Você está na página 1de 184

Ferramentas de Gestão
Financeira
Clóvis Luís Padoveze
30/05/2014

I - FUNDAMENTOS
II – O PROCESSO DE CRIAÇÃO DE VALOR ECONÔMICO
III – ESTRUTURANDO AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS
BÁSICAS
IV – PRINCÍPIOS DA GESTÃO BASEADA NO LUCRO
V – GESTÃO DO CAIXA E DO CAPITAL DE GIRO
VI – ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS
VII – PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DO PLANEJAMENTO E
CONTROLE DE RESULTADOS – PLANO ORÇAMENTÁRIO

.

financeiro e patrimonial das atividades Fluxo Operacional (Físico) Mensuração Fluxo Econômico Fluxo Financeiro Fluxo Patrimonial Recursos Custos/Estoques Desembolsos Caixa Produção Receitas Recebimentos Contas Receber Produtos e Serviços Resultado Operacional Saldo de Caixa Estoques Resultado Financeiro Ativos Fixos Resultado Final Contas Pagar Patrim. econômico.Fluxo operacional. Líquido Final .

Bancos.Visão do Fluxo Econômico/Financeiro Fluxo de Financiamentos Capital dos Sócios Fluxo de Investimentos Empréstimos de Terceiros Ativos Fixos * Dividendos Desimobilizações Estoques • Materiais • Em Processo • Acabados CAIXA (Caixa. Aplicações Financeiras) Receitas Financeiras Fornecedores Vendas Clientes Despesas Mão de Obra Fluxo Operacional (Resultado: Lucro ou Prejuízo) * Amortizações/Juros Impostos .

A Controladoria e Tesouraria na Organização PRESIDENTE Vice-Presidente (Diretor) de Produção Vice-Presidente (Diretor) Administrativo/ Financeiro CONTROLLER Vice-Presidente (Diretor) de Comercialização TESOUREIRO .

para alcançar a integração.Estrutura da Controladoria CONTROLADORIA Sistema de Informações para Relações com Investidores Controle Interno Planejamento e Controle • Orçamento. A administração do sistema de informação gerencial deve ter o monitoramento permanente do controller. também. . as suas funções de execução das tarefas regulamentares. Deve atuar fortemente em todas as etapas do processo de gestão da empresa. A controladoria não se pode furtar. Projeções e Análise de Investimentos • Contabilidade de Custos • Contabilidade por Responsabilidades • Acompanhamento do Negócio • Gestão do Risco • Gestão Tributária Sistema de Informação Gerencial Escrituração • Contabilidade Societária • Controle Patrimonial • Contabilidade Tributária (apuração) É a responsável pelo sistema de informação contábil gerencial da empresa.

Estrutura da Tesouraria ou Atividade de Finanças Finanças Sistema de Informação de Tesouraria Planejamento • Planejamento Fluxo de Caixa de Longo Prazo • Banco Interno • Captação de Recursos Financiamentos Debêntures Acionistas • Planejamento e Controle Financeiro de Curto Prazo (Fluxo de Caixa Diário/Semanal) Operação • Contas a Receber • Contas a Pagar • Contas Cambiais • Administração de Excedentes de Caixa Gestão do Risco Financeiro .

Funções de Finanças Decisão de Investimento Decisão de Financiamento Decisão de Dividendos 10 .

Decisões Financeiras Ativo Passivo Decisão de Decisão de Investimento Financiamento Custo de Decisão de Capital Dividendos Modelo Básico de Avaliação de Desempenho Retorno do Investimento .ROI 11 .

Unidades de Negócio. Linhas de Produto) ♦ Determinação da Estrutura do Passivo Ativo Passivo Capital de Giro Capital de Terceiros Ativo Fixo Capital Próprio 12 .A Controladoria no Planejamento Operacional ♦ Determinação da Estrutura do Ativo (Empresa.

.

O ativo cria e operacionaliza o valor da empresa. O passivo distribui o valor e afere a criação de valor para o acionista. 14 .O PROCESSO DE CRIAÇÃO DE VALOR Duas vertentes de criação de valor: criação de valor para a empresa e criação de valor para o acionista.

Processos de Criação de Valor Ativo Passivo Capital de Giro Capital de Terceiros Juros Ativo Fixo Capital Próprio dos Acionistas Distribuição de Lucros Criação de Valor Distribuição do Valor Criado 15 .

Os produtos e serviços tem um valor agregado. . O valor agregado dos produtos e serviços é a diferença entre o valor de venda no mercado menos o valor de compra dos insumos de terceiros. Os produtos e serviços tem um valor de mercado.O Processo de Criação e Gestão do Valor A empresa cria valor para os acionistas por meio da venda de produtos e serviços.

Valor Agregado Custos Fornecedores Venda Valor Agregado do Produto/Serviço Preço de Mercado 40 Clientes Preço de Mercado 60 100 .

3 Custo + VA Custo + VA Custo + VA Apropriação de VA Criação de Valor . 2 Ativ. 1 Ativ.Processo de Apropriação de Valor Custos Fornecedores Venda Valor Agregado do Produto/Serviço Preço de Mercado Clientes Preço de Mercado 40 60 100 Desenvolvimento de Atividades Internas Ativ.

. O modelo de gestão deve ser direcionado para obtenção da maior eficiência e eficácia das atividades internas.Criação de valor para a empresa Máxima apropriação do valor agregado dado pelos produtos e serviços.

Criação de valor para o acionista
O valor criado pelo ativo, por meio da venda dos produtos e serviços, deve
ser suficiente para remunerar o capital investido pelos acionistas.
Há criação de valor para os acionistas quando o lucro obtido por meio da venda
dos produtos ou serviços é ou superior ao custo de capital dos acionistas.
Custo de capital é um custo de oportunidade.
Custo de oportunidade: valor alternativo que o investidor teria se optasse por
outro investimento que não a empresa em questão.
EVA – Economic Value Added – quando o valor criado pela empresa é
maior que o custo de capital do acionista.
O modelo de gestão do passivo deve ser direcionado para o menor custo de
capital de terceiros, para obtenção de maior lucro residual para os acionistas.

EVA - Economic Value Added
Lucro
Investimento
Custo de Capital e
Remuneração mínima

Hipótese 1 Hipótese 2
12.000
12.000
100.000
11%
12,5%

(11.000)
(12.500)
1.000
(500)


EVA
Destruição
de Valor

A Estrutura Contábil Balanço Patrimonial Inicial + Demonstração de Resultados do Período = Balanço Patrimonial Final Fluxo de Caixa 23 .

400) (900) LUCRO OPERACIONAL 1.140 . Salários e Encargos Sociais .500) (2.380) 21. Despesas Gerais .Exemplo numérico integrado – Fluxo de Caixa pelos Métodos Direto e Indireto Demonstração do resultado do período $ Receita Operacional Bruta (-) Impostos sobre Vendas RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA (-) Custo das Mercadorias Vendidas = Estoque Inicial (+) Compras brutas (-) Impostos sobre compras (-) Estoque Final 23.500) 3.920 Despesas Operacionais (Administrativas e Comerciais) . Depreciações (2.800) (1.840 (700) 1.100 15.420 (14.000 (1.100) LUCRO BRUTO 6.820 Receitas Financeiras Despesas Financeiras Equivalência Patrimonial LUCRO ANTES DOS IMPOSTOS Impostos sobre o Lucro LUCRO LÍQUIDO APÓS IMPOSTOS 20 (300) 300 1.800 (2.

070 190 80 590 0 1.250 .800 5.100 7.520 100 Final $ 1.280 (2.Financeiras Dupls.000 550 170 7.250 TOTAL 2.400) Reservas 5.440 3. A Pagar a Fornecedores Salários e Encargos a Pagar Contas a Pagar Imp.780 100 NÃO CIRCULANTE Exigível a Longo Prazo Financiamentos 2.600 Lucros Acumulados 13.500) 5.380 13.600 7.100 5.620 3.600 6.200 Inicial $ Final $ 570 180 120 350 1.000 300 80 6.050 PASSIVO E PATRIMÕNIO LÍQUIDO CIRCULANTE Dupls.a Receber de clientes Estoque de Mercadorias NÃO CIRCULANTE Realizável a Longo Prazo Depósitos Judiciais Investimentos Ações de controladas Imobilizado Imobilizado Bruto (-) Depreciações Acumuladas TOTAL Inicial $ 800 1. A Recolher s/ Mercadorias Empréstimos 8.200 2.600 15.ATIVO CIRCULANTE Caixa/Bancos/Aplic.510 2.930 4.720 15.420 1.500 Patrimônio Líquido 9.000 Capital Social (3.

140 1.380 1.000 Aumento de Capital em dinheiro 1.000 Lucros Acumulados 300 - 80 - 250 Total 6.000 (250) 0 - 1.000 Transferência para reservas - Lucro Líquido do período - Distribuição de Dividendos - Saldo Final 7.140 - (800) (800) 550 170 7.Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido do Período Movimentação Saldo Inicial Capital Social Reservas 6.720 .

Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados

$
Saldo Inicial de Lucros Acumulados
(+) Lucro do período

80
1.140

( - ) Transferência para reservas

(250)

( - ) Distribuição de dividendos

(800)

Saldo Final de Lucros Acumulados

170

Visão Interativa das Demonstrações Contábeis Básicas

Deve trabalhar sempre com as três demonstrações contábeis:
a demonstração de resultados, para avaliar e controlar o andamento das
operações;
o balanço patrimonial, para verificar, avaliar e controlar todos os elementos
patrimoniais à disposição ou em uso nas operações;
o fluxo de caixa, para apurar e controlar a liquidez e a capacidade de
pagamento.
O processo completo de controle patrimonial compreende a análise concomitante:
das demonstrações contábeis básicas atuais;
das demonstrações contábeis básicas de períodos passados relevantes para o
processo de controle;
das demonstrações contábeis orçadas ou projetadas.

Visão Interativa das Demonstrações Contábeis Básicas

Conta Contábil: DUPLICATAS A RECEBER DE CLIENTES
Evento

Valor - $

Saldo Inicial

Saldo - $
1.620

1

Vendas a prazo

23.800
23.800

25.420

2

Recebimento das vendas

-21.910
-21.910

3.510

Demonstração de
Resultados

Demonstração do
Fluxo de Caixa

Balanço Patrimonial

Balanço Patrimonial

910 .800 Demonstração de Resultados 1.$ Fonte da Informação Receita Operacional Bruta (+) Saldo Inicial de Duplicatas a Receber (-) Saldo Final de Duplicatas a Receber 23.510) Balanço Patrimonial = Recebimento de Clientes 21.620 Balanço Patrimonial (3.Visão Interativa das Demonstrações Contábeis Básicas Valor .

. coletando as informações específicas das entradas e saídas de numerário constante das contas de disponibilidades (caixa.Apresentação Básica do Fluxo de Caixa O Método Indireto. O Método Direto. bancos e aplicações financeiras). que evidencia a movimentação do saldo de caixa no período. partindo da geração de caixa através da demonstração de resultados e das variações dos elementos patrimoniais do balanço que geram ou necessitam de caixa. que evidencia a movimentação do saldo de caixa do período.

000 .000 270.000 70.Construindo o Fluxo de Caixa • Balanço Inicial ATIVO Bancos Contas a Receber de Clientes Estoques de mercadorias Ativo total PASSIVO Fornecedores a pagar Capital Social Passivo total 100.000 80.000 90.000 270.000 200.

000 Ativo total 370.000 .000 Estoques de mercadorias 180.000 Passivo total 370.000 Balanço Final ATIVO Bancos 100.Construindo o Fluxo de Caixa • Compra a prazo de mercadoria para estoques: $ 100.000 Contas a Receber de Clientes 90.000 PASSIVO Fornecedores a pagar 170.000 Capital Social 200.

000 Estoques de mercadorias 120.000 Passivo total 460.000 Lucro na venda 90.000 .000) por $ 150.000 Balanço Final ATIVO Bancos 100.Construindo o Fluxo de Caixa • Venda a prazo de mercadorias (custo de 60.000 Capital Social 200.000 Contas a Receber de Clientes 240.000 Ativo total 460.000 PASSIVO Fornecedores a pagar 170.

000 240.000 363.000 Balanço Final ATIVO Bancos Contas a Receber de Clientes Estoques de mercadorias Ativo total PASSIVO Fornecedores a pagar Capital Social Lucro na venda Passivo total 3.Construindo o Fluxo de Caixa • Pagamento de fornecedores $ 97.000 120.000 .000 200.000 73.000 90.000 363.

000 363.000 90.000 .000 73.000 120.000 363.Construindo o Fluxo de Caixa • Recebimento de clientes $ 135.000 105.000 200.000 Balanço Final ATIVO Bancos Contas a Receber de Clientes Estoques de mercadorias Ativo total PASSIVO Fornecedores a pagar Capital Social Lucro na venda Passivo total 138.

000 105.000 90.000 120.000 38.000 200.000 40.000 138.000 Ativo total PASSIVO Fornecedores a pagar Capital Social Lucro na venda Passivo total Inicial Final Variação 100.000 73.000 270.000 363.000 93.Construindo o Fluxo de Caixa Balanços ATIVO Bancos Contas a Receber de Clientes Estoques de mercadorias 80.000 -090.000 363.000 15.000 .000 3.000 93.000 200.000 270.000 70.000 -090.

000) 90.000 ( 60.Construindo o Fluxo de Caixa DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO PERÍODO Vendas de mercadorias (-) Custo das mercadorias Vendidas = Lucro do período 150.000 .

Construindo o Fluxo de Caixa
FLUXO DE CAIXA – Método Direto
(+) Recebimento de vendas
135.000
(-) Pagamento de compras
(97.000)
= Saldo do período
38.000
(+) Saldo inicial de Bancos
100.000
= Saldo final de Bancos
138.000

Construindo o Fluxo de Caixa
FLUXO DE CAIXA – Método Indireto
Lucro do período
90.000
Aplicações no Giro
(-) Aumento da conta Clientes
(15.000)
(-) Aumento dos Estoques
(40.000)
Captações de Giro
(+) Aumento da conta Fornecedores
3.000
Aplicação líquida no giro
(52.000)
(Ajustes por mudança no capital de giro)
= Saldo do período (90.000 – 52.000) 38.000
(+) Saldo inicial de Bancos
100.000
= Saldo final de Bancos
138.000

Três Segmentos do Fluxo de Caixa

fluxo de caixa das atividades operacionais;
fluxo de caixa das atividades de investimentos;
fluxo de caixa das atividades de financiamentos.

DAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO Aumento dos Financiamentos de Longo Prazo (-) Redução dos Empréstimos de Curto Prazo Aumento de Capital em dinheiro Distribuição de dividendos TOTAL 800 (1.440 .560 II .000 500 10 (40) 240 (180) 1.200) 1.890) 1.740 (+/-) Ajustes por Mudança no Capital de Giro (-) Aumento de Duplicatas a Receber (+) Diminuição dos Estoques (+) Aumento de Fornecedores (+) Aumento de Salários e Encargos a Pagar (-) Redução de Contas a Pagar (+) Aumento de Impostos a Recolher Sub Total TOTAL (1.Demonstração do Fluxo de Caixa – Método Indireto $ I .DAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO Aquisição de Imobilizados Aumento do Realizável a Longo Prazo Aumento de Investimentos e Diferido TOTAL (720) 0 0 (720) AUMENTO DE CAIXA DO PERÍODO (I + II + III) Saldo Inicial de Caixa/Bancos/Aplicações Financeiras Saldo Final de Caixa/Bancos/Aplicações Financeiras 640 800 1.000 (800) (200) III .DAS ATIVIDADES OPERACIONAIS Lucro Líquido do Exercício (+/-) Receitas e Despesas não efetivadas financeiramente Depreciações Equivalência Patrimonial Baixa de bens do permanente = Lucro Gerado pelas Operações 1.140 900 (300) 0 1.

440 .500) (2.000 (800) (500) (720) 0 0 (720) 620 20 800 1.910 (14.OPERACIONAL RECEBIMENTOS Clientes PAGAMENTOS Fornecedores Salários e Encargos Sociais Despesas Gerais Impostos sobre mercadorias Impostos sobre o lucro .070) 1.790) (1. Soma TOTAL II .Demonstração do Fluxo de Caixa – Método Direto $ I .200) 1.840 500 (1.FINANCIAMENTOS Novos Empréstimos e Financiamentos Amortizações de Empréstimos e Financiamentos Aumento de Capital em dinheiro Distribuição de dividendos TOTAL III .INVESTIMENTOS Aquisição de Imobilizados Aumento do Realizável a Longo Prazo Aumento de Investimentos e Diferido TOTAL AUMENTO DE CAIXA DO PERÍODO (I + II + III) (+) Receitas Financeiras Saldo Inicial de Caixa/Bancos/Aplicações Financeiras Saldo Final de Caixa/Bancos/Aplicações Financeiras 21.440) (640) (700) (20.

892 4.493 13.530 100% 23.530 100% (12.128 6% 9% 18% Lucro Gerado para o Caixa Lucro Gerado pelas Operações (-) Aplicações No Giro (recorrentes/contínuas) Clientes Estoques Outros Ativos (+) Financiamentos do Giro (recorrentes/contínuos) Fornecedores Impostos a Recolher e Outros = Lucro Gerado para o Caixa 44 .668 40% 59% (7%) 8% = Lucro Gerado pelas Operações 23.927 (1.Análise de Geração de Lucros Lucro das Operações Lucro Líquido Após Impostos e Participações (+) Depreciações (+/-) Equivalência Patrimonial (+) Baixas de Permanentes 9.491 1.371) 53% 44% 1.558) 1.414) (10.

Análise de Geração de Lucros EBITDA (Earnings Before Interest Taxes Depreciaton Amortization) (Lucro Antes dos Juros Impostos Depreciação Amortização) ( LUCRO OPERACIONAL BRUTO) LUCRO LÍQUIDO APÓS IMPOSTOS (+) Participações (+) Impostos .25% 45 .927 18.500 ATIVOS OPERACIONAIS (excluso Caixa) Rentabilidade (Ebitda) Operacional 200.711) (1.558) (4.869) 13.000 9.IR/CS (+/-) Resultados Não Operacionais (+/-) Equivalência Patrimonial (+/-) Despesas Financeiras Líquidas das Receitas (+) Depreciações e Amortizações = EBITDA 9.636 1.493 1.582 (1.

Representa a geração operacional de caixa 2. podendo ser utilizado como representatividade da eficiência dentro de um determinado segmento de atividades 4. Serve para comparar empresas em qualquer país.Para que serve o EBITDA 1. Elimina os efeitos dos financiamentos e decisões contábeis de taxas de depreciação 3. Parâmetro para avaliação da geração futura de caixa .

que só são possíveis após a mensuração do lucro líquido 7. Pode-se estar pagando remuneração variável sobre EBITDA positivo e a empresa estar em prejuízo. Não mostra a qualidade dos lucros. Não considera o legado do passado. Não considera as necessidades líquidas de capital de giro. Os acionistas minoritários estão interessados em dividendos. Por não considerar as depreciações. que pode ser um grande peso para o futuro da companhia 5. .Para que serve o EBITDA Limitações 1. Não considera o endividamento. Não dá a dimensão exata do fluxo de caixa por não considerar os encargos financeiros e muito menos o IR/CSLL. o que não é uma verdade para a maioria das empresas. ou seja. não considera a estrutura de capital da companhia 4. pois outras ações da empresa podem conduzir a resultados positivos e negativos 8. aprofundando a crise financeira da empresa. não faz reserva financeira para reposição dos investimentos 2. decorrentes do atual volume de faturamento 6. que são devidos e devem ser pagos 3. partindo da premissa que os fundos são ilimitados.

000 Desempenho similar 2.3% Desempenho da Unidade 1 superior à Unidade 2 20.5 superior à Unidade 1 .0 10.000 12.000 90.0% Desempenho da Unidade 2 60.0% 2.000 50.000 15.000 20.000 5.000 10.0% 30.0% 50.000 Desempenho da Unidade 1 superior à Unidade 2 13.0% superior à Unidade 1 Desempenho da Unidade 2 4.000 15.Análise de EBITDA x Investimento Receita de vendas Lucro Operacional (a) (+) Depreciações EBITDA (b) Margem Ebitda Ativos de cada divisão ( c ) Retorno do Investimento (a/c) Retorno do EBITDA (b/c) Giro do Ativo Unidade de Negócio 1 2 100.

Carlos Alberto Zafanni – Cenofisco “Faço parte daqueles que entendem que o EBITDA jamais deve ser considerado um substituto do fluxo de caixa operacional” “Trata-se de um indicador muito controverso e alinhome com a opinião de Warren Buffett (um dos mais respeitados investidores do mundo) expressa em um relatório para os acionistas da Bershire Hataway que dizia algo como “nós nunca compraremos uma empresa quando os gerentes se baseiam no EBITDA!” .

.

Lucro Contábil = Receitas Reais (-) Despesas Reais Lucro Econômico do Período 2 = Valor da Empresa no Período2 (-) Valor da Empresa no Período 1 III . representado pelo lucro econômico. o lucro pode ser medido de duas formas: pelos valores reais.O lucro absorve o resultado de todos os demais conceitos e modelos de gestão II .Todos os fluxos de lucros se transformam em fluxo de caixa .O lucro é que permite a saúde financeira da empresa Em linhas gerais. pelos valores projetados. representado pelo lucro contábil.I .

recomenda-se a adoção do fluxo de caixa como o modelo condutor para este tipo de decisão. Fluxos de Lucros e Fluxo de Caixa Descontado Todos os fluxos de lucros se transformam em fluxo de caixa ao longo do tempo. uma vez que se considere horizontes de longo prazo. Desta maneira. em teoria ambos os fluxos seriam aceitos para a análise de viabilidade econômica dos projetos. uma vez que um investimento significa um desembolso financeiro. Contudo.Fluxos de Caixa. .

Demonstração de Resultados – Período dos Eventos 1 a 2 $ Receita de Venda 600 (-) Custo da Venda (400) = Lucro Bruto na venda 200 .

Demonstração do Fluxo de Caixa – Período dos Eventos 3 a 4 $ Recebimento de duplicata de cliente 600 (-) Pagamento de duplicata de fornecedor (400) = Saldo Final do Caixa 200 .

o que é correto. em capital de giro. b) é reinvestido na empresa.Quando o lucro não se transforma em caixa? O lucro não se transforma em caixa basicamente em razão de duas classes de eventos: a) é distribuído totalmente aos sócios. ou utilizado para pagamento de dívidas. quando se está nessa situação. As decisões que compreendem o item b serão consideradas adequadas se apresentarem retorno que justifique o desembolso. investimentos ou imobilizações. .

Uma empresa não pode ser administrada pelo fluxo de caixa .IV – O lucro mede a eficácia empresarial V .O lucro é que evidencia a geração de valor VI .Lucro inadequado mostra que há falha na gestão VII .

Obtenção de Financiamento 4.Os eventos econômicos considerados nas três demonstrações financeiras são os seguintes: Período 0 $ 1.500 2. Entrada de Capital Social em Dinheiro 2. Pagamento de fornecedor 1.000 .000 Período 1 1.à prazo 2. Aquisição de estoques para revenda.000 4. Aquisição de Imobilizado com o financiamento (depreciável em 3 períodos) 4.500 3.

900 1. à prazo 4. Contabilização da despesa de juros do período do financiamento 6. Recebimento de cliente 3. Venda de mercadoria.Período 2 1.000 2.000 450 1. custo de $ 1.700 1.000 1.500 . Pagamento de fornecedor 5. à prazo. Contabilização da despesa de depreciação do imobilizado $ 2. Aquisição de estoques para revenda.

Contabilização da despesa de juros do período do financiamento 6.Período 3 1. à prazo 4. Venda de mercadoria.500 . custo de $ 1. Pagamento de fornecedor 5.000 450 1.900 1. à prazo. Contabilização da despesa de depreciação do imobilizado $ 2.000 1. Aquisição de estoques para revenda.900 2. Recebimento de cliente 3.000 2.

000 2. custo de $ 1. Contabilização da despesa de depreciação do imobilizado $ 2.900 2.Período 4 1. Recebimento de cliente 3.000 4500 1. à prazo. Contabilização da despesa de juros do período do financiamento 6. Aquisição de estoques para revenda.500 .000 1.900 1. Pagamento de fornecedor 5. Venda de mercadoria. à prazo 4.

.

.

.

também denominada gerencialmente de demonstração dos fluxos de fundos. .Parte das dúvidas pode ser respondida pela apresentação dos fluxos de caixa pelo método indireto. uma demonstração financeira derivada da demonstração das origens e aplicações de recursos da contabilidade financeira.

.

As características principais que tornam importante esta demonstração são as seguintes: 1. Considera os fluxos de investimento e financiamentos pelas suas variações. considerando que este tem uma dinâmica e vinculação estreita com as operações e as operações requisitam a NLDG. 3. . Diminui do lucro financeiro as aplicações no capital de giro próprio (a Necessidade Líquida do Capital de Giro–NLDG). o que é o correto. Adiciona ao lucro liquido as depreciações (uma das principais despesas econômicas). Não considera os saldos de caixa como capital de giro. dando um resultado preliminar do lucro passível de se transformar em caixa. as diferenças ocorridas no período. 4. 2.

Quem tem lucro tem liquidez e solvência IX .O lucro deve cobrir o custo de capital XII .A observação da prática dos negócios mostra que quando a empresa está em dificuldades financeiras.Lucro sem caixa é gestão ineficiente ou consequência de decisões de investimentos que não deram certo X .O lucro é o maior indicador de responsabilidade social da empresa .A gestão financeira é a gestão do tempo da efetivação do lucro em caixa XI . ela coloca como modelo central da gestão empresarial o fluxo de caixa. com problemas para honrar seus compromissos. VIII .

créditos de clientes. Necessidade Líquida de Capital de Giro não é disponível 3. Qualidade das imobilizações e investimentos** 4. investimentos) **Ativos fixos sem retorno ou baixíssimo retorno.FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1. estoques. O custo dos empréstimos não pode ser maior que a rentabilidade dos ativos ou do PL 5. Garantir a máxima eficiência das aplicações financeiras * Baixar ativos “podres” (tributos a recuperar. Lucro corretamente medido* 2. ativos fixos de pouquíssima iliquidez . imobilizados.

FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Premissas Econômicas Crescimento Inflação Total Custo do Financiamento ROI do Patrimônio Líquido 4% 6% 10% 12% 15% .

I 2.000 2.600 4.000 2.130 ANO 2 .000 2.600 2.000 -7.000 -2.130 2.400 -17.610 390 15.449 -220 -220 154 -286 -220 -220 154 -286 -2.160 -240 -1.200 2.600 4.540 -1.000 2.293 .I 29.I 449 1.000 0 -838 1.420 -1.439 ANO 0 ANO 1 ANO 2 .476 449 15.130 Saldo Inicial 0 Saldo Final 1.163 1.390 (-) Necessidade Líquida de Capital de Giro(NLCG) Clientes -200 Estoques -200 Fornecedores 140 Soma -260 Imobilizações Financiamentos Saldo Gerado no Ano 1.INVESTIMENTO Caixa Clientes Estoques (-) Fornecedores Imobilizado (-) Depreciação Total FINANCIAMENTO Financiamentos Capital Social Lucros Acumulados Total HIPÓTESE I .694 2.0% ANO 2 .420 2.000 -2.SEM DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS ANO 0 ANO 1 ANO 2 .293 2.0% ANO 2 .000 5.000 1.200 2.000 4.420 -1.876 -240 -1.439 ANO 2 .000 -8.000 0 -1.000 Soma 1.130 2.600 2.990 5.II GERAÇÃO DE CAIXA ANO 0 ANO 1 Lucro Líquido 390 Depreciação 1.990 5.600 839 5.II 293 2.000 2.439 RESULTADOS Vendas (-) Custo das Vendas (-) Juros de Financiamentos (-) Depreciação (-) Despesas e IR Lucro Líquido ROI DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO ANO 0 ANO 2 .000 1.449 ANO 2 .420 2.130 293 1.600 390 839 0 4.000 2.II 2.000 2.II 449 1.040 -18.000 2.694 4.439 ANO 1 26.400 -1.I 0 1.

Impacto da Necessidade Líquida do Capital de Giro NLCG Lucro Acumulado em 2 Anos (-) Necessidade Líquida Capital de Giro(NLCG) para 2 anos = Caixa Líquido Gerado 839 -546 293 .

000 2.694 Imobilizado 2.000 -2.000 Capital Social 2.I ANO 2 .I 29.000 -8.536 -220 -220 154 -286 -220 -220 154 -286 -2.111 RESULTADOS Vendas (-) Custo das Vendas (-) Juros de Financiamentos (-) Depreciação (-) Despesas e IR Lucro Líquido ROI DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO ANO 0 ANO 1 26.200 2.160 -240 -1.715 2.420 (-) Fornecedores -1.146 3.420 Estoques 2.169 Saldo Inicial 260 Saldo Final 1.715 2.860 3.146 429 965 965 Lucros Acumulados 0 Total 4.575 6.200 2.571 429 15.000 2.0% ANO 2 .420 2.I ANO 2 .000 2.400 -1.000 0 -750 1.000 2.111 FINANCIAMENTO ANO 0 ANO 1 ANO 2 .000 -2.388 536 15.429 (-) Necessidade Líquida de Capital de Giro(NLCG) Clientes -200 Estoques -200 Fornecedores 140 Soma -260 Imobilizações Financiamentos Saldo Gerado no Ano 1.000 (-) Depreciação 0 -1.146 3.HIPÓTESE II.II Caixa 260 1.575 6.CAPITALIZANDO ANTECIPADAMENTE A NLCG E DISTRIBUINDO LUCROS INVESTIMENTO ANO 0 ANO 1 ANO 2 .111 6.II Financiamentos 2.536 ANO 2 .965 965 Clientes 2.000 2.965 .400 -17.040 -18.860 5.II 536 1.429 ANO 2 .0% ANO 2 .000 Total 4.000 1.I 536 1.111 6.715 965 1.694 -1.876 -240 -1.860 5.000 -7.540 -1.000 Soma 1.II GERAÇÃO DE CAIXA ANO 0 ANO 1 Lucro Líquido 429 Depreciação 1.250 1.420 2.000 2.000 1.000 2.000 4.

546 2.000 0 -815 1.000 -8.138 Saldo Inicial 260 Saldo Final 1.000 Total 4.I ANO 2 .015 6.260 2.546 Capital Social 2.544 6.398 ANO 2 .II 471 1.II GERAÇÃO DE CAIXA ANO 0 ANO 1 Lucro Líquido 398 Depreciação 1.000 -2.000 2.398 (-) Necessidade Líquida de Capital de Giro(NLCG) Clientes -200 Estoques -200 Fornecedores 140 Soma -260 Imobilizações Financiamentos Saldo Gerado no Ano 1.000 -2.200 2.471 ANO 2 .015 RESULTADOS Vendas (-) Custo das Vendas (-) Juros de Financiamentos (-) Depreciação (-) Despesas e IR Lucro Líquido ROI DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO ANO 0 ANO 1 26.160 -271 -1.546 2.I ANO 2 .3% ANO 2 .040 -18.860 5.7% ANO 2 .876 -306 -1.420 2.571 398 15.420 (-) Fornecedores -1.684 2.000 2.600 Lucros Acumulados 0 398 869 869 Total 4.I 29.HIPÓTESE III.000 (-) Depreciação 0 -1.000 Soma 1.684 869 1.FINANCIANDO ANTECIPADAMENTE A NLCG E DISTRIBUINDO LUCROS INVESTIMENTO ANO 0 ANO 1 ANO 2 .694 Imobilizado 2.200 2.015 FINANCIAMENTO ANO 0 ANO 1 ANO 2 .000 -7.000 2.544 6.000 2.420 2.471 -220 -220 154 -286 -220 -220 154 -286 -2.869 .185 1.388 471 15.000 1.000 4.000 1.600 2.420 Estoques 2.400 -17.540 -1.II Caixa 260 1.I 471 1.015 6.II Financiamentos 2.684 2.869 869 Clientes 2.600 2.600 2.694 -1.400 -1.860 5.

600 2.I ANO 2 .919 FINANCIAMENTO ANO 0 ANO 1 ANO 2 .540 -1.730 4.II .420 2.200 2.919 4.476 130 189 5.400 -1.730 4.II Caixa 0 870 1.200 2.610 -8.694 -1.876 -500 -500 -1.600 2.420 Estoques 2.000 Total 4.000 2.000 2.600 4.000 2.II Financiamentos 2.400 29.694 Imobilizado 2.000 2.919 RESULTADOS Vendas (-) Custo das Vendas (-) Juros de Financiamentos (-) Depreciação (-) Despesas e IR Lucro Líquido ROI DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO ANO 0 ANO 1 ANO 2 .000 4.773 -228 Clientes 2.600 Lucros Acumulados 0 130 319 319 Total 4.I ANO 2 .919 4.9% ANO 2 .000 -1.600 2.600 4.000 Capital Social 2.160 -18.CUSTO CAPITAL DE TERCEIROS(25%AA) MAIOR QUE O ROI DO PL INVESTIMENTO ANO 0 ANO 1 ANO 2 .000 2.0% 6.000 -2.000 2.000 (-) Depreciação 0 -1.420 2.I 26.000 2.420 (-) Fornecedores -1.000 -7.040 -17.000 -2.HIPÓTESE .

.

800 17.300 6% 57% -14% 48% 100% 2.000 21.050 35.120 21.000 17. % 2.653 7% 47% 100% 12% 3% 7% .000 800 15.300 7% 48% 100% 2.750 20% 17% 6% 2% 45% 7. .000 -5.800 8.Fin.545 2.350 1.700 16.Acumulada Soma ATIVO TOTAL PASSIVO CIRCULANTE Provisões Técnicas Fornecedores Salários/Enc Pagar Tributos a Recolher Soma PASSIVO NÃO CIRCULANTE Empréstimos PATRIMÔNIO LÍQUIDO PASSIVO TOTAL Ano 1 % Ano 2 % Var.950 2.275 20% 17% 6% 2% 46% 9% 10% 10% 13% 10% 2.000 20.578 37.353 10% 19% 25% 3% 57% 84% 6% 10% 12% 17% 2.688 7.Técnicas Créditos das Operações Estoques Soma ATIVO NÃO CIRCULANTE Investimentos Imobilizado (-) Deprec.194 9.653 5% 56% -18% 43% 100% 0% 5% 34% -4% 7% 7.500 1.000 5.BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO CIRCULANTE Disponibilidades Aplic.500 17.200 900 17.300 6% 19% 24% 3% 52% 3.000 -6.300 37.630 6.000 6.000 35.Prov.000 18.

0% 9% 1.6% 12% 0.200 84.5% 9% 1.7% 552 0.308 2.0% 10.000 67.700 0.9% 6% 0.6% -4% 0.800 9. % 100.0% 9% 84.DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO Receita Líquida (-) Custo dos Serviços Lucro Bruto Administração Comercialização Depreciação Lucro Operacional Receitas Financeiras Despesas Financeiras Lucro Líquido Ano 1 80.200 12.600 400 572 450 522 % Ano 2 100.200 1.0% 13.0% 73.6% 20% 0.0% 9% 12.248 16.0% 87.0% 9% 16.6% 1% .5% 480 0.464 1.952 12.6% 504 0.5% 1.7% 528 % Var.0% 1.600 1.

15 Endivid.16 Liquidez Imediata-Excl.Financeiras Técnicas Inflação do Ano 5% Crescimento do PIB 2% Total 7% Ano 2 1.23 Liquidez Prov.4% Retorno Aplic.16 0.0% .7% Retorno Operacional do Ativo* 1.5% Custo Capital de Terceiros 18.0% Margem Operacional 0.0% 3.71 39 2. Técnicas 0.0% Retorno do PL 3.5% Margem Líquida 0.1% 18.38 0.94 0.3 Lucratividade Margem Bruta 16.6% 5.24 0.0% 0.Prov.Técnicas 0.INDICADORES ECONÔMICO FINANCEIROS Ano 1 Capacidade de Pagamento Liquidez Corrente 1.6% 0.97 Endividamento Financeiro 0. Total-Excl.Técnicas 0.3 16. Financeiras 6.1% * Sem Aplic.6% 1.66 Atividades Prazo Médio Receb(PMR)-dias 38 Giro do Ativo 2.

379 42.Acumulada -5.000 800 15.300 52% 19.500 24% 11.000 5.400 3% 40% Estoques 1. .194 17% 6% Créditos das Operações 8.200 900 18.000 6% 5.809 16% 41% 100% 180% 2% 21% .300 100% 42.800 14% 190% Imobilizado 20.300 7% 48% 100% 7.750 20% 17% 6% 2% 45% 7.000 57% 24.800 19% 7.700 -16% 34% Soma 17.430 18% 18% 5% 2% 43% 9% 29% 10% 13% 17% 2.500 17.700 2.Técnicas 6.000 56% 20% (-) Deprec.Fin. mesmo tendo aumentado o lucro operacional.630 7.100 54% 36% ATIVO TOTAL 35.000 26% 29% 3% 1.809 100% 21% PASSIVO CIRCULANTE Provisões Técnicas Fornecedores Salários/Enc Pagar Tributos a Recolher Soma PASSIVO NÃO CIRCULANTE Empréstimos PATRIMÔNIO LÍQUIDO PASSIVO TOTAL 7.000 Soma 18.000 -14% -6.050 35.EXERCICIO Analisar as Demonstrações Contábeis do Ano 2. % ATIVO CIRCULANTE Disponibilidades 2. calcular os indicadores e identificar os eventos que causaram a redução do caixa.000 6% 115 0% -94% Aplic. BALANÇO PATRIMONIAL Ano 1 % Ano 2 % Var.709 46% 8% ATIVO NÃO CIRCULANTE Investimentos 2.000 48% 23.950 2.000 17.Prov.

0% 9.200 84.9% 6% 400 0.308 1.952 16.600 12.0% 1.000 100.2% 2% 1.5% 9% 1.0% 13.178 1.0% 87.7% 552 0.0% 9% 12.4% 194% 572 0.4% -37% .6% 211% 522 0.0% 9% 67.800 16.0% 9% 9.700 1.5% 1.DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO Receita Líquida (-) Custo dos Serviços Lucro Bruto Administração Comercialização Depreciação Lucro Operacional Receitas Financeiras Despesas Financeiras Lucro Líquido Ano 1 % Ano 2 % Var.5% 1.600 2.6% -4% 450 0.200 100.248 84.200 1.400 1.766 11. % 80.0% 73.6% 1.7% 329 0.

Financeiras 6.97 0.66 1. Total-Excl.15 0.0% 16.Prov.07 Liquidez Imediata-Excl.4% Retorno Operacional do Ativo* 1.01 Liquidez Prov.3% Retorno Aplic. Técnicas 0.40 Endivid.9% * Sem Aplic.1% 1.Financeiras Técnicas Inflação do Ano 5% Crescimento do PIB 2% Total 7% .4% 3.16 1.0% 20.0% Retorno do PL 3.02 Atividades Prazo Médio Receb(PMR)-dias 38 45 Giro do Ativo 2.INDICADORES ECONÔMICO FINANCEIROS .5% 7.Técnicas 0.3 2.7% 0.5% 1.0 Lucratividade Margem Bruta 16.23 0.94 Endividamento Financeiro 0.Técnicas 0.0% Margem Operacional 0.4% Margem Líquida 0.Resolução do Exercício Ano 1 Ano 2 Capacidade de Pagamento Liquidez Corrente 1.5% Custo Capital de Terceiros 18.

Utilizar derivativos . Aplicações no mercado de renda variável . Securitização . Fazer ou não hedges (cambiais) .Recursos temporariamente ociosos . Aplicações no mercado de renda fixa . Gestão do risco das aplicações financeiras .

Alavancagem financeira • Empréstimos de curto prazo • Capital de giro • Desconto de duplicatas • Factoring • Fundamento: o custo de captação não pode ser superior à rentabilidade operacional .

Receber Clientes Vendas .Capital de Giro na Indústria Dupls. Pagar Fornecedores Estoques Custos de Materiais de Fabricação Produtos Acabados Caixa Dupls.

000 1.000 Ativo Total * Caixa.000 Exigível a Longo Prazo 2.000 .000 Passivo Total 28.400 500 PASSIVO Circulante Contas a pagar fornecedores Salários e Encargos a pagar Outras contas a pagar Tributos a recolher Empréstimos e financiamentos 8.000 5.600 3.Formato Contábil ATIVO Circulante Disponibilidades* Contas a receber .000 12.clientes Estoques Outras contas 10.200 1.000 2. Bancos e Aplicações Financeiras 28.000 20.500 3.Balanço Patrimonial .000 15.000 500 800 4.Quadro 3 .000 Não Circulante 1.000 Patrimônio Líquido 3.500 Não Circulante Realizável a longo prazo Investimentos Imobilizado Intangível 18.

fornecedores Salários e Encargos a pagar Outras contas a pagar Tributos a recolher 600 3.000 (2.400 500 (1.500 PASSIVO Capital de Terceiros Empréstimos financiamentos Exigível a Longo Prazo (-) Aplicações financeiras Caixa mínimo Contas a receber .000 15.500 3.500 5.500 e 4.500 .000 Ativo Total 22.000) 15.000 12.clientes Estoques Outras contas (-) Contas a pagar.000 22.000 3.000 Patrimônio Líquido 2.000) (500) (800) Ativo Fixo Realizável a longo prazo Investimentos Imobilizado Intangível 18.000 Capital Próprio 1.Formato Financeiro Gerencial ATIVO Capital de Giro Próprio 4.Balanço Patrimonial .500 Passivo Total 7.Quadro 4 .200) (1.

. O valor aplicado no capital de giro deve ser o menor possível. buscando a maior eficácia neste investimento.Fundamentos para administração do capital de giro A empresa deve manter o giro necessário para que não haja interrupção em suas operações ou prejudique a operação primordial das empresas que são suas vendas. Financiamento do Capital de giro Estas duas opções de financiamento estão apresentadas nas Figuras apresentadas a seguir.

$ Aplicações temporárias Necessidade total de ativos Financiamento a longo prazo Tempo Figura 4 Políticas de financiamentos alternativas – estratégia F .

estratégia R .N e cessid ad e to tal d e ativ o s $ F in a n ciam en to a cu rto p razo F in a n ciam en to a lo n g o p razo T em p o Figura 5 Políticas de financiamentos alternativas .

.

000 A mais de 91 dias 4 2.700 Em 30 dias 50 28.500 Soma 120 77.800 Entre 61 e 90 dias 6 7.000 A Vencer .$ Vencidos a mais de 120 dias 2 1.300 Total 140 91.Classificação da Carteira por Prazo de Vencimento (Aging) Outro procedimento importante para a gestão da carteira de contas a receber é classificar os títulos por prazos de vencimento. por prazos mensais (nada impede de que sejam prazos menores).000 Entre 31 e 60 dias 60 39. modelo este denominado de idade da carteira. conforme modelo apresentado a seguir: Aging Quantidade Prazos de títulos Valor .000 a mais de 90 dias 3 1.000 a mais de 30 dias 10 7.200 a mais de 60 dias 5 4. O modelo mais utilizado separa os títulos vencidos e os títulos a vencer.500 Soma 20 13.

Os critérios mais utilizados são os seguintes: . . de acordo com o disposto na legislação e o valor apurado é considerado a estima de perdas com duplicatas incobráveis. 2. classifica-se por tempo de atraso e por faixa de valores. apurandose provisão para devedores duvidosos.Critério fiscal: a Receita Federal determina um critério que tem como base uma combinação de valores com o tempo de atraso em que estão as duplicatas em atraso. . listandose a carteira de duplicatas a receber.Critério contábil gerencial: com base na média das perdas anuais já acontecidas (pelo menos dos últimos três anos). apura-se o percentual médio de perdas e aplica-se sobre a carteira de duplicatas a receber sem garantia real.Provisão para Créditos Duvidosos ou Incobráveis: 1. Aspectos e cálculo gerencial. Assim. Aspectos e cálculo fiscal.

c) não liquidação da duplicata pelo cliente no vencimento.Duplicatas Descontadas O desconto de duplicatas é na realidade um empréstimo lastreado (garantido) por um título de crédito. b) liquidação da duplicata pelo cliente no vencimento. Duplicatas descontadas como passivo contingencial . com o banco devolvendo a duplicata e estornando o crédito inicial.Os eventos econômicos decorrentes desta operação financeira são os seguintes: a) envio das duplicatas ao banco com o crédito em conta movimento do valor das duplicatas menos os juros descontados. com o dinheiro ficando para o banco e este enviando um aviso informativo de liquidação da duplicata.

. com financiamentos de longo prazo.Política de Desconto de Duplicatas Não se recomenda a adoção de uma política permanente de desconto de duplicatas. Uma empresa deve fundamentar sua necessidade de capital de giro de duplicatas a receber. de curtíssimo prazo. É muito difícil uma empresa obter lucro nas vendas suficientes para pagar o custo de capital de desconto de duplicatas. O custo dos juros do desconto de duplicatas é muito alto em nosso país. A essência desta operação financeira é a sua utilização eventual. com taxas de juros compatíveis com a rentabilidade do investimento. para suprir deficiências temporárias de caixa.

Apesar deste fundamento legal. Política de Crédito x Volume de Vendas Os fatores básicos para determinação de uma política de crédito são: 1. sabe-se que em nosso país isto não ocorre na maior parte das operações de factoring. no factoring. 4.Factoring Em tese. há a compra da carteira de duplicatas a receber da empresa pela instituição financeira. que termina por funcionar exatamente como o desconto de duplicatas. 3.volume de vendas a ser incrementado com a adoção de uma nova política. 2.volume de capital necessário para fomentar essa nova política.* * inclui o impacto dos impostos adicionais faturados sobre os juros cobrados nas vendas .qual o custo de capital dos investimentos necessários (custo de oportunidade).Qual a taxa a ser cobrada dos clientes pelos prazos concedidos nas vendas.

um ponto importante é o monitoramento da concentração de vendas a prazo por cliente. . Políticas menos austeras de análise de crédito é um fator importante para obtenção de mais vendas. consequentemente. pode inibir vendas.Análise de Crédito x Devedores Duvidosos (inadimplência) A análise de crédito é ferramenta indispensável dentro da política de crédito. Política mais dura de análise de crédito inibe a inadimplência. Como contrapartida negativa. a análise da concentração da política de crédito. Ela também permite a adoção de políticas. Dentro de uma política de crédito. Como contrapartida negativa. e. objetivando a melhor carteira de clientes. ou seja. é menor a probabilidade de ter perdas com créditos de clientes. alarga a probabilidade de possíveis perdas com créditos de clientes.

.

gastos e depreciação Requisição de materiais Estoca materiais não requisitados PRODUTOS ACABADOS Expede os produtos acabados (vendas) Produção Acabada Estoca produção inacabada Custo dos Produtos Vendidos Estoca produtos acabados não vendidos .Fluxo dos Estoques Industriais FÁBRICA PRODUÇÃO EM ELABORAÇÃO ALMOXARIFADOS Envia materiais para fábrica (em processo) Incorpora aos materiais: Mão-de-obra.

O fundamento da manutenção do estoque no menor nível possível tem como referência o custo do dinheiro. deve-se buscar o maior giro dos estoques ou o menor prazo médio de estocagem. mais a empresa deixa de ganhar. Desta maneira.A gestão financeira dos estoques sugere. que saiu de seu caixa. Portanto. em linhas gerais que se deve estocar o mínimo possível. mais dinheiro ela investiu. quanto mais demora se tem para transformá-lo em vendas. . Quanto mais estoque a empresa tiver.

ponto de pedido. classificação ABC. ou quando a estocagem de algum tipo de material (normalmente ligada a recursos naturais. minerais. aço etc.. logística etc. Just-in-Time. tais como petróleo.Os conceitos de lote econômico de compra. . são utilizados na administração da produção e estoques com o intuito de minimizar o investimento neste tipo de ativo.) pode se transformar num excelente investimento financeiro. A administração financeira só considera válida estocagem de materiais além do mínimo necessário em condições excepcionais de problemas de demanda.

. outros aspectos podem levar a empresa a alterar as quantidades teoricamente demandadas. • Custos de colocar um pedido ou ordem de fabricação. • Materiais de pequeno valor.O principal fator que pode alterar uma política de estocagem é a questão do lote de compra ou de fabricação. Esses dois sistemas apresentam as quantidades ideais de estoque. • Necessidade de estoques de segurança. Outrossim. Esses aspectos podem determinar políticas alternativas de estocagem. ponto de pedido e estoque de segurança. Assim. foram desenvolvidos os conceitos de lote econômico. quais sejam: • Custos da estocagem. As necessidades de materiais são calculadas em cima dos sistemas de informações de estrutura de produto e do processo de fabricação.

para atender aos dois conceitos anteriores. Estoque de segurança é um estoque adicional ao tempo padrão. para garantia de ininterrupção de fornecimento. que atenda a relação custo ou benefício entre custos de estocagem e os custos de colocar pedidos ou ordem de fabricação. . Ponto de pedido é a determinação do dia ideal de se fazer uma nova compra ou emitir nova ordem de fabricação.Lote econômico representa um lote mínimo a ser comprado ou fabricado.

476* GE = = 5.788.61 vezes $ 1.901.347 x 360 Dias em Estoque = = 64.347 * $ 9.009 (Administrativos) + $ 58.476 .289 (Industrial) + $ 66.025.21 dias (64 dias) $ 10.025.788.Análise por Indicadores Estocagem de Materiais Consumo de Materiais Giro do Estoque (GE) = Estoque de Materiais $ 10.178 (Comerciais) Estoque de Materiais x 360 dias Dias em Estoque = Consumo de Materiais $ 1.

Análise por Indicadores Pagamento de Fornecedores Fornecedores (Dupls.311 .377 x 360 Prazo Médio de Pagamento = = 20.816. a Pagar) x 360 dias Prazo Médio de Pagamento = Compras de Materiais (Bruto)* $ 679.70 dias (21 dias) $ 11.

Análise por Indicadores Estocagem de Produtos em Processo Custo dos Produtos Vendidos Giro do Estoque (GE) = Estoque de Produtos em Processo $ 15.145 Estoque de Produtos em Processo x 360 dias Dias em Estoque = Custo dos Produtos Vendidos $ 839.02 vezes $ 839.128.145 x 360 Dias em Estoque = = 19.97 dias (20 dias) $ 15.185 .128.185 GE = = 18.

122.Análise por Indicadores Estocagem de Produtos Acabados Custo dos Produtos Vendidos Giro do Estoque (GE) = Estoque de Produtos Acabados $ 15.122.679 x 360 Dias em Estoque = = 16.01 dias (16 dias) $ 15.190 .48 vezes $ 672.190 GE = = 22.679 Estoque de Produtos Acabados x 360 dias Dias em Estoque = Custo dos Produtos Vendidos $ 672.

88 (31 dias) $ 23.604 x 360 Prazo Médio de Recebimento = = 30.883.989 .048. a Receber) x 360 dias Prazo Médio de Recebimento = Vendas (Receita Operacional Bruta) $ 2.Análise por Indicadores Recebimento de Clientes Clientes (Dupls.

000 * 360 9. uma vez que.210 24.707.950.707.940 * 360 14.289 65.000 16.102 15. nas demonstrações contábeis.000 * 360 23.900 16.Análise por Indicadores Indicadores de Atividade Operacional .145 * 360 15.122.377 * 360 9.900 20. substituindo-se o conceito de materiais pelo conceito de Mercadorias.0 672.289 24.004. ** Estamos utilizando o consumo de materiais.0 460.Materiais* Estoque de Materiais x 360 Consumo de Materiais Ano X0 Dados Ano X1 Índice Dados Índice 1.6 679.620.0 Prazo Médio de Estocagem Produtos em Processo Estoque de Produtos em Processo x 360 Custo dos Produtos Vendidos 625.000 65.347 * 360 9.800.901.679 * 360 15. O indicador será então prazo médio de estocagem de mercadorias. não é possível obter o valor correto das compras brutas .3 839.122.950.000 * 360 14.883.787.Em Dias Fórmula Prazo Médio de Estocagem.901.102 17. obtido com os dados de Estoques de Mercadorias e o Custo das Mercadorias Vendidas.788.7 1.0 Prazo Médio de Estocagem Produtos Acabados Estoque de Produtos Acabados x 360 Custo dos Produtos Vendidos 696.2 Prazo Médio de Pagamento Fornecedores x 360 Compras Brutas** Prazo Médio de Recebimento Clientes x 360 Brutas * Esta mesma fórmula deve ser utilizada para o comércio.1 1.705 * 360 23.989 30.000 * 360 9.5 2.

377 1 5.000 15 47.000 20 33.604 3 10.171 5 5.Análise da Dinâmica do Capital de Giro Modelo de Decisão para Gestão do Capital de Giro Dados Reais $ Dias Dados Padrões $ Dias Variação Dias Percentual $ 1.850.344.048.7% Estoque de Produtos em Processo 839.398 110 4.0% Estoque de Produtos Acabados 672.140.676.7% Total Geral 4.669.398 7 7.171 100 3.679 16 625.347 4 6.000 20 145 0 0.6% 3.377 21 646.1% 679.000 28 198.604 31 1.788.145 20 839.000 60 112.000 95 160.000 103 325.347 64 1.300.2% Clientes 2.5% Estocagem de Materiais Total dos Estoques Fornecedores .679 1 7.

.

000 .000 200.000 120.$ 200.000 (Capital de Terceiros) Patrimônio Líquido (Capital Próprio) Total 200.000 Total $ 80.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Evento Econômico 1 .000 Balanço Patrimonial Após Evento Econômico de Captação de Recursos ATIVO Circulante Caixa/Bancos $ PASSIVO Exigível a Longo Prazo 200.Captação de Recursos .

000 .000 = Passivo Total = 40% $ 200.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Capital de Terceiros Participação do Capital de = Terceiros no Passivo Total Capital de Terceiros Passivo Total $ 80.

000 = Passivo Total = 60% $ 200.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Capital de Próprio Participação do Capital Próprio no Passivo Total = Passivo Total Capital Próprio $ 120.000 .

Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Estrutura do Passivo Capital de Terceiros 40% Capital Próprio 60% .

66% $ 120.000 = Capital Próprio = 0.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Capital de Terceiros Grau de Endividamento = Capital Próprio Capital de Terceiros $ 80.000 .666 ou 66.

000 200.000 Total 200.000 PASSIVO Exigível a Longo Prazo Financiamentos $ 80.Aquisição de Imobilizados .000 90.000 Patrimônio Líquido Capital Social 120.$ 90.000 .000 Balanço patrimonial após evento econômico de aquisição de imobilizado ATIVO Circulante (Capital de Giro) Caixa/Bancos Ativo Permanente (Ativo Fixo) Imobilizados Total $ 110.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Evento Econômico 2 .

000 = Ativo Total = 45% $ 200.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Ativo Permanente Grau de Imobilização = Ativo Total Ativo Permanente $ 90.000 .

Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Estrutura do Ativo Ativo Fixo 45% Capital de Giro 55% .

000 Total 250.000 160.000 $ 50.000 a prazo Balanço patrimonial após evento econômico de compra de mercadorias ATIVO Circulante (Capital de Giro) Caixa/Bancos Estoques Ativo Permanente (Ativo Fixo) Imobilizados Total $ 60.Compra de Mercadorias para Revenda .Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Evento Econômico 3 .$ 100.000 .000 Patrimônio Líquido Capital Social 120.000 PASSIVO $ Passivo Circulante Fornecedores (Duplicatas a Pagar) 50.000 250.000 Exigível a Longo Prazo Financiamentos 80.000 100.000 à vista e $ 50.000 90.

000 = 3.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Ativo Circulante Liquidez Corrente ou de Curto Prazo Ativo Circulante Passivo Circulante = Passivo Circulante = $ 160.20 $ 50.000 .

000 .Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Disponibilidades Liquidez Imediata = Passivo Circulante Disponibilidades $ 60.20 $ 50.000 = Passivo Circulante = 1.

000 Balanço Patrimonial após evento econômico de venda de mercadorias ATIVO Circulante (Capital de Giro) Caixa/Bancos Duplicatas a Receber de Clientes Estoques Ativo Permanente (Ativo Fixo) Imobilizados Total $ Passivo Circulante 60.000 120. por $ 125.000 225.000 .000 (-) Custo das Vendas (60.000 Capital Social Lucro do Período 315.000 80.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Evento Econômico 4 .000 Fornecedores (Duplicatas a Pagar) 125.Venda a Prazo de 60% das Mercadorias Compradas.000 315.000 Exigível a Longo Prazo Financiamentos Patrimônio Líquido 90.000 185.000 40.000) Lucro Bruto PASSIVO 65.000 $ 50.000 65.000 Total Demonstração do Resultado do Período Vendas 125.

000 = Vendas = 52% $ 125.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Lucro Bruto Margem Bruta = Vendas (Líquida dos Impostos) Lucro Bruto $ 65.000 .

39 $ 315.000 = Ativo Total = 0.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Vendas (Líquida dos Impostos) Giro do Ativo = Ativo Total Vendas $ 125.000 .

000 $ 50.Despesas Operacionais.000) 65.000 Fornecedores (Duplicatas a Pagar) 125.000 (60.500 Comerciais e $ 12.000 40.500) Lucro Operacional PASSIVO 38.000 158.000 Exigível a Longo Prazo Financiamentos Patrimônio Líquido 90.000 198.000 120.000 .000 288.000 80.Total $ 27.000 Balanço Patrimonial Após Evento Econômico Despesas Operacionais ATIVO Circulante (Capital de Giro) Caixa/Bancos Duplicatas a Receber de Clientes Estoques Ativo Permanente (Ativo Fixo) Imobilizados Total $ Passivo Circulante 33.500) (-) Despesas Administrativas (12.000 38.000 Capital Social Lucro do Período 288.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Evento Econômico 5 .000 Total Demonstração do Resultado do Período Vendas (-) Custo das Vendas Lucro Bruto 125. Sendo $ 14.500 Administrativas.000 (-) Despesas Comerciais (14. Pagas à Vista .

000 Lucro Operacional $ 38.000 = Ativo Operacional = 19% $ 200.19% Ativo Total $ 288.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Lucro Operacional Rentabilidade Operacional = Ativo Total (ou Ativo Operacional) Lucro Operacional $ 38.000 = = 13.000 .

000) -48.6% (-) Despesas Administrativas -12.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Estrutura de Custos e Despesas .0% Lucro Operacional 38.em Percentual Demonstração do Resultado do Período Vendas (-) Custo das Vendas Valor 125.500 -10.500 -11.000 30.0% (-) Despesas Comerciais -14.0% (60.000 52.4% .000 Percentual 100.0% Lucro Bruto 65.

000 Balanço Patrimonial Após Evento Econômico Despesas Financeiras ATIVO $ Circulante (Capital de Giro) Caixa/Bancos Duplicatas a Receber de Clientes Estoques PASSIVO $ Passivo Circulante 25.500) Lucro Operacional 38.000 30.500) (-) Despesas Administrativas (12.000 Total 280.000 Patrim ônio Líquido 90.000 40.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Evento Econômico 6 . Pagas à Vista $ 8.000 (-) Despesas Comerciais (14.000 190.000 Exigível a Longo Prazo Financiamentos Ativo Perm anente (Ativo Fixo) Imobilizados 80.000) Lucro Bruto 65.000 (-) Custo das Vendas (60.Despesas Financeiras com Financiamentos.000 Capital Social Lucro do Período 120.000 Fornecedores (Duplicatas a Pagar) 50.000 Total Demonstração do Resultado do Período Vendas 125.000 150.000 .000 (-) Despesas Financeiras (8.000 125.000) Lucro Líquido Antes dos Impostos 30.000 280.

Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Despesas Financeiras com Financiamentos Custo Médio de Capital de Terceiros = Passivos de Financiamentos (Curto e Longo Prazo) Despesas Financeiras $ 8.000 .000 = Financiamentos = 10% $ 80.

000 $ 50.$ 12.000 .Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Evento Econômico 7 .000 Capital Social Lucro do Período 268.000 Balanço Patrimonial Após Evento Econômico Impostos sobre o Lucro ATIVO Circulante (Capital de Giro) Caixa/Bancos Duplicatas a Receber de Clientes Estoques Ativo Permanente (Ativo Fixo) Imobilizados Total $ PASSIVO Passivo Circulante 13.000 80.000 18.000 120.Impostos sobre o Lucro. Pagos à Vista .000 (-) Despesas Comerciais (14.000 (-) Impostos sobre o Lucro (12.500) (-) Despesas Administrativas (12.000) Lucro Líquido do Exercício 18.000 Fornecedores (Duplicatas a Pagar) 125.000) Lucro Líquido Antes dos Impostos 30.000 138.000) Lucro Bruto 65.000 (-) Despesas Financeiras (8.500) Lucro Operacional 38.000 Total Demonstração do Resultado do Período Vendas 125.000 268.000 (-) Custo das Vendas (60.000 Exigível a Longo Prazo Financiamentos Patrimônio Líquido 90.000 178.000 40.

000 .000 = Patrimônio Líquido Inicial = 15% $ 120.Visão Geral e Fundamentos dos Modelos de Análise Lucro Líquido do Período (Exercício) Rentabilidade do Patrimônio Líquido = Patrimônio Líquido Inicial Lucro Líquido do Exercício $ 18.

Objetivos da Análise Financeira. Usuários e Ajustes das Informações Objetivos da Análise Econômico-Financeira Caracterizaçãoda da Caracterização AnáliseEconômico-Financeira Econômico-Financeira Análise Examede deDados Dados Exame Indicadoresda daAnálise Análise Indicadores Econômico-Financeira Econômico-Financeira Finalidadeda daAnálise Análise Finalidade Econômico-Financeira Econômico-Financeira Conhecimentoda daSituação Situação Conhecimento Julgamentoda daRealidade Realidade Julgamento VerificaraaCapacidade Capacidadede deSolvência Solvência Verificar SituaçãoFinanceira Financeira Situação ConheceraaEstrutura EstruturaPatrimonial Patrimonial Conhecer EstadoPatrimonial Patrimonial Estado DescobriraaPotencialidade Potencialidadede deGerar Gerar Descobrir Resultados Resultados SituaçãoEconômica Econômica Situação .

Objetivos da Análise Financeira. Usuários e Ajustes das Informações Produto Final É normal ou anormal a situação financeira da empresa? É normal ou anormal a situação econômica da empresa? QuestõesPrincipais Principais Questões Quais os pontos fortes e fracos econômicofinanceiro da empresa? Existe risco ou possibilidade de insolvência da empresa? .

Margem de Lucro x Giro do Ativo Custo do Capital de Terceiros Rentabilidade Operacional ou do Ativo Rentabilidade do Acionista 134 .

) Custo Administrativo e Comercial = (Lucro ) Margem Operacional $ 2.000.00 = 40% $ (500.00) = 5% $ 45.000.00 = 30% $ (30.) Impostos sobre o Lucro = Lucro (Margem) Líquida do Período $ 300.000.00) = 70% $ 90.00 = 100% $ (210.00 = 15% Exemplo .000.Margem Total: Receita das Vendas de Mercadorias ( .00 = 20% $ (15.00) = 10% $ 60.00) = 25% $ 300.Análise da Rentabilidade Lucratividade e Margem versus Rentabilidade Margem ou lucratividade é uma relação do resultado obtido com o valor da venda.) Despesas Administrativas e Comerciais = Lucro ( Margem) Operacional ( .000.Margem Unitária: Preço de Venda de um Produto ( .00 = 100% $ (1.000.00) = 60% $ 800.200.) Despesas Financeiras Líquidas = Lucro (Margem) Antes dos Impostos ( .00 = 10% .00) = 5% $ 30.000.000.000.000.) Custo das Mercadorias Vendidas = Lucro (Margem) Bruto ( .) Custo Unitário de Fabricação = (Lucro) Margem Bruta ( .00 = 15% $ (15. Exemplo .

5% (b:a) A margem ou lucratividade sobre vendas e receitas é o elemento para obter a rentabilidade do investimento.000.2% (b:a) Exemplo . Exemplo .000.Lucro Empresarial: Patrimônio Líquido Inicial $ 1. .Análise da Rentabilidade Lucratividade e Margem versus Rentabilidade Rentabilidade é uma relação percentual do resultado obtido com o valor do investimento.000.Ativo Financeiro: Aplicação na poupança $ 10.00 (b) Rentabilidade do ano 13.00 (a) Lucro Líquido Anual $ 135.00 (a) Rendimento obtido após 1 mês $ Rentabilidade do mês 120.000.00 (b) 1.

000 1.000.000 4.000 2.00 1.000 Valor do Ativo (Investimento) .000 3.000.$ (b) 2.50 2.$ (a) 2.000.Análise da Rentabilidade Os Fatores que Impulsionam a Rentabilidade: Giro e Margem Valor das Vendas Giro do Ativo = Valor do Ativo (Investimento) Exemplo de giro do ativo Empresa A Empresa B Empresa C Receita de Vendas Anuais .000.000.00 Giro (a : b) .000.000 2.

000.000 Giro (c = a : b) 1.000 2.000 Valor do Ativo (Investimento) .000.Análise da Rentabilidade Giro do Ativo.000 12% 18% 24% Resultado Líquido (e = d x a) Rentabilidade do Investimento (e:b) Rentabilidade = Margem x Giro .000.50 2.000 2. Margem e Rentabilidade Empresa A Empresa B Empresa C Receita de Vendas Anuais .000 4.000.000.$ (b) 2.000 480.00 Margem Líquida (d) 12% 12% 12% 240.$ (a) 2.000 360.000.000 3.00 1.

00 Rentabilidade (a x b) 12% 18% 24% .50 2.Análise da Rentabilidade Fórmula de Rentabilidade Empresa A Empresa B Empresa C Margem (a) 12% 12% 12% Giro (b) 1.00 1.

000.$ (b) 2.50 2.000.000 5.00 1.000. margem e rentabilidade Empresa A Empresa B Empresa C Receita de Vendas Anuais .000 12% 18% 25% Resultado Líquido (e = d x a) Rentabilidade do Investimento ( e:b) .000 500.000 360.000.000 3.000 Giro (c = a : b) 1.000 2.50 Margem Líquida (d) 12% 12% 10% 240.$ (a) 2.000 2.000.000.Análise da Rentabilidade Utilização do Modelo de Análise da Rentabilidade Giro do ativo.000 Valor do Ativo (Investimento) .

Prime Rate .LIBOR .Análise da Rentabilidade Parâmetros para Avaliação da Rentabilidade Estrutura do custo de capital Custo de Capital Próprio Custo de Capital de Terceiros Taxa Básica Determinada pelo Banco Central Complemento Interbancário Complemento pelo risco da empresa CDI .Spread Risco Financeiro Risco da Empresa Risco Operacional .

. 1997. 61 . p.06 6.37 7.30 14.25 3.09 3.00 7.87 4.(%) Ações (a) Bônus do Governo (b) Prêmios de Risco (a .90 7.33 1. Aswath.20 5.18 2. Avaliação de Investimentos.25 3.22 0.41 7.45 6.40 9.34 6.70 10.50 11.Análise da Rentabilidade Rendimentos ao Redor do Mundo .40 13.59 0.35 7.28 País Fonte: Damodaran.b ) Austrália Canadá França Alemanha Itália Japão Países Baixos Suíça Reino Unido EUA 9. Qualitymark Ed. Rio de Janeiro.10 8.82 Média 10.60 10.1970/1990 .70 11.68 6.96 6.20 6.09 4.81 9.74 4.

56% NYSE* 19.26% 24.49% 40.43% .44% 20.76% 10.76% 21.42% 73.91% -11.80% -15.66% 2.Análise da Rentabilidade Rendimentos de Bolsas de Valores Taxas Anuais .69% 11.52% 51.Final do ano 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 Média Bovespa 17.03% -6.69% 15.24% -17.23% -16.57% 27.01% 20.48% 28.

49% 2002 8.82% Prime Rate (2) 9.18% 2.00% 5.19% 5.61% Parâmetros Práticos para Avaliação de Rentabilidade Mínimo Médio/Bom Excelente Rentabilidade obtida 12% 15% 18% Retorno do investimento (em anos) 8.Análise da Rentabilidade Taxas Básicas de Juros Taxas Anuais .00% 12.00% 4.Final do ano Poupança 2000 8.47% 1.74% (1) Para empréstimos de 6 meses (2) Taxas do Citibank TJPL 9.64% Média 8.67 5.56 .75% 10.00% 10.25% 4.44% Libor (1) 6.33 6.00% 1.00% 10.21% 2003 9.61% 2001 8.63% 2.

Análise da Rentabilidade Rentabilidade do Acionista pelo Lucro Líquido Lucro Líquido do Exercício Rentabilidade do Patrimônio Líquido (RSPL) = Patrimônio Líquido 739.410 X0 .000 450.075 .270.54% 4.126 X1 .49% 4.RSPL = = 10.RSPL = = 18.000.

Análise da Rentabilidade Rentabilidade da Empresa pelo Lucro Operacional Lucro Operacional Rentabilidade Operacional ou do Ativo = Ativo Operacional Ativo Total (-) Passivo de Funcionamento Fornecedores Impostos a Recolher Salários a Pagar Dividendos a Pagar (-) Aplicações financeiras que excedem ao caixa mínimo = Investimento .

000 1.340 1.000 1.840 9.377 264.000 200.085 679.340 4.224.000 180.404.000 2.159.775 0 ATIVO TOTAL 9.124.650.790.777 1.634.000 CAPITAL DE GIRO LÍQUIDO OU PRÓPRIO (a-b) 3.990.467 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO Empréstimos a Controladas Depósitos Judiciais e Incentivos Fiscais .899) 3.516.12.sobre Lucros Adiantamento de Clientes Dividendos a Pagar Outras Obrigações de Longo prazo 1.000 7.000 8.x1 ATIVO CIRCULANTE (a) Caixa/Bancos Contas a Receber de Clientes (-) Títulos Descontados Estoques Impostos a Recuperar Despesas do Exercício Seguinte 4.000 PERMANENTE Investimentos em Controladas Imobilizado Líquido Diferido 5.000 5.000 100.000 3.300 (-) PASSIVO SEM ÔNUS FINANCEIRO (b) Fornecedores Salários e Encargos a Pagar Contas a Pagar Impostos a Recolher .315.000 200.775 230.sobre Mercadorias Impostos a Recolher .000 (30.000 2.000 460.Análise da Rentabilidade Ativo Operacional .000 5.800 1.000 1.028 5.000 0 5.000) 3.799.220.446 475.000 1.000 5.840 3.Formato Financeiro 31.500 500 5.203 72.302.500 200.000 100.750.981 120.500 460.525.048.12.692 6.972 5.604 (43.050 2.x0 31.

392 1.160) 4.075 4.220.467 .200.167) PATRIMONIO LÍQUIDO Capital Social Reservas de Capital Reservas de Reavaliação Reservas de Lucros/Lucros Acumulados Lucro do Período 4.000 0 0 0 270.840 1.836.000.649.000.000 (777.12.124 4.x1 CAPITAL DE TERCEIROS Empréstimos do Passivo Circulante Financiamentos do Exigível a Longo Prazo (-) Aplicações Financeiras 5.000 0 0 0 0 4.000.Formato Financeiro 31.000 4.12.840 9.889.220.000 4.075 PASSIVO TOTAL 9.596.159.Análise da Rentabilidade Passivo Operacional .270.x0 31.435 (1.798.

Ajuste da Demonstração de Resultados .

Análise da Rentabilidade Demonstração de Resultado do Exercício e Apuração do Lucro Operacional 31.12.000) 1.199 30.911) 450.501 746.800) 506.300 (316.Lucro Operacional Lucro Líquido do Exercício (a) (+) Despesas Financeiras Líquidas dos Impostos (b) Lucro Operacional 739.230) (106.200) 643.890 30.Formato Oficial LUCRO OPERACIONAL ANTES DAS DESPESAS E RECEITAS FINANCEIRAS Receitas Financeiras Despesas Financeiras com Financiamentos Outras Despesas Financeiras Equivalência Patrimonial LUCRO OPERACIONAL Resultados Não Operacionais LUCRO ANTES DOS IMPOSTOS Impostos sobre o Lucro LUCRO LÍQUIDO DEPOIS DOS IMPOSTOS 1.000) 2.911 30.410 166.093.499 31.000 1.999 (46.501 D .12.Despesas Financeiras Despesas Financeiras com Financiamentos (-) Receitas Financeiras Despesas Financeiras Líquidas (a) Alíquota Média de Impostos sobre o Lucro Impostos sobre Despesas Financeiras Líquidas (b) Despesas Financeiras Líquidas dos Impostos (a .037 192.075.339 1.800 (552.669.126 1.000 645.999) (90.800) 30.x0 A .0% 127.300 316.610 46.339 590.237 (2.0% 151.0% C .145.300 (19.126 296.657) 423.890) 739.x1 1.230 (166.b) 552.860 354.056.072 296.749 450.0% 643.410 354.627 B .037 (192.056.Alíquota Média dos Impostos sobre o Lucro Lucro Antes dos Impostos (a) Impostos sobre o Lucro (b) Alíquota Média (a : b ) .657 (590.573 30.

093.749 9.99% = 746.279 = Retorno sobre o Ativo Operacional 19x1 2.159.627 18.637.04 x 3.220.840 x Margem Lucro Operacional Vendas 1.637.713.749 18.467 746.105 = Lucro Operacional Ativo Operacional 1.840 11.467 8.713.Análise da Rentabilidade Análise da Rentabilidade Operacional da Empresa .159.Método DuPont Fator Giro Fórmula Vendas Ativo Operacional 19x0 18.093.220.15% .87% 18.86% 2.627 9.105 9.02 x 5.279 9.

501 4.x0 354.12.79% 31.06% .889.Análise da Rentabilidade Análise da Rentabilidade do Financiamento (Custo do Capital de Terceiro) Fator Custo do Capital de Terceiros Fórmula Despesas Financeiras Líquidas Capital de Terceiros 31.392 6.x1 296.220.12.840 6.339 5.

840 6.15% Despesas Financeiras Líquidas Capital de Terceiros 354.627 9.410 4.79% 296.889.86% 746.749 9.x1 Lucro Operacional Ativo Operacional 1.Análise da Rentabilidade Análise Geral da Rentabilidade Fator Retorno sobre o Ativo Operacional Custo do Capital de Terceiros Retorno sobre o PL Fórmula 31.840 11.339 5.x0 31.501 4.075 10.126 4.000.270.49% 450.220.54% .06% Lucro Líquido Patimônio Líquido 739.392 6.000 18.12.220.159.467 8.093.12.

03 Ano X1 Dados Índice 6.01 .Análise por Indicadores Indicadores de Liquidez Liquidez Corrente Ativo Circulante LC = Passivo Circulante Fórmula Ativo Circulante Passivo Circulante Ano X0 Dados Índice 5.723.209 2.500 2.911.446.500 2.945 3.527.

124.673 1.DES* Passivo Circulante Ativo Circulante (-) Estoques (-) Despesas do Exercício Seguinte = Ativo Líquido * Despesas do exercício seguinte Ano X0 Dados Índice 2.340) (500) 2.209 6.300) 3.Estoques .660 0.05 .Despesas do Exercício Seguinte LS = Passivo Circulante Fórmula Ativo Circulante .500 5.527.Estoques .911.402.972) (1.660 2.607.88 Ano X1 Dados Índice 3.500 (3.402.446.673 3.723.Análise por Indicadores Liquidez Seca Ativo Circulante .607.302.945 (3.

Análise por Indicadores Liquidez Imediata Disponibilidades LI = Passivo Circulante Fórmula Disponibilidades Passivo Circulante Caixa/Bancos Aplicações Financeiras = Disponibilidades Ano X0 Dados Índice 778.596.160 0.29 Ano X1 Dados Índice 1.209 1.000 1.167 1.160 778.500 1.597.160 2.000 777.167 3.46 .167 0.446.597.723.

919.84 .523.527.644 0.644 Ativo Circulante Realizável a Longo Prazo = Ativos Realizáveis 5.284.000 7.000 6.500 6.435 8.500 4.284.945 Passivo Circulante Exigível a Longo Prazo = Passivos Exigíveis 2.533.500 6.446.911.838.800.74 Ano X1 Dados Índice 6.209 4.945 8.500 7.523.500 3.919.945 8.500 0.533.723.Análise por Indicadores Liquidez Geral Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo LG = Passivo Circulante + Passivo Exigível a Longo Prazo Fórmula Ativos Realizáveis Passivos Exigíveis Ano X0 Dados Índice 5.000 5.

94 .209 4.838.284.644 4.723.523.Análise por Indicadores Endividamento Geral Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo EG = Patrimônio Líquido Fórmula Passivos Exigíveis Patrimônio Líquido Passivo Circulante Exigível a Longo Prazo = Passivos Exigíveis Ano X0 Dados Índice 7.500 4.800.000 7.446.075 3.500 4.284.435 8.644 1.500 1.000 2.270.88 Ano X1 Dados Índice 8.523.000.

52 .000.559 1.Análise por Indicadores Endividamento Financeiro Empréstimos e Financiamentos (Curto e Longo Prazo) EF = Patrimônio Líquido Fórmula Capital de Terceiros Patrimônio Líquido Empréstimos .075 1.000 4.838.000 1.270.559 4.50 Ano X1 Dados Índice 6.000 6.000 4.124 4.000.800.Passivo Circulante Financiamentos .487.000.487.Exigível a Longo Prazo = Capital de Terceiros Ano X0 Dados Índice 6.649.200.000 1.435 6.

Análise por Indicadores Estática versus Dinâmica dos Indicadores .

15% 1.86% 1.54% 8.56 Ano X1 Dados Índice 10.Análise por Indicadores Grau de Alavancagem Financeira RSPL GAF = RSA Fórmula Rentabilidade do Patrimônio Líquido Rentabilidade do Ativo Operacional Ano X0 Dados Índice 18.49% 11.29 .

94 .610 590.499 552.999 Ano X1 Dados Índice 3.230 1.669.02 1.Análise por Indicadores Indicador de Cobertura das Exigibilidades e dos Juros Lucro antes das Despesas Financeiras Cobertura de Juros = Despesas Financeiras Fórmula Lucro Operacional Despesas Financeiras Ano X0 Dados Índice 1.145.

000 2.000 2.00 Ano X1 Dados Índice 4.000 2.000.000.075 2.Análise por Indicadores Valor Patrimonial da Ação Patrimônio Líquido VPA = Número de Ações Em Circulação Fórmula Patrimônio Líquido Quantidade de Ações em Circulação Ano X0 Dados Índice 4.14 .270.000.

000 3.000 1.070.70 1.000 800.38 1.54 1.09 2.240.00 2.61 1.200.200.000 1.80 1.000 800.000 800.980.Valor de Mercado versus Valor Patrimonial da Ação M ês Dezembro/x0 Janeiro/x1 Fevereiro/x1 M arço/x1 Abril/x1 M aio/x1 Junho/x1 Julho/x1 Agosto/x1 Setembro/x1 Outubro/x1 Novembro/x1 Dezembro/x1 Patrimônio Líquido 4.Análise por Indicadores Análise Comparativa .03 2.170.000 1.075 Valor Patrimonial (A) Valor de M ercado (B) Quantidade de Ações Valor por Ação Unitário Ordinárias Preferenciais Patrimonial Ordinárias Preferenciais M édio 800.000 1.000 800.000 2.200.200.20 1.760.000 1.67 1.48 1.408.66 1.25 1.020.65 1.000 1.200.000 1.04 2.000 1.270.968.980.000 800.260.000 4.11 2.000 3.000 4.30 1.000 1.000 4.080.200.000 800.000 800.000 2.000 3.220.240.40 1.75 1.90 1.80 1.000 4.000 4.000 4.49 1.01 2.000 1.35 1.13 2.000 4.200.000 1.000 800.08 2.880.000 4.000.70 1.25 1.64 1.56 1.200.65 1.35 1.050.000 1.12 2.10 2.000 3.200.200.000 2.20 1.70 1.340.120.220.40 1.000 4.22 1.000 4.000 4.85 1.40 1.60 1.05 2.000 4.44 1.06 2.40 1.000 3.640.50 1.000 1.000 800.000 3.000 800.100.200.150.20 1.120.14 1.41 1.000 2.280.200.49 1.000 800.000 800.000 2.000 Relação % (B : A ) 72% 74% 74% 76% 80% 78% 80% 82% 77% 74% 70% 65% 62% .000 2.200.200.000 3.62 1.32 Valor Total 2.

Relação Preço/Lucro Valor de Mercado da Ação P/L = Lucro por Ação (LPA) Fórmula Valor de Mercado da Ação (Médio) Lucro por Ação Ano X0 Dados Índice 1.32 0.87 .44 0.37 3.89 Ano X1 Dados Índice 1.Análise por Indicadores Índice de P/L .23 5.

225) 5.0% 8.788.604 (43.0% 40.0% 0.1% 25.4% 24.x1 AV AH ATIVO CIRCULANTE 5.4% 6.1% -3.3% 0.000 625.634.0% 105.5% 43.0% Caixa/Bancos Aplicações Financeiras Contas a Receber de Clientes (-) Provisão Devedores Duvidosos (-) Títulos Descontados .7% 16.800 5.290.0% 12.500 48.3% Depósitos Judiciais Incentivos Fiscais 5.2% 46.554.0% 15.3% 14.000 0 1. Adiantamentos a Fornecedores Impostos a Recuperar Despesas do Exercício Seguinte 1.500 100.0% REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 6.9% -5.1% 33.0% 23.0% 0.1% 15.4% 0.800 1. De Materiais .6% 5.650.719 100.0% 0.2% 0.0% 230.596.9% PERMANENTE ..Bruto . Reavaliação de Terrenos .0% ATIVO TOTAL 11.775 0 1.2% 0.7% 50.3% -6. De Materiais .0% 0.9% 160.679 2.0% 0.000 0 0 0 8.000 1.972 1.12.0% 14.2% 6.12.000 1. Em Processo .302.500.7% 5.0% 12.000) 5.7% 5.347 839.7% 14.000 0.000 52.788.582.0% 8.004.6% 0.347 0 1.9% Investimentos em Controladas .0% 6.911.0% 71.9% -21.4% 16.000 0.0% 0.990.4% 43.790.0% 0.0% 5.500 500 0. (-) Depreciação Acumulada Imobilizado Líquido Diferido 200.0% 15.0% 0.3% -0. Outros Imobilizados .000 777.0% 0.3% 0.523.0% 0.705 3.000) 0 1. Acabados .775 44.404.527.0% 16.1% 8.945 55.0% 0.0% 26.0% -0.Análise Vertical e Horizontal e Avaliação Geral Análise Vertical e Horizontal do Balanço Patrimonial 31.Líquido .000 0.167 2.000 3.6% -28.Líquido Estoques .400 4.3% 0.800.800.0% 7.000 (3.3% -0. Terrenos .1% 0.0% 5.0% 0.124.0% 1.000 1.0% 0.000 (30.6% 34.7% 0.145 672.(-) Provisão Retificadora .0% 71.000 0 1.6% 0.899) 0 2.160 1.300 0.620.0% 0.0% 14.0% 0.7% 28.000 0.1% 27..340 1.7% 0.000 0 0 0 8.048.987.7% -0.940 696.0% 6.x0 AV 31.000 (2. Imobilizado Bruto .0% 0.000 2. Contas a Receber .8% 0.

9% 4.8% 0.0% 0.0% 1.2% 6.435 4.0% 3.203 72.0% 12.000 200.800.649.x0 AV 31.200.4% 26.800.446 475.5% 20.3% -28.209 27.12.0% 42.0% 0.981 120.4% -10.0% 0.6% 0.435 38.0% 0.1% 1.4% 2.0% 0.x1 AV AH PASSIVO CIRCULANTE 2.838.7% 32.719 100.500 100.9% 37.124 180.500 23.0% 11.4% 47.0% 0.0% 13.000.028 5.sobre Lucros Adiantamento de Clientes Empréstimos Dividendos a pagar 460.554.0% EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Financiamentos 4.050 5.446.0% 0.5% 0.075 4.0% 31.7% 41.000 100.0% 8.1% 1.000 4.000.4% 1.7% 0.sobre Mercadorias Impostos a Recolher .9% PASSIVO TOTAL .838.000 100.000 4.0% 10.9% 0.000 1.0% 2.0% 0.0% 0.000 4.8% PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital Social Reservas de Capital Reservas de Reavaliação Reservas de Lucros/Lucros Acumulados Lucro do Período 4.000 3.7% 4.7% 679.9% 0.6% 3.377 264.000.270.Análise Vertical e Horizontal e Avaliação Geral Análise Vertical e Horizontal do Balanço Patrimonial 31.723.8% 0.000 0 0 0 0 34.0% 0.5% 38.7% 0.0% 4.500 1.7% 34.000 460.12.075 34.5% Fornecedores Salários e Encargos a Pagar Contas a Pagar Impostos a Recolher .4% 3.000 0 0 0 270.000 200.000 41.523.8% 0.

M a te riais In d iretos C on su m o d e M a te riais T otal M ã o d e O b ra D ire ta M ã o d e O b ra In d ire ta D e sp e sa s G era is D e pre ciaç ã o (+ /-) V a ria çã o d os E s toq u es In d u striais 1 4 .4% -2 0 .8 84 ) 7 8 .5 9 6 1 .9% 0 .6 1 0 6 .8% 4 8 .Análise Vertical e Horizontal da Demonstração de Resultados 3 1 .0 00 (2 0.9% 0 .0% 1 8 .5% 1 6 .1 71 .9% 2 4 . M a te riais In d iretos .8% 0 .5% 1 .3% -3 .0 0 0 9 4 0 .4 42 .2% 3 2 .0 0 0) 0 .7% 4 .1% Im p os tos s ob re o L u cro (3 1 6.6% -2 7.9% -1 .2 7 9 1 0 0 .8 84 ) 8 0 .0% 4 5 0 .0 0 0 1 2 0 .2% 0 .6% -2 7.6% 0 .7% (1 9 2.3% 1 .6% 2 3 .5 90 .8 6 5 5 9 1 .0 0 0 1 .7% 0 .0% 2 .8 84 ) 1 2 7 .8% 2 .6 7 8 2 8 .89 9 1 3 .3 58 .IC M S .4 74 .0% -8 8 .P IS .5 % -0 .3% 4 .9 % 9 0 2 .1 52 .4 1 0 4 . P rovis ã o D e ve d ore s D u vid os os 1 .1 4 9.00 0 2 2 0 .78 7.00 0 2 .4% R E C E I T A O P E R A C I O N A L L ÍQ U I D A 1 8 .9 30 .0 0 0) -0 . V alor de V e n da de Im ob iliza d os .7% 1 4 0 0.1% 4 .00 0 (5 5 2. D esp es a s .5 % 7 .4% 5 .1 45 .0 0 0 7 9 8 .00 0 0 . D e pre cia ç ã o .7% D E SP E S A S O P E R A C IO N A I S C om e rcia is .12 .2% -8 .0% 1 5 .0 0 0 1 .3% 0 .4% 0 .1 2 6 2 .80 0 3 0 .3% 1 . M ã o d e O bra .8 42 .0 0 0 (1 8 9.0% 0 .2% 0 .0% 0 . (-) V alor d a B a ix a d e Im ob iliza d os L U C R O L ÍQ U ID O D E P O IS D O I M P .2 30 ) (1 0 6.4% C U ST O DO S P R O D U TO S V E N D IDO S .0 01 .1% 7 .0 0 0 5 1 2 .7% 1 1 .40 0 (5 9 0.1 7 7 2 1 .0% 0 .0% LU CR O B R U TO 3 .2% 5 5 6 .9 31 ) 1 2 7 .8% 6 4 5 .0% 9 .3 % 8 8 .4 42 .9 50 .0% 6 .12 .6 6 7 5 .9% 9 .4% -3 9.9 0 0 9 .4% 0 .C O F IN S 2 3 .2 8 9 1 .9 11 ) -1 .7% 1 8 .0 0 0 4 . D e pre cia ç ã o R e su lta d os N ã o O p era cion ais .0 0 0) 2 .2% -3 .1% 0 .9 8 9 0 2 3 .0% 1 .3 7 5 7 9 3 .1% 7 9 .1% A d m in istrativa s .12 2.3% 6 .7 3 1 1 5 0 .0% -0 .0 0 0 9 .2 0 0) 800 (3 . R E N D A .1% 0 .2% 9 .8 00 ) 3 0 .9 8 6 9 0 5 .0% 4 .4% 6 .0 00 7 .9% 4 9 .17 8 2 2 0 .1 0 2 9 .0 0 0 5 0 .1% 0 .IS S R E C E IT A O P E R A C IO N A L B R U T A I (-) Im p os tos n a s V e n da s .6 7 8 1 .8 1 6 6 6 .4 44 .9 99 ) (9 0.0% 1 2 7 .6% 1 .5 5 9 (1 8 9.9% 0 .8% -0 .0% 0 .0% L U C R O A N T E S D O S IM P O S T O S 1 .7% 0 .0 75 .4% -4 0.00 0 1 .00 0 1 3 .0% 1 1 0 .63 7.7 9 9 1 .4 6 3 1 3 1 .6% 0 .1% 1 5 .0% 1 2 7 .1% 0 .9 01 .0% L U C R O O P E R A C IO N A L II 1 .0 0 0) 1 .2% 0 .7 3 1 1 6 3 .0 00 0 .2 2 2 1 .x 0 AV 3 1 .2 1 0 (5 .9% 6 . M a te riais D iretos .0 0 0 5 0 .1% 3 .2% 5 2 .0% -0 .7% L U C R O O P E R A C IO N A L I 1 .7% 0 .0% 2 .8% 7 .9 1 5 9 2 2 .3 80 .1 7 0.4 9 9 9 .2% 0 .9 1 4 9 .5% 0 .4% -3 9.0% -3 9 .2 3 7 3 .0% 6 .2% -0 .5 % -0 .78 7. M ã o d e O bra .6% 0 .1 0 5 1 0 0 .6 69 .3 0 0 5 .8% 0 .7 21 .9 8 9 (5 .5 5 8 5 8 .1 71 . M a te riais In d iretos .0 0 7 2 8 .6% 0 .00 9 1 .4% 0 .70 7.1 07 .2 5 7 5 6 .7% 6 4 3 .1 28 .0% (1 9.3% 5 3 .88 3.0% 5 9 4 .x 1 AV AH R E C E IT A O P E R A C IO N A L B R U T A II (-) Im p os tos s ob re V e n d as IP I .71 3.0 56 .9% -1 .1% -3 1.2% 7 .1% 7 3 9 .4% R e ce itas F ina n ce ira s de A p lica ç õ es O u tras R e ce ita s Fin an ce ira s D e sp e sa s F in a n ceiras com F in a n cia m e ntos O u tras D e s pe s as F ina n ce iras E q uiva lên cia P atrim on ial 1 6 .6% 0 .8 90 ) -1 .2 0 6 1 9 .0% -8 5 .4% 3 .4% 9 .1% (2 .0% 3 .88 3.3% 7 .0 3 7 3 .3 0 0 5 .2 1 0 0 2 3 . D esp es a s .

contingências fiscais e trabalhistas? c) Foi feita provisão adequada para créditos de liquidação duvidosa? d) Todos os passivos estão declarados? Há contratos de leasing ou avais não constantes como passivos? e) A demonstração de resultados não contém elementos em duplicatas? (Exemplo: considerar como vendas valores bases de intermediação).Análise Vertical e Horizontal e Avaliação Geral Avaliação Final A análise de balanço deve também questionar a validade dos números apresentados nas demonstrações contábeis. Deve haver segurança em todos os dados. depósitos em juízo. . Por exemplo: a) Foram feitas todas as provisões retificadoras para estoques obsoletos. com preço de custo maior que o mercado ? b) Foram feitas todas as provisões para perdas prováveis com investimentos.

• Avaliação de cada um dos indicadores. • O analista deve assumir alguns parâmetros e buscar dizer se a empresa está bem ou não. . como no conjunto deles.Análise Vertical e Horizontal e Avaliação Geral • A análise dos indicadores financeiros deve considerar todos os aspectos conjuntamente.

Análise Vertical e Horizontal e Avaliação Geral Deve verificar entre outras coisas: a) b) c) d) e) f) g) h) i) Os índices de liquidez estão bons ou não? O endividamento é aceitável? O giro do ativo está melhorando? Os prazos médios de recebimento e pagamento são normais? Os prazos médios de estocagem são aceitáveis para o setor? Não há excesso de estoques de forma crônica? O lucro gerado apresenta um grau de segurança para pagamento do serviço da dívida (juros dos financiamentos)? A rentabilidade do capital próprio está dentro da média do custo de oportunidade do mercado? Os dividendos distribuídos satisfarão aos acionistas e promoverão maior valor da empresa? A análise geral indica empresa em crescimento e potencial de geração de lucros? .

com margem de lucro operacional e líquida em queda no último exercício.Análise Vertical e Horizontal e Avaliação Geral Exemplo de avaliação . No geral. estrutura de capital dentro de limite de participação de capital de terceiros. . uma avaliação de satisfatória para boa.Resumo e Conclusão Empresa com boa situação financeira. mas passível de correção. mostrando alguma preocupação na geração futura de lucro e caixa.

.

por meio de um modelo. Projeções e Simulações Orçamento: Expressão formal de planos de curto prazo (1 ano). As peças orçamentárias devem descer ao menor nível de decisão da empresa. Projeções: Mensuração econômica das previsões.Orçamento. Obedece à estrutura informacional contábil. baseado nas estruturas empresariais existentes e/ ou já programadas. planos e orçamentos. Após criado o modelo. Simulações: Técnica matemática (computacional) para imitar um processo ou operação do mundo real. onde há custos ou receitas controláveis. pode-se simular mais de uma alternativa. .

mas passíveis de serem cumpridos. Objetivos e Princípios a) Envolvimento dos gerentes: os gerentes devem participar ativamente dos processos de planejamento e controle. o sistema deve permitir correções. revisões de valores e planos. f) Reconhecimento dos esforços individuais e de grupos: o sistema orçamentário é um dos principais instrumentos de avaliação de desempenho. o processo de tomada de decisões e a estrutura organizacional. d) Expectativas realísticas: para que o sistema seja motivador. e não nos planos em si. deve apresentar objetivos que sejam desafiadores. O valor do sistema está no processo de produzir os planos. ajustes. Assim.Definição. c) Comunicação integral: compatibilização entre o sistema de informações. etc. para obtermos o seu comprometimento. b) Orientação para objetivos: o orçamento deve se direcionar para que os objetivos da empresa sejam atingidos eficiente e eficazmente. e) Aplicação Flexível: o sistema orçamentário não é um instrumento de dominação. .

de tal forma que os objetivos da organização como um todo sejam confrontados com os objetivos de suas partes.Vantagens do Planejamento e Controle de Resultados ♦ A orçamentação compele os administradores a pensar à frente pela formalização de suas responsabilidades para planejamento. . ♦ A orçamentação fornece expectativas definidas que representam a melhor estrutura para julgamento de desempenho subsequente. ♦ A orçamentação ajuda os administradores na coordenação de seus esforços.

Orçamento e Plano Financeiro: da estratégia à execução Planejamento Estratégico Construção de Cenários Premissas Orçamentárias Controle Orçamentário Orçamento Real x Orçado Análise do Ambiente Ajustes .

Esquema Geral do Plano Orçamentário
Orçamento
de Vendas

Orçamento
de Produção
Orçame nto de
Orçamento

Estoques

Operacional

Orçame nto de
Consumo de
Materiais

Orçamento
de Compras
Orçame nto de
Custo dos
Produtos
Orçamento

Vendidos

de Despe sas
Departame ntais

Orçame nto de
Depreciação

Projeção da

dos Novos

Demonstração de

Investimentos

Resultados

Orçamento de

Projeção dos

Investimentos e

Orçamento

Orçamento

Financiame ntos

de Despe sas

de Re ce itas

Financeiras

Financeiras

Demonstrativos
Contábe is
Projeção do
Balanço
Patrimonial

Orçame nto de
Orçamento de

Depreciação

Orçame nto de

Orçame nto de

Inve stime ntos

dos Novos

Financiamentos

Caixa

Investimentos

CENÁRIOS
Variáveis Macroeconômicas
PIB - Mundial - Variação
PIB - EUA - Variação
PIB - Zona do Euro - Variação
PIB -China - Variação
PIB - Emergentes - Variação
PIB - Brasil - Variação
Dívida Externa -Variação
Reservas Internacionais - US$ bilhões
Déficit Público - % do PIB
Balanço de pagamentos - US$ bilhões
Juros Nominais - Selic - Fim do ano
Taxa de Câmbio - Variação
Taxas de Câmbio - Fim do Ano
Inflação anual - IPCA %
Inflação anual - IGPM %
População Brasileira - pessoas
População Brasileira -Crescimento esperado
Renda per capita anual - R$
Crescimento geral do crédito
Crescimento do setor - nominal
Crescimento da empresa - nominal
Crescimento da Unidade de Negócio 1
Crescimento da Unidade de Negócio 2

Dado
3,30%
2,50%
2,20%
8,00%
4,50%
3,00%
-2,00%
US$ 250
4,00%
US$ -25
7,50%
3,50%
R$ 2,00
4,50%
5,60%
201 milhões
1,10%
R$ 23.000
15,00%
12,00%
14,00%
16,00%
13,00%

Premissas orçamentárias gerais
Programa de produção - unidades/ano
Número de funcionários
Encargos Sociais previstos
Encargos Sociais espontâneos a serem alterados
Horas extras máximas
Aumentos salariais - data base
Aumentos de mérito - % mensal
Taxa de câmbio - %
Taxa de US$ - inicial
Taxa de US$ - final
Inflação anual do país - %
Aumentos previstos nos preços de venda - %
Inflação interna da empresa - %
TJLP - Empréstimos Bndes
Taxa de juros média - financiamentos estrangeiros
Taxa de juros média - financiamentos nacionais
Investimentos necessários - teto
Política de contas a receber
Política de contas a pagar
Política de estoque de materiais
Política de estoque de produtos acabados
Política de dividendos / juros sobre o capital próprio

200.000
4.500
92%
2,0%
5,0%
0,5%
7,1%
R$ 2,10
R$ 2,25
5,0%
4,0%
4,5%
5,5%
3,5%
12,0%
R$ 1.600.000,00
50
25
60
20
92%

+ câmbio

dias
dias
dias
dias
do lucro líquido

000 36.000 154.000 151.000 80.000 550.000 57 228.Mercadoria U Quantidade Preço Unitário Total Imobilizado 4.900 Receitas Financeiras Variação Monetária Juros 16.000) 230.Mercadoria U Quantidade Preço Unitário Total Imobilizado $ FLUXO DE CAIXA 40 60 Total PASSIVO Fornecedores Salários / Despesas a pagar Financiamentos Imposto sobre o lucro Coluna 4 56.424.000.000 1.900 110.000 Prazos Coluna 3 Médios Balanço Em dias Final ATIVO Disponibilidades Clientes Estoque .920.530 704.000 Despesas Financeiras Variação Monetária Juros 119.530 528.200 Preço Unitário 70 Total 154.000 100.000 120.400 70 308.530 25 15 195.258.000 9.000 75.000 960 1.530 2.060 10.000 0 Coluna 2 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS RECEITAS DE VENDAS CUSTO DAS MERCADORIAS VENDIDAS Compras Quantidade 2.600 Preço Unitário 90 Total 234.000 175.000 44.000 1.000 16.190.20 181 .000 Total 2.000 36.000 612.000 436.000 4.000 Total 1.000 1.000 200.258.000 PASSIVO Fornecedores Salários / Despesas a pagar Financiamentos Imposto sobre o lucro Patrimônio Líquido Total 80.530 141.150.000 Consumo Quantidade 2.000 Saldo Inicial de Disponiblidades Recebimento de Vendas Receitas Financeiras Pagamentos Fornecedores Salários / Despesas Amortização Financiamento 80.000 LUCRO BRUTO Salários e Despesas Depreciação 374.00 1.960 16.900 Saldo Final de Disponibilidades 56.530 (30.920.000 Saldo de Correção Monetária Correção do Patrimônio Líquido Correção do Imobilizado LUCRO OPERACIONAL Imposto sobre o lucro LUCRO LÍQUIDO Valor das UMC Inicial Final 528.960 159.000 1.Demonstrativos Contábeis Projetados Coluna 1 Balanço Inicial ATIVO Disponibilidades Clientes Estoque .000 Patrimônio Líquido 1.

R$ Discriminação Receita /Despesa Centro de Custo Real Orçado Variação ATÉ O MÊS .Relatórios de Controle Orçamentário DO MÊS .R$ % Real Orçado Variação % Dados Anuais Real + Variação Orçado Orçado % .

CUSTOS Cenários Acompanhamento do Negócio Sistema Orçamentário Contabilidade por Unidade de Negócios Gestão de Riscos Compliance CONTABILIDADE SOCIETÁRIA CONTROLADORIA ESTRATÉGICA 183 .

coop.unimed.br (019) 9 8137 5158 www.Obrigado! Clóvis Luís Padoveze cpadoveze@yahoo.com.br/parana .