Você está na página 1de 6

Lista 1 de Microeconomia I

Professor: Carlos E.L. da Costa
Monitor: Vitor Farinha

Algumas Preliminares Matemáticas
Nas próximas páginas apresentam-se alguns conceitos matemáticos e teoremas que serão úteis ao curso de
Micro I. Como o objetivo aqui é apresentar rapidamente alguns instrumentos que serão estudados mais
profundamente nos cursos de Análise, omitem-se as principais provas. Algumas boas referências sobre os
assuntos aqui abordados são:
1. MWG, Apêndice Matemático.
2. Lima, Elon. Análise Real, vols. 1 e 2.
3. Simon e Blume. Matemática para economistas.
4. http://mathworld.wolfram.com/
5. Sundaram, Rangarajan. A First Course in Optimization Theory.
6. Cysne e Moreira. Matemática para economistas.

Norma Euclidiana
Tipicamente estaremos trabalhando no espaço euclidiano Rn , munido da norma euclidiana usual
De…nição 1 Seja x = (x1 ; :::; xn )

Rn , a norma euclidiana é a função k:k : Rn ! R dada por
!1=2
n
X
2
xi
kxk =
i=1

Que de…ne também a noção de distância (métrica) usual desse espaço, sendo a distância entre os pontos
x e y dada por d(x; y) = kx yk. Que atende a conhecida "desigualdade triangular" (essa desigualdade é,
na verdade, parte da própria de…nição de norma),
kx

yk + ky

zk

kx

zk :

Bolas Abertas, Conjuntos Abertos e Conjuntos Fechados
De…nição 2 Uma bola aberta com centro no ponto x e raio r é dada por
B(x; r) = fy 2 Rn jd(x; y) < rg:
Ou seja, B(x,r) é o conjunto de todos os pontos do Rn que distam de x em estritamente menos que r. Se
substituímos a desiguldade estrita(<) pela desigualdade fraca( );então temos a bola fechada B(x,r)
De…nição 3 O conjunto S no Rn é dito aberto se, para todo ponto x 2 S; existe r tal que B(x; r)
S:Intuitivamente, todo o ponto de um conjunto aberto está em seu interior, sendo possível deslocar-se
pequenas distâncias em qualquer direção sem que deixemos o conjunto S.
De…nição 4 O conjunto S no Rn é dito fechado se seu complementar é aberto. O teorema abaixo torna
possível uma de…nição alternativa, possivelmente mais clara, usando a noção de seqüências convergentes.
Teorema 1 Um conjunto S Rn é fechado se, e somente se, para toda seqüência {xk g tal que xk 2 S para
todo k e xk ! x, tem se que x 2 S:
Ou seja, o limite de qualquer seqüência convergente formada por pontos em S também é um ponto de S.

1

r): Combinações Convexas e Conjuntos Convexos Dada qualquer coleção …nita de pontos x1 . :::. Uma função f:X! R é côncava se -f é convexa. um ponto z 2 Rn é dito umaP combinação convexa m dosPpontos (x1 . Continuidade De…nição 8 Tome f : S ! T.é de…nido como Lf (a) = fx 2 Djf (x) ag: A função f é dita quase-côncava se Uf (a) é convexo para todo a. z2 2 D. y) < . existe > 0 tal que ao tomar-se y 2 S com d(x. x2 . :::. f : S ! T é contínua em x se para todas as seqüências fxk g com xk 2 S para todo k e limk!1 xk = x tem-se limk!1 f (xk ) = f (x): Intuitivamente. tal que m z= i=1 i xi : De…nição 7 Um conjunto S Rn é dito convexo se qualquer combinação convexa de quaisquer dois pontos de S também está em S. i = 1. xm 2 Rn . Ou seja. em que S Rn e T Rl :Então.e.y 2 X tivermos Rn um conjunto convexo. :::. exitem pontos z1 . 1] e x. i. é dita estritemente convexa se o sinal da desigualdade for estrito (< ao invés de ). 2 . 1] )f (y): Analogamente. tais que f (z1 ) f (x) f (z2 ) 8x 2 D Convexidade e Quase-Convexidade De…nição 9 Seja X e x. f é contínua em x se. De…nição 10 Seja X Rn um conjunto convexo. m e (ii) i=1 i = 1. é dita quase-convexa se Lf (a) é convexo para todo a. Então f atinge um máximo e um mínimo em D. Ou seja. valerá d(f (x). f é dita contínua em x2 Rn se para todo " > 0. Teorema 2 (Weierstrass) Tome D Rn compacto e f : D ! R uma função contínua em D. De…nição 11 Sejam D Rn um conjunto convexo e f : D ! R:O conjunto de contorno superior de f em a. denotado por C+ a ou Uf (a). é de…nido como Uf (a) = fx 2 Djf (x) ag: O conjunto de contorno inferior de f em a. f (y)) < ": Em termos de seqüências. B(0. Analogamente. por sua vez.. ao nos aproximarmos deste ponto. 2. se qualquer linha reta que liga dois pontos de S estiver completamente contida nele.y 2 X tivermos f ( x + (1 )y) f (x) + (1 )f (y):Analogamente.Conjuntos limitados e conjuntos compactos De…nição 5 Um conjunto S Rn é dito limitado se existe r>0 tal que S De…nição 6 Um conjunto S Rn é dito compacto se é limitado e fechado. é dita estritemente côncava se o sinal da desigualdade for estrito. xm ) se existe 2 Rm satisfazendo (i) i 0. Uma função f : X ! R é convexa se para todo f ( x + (1 )y) f (x) + (1 2 [0.f : X ! Ré côncava se para todo 2 [0. Uma função é dita contínua se é contínua em todos os pontos de seu domínio. obtivermos aproximações sucessivamente melhores para o valor de f(x). denotado por Ca ou Lf (a).

e somente se. para todo x.Figure 1: Curvas de nível e conjuntos de contorno de uma função quase-côncava. 1). f (y)g: Os grá…cos a seguir. para todo x. vale f [ x + (1 )y] minff (x). Homogeneidade e Homoteticidade De…nição 12 Uma função é dita homogênea de grau k se: f (tx) = tk f (x) para todo t>0.y2 D e para todo 2 (0. uma apenas quase-côncava e uma que não apresenta globalmente nenhum dos comportamentos citados. retirados de http://are. vale maxff (x). e somente se. Figure 2: Uma função côncava. 1). suas derivadas parciais são homogêneas de grau k-1. f (y)g: A função f é quase-convexa em D se. Teorema 3 A função f:D! R é quase-côncava em D se. porém não côncava.edu/courses/ARE211/currentYear/lecture_notes/mathGraphical305. 3 .y 2 D e para todo f [ x + (1 )y] 2 (0.berkeley.pdf. Teorema 4 Seja f:D! R uma função C1 de…nida em um cone aberto do Rn : Se f é homogênea de grau k. ajudam a melhor compreender os conceitos de concavidade e quase-concavidade.

são relevantes dois objetos: 1. para todo z 2 Rn :Se a desigualdade é estrita para todo z 6= 0. ) (V ( ) = f (y. temos X @f (x) :xn = kf (x) @xn n ou.. obtemos os conceitos de matriz positiva semi-de…nida e de…nida). De maneira semelhante à prova anterior. Por hipótese temos: f (tx) = tk f (x): Diferenciando em relação a x obtemos: rf (tx)t = tk rf (x) ) rf (tx) = tk 1 rf (x) Homogeneidade de grau 1 Teorema 5 (Fórmula de Euler) Suponha f(x) homogênea de grau k e diferenciável. f (tx) = tk f (x) em relação a t. Note que a família das curvas de nível de L(f (:)) é a mesma que a família das curvas de nível de f (:). então M é negativa de…nida(inverterndo as desigualdades.. agora diferenciamos a de…nição. Teorema 6 A função f : D ! R de classe C 2 é côncava se e somente se a hessiana de f(. em notação matricial. Se a hessiana é negativa de…nida para todo x 2 D. ) (se o problema tem múltiplas soluções. Então. então a função é estritamente côncava (observe que a volta não vale). max sa restrições 2 f (x.K No estudo de problemas como este. ) = bk k=1.Proof. O conjunto solução x ( ) = arg que dá a(s) solução(ões) para cada parâmetro é um conjunto com diversos elementos). tem-se: rf (x) x = kf (x) Se uma função f (:) homogênea é transformada por uma função crescente de uma única variável L(:).) (matriz de segundas derivadas) é negativa semi-de…nida para todo x 2 D. ) para todo y2 x ( )): . Matrizes Semi-De…nidas e De…nidas De…nição 13 A matriz MnXn é dita negativa semi-de…nida se z0M z 0. então x ( ) 2. obtendo rf (tx) x = ktk 1 f (x) Avaliando em t=1. Otimização com restrições de igualdade Considere o seguinte problema: max f (x) x2Rn sa gk (x.. A função valor V( )= max sa restrições que dá o valor da função para cada parâmetro 2 4 f (x. para qualquer x.. a resultante L(f (x)) é dita homotética. rf (x):x = k:f (x) Proof.

s @V@ (i ) = ciado a x (^): f (x (^). i) O conjunto A f(x.) é diferenciável em A.^) k i . 1. :::.y)=min{ax. Exercícios da Lista 1 Exercício 1 Responda verdadeiro ou falso. Para i=1. h)A interseção de 2 conjuntos abertos é um conjunto aberto.Teorema 7 (Teorema de Lagrange) Sejam f : Rn ! R e gk : Rn ! R funções de classe C 1 . V(. K) 2 k=1 Teorema 8 (Teorema do Envelope) Considere o problema de maximização proposto no início desta seção e suponha que (i) f(). j)O conjunto A f(x. ^ 2. c) A soma de duas funções côncavas é côncava. Seja g : R ! R estritamente crescente..g1 (). e) A interseção de 2 conjuntos convexos é um conjunto convexo. 5 . Exercício 3 Mostre que a função f(x. Exercício 2 Mostre a equivalência das duas de…nições de quase-concavidade.. então f 0 (x) > 0 para todo x 2 R: g) A união de 2 conjuntos abertos é um conjunto aberto. Kg em que U Rn é aberto. existe um vetor RK tal que K X Df (x ) + k Dgk (x ) = 0: =( 1 . justi…cando: a) Toda função côncava é quase-côncava. :::. k = 1. y) : x2 + y 2 = 1gé um conjunto convexo. y) : x2 + y 2 1gé um conjunto convexo. em que é o multiplicador de Lagrange asso- Simpli…cando. f) Seja f : R ! R diferenciável e estritamente crescente. este teorema nos diz que não é necessário observar os efeitos indiretos da variação dos parâmetros sobre a variação da função valor.. b) Toda função quase-côncava é côncava. d) A união de 2 conjuntos convexos é um conjunto convexo.b>0 Exercício 4 Seja f : Rn+ ! R uma função côncava. Exercício 5 Mostre que a inclinação das curvas de nível de uma função homotética não muda ao longo de um raio que parte da origem. Mostre que h(x) = g(f (x)) é uma função quase-côncava. podendo-se derivá-la diretamente no ótimo. :::..by} é quase-côncava se a. k = 1.^) i PK k=1 g(x (^). ) e (ii)x é diferenciável em uma vizinhança A de ^:Então. :::. K:Suponha que x seja um máximo ou mínimo local de f no conjunto D = U \ fxjgk (x) = bk . Suponha também que (Dg(x )) = K: Então. gK () são continuamente diferenciáveis em (x.

: x) : é assimétrica se 8x. c) Mostre que as preferências lexicográ…cas não são contínuas. 6 é as- X convexo. % é completa. x x1 = y1 e x2 y2 : y se x1 > y1 ou se a) Mostre que a relação binária acima é uma relação de preferências racional. Exercício 9 A ordenação lexicográ…ca para X = R2+ é de…nida por: x. y 2 R2+ . mas não são necessariamente completas. sobre X. y) = maxU (x) sa y = p x Mostre que @V =@y = . e somente se. y) . Então prove que Obs.Exercício 6 Considere um problema de…nido por: V (p. Exercício 7 Considere as relações de preferências racional e são transitivas. d) Por que esta relação de preferências não é muito interessante do ponto de vista econômico? Exercício 10 Seja a relação de…nida a partir de % por ~ (x simétrica se. para qualquer cojunto C conjunto C 0 = fx 2 Cjx % y. b)Mostre que as preferências lexicográ…cas são monótonas estritas. o . y 2 X temos que ~ (x y) ou ~ (y Exercício 11 Prove que. Mostre que as relações binárias ~ Exercício 8 Mostre que se uma relação de preferências satisfaz a propriedade de monotonicidade. y % x. Pode-se a…rmar que não saciedade local implica monotonicidade estrita? Justi…que. então também satisfaz a propriedade de não-saciedade local. em que é o multiplicador de Lagrange associado ao problema de maximização. 8y 2 Cg é vazio ou unitário. se % é racional e estritamente convexa.