Você está na página 1de 17

Módulo IX

Simulação Pedagógica
Final

DFRH. no todo ou em parte.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL Ficha Técnica Título: Autoria: Coordenação: Edição: Composição Gráfica: Direitos de Autor: este artigo não pode ser reproduzido. qualquer que seja o modo utilizado. sem previa autorização dos autores. CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 2 de 17 | P á g i n a Mod.111/00 .

......... 2 Índice ......................................................................................... 6 A Relação Pedagógica ............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................DFRH......................................................... 17 CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 3 de 17 | P á g i n a Mod................ 9 O Visionamento.......................................................... 8 Os Auxiliares Pedagógicos ............... 12 SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA ...................................... 9 Conclusão.................................111/00 ............. 7 O Desenrolar da Sessão ........................................................................................................................................................................................................................ 4 Comportamentos no Momento da Autoscopia ............................................................... 12 QUESTIONÁRIO ................................................................................................................ 5 A Presença do Formador .................................................................................................................................... 14 PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE UM MÓDULO DE AUTOSCOPIA .............................................................................................................. 15 GRELHA DE ANÁLISE DE AUTOSCOPIA ....................................................................................................................................................... 16 REFLEXÃO SOBRE O PROCESSO DE FORMAÇÃO .............................................................................................................. 11 Anexos ........................................... 3 Introdução............................................................................. 8 A Videogravação das Sessões ...................................MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL Índice Ficha Técnica ...............................................................

sem recurso a planificação formalmente concebida e elaborada. Chamamos uma atenção especial para a 1ª Simulação.111/00 .DFRH. CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 4 de 17 | P á g i n a Mod. da sua preparação pedagógica. através da qual empiricamente. muito contribuirão os resultados e performances atingidos ao longo dos módulos anteriores. exerceu a prática pedagógica.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL Introdução Para o sucesso desta fase crucial da sua Formação pedagógica final. A planificação é um contributo inquestionável para o êxito desta fase final.

Identificar quais os principais comportamentos a adotarem no momento da simulação pedagógica.DFRH.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL Comportamentos no Momento da Autoscopia OBJETIVOS: No final da unidade. as últimas reflexões e dúvidas já foram amadurecidas. o Formando deverá: .111/00 . Esta formação é um ponto de partida. contribuindo. agora. A humildade pedagógica é boa conselheira: não nos convençamos nunca que já sabemos tudo. devemos questionar-nos permanentemente. apresentar o “produto” deste longo e árduo trabalho de preparação. refletindo analiticamente sobre os traços comportamentais observados ao longo das sessões simuladas de micro-ensino-aprendizagem. com o nível de desempenho demonstrado na 1ª Simulação. todo o resultado do preenchimento das grelhas de observação e avaliação das simulações videogravadas. todos os Formandos estão em condições de desenvolver e avaliar micro-sessões de Formação videogravada. os materiais auxiliares pedagógicos estão em fase de conclusão. Importa. Pelo contrário. nos apresentem críticas construtivas à nossa performance profissional. Vamos. para este fim. Assim. visionaremos todas as sessões e teremos oportunidade de exercitar competências de auto e heteroanálise. não um ponto de chegada. neste momento. CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 5 de 17 | P á g i n a Mod. É o momento oportuno para confrontar o nível de competências pedagógicas ao longo de todo o processo formativo deste curso. salientar os aspetos pedagógicos que foram objeto de um maior aperfeiçoamento. que já nada temos a aprender. agora. A planificação está pronta. questionando e aprofundando os aspetos pedagógicos mais importantes. que somos “bons” Formadores. pedirmos a outros profissionais que observem o nosso desempenho e. podemos concluir que. No final.

para que todos os formandos o oiçam e captem à primeira o essencial das suas frases. Evite colocar-se “atrás” de qualquer coisa. Tente manter a calma.DFRH. todas as atenções e todos os olhares estarão centrados em si. a sua linguagem e a sintaxe das suas frases não devem atraiçoá-lo. uma elocução clara e nítida. nas suas reações. um marcador. na sua pessoa. o contrário seria fator de dispersão ou desconcentração. a sua angústia. evitando a todo o custo mostrar o seu embaraço. ajustar e adequar os materiais de suporte pedagógico às características dos Formandos e às novidades introduzidas quase permanentemente ao nível das novas tecnologias da informação. Devemos reformular.111/00 . problematizar as nossas opções metodológicas. Encare os Formandos de frente.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL Ao longo da nossa vida profissional devemos procurar. olhando-os nos olhos. só vai fragilizar ainda mais a sua posição. a sua voz. o seu nervosismo. As grandes questões: “O que esperam de mim?” “Sobre que vou ser observado/avaliado?” “Que aspetos ou comportamentos devo privilegiar?” “Como vai ser organizado este processo da Autoscopia?”  A Presença do Formador Em primeiro lugar. evitando a desmotivação do público. de forma discreta. atualizar os conhecimentos. percorra toda a sala e mostre que pretende dialogar ou manter contacto com todos os elementos do grupo de Formação. refletir sobre a interação relacional Formandos-Formador-contexto de Formação. se bem manuseados. Vamos passar à sessão de Formação videogravada com que vai terminar a sua preparação pedagógica inicial. podem ser um ótimo aliviador de tensões ou stress. sem o exibir exageradamente ou “esmagá-lo” entre elas: uma esferográfica. Tenha sempre algo nas mãos. Utilize um tom de voz equilibrado. CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 6 de 17 | P á g i n a Mod. nas suas atitudes. Apresente vários registos expressivos ao longo das suas intervenções.

Utilize pedagogicamente todas as intervenções dos formandos.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL Tente apresentar uma presença agradável. só assim poderá despertar algum interesse ou entusiasmo nos seus formandos. as perguntas são pedidos de CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 7 de 17 | P á g i n a Mod. Concluindo.111/00 . de conflitos. Não encare qualquer questão colocada como uma prova da sua competência. por vezes quase impercetível. Não abandone os formandos por muito tempo. propiciando momentos de debate de ideias e pequenas discussões temáticas. faça alguns investimentos pedagógicos:  Dirija-se aos Formandos tratando-os pelo nome.. Marque a sua presença e exerça um papel de regulador de toda a atividade dos formandos. o que vai condicionar positiva ou negativamente todo o percurso formativo. este feedback vai propiciar um clima de autoconfiança e entusiasmo dos seus Formandos. Seja firme e assertivo. com respeito mútuo. aproveite as questões ou respostas destes para fazer sínteses parciais ao grupo. Para evitar um cenário relacional nebuloso. O mundo das emoções é impossível de ser controlado e a subjetividade e. porque permite ao seu público-alvo a sua primeira impressão sobre si. Seja um animador. facilite as permutas grupalmente. não menos importante se nos afigura a questão do nível de relação pedagógica que vai conseguir estabelecer com todo o grupo de Formação.  A Relação Pedagógica Se o aspeto anterior é muito importante para o sucesso da sua Formação. quantas vezes. não se sinta “ameaçado”. domine as suas atitudes e reações impulsivas. o livre arbítrio. de calor e entusiasmo. facilite e propicie um clima de grupo. Estimule as intervenções dos Formandos. de calma e de estabilidade emocional.. num clima de autodomínio. prove que todos os elementos do grupo lhe merecem a mesma atenção. de relações interpessoais mais ou menos tempestuosas: a barreira entre a aceitação do outro (relação empática) e a sua rejeição linear é muito ténue e.DFRH. adote uma presença fácil e natural. através do autodomínio e muita paciência com intervenções menos oportunas de alguns formandos. procurando sempre salientar o seu lado mais positivo. a Formação não é um “campo de batalha”. transmita uma ideia de atividade. Tudo se joga neste turbilhão de emoções. imperam.

O Desenrolar da Sessão Os primeiros momentos e a forma como introduzir sua sessão. o tempo de que dispõe não lhe permite envolver-se em aspetos colaterais ou acessórios – controle de forma rigorosa a utilização do tempo.DFRH. Procure terminar a sua sessão sem sobressaltos. mediante preenchimento de uma grelha para o efeito (anexo do Módulo de Planificação). com um ritmo equilibrado. deve apresentar os objetivos logo no início da sessão. Aquando da planificação. adote sempre uma postura equilibrada e sensata face a um comportamento inesperado de um formando e/ou funcionamento deficiente do material. apresentando um desenrolar lógico e estruturado da sua sessão. quando forem pertinentes e uma síntese final articulada com toda a sessão. apague sempre qualquer registo que já não tenha cabimento temático com o que está CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 8 de 17 | P á g i n a Mod. Preocupe-se apenas com o essencial. através da validação do plano. vão condicionar todo o cenário formativo da sua prestação. já tivemos oportunidade de ponderar a questão do material e da sua utilização em contexto formativo. Comece pelo quadro: verifique se está apagado. Converta em situações pedagógicas os imprevistos que lhe surgirem. O momento de motivação é fundamental para prender a atenção dos Formandos no espírito da sua sessão. faça sínteses parciais. com bastante naturalidade.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL informação e as respostas devem surgir sem hostilidade.111/00 . quando se prepara para iniciar a sua sessão. Os Auxiliares Pedagógicos O Formador profissional deve ter consciência de que uma sessão é tão mais rica pedagogicamente quanto maior for a eficácia e sobriedade da utilização de suportes pedagógicos auxiliares da função do Formador. Eles sentir-se-ão implicados ou não no processo de ensino-aprendizagem consoante o grau de motivação atingido nesta fase. Convém verificar sempre antecipadamente as condições de funcionamento dos materiais e /ou prepará-los convenientemente. Revele-se um profissional organizado e metódico. Ciente da boa preparação da sessão. Mantenha um ritmo adequado ao perfil dos Formandos. distribuindo-o de forma equilibrada pelas atividades a desenvolver e pelos momentos essenciais da sua sessão.

Conceba e prepare bons documentos para projetar e explore-os de forma adequada com todo o grupo de formação. em último caso.Outro exige ser ele o primeiro para ficar despachado ou porque está muito nervoso. a ordem alfabética é um critério. ela deve estar colocada no fundo da sala. .  A Videogravação das Sessões Esta fase não oferece grande complexidade. com alguma habilidade pedagógica: . não se esqueça que os recursos didáticos são um instrumento auxiliar ao serviço do Formador. pelo menos nos primeiros momentos. os esquemas que concebeu.DFRH. . o Formador deve-se deixar substituir por estes. Deverá estar numa posição central. em que o alheamento relativamente à presença da câmara é impossível. O Visionamento Terminada a fase da videogravação de todas as micro-sessões simuladas. CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 9 de 17 | P á g i n a Mod.111/00 . Onde deve ser colocada a câmara de filmar? Se as condições espaciais o permitirem. Assim. Normalmente. a organização sequencial obedece a uma lógica temática. Quem deve filmar? A estratégia mais equilibrada e eficaz. surgem-nos questões de algum melindre. após um breve momento explicativo do funcionamento da câmara de vídeo e das suas principais funções. No entanto. Como fazer? Agir logicamente/ definir critérios: por exemplo. Evite as abreviaturas e registe com nitidez e precisão.Um Formando quer ser o último a ser filmado. Em situação alguma. todos participarão no processo. com letra legível e cuidada. que convém despistar. no entanto. vai iniciar-se o processo de visionamento e análise das sessões. o que não invalida a observância de quaisquer outros critérios.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL a ser exposto ou realizado. será a rotatividade. de forma a evitar que o Formador em demonstração seja forçado a andar à procura da câmara.Alguém prevê faltar num dos dias destinados às filmagens das sessões.

todos os restantes elementos do grupo farão as suas apreciações. a experiência diz-nos que a cada visionamento se deve seguir imediatamente a auto e heteroanálise da sessão e o preenchimento da respetiva grelha de observação/avaliação por que optámos. Esta é genuinamente a fase da autoscopia. os aspetos que considera mais pertinentes. de se ver no “espelho” da câmara. todos estamos a enriquecer-nos pedagogicamente. referindo a forma como “se viu”. cuja simulação videogravada acabou de ser visionada. CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 10 de 17 | P á g i n a Mod. deve fazer a primeira intervenção. O objetivo coletivo sobrepõe-se aos objetivos individuais.111/00 . Cada Formador/ tutor. de acordo com a sua experiência. incluindo com as análises das prestações dos outros. É útil definirmos algumas regras básicas de procedimento nesta fase. no final. qualquer questão levantada pelos colegas de grupo ou pelo Formador que deve encerrar a fase da heteroanálise. complementando ou refutando fundamentada ou exemplificativamente.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL Como proceder? Visionar todas as sessões e. se lhe apresentar mais adequada. É extremamente importante percebermos que o facto de sermos os primeiros ou os últimos a ser observados/avaliados não é prejudicial nem vantajoso. e continuar este processo fragmentado de observação e análise de todas as sessões? Se bem que pedagogicamente são válidas qualquer uma destas metodologias. em termos de maior sucesso ou de aspetos a melhorar ou aperfeiçoar. Ninguém está em situação de vantagem neste processo. a fase da autoanálise. avaliar individualmente cada sessão? Visionar um conjunto (3 ou 4) sessões de cada vez. O autoscopiado toma todas as notas que considera mais relevantes e que lhe permitirão. O Formando. fazer uma síntese de tudo o que foi dito. ou seja. a sua sensibilidade própria e o conhecimento que possui das características e perfil do grupo de Formação. no final. ao participarmos neste processo. deve selecionar a grelha que.DFRH. Seguidamente.

permite uma observação mediatizada e uma avaliação sistemática e distanciada dos comportamentos do candidato a Formador e pode assumir-se como uma estratégia eficaz de mudança das práticas pedagógicas. juntamente com a reflexão.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL Conclusão A Autoscopia é uma técnica de Formação pedagógica de Formadores que proporciona os instrumentos de análise objetiva da atuação dos Formandos-futuros-Formadores em demonstração.DFRH.111/00 . como atrás referimos. num clima empático. O supervisor do processo deve assumir uma estratégia colaborativa. A videoformação. CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 11 de 17 | P á g i n a Mod. constituem o cerne de uma autoscopia de qualidade. As relações interpessoais positivas e o rigor da comunicação são os fundamentos que. O desenvolvimento da autoscopia é um trabalho coletivo em que Formador e Formandos colaboram de modo a permitir uma aprendizagem gratificante e eficaz.

Auxiliares pedagógicos 11 .Avaliação dos resultados OUTROS ASPETOS ______________________________________________________ __________________________________________________________________________ DATA ___ / ___ / ___ O OBSERVADOR__________________________ CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 12 de 17 | P á g i n a Mod.Motivação 16 .Avaliação dos pré-requisitos 14 .MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL Anexos SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA GRELHA DE AVALIAÇÃO FORMANDO ___________________________________ TEMA ________________________________________ INICIAL ____ SESSÃO FINAL ____ ASPETOS 1.Participação dos formandos 19 .Motivação na sala 21 .Credibilidade 05 .Linguagem 20 .Autoconfiança 03 .Controle da emotividade 07 .Preparação da sessão 09 .Individualização da aprendizagem 15 .Comportamento 02 .Métodos e Técnicas 13 .Avaliação da aprendizagem 24 .Reforços motivacionais 17 .Comunicabilidade 08 .DFRH.Conhecimento da matéria 06 .Comunicação dos objetivos 10 .Dinamismo 12 .Gestão do espaço 22 . DESENVOLVIMENTO A melhorar Conseguido 01 .Controlo do tempo 23 .Envolvimento dos formandos 18 .111/00 .Auto Domínio 04 .

MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA GRELHA DE AVALIAÇÃO CURSO TEMPO PREVISTO TEMPO GASTO FORMANDO TEMA FASES Preparação Desenvolvimento Avaliação Global ASPETOS Conseguido A melhorar 01 Definição dos objetivos 02 Domínio do assunto 03 Organização do plano 04 Qualidade dos materiais pedagógicos 05 Clima favorável 06 Dinamismo 07 Introdução ao tema 08 Motivação dos formandos 09 Comunicação dos objetivos 10 Feedback/avaliação 11 Participação dos formandos 12 Adequação da linguagem 13 Escolha de Técnicas e Métodos 14 Domínio de Técnicas e Métodos 15 Estrutura e sequência da sessão 16 Controlo da situação 17 Gestão do tempo 18 Criatividade 19 Utilização dos meios audiovisuais 20 Síntese final OBSERVAÇÕES OBSERVADOR Data _____ / _____ / _____ CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 13 de 17 | P á g i n a Mod.DFRH.111/00 .

2. integrando-os na progressão da aprendizagem 9. capacidade de resolver situações imprevistas 5. Capacidade de promover nos formandos a reflexão sobre o saber e o processo de aprendizagem 8.5.1. promovendo o desenvolvimento das potencialidades dos formandos 4.DFRH.3. Elaboração de materiais 2. Na lista seguinte indique o grau de importância que atribui a cada um dos itens. Abertura a novas ideias e experiências CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 14 de 17 | P á g i n a Mod.111/00 .. Elaboração de estratégias 2. Definição de objetivos 2. Capacidade de auto e hetero – avaliação 10.. assim como o grau de aquisição em que se encontra quanto a eles neste momento. Definição de formas de avaliação 3. Capacidade de desempenhar as tarefas de planificação referidas em 1. Conhecimento sobre teorias da aprendizagem e pressupostos de planificação da formação 2. Capacidade de interpretar os dados da avaliação.4. Capacidade de criar/manter um bom clima de trabalho (motivação.) 7. Capacidade de executar as tarefas planificadas.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL 14 QUESTIONÁRIO A sua atividade como formador implica um conjunto de competências. Seleção/articulação de conteúdos 2. Capacidade de trabalhar num grupo. Escala: IM NA IM (Importância) 1 (Irrelevante) 2 3 4 5 (Essencial) NA (Aquisição) 1 (Muito baixo) 2 3 4 5 (Muito elevado) 1. saberes e capacidades específicas. Capacidade de adaptação a diferentes ritmos de aprendizagem 6. relacionamento interpessoal. partilhando ideias e experiências 11. 2.

OBSERVAÇÃO MODELOS DE PLANIFICAÇÃO Definir o conceito de Observação. Identificar soluções. a partir de um Estudo de Caso. AUTOSCOPIA Executar o plano de sessão. Debate em grupo. Preenchimento de Questionários. Avaliação da sessão por preenchimento de Grelha. Caracterizar o processo de autoscopia. CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 15 de 17 | P á g i n a Mod. Exposição (slide show) Planeamento e realização de uma sessão em grupo. Analisar comportamentos pedagógicos. Diagnosticar problemas. Analisar o conceito de Planificação. Leitura e Debate de texto (em grupos) Análise individual dos documentos. Selecionar modelos de planeamento da autoscopia. Selecionar modelo de plano de sessão. Analisar as funções da autoscopia. Síntese dos aspetos analisados. Planear uma sessão de formação. Análise de grelhas de Observação de Autoscopias. Simulação de uma sessão de formação Gravação. Debate em pequenos grupos. Trabalho individual e em grupo.111/00 . Exposição com suporte audiovisual (slide show). Observação e análise dessa sessão. Debate sobre a função do formador. Visionamento Análise da sessão. Identificar as finalidades da autoscopia. Treinar competências de Observação Definir instrumento de Observação da Autoscopia. Identificar conhecimentos e capacidades dos formandos sobre planificação e prática pedagógica.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE UM MÓDULO DE AUTOSCOPIA TEMA OBJETIVOS ATIVIDADES DIAGNÓSTICO DE NECESSIDADES DE FORMAÇÃO AUTOSCOPIA Analisar a função e o papel do animador/formador de formação. Elaborar um plano de sessão.DFRH.

Dominar as reações afetivas 26. Definir os objetivos da aprendizagem 9. Utilizar os métodos pedagógicos mais adequados 20. Ser capaz de manter o auditório na expectativa 14.DFRH. Agradar ao auditório 4.111/00 . Proceder de maneira a que todos façam as mesmas atividades 2. Ter um comportamento físico adequado 11. Nunca admitir ter cometido erros 15. Individualizar a aprendizagem 12. Cuidar da sua aparência 6. Controlar os resultados 22. Prever uma preparação escrita 3. Dominar os conteúdos CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 16 de 17 | P á g i n a Mod.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL GRELHA DE ANÁLISE DE AUTOSCOPIA CURSO ________________________________________________________ Formando Pontos Fracos Pontos Fortes Propostas de melhoria _______________________ _______________________ Data / / Tema: ___________________ _______________________ _______________________ Observador : _________________________ 7 SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA – CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Entre os 26 critérios de avaliação apresentados assinale os 10 aspetos que considera mais importantes para o êxito da atividade formativa. Favorecer a atividade dos participantes 5. Prever os meios de aprendizagem 16. Controlar os pré-requisitos 13. Utilizar os meios audiovisuais 24. Ser um bom ator 23. Ser criativo 8. Saber impor os seus pontos de vista 10. Favorecer a relação entre os participantes 7. Dominar a arte oratória 25. Ter autoconfiança 21. Comunicar os objetivos 19. Ser amistoso 18. Motivar os participantes 17. ORDEM DE IMPORTÂNCIA CRITÉRIOS 1.

Reflexão Observação da sessão Gravação da sessão Análise da simulação CURSO: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE FORMADORES B-LEARNING 17 de 17 | P á g i n a Mod. para cada um dos aspetos da sua formação abaixo enunciados. gestos. Execução Motivação dos formandos Transmissão de conteúdos Avaliação de capacidades Promoção da reflexão sobre o saber Resolução de situações imprevistas Uso de materiais Gestão do grupo Gestão do tempo Movimentação. o grau de preocupação. Planificação Definição de objetivos Seleção de temas/conteúdos Elaboração de estratégias Seleção de materiais Elaboração de instrumentos de Avaliação Forma do plano 2.DFRH.MÓDULO: SIMULAÇÃO PEDAGÓGICA FINAL REFLEXÃO SOBRE O PROCESSO DE FORMAÇÃO Indique. de dificuldade ou de esforçoque sente neste momento ÁREAS / ASPETOS PREOCUPAÇÃO DIFICULDADE ESFORÇO 1.111/00 . voz 3.