Você está na página 1de 92

1

º

período

LETRAS ESPANHOL

Introdução
à EAD
Adriana da Silva Chaves
Alysson Frederico Gonçalves Santos
Betânia Maria Araújo Passos
Daniel Mill
Maria Alba Guedes Torres
Maria Ângela Lopes Dumont Macedo
Maria Aparecida Pereira Queiroz
Thiago Mendes Borges
Zilmar Santos Cardoso

Daniel Mill
Maria Alba Guedes Torres

Educação a Distância: Um
Guia para o Estudante
Virtual

Montes Claros/MG - 2013

Unimontes Prof. EDITORA UNIMONTES Campus Universitário Professor Darcy Ribeiro s/n . Hercílio Mertelli – Odontologia.Telefone: (38) 3229-8214 . Lafetá de Almeida Viviane Margareth Chaves Pereira Reis DIRETOR DE DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÕES Humberto Velloso Reis EDITORA UNIMONTES Conselho Editorial Prof.Montes Claros (MG) Caixa Postal: 126 . Os infratores serão processados na forma da lei. Prof. Antônio Alvimar Souza .401-089 Correio eletrônico: editora@unimontes. Letras – Unimontes. Profª Maisa Tavares de Souza Leite. Prof. UFG Prof. Fernando Verdú Pascoal. Profª Rita de Cássia Silva Dionísio.Unimontes Ficha Catalográfica: 2013 Proibida a reprodução total ou parcial. Prof. Unimontes.br .UNIMONTES REITOR João dos Reis Canela REVISÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA Carla Roselma Athayde Moraes Maria Cristina Ruas de Abreu Maia Waneuza Soares Eulálio VICE-REITORA Maria Ivete Soares de Almeida REVISÃO TÉCNICA Gisléia de Cássia Oliveira Karen Torres C.Vila Mauricéia . UFOP. Prof. José Geraldo de Freitas Drumond – Unimontes. Valencia – Espanha. Manuel Sarmento – Minho – Portugal. Humberto Guido – Filosofia. Profª Siomara A. Chile. Luis Jobim – UERJ. Prof.Copyright ©: Universidade Estadual de Montes Claros UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS . Prof. Fernando Lolas Stepke. Silvio Guimarães – Medicina. Unimontes. UFU. Silva – Educação Física. – Univ. Enfermagem – Unimontes.CEP: 39. Profª Maria Geralda Almeida. DESIGN EDITORIAL E CONTROLE DE PRODUÇÃO DE CONTEÚDO Andréia Santos Dias Camilla Maria Silva Rodrigues Fernando Guilherme Veloso Queiroz Magda Lima de Oliveira Sanzio Mendonça Henriiques Sônia Maria Oliveira Wendell Brito Mineiro Zilmar Santos Cardoso Catalogação: Biblioteca Central Professor Antônio Jorge .

Tecnologia e Ensino Superior Nárcio Rodrigues Reitor da Universidade Estadual de Montes Claros .Ministro da Educação Aloizio Mercadante Oliva Coordenadora Adjunta da UAB/Unimontes Betânia Maria Araújo Passos Presidente Geral da CAPES Jorge Almeida Guimarães Diretora do Centro de Ciências Biológicas da Saúde .CCBS/ Unimontes Maria das Mercês Borem Correa Machado Diretor de Educação a Distância da CAPES João Carlos Teatini de Souza Clímaco Governador do Estado de Minas Gerais Antônio Augusto Junho Anastasia Vice-Governador do Estado de Minas Gerais Alberto Pinto Coelho Júnior Secretário de Estado de Ciência.CCSA/Unimontes Paulo Cesar Mendes Barbosa Chefe do Departamento de Comunicação e Letras/Unimontes Sandra Ramos de Oliveira Chefe do Departamento de Educação/Unimontes Andréa Lafetá de Melo Franco Chefe do Departamento de Educação Física/Unimontes Rogério Othon Teixeira Alves Vice-Reitora da Universidade Estadual de Montes Claros Unimontes Maria Ivete Soares de Almeida Chefe do Departamento de Filosofia/Unimontes Angela Cristina Borges Pró-Reitor de Ensino/Unimontes João Felício Rodrigues Neto Chefe do Departamento de Geociências/Unimontes Antônio Maurílio Alencar Feitosa Diretor do Centro de Educação a Distância/Unimontes Jânio Marques Dias Chefe do Departamento de História/Unimontes Donizette Lima do Nascimento Coordenadora da UAB/Unimontes Maria Ângela Lopes Dumont Macedo Chefe do Departamento de Política e Ciências Sociais/Unimontes Isabel Cristina Barbosa de Brito .CCH/Unimontes Antônio Wagner Veloso Rocha Diretor do Centro de Ciências Sociais Aplicadas .Unimontes João dos Reis Canela Diretor do Centro de Ciências Humanas .

fracasso escolar. atuando principalmente nos seguintes temas: jogos. alfabetização. Atualmente é subcoordenadora do Curso de Pedagogia e professora da Universidade do Estado de Minas Gerais (FAE-UEMG). Suas pesquisas e publicações têm como foco o tema “Trabalho. Tecnologia e Sociedade. onde trabalha como docente e gestor de Educação a Distância (EaD). docente. Tecnologia e Educação a Distância”. Maria Alba Guedes Torres Pedagoga (UFV). exclusão. Recentemente organizou os livros “Educação a distância: desafios contemporâneos” e “Polidocência na educação a distância: múltiplos enfoques”. especialista em Educação Ambiental (CEPEMG) e mestre em Educação pela Universidade Federal de Viçosa. reforma educacional. racismo e educação e trabalho.Autores Daniel Mill Pedagogo (UFV). Tecnologia e Educação (UFMG). Participa como líder do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Educação a Distância (UFSCar) e membro do Grupo de Pesquisa sobre Trabalho. . é membro do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência. É membro do colegiado do Curso de Pedagogia da UEMG e representante dos professores da FAE no Conselho Curador dessa instituição. É pesquisadora do Grupo de Estudos sobre Direito. Linguagens/Cognição e Docência na EaD. com especial atenção aos desdobramentos. Foi professora do Ensino Fundamental por mais de duas décadas. para a Gestão. Pós-Doutor com estudos sobre a Gestão Estratégica na Educação a Distância (Universidade Aberta de Portugal) e Professor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). numa perspectiva macroscópica. Doutor em Educação (UFMG). Economia e Filosofia da PUCMINAS. ações afirmativas. matemática. Na UFSCar.

. . . . . . . . . . . . 27 3. . . . . . . . . . . . . . . . 11 1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9 Unidade 1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 Noções introdutórias sobre a Educação a Distância Contemporânea . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28 3. . . .1 Considerações iniciais: uma introdução sobre letramento . . . . . . . . . . .2 Blocos de conhecimentos para letramento básico: uma proposta em minicursos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16 1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 Uma breve consideração final . . . . . . . . 19 2. . . .3 Interação e comunicação como centro da postura desejada dos estudantes da EaD . . .3 Considerações finais . . . . . . . . . . . . . . 15 1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 1. . . . . . 17 Unidade 2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19 2. . . . 27 Proposta simplificada de formação para o letramento digital: saberes técnicos de base para a construção do conhecimento na EaD . . . . . . 26 Unidade 3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .4 Planejamento e organização pessoal discente para estudos em EaD . . . . 27 3.1 Introdução: sobre a proposta de letramento digital na EaD da Unimontes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19 2. . . . . . . . . . . . . . . 31 Referências . . . . . . . . . . .2 Conhecendo um pouco mais a modalidade de Educação a Distância: para além do preconceito . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .Sumário Apresentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5 Considerações finais . . . . . . . . . . . . . . . 19 Letramento digital e sua influência na aprendizagem no âmbito da Educação a Distância . . . . . 11 1. . . . . . . . . .2 Sobre letramento digital para a educação a distância . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 Introdução: questões de base sobre a Educação a Distância .

.

Ao final. boa leitura e boas reflexões!!! Os autores! 9 . Esse entendimento mais geral da EaD estará em pauta nas próximas páginas deste texto. promoveremos uma discussão partindo da contextualização do cenário favorável à modalidade de EaD. na terceira unidade. para realizar um bom curso de EaD? Esta e outras tantas perguntas sobre a EaD são básicas e elementares. aqueles que estão começando seus estudos pela EaD precisam compreender melhor a modalidade em suas particularidades. No início de um curso de Educação a Distância (EaD). principalmente para quem estuda nesta modalidade. Enfim. que é um assunto de suma importância quando a instituição oferece cursos com apoio da internet ou outras tecnologias digitais. A segunda voltada para o processo de letramento digital dos estudantes. Organizamos essa discussão em três unidades. esperamos promover reflexões sobre o assunto e desejamos bons estudos a todas e todos.Letras Espanhol . é imprescindível que os envolvidos conheçam bem as particularidades de um curso pela EaD e da modalidade como um todo. sendo a primeira dedicada a questões de base sobre EaD e sobre como o estudante deve se organizar para estudar pela modalidade de EaD. perguntamo-nos: • Será que todos os estudantes sabem o que é Educação a Distância? • Você já pensou sobre o que é essa modalidade de EaD? • Quais são as principais características da modalidade de EaD? • Você já percebeu que nos últimos anos fala-se muito em EaD e que mais gente procura pela EaD atualmente? • A que se deve o súbito crescimento da EaD e pela melhoria da sua imagem? • Você é letrado digitalmente? • O que um estudante precisa saber. em termos de tecnologias. Como dissemos anteriormente. destacando a importância do perfil dos estudantes para realizar um bom curso nesta modalidade. Ao longo deste módulo. apresentamos uma proposta de formação simplificada para letramento digital de estudantes da Educação a Distância.Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual Apresentação Olá acadêmicas e acadêmicos. A tod@s. Nesse sentido.

.

Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual UNIDADE 1 Noções introdutórias sobre a Educação a Distância Contemporânea Daniel Mill Maria Alba Guedes Torres 1. tem experimentado uma grande expansão ultimamente e recebeu muita atenção de entusiastas. A perspectiva do perfil desejado para estudantes e 11 . Para quem está começando seus estudos pela modalidade de educação a distância. investidores e políticos interessados em atender à demanda por cursos de nível superior no Brasil (MILL.1 Introdução: questões de base sobre a Educação a Distância O objetivo desta primeira unidade é estimular reflexões essenciais à compreensão das principais características da modalidade de Educação a Distância (EaD). que reconheceu.Letras Espanhol . Essa modalidade educacional passou por profundas transformações desde a publicação da atual Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 9. A expansão pela qual a EaD passou nos últimos anos e o interesse que tem recebido mudaram o entendimento que tínhamos de aprender e ensinar. ressaltando e discutindo as seguintes questões: • O que é a Educação a Distância (EaD)? Qual é a expressão mais adequada: ensino a distância ou educação a distância • Quais são as principais características da modalidade de EaD? • Por que mais gente procura pela EaD atualmente? O que mudou no cenário nacional em benefício da EaD? • A que se deve o súbito crescimento da EaD? Por que se tem falado tanto em EaD nos últimos anos? 1. Nesta unidade. oficialmente. para que o estudante tenha clara a configuração do curso que vai realizar. o estudante encontrará noções básicas quanto à concepção e carac- terização da EaD.394/96). a EaD como modalidade ao incorporar o texto do seu artigo 80. 2013a). é importante compreender alguns procedimentos adotados pela universidade formadora e também as principais características da proposta pedagógica do curso de Educação a Distância da instituição que o mantém.2 Conhecendo um pouco mais a modalidade de Educação a Distância: para além do preconceito A Educação a Distância. também reconhecida pela sigla EaD.

2008. salas de bate-papo. a EaD caracteriza-se. Observa-se que. de modo geral. A seguir. necessita compreender as implicações do redimensionamento espaço-temporal para a sua prática pedagógica nesse novo paradigma de ensino e de aprendizagem. ensino e aprendizagem não são sinônimos.conferências. Em geral. bem como pela intensificação do uso de Tecnologias de Informação e Comunicação (especialmente as tecnologias digitais) como mediado- ras da relação ensino-aprendizagem. como programas computacionais. comunicação por meio de várias tecnologias e disposições organizacionais e administrativas especiais (MOORE e KEARSLEY. Por um lado. a colaborar e a ser autônomo. os papéis de educando e de educador diferem dos papéis da modalidade presencial. ensino a distância ou ainda como aprendizagem a distância (e-learning). Assim. e não somente como “ensino”. O educador. da sua história e dos preconceitos que sofre. Entendemos como essencial que o estudante conheça a estrutura e funcionamento da EaD e a proposta pedagógica do curso que desenvolve. Em suma. indistintamente. CD-ROM e recursos da internet. Conforme Moore e Kearsley (2008). Trata-se de uma modalidade que apresenta como característica essencial a proposta de ensinar e aprender sem que professores e alunos precisem estar no mesmo local ao mesmo tempo. Hoje. Ele precisa aprender a interagir. na prática cotidiana dos educadores de EaD. a visão de EaD pode estar .UAB/Unimontes . pela natureza da sua participação na EaD. Educação a distância é o aprendizado planejado que ocorre. fundamentalmente.2. O entendimento que se tem da sigla EaD pode influenciar o processo de implantação e oferta de cursos a distância nas instituições. exigindo técnicas especiais de criação do curso e de instrução. da sua expansão e do panorama nacional no campo da EaD. que exige uma pedagogia própria em quase todos os aspectos da relação docente-conhecimento-aluno (MILL. É também necessário que o estudante saiba como funciona a pro- posta pedagógica do curso que vai realizar por essa modalidade. No intuito de estimular os estudantes na reflexão sobre as principais características da EaD. 1. ferramentas para a edição de textos web e e-mails). Para que isso ocorra. normalmente. tanto os educadores 12 (professores e tutores) quanto o educando são parceiros nesse processo. geralmente a sigla EaD tem sido tomada. a educação a distância é uma modalidade educacional que faz uso das tecnologias telemáticas (baseadas nas telecomunicações e na informática). são utilizadas diferentes tecnologias e ferramentas.1º Período professores sofreu grandes mudanças. como representação dos termos educação a distância. por sua vez. 2012). Tanto para alunos quanto para docentes. quanto entre os pesquisadores dessa área do conhecimento. os tópicos tratarão da sua concepção e caracterização. como indicamos em Mill (2012). Na modalidade de EaD. 2013a). O entendimento da sigla EaD como educação a distância é muito importante (MILL.2). tanto na literatura sobre EaD. pois educação. O estudante deve aprender a organizar sua agenda e seus horários e locais de estudos. livros. Todavia. a terminologia/definição da educação a distância subentende também técnicas especiais. e a percepção de colaboração entre os pares e envolvidos ganha destaque. fica mais evidente a atuação do acadêmico como sujeito ativo no processo de construção do conhecimento. Para isso. Skype e MSN) ou não simultâneas (a exemplo de fóruns. disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) – que podem ser simultâneas (como web. p. pela separação física (espaço-temporal) entre aluno e professor. em um lugar diferente do local do ensino. é importante detalharmos um pouco mais a noção de EaD como “educação”.1 Concepção e caracterização da EaD como educação a distância e não como ensino a distância O que é EaD? Ela é considerada uma forma alternativa e complementar para a formação do cidadão (brasileiro e do mundo) e tem se mostrado bastante rica em potenciais pedagógicos e de democratização do conhecimento. apresentamos algumas noções introdutórias com relação à educação a distância. o trabalho em equipe é fundamental para que os objetivos educacionais sejam atingidos. é importante compreender alguns procedimentos adotados pela universidade mantenedora do curso que o estudante desenvolve pela EaD. em virtude da natureza da sua participação efetiva na construção do conhecimento.

• O estudo da EaD é um estudo de aprendizado que é planejado. na qual o foco está na emissão de conteúdos e no professor. inclusive nas instituições públicas. Especialmente do ponto de vista social.normalmente. o cenário brasileiro tornou-se bem mais favorável à modalidade de educação a distância. com todas as controvérsias que caracterizam a história da EaD. podemos dizer que o emprego do termo ensino a distância desresponsabiliza-se pela aprendizagem do aluno ou. muitas vezes. a terminologia educação a distância é mais adequada por considerar o aluno como centro do processo: é claro que há docentes (professores e tutores) e tecnologias compondo o processo de ensino-aprendizagem e apoiando o estudante. o mais conveniente é adotar o termo EaD como educação a distância. Todavia. o panorama que pode ser traçado sobre acesso/demanda no ensino superior brasileiro não é muito animador. 1. Por outro lado. em que o educando é. Em outras palavras. o centro do processo está no ensino e no professor. e há autores que demonstram indícios de que outras possam ter ocorrido antes disso. o termo EaD pode ser entendido também como educação a distância: agrega-se a ele uma visão de maior interatividade e interação entre educador e educandos. Já é elevada e cresce a cada ano a quantidade de candidatos às vagas disponíveis nas universidades públicas do Brasil.) é indispensável para auxiliar na aprendizagem do educando e. e “desvalorizam-se” a aprendizagem e o estudante (mesmo que involuntariamente).Letras Espanhol . mais intensas e efetivas do que na educação presencial. A paulatina dissolução do preconceito contra a modalidade deve-se. visto como autodidata ou capaz de aprender somente com o apoio de materiais didáticos e sem a mediação dos docentes (professores ou tutores). evolução da legislação a partir da EaD na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 9. e não acidental. a modalidade superou o preconceito que carregou ao longo da sua existência. • O estudo da EaD é um estudo de aprendizado que. Várias iniciativas foram tomadas na última década. Um fato que estimulou a expansão da EaD foi o aumento da demanda por ensino superior.2 Importância e expansão da educação a distância nos últimos anos Resumidamente. vários foram os acontecimentos que contribuíram para a construção de um cenário favorável à EaD. maior preocupação com a superação da cultura/mentalidade de EaD como educação de segunda categoria. Portanto. está em um lugar diferente do local de ensino. Essa demanda “tende a crescer ainda mais significativamente em virtude da 13 .Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual mais apoiada numa visão tradicional e ser tomada como ensino a distância. entretanto. etc. intencionalmente ou não.2. por isso. enfatizando seus quatro aspectos constitutivos: • O estudo da EaD é um estudo de aprendizado e ensino. Dessa forma. a docência compartilhada (professores. podemos dizer que. se o educando está aprendendo. mais recentemente. desvaloriza o processo de ensino-aprendizagem. Entretanto. Além disso. no mínimo. especialmente no Brasil. tutores. Várias experiências significativas de EaD foram desenvolvidas ao longo do século XX. essas interações entre professores e estudantes na EaD têm sido. e isso desencadeou um conjunto de ações em prol da modalidade: políticas públicas de formação pela modalidade. aos avanços da telemática (convergência de telecomunicações com tecnologias informáticas) e ao surgimento da internet.394-96). o estudante e a construção compartilhada do conhecimento. Nesse caso. é inadequado o uso do termo aprendizagem a distância (ou e-learning). esse crescimento é residual e insignificante se comparado com a progressão do número de candidatos a essas vagas. Obviamente. mas importa. Mais recentemente. A EaD não é uma modalidade educacional muito recente e somente nos últimos anos é que a educação a distância ganhou a atenção e a credibilidade merecidas. destacando-se o processo de ensino-aprendizagem. que proporcionaram boas condições de desenvolvimento de experiências mais ricas de EaD. iniciativas de EaD mais robustas e mais bem estruturadas etc. coordenação. Enfim. muitas vezes. podem ser listadas várias experiências relevantes de EaD no Brasil e em outros países. • O estudo da EaD é um estudo de comunicação por meio de diversas tecnologias. possível pelas interações dialógicas entre os diferentes participantes desse processo. é consenso entre os autores da área que. antes. como argumentam Moore eKearsley (2008). embora seja crescente o número de vagas ofertadas nos últimos anos por instituições de ensino superior.somente nas últimas duas décadas. especialmente.

quando essa modalidade passou por um crescimento vultoso.é uma das muitas IES parceiras do programa de formação superior da UAB. Portal Universidade Aberta do Brasil. • as contribuições para a investigação em educação superior a distância no país. a educação a distância nunca tinha figurado numa lei educacional brasileira. uma grande pressão sobre o poder público. tendo por base os processos de flexibilização e regulação em implementação pelo MEC.Disponível em: www. atual Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (BRASIL. LDB 9. Ministério da Educação. que fazem da UAB uma experiência de EaD singular e importante na história da educação brasileira. o que constitui um dos principais fundamentos da educação a distância. nos últimos anos. O Sistema Universidade Aberta do Brasil foi criado pelo MEC em 2005.uab. br. Dados estatísticos surpreendentes com relação à modalidade indicam que a EaD passou por uma súbita e visível expansão nesses últimos anos. estadual e municipal). no sentido de aumentar o número de vagas para atender à demanda pelo ensino superior. 5). possibilitando sua expansão em consonância com as propostas educacionais dos estados e municípios. considerando os processos de democratização e acesso. e • o financiamento dos processos de implantação.1º Período expansão do ensino secundário” (Belloni. visando a sistematizar as ações. essa parceria conta com mais de 100 IES e. 800 polos de apoio presencial municipais ou estaduais já implementados. 1996). contando com a participação das instituições de ensino superior (IES). em caráter experimental. públicas e demais organizações interessadas. 2013. estimulando a discussão sobre os processos de garantia de qualidade na EaD.394/96. no âmbito do Fórum das Estatais pela Educação. Tal demanda social traz como pano de fundo a justificativa da democratização da educação e do conhecimento.UAB/Unimontes . BOX 1 Sobre a Universidade Aberta do Brasil (UAB) A criação da Universidade Aberta do Brasil (UAB) representa um indicativo desse cenário: em 2005. Fonte: BRASIL. Com o programa da UAB. aproximadamente. O Ministério da Educação (MEC) criou a UAB.gov. sob cinco eixos fundamentais: • a expansão pública da educação superior. 2003. Trata-se de uma grande parceria pública nos três níveis governamentais (federal. projetos e atividades pertencentes às políticas públicas voltadas para a ampliação e interiorização da oferta de ensino superior gratuito e de qualidade no Brasil. Até 1996. Atualmente. repentinamente. 14 .Unimontes . por si só. • o aperfeiçoamento dos processos de gestão das instituições de ensino superior. Há crescente demanda por vagas no ensino superior. De acordo com informações do Sistema UAB. programas.394/96). A Universidade Estadual de Montes Claros . o que representa. passa por um crescimento vertiginoso. a oferta de vagas à população e permite-se o acesso ao ensino público e gratuito. Os avanços na legislação e regulamentação brasileira para a EaD e a criação de programas de formação superior do porte da Universidade Aberta do Brasil (UAB) também demonstram o interesse governamental pela modalidade (haja vista a inserção do artigo 80 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. para a articulação e integração de um sistema nacional de educação superior a distância. Acesso em: 10 de ago. quando da promulgação da LDB 9. ampliar o seu acesso e estimular a criação de centros de formação permanente por meio de polos de apoio presencial.capes. Essa evolução e expansão po- dem ser percebidas no Anuário Estatístico de EaD do Brasil ou do ponto de vista legal e de regulamentação educacional. p. amplia-se. UAB. É nesse cenário que a EaD emerge como alternativa para a carência de vagas no ensino superior e. o objetivo é expandir e interiorizar a oferta de cursos e programas de educação superior pública no país. São números bastante significativos. o Governo Federal brasileiro deu início à implementação do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). O artigo 80 da LDB e seus desdobramentos legais foram de extrema importância para regulamentar a modalidade de EaD no Brasil recente. significativamente. execução e formação de recursos humanos em educação superior a distância. • a avaliação da educação superior a distância. com foco nas políticas e na gestão da educação superior.

tutores e professores. a colaborar e a ser autônomo. buscando corresponder ao que é esperado naquele momento. seja na EaD ou na educação presencial. em 2009. a maioria dos modelos adotados para EaD assume novas experiências educacionais. ocorrem no ambiente virtual. Para a comunidade. a UAB vem sendo uma experiência de EaD. as interações assíncronas. nas quais a maioria dos cursos ou programas se baseia. efetivamente. ela representa novas possibilidades de formação e de participação no sistema público e gratuito de ensino brasileiro. principalmente referindo-se aos aspectos tecnológicos e de conciliação dos horários pessoais de cada estudante. que representa muito para todos os envolvidos. sua agenda. fica mais evidente sua atuação como sujeito ativo no processo de construção do conhecimento – o aluno precisa aprender a interagir. especialmente em relação ao planejamento dos estudos e organização dos lugares e horários para realizar as atividades do curso. Oliveira e Lima (2013) destacam alguns aspectos que devem ser levados em conta: • A simples participação em um curso on-line ou o acesso à sala virtual não garante a interação necessária ao aprendizado efetivo. Portanto. exige uma sincronia temporal. os estados/municípios e o MEC-Capes.Letras Espanhol . é agir de forma intencional e diretiva. Para a Unimontes.3 Interação e comunicação como centro da postura desejada dos estudantes da EaD Considerando que a aprendizagem na educação on-line é baseada na qualidade das interações e comunicações que. a UAB constitui-se numa proposta com grandes proporções e bastante ousada. incorporado pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior). percebemos mudanças de papéis no âmbito da EaD. que pode ser tanto o tutor quanto o professor. apresentando desafios a todos os envolvidos no processo de implantação da EaD na instituição. e. como aquelas que acontecem via chat ou web conferência. a participação síncrona. mas o ritmo de acesso e participação deve ser definido pelo moderador. o estudante deve aprender a organizar seus horários de estudo. PARA SABER MAIS O Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) foi criado no âmbito da SEED (Secretaria de Educação a Distância do MEC) e. que é muito difícil conseguir. Normalmente. são as mais usuais. a construção do conhecimento e dos significados em uma sala de aula virtual ocorre por meio da participação ativa de todos os estudantes. de fato. gratuito e de qualidade. em que o professor não é mais o detentor de todo o conhecimento. o educador precisa compreender. de possibilitar novas relações de ensino-aprendizagem – inclusive mudando a concepção de ensinar e de aprender.Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual Numa ampla articulação entre instituições públicas de ensino superior (IES). A educação a distância exige uma pedagogia própria em quase todos os aspectos da relação docente-conhecimento-aluno-aluno-docente-docente-conhecimento. • É importante que o estudante de EaD compreenda que a aprendizagem on-line 15 . Elas ocorrem em diferentes ferramentas e com objetivos variados. Destacamos. especialmente. pois se trata de um novo paradigma de ensino e de aprendizagem. Enfim. • Contrariamente ao modelo tradicional de educação. Os estudos na EaD exigem também nova postura dos estudantes. a UAB representa. O financiamento das atividades da UAB é feito pelo FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação). • De um modo geral. Com a instalação de cursos de graduação numa universidade parceira da UAB. a instituição aumenta o seu papel no processo de democratização do acesso ao ensino superior público. assim. Tanto para o educando quanto para o educador. 1. Do lado docente. Interagir ativamente é contribuir com algo substancial para a discussão ou atividade. Entretanto. no sentido de romper barreiras físicas. uma proposta inovadora. as interações na EaD podem ser divididas em assíncronas (os participantes não estão logados ao mesmo tempo) e síncronas (os participantes estão logados ao mesmo tempo). que o estudante na modalidade a distância precisa ser flexível e estar aberto a novas experiências e ideias. Trata-se de uma proposta pedagógica permeada por uma pedagogia distinta. Como argumentam Mill e Batista (2013). sob o gerenciamento da Capes. as implicações do redimensionamento espaço-temporal para a sua prática pedagógica. por isso.

do contexto. Por isso. mas nas interações estabelecidas com os colegas e com o material didático disponível na comunidade de aprendizagem. que são muito comuns (e ricas) nos grupos de trabalho. a partir da compreensão dos conceitos envolvidos. Estudos indicam que. estabelecendo prioridades: é necessário estabelecer metas e objetivos. Ou seja. As mensagens iniciais de apresentação e reconhecimento do estudante com seu grupo e equipe de professores e tutores colaboram para um ambiente de confiança. respeitando-se sempre as diferenças. tutores e professores. • A presença em um curso on-line é percebida pelas interações e acessos no ambiente virtual. participação. sabendo onde e como buscar informações e construir conhecimentos. • Organização do material de estudo e do . quanto mais distribuído for 16 o tempo de atividades ao longo da semana. também. pois deve ser extremamente disciplinado e organizado pra organizar os estudos no seu contexto de trabalho. sempre que necessário. Esses aspectos são essenciais para a construção da comunidade de aprendizagem e para a melhor adaptação dos sujeitos envolvidos em ambientes virtuais de aprendizagem. um dos pontos mais críticos ao estudante. Uma dica é conferir a importância/urgência das atividades com o grupo de colegas.4 Planejamento e organização pessoal discente para estudos em EaD A modalidade de EaD exige dos estudantes uma disciplina pessoal muito maior do que a necessária na educação presencial. É de suma importância a manifestação clara e educada de opiniões. que deve ser estimulada durante a aprendizagem a distância. estabelecendo uma agenda de atividades compatível com o tempo disponível. dos objetivos da atividade. Nesse sentido. opiniões. as interações e comunicações são muito valorizadas. lazer etc. O que se espera dele. • Organização do tempo e espaço pessoal para estudo: é essencial que o estudante da EaD administre bem o seu tempo (horários de estudo) e espaço (lugares de estudo) para se dedicar ao curso. como organizar o onde.UAB/Unimontes . tarefas.1º Período não ocorre somente pela interação com o professor ou com os tutores. interpretações e pensamentos pessoais perante o grupo. 2013). Assim. os estudantes devem cuidar permanentemente do planejamento dos estudos e da organização pessoal. sobretudo. melhor será o aproveitamento do tempo disponível pelos estudantes. o estudante deverá participar contribuindo com sua experiência anterior. wikis e demais atividades assíncronas dependerá da leitura cuidadosa das mensagens já postadas. que podem ser compartilhados com colegas. por isso. detalhamos um pouco mais esse aspecto. estar presente na EaD significa participar do processo. procedimentos necessários e atitudes desejadas. Seja em atividades coletivas ou individuais. a organização pessoal é imprescindível para estudar em EaD. do que se espera do estudante e. merece destaque o papel do estudante e a importância da atitude colaborativa e cooperativa. 1. essencial para a participação virtual. com dedicação. • A presença em fóruns. planejar seus estudos e seguir uma agenda pessoal são condições necessárias para que se tenha sucesso nos estudos em EaD (OLIVEIRA e LIMA. • Organização da agenda de atividades. é que desenvolva a postura de aprender ao longo da vida. O estudante deve estabelecer as suas prioridades e observar os prazos das atividades a cumprir. A participação em atividades coletivas é um dos aspectos mais importantes a serem explorados na educação virtual. dispondo de mais ou menos tempo para a realização das atividades propostas no curso. Assim. o quando e o como vai estudar. convívio familiar/social. o que auxilia o estudante a verificar se suas opções são mais ou menos pertinentes. Essa é uma das virtudes da EaD e. tutores e professores. Cada estudante possui um contexto particular e diferenciado. leituras e tarefas de forma planejada. portanto. Na próxima seção. bem como as orientações específicas.

A perspectiva do perfil desejado para estudantes e professores sofreu grandes mudanças. na busca por formação democrática e de qualidade. a EaD como modalidade ao incorporar o texto do seu artigo 80. oficialmente. Esse é o objetivo desta unidade temática. Por isso. pois tentar fazer tudo em um único dia pode ser cansativo e improdutivo. mapa de atividades. O preferível é entrar no ambiente virtual um pouco todos os dias. momento do laboratório ou do intervalo etc. • Disciplina pessoal e comprometimento: essa é a chave para a finalização de qual- quer curso em EaD. O redimensionamento dos espaços da escola ou universidade (tais como salas de aula. A expansão da EaD. cronograma de atividades e às orientações do curso. Enfim. Afinal. Essa modalidade educacional passou por profundas transformações desde a publicação da atual Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB 9. Por isso. trouxe consigo novas formas de construir o conhecimento.) e dos tempos de discussão pedagógica (tais como tempo da aula. esperamos ter oferecido ao estudante argumentos e informações suficientes para uma melhor compreensão das questões apresentadas no começo desta unidade temática. Para isso. é essencial que o estudante conheça a estrutura e funcionamento da EaD e a proposta pedagógica do curso que desenvolve. horário de intervalo.394/96). familiares e momentos de lazer e descanso possibilita dedicar-se ao curso com mais prazer (MILL e BATISTA. A expansão pela qual a EaD passou nos últimos anos e o interesse que tem recebido mudaram o entendimento que tínhamos de aprender e ensinar. Manter-se estimulado a compatibilizar sua agenda de estudos com seus compromissos profissionais. 1. que reconheceu. 2013). é importante que o estudante dessa modalidade compreenda bem as suas características. é nesse contexto que os cursos da Unimontes estão inseridos.5 Considerações finais A Educação a Distância (EaD) tem experimentado uma grande expansão ultimamente e recebeu muita atenção de entusiastas. Não deixar acumular atividades de uma semana para outra ajudará o estudante a não se sobrecarregar.Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual calendário das atividades: é muito importante que o estudante organize seus materiais de estudo (livros didáticos. laboratórios etc. textos etc. realizada por meios virtuais.) mudou a noção que educadores e educandos tinham de lugar e horário de construção do conhecimento.) para não perder prazos e atividades por falta do material no momento adequado ou por não observância ao calendário. Os espaços e tempos de ensinar e de aprender foram os principais responsáveis pelas mudanças no ensino-aprendizado da educação a distância. é necessária uma disciplina pessoal que consiste em um processo de autoconhecimento e desenvolvimento da autonomia. biblioteca. investidores e políticos interessados em atender à demanda por cursos de nível superior no Brasil.Letras Espanhol . 17 .

.

2.2 Sobre letramento digital para a Educação a Distância Para entender o significado de letramento digital e perceber sua importância para o bom desenvolvimento dos estudos na EaD. São apresenta- 19 . nem todo mundo sabe claramente o que significa letramento ou o letramento digital. esta unidade pretende trazer ao estudante algumas noções introdutórias sobre o letramento digital e sua relação com a construção do conhecimento. sua capacidade de raciocínio e seu desempenho acadêmico. apresentamos. a seguir. não o relacionam à construção do saber ou à democratização do conhecimento. especialmente aqueles da educação a distância virtual. Dessa forma. Partindo da importância que o domínio das TDIC tem para os estudantes contemporâneos. este texto objetiva apresentar algumas relações entre o domínio que um estudante tem de determinadas tecnologias. o que foi impulsionado pela emergência das tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC). algumas outras questões secundárias são apresentadas aos interessados no assunto: • Qual a relação entre letramento digital e a construção do conhecimento? • O uso de tecnologias digitais pode influenciar a comunicação e o raciocínio do estudante? • O nível de letramento digital é igualmen- te importante para alunos de educação presencial e da e educação a distância? • Qual a relação entre a EaD e as TDIC? • Quais conhecimentos básicos em tecnologias podem constituir os primeiros passos para o letramento digital? Com base nesses questionamentos. Quando sabem a definição do termo. é importante compreender como seu desempenho acadêmico será melhor a partir do domínio de conhecimentos técnicos que facilitam o acesso a informações e possibilitam a comunicação síncrona e assíncrona. algumas reflexões sobre linguagens.Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual Unidade 2 Letramento digital e sua influência na aprendizagem no âmbito da Educação a Distância Daniel Mill 2. aprendizagens e tecnologias possíveis e desejáveis em cursos de educação a distância baseados na internet. Especialmente para quem está começando seus estudos pela modalidade de Educação a Distância (EaD).1 Considerações iniciais: uma introdução sobre letramento Você já ouviu falar na expressão letramento digital? Você é ou conhece alguém letrado digitalmente? Já parou para pensar o que é letramento digital? Apesar de a expressão letramento ter sido recorrentemente utilizada nos últimos anos. Esses conhecimentos são exigidos em praticamente todas as instituições mantenedoras de cursos de EaD.Letras Espanhol .

A associação entre as áreas educacional e tecnológica tornou-se o centro dos esforços pedagógicos para formação do cidadão. como obter isso. como processar e utilizar as informações encontradas para a tarefa específica que provocou sua busca – esse é o cerne dos quatro pilares da educação para o século XXI. Do ponto de vista da inclusão. a digitação ou a navegação na internet) para o seu desempenho nos cursos de EaD. será necessária uma mudança de mentalidade por parte dos educadores. É nesse sentido que a educação a distância tem sido estimulada e está cada vez mais se expandindo. p. parece claro que ela seja também uma instância de busca de conscientização das necessidades específicas do letramento tecnológico (digital). Nesse contexto que vem se configurando nos últimos anos. também identificadas como TDIC. o que implica o desenvolvimento de estruturas cognitivas bastante complexas. 20 Trabalhar com a internet ou desenvolver capacidade de aprendizado numa sociedade baseada nela exige um novo tipo de educação. De todo modo. Podemos dizer que isso é algo bom. destaca-se a habilidade de decidir o que procurar. 2. apresentamos e analisamos a seguir: • alguns desafios que educadores e estu- dantes precisam enfrentar para promover a democratização do conhecimento por meio do letramento digital. As habilidades peculiares ao letramento tradicional já não parecem suficientes para que as pessoas usufruam adequadamente do mundo atual. mas serve como alerta. 211). O letramento digital de cada estudante é. a cognição/inteligência humana e a construção do conhecimento. e • uma proposta simplificada de conhecimentos mínimos que um estudante de EaD virtual precisa dominar para ter desempenho satisfatório no curso. mais especificamente. a escrita. Conforme Mill (2013b). Os estudantes. Nesse contexto. Como a maior parte da informação está disponível. de um modo geral. inclusive em cursos de nível superior. que incorporem a necessidade de letrar digitalmente a população quando da elaboração de políticas públicas de educação. tudo isso é ainda mais relevante no contexto da cibercultura e do intenso desenvolvimento das tecnologias digitais. A relação entre letramento digital e a educação a distância pode ser resumida no desafio estabelecido por Mill e Jorge (2013): . as inovações tecnológicas são confundidas com inovações pedagógicas. dessa forma. carecemos de propostas pedagógicas que privilegiem e possibilitem o letramento digital. carecemos de amplas estraté- gias governamentais de inclusão digital. estão sendo convidadas a repensar suas propostas curriculares. educandos e de todos os envolvidos nos processos de ensino-aprendizagem. carecemos da popularização das condições de acesso e interação com as tecnologias digitais de informação e comunicação. 2003. tanto as práticas cotidianas quanto as políticas de educação têm sido repensadas a partir das novas relações com o saber que estão sendo gestadas na sociedade contemporânea.1 Desafios do letramento digital para o campo educacional: sobre inclusão e democratização do conhecimento Sendo a escola a nossa principal agência de letramento. Práticas pedagógicas diferenciadas estão sendo exigidas dos educadores da sociedade contemporânea. a educação. como corresponsáveis e membros de uma comunidade de aprendizagem. Para desenvolver essa discussão. estabelecem-se as experiências de educação a distância que utilizam ambientes virtuais de aprendizagem e outras tecnologias digitais. • a relação entre o letramento digital. Fazer amplo uso das mídias digitais em favor próprio exige um letramento digital. muitas vezes. no desejo de despertar nos estudantes a importância da compreensão de conhecimentos técnicos (como a leitura.2. Segundo Mill (2013c). é preciso cuidado nessa articulação entre Educação e Tecnologia porque. nesse contexto. tomam parte da própria formação. • a relação entre educação a distância e as tecnologias digitais. e a escola. Se há um consenso acerca das consequências sociais do maior acesso à informação é que a educação e o aprendizado permanente tornam-se recursos essenciais para o bom desempenho no trabalho e o desenvolvimento pessoal (CASTELLS.UAB/Unimontes . estabelecidos pela equipe de Jacques Delors (2001).1º Período dos argumentos introdutórios e reflexões iniciais sobre a temática. essencial para o sucesso nos estudos na EaD virtual. Em tempos de cibercultura. incluindo gestores.

Desejamos a popularização da capacidade metacognitiva peculiar ao letramento digital. o favorecimento. e instituições mais tradicionais e sérias (como as universidades federais e estaduais) têm se envolvido com ela. a legislação atual está ajudando a melhorar a qualidade da educação a distância. na educação presencial. 157). especialmente educador e estudantes. Por fim. Por conseguinte. Desejamos que todos experimentem modos diferentes de agir. os profissionais mais críticos estão tomando conhecimento dos processos pedagógicos da EaD e. 20). há benefícios cognitivos indiretos. Assim. Tecnologias de base informática e telecomunicacionais foram sendo adaptadas aos processos educativos da EaD. como a promoção de modalidades de pensamento superiores. com suas linguagens. entendemos que mais de 50% do valor das notas devem ser atribuídas a avaliações presenciais. a exigência do MEC de avaliações presenciais tem ajudado na redução do preconceito contra a modalidade. 1999. o terceiro motivador do histórico preconceito contra a EaD: a dificuldade comunicacional entre sujeitos envolvidos no processo de ensino-aprendizagem. incorporados pela maneira de interagir com as tecnologias de informação e comunicação e por certo modo de usar a língua (MILL e JORGE.2. podemos dizer que. sendo uma regulamentação provisória ou que pode ser alterada. os diversos recursos comunicacionais ligados à internet e o uso de multimídias na educação a distância trouxeram consigo um cenário propício ao desenvolvimento dessa modalidade. podemos dizer que é amenizado pela regulamentação dessa modalidade. Desejamos. 31) com o potencial amplificador das tecnologias intelectuais do ciberespaço no desenvolvimento das funções cognitivas humanas (LÉVY. Ultimamente. Do ponto de vista objetivo. fruto da falta de comunicação entre docente-estudantes ou da falta de estratégias de convivência.Letras Espanhol . o desconhecimento dessa modalidade tem deixado de ser propulsor dos preconceitos contra ela. p. aos poucos. a necessidade de uso de tecnologias digitais em cursos virtuais equivale à necessidade de uso. a desconfiança do rigor e credibilidade dos processos avaliativos. Pela legislação do Ministério da Educação (MEC). 2013. que exige peso maior para as avaliações presenciais. entendemos que. Assim. das novas formas de acessoà informação e dos novos estilos de raciocínio e de conhecimento. sentir. em questões de rigor e credibilidade das avaliações e nas dificuldades comunicacionais entre educador e estudante. Dessa forma. Na educação a distância virtual. Em relação ao segundo motivador histórico do preconceito contra a EaD. realizadas sob vigilância de um fiscal credenciado pela instituição formadora. Embora isso pareça um entrave para a EaD ou mesmo uma distorção dos seus princípios básicos (flexibilidade e democratização do conhecimento). como prêmio pela superação do desafio. as dificuldades comunicacionais entre educador e educando não mais 21 . p. estão cedendo à riqueza das suas possibilidades formativas. outras aprendizagens A concepção de Educação a Distância (EaD) atual está demonstrando uma paulatina superação dos preconceitos e da má fama que sofreu ao longo da sua história. Esse aspecto tem relação com a discussão do letramento digital de estudantes de educação a distância. Enfim. Os ambientes virtuais de aprendizagem. desejamos a articulação do poder libertador da escrita para o uso de faculdades mentais ao exercício de operações mais abstratas superiores (KLEIMAN.Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual Como cerne desse desafio. perceber.2 Sobre educação baseada na internet: outras tecnologias. Além dos benefícios práticos ou da obrigação de domínio de conhecimentos da telemática – fundamentais para a participação efetiva numa comunidade de aprendizagem como em cursos pela EaD –. 1995. de modo a amenizar o desprezo por essa modalidade. com especial destaque para a internet. O envolvimento do poder público com a EaD também estimulou o maior conhecimento da modalidade e a redução do preconceito. A TODOS. p. com suas múltiplas ferramentas. outras linguagens. O problema de comunicação entre os envolvidos na EaD quase desapareceu com os avanços das tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC). atualmente. a modalidade de EaD tem sido mais divulgada. Grande parte dos preconceitos contra a EaD tem suas raízes no desconhecimento da modalidade. pensar. da tecnologia do livro ou da escrita. mudam-se as tecnologias e as consequências: sejam elas benefícios ou malefícios. 2. observamos que há benefícios diretos e indiretos do uso de tecnologias digitais de informação e comunicação por estudantes da educação a distância.

a cognição e as modalidades de pensamento de um grupo social estão diretamente relacionadas às tecnologias que usam e. 2013).1º Período compõem os motivadores para preconceitos contra a EaD. TFOUNI. de forma geral. Podem ser tecnologias de uso simultâneo (como web conferências. é necessário que sejam digitalmente letrados. Hoje. A invenção da escrita. A transição da primeira para a segunda é marcada pelo surgimento da escrita (SOARES. na relação com tecnologias tradicionais ou digitais. é necessário que os envolvidos tenham bom domínio das tecnologias digitais de informação e comunicação. 2.2. Todavia. é importante que o educando. Se a educação on-line pressupõe o uso de artefatos tecnológicos de base comunicacional digital. A essas sociedades que têm a escrita no centro da sua organização chamamos de “grafocêntricas”. o uso de tecnologias digitais de informação e comunicação traz outras mudanças cognitivas para os estudantes da EaD. aprendizagem e tecnologias A discussão sobre letramento digital remonta à análise da transição das sociedades ágrafas para as sociedades grafocêntricas. saiba fazer uso adequado de tecnologias diversificadas. uma vez que sua cultura era transmitida e perpetuada através da língua falada. a EaD caracteriza-se fundamentalmente pela separação física (espaço-temporal) entre aluno e professor. 1995). CD-ROM e recursos da internet. Observamos que. Esses autores afirmam que a utilização da escrita passou a viabilizar outra forma de comunicação entre as pessoas e possibilitou que o acúmulo e a transmissão de conhecimentos não estivessem mais atrelados à memória ou à língua falada. como a que vivemos atualmente. ao nível de letramento digital dos membros desse grupo. na qual as relações são estabelecidas por meio de tecnologias telemáticas (baseadas nas telecomunicações e na informática). em especial. 1999. a palavra se constituía como principal canal de acesso à informação. Isso está na própria definição terminológica de EaD. o surgimento da escrita não marcou apenas essa transição e a consequente transformação dessas sociedades. Como observam Mill e Jorge (2013). em que não há o advento da escrita. também representa um desafio aos educadores e estudantes. marcou a transição das sociedades ágrafas para as grafocêntricas. 2002. p. Em suma. estão os conhecimentos telemáticos e o letramento digital. Trata-se de uma modalidade que apresenta como característica essencial a proposta de ensinar e aprender sem que professores e alunos precisem estar no mesmo local ao mesmo tempo. Entretanto. bem como pela intensificação do uso de tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) como mediadoras da relação ensino -aprendizagem. apresentada por Moore e Kearsley (2008. KLEIMAN. A seguir. nesse cenário de ensino-aprendizagem pela EaD. como programas computacionais. isto é. Direta ou indiretamente. a internet. é necessário que sejam letrados digitalmente. livros físicos ou digitais. chamamos de “ágrafas” (MILL e JORGE. por consequência. Até o advento da escrita. Nas sociedades “ágrafas”. distintas do modelo tradicional de educação presencial. com outras linguagens que possibilitam outras aprendizagens.UAB/Unimontes . característica esta pertencente às so- 22 ciedades orais primárias.3 Letramento e modalidades de pensamento: entre cognição. em que a cultura se organiza a partir das lembranças dos indivíduos. Para usufruir dos benefícios tecnológicos e para participar da educação a distância virtual. essa mesma solução encontrada para problemas comunicacionais. está desenvolvida com foco no letramento digital para a EaD. enfim.2): “a EaD exige técnicas especiais de comunicação por meio de várias tecnologias e disposições organizacionais e administrativas especiais”. 2002. Enfim. a educação a distância é uma modalidade educacional que faz uso das tecnologias telemáticas. os papéis de educando e de educador diferem dos papéis da modalidade presencial. ferramentas para edição de textos web e e-mails). é essencial ao estudante de educação a distância o domínio de conhecimentos e linguagens típicos de tecnologias digitais. A essas sociedades marcadas pela oralidade. são utilizadas diferentes tecnologias e ferramentas. como a internet. salas de bate-papo e Skype) ou não simultâneo (como fóruns. o conhecimento produzido por uma sociedade era marcado pela oralidade. Nesse processo. na EaD. Decorrem daí algumas implicações cognitivas que mere- . disponíveis no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). No centro do novo perfil de educador e educando. numa sociedade grafocêntrica digital. essa discussão entre desenvolvimento cognitivo e modalidades de pensamento.

não sabem utilizar essas tecnologias. Estes ora transitam em uma. Por isso. assim como outras. Como [as tecnologias] mudam relações no tecido social.Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual cem ser conhecidas por educadores e estudantes. especialmente aqueles que dependem da interação entre a linguagem e o organismo humano ou entre a mente e a máquina (KERCKHOVE. p. De certa forma. o que está atrelado ao nosso funcionamento cognitivo. por razões diversas. surgiram outras possibilidades de comunicação. puderam oferecer. como tecnologia intelectual humana. Com a invenção da internet. a lógica que se estabelece é a de proporcionalidade entre o grau de conhecimento dos indivíduos e as condições de participação da sociedade. é necessário que tenhamos certos conhecimentos a priori. de modo que as duas sociedades encontram-se paralelamente “acessíveis” aos indivíduos. pelo menos. possuem condições adequadas de inserção nas práticas que exigem o uso da escrita – inclusive naquelas demandadas pelas tecnologias digitais. e.Letras Espanhol . Grande parte da atual sociedade brasileira citadina caracteriza-se como grafocêntrica de base digital. o que torna essa questão mais complexa é que as sociedades grafocêntricas tradicionais e as grafocêntricas digitais não se distinguem entre si numa relação espaço-tempo – elas coexistem. a escrita. temos indivíduos que. são fortemente permeadas por tecnologias de base informática e telecomunicacional: as sociedades grafocêntricas digitais. está o domínio que temos ou não da escrita. é possível agrupar os membros de uma sociedade contemporânea em. Os indivíduos que não sabem ler e escrever e que. paradoxalmente. b. ainda. Dominar mais conhecimentos implica melhores condições de participação ativa na sociedade ou numa comunidade específica. 1997. Que implicações cognitivas as recentes transformações tecnológicas trouxeram aos indivíduos? Para Kerckhove (1997). decorrem também muitas implicações cognitivas. A tradicional sociedade grafocêntrica foi incorporada pela grafocêntrica digital. provoca transformações internas no homem. na maioria das vezes. três situações distintas: a. No cerne dessas três situações. Os indivíduos que dominam a escrita. não estão inseridos nas práticas sociais e culturais que implicam o uso das tecnologias digitais. Do ponto de vista educacional. por exemplo. se encontram excluídos da maioria das práticas de leitura e de escrita típicas das sociedades grafocêntricas digitais. 23 . as fronteiras territoriais ficaram menos palpáveis e o espaço e o tempo foram reconfigurados – o que pode se converter em mais benefícios para a já beneficiada sociedade grafocêntrica. excluídos da maioria das práticas que implicam o uso de tecnologias digitais. uma modificando a outra. a transição das sociedades grafocêntricas. assim. portanto. a emergência das sociedades grafocêntricas digitais nos induz à reflexão sobre as formas de organização do pensamento humano na sociedade atual. Uma dessas transformações é exatamente o seu modo de funcionamento cognitivo. mas não participam ativamente das práticas sociais e culturais que demandam o conhecimento das tecnologias digitais justamente porque. O problema é que. Assim. Com a expansão do desenvolvimento tecnológico das últimas décadas. como é o caso das comunidades de aprendizagem da EaD. Embora incluídos nos grupos culturais mais tipicamente letrados. Conforme Lévy (1993). há “exclusão dentro da inclusão”: incluídos por serem letrados. inclusive e especialmente o domínio da escrita. 275). ora em outra. esses indivíduos encontram-se. embora grafocêntricas. [elas] reestruturam ou modificam também aspectos psicológicos. Dessa forma. A invenção das tecnologias telemáticas marcou. ou em ambas. Quando muito. Mentes e máquinas estão em constante interação entre si. no mesmo espaço e no mesmo tempo histórico. a evolução da inteligência humana acompanha a evolução não apenas da linguagem. baseadas especificamente na escrita. c. para usufruir desses benefícios tecnológicos contemporâneos. esses indivíduos estabelecem relação de extrema dependência do outro para participarem de tais práticas. A primeira dessas tecnologias é a escrita. as sociedades grafocêntricas passaram a se organizar também em função dos benefícios que as tecnologias. Dessa transição. principalmente as digitais. mas ainda das tecnologias que suportam e processam a linguagem. Paradoxalmente. com isso. nas sociedades grafocêntricas digitais. É a exclusão dos incluídos. no mesmo espaço e tempo. para sociedades que. Os indivíduos que sabem ler e escrever e. mas excluídos por não dominarem a telemática.

Na prática colaborativa. 1997). é importante que os estudantes de cursos a distância estejam atentos a alguns aspectos para a organização dos trabalhos com o grupo. Mais do que juntar os resultados parciais de cada integrante do grupo 24 (trabalho cooperativo). mas ‘eu’ com o grupo humano do qual sou membro. seja em práticas cooperativas ou colaborativas: • O prazo final para o cumprimento da atividade coletiva: com essa informação. todos refletem juntos sobre um tema e produzem. As práticas cooperativas pressupõem processos de divisão de trabalho. Sendo as relações sociais (inclusive na educação a distância) travadas a partir da comunicação que.2. Por outro lado. A colaboração pressupõe linguagem e significados comuns no que diz respeito à tarefa. uma atividade proposta para a realização em grupo apresenta uma estrutura para produção coletiva. informando-se sobre alguns as- . ocorre a prática colaborativa. É importante que os estudantes procurem conhecer quem são os colegas para formar ou interagir no seu grupo. A inteligência humana evolui acompanhando as evoluções da linguagem e de suas tecnologias de suporte e processamento (KERCKHOVE. com uma meta comum. Assim. para a composição do trabalho final. o processo de colaboração supõe coordenação e sincronização. os educandos (e também educadores) não devem confundir práticas cooperativas com práticas colaborativas. associadas aos processos de interação colaborativos e cooperativos representam importante marco de sucesso de um sistema de Educação a Distância. 1993. Todavia.4 Cibercultura como contexto de formação ou sobre colaboração e interatividade como motor da aprendizagem A construção e manutenção de comunidades de aprendizagem. nos quais os participantes concordam em ajudar uns aos outros em atividades dirigidas com o propósito de atingir as metas individuais de cada pessoa (ONRUBIA et al. o uso da escrita) (LÉVY. discussões. p. Por exemplo. revisões de cada um dos pares. • A definição do grupo de trabalho: algumas disciplinas já apresentam uma distribuição dos grupos de trabalho. com toda uma herança de métodos e tecnologias intelectuais (dentre as quais. biológicos e técnicos. É importante que o grupo compreenda a proposta da atividade e se organize internamente para a sua execução. por meio das contribuições. seguindo as diretrizes apresentadas no material de apoio. por sua vez.1º Período As possibilidades de desenvolvimento cognitivo às quais os sujeitos estariam expostos têm relação direta com as oportunidades que a sociedade oferece a esses sujeitos. o grupo poderá definir as metas de cada integrante e seus tempos parciais para o cumprimento da atividade. Para Oliveira e Lima (2013). antes da finalização dos trabalhos com o grupo. no coletivo. As práticas cooperativas são comuns na educação tradicional. podemos dizer que a inteligência humana e seu processo de evolução estabelecem vínculos diretos e intrínsecos com as mudanças nos códigos de linguagem e suas tecnologias. Ao analisar os significativos componentes sociais da inteligência humana. são os alunos que definem seus grupos.. em que cada integrante cumpriu uma etapa particular da proposta durante o seu desenvolvimento. 2010). sem uma divisão parcial de tarefas. além de uma meta comum para o conjunto dos participantes. todo estudante já deve ter vivenciado experiências desse tipo quando realizou trabalho em grupo na escola: se organizou com seus colegas para a realização de uma atividade grupal. pois se relacionam às condições de acesso que os indivíduos têm a essas tecnologias. Em outras disciplinas. 135). • A distribuição interna das tarefas entre os participantes: geralmente. com minha língua. quando a atividade do grupo prevê uma revisão conjunta dos trabalhos parciais de cada participante para a composição de uma produção coletiva. Não sou ‘eu’ que sou inteligente. resultante do esforço permanente de compartilhar determinadas atividades. 2. as instituições sociais e as técnicas de comunicação: A inteligência ou a cognição são o resultado de redes complexas onde interagem um grande número de atores humanos. composta de recursos técnicos que viabilizam o trabalho em grupo e por orientações para organização dos participantes durante a realização da atividade. essas oportunidades são desiguais.UAB/Unimontes . passa pela linguagem. Pierre Lévy cunha o termo “ecologia cognitiva” e questiona a relação entre o pensamento individual.

de modo que os participantes dimensionem seus tempos e possibilidades para o cumprimento das atividades coletivas.. Recomenda-se a releitura (repetidas vezes) do texto para evitar erros ortográficos e gramaticais. lembrando que: • o uso de cores deve ser feito com moderação e somente para destaques especiais. Atendendo aos princípios da netiqueta. a prática colaborativa implica partilhar e trocar opiniões. Conforme Lima e Oliveira (2013). b. Lembre-se que. c. isto é. Tenha cuidado com a linguagem ao escrever uma mensagem. é necessário que o participante: 25 . É preciso cuidado com a formatação das mensagens. ignorando quem escreveu anteriormente. para interagir colaborativamente no fórum. dados ou situações. Se há mensagens. ao invés de tornar a leitura agradável. são potencializadas pelas TDIC. Use o fórum para discutir e não simplesmente para responder. podem ser confundidas com vírus de internet. após enviada a mensagem.) e procuramos saber qual o assunto e como contribuir com novas informações. associar. palavrões e frases provocativas. com base nos seus desejos e necessidades. Sempre responda uma mensagem recebida para não dificultar o andamento dos processos de ensino-aprendizagem.Letras Espanhol . no âmbito da EaD. A SITUAÇÃO PODE FICAR MUITO DELICADA com relação ao entendimento do leitor. Elas representam um modo simples e eficiente de melhoria no desempenho dos estudantes. pessoal. Além disso. é importante que todos sigam as regras de conduta nas interações e discussões virtuais. os participantes valorizam o letramento digital associado à capacidade de ler. assim. É importante estabelecer bons hábitos na comunicação pessoal com os demais participantes do curso. preciso e objetivo aumenta as chances de resposta do interlocutor. Demonstre cortesia nas comunicações. d.2. a fim de aplicá-las de forma responsável. Como afirma Lima e Oliveira (2013). Evite. se usar o negrito. estabelecer relações. 2. Essas tecnologias digitais tornam possível ao estudante a definição dos próprios caminhos de aprendizagem. Lima e Oliveira (2013) nos dão algumas dicas de conduta (netiqueta na comunicação pessoal) para comunidades de aprendizagem no âmbito da Educação a Distância virtual: a. Nesse sentido..5 Colaboração na EaD: a netiqueta na comunicação pessoal e como respeito ao outro Na participação em comunidades virtuais de aprendizagem. Além disso. ou mesmo de compreensão dos objetivos desejados. Para garantir o diálogo e a colaboração no desenvolvimento de um tema. você não terá mais a oportunidade de corrigir algo ou voltar atrás. • o mesmo serve para o tamanho das letras.Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual pectos da dedicação dos colegas ao curso. quando realizadas de forma colaborativa. começamos com uma saudação (por exemplo: Olá. • escrever mensagens com LETRAS MAIÚSCULAS pode parecer ao leitor que você está GRITANDO. interpretar e respeitar as crenças morais e éticas abraçadas por um grupo em particular. e. como: quais os dias da semana e horários de maior dedicação de cada um e quais suas possibilidades de horários para comunicações síncronas on-line. Esse contato inicial irá facilitar o desenvolvimento dos trabalhos no grupo. emergem aspectos da formação dos participantes com relação às questões morais e éticas no processo de autoria pessoal ou coletiva. A interatividade e colaboração. evitando usar palavras ríspidas. mensagens sem assunto ou descrição inadequada. Essas práticas. acumular mensagens e atrasos nas respostas ou desenvolvimento das atividades. garantindo que os objetivos da comunicação sejam alcançados. e • o uso excessivo de “emoticons” polui a mensagem. seja no fórum ou em outra conversa cotidiana com um grupo de pessoas. Atente-se ao campo assunto das mensagens para representar adequadamente o conteúdo da mensagem. leia-as antes de postar a sua. Ter netiqueta no fórum: o fórum de discussão é um dos ambientes coletivos de socialização mais usados na Educação a Distância. é essencial que todos os participantes da comunidade virtual conheçam as regras de netiqueta. A descrição do assunto da mensagem de modo claro. f. podem compor as estratégias de comunicação de uma comunidade virtual de aprendizagem. rejeitar e conflitar ideias baseadas em fatos.

Participe e aprenda. esta unidade temática buscou apresentar noções introdutórias sobre o letramento digital e sua relação com os estudos na educação a distância. Apesar de frequentemente utilizada. saber definir as expressões letramento ou letramento digital não sig- 26 nifica entender a sua relação com a melhoria da construção do conhecimento ou com a democratização do conhecimento. • assine seu nome ao final de cada mensagem. a expressão letramento digital nem sempre tem seu significado plenamente compreendido. evitando erros ortográficos. como sugestão. o texto traz uma proposta simplificada de conhecimentos mínimos que um estudante de EaD virtual precisa dominar para ter desempenho satisfatório no curso. • a seguir. é importante compreender como seu desempenho acadêmico será melhorado pelo domínio efetivo de conhecimentos técnicos que facilitam o acesso a informações e possibilitam a comunicação síncrona e assíncrona. para o desenvolvimento da sua capacidade de raciocínio e do seu desempenho acadêmico. Por fim. Além disso. as instituições mantenedoras de cursos de EaD estimulam tais competências/saberes. . contribua com novas informações e questionamentos. Por isso. a cognição/inteligência humana e a construção do conhecimento. respeitando o outro! 2. gramati- cais e/ou de digitação. • a seguir. com o objetivo de deixar claro ao estudante da EaD a importância do domínio de determinadas tecnologias. A discussão é apresentada a partir dos desafios postos aos educadores e estudantes que acreditam na democratização do conhecimento por meio do letramento digital ou de tecnologias digitais de informação e comunicação. Estudos e pesquisas demonstram que esses cuidados com a netiqueta em cursos pela modalidade de EaD representam uma rica contribuição à aprendizagem do grupo e de cada participante da comunidade. Como sugestão. e • sempre revise a mensagem antes de enviar.UAB/Unimontes . apresentamos a seguir uma proposta (simplificada) para formação de conhecimentos mínimos necessários para o bom desenvolvimento de cursos a distância.3 Uma breve consideração final Especialmente para quem está começando seus estudos pela modalidade de educação a distância. • retorne ao fórum e leia as novas postagens dos participantes. o texto apresenta uma análise da relação entre educação a distância e as tecnologias digitais e examina as inter-relações entre o letramento digital. contribua com novas informações e questionamentos. Nesse sentido.1º Período • leia as mensagens dos colegas. Observem que são dicas simples e de fácil assimilação nas relações interpessoais em comunidades virtuais de aprendizagem. Mesmo não aprofundando na discussão da temática.

televisivo. Quando os ingressantes não demonstrarem capacidade de realizar certas tarefas técnicas voltadas para as tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC). internet. tablet. A proposta de formação digital pode ser composta por pequenos minicursos com foco em habilidades/conhecimentos que as disci- 27 . ganham destaque os conhecimentos que os estudantes da Educação a Distância devem buscar em relação às tecnologias digitais. logo no ato da matrícula. sistemas de satélite. Se o estudante ainda não domina tais conhecimentos quando vai começar um curso pela modalidade de educação a distância. softwares etc. também. redes sociais. telefone.1 Introdução: sobre a proposta de letramento digital na EaD da Unimontes No sentido de buscar maior letramento digital.). como tratado nas unidades anteriores. o próprio estudante ou a instituição mantenedora dos cursos oferecidos pela modalidade de Educação a Distância devem buscar a formação mais aprofundada possível no uso das TDIC. Uma formação básica em informática desenvolvida com foco nas atividades acadêmicas realizadas por estudantes pode ser um passo significativo. que cada estudante busque por conta própria o domínio dos dispositivos tecnológicos mais recentes do campo da informação e conhecimento. como esses que a Unimontes está oferecendo. o estudante deverá possuir certos conhecimentos de informática e outras tecnologias digitais.. o funcionamento de equipamentos comuns no dia a dia dos estudantes: computador. a instituição solicita/exige a participação em cursos voltados para o letramento digital (oferecidos pela própria instituição) e realizados no polo de apoio presencial em que se matriculou. as instituições fazem uma sondagem sobre os conhecimentos que os estudantes já detêm em termos de domínio técnico. Sugere-se fortemente. um primeiro passo. vale entender.. Além dos conhecimentos básicos de telemática (informática + telecomunicações). Afinal.Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual Unidade 3 Proposta simplificada de formação para o letramento digital: saberes técnicos de base para a construção do conhecimento na EaD Daniel Mill Maria Alba Gudes Torres 3. Geralmente. Por isso. precisa realizar formações em busca do letramento digital. é necessária uma incessante busca pelos saberes técnicos de base para a cons- trução de conhecimento em comunidades virtuais de aprendizagem. as modalidades de pensamento possíveis com as tecnologias digitais são distintas daquelas viabilizadas pelas tecnologias mais tradicionais. mas um importante passo! Para participar e realizar adequadamente as atividades em cursos de EaD. radiofônico. Em verdade. mesmo que superficialmente. dispositivos móveis (notebook.Letras Espanhol .

Como cuidado para estimular o bom andamento dos cursos. sendo essencial conhecimento aprofundado em TDIC. o estudante declara estar apto. sugere-se que a instituição exija do aluno que fizer a opção de não frequentar o curso um documen- to comprobatório dessa desnecessidade. alto-falantes etc. Assim. Orientações de como trabalhar com arquivos e pastas tornam-se essenciais para auxiliar os estudantes na organização das informações pessoais no computador. incluindo noções sobre o funcionamento do computador e seus periféricos. minimamente. • Software: conjunto de instruções (programas) e informações que controlam o funcionamento do computador. Se o curso se dá no ciberespaço. com o tipo de atividade etc. É apresentada a CPU como elemento fundamental do computador. A partir da sugestão de minicursos descritos abaixo. CD. edição de textos. Trabalho com arquivos e pastas: uma das dificuldades mais recorrentes entre os alunos de EaD com pouco conhecimento em informática é a organização pessoal para os estudos virtuais e para localizar certas informações no computador. parceiro da instituição. Nesse sentido. impressora. navegar na internet etc. preparação de apresentações multimídia. no caso de uma formação básica para o letramento digital. b. ainda temos muitas pessoas que procuram pela modalidade de educação a distância por falta de oportunidades de realizar cursos presenciais. declarando estar ciente da necessidade do letramento digital (domínio das TDIC) como condição de participação dos cursos em EaD. esses que se seguem: a. 28 . DVD.). como é o caso de computadores dos polos de apoio presencial. Assinando o documento. navegação no ambiente virtual de aprendizagem. o estudante poderá analisar e autoavaliar se já domina ou não tais saberes. o domínio das tecnologias digitais é condição para o sucesso da formação. jogar. unidade de disco flexível. No caso da Unimontes. • Memórias principais e secundárias para armazenamento e transporte de informações (HD. tecnicamente. trabalha-se com os seguintes aspectos técnicos: • Hardware:o computador dispõe de dispositivos de entrada e saída de dados para processar informações e visualizar os resultados.UAB/Unimontes . quando a EaD for do tipo virtual. edição de imagens e de planilhas eletrônicas etc. mesmo sem participar da formação digital no polo de apoio presencial. CD. disco flexível. fazer planilhas de cálculos.1º Período plinas dos cursos da Unimontes irão exigir do estudante. trabalha-se com os seguintes aspectos técnicos: • Apresentação da área de trabalho do Windows Explorer ou softwares similares. pen-drive. pois executa as instruções dadas pelos softwares e mostra também os outros periféricos: monitor. teclado. a proposição de assinatura (pelo estudante) de um Termo de Compromisso com a instituição. Especialmente em cidades menores do interior brasileiro. em ambiente virtual de aprendizagem. no contexto da cibercultura. com o modelo pedagógico de EaD da instituição. Enfim. os módulos temáticos trabalhados com os alunos devem ser. uso da internet. Importa aqui o destaque de que algum conhecimento em telemática é essencial a qualquer modelo de educação a distancia. Apresentação do computador/informática: embora esse módulo possa parecer supérfluo. Assim. especialmente em máquinas de uso coletivo. CD-ROM. Programas usados para escrever textos. é facultativo ao aluno a participação nos cursos oferecidos pela instituição. 3.2 Blocos de conhecimentos para letramento básico: uma proposta em minicursos Os conhecimentos considerados básicos (e mínimos) para participação em cursos de EaD são condizentes com a proposta de formação a seguir. • Outros. mouse. DVD. a dar andamento às atividades. disquete etc. desde que ele já detenha conhecimentos avançados em telemática. ainda há muitos cidadãos que desconhecem os componentes básicos de informática. criar imagens. É verdade que essa proposta pode mudar de acordo com as condições de vida dos estudantes.

• Usar ferramentas de comunicação instantânea. senhas.Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual • Criação de uma pasta pessoal e de subpastas. é importante que os estudantes tenham habilidades avançadas na elaboração de textos digitais – tanto no sentido de gerar um arquivo de texto quanto da sua formatação. são os recursos de edição de texto para elaboração de trabalhos acadêmicos. pois isso será exigido em quase todos os cursos virtuais. trabalha-se com os seguintes aspectos técnicos: • Criação de contas de e-mail (Gmail ou Yahoo. • Outros. figuras etc. para armazenar os documentos por temas. por categorias. o uso de e-mail é especialmente importante para estudantes de EaD. • Outros. tabelas e similares. recebimento e resposta de mensagens.Letras Espanhol . • Navegar no ambiente virtual de aprendizagem do curso em que está matriculado. enviar e receber e-mails etc. Seed etc. salvar e nomear um documento. • Configurar esteticamente e formalmente uma página. por exemplo. por exemplo). como o MEC. ODF. Assim. barra de status e régua. inserção de tabelas. e. c. • Avaliar tipos de mensagens. com vistas à facilitação de trabalhos virtuais. • Acessar. Editor de textos: um dos conhecimentos mais utilizados por estudantes. • Converter documentos em outros formatos possíveis. • Analisar noções de segurança. é essencial que os estudantes tenham a capacidade técnica de navegar nos hipertextos.).. é essencial que os estudantes tenham a capacidade técnica de digitar textos com velocidade e qualidade. cores. • Compreender a linguagem hipertextual e seus componentes: páginas. especialmente os da EaD. observando credibilidade de falsos remetentes. • Noções sobre formatação de fontes e cores do texto. • Explorar a multiplicidade de editores de textos existentes. especialmente os da EaD. destaques em negrito ou itálico. com atenção para fontes. criação de mensagens para envio. Do mesmo modo. como o Skype e similares. PDF. • Usar o revisor de texto (verificação ortográfica automática ou dicionário de sinônimos) e outros recursos de apoio acadêmico. trabalha-se com os seguintes aspectos técnicos: • Explorar páginas da web (navegar pelas páginas da Unimontes e outros endereços de cunho acadêmico. Dessa forma. Capes. • Analisar diferentes tipos e propostas de websites. d. • Gerenciar uma conta de e-mail (criação de pastas para organização de mensagens. por exemplo). vírus etc. avaliar e qualificar informações na internet. facilitando a sua organização durante a realização das atividades no curso. • Localizar e registrar bases de dados com textos científicos (relacionadas ao curso). sejam eles gratuitos ou proprietários. Assim. editar. • Outros. • Explorar as funções de envio para um ou mais destinatários. Assim. como RTF. DOC etc. • Explorar o envio de anexos (para que serve e como fazer). A internet como ambiente de estudos e como recurso de pesquisa e comunicação: o domínio das funcionalidades da internet está entre os conhecimentos mais utilizados por estudantes. Considerando que os Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA) representam uma das diversas possibilidades pedagógicas da internet. barra de rolagem. Criação e uso de e-mail como recurso de comunicação: assim como o uso da internet em geral. buscando compreender os componentes da tela de edição: botões mais utilizados da barra de ferramentas. edição (recorta e cola. noções de inserção de imagens. é essencial aos estudantes saber explorar os recursos do AVA ou da internet como um todo. 29 . Como a comunicação na EaD se baseia no uso intenso da escrita e da internet. • Explorar os recursos básicos do editor de texto para edição de um documento. a exemplo da exploração das fontes de informações científicas e do uso de possibilidades tecnológicas baseadas na internet.). • Outros. • Pesquisar por palavras-chave (pelo Google e similares). links etc. Scielo. orientando sobre o local de armazenamento nas pastas pessoais. trabalha-se com os seguintes aspectos técnicos: • Criar. margens. exclusão e lixeira etc. digitar mensagens com rapidez.

as apresentações multimídia constituem ferramenta muito útil para o ensino -aprendizagem acadêmico. editar. Entretanto. barra de rolagem. Assim. com operações matemáticas básicas e com a geração de gráficos em vários modelos e tipos. por exemplo. • Criar. • Configurar esteticamente e formalmente uma página. por exemplo. • Explorar os recursos básicos do editor de planilhas e gráficos na criação de um documento. a ilustração de atividades ou a criação de mapas conceituais. sejam eles gratuitos ou proprietários. Especialmente em alguns cursos mais voltados para artes ou informática. salvar e nomear um documento. buscando: • Criar. Por isso. editar. • Outros.UAB/Unimontes . salvar e nomear uma apresentação. . • Explorar os recursos básicos do editor de apresentações multimídia na criação de um documento. • Imprimir imagens em cores ou preto e branco. Assim. alterar e salvar uma imagem qualquer (uma foto pessoal para o perfil do Moodle. PDF). barra de rolagem. de modo que os arquivos possam ser encontrados rapidamente e sem complicações. sejam eles gratuitos ou proprietários. o domínio de editores de gráficos é menos importante do que o domínio de editores de textos ou de imagens. explorando as opções de formatos possíveis e locais de salvamento. editar. operações básicas etc. buscando compreender os componentes da tela de edição: botões mais utilizados da barra de ferramentas. Editor de planilhas eletrônicas e gráficos: em alguns cursos e disciplinas. • Inserir imagens num documento de texto ou apresentação multimídia enquanto se está editando. por exemplo). • Explorar a multiplicidade de editores de gráficos existentes. trabalha-se com os seguintes aspectos técnicos: • Explorar os recursos básicos do editor de imagens. sejam eles gratuitos ou proprietários. com atenção para fontes. procurando compreender os componentes da tela de edição: botões mais utilizados da barra de ferramentas. destaques em negrito ou itálico. barra de status e régua. • Outros. por exemplo. orientando sobre o local de armazenamento nas pastas pessoais. PDF). cores. destaques em negrito ou itálico. • Elaborar planilhas funcionais. • Outros. Editor de imagens e desenhos: é importante que os estudantes tenham conhecimentos de edição de imagens para uso nas atividades de EaD. operações de animação. • Explorar a multiplicidade de editores de imagem existentes. os gráficos e planilhas eletrônicas são muito utilizados entre professores e alunos. • Converter documentos em outros formatos possíveis (por exemplo. • Configurar estética e formalmente um slide ou apresentação. planos cartesianos e colunaslinhas. são conhecimentos importantes e úteis em várias situações de ensino-aprendizagem. vale a pena explorar esse tipo de editor. barra de status e régua.1º Período f. • Converter documentos em outros formatos possíveis (por exemplo. barra de status e régua. por exemplo. barra de rolagem. cores. são muito exploradas por professores. Editor de apresentações multimídia: assim como as planilhas eletrônicas. abrir e editar fotos e imagens da internet (incluindo funções simples. buscando compreender os componentes da tela de edição: botões mais utilizados da barra de ferramentas. imagens e textos. 30 h. aplicação de modelos pré-configurados etc. com atenção a fontes. • Abrir. • Explorar a multiplicidade de editores de apresentações existentes. salvar e nomear um documento. é importante que os estudantes dominem a elaboração de boas apresentações multimídia: • Criar. orientando sobre o local de armazenamento nas pastas pessoais. • Fazer desenho livre usando os diferentes recursos de editores de imagens. g. aplicação de máscaras e estilos personalizados. • Baixar. como botão direito do mouse). orientando sobre o local de armazenamento nas pastas pessoais. De modo geral e do ponto de vista pedagógico.

esses saberes serão desenvolvidos espontaneamente.3 Considerações finais Num plano ideal. 31 . gerenciadores de bases de dados. Por outro lado. recomendamos fortemente que os busque: conhecimentos não ocupam espaço e ainda podem ser muito benéficos para sua formação integral. Alguns cursos exigirão conhecimentos mais específicos em determinados softwares (como editores de linguagens de programação. Certamente. que o letramento é um processo.Letras Espanhol . estudante de EaD. Seria bom que outras competências técnicas fossem adquiridas pelos estudantes logo no começo do seu curso. associados ao convívio cotidiano com outros sujeitos e grupos. novamente. o letramento é um processo cultural e singular. ainda não domina minimamente tais saberes. ao longo do curso. ressalta-se. a proposta supracitada contempla as necessidades míni- mas para a realização de um bom curso pela modalidade de EaD (acreditamos que sejam suficientes para o letramento digital ou. por si só. resultante da incorporação de determinados saberes. A realização de uma formação por meio de um curso técnico. para a alfabetização digital).). gravadores de mídias etc. ao menos. não torna o estudante efetiva e necessariamente letrado digitalmente. Se você. a falta desses cursos ou dos conhecimentos que deles resultam limita ou dificulta o letramento digital. Ou seja. com a simples convivência com outros usuários e com tecnologias diárias. mas isso dependerá da instituição em que o estudante fará o curso e dos professores de cada disciplina. Num plano mais genérico. essa é uma proposta de formação para o letramento digital com expectativas de desenvolvimento de habilidades mínimas necessárias à adequada realização de cursos pela EaD e ao aumento do rendimento acadêmico em cursos virtuais.Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual 3. Todavia.

.

R. P. D.. A pele da cultura: uma investigação sobre a nova realidade eletrônica.. Cuiabá: EdUFMT. São Paulo: Mercado de Letras. MILL. Docência virtual: uma visão crítica.). D. M. MILL.ed. Educação a Distância: elementos para pensar o ensino-aprendizagem contemporâneo. 2013.Educação a Distância: Um Guia para o Estudante Virtual Referências BELLONI. JORGE. Brasília: D. São Carlos: EdUFSCar. (org. KERCKHOVE.). M... 2013b. In: OTSUKA. KEARSLEY. Letramento digital na Educação a Distância: noções introdutórias. 1997. MILL.. J. D. KLEIMAN.Letras Espanhol . In: OTSUKA. 2013. Campinas. D. J. (org. Brasília: MEC/Unesco. M.U. J. Lei 9.). J.R. OLIVEIRA. Educação a Distância: formação do estudante virtual. A. BRASIL. G. 6. MILL. Escritos sobre educação: desafios e possibilidades para ensinar e aprender com as tecnologias emergentes. M. São Paulo: Paulus. In: OTSUKA. J..planalto. (Orgs. Educação a Distância: formação do estudante virtual. (Org.O. MILL. 2013c. Os significados do letramento.R.. São Carlos: EdUFSCar. Disponível em: http://www.br/ccivil_03/ leis/L9394. n° 24 de 23. cognição e processos de inclusão na contemporaneidade.L. O estudante da EaD: seu papel e sua organização para o estudo. São Carlos: EdUFSCar. Rio de Janeiro: Editora 34. DELORS.). 33 . MILL. D. OLIVEIRA. São Paulo: Cortez. OLIVEIRA. D. MILL. Educação a distância: uma visão integrada.. Estratégias de organização dos estudos na educação virtual pela visão dos estudantes. 1996. D. 2013a. V. D.L. 2013. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. In: MILL. 3. (Org.).). 2013.. V. 1995.. 2008. Mudanças de mentalidade sobre educação e tecnologia: inovações e possibilidades tecnopedagógicas. (org. os negócios e a sociedade. Educação a Distância. São Paulo: Thompson. G. OLIVEIRA. V. MACIEL. Lisboa: Relógio D’Água Editores. A.L.S. D.R. Educação: um tesouro a descobrir. In: KLEIMAN. 1999. In: MILL. Educação a Distância contemporânea: noções introdutórias. LÉVY. São Paulo: Editora 34.96. LIMA.R...L. D... MOORE. In: OTSUKA. 1993. São Carlos: EdUFSCar. OLIVEIRA.). de 20 de dezembro de 1996.). 2012 MILL.S. Campinas: Papirus. Cibercultura. P. MILL.L. 2003. SP: Autores Associados. Educação a Distância: formação do estudante virtual. OLIVEIRA.htm CASTELLS. São Paulo: Paulus. A importância da comunidade virtual de aprendizagem para o aluno da EaD. Escritos sobre educação: desafios e possibilidades para ensinar e aprender com as tecnologias emergentes. D. LÉVY. MILL. A galáxia da Internet: reflexões sobre a Internet.gov. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. (org. M. In: MILL.394.12. D.R. ed. Educação a Distância: formação do estudante virtual. D. G. 2001. M. (org. C. 2003. BATISTA. LIMA. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. M. L. M. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Sociedades grafocêntricas digitais e educação: sobre letramento. D. M.

C. 34 .. 1999. 2002. Belo Horizonte: Autêntica. SOARES. L. Letramento e alfabetização. In: COLL. R. ENGEL. São Paulo: Cortez. 2010.. Os ambientes virtuais de aprendizagem baseados no trabalho em grupo e na aprendizagem colaborativa. V. C. Tradução de Naila Freitas. 208-225.. p. J. Letramento: um tema em três gêneros. TFOUNI. COLOMINA.UAB/Unimontes . A.1º Período ONRUBIA. MONEREO. Porto Alegre: Artmed. Psicologia da educação virtual: aprender e ensinar com as tecnologias da informação e da comunicação. M.

Adriana da Silva Chaves Alysson Frederico Gonçalves Santos Betânia Maria Araújo Passos Maria Ângela Lopes Dumont Macedo Maria Aparecida Pereira Queiroz Thiago Mendes Borges Zilmar Santos Cardoso Ambiente Virtual de Aprendizagem .

. Tem experiência em supervisão escolar da Educação Básica. supervisora pedagógica de Educação Básica e coordenadora de tutoria em cursos a distância. Instituições. com ênfase em Avaliação de Sistemas. Betânia Maria Araújo Passos Graduada em Educação Fisica pela Universidade Federal de Viçosa (1995). Atua como professora da área temática educação no Núcleo de estudos afro-brasileiros .CEAD/Unimontes.UFMG. Atualmente. Atuação profissional: coordenadora Adjunta da Universidade Aberta do Brasil .CEAD/Unimontes. Atualmente é coordenadora de Projetos do Centro de Educação a Distância . Possui experiência na área de Educação. Atualmente é professora de Educação Superior da Unimontes.UTAD / Portugal (2012). e ainda Avaliação do Desempenho Docente.Unimontes. Maria Aparecida Pereira Queiroz Especialização em Metodologia de Ensino pela Universidade Federal de Minas Gerais . Mestre em Educação Física pela Universidade Católica de Brasília (2003). Atualmente atua como docente nos cursos de Pedagogia e de Licenciaturas e é Coordenadora de Apoio Pedagógico do Centro de Educação a Distância na Universidade Estadual de Montes Claros. Membro da Comissão Técnica do Programa Universidade Aberta e Integrada do Estado de Minas Gerais/UAITEC. Pós-graduanda em Engenharia de Sistema pela Universidade Aberta do Brasil .pela Universidade Estadual de Montes Claros. Tem experiência na área de Educação como docente de Curso Normal .Unimontes. Também pedagoga pela Unimontes. Responsável pelo Desenvolvimento de Softwares e Soluções em EAD/Moodle. Atualmente.Unimontes. Possui especialização em Psicopedagogia pela Universidade Estadual de Montes Claros. Alysson Frederico Gonçalves Santos Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estadual de Montes Claros .Unimontes Maria Ângela Lopes Dumont Macedo Doutoranda em Educação na linha de pesquisa “Política. Analista de Sistemas do Centro de Educação a Distância .UAB/Unimontes e Professora efetiva da Universidade Estadual de Montes Claros .ESAB.nível médio. Analista de Sistemas do Centro de Educação a Distância .CEAD/Unimontes. Responsável pela Administração e Suporte Tecnológico da Plataforma Moodle.NEAB . com pesquisa na linha de Currículo Escolar. Thiago Mendes Borges Graduado em Sistemas de Informação pela Universidade Estadual de Montes Claros . Mestre e pedagoga pela Universidade Federal de Minas Gerais .CEAD/Unimontes. Analista de Sistemas do Centro de Educação a Distância .Unimontes.UFMG. Zilmar Santos Cardoso Mestre em Educação pela Universidade de Itaúna.Autores Adriana da Silva Chaves Graduada em Sistemas de Informação pela Universidade Estadual de Montes Claros . Planos e Programas Educacionais.CEAD . Responsável pela Administração e Suporte Tecnológico da Plataforma Moodle. Participa da equipe de pesquisa do Centro de Educação a Distância .ESAB.linha de pesquisa: Políticas Públicas e Inclusão Social. Atualmente.Departamento de Educação da Unimontes .ESAB . Teoria e Prática em Supervisão Educacional e Educação a Distância pela Universidade Estadual de Montes Claros . Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Montes Claros. Trabalho e Formação Humana”. É Doutora em Desporto pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro . coordenadora geral da Universidade Aberta do Brasil/Unimontes. Pós-graduando em Redes de Computadores pela Universidade Aberta do Brasil . Pós-graduando em Engenharia de Sistema pela Universidade Aberta do Brasil . Membro da Comissão Técnica do Programa Universidade Aberta e Integrada do Estado de Minas Gerais/UAITEC. tutoria e coordenação de cursos de formação continuada na Educação a Distância.

. . . . . . . . . . . . . .2 Boxes da página inicial . . . . . . . . . . 89 . . . . . . . . . . . . . . 84 5 Considerações finais . . . . . . . . . . .4 Procedimentos para inserção de links . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .2 Seção da sala virtual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .3 Procedimentos para inserção de tabela . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41 2. . . . . . . . . . . . . 85 Referências . . . . . . . . .2 Procedimentos para inserção de vídeo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 82 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 79 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42 3 Acessando uma sala virtual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57 4 Editor de texto . .Sumário Plataforma moodle . . . . . . . . . . 42 2. . . . . . 81 4. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 79 4. . . . . . . . . 52 3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51 3. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .1 Seção da página inicial . . . . . . . . . . . . .1 Boxes da sala virtual . . . . . . . . .1 Procedimentos para inserção de imagem . . . . . . . . . . . . 39 2 Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem . . . . . . . . . . . . .

.

No Brasil. não ligados diretamente à educação. Por ser um projeto aberto. livre e gratuito. Há possibilidades de aplicação em diferentes práticas pedagógicas (MOODLE. voltados para a aprendizagem. em 2001. por exemplo. Muitas universidades e escolas já utilizam o Moodle em cursos totalmente virtuais e como apoio aos cursos presenciais. a plataforma está em desenvolvimento constante. tendo como filosofia uma abordagem social construtivista da educação (MOODLE. que é especialmente significativo para os programadores e acadêmicos da educação (MOODLE. Existem outros setores. Criado. É indicado também para outros tipos de atividades que envolvem formação de grupos de estudo. Isso faz com que seus usuários também sejam seus construtores. modificado e até distribuído. 39 . que utilizam o Moodle como. diversas instituições de ensino. ONGs e grupos independentes que interagem na internet. contribuímos também para sua constante melhoria. a UFMG e a UnB.Letras Espanhol . utilizado. pelo educador e cientista computacional Martin Dougiamas. 2012). ele pode ser carregado.Ambiente Virtual de Aprendizagem Plataforma moodle O Moodle é um sistema de administração de atividades educacionais destinado à criação de comunidades online em ambientes virtuais. enquanto o utilizamos. A palavra Moodle referia-se originalmente ao acrônimo Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment (Ambiente de Aprendizagem Dinâmico e Modular Orientado a Objetos). pois. treinamento de professores e até desenvolvimento de projetos. já utilizam o Moodle. O Moodle está sendo aperfeiçoado a cada dia e é sempre possível receber novos módulos com funções que atendam ainda mais aos diversos tipos de usuários. devidamente personalizado para suas necessidades. 2012). 2012). empresas privadas. como a Unimontes.

.

2013. Essa página é o ponto de partida para navegar através dos cursos e também permite que você faça algumas configurações individuais de usuário.Letras Espanhol . A página inicial é composta por duas partes. será exibida a página inicial do Ambiente Virtual de Aprendizagem. conforme mostra a FIG. 41 . 1.Ambiente Virtual de Aprendizagem 2 Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem Após efetuar o login. retratados nos subitens 2.2. Seção e Boxes.1 e 2. ◄ Figura 1: Página inicial do Ambiente Virtual de Aprendizagem Fonte: AVA.

listando todos os cursos oferecidos pelo Ambiente Virtual de Aprendizagem em suas respectivas categorias. conforme mostra a FIG. Em seguida. Os cursos também podem ser localizados através da opção Buscar cursos. localiza-se o menu Categoria de Cursos. 3. Figura 2: Seção da ► página inicial Fonte: AVA.UAB/Unimontes . você verá os boxes e todos os seus itens. 2.2 Boxes da página inicial À direita da página inicial. 2013.1º Período 2. 2.1 Seção da página inicial A seção fica à esquerda da página inicial. 42 . mostrando apenas os cursos para os quais o usuário foi alocado. No topo encontra-se o menu Meus cursos. conforme mostra a FIG.

Ambiente Virtual de Aprendizagem ◄ Figura 3: Boxes da página inicial Fonte: AVA. 43 .Letras Espanhol . 2013. A seguir será retratado cada item desses boxes.

Aparecerá uma janela com as mensagens. editar e criar um novo evento a ser destacado na plataforma.UAB/Unimontes . 44 . aparecerá uma página onde o usuário poderá visualizar. 2013. 2013. para visualizá-las. 5. por um determinado usuário. 2 Calendário Ao clicar no link correspondente ao mês e ano. Figura 4: Box ► mensagens Fonte: AVA. 6. Figura 5: Visualização ► de mensagem Fonte: AVA. sendo possível respondê-las no campo Mensagem. Basta clicar no número correspondente a quantidade de mensagens enviadas. 2013. conforme mostra a FIG. Figura 6: Box ► Calendário Fonte: AVA.1º Período 1 Mensagens Alertará o usuário que existem mensagens a serem lidas. conforme mostra a FIG.

Letras Espanhol . Servirá para criar sua própria agenda e poderá ser visualizado em qualquer lugar no sistema. Fazendo isso. • Evento do Usuário: Eventos agendados tanto pelo professor quanto pelos estudantes do curso. ◄ Figura 7: Box Novo evento e botão Novo evento Fonte: AVA. • Evento do Grupo: Eventos agendados pelo professor da disciplina direcionados a um determinado grupo. Para criar um novo evento. 2013. 7. • Evento do Curso: Eventos agendados pelo professor da disciplina direcionados para os estudantes. clique no botão Novo evento localizado no canto superior direito da tela.Ambiente Virtual de Aprendizagem Nesta página. conforme mostra a FIG. possui um box chamado Chave de eventos com quatro tipos de eventos distintos: • Evento Global: Eventos postados pelo administrador do sistema e que serão visualizados por todos os usuários. aparecerá a seguinte tela: 45 .

UAB/Unimontes - 1º Período

Figura 8: Criar novo ►
evento
Fonte: AVA, 2013.

Nesta tela, o aluno deverá informar o nome, descrição, data e duração do evento. Para gravar o evento, deve-se clicar no botão Salvar mudanças.

3 Usuários Online
Mostrará os usuários que estão utilizando o ambiente nos últimos 5 minutos.

Figura 9: Box Usuário ►
online
Fonte: AVA, 2013.

46

Letras Espanhol - Ambiente Virtual de Aprendizagem

4 Configurações
Permite a visualização e as alterações do perfil do usuário. Ao clicar na opção Minhas Configurações de perfil, aparecerão os links para Modificar perfil, Mudar a senha e Mensagens,
conforme mostra a FIG. 10.

◄ Figura 10: Box
Configurações
Fonte: AVA, 2013.

4.1 Modificar perfil
Este link permite ao usuário editar e modificar as informações que serão disponibilizadas em
seu perfil. Ao clicar nesse link, o usuário visualizará a seguinte tela:

47

UAB/Unimontes - 1º Período

Figura 11: Modificar ►
perfil
Fonte: AVA, 2013.

48

é possível alternar as opções disponíveis: receber mensagens por notificação pop-up (na própria plataforma) ou por e-mail. 4. Ao clicar nesse link. Assim. Ao clicar nesse link. quando estiver autenticado ou offline.Letras Espanhol .2 Mudar a senha Este link permite ao usuário modificar a senha.3 Mensagens Este link permite ao usuário configurar métodos de aviso para mensagens recebidas. o usuário visualizará a seguinte tela: ◄ Figura 12: Mudar a senha Fonte: AVA.Ambiente Virtual de Aprendizagem 4. 2013. o usuário visualizará a seguinte tela: 49 .

1º Período Figura 13: Configuração ► de aviso de mensagens Fonte: AVA.UAB/Unimontes . 2013. 50 .

Letras Espanhol . com seu perfil de administrador da sala virtual. retirar e mudar de localização todos os boxes de sua sala virtual. dentre outros. a seguir apresentados. A configuração básica com que cada sala foi criada é passível de modificações. lista de participantes. A tela da sala virtual será sua interface com todo o conteúdo do curso. explicaremos o funcionamento de cada um deles para que você compreenda melhor. Lá estarão listados os materiais de estudo. fóruns. 2013. mas isso pode ser modificado. Os boxes. Prosseguindo. 51 . incluir. estão considerando sua localização inicial nas laterais. por essa razão. o professor. Essa tela também é organizada em boxes e.Ambiente Virtual de Aprendizagem 3 Acessando uma sala virtual Veja abaixo um modelo de uma sala virtual no Ambiente Virtual de Aprendizagem: ◄ Figura 14: Sala virtual Fonte: AVA. pode a qualquer tempo.

2013.UAB/Unimontes . você verá os boxes e todos os seus itens.1º Período 3.1 Boxes da sala virtual À direita da sala virtual. Figura 15: Boxes da sala ► virtual Fonte: AVA. 52 . conforme mostra a FIG. 15.

professor. estudante. clicando no nome de um usuário específico. 1 Participantes Mostra os participantes do curso (professores. estudantes e tutores). É através desse box que o aluno poderá enviar uma mensagem.Ambiente Virtual de Aprendizagem A seguir será retratado cada item desses boxes. Inativo por mais de: mostra os usuários que estão inativos por um período escolhido pelo usuário. de acordo com a escolha do usuário. Além disso.Letras Espanhol . Uma nova página será aberta com o perfil do usuário. basta clicar no nome do usuário. Lista de usuário: mostra com mais/menos detalhes os usuários presentes na sala virtual. Para isso. dentre outras). Papel atual: Filtra os usuários de acordo com sua função (tutor. 53 . basta clicar no botão Enviar uma mensagem. a quem se deseja enviar uma mensagem. é possível visualizar as seguintes opções de filtro: Meus cursos: mostra os cursos em que o usuário está inscrito no ambiente. Para escrever e enviar a mensagem. o usuário terá a seguinte opção de visualização: ◄ Figura 16 : Box Participantes Fonte: AVA. Ao clicar no link Participantes. 2013.

conforme mostra a FIG. Para visualizar a mensagem. adicionar contatos e visualizar o histórico de mensagens trocadas com um dado usuário. em segundo plano. Portanto. Depois disso. 54 . uma nova janela será aberta para que a mensagem seja escrita.1º Período Figura 17: Enviar uma ► mensagem Fonte: AVA. Podem variar em tamanho. além de enviar a mensagem para o e-mail de algum usuário cadastrado. 2013. o aviso permite visualizar a mensagem numa janela pop-up e também no box Mensagens. será mostrado um aviso na parte inferior da janela do curso conhecida por janela pop-up. As janelas pop-ups são janelas que surgem automaticamente sem a sua permissão. Em razão da norma padrão. mas geralmente não ocupam a página inteira. Figura 18: Escrever e ► enviar mensagem Fonte: AVA. Alguns pop-ups abrem no topo da janela atual do navegador. basta clicar no link Ir para mensagens. 19. Nessa tela é possível também bloquear. 2013. enquanto outras surgem por trás da janela do navegador. quando receber uma mensagem de algum usuário.UAB/Unimontes .

Letras Espanhol . Para desbloquear a janela popup. clique na opção Desbloquear pop-ups de. ◄ Figura 20: Box Últimas notícias Fonte: AVA. as janelas pop-up são bloqueadas automaticamente pelos navegadores. O site será adicionado à lista de exceções. 55 . Sempre que o navegador bloquear pop-ups de um site. Clique no ícone para ver os pop-ups que foram bloqueados ou para gerenciar as configurações de pop-up do site. apenas o administrador do sistema pode postar mensagens. Em seguida. atualize a página clicando na tecla F5 do teclado. selecione a opção Sempre mostrar pop-ups de [site]. será aberta uma nova tela com todas as notícias ou avisos publicados no Fórum de notícias. não sendo permitido aos usuários criar novos tópicos ou responder as mensagens. 20. e atualize a página clicando na tecla F5 do teclado. conforme mostra a FIG.Ambiente Virtual de Aprendizagem ◄ Figura 19: Janela pop-up Fonte: AVA. 2 Últimas notícia Serve para publicações de avisos pelo administrador do sistema. Clique no link da janela pop-up que você deseja ver. Nesse Fórum. aparecerá um menu. basta clicar no botão Opções na barra de informação que aparece com o ícone . Para ver sempre os pop-ups do site. que pode ser gerenciada na caixa de diálogo Configurações de conteúdo. Em seguida. Ao clicar no link Tópicos antigos. 2013. no navegador Mozilla Firefox. no Google Chrome. o ícone   aparecerá na barra de endereço. 2013. Ainda por padrão.

através dos links em destaque. caso exista. conforme mostra a FIG. 6 Configurações Este box apresenta as opções de visualização de notas e administração do perfil. 2013. permitindo inclusive uma interação síncrona entre os participantes. A inclusão das atividades. Figura 21: Box Próximos ► eventos Fonte: AVA. Figura 22: Box Próximos ► Eventos Fonte: AVA. neste Box. É possível visualizar o calendário e criar um novo evento. naquela sala virtual. assim que as datas de realização das atividades aproximam-se do seu término. Figura 23: Box Meus ► Cursos Fonte: AVA.1º Período 3 Próximos eventos Apresenta as atividades a serem realizadas pelo aluno com seus respectivos prazos.UAB/Unimontes . 2013. 4 Usuários Online Possibilita visualizar os participantes que estão online naquele momento. 21. por meio do chat da própria sala virtual. 2013. é efetuada de forma automática. 5 Meus cursos Este box apresenta os cursos nos quais o usuário está cadastrado. 56 .

1. entre outros) para os alunos. cronograma. 25. ◄ Figura 25: Opção Administração do curso Fonte: AVA. 2013. 57 . 2013. ◄ Figura 26: Página de visualização de nota Fonte: AVA. 6.Ambiente Virtual de Aprendizagem ◄ Figura 24: Box Configurações Fonte: AVA. conforme mostra a FIG. E normalmente é subdividida em tópicos ou números de semanas. 3.2 Seção da sala virtual A seção da sala virtual é o local onde o professor irá disponibilizar o material (caderno didático. conforme mostra a FIG. 6.1 Administração do curso Ao clicar nesta opção.Letras Espanhol . link a um site.1 Notas Esta opção permite ao aluno visualizar as suas notas. aparecerá o link Notas. plano de ensino. textos complementares. 27. 2013.

58 .2.2. a seção da sala virtual foi divida em três tópicos. os Recursos e no terceiro. conforme subitens 3. 3. No primeiro tópico é descrita a Apresentação do curso.UAB/Unimontes . 2013.2 e 3.3.1º Período Para melhor exemplificar.2.1. Figura 27: Seção da Sala ► virtual Fonte: AVA. no segundo. as Atividades que poderão ser disponibilizadas pelo professor.

Para acessá-lo. entre outros. o aluno deverá clicar sobre o arquivo. 29. expor os objetivos do curso. 2013. 28. entre outros.Ambiente Virtual de Aprendizagem 3. os professores utilizam este espaço para dar as boas-vindas aos alunos. plano de ensino. Assim. como: documentos de texto. como: caderno didático. 3. cronograma.2 Tópico de recursos Os recursos são simplesmente conteúdos exibidos através de páginas da própria plataforma ou qualquer material que possa ser representado por um arquivo de qualquer tipo. será aberta uma janela que mostrará as opções de abrir ou fazer o download do arquivo.2. . apresentações de slides. conforme mostra a FIG.2.ppt. arquivos de imagem. .Letras Espanhol . áudio e vídeo.pdf.1 Tópico de apresentação Normalmente. Conforme mostra a FIG. fóruns de notícias e de apresentação. ◄ Figura 28: Modelo Tópico de apresentação Fonte: AVA.doc. descrever os contatos e disponibilizar os recursos e as atividades que englobam todo o curso. Os recursos que o professor poderá acrescentar à disciplina são descritos a seguir: 1 Arquivo Este recurso permite ao professor disponibilizar um link para um arquivo de qualquer extensão (. 59 . entre outros).

conforme FIG. será aberta outra página contendo os arquivos correspondentes ao diretório. 60 . 2 Pasta Esta opção permite que o professor disponibilize um diretório (pasta). 30.UAB/Unimontes . o aluno deverá clicar sobre o diretório.1º Período Figura 29: Link para um ► arquivo Fonte: AVA. Em seguida. 2013. conforme mostra a FIG. Para acessá-lo. Figura 30: Link para uma ► pasta Fonte: AVA. 31. 2013.

Para acessá-la. 2013. 33. 3 Página Este recurso permite ao professor criar uma página web. ◄ Figura 32: Link para uma página web Fonte: AVA. o aluno deverá clicar sobre a página. Logo após será aberta um página com o texto em formato de site. conforme mostra a FIG. 2013. 61 .Letras Espanhol .Ambiente Virtual de Aprendizagem ◄ Figura 31: Pasta Fonte: AVA. 32. conforme mostra a FIG.

basta clicar sobre o mesmo. Para acessá-lo. A página será redirecionada para o site correspondente. 5 URL 62 Este recurso permite ao professor disponibilizar um site relevante à disciplina. 4 Rótulo É um texto estático usado para separar ou agrupar um conjunto de recursos/atividades dentro de um mesmo tópico. conforme mostra a FIG. 2013.1º Período Figura 33: Página web ► Fonte: AVA. . 35. 2013.UAB/Unimontes . Figura 34: Rótulo ► Fonte: AVA.

2. 3. 2013. participar da criação colaborativa de documentos. o aluno deverá clicar sobre o chat.Ambiente Virtual de Aprendizagem ◄ Figura 35: Link para uma URL Fonte: AVA. Para acessá-lo. como: desenvolver documentação. respondendo a questionários. conforme mostra a FIG. ◄ Figura 36: Link para um chat Fonte: AVA. pesquisas.Letras Espanhol . existe uma gama de atividades disponíveis que permite ao estudante postar vários tipos de trabalhos. tutores e professores estabelecem uma comunicação por escrito e online. 36.3 Tópico de atividades No Moodle. 63 . 2013. entre outras atividades. As atividades que o professor poderá acrescentar na disciplina são descritas a seguir: 1 Chat O chat é uma atividade de bate-papo em que os alunos.

A mensagem deve ser digitada na caixa de texto. basta clicar na opção disponível. É necessário marcar a opção desejada e pressionar o botão Gravar minha resposta. naquele momento. na coluna esquerda serão postados os textos e na coluna direita a relação de usuário on-line. 37. Após. Figura 38: Link para uma ► escolha Fonte: AVA. será aberta uma janela. Clique sobre o link: Clique aqui para entrar no chat.1º Período Ao clicar sobre o chat. deve-se pressionar o botão ENTER do teclado para que a mensagem seja enviada a todos participantes do chat. E logo em seguida. 2013. 2 Escolha São enquetes que servem para pesquisas de opinião ou votações.UAB/Unimontes . você será redirecionado para a página referente à FIG. Para manifestar sua opinião sobre determinado assunto. Figura 37: Chat ► Fonte: AVA. conforme a FIG. para participar do chat. 2013. 38. 64 .

41. Fonte: AVA. conforme FIG.Ambiente Virtual de Aprendizagem ◄ Figura 39: Escolha Fonte: AVA. relacionados aos conteúdos programáticos da disciplina.Letras Espanhol . basta clicar sobre o mesmo. Para participar do Fórum. 3 Fórum Permite que os participantes interajam para tratar de assuntos diversos. conforme mostra a FIG. Para responder. ◄ Figura 40: Link para um fórum. Será aberto o fórum com seus devidos tópicos. 2013. 40. clique em um de seus tópicos. 65 . 2013.

Agora clique no link Responder.1º Período Figura 41: Tópico do ► fórum Fonte: AVA. conforme mostra a FIG.UAB/Unimontes . 2013. 42. 66 . Figura 42: Link ► Responder do fórum Fonte: AVA. Redija sua resposta e clique em Enviar mensagem ao fórum. 2013.

Ambiente Virtual de Aprendizagem ◄ Figura 43: Enviar mensagem ao fórum Fonte: AVA. basta clicar sobre o glossário: 67 . a mensagem aparecerá da seguinte maneira: ◄ Figura 44: Mensagem enviada ao fórum Fonte: AVA.Letras Espanhol . Depois de enviada. Para participar desta atividade. 4 Glossário Esta atividade permite que os participantes criem e atualizem uma lista de definições como em um dicionário. 2013. 2013.

68 . categoria. Para adicionar um novo termo. data de inserção e por autor. por fim. 2013. é possível visualizar os significados por: ordem alfabética.1º Período Figura 45: Link para um ► glossário Fonte: AVA.UAB/Unimontes . No glossário. acrescente a palavra e seu significado nos campos Conceito e Definição. respectivamente e. Figura 46: Glossário ► Fonte: AVA. clique no botão Salvar mudanças. Em seguida. clique em Inserir novo item. 2013.

O termo será exibido da seguinte forma: ◄ Figura 48: Exibição do termo no glossário Fonte: AVA.Letras Espanhol .Ambiente Virtual de Aprendizagem ◄ Figura 47: Inserção de termo no glossário Fonte: AVA. 2013. 69 . 2013.

Figura 50: ► Procedimento para edição de texto online Fonte: AVA. conforme mostra a FIG. Exemplos de atividades: redações. . exercícios. 5. 2013. 50. pois esta tarefa não tem o campo de postagem do arquivo. Figura 49: Link para um ► texto online Fonte: AVA. o aluno tem acesso ao editor do ambiente e desenvolve a tarefa online. 2013.1 Texto online Neste tipo de tarefa. entre outras tarefas. utilizando a plataforma.UAB/Unimontes . que pode ser digitada no próprio ambiente ou enviada em formato digital ao professor do curso. Clique no botão Adicionar apresentação. o que muda é a visualização. projetos.1º Período 5 Tarefa Consiste na descrição ou na apresentação de uma atividade a ser desenvolvida pelo participante. 70 Digite o texto e clique no botão Salvar mudanças. O ícone é o mesmo da tarefa de Envio de Arquivo. relatórios.

Letras Espanhol - Ambiente Virtual de Aprendizagem

◄ Figura 51: Procedimento
para edição de texto
online
Fonte: AVA, 2013.

O aluno terá a possibilidade de alterar o arquivo, até a data de entrega, clicando no botão
Editar o documento enviado.

◄ Figura 52:
Procedimento para
edição de texto online
Fonte: AVA, 2013.

5.2 Envio de arquivo único
Esta tarefa permite que cada participante envie um ou mais arquivos de qualquer extensão.
Contudo, a quantidade de arquivo a ser enviada pelo aluno é definida pelo professor.

71

UAB/Unimontes - 1º Período

Figura 53: Link para um ►
envio de arquivo único
Fonte: AVA, 2013.

Clique no botão Adicionar apresentação, conforme mostra a FIG. 54.

Figura 54: ►
Procedimento para
envio de arquivo
Fonte: AVA, 2013.

Clique no link Adicionar, conforme mostra a FIG. 55.

72

Letras Espanhol - Ambiente Virtual de Aprendizagem

◄ Figura 55:
Procedimento para
envio de arquivo
Fonte: AVA, 2013.

Em seguida, abrirá a seguinte tela para selecionar o arquivo. Clique no botão Escolher arquivo.

◄ Figura 56:
Procedimento para
envio de arquivo
Fonte: AVA, 2013.

Localize o arquivo desejado e clique em Abrir, conforme mostra a FIG. 57.

73

2013. Preencha o campo Salvar Como para modificar o nome do arquivo e. 74 . 2013. em seguida. clique no botão Enviar este arquivo. Clique no botão Salvar mudanças. Figura 58: ► Procedimento para envio de arquivo Fonte: AVA.UAB/Unimontes .1º Período Figura 57: ► Procedimento para envio de arquivo Fonte: AVA.

61. basta clicar sobre o wiki. 75 . conforme mostra a FIG.Letras Espanhol . 2013.Ambiente Virtual de Aprendizagem ◄ Figura 59: Procedimento para envio de arquivo Fonte: AVA. Para participar desta atividade. 6 Wiki Permite aos participantes de um curso uma interação colaborativa. clicando no botão Editar o documento enviado. 2013. O aluno terá a possibilidade de alterar o arquivo. de modo que possam construir coletivamente um determinado conteúdo. até a data de entrega. ◄ Figura 60: Procedimento para envio de arquivo Fonte: AVA.

Para editar um texto.UAB/Unimontes . o mapa e os arquivos do texto colaborativo.1º Período Figura 61: Link para um ► Wiki Fonte: AVA. 2013. Em seguida. clicando no botão Salvar. clique na aba Editar. editar. 2013. 76 . Figura 62: ► Procedimento para edição do Wiki Fonte: AVA. digite o texto e salve o arquivo. No wiki é possível visualizar. ver o histórico.

Ambiente Virtual de Aprendizagem A FIG. 77 . 2013. ◄ Figura 63: Procedimento para edição do Wiki Fonte: AVA.Letras Espanhol . É possível visualizá-lo quando for necessário. clicando no botão Visualizar. 63 mostra a imagem do texto salvo com sucesso.

.

alinhar à esquerda. Passo 3 .Clique onde você deseja inserir a imagem. Isto pode incluir um texto com uma variedade de estilos. Alinhamento: justificar. a imagem que aparece no site original também aparecerá na sua página. sublinhado. mídia. tabela. 4. Hyperlinks/Inserir hiperlink/Remover hiperlink.1 Procedimentos para inserção de imagem Para inserir uma imagem. glossário. O editor é um elemento comum que aparece em praticamente todas as atividades da Sala virtual. colar como texto plano. como: fórum. Fonte: AVA. digite o endereço na URL da imagem.Em seguida. Efeitos no texto: negrito. sobrescrito. abrirá uma caixa de diálogo Inserir/editar uma imagem. alinhar à direita. multimídia. imagens. 2013. QUADRO 1 – Ferramentas do Editor de texto BOTÃO DESCRIÇÃO Configura o estilo de parágrafo.Letras Espanhol . desta forma. Formato: Limpar código incorreto. Alternar Tela inteira. centralizar. Note que. tabelas.Ambiente Virtual de Aprendizagem 4 Editor de texto O Moodle possui um editor de HTML. itálico.Clique no botão na barra de ferramentas do editor. Marcadores/Numeração. remover formatação. 79 . Passo 2 . cuja gestão é semelhante a um processador de texto. 2013. caracteres especiais. colar texto copiado do Word. subscrito. ◄ Figura 64: Ferramentas do Editor de texto Fonte: AVA. etc. Editar código fonte e alternar verificação ortográfica. Desfazer/Refazer. Inserir: imagem. texto online e Wiki. Se a intenção é apenas de vincular uma imagem a partir da Internet. clique no ícone e siga os seguintes passos: Passo 1 .

pressione o botão Escolher arquivo e localize o arquivo da imagem salva em seu computador. Avançada. 2013. existem alguns que podemos modificar.1º Período Caso o seu intuito seja enviar uma imagem salva em seu computador. Figura 65: Inserir ► imagem Fonte: AVA. Fonte: AVA.UAB/Unimontes . onde o professor poderá formatar e criar textos a serem visualizados pelos alunos. selecione a opção Enviar um arquivo. 80 . Para carregar uma imagem do seu computador. Os parâmetros de Configuração estão divididos em três abas: Geral. Figura 66: Ferramenta ► de upload de arquivo. A imagem aparecerá dentro da caixa de diálogo do sumário. 2013. clique em Encontrar ou enviar uma imagem. clique em Enviar este arquivo. Dentre os parâmetros. Aparência. Quando terminar. Insira um novo nome para o arquivo no campo Salvar como.

pressione o botão na barra de ferramentas. 4.Letras Espanhol .Clique onde você deseja inserir o arquivo.Em seguida. Passo 2 . o parâmetro Descrição da imagem serve para inserir uma frase que descreve a imagem. Na aba Aparência. o parâmetro Alinhamento serve para alinhar a imagem (centro. clique no ícone e siga os seguintes passos: Passo 1 . sendo desnecessário modificá-los. aparecerá outros parâmetros para Configuração da imagem.Abrirá a caixa de diálogo Inserir/Editar mídia. esquerda e direita). Essa frase será exibida quando o usuário passar o cursor do mouse sobre a imagem. Clique em Encontrar ou enviar um som. Passo 3 .Ambiente Virtual de Aprendizagem ◄ Figura 67: Parâmetros e Configurações da imagem Fonte: AVA. Na aba Geral.2 Procedimentos para inserção de vídeo Para inserir um arquivo de vídeo. 81 . vídeo ou applet. E na aba Avançado. E o campo Dimensões serve para modificar o tamanho da imagem. 2013.

82 . siga os mesmos passos de inserção de imagem. vídeo ou applet.3 Procedimentos para inserção de tabela Para inserir uma tabela.1º Período Figura 68: Inserir Vídeo ► Fonte: AVA. 2013. abrirá uma caixa de diálogo onde se devem especificar os parâmetros da tabela a se criar.UAB/Unimontes . Na sequência. 4. É possível selecionar um arquivo existente na plataforma (arquivos privados ou recentes) ou fazer upload de um arquivo. Será exibida a tela de seleção de arquivos. Para inserir um vídeo. clicando no link Encontrar ou enviar um som. clique no ícone do editor.

independentemente do tamanho da janela.Letras Espanhol . Dentre os parâmetros. • Alinhamento: o alinhamento da tabela centro. Pode ser especificada tanto em pixels (por exemplo. em número de pixels. significa que não haverá bordas. a tabela terá sempre uma largura. 90%). Na aba Avançado. • Largura: a largura da tabela. • Espaçamento da célula: a distância entre a célula especificada em pixels. • Borda: a largura das linhas de borda da tabela. • Preenchimento da célula (cellpadding): o tamanho da célula padrão é automaticamente ajustado ao seu conteúdo. • Linhas: número de linhas da tabela. • Altura: a altura da tabela. Se especificar uma percentagem. se quisermos que as células tenham um tamanho mínimo independentemente do conteúdo. É necessário apenas especificar o número de colunas e de linhas. devemos especificar aqui o tamanho. aparecerá outros parâmetros que permitem maior controle da aparência da tabela.Ambiente Virtual de Aprendizagem ◄ Figura 69: Inserir tabela Fonte: AVA. os demais parâmetros são opcionais. a tabela terá uma largura em relação ao tamanho da janela. de acordo com a nossa intenção de criar a tabela. A aba Geral possui os seguintes parâmetros: • Colunas: número de colunas da tabela. Na maioria dos casos é suficiente para especificar a largura ou apenas a altura. Se especificar em pixels. 83 . esquerda. • Classe: este parâmetro é pré-configurado. onde é visualizada. é possível especificar a cor de fundo e bordas da tabela. 2013. • Título da tabela: criar uma célula no cabeçalho para colocar um título na tabela. 700) como uma percentagem (por exemplo. Se você escrever 0 no campo referente a borda. direita. sendo desnecessário modificá-lo. No entanto.

Em seguida. selecione a opção para abertura da página “linkada”. Figura 70: Inserir Link ► Fonte: AVA.4 Procedimentos para inserção de links Para inserir um link. Em alvo. deve-se primeiro selecionar o texto e pressionar o ícone na barra de ferramentas do editor. digitar ou colar a URL da página que queira aberta.1º Período 4. 84 .UAB/Unimontes . 2013.

2013. seu tempo será encerrado para que outro usuário não acesse o sistema como se fosse você. Se o navegador for fechado diretamente sua seção ficará aberta. 85 .Letras Espanhol . ◄ Figura 71: Recurso “Migalhas de pão” Fonte: AVA.Ambiente Virtual de Aprendizagem 5 Considerações finais É importante ressaltar que após 30 minutos sem atividades na plataforma. Para isto. Durante a utilização do Ambiente Virtual de Aprendizagem. Existem alguns ícones que aparecem na sala virtual. utilize o recurso “Migalhas de Pão” para que a página não fique carregando a toda hora. clique na palavra Sair no canto superior direito e nunca feche diretamente o navegador. Caso você esqueça a plataforma aberta em algum lugar. o sistema fecha a seção por motivo de segurança. 72. Faça logoff sempre que sair do sistema. conforme mostra a FIG.

UAB/Unimontes . 2013. 86 .1º Período Figura 72: Alguns ícones ► da sala virtual Fonte: AVA.

Indica os participantes. Indica escolha (enquetes).Ambiente Virtual de Aprendizagem O QUADRO 2 mostra a descrição de alguns ícones: QUADRO 2 – Ícones da sala virtual ÍCONES FUNÇÃO Indica um curso. 87 . 2013. Indica um link para um website externo. Indica arquivos (diretório). A boa utilização de todos os recursos do ambiente é que irá incrementar o aprendizado durante o curso. Indica recursos que devem ser lidos (são textos ou artigos referentes ao curso). Fonte: AVA. Indica fóruns. Indica glossários (lista de termos com seus significados). Desta forma. Indica um questionário ou avaliação que necessita ser respondida. Indica tarefas ou exercícios. Indica chats (salas de bate-papo).Letras Espanhol . Indica um questionário ou avaliação que necessita ser respondida. é importante que você siga os passos de utilização e navegação do Ambiente Virtual de Aprendizagem. Indica a tabela de notas de cada aluno.

.

CEAD.br>. Disponível em <http://docs.unimontes. Desenvolvido pela equipe tecnológica do Centro de Educação a Distância (CEAD) da Universidade Estadual Montes de Claros (Unimontes).org/all/pt_br/Sobre_o_ Moodle>.Letras Espanhol . MOODLE. Acesso em 17jun. Acesso em 21 maio 2013. Centro de Educação a Distância. Acesso em 17 jun. Ambiente Virtual de Aprendizagem. Disponível em <http://www.php/ead-extensao>. cead. 2013. 2013. 2013.Ambiente Virtual de Aprendizagem Referências AVA. Disponível em <www. Desenvolvido pela equipe tecnológica do CEAD/Unimontes.br/index. 2012. Sobre o Moodle. 2013.unimontes. 89 .cead. Apresenta informações do Centro de Educação a Distância.moodle.