecânicas como reológicas do composto e devem ser bem controladas. Excesso de partículas grosseiras ou de partículas extremamente finas podem prejudicar as propriedades reológicas, ocasionando problemas tanto de dispersabilidade da carga como de processabilidade dos materiais carregados. As propriedades mecânicas serão muito prejudicadas se um excesso das partículas maiores estiver presente, pois as partículas maiores pela sua imobilidade e maior área,

tendem a formar vazios em maior número e tamanho do que um volume igual de partículas mais finas.

A área superficial, medida em m 2 / g, é outro parâmetro que, semelhantemente à razão de

aspecto, é decisivo para melhorar a razão carga / matriz.

da

compatibilidade química entre a carga mineral e sua matriz polimérica. Normalmente, cargas minerais com uma natureza polar tendem a serem mais compatíveis com as resinas polares.

O conhecimento

da

natureza

química

da

superfície

também

nos

uma

ideia

A fração volumétrica máxima de empacotamento está relacionada à distribuição de

tamanho de partículas e também depende da área superficial das partículas. Tal parâmetro é um valor teórico que controla a máxima concentração de carga que pode ser incorporada ao polímero fundido, supondo que este esteja presente apenas molhando a superfície e ocupando os vazios entre as partículas.

este esteja presente apenas molhando a superfície e ocupando os vazios entre as partículas. www.cenne.com.br Página
este esteja presente apenas molhando a superfície e ocupando os vazios entre as partículas. www.cenne.com.br Página

A pureza química de uma carga mineral, deverá ser conhecida principalmente quanto à presença de contaminantes na forma de íons metálicos ativos, oriundos de óxidos de ferro, manganês, cobre ou níquel, os quais participam ativamente nos processos de degradação do tipo termofoto-oxidativo na maioria dos polímeros.

Dióxido de Titânio

É empregado na indústria de plástico e borracha por possuir grande poder de cobertura, permitindo o máximo destaque para uso em artefatos coloridos. Comercializado em dois tipos principais relacionados abaixo:

Tipos Comerciais de Dióxido de Titânio Tipo Peso Específico Equivalência Volume Tonalidade Anatáse 3,90 100
Tipos Comerciais de Dióxido de Titânio
Tipo
Peso Específico
Equivalência
Volume
Tonalidade
Anatáse
3,90
100
26
Branco / Azulado
Rutilo
4,20
75
18
Branco / Creme

Ambos são empregados para obtenção de compostos brancos ou coloridos com a adição de pequenas quantidades de azul quando se deseja um ótimo acabamento final do vulcanizado.

Talco

O talco é um silicato de magnésio hidratado com a fórmula 4SiO 2 3MgO H 2 O, de peso específico de 2,72. É um pó branco macio podendo ser micronizado em partículas muito finas, que confere as mesmas características do carbonato com a vantagem de ser mais resistente aos ácidos, apresentar melhor resistência di-elétrica e melhor acabamento.

mais resistente aos ácidos, apresentar melhor resistência di-elétrica e melhor acabamento. www.cenne.com.br Página 9
mais resistente aos ácidos, apresentar melhor resistência di-elétrica e melhor acabamento. www.cenne.com.br Página 9

Também por ter estrutura lamelar é mais indicado nos artefatos extrudados, sendo que conferem também boa aparência aos artefatos vulcanizados, indicado também para uso em ebonites, policloropreno e silicones. É ainda muito utilizado na indústria do látex.

Já existem no mercado tipos recobertos com silano que conferem melhores características físicas e elétricas, além de facilitarem a produção de artefatos moldados.

Pó de Borracha

Durante a produção de pneus, ao serem preparados são raspados e lixados como um processo de retificação. Este pó que é recolhido depois apresenta granulometrias diferentes, sendo os mais finos utilizados em composições de borrachas pretas com algumas características interessantes como eliminação de bolhas, economia, compostos altamente carregados com densidade relativamente baixa, além de melhoras na resistência ao desgaste por abrasão.

Trata-se de um material de excelente incorporação, sendo esta muito rápida, com a vantagem de não ficar caindo na bandeja do cilindro (quando utilizado o misturador aberto) e deste modo fazendo com que as demais cargas também incorporem mais rapidamente, e sua dispersão que é de alto nível, não ficando nenhum resíduo no composto.

Nas fábricas de solados e calçados, as chapas são lixadas para permitir um melhor acabamento ou colagem. Este pó obtido das lixadeiras constitui um excelente material como carga diluente.

Os principais cuidados se devem à cor do pó e ao tipo do mesmo, pois se for de um material microcelular, quando adicionado a um material compacto poderá provocar esponjamentos indesejáveis.

quando adicionado a um material compacto poderá provocar esponjamentos indesejáveis. www.cenne.com.br Página 10
quando adicionado a um material compacto poderá provocar esponjamentos indesejáveis. www.cenne.com.br Página 10

Carbonatos

O carbonato de cálcio utilizado na borracha é obtido quimicamente sob a forma de precipitado como que se obtém estrutura e sobretudo granulometria muito mais fina do que pela moagem do carbonato natural.

Carbonato Natural: moagem do produto natural. O carbonato de cálcio pode conter até 20% de umidade. Seca-se e submete-se a moagem e peneiragem. Conseguem-se carbonatos de razoável granulometria com este processo.

Carbonato Precipitado: este tipo obtido por precipitação apresenta granulometria muito fina, o que torna uma carga branca muito procurada para uso em borracha.

A reação pode ser feita por dupla decomposição:

Cloreto de cálcio reagindo com carbonato de sódio, produz carbonato de cálcio e cloreto de sódio, sendo este solúvel em água. O processo se completa com um número de lavagens suficientes pra eliminação do cloreto de sódio e secado a alta temperatura para total eliminação da umidade, sem provocar a sinterização.

Outro processo consiste em transformar o hidróxido de cálcio submetendo-o a uma corrente de dióxido de carbono, consiste numa simplificação, pois não há necessidade de lavagens, apenas de secagens. Os carbonatos obtidos por qualquer método químico são muito finos e pode-se melhorar as suas propriedades adicionando-lhe um pouco de ácido esteárico que permite obter uma moagem melhor, incorporação mais fácil e uma dispersão mais homogênea. O carbonato de boa qualidade comunica razoável resistência à tração, superior resiliência. O aumento das propriedades é proporcional ao teor de carbonato até cerca de 70 phr. A elasticidade não sofre sensivelmente como acontece com outras cargas.

cerca de 70 phr. A elasticidade não sofre sensivelmente como acontece com outras cargas. www.cenne.com.br Página
cerca de 70 phr. A elasticidade não sofre sensivelmente como acontece com outras cargas. www.cenne.com.br Página

Os vulcanizados cuja carga é o carbonato de cálcio, apresentam desempenho parecido com o

negro de fumo no que se refere à fadiga por dobramento. Tem pequena capacidade de absorção de água e excelentes propriedades elétricas.

O carbonato é muito usado por apresentar baixo preço, oferecendo módulo e dureza não

elevados para peças de uso comum, que não entrem em contato com ácidos pois isso geraria reações entre ambos.

Carbonato de Magnésio

O carbonato de magnésio foi uma carga branca reforçante muito utilizada antes do

surgimento das sílicas precipitadas. Com as propriedades e a comercialização destas, aos poucos o carbonato foi perdendo emprego, até ser relegado ao esquecimento.

Ainda algumas empresas utilizam esta carga em compostos translúcidos, que necessitem de boas características mecânicas. O carbonato de magnésio demonstrou-se muito eficaz na neutralização da acidez provocada por sílicas e caulins, motivo pela qual ainda tem seu emprego na indústria, porém seu preço ainda é considerado um pouco elevado.

Caulim

O nome caulim deriva do chinês Kauling (China clay ou seja, argila chinesa), o termo refere-se

mais às condições físicas do que a composição química. A argila é um mineral formada basicamente de silicato de alumínio hidratado e originado principalmente da alteração de rochas sílico - aluminosas, sob os efeitos dos agentes atmosféricos.

Os caulins podem ser classificados em dois tipos: duros (hard clay) ou moles (soft clay). O

ferro presente nos caulins é um dos inconvenientes para o uso em borracha e não se sabe ao certo

presente nos caulins é um dos inconvenientes para o uso em borracha e não se sabe
presente nos caulins é um dos inconvenientes para o uso em borracha e não se sabe

como se apresenta, se combinado ou absorvido.Quanto mais escura for a coloração do caulim, maior será a quantidade de ferro presente em sua composição.

Os próprios caulins brancos apresentam um teor razoável de ferro, que poderá causar problemas de coloração nos artigos claros quando se utilizar de forma abundante deste material.

Normalmente o caulim é usado após o beneficiamento simples que consiste na secagem, moagem e seleção granulométrica. Um processo mais evoluído consiste em trabalhar via úmida e com variações de ph, que permitem obter razoável solubilização dos compostos de ferro.

Junto com o caulim ocorrem muitos outros compostos sob as formas mais complexas e variadas, entre as quais:

Elemento

Composto

Denominação

Silício

SiO2

Dióxido de Silício ou Sílica

Alumínio

Al2O3

Óxido de Alumínio ou Alumina

Ferro

Fe2O3

Óxido férrico

Titânio

TiO2

Dióxido de Titânio

Cálcio

CaO

Óxido de Cálcio

Cálcio

CaCO3

Carbonato de Cálcio

Magnésio

MgCO3

Carbonato de Magnésio

Potássio

K2O

Óxido de Potássio

Manganês

MnO

Óxido de Manganês

Enxofre

SO3

Trióxido de Enxofre

Carbono

CO2

Dióxido de Carbono

Carbono

-CO3

Carbonatos

de Enxofre Carbono CO2 Dióxido de Carbono Carbono -CO3 Carbonatos www.cenne.com.br Página 13
de Enxofre Carbono CO2 Dióxido de Carbono Carbono -CO3 Carbonatos www.cenne.com.br Página 13

Extração

As jazidas se apresentam sob a forma de bancos de rocha friável e pouco compacta. A extração é feita da maneira mais indicada para cada caso, seja pelas características de jazida, seja pelas disponibilidades de equipamentos.

Geralmente a extração é feita a céu aberto utilizando-se equipamentos rudimentares, e onde se puder dispor de água abundante, pode ser usado um método hidráulico.

São diversas as maneiras usadas no tratamento do caulim, sobretudo levando-se em consideração o fim a que se destina. No presente caso, restringimo-nos ao caulim destinado a ser utilizado como carga composições de borracha.

O material é extraído e estocado, ás vezes a céu aberto ou em pavilhões cobertos para perder o máximo de umidade e assegurar um fornecimento contínuo à usina de beneficiamento, mesmo em épocas de chuva. O tratamento mais comum, consiste em secar o produto após a extração, espalhando-o sobre chapa metálica aquecida a fogo direto.

Uma vez seco, o caulim é passado em moinho de bolas e separado em duas ou mais faixas granulométricas por meio de ciclone, acondicionado e remetido para as indústrias de borracha. Outro método consiste em separar as diferentes faixas granulométricas por meio de uma suspensão que é orientada para fazer um percurso através de tanques de deposição.

Para se obter melhores resultados costuma-se alcalinizar o meio com hidróxido de amônio, afim de manter em suspensão por mais tempo os finos e assim aumentar o rendimento. Em seguida acidula-se o meio com ácido acético e a sedimentação se processa rapidamente. A utilização de outro ácido exige um equipamento mais resistente ao ataque químico.

Uma vez separadas as diversas frações, procede-se ao branqueamento por meio de redução química dos óxidos de ferro insolúveis.

Os caulins tratados, após a secagem final sofrem nova moagem para assegurar uma boa dispersão dos ativadores.

após a secagem final sofrem nova moagem para assegurar uma boa dispersão dos ativadores. www.cenne.com.br Página
após a secagem final sofrem nova moagem para assegurar uma boa dispersão dos ativadores. www.cenne.com.br Página

Muitos foram os trabalhos desenvolvidos com objetivo de obter caulins com propriedades reforçadoras, contudo nenhum destes estudos deram resultados satisfatórios, sendo os melhores resultados obtidos através do tratamento químico visando modificar o estado superficial, ph, entre outros.

É sabido que o caulim, por melhor que seja, não é carga reforçadora. De um modo geral, considerando-se apenas o aspecto qualidade, a presença do caulim é prejudicial uma vez que normalmente compromete ao invés de melhorar as propriedades físico-mecânicas do produto fabricado. De outro lado, nem sempre considera-se o aspecto qualidade, dado o baixo preço do material, seu uso intensivo é um fator tecnicamente justificável, sobretudo em artigos sem responsabilidade.

Além de afetar a boa qualidade dos artefatos, os caulins ainda apresentam o inconveniente de serem ácidos e por isso retardam a aceleração. Por esta razão costuma-se usar uma base orgânica (dietileno glicol, trietanolamina), para neutralizar a acidez desses materiais, quando usados em grandes quantidades.

Composições ricas em caulins, aumentam consideravelmente a densidade e ao se fazer a pirólise obtém-se elevado teor de cinzas. Uma de suas poucas vantagens é seu baixo preço, consequente do baixo custo da formulação; outra vantagem seria o fato constatado segundo o qual melhoram as propriedades de colagem quando a composição contém caulim; isso talvez se explique através da absorção dos plastificantes pelas partículas de caulim ou pela presença de silicatos que favorecem o desenvolvimento de tal propriedade.

Nas borrachas que devem ser submetidas a solventes, uma alta dose de caulim pode ajudar, pois o que aumenta de volume é o elastômero e não a carga.

Massas ricas em caulim apresentam alta rigidez, que podem ser de grande ajuda na produção de perfis e trefilados, por apresentarem menores deformações do que ocorreriam na ausência do mesmo.

trefilados, por apresentarem menores deformações do que ocorreriam na ausência do mesmo. www.cenne.com.br Página 15
trefilados, por apresentarem menores deformações do que ocorreriam na ausência do mesmo. www.cenne.com.br Página 15

Silicatos

Os silicatos precipitados mais importantes como cargas reforçadoras brancas são o silicato de alumínio e o silicato de cálcio.

O silicato de cálcio, foi inicialmente usado na borracha sintética. Uma grande aplicação em

composições para calçados, proporcionando maior dureza aos compostos em relação aos caulins sem a necessidade de ser usado em altas quantidades. Este material é obtido a partir do silicato de sódio e cloreto ácido de cálcio. A resistência ao rasgo é superior ao carbonato de cálcio.

O silicato de alumínio é mais fino do que o de cálcio e proporciona maior resistência ao rasgo

e

à abrasão, proporciona ainda maior dureza e menor densidade. Obtido a partir do silicato de sódio

e

sulfato de alumínio.

Propriedades de Algumas Cargas Brancas

 

Sílica

Sílica

Silicato de

Silicato

Carbonato

Determinação

Pirogênica

Precipitada

Alumínio

de Cálcio

de Cálcio

Perda por secagem %

< 1.5

4

a 7

5

a 9

5

a 9

< 1

Perda por calcinação %

0 a 2

8 a 12

12

a 17

13

a 17

< 40

Teor de SiO2 %

98.5

83

a 90

65

a 73

63

a 80

-

Al2O3

0 a 0.05

 

0.3

7 a 10

 

-

-

CaO %

-

 

-

 

-

4 a 19

< 55

Na2O %

-

 

2.5

7

a 9

1 a 3

-

Superfície RET, m 2 /g

100/500

40

/250

60/180

35/80

10/30

Tam.médio partículas nm

7/16

15/100

20/50

30/50

30/35

Absorção de DBP %

-

175/285

170/220

165/220

50

PH, (4 e 5 % em água)

3.6 / 4.3

6

a 9

6

a 9

9

a 10

8

50 PH, (4 e 5 % em água) 3.6 / 4.3 6 a 9 6 a
50 PH, (4 e 5 % em água) 3.6 / 4.3 6 a 9 6 a

Sílica Hidratada

É a carga reforçadora que mais se aproxima do negro de fumo, permitindo a fabricação de artefatos brancos, coloridos ou transparentes com excelentes propriedades físicas.

As sílicas tendem a absorver o acelerador retardando deste modo a vulcanização, pois trata-

se de um material ácido.

O uso de uma aceleração adequada, em geral empregando um acelerador secundário e a

adição de um glicol, um tri-etanol-amina, permitem reduzir o tempo de vulcanização pois são materiais receptores ácidos.

As sílicas são materiais higroscópicos, devendo portanto ser muito bem armazenada e processada cuidadosamente durante a composição.

Estas cargas, apesar de conferirem aos artefatos propriedades físicas semelhantes às obtidas usando-se negro de fumo, só devem ser usadas quando estes tem que ser evitados devido a cor do artefato, pois além de serem mais caras, apresentam piores condições de processamento, devido sua difícil incorporação.

Pó de Borracha

Durante a produção de pneus, estes ao serem preparados, são raspados e lixados como um processo de retificação. Este pó que é recolhidos depois, apresenta granulometrias diferentes, sendo os mais finos utilizados em composições de borrachas pretas com algumas características interessantes como eliminação de bolhas, economia, compostos altamente carregados com densidade relativamente baixa, além de melhoras na resistência ao desgaste por abrasão.

densidade relativamente baixa, além de melhoras na resistência ao desgaste por abrasão. www.cenne.com.br Página 17
densidade relativamente baixa, além de melhoras na resistência ao desgaste por abrasão. www.cenne.com.br Página 17

Trata-se de um material de excelente incorporação, sendo esta muito rápida, com a vantagem de não ficar caindo na bandeja do cilindro (quando utilizado o misturador aberto) e deste modo fazendo com que as demais cargas também incorporem mais rapidamente, e sua dispersão que é de alto nível, não ficando nenhum resíduo no composto.

Nas fábricas de solados e calçados, as chapas são lixadas para permitir um melhor acabamento ou colagem. Este pó obtido das lixadeiras constitui um excelente material como carga diluente.

Os principais cuidados se devem à cor do pó e ao tipo do mesmo, pois se for de uma material microcelular, quando adicionado a um material compacto poderá provocar esponjamentos indesejáveis.

quando adicionado a um material compacto poderá provocar esponjamentos indesejáveis. www.cenne.com.br Página 18
quando adicionado a um material compacto poderá provocar esponjamentos indesejáveis. www.cenne.com.br Página 18