Você está na página 1de 6

Ondas Eletromagnéticas

Os sistemas wireless (sem fio) utilizam ondas eletromagnéticas para comunicação e tem
provocado uma verdadeira revolução na sociedade com o Rádio, Rádio, Televisão,
Comunicações via Satélite e, mais recentemente, com os sistemas celulares que
propiciam mobilidade às comunicações.

Estes sistemas, que trazem tantos benefícios para a sociedade, aumentam no entanto a
exposição do ser humano a ondas eletromagnéticas
eletromagnéticas que se propagam pelo ar. A
caracterização de uma quantidade excessiva de ondas eletromagnéticas como poluição
já está em discussão.

A radiação é a energia que se propaga de um ponto a outro e os seus efeitos variam com
a freqüência.

Os efeitos mais danosos da radiação ocorrem para freqüências maiores que 3 x 106
GHz. A denominada radiação ionizante produz mudanças
mudanças moleculares e pode levar a
danos no tecido biológico, incluindo efeitos no DNA, o material genético.

Para a faixa de freqüências dos sistemas celulares os efeitos conhecidos da radiação são:
• Efeito térmico de aumento da temperatura do corpo:
o Ao se propagar pelo corpo humano as ondas eletromagnéticas têm parte
de sua energia transformada em energia térmica o que pode levar ao seu
aquecimento se a potência for muito elevada. É este o princípio de
funcionamento do forno de microondas.
o Se o corpo nãoão for capaz de dissipar este calor pode ocorrer elevação da
sua temperatura e um possível dano ao tecido humano, sendo as áreas
mais vulneráveis os olhos e os testículos.
• Efeito auditivo de microondas:
o Campos modulados por pulsos com freqüências entre entre 200 MHz e 6,5
GHz podem ser ouvidos. Isto ocorre devido a interação termoelástica no
córtex auditivo do cérebro. O limiar de percepção é de 100 a 400 mJ/m2
para pulsos menores que 30 µs.
A figura acima apresenta um sistema celular onde se pode identificar dois tipos de
fontes de emissão de radiação eletromagnética: Estação Rádio Base (ERB) e Terminal
Celular.

O Tutorial Efeitos da Radiação do Teleco apresentou os conceitos básicos sobre os


efeitos da radiação
adiação em sistemas celulares que operam nas faixas de 800 a 2100 MHz.

Este tutorial apresentará com mais detalhes o conceito de SAR e sua aplicação a
Terminais Celulares.
SAR (“Specific Absorption Rate”) é a taxa de absorção de energia por tecidos do corpo,
em watt por quilograma (W/kg), específica para uma determinada fonte de energia
eletromagnética.

É a medida dosimétrica utilizada para estabelecer limites à emissão de radiação por


campos eletromagnéticos não ionizantes. O conceito de dose, energia absorvida por
unidade de massa, foi desenvolvido para estabelecer os limites para a radiação
ionizante.

Ao se definir o SAR procurou-se


procurou estabelecer uma unidade de medida (dose)
correlacionada a efeitos de elevação de temperatura do corpo.

Para a radiação emitida por sistemas celulares


celulares não é possível estabelecer uma definição
simples de dose correlacionada a efeitos de elevação de temperatura. As ondas
eletromagnéticas penetram em uma profundidade maior no corpo que a luz ou o
infravermelho, que são absorvidos nos primeiros milímetros da pele.

O aumento de temperatura depende das características do campo eletromagnético como


freqüência e polarização, e do corpo humano e seu sistema termo-regulador que atua
para compensar variações na temperatura do corpo.

A evidência experimental disponível indica que a exposição de humanos em repouso,


por aproximadamente 30 minutos, a campos eletromagnéticos produzindo uma SAR de
corpo inteiro ente 1 e 4 W/kg, resulta num aumento de temperatura do corpo inferior a 1
grau Celsius.

A exposição a campos mais intensos, produzindo valores de SAR superiores a 4 W/kg,


pode exceder a capacidade termo-reguladora do corpo e produzir níveis de aquecimento
nocivos aos tecidos.

Limites
O ICNIRP, sigla em inglês da Comissão Internacional de Proteção Contra Radiações
Não Ionizantes, estabeleceu padrões para limitar as radiações não ionizantes adotados
pela maior parte dos países do mundo, inclusive o Brasil através da Anatel.

Os limites à exposição são baseados no SAR médio do corpo humano determinado de


acordo com as seguintes condições:
• Onda plana com o homem em pé, paralelo ao campo elétrico incidente, que
representa uma situação de maior absorção, exceto em relação a poucos casos
especiais.
• O SAR deve ser uma média em um período de tempo de 6 minutos, de modo a
manter a relação entre potência absorvida e aquecimento induzido (aumento da
temperatura do tecido devido à absorção).
Como o limiar para efeitos irreversíveis é superior a 4 W/kg, o ICNIRP estabeleceu os
níveis de exposição para os profissionais da área (ocupacional) e público em geral com
fatores de segurança de 10 e 50 vezes em relação ao limiar para efeitos irreversíveis.

SAR Fator de segurança

Efeitos irreversíveis > 4 W/kg -

Limite Ocupacional 0,4 W/kg 10

Limite Público Geral 0,08 W/kg 50

A radiação dos terminais celulares constitue uma situação bem mais complexa que a das
ERBs, já que os terminais celulares ficam muito próximo do corpo humano onde as
condições de campo distante com onda plana não se aplicam totalmente.
Passa a ser necessário limitar não apenas o valor médio do SAR no corpo humano mas
também o valor de pico de SAR em uma dada de região do corpo humano devido a
proximidade do terminal, principalmente da cabeça.

SAR localizada

A SAR localizada foi definida como aquela de


um cubo com massa de:
• 10g (ICNIRP), ou
• 1 g (ANSI).

Foram estabelecidos
stabelecidos os seguintes valores limites de SAR de pior caso medidos para um
terminal celular:

ICNIRP ANSI

Ocupacional 10 W/kg 8 W/kg

Público 2 W/kg 1,6 W/kg

Massa do cubo 10g 1g

O valor máximo de SAR localizada é específico


específico de cada terminal. A avaliação é
efetuada em laboratório, envolvendo a medida direta da SAR em um manequim que
simula a cabeça humana e exibe as mesmas características de absorção do tecido
humano. O maior valor de SAR obtido para um cubo de massa de 10g 10g em todo o
volume da cabeça é definido como o SAR do terminal.

Procedimentos de teste foram desenvolvidos pelo “European Commitee for Electrical


Standardization” – CENELEC e pelo IEEE.
Os limites estabelecidos pelas normas visam prevenir efeitos conhecidos
conhecidos à saúde
humana e refletem o atual estágio do conhecimento. Desta forma, os limites de SAR
foram estabelecidos para prevenir efeitos térmicos.

As questões ainda não totalmente respondidas referem-se


referem se a possíveis efeitos não
térmicos da radiação, ou seja:
• Os sistemas biológicos nos níveis celulares e sub-celulares
sub celulares são sensíveis e
podem responder aos campos eletromagnéticos produzidos pelos terminais
celulares?
• Em caso afirmativo, a exposição da população humana a estes campos de baixa
energia impõe algum tipo de risco a saúde?
Para responder a questões como estas a Organização Mundial da Saúde (OMS, ou
WHO em inglês), agência da ONU especializada em saúde, estabeleceu em 1996 um
projeto internacional (EMF Project) que deverá produzir conclusões sobre
sobre os efeitos de
EMF na saúde e no meio ambiente até 2006.
Este projeto estabeleceu uma coordenação internacional para os esforços de pesquisa na
área e uma agenda com prioridades para responder a lacunas de conhecimento. Esta
agenda e seus progressos são revistos anualmente e podem ser acompanhados no site do
projeto incluído nas referências destes tutorial.

“Com relação a Campos de RF de alta intensidade tem se demonstrado que eles causam
conseqüências adversas para a saúde pelo aquecimento dos tecidos. Nenhum efeito
adverso a saúde foi cientificamente confirmado com relação a exposição a campos de
RF de baixa intensidade por extensos períodos, mas certas questões não foram
totalmente estudadas. Existe muito pouca informação disponível na literatura científica
para avaliar qualquer risco a saúde da exposição a campos de RF pulsados ou
modulados”.

OMS – Agenda de Pesquisa.

Na faixa de RF (10 MHz a 300 GHz) o foco é o estudo do efeito da radiação de campos
de baixa intensidade por longos períodos e campos pulsados e modulados.

Os estudos podem ser enquadrados nas seguintes categorias

Epidemiológicos Epidemiologia é o estudo da ocorrência da doença.


Ela avalia a associação estatística entre doença e
exposição.
Compara a ocorrência da doença em um grupo de controle
submetido a exposição e outro não exposto.
Laboratório
• Humanos Os estudos in vitro são normalmente utilizados para
• Animais (in vivo) entender os efeitos, sendo os estudos in vivo os mais
• Células e Tecidos (inrelevantes para comprovar os efeitos.
vitro)

O SAR é a unidade de medida utilizada para estabelecer os limites de exposição à


radiação emitida por ERBs e terminais celulares.

Os efeitos térmicos deste tipo de radiação estão bem definidos e os valores de SAR
médio e localizado estabelecidos nas normas oferecem proteção com fatores de
segurança adequados.

Para o efeito auditivo as normas estabeleceram uma limitação para os picos de SAR
devidos a pulsos de 30 µs no cérebro de 130 a 520 W/kg.

Os estudos quanto a efeitos não térmicos ainda são poucos e não conclusivos. Espera-se
que até 2006, com a conclusão do projeto EMF da OMS, muitos dos questionamentos
atuais estejam respondidos.

Para terminais celulares é importante verificar o SAR do aparelho utilizado. Este valor
pode ser encontrado no manual do aparelho ou na página específica do teleco.
Referências

Abricem
Associação Brasileira de Compatibilidade Eletromagnética, teve participação destacada
no processo de adoção de normas internacionais pela Anatel.

Anatel
Regulamento sobre limitação da exposição a campos elétricos,
magnéticos e eletromagnéticos na faixa de radiofreqüências entre 9
kHz e 300 GHz. Anexo à resolução n° 303 de 2 de julho de 2002.

Efeitos da Radiação Eletromagnética de Sistemas Celulares


Tutorial do Teleco.

ICNIRP
Comissão Internacional de Proteção Contra Radiações Não Ionizantes estabeleceu
padrões para limitar as radiações não ionizantes adotados pela maior parte dos países do
mundo, inclusive o Brasil através da Anatel.

MMF
Mobile Manufacturers Forum, organização internacional dos fabricantes de
equipamentos para sistemas celulares.

WHO (OMS)
Projeto EMF da Organização Mundial da Saúde. Link para base de dados com estudos
da OMS e do IEEE.

Wireless BR
Site de informação técnica.