Você está na página 1de 52

Uma viagem pelas instalações elétricas.

Conceitos & aplicações

Avaliação do Sistema de Transformação em
Subestações e Painéis de Média Tensão - Operação,
Manutenção e Ensaios
Eng. Marcelo Paulino

Subestações Elétricas
• As subestações cumprem a importante função de ligar a Geração,
através de seu transformador, caso exista, ao sistema de transmissão,
distribuição ou industrial, dependendo de sua localização, finalidade e
porte.
• Este objetivo é alcançado pela conveniente comutação ou manobra
de disjuntores e chaves seccionadoras, energizando ou desligando os
barramentos e linhas ou cargas conectadas. Além destes, outros
componentes auxiliares garantem o cumprimento seguro desta
tarefa, tais como, TC, TP, relés, para-raios, malha de terra, chaves de
aterramento, dentre outros.

Vista da Subestação

Vista da Subestação

Principio de Funcionamento de Transformadores .

terciário) através da indução eletromagnética. poderá ocorrer uma alteração dos valores das tensões e das correntes em cada circuito. sem partes necessariamente em movimento. porém as suas frequências são sempre as mesmas. . que transfere energia elétrica de um ou mais circuitos (primário) para outro ou outros circuitos (secundário.Transformadores • Chama-se “transformador” a um equipamento elétrico. • Nesta transferência.

Critérios de Classificação • Finalidade • • • • De corrente De potencial De distribuição De potência • Função no sistema • Elevador • De interligação • Abaixador • Separação elétrica entre os enrolamentos • De dois ou mais enrolamentos • Autotransformador • Material do núcleo • Ferromagnético • Núcleo a ar • Quantidade de fases • Monofásico • Polifásico .Transformadores .

• tensões nominais dos enrolamento • correntes nominais dos enrolamentos.2 kV e baixa tensão de 380/220 ou 220/127 V. potência de 5 até 300 MVA e operam com tensões de até 765 kV. • frequência nominal.Transformador de Potência • Transformador de Potência: utilizados para gerar. das seguintes grandezas: • potências nominais dos enrolamentos. alta tensão de 15 ou 24. • níveis de isolamento dos enrolamentos. Potência de 30 a 300 kVA. transmitir e distribuir energia. • Transformadores de Distribuição: utilizados para rebaixar a tensão para o consumidor final. basicamente. A característica nominal é constituída. .

Transformadores de Distribuição e de Força .

• Avaliação de perdas Para o regime normal de operação: • • • • • • • Potência nominal Tensões (incluindo os taps) Grupo vetorial Frequência Meio de resfriamento Temperaturas de projeto Impedâncias . • Condições anormais de operação. e estão relacionadas com: • Regime normal de operação.Dados para especificação A especificação de um transformador define e descreve as propriedades operacionais.

ABNT NBR 7276:1998. Transformadores para redes aéreas de distribuição — Requisitos. • IEC. Associação Brasileira de Normas Técnicas.12. C57. RJ. 2011. Rio de Janeiro. 2000-2011. RJ. IEC International Electrotechnical Commission. Guia de Aplicação de Transformadores de Potência. Rio de Janeiro. • ABNT. Rio de Janeiro. ABNT NBR 9368:2011. Transformadores de Potência: Partes 1 a 5. 2007. 2014. Power Transformers. IEC60076. 2011. New York. ABNT NBR 5356-1:2007. 1998. IEEE Institute of Electrical and Electronics Engineers. • IEEE. Transformadores de Potência de tensões Máximas de até 145 kV – Características Elétricas e Mecânicas. Rio de Janeiro. CH. Associação Brasileira de Normas Técnicas. • ABNT. USA. ABNT NBR 5440:2014.10-2010. Associação Brasileira de Normas Técnicas. Geneva. • ABNT. IEEE Standard Requirements for Liquid-Immersed Power Transformers. . IEEE Std. Associação Brasileira de Normas Técnicas. RJ. RJ.Normas • ABNT.

compatíveis com a segurança de operadores e equipamentos secundário (medidores.Transformador de Corrente • Os TCs reduzem os níveis de correntes das instalações a valores mais baixos. etc.) Conexão Primária Conexão Secundária . relés de proteção.

Transformador de Corrente – Conforme construção .

Polaridade e Terminais Subtrativa Aditiva 18-set-04 .

neste caso. um para medição e outro para proteção. os TC’s possuem dois tipos de enrolamentos secundários. Por este fato. deve haver dois núcleos diferentes e independentes entre si devido às diferenças de saturação 18-set-04 . nota-se que.Vários Enrolamentos Secundários em Núcleos Distintos Em geral.

Transformador de Corrente – Características nominais • Os valores nominais que caracterizam um TC. Nível básico de isolamento – NBI (BIL). Fator térmico nominal – Ftn. são: a) b) c) d) e) f) g) h) i) j) k) l) m) n) Corrente nominal primária (I1n). Tipo de aterramento do sistema. Frequência. Carga nominal. de acordo com a NBR 6856/2015. Corrente suportável nominal de curta-duração (curto-circuito térmica – Iccth) para um segundo. Número de núcleos para medição e proteção. Valor de crista da corrente suportável (corrente de curto-circuito dinâmica – Iccdyn). Exatidão. Tensão máxima e nível de isolamento. Uso: interior (indoor) ou exterior (outdoor) . Relação nominal do TC (RTC). Classe de isolamento.

e Relação • Corrente Primária: TCs deve ser escolhido de acordo com a corrente máxima do circuito ao qual será inserido. 1[A]. casos especiais em proteção pode haver 2.Transformador de Corrente – Corrente Prim. .5[A]. • Corrente Secundária: No Brasil padronizada 5[A].

Transformador de Corrente – Nível de Isolamento Normalmente considera a tensão como sendo a imediatamente superior à nominal de linha do circuito em que o TC será utilizado .

das cargas nominais são obtidas multiplicando-se os valores especificados na tabela 3 pelo quadrado da relação entre 5[A].Transformador de Corrente – Cargas Nominais • Designadas pela letra C seguida da carga em [VA] em 60 [HZ]. e a corrente secundária nominal do transformador. corrente secundária 5[A]. indutância. • A resistência. .

Medidas de energia com fins de 0. medidas em laboratório. fasímetros. wattímetros. 0.Med Classe de Precisão Aplicação Menor que 0. Aplicações diversas. Classes Especiais: 03S e 06S FCR e ângulo de fase para 20% In . Alimentação usual de: amperímetros. medições em (não padronizado) laboratório. medições especiais.Transformador de Corrente – classe de exatidão .6 e 1.3 cobrança ao consumidor. Não deve 3 ser usado em medição de energia ou potência. etc.2 medidores estatísticos.3 TC padrão.

Transformador de Corrente – classe de exatidão .Prot .

6B1 .Transformador de Corrente – para Especificação TC de Medição Verificar a aplicação do TC. para se determinar a classe de exatidão.6C25 Método NBR 6856:2015 25 VA 0. Depois determina-se as cargas em termos de suas potências consumidas (tabelas 8 a 11 NBR 6856:2015) Método antigo 0.6 Método ANSI 0.

Transformador de Corrente – para Especificação TC de Proteção Método NBR 6856:2009 Método NBR 6856:2015 5A200 25 VA 5P 15 Classe de exatidão = 5% Alta impedância 200 V de tensão secundário nominal Carga secundária 25 VA Classe de exatidão = 5% Fator Limite de Exatidão de 15 vezes a Corrente Nominal .

 I primária.1.0  Nível de Isolamento.Transformador de Corrente – para Especificação  O cálculo de potência é idêntico ao cálculo feito para o TP. . .2.0.5 x Ith para não destruir o TC. nominal → 2.5 ciclo.  Definir o tipo e utilização:     Enrolamento: primário enrolado.  Corrente din.  Corrente térmica nominal → chegar à temperatura limite para determinada corrente em 1s.  O aumento de carga se dá pelo aumento da impedância da carga secundária (analisar I2= constante). 1.FT x In (Para atingir temperatura limite mantendo-se dentro da precisão) .  Fator térmico . Barra: circ.  Carga nominal. 1. primário é uma barra Janela. 1.5. 2.Bucha.  Polaridade.  Os condutores secundários devem entrar no cálculo de carga.  I secundária.  As cargas devem ser ligadas em série.3.  Classe de exatidão.  Os TCs fornecem isolamento também. aplicação = 0. Núcleo dividido: alicate amperímetro.

3 .Especificação de TCs – caso exemplo 300/5+5 15KV Proteção 10B50 ou 12.3C12.5 ou 12.5 VA 0.5 VA 10P 20 Medição 0.

New York. IEC60044-1. ABNT NBR 6821:1992. USA. C57. 1992. 1992. • IEC. Geneva. Geneva.terminologia. . Rio de Janeiro. IEEE Institute of Electrical and Electronics Engineers. IEC International Electrotechnical Commission. 2003. Associação Brasileira de Normas Técnicas.13-1993 (R2003). • ABNT. Geneva. Transformadores de Corrente – Especificação e Ensaios. IEC International Electrotechnical Commission. • IEEE. IEC60044-6. RJ. 2015.Normas • ABNT. • IEC. 1991.. ABNT NBR 6546:1991. CH. Instrument Transformers – Part 1: Current Transformers. Rio de Janeiro. Associação Brasileira de Normas Técnicas. CH.Part 1: General requirements. Instrument transformers . Transformadores de Corrente – Métodos de Ensaio. IEEE Std. 2007. • IEC. • ABNT. CH. Transformadores para Instrumentos . Associação Brasileira de Normas Técnicas. RJ. IEC61869-1:2007 IEC International Electrotechnical Commission. IEEE Standard Requirements for InstrumentTransformers. ABNT NBR 6856:2015. Instrument Transformers – Part 1: Requirments for Protective Current Transformers. Rio de Janeiro. 2003. RJ.

Transformador de Potencial • Os TPs reduzem os níveis de tensões das instalações a valores mais baixos. relés de proteção. etc.) Conexão Primária Conexão Secundária 𝑉1 𝑁1 = 𝑉2 𝑁2 . compatíveis com a segurança de operadores e equipamentos secundário (medidores.

Tipos de Transformador de Potencial Transformador de Potencial Indutivo Transformador de Potencial Capacitivo .

Transformador de Potencial • Os valores nominais que caracterizam um TP. Classe de exatidão. Frequência nominal. . Nível de isolamento. são: a) b) c) d) e) f) Tensão primária nominal e relação nominal. Carga nominal. de acordo com a NBR 6855/2009. Potência térmica nominal.

aproximadamente. utiliza-se 115/√3 volts. 115 Volts (fase-fase). 125[V]. Caso a ligação seja fase-neutro.Tensão Primária e Relação Nominal de TPs • A tensão primária nominal depende do circuito em que o TP vai ser utilizado. • A relação de transformação é definida como: RTP= 𝑈1 𝑈2 . 120 [V]. • A tensão secundária nominal é. Outras possibilidades de tensão no secundário (não muito comum): 110[V].

Tensão Primária e Relação Nominal de TPs Cargas Nominais “carga na qual se baseiam os requisitos de exatidão do TP” .

2 . que poderá ser causado pelo TP aos instrumentos a ele conectados. • De acordo com as normas NBR 6855/2009 da ABNT e C57.3.6 e 1.Classe de Exatidão de TPs • Classe de exatidão é o valor máximo de erro. 0. expresso em porcentagem.13 da ANSI os TPs são enquadrados em uma ou mais das três seguintes classes de exatidão: 0.

3 P 75 Carga 75 VA Classe de exatidão Potencial .Classe de Exatidão de TPs Especificação do TP 0.

com sobretensões de 15% continuamente.TPs projetados para ligações entre fases e neutro de sistemas aterrados. • Grupo 3 – TPs projetados para ligações entre fases e neutro de sistemas onde não se garanta a eficácia do aterramento. • Para TPs do grupo 3 a potência térmica superior a 3. • Grupo 2 .TPs projetados para ligação entre fases.6 vezes a carga mais alta em [VA] com sobretensões 90% continuamente. • Para os TPs dos grupos 1 e 2 a potência térmica deve ser superior a 1.33 vezes a carga mais alta em [VA].Grupos de Ligação de TPs • Grupo 1 . . referente a exatidão do TP. Potência Térmica Nominal de TPs • Potência térmica nominal é a maior potência aparente que um TP pode oferecer em regime permanente e tensão e frequência nominais.

impedância correspondente à carga nominal em [Ω]. K .tensão secundária em [V].1.21 ∗ 𝑍 Pt .6 (grupo 3). Z . Exemplo: U1 = 13800 V RTP = 120:1 Grupo 1 Z ≈220Ω Pt > 1.74 Pt escolhida 110 VA → especificado P75 .Potência Térmica Nominal de TPs • Potência térmica é dada por: • • • • 2 𝑈 𝑃𝑡 > 𝐾 ∗ 1. U .potência térmica.33 (grupos 1 e 2) ou 3.33 * 1.21 * (1152/220) = 96.

tem classe de exatidão 0. X e Y acopladas ao secundário.3WXY -> TP com cargas padronizadas W.Representção de TPs • Representação ABNT 0.6 – exatidão e 25 – potência máxima VA • Representação ANSI: 0. .3. tem classe 0.6. 0.6P25 -> 0.6Z -> Com carga padronizada Z acoplada ao secundário.

2kV/220V ligação em delta aberto 500VA 0.3P75 .Especificação de TPs – caso exemplo 13.

. 2009. ABNT NBR 6855:2009. 1991. Transformadores para Instrumentos . Rio de Janeiro.Normas • ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas.terminologia. RJ. Transformadores de Potencial Indutivos. RJ. • ABNT. ABNT NBR 6546:1991. Rio de Janeiro. Associação Brasileira de Normas Técnicas.

O processo de validação dos equipamentos Testar ou não Testar? .

O processo de validação dos equipamentos Quais testes executar? .

..O fator... ..

Transformador de Potencial – Ensaio de Rotina (NBR6855) • Tensão induzida • Tensão suportável à frequência industrial • Medição de descargas Parciais • Verificação de marcação dos terminais e polaridade • Exatidão • Medição de capacitância e perdas dielétricas • Estanqueidade. a frio. Devem ser realizados de acordo com a NBR 6820 => NBR 6855 .

Transformador de Corrente – Ensaio de Rotina (NBR6856) • Verificação de marcação dos terminais e polaridade • Ensaio de tensão suportável • Medição de descargas Parciais • Medição de capacitância e perdas dielétricas • Sobretensão entre espiras • Estanqueidade • Exatidão • Fator de segurança do instrumento • Erro composto para classes P e PR • Fato de remanência para classe PR • Determinação da constante de tempo secundária para classe PR • Resistencia de enrolamento • Curva de excitação (proteção) • Ensaios no óleo mineral isolante .

Como devemos testar? Teste Natural .

Como devemos testar? Teste Natural .

Como devemos testar? Teste com simulação de falha .

Como devemos testar? Teste.????? ...

Testes Convencionais Variac Caixa de carga Instrumento de medida Amplificador de corrente TC padrão .

Novas Ferramentas e novas técnicas .

Façam sua contas! .

com .br http://engenha.OBRIGADO Marcelo Paulino mecpaulino@yahoo.blogspot.com.