Você está na página 1de 29

Universidade do Estado de Santa Catarina

CEO – Centro de Educação Superior do Oeste

Professora:
Kátia Arenhart Hoss
FORMAÇÃO:
Graduação: Ciências Biológicas (2007 - UNICS)
Especialização: Microbiologia (2010 - PUCPR)
Mestrado: Biologia Vegetal (2013 - UFSC)

Universidade do Estado de Santa Catarina
CEO – Centro de Educação Superior do Oeste

OS SERES VIVOS E SUA
CLASSIFICAÇÃO

Disciplina: Botânica I
Professora: Kátia Arenhart Hoss

2013

que é o processo evolutivo que ocorre ao longo de muitas gerações e que produz organismos mais ajustados ao seu meio ambiente.   Seleção natural: O meio ambiente seleciona os mais adaptados.  Especiação: As adaptações que especializarão organismos a nichos ecológicos particulares podem eventualmente resultar na emergência de novas espécies.Mecanismos por meio dos quais a mudança evolutiva se dá  Evolução: É a transformação e a adaptação dos seres vivos ao longo do tempo. Adaptação: A seleção natural resulta em adaptação. ou seja aquele com maior probabilidade de sobreviver e deixar descendentes. È o processo pelo qual a evolução ocorre. .

LAMARCK DARWIN X .

 O grande número de espécies diferentes que hoje compartilham de nossa biosfera são produtos da evolução.Sistemática: O estudo científico da diversidade biológica e de sua história evolutiva.    Estima-se em: 10 milhões de espécies eucarióticas Nº desconhecido de procarióticas .

Origem dos eucariotos    Uma das séries de eventos mais notáveis que ocorreram na evolução da vida na terra foi a transformação de: Células procarióticas relativamente simples:  Em células eucarióticas com organização completa: Células eucarióticas diferem das procarióticas pois são maiores e seu DNA que é muito mais estruturado (linear) está contido dentro do envoltório nuclear. mitocôndrias. os cloroplastos. . Possuem um citoesqueleto interno. e em plantas e algas.

Taxonomia  O sistema moderno de denominação dos seres vivos começou com Carl von Linné Sistema binominal: Gardenia augusta.Sistemática: Um dos seus aspectos importantes é a taxonomia  A identificação. denominação e classificação das espécies. (gênero) (espécie) .

três reinos eram reconhecidos: animais plantas e minerais .No tempo de Lineu.

mais estreitas as relações entre dois organismos quaisquer. As técnicas mais utilizadas são aquelas que determinam a sequência tanto de aminoácidos em proteínas quanto a de nucleotídeos em ácidos nucléicos – sequências que são geneticamente determinadas. a classificação por qualquer metodologia era em grande parte baseada em morfologia e anatomia comparativa. mas a sistemática vegetal foi revolucionada pela aplicação de técnicas moleculares. O número de similaridades e de diferenças entre as sequências de aminoácidos dos diferentes organismos foi então usado para avaliar suas relações filogenéticas: quanto menor o número de diferenças. FIGURA .Sistemática Molecular   Até pouco tempo atrás.

o sistema de classificação reconhece três domínios (De acordo com Raven): .Eucarya:    Fungos Protistas Animais Plantas: Briófitas.Bacteria .Archaea  .Os três domínios de organismos  Utilizando evidências moleculares. Plantas vasculares e Plantas vasculares com semente .

Autótrofo X Heterótrofo .

Domínio Eucariótico: Reino Fungi  Seus membros são:  Unicelulares ou multicelulares absorvedores  Filamentosos  Sésseis  Ausência de plastídeos ou pigmentos fotossintéticos  Absorvem nutrientes de organismos mortos ou vivos  Parede celular de quitina  Ciclo reprodutivo sexuado e assexuado  Estrutura complexa de formação de esporos .

que são autótrofos. tradicionalmente agrupados com os fungos: oomicetos.  Ciclo reprodutivo variado incluindo divisão celular e reprodução sexuada. movimento amebóide ou não ter mobilidade. organismos plasmodiais (filo Myxomycota) e pseudoplasmodiais (filo Dictyomycota). cílios.  Inclui ainda organismos heterótrofos.  Podem locomover-se por meio de flagelos.Domínio Eucariótico: Reino Protista  Seus membros são:  Unicelulares. . Coloniais e Multicelulares simples  Compreende os protozoários heterótrofos e as algas.

Domínio Eucariótico: Reino Animal  Seus membros são:  Multicelulares que ingerem alimentos.  Célula sem parede celular. que excede em muito aquele dos outros reinos.  Nível de organização e diferenciação dos tecidos complexa. plastídio ou pigmentos fotossintéticos.  Nutrição sobretudo por ingestão e digestão em cavidade interna.  Reprodução predominantemente sexuada. .  Mobilidade baseada em fibrilas contráteis.

 Sua principal fonte de nutrição é a fotossíntese Reprodução sobretudo sexuada. Todas são multicelulares e compostas por células eucarióticas que contém vacúolos e são envoltas por paredes celulares constituídas por celulose. a geração haplóide (gametófito) foi reduzida durante o curso da evolução.   .  Nos membros mais avançados. com ciclos de alternância de gerações haplóides e diplóides.Domínio Eucariótico: Reino Plantae  Seus membros são:  Organismos fotossintetizantes adaptados a vida no ambiente terrestre.

Universidade do Estado de Santa Catarina CEO – Centro de Educação Superior do Oeste OS GRUPOS VEGETAIS. CARACTERÍSTICAS E EVOLUÇÃO Disciplina: Botânica I Professora: Kátia Arenhart Hoss 2013 .

Reino Plantae: (Avasculares)   Filo Hepatophyta (hepaticas) Filo Anthocerophyta (antóceros) Filo Bryophyta (musgos)  Plantas vasculares sem sementes   (Pteridófitas)   Plantas vasculares com sementes     Filo Lycopodiophyta (licófitas) Filo Pteridophyta (samambaias. psilotos e cavalinhas) Gimnospermas  Briófitas  Filo Cycadophyta (cicas) Filo Ginkgophyta (ginkgo) Filo Gnetophyta (gnetófitas) Filo Coniferophyta (coníferas) Filo Magnoliophyta (Angiospermas) .

Tecidos vasculares .

Esse tipo de ciclo de vida. . Em vez de funcionar como gametas. conhecido como alternância de gerações é típico das plantas e de muitas algas. esses esporos passam por divisão mitótica.  ESPORÓFITO: É o indivíduo diplóide que forma esporos. Esses zigotos por sua vez. que formam gametas. Isso dará origem a indivíduos multicelulares haplóides (gametófitos).   GAMETÓFITO: São os indivíduos haplóides.Reino Plantae: Alternância de gerações O esporófito produz esporos haploides como resultado da meiose. se diferenciam em indivíduos diplóides. que ao fim produzem gametas que se fundem para formar zigotos diplóides.

a parede das células condutoras não é lignificada como nas plantas vasculares. Diferentemente das plantas vasculares. ligado ao gametófito e nutricionalmente dependente dele.Reino Plantae: Briófitas  São plantas pequenas. produzindo dessa forma. as briófitas são muito sensíveis á poluição do ar.         como desertos. podendo ser encontrados também em locais secos.  Em geral crescem em locais úmidos. que estão presentes nas plantas vasculares. formando tapetes sobre rochas expostas. . Embora algumas briófitas apresentem tecidos condutores especializados. São dependentes da água para a reprodução. Assim como os líquens. Evidências crescentes indicam que as primeiras plantas eram muito semelhantes ás briófitas modernas. que estão adaptadas a viver no ambiente terrestre. As briófitas são uma transição entre as algas verdes e as plantas vasculares. O esporófito não é ramificado e apresenta apenas um único esporângio. o gametófito das briófitas em geral é maior. possibilitanto ao anterozóide móvel nadar até a oosfera. folhosas ou talosas. muito menos esporos. enquanto o esporófito é menor. geralmente estão ausentes ou representadas apenas por poucas espécies em áreas bastante poluídas. Briófitas atuais não apresentam tecidos de condução de água e de alimento chamados xilema e floema.

ao chegar próximo a um arquegônio. O zigoto se divide mitóticamente. O esporófito consiste em uma cápsula (esporângio). são quimicamente atraídos para o canal do colo. O esporo haplóide germina formando um protonema filamentoso ramificado. formando o esporófito. Ao mesmo tempo. é eliminada. Dentro do arquegônio. um dos anterozóides se funde a oosfera. produzindo o zigoto. Os anterozóides são liberados do anterídio maduro e. resultando na formação de esporos haplóides.Ciclo de vida de uma Briófita: musgo Os esporos são liberados de uma cápsula que se abre quando uma pequena tampa. que geralmente é elevada por uma seta e um pé através do qual o esporófito recebe alimento do gametófito. o opérculo. o ventre do arquegônio se dilata formando a caliptra. a partir do qual o gametófito folhoso se desenvolve. . A meiose ocorre dentro da cápsula.

crescendo em ambiente terrestre. é caracterizado por não possuir flores. A reprodução ocorre através da formação de esporângios. que é incorporada ás paredes das células de sustentação e das células condutoras de água. ou em folhas modificadas. A capacidade de sintetizar lignina. originam pequenas estruturas talosas denominadas prótalos. que são os gametófitos. solucionou o problema de transporte de água e dos alimentos na planta. produzem e eliminam esporos. Representada em sua maioria por samambaias e avencas. São dependentes da água para a fecundação. uma vez que neles irão se formar os gametas. o embrião irá se desenvolver formando uma nova planta adulta: o esporófito. . um sério problema para qualquer organismo grande. os quais germinando.Reino Plantae: Pteridófita  O aparecimento de um sistema condutor de fluidos eficiente. consistindo       em floema e xilema. Os esporângios quando maduros. também foi um passo fundamental para a evolução das plantas. estruturas geralmente localizadas na face abaxial (inferior) das folhas. Ocorrendo fecundação.

Ciclo de vida de uma Pteridófita: samambaia .

os demais tecidos que formam o óvulo igualmente sofrem transformações constituindo-se na semente. ou em plantas diferentes (plantas dióicas). . formados por folhas modificadas. em cuja base se formam os pequenos sacos polínicos (microsporângios). também. liberam os grãos de pólen. A medida que o embrião se desenvolve. que produzem os óvulos ou macrosporângios. a micrópila. Cada óvulo possui uma pequena abertura. durante a polinização. arbóreas ou arbustivas quase sempre com folhas curtas e rígidas. escamiformes. que são transportados pelo vento até os cones femininos. Anatomicamente. em forma de agulhas. Os cones femininos são muito maiores que os cones masculinos e. alados.Reino Plantae: Gimnosperma           Uma das mais espetaculares inovações que surgiram durante a evolução das plantas vasculares foi a semente. A fecundação pode demorar até 12 ou 15 meses após a polinização e resulta em um embrião. na qual ira se aderir e penetrar o grão de pólen. Os microsporângios e macrosporângios encontram-se reunidos em cones separados (plantas monoicas). Gimnosperrma = semente nua São plantas lenhosas. escamosas (macrosporófilos). diferentes dos elementos de vaso que ocorrem nas Magnoliophytas. os microsporângios se abrem. Os cones masculinos são relativamente pequenos e formados por ínúmeras folhas modificadas. o caule das gimnospermas apresenta os elementos de condução denominados traqueídes. Quando maduros. denominadas microsporófilos. A reprodução destas plantas é feita através das estruturas denominadas microsporângios (grãos de pólen) e macrosporângios (óvulos).

Ciclo de vida de uma Conífera: Pinus .

uma série de modificações ocorrerá. e o outro se une a dois núcleos polares presentes no óvulo formando um tecido triplóide que se denomina endosperma. formando-se a semente – embrião mais endosperma e demais envoltórios do óvulo. e o fruto – desenvolvimento das demais partes do óvário. Nas angiospermas assim como nas gimnospermas há uma redução progeressiva do gametófito.Reino Plantae: Angiosperma  Plantas com flores. o gametófito feminino é o saco embrionário do óvulo protegido dentro do ovário. formando o embrião diplóide. formado na antera. com a função de nutrir o embrião. o grão de pólen germina. Após a fecundação. e o gametófito masculino é o grão de pólen. prolongando-se até o óvulo e liberando os dois núcleos espermáticos: um deles fecunda a oosfera do óvulo. que podem se apresentar isoladas ou     reunidas em inflorescências. Após a polinização. Nas angiospermas. A dupla fecundação é característica exclusiva das angiospermas. representam a maior parte das plantas atuais  Sua principal característica são as flores. de modo que ele se constitui de pequenas estruturas totalmente protegidas e dependentes do esporófito. O grão de pólen carrega no seu interior dois núcleos espermáticos. .

Ciclo de vida de uma Angiosperma: Soja .

Grupos Vegetais e suas novidades evolutivas:  Briófitas Não possuem tecidos condutores Ex: Musgos  Pteridófitas Surgimentos dos tecidos condutores Ex: Samambaia  Angiosperma Surgimento de flores e frutos Ex: Canela  Gimnospermas Surgimento de sementes Ex: Araucária .

830 p. 2ª ed. Zenilda L. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. Eduardo Gomes. Porto Alegre: Artmed. Harri. 489 p.BIBLIOGRAFIA CONSULTADA  RAVEN. Nova Odessa: Instituto Plantarum de Estudos da Flora.  GONÇALVES. 2ª ed. Biologia Biologia/EAD/UFSC. Morfologia vegetal: organografia e dicionários ilustrado de morfologia das plantas vasculares. 10ª ed. 2007. 2010. 2000. EICHHORN. Celular.  NULTSCH. Wilhelm. 2011. rev. Susan E. LORENZI. Biologia vegetal.  BOUZON. EVERT. e atual. Botânica geral. 7ª ed. Ray Franklin. 238 p. Florianópolis: . Peter H.