Você está na página 1de 23
A Revolução Russa Boris Kustodiev, Bolchevique (1920) Do fim do Império à implantação do socialismo na
A Revolução Russa Boris Kustodiev, Bolchevique (1920) Do fim do Império à implantação do socialismo na
A Revolução Russa
Boris Kustodiev,
Bolchevique (1920)
Do fim do Império à implantação do socialismo na Rússia

O ALCANCE DA REVOLUÇÃO

SOVIÉTICA

“(

...

)

se as ideias da Revolução Francesa, como é hoje evidente, duraram mais que

o bolchevismo, as consequências práticas de 1917 foram muito maiores e mais

duradouras que as de 1789 (

...

)

Sua expansão global não tem paralelo desde as

conquistas do islã em seu primeiro século. Apenas trinta ou quarenta anos após a

chegada de Lenin à Estação Finlândia em Petrogrado, um terço da humanidade se

achava sob regimes diretamente derivados dos ‘Dez dias que abalaram o mundo’ (Reed, 1919) e do modelo organizacional de Lenin, o Partido Comunista.”

(Eric J. Hobsbawm, A Era dos Extremos: o breve século XX. 1914-1991)

. MODIFICAÇÃO DAS ESTRUTURAS DO PAÍS E IMPACTO INTERNACIONAL

. FASE DE TERROR REVOLUCIONÁRIO . GUERRA

. ERA DAS REVOLUÇÕES (1789-1848): expansão do capitalismo

.ERA DA CATÁSTROFE (1914-1945): crise do capitalismo

A “ENGENHARIA SOCIAL”

AS ORIGENS
AS ORIGENS

OS UTOPISTAS

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535
COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C.
COCANHA
PLATÃO
Idade Média
428-347 a.C.
A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

THOMAS MORUS

1478-1535

TOMMASO CAMPANELLA 1568-1639
TOMMASO
CAMPANELLA
1568-1639
SÉCULO XIX
SÉCULO XIX
A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

SAINT-SIMON

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

1760-1825

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535
A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

BARTHÉLEMY ENFANTIN

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

1796-1864

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

ROBERT OWEN

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

1771-1858

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

CHARLES FOURIER

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

1772-1837

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535
A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535
A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

ETIENNE CABET

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

1788-1856

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

JEAN-BAPTISTE GODIN

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535

1817-1888

A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535
A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535
A “ENGENHARIA SOCIAL” AS ORIGENS OS UTOPISTAS COCANHA PLATÃO Idade Média 428-347 a.C. THOMAS MORUS 1478-1535
AS IDEIAS SOCIALISTAS KARL MARX (1818-1883) “Um Espectro Ronda a Europa” F. Engels (1820-1895) R. Owen

AS IDEIAS SOCIALISTAS

KARL MARX (1818-1883)
KARL
MARX
(1818-1883)

“Um Espectro Ronda a Europa”

F. Engels (1820-1895)
F. Engels
(1820-1895)
R. Owen (1771-1858)
R. Owen
(1771-1858)
Ch. Fourier (1772-1837)
Ch.
Fourier
(1772-1837)
AS IDEIAS SOCIALISTAS KARL MARX (1818-1883) “Um Espectro Ronda a Europa” F. Engels (1820-1895) R. Owen
  • REAÇÃO AOS EFEITOS SOCIAIS DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Crítica à exploração do trabalho e à concentração da riqueza

  • REAÇÃO TEÓRICA AO PENSAMENTO LIBERAL-BURGUÊS Crítica à competição individualista e defesa da cooperação social

  • 1848: O MANIFESTO DO PARTIDO COMUNISTA (K. Marx e F. Engels) Panfleto político e obra de teoria sociológica (materialismo dialético) O “socialismo científico”

(1789) Revolução Francesa Robert Owen Uma Nova Visão (1813) da SOCIEDADE Charles Fourier (1822) Tratado da
(1789) Revolução Francesa
Robert Owen
Uma Nova Visão (1813)
da SOCIEDADE
Charles Fourier
(1822) Tratado da Unidade
UNIVERSAL
Marx/Engels
O Manifesto (1848)
COMUNISTA
Karl Marx
O CAPITAL (1867)
Livro I
ERA DAS REVOLUÇÕES
ERA DO CAPITAL
1789
1800
1815
1825
1835
1845
1855
1865
1870

A POTÊNCIA CONTINENTAL

1814-5: CONGRESSO DE VIENA
1814-5: CONGRESSO DE VIENA
1814-5: CONGRESSO DE VIENA
1814-5: CONGRESSO DE VIENA
1814-5: CONGRESSO DE VIENA

1814-5: CONGRESSO DE VIENA

século XIX

EMERGE COMO POTÊNCIA CONTINENTAL APÓS

AS GUERRAS NAPOLEÔNICAS (1804-1815)

1854-6: GUERRA DA CRIMEIA
1854-6: GUERRA DA CRIMEIA

DERROTA DESENCADEIA IMPORTANTES REFORMAS LIBERAIS:

abolição da servidão (1861)

1877-8: GUERRA RUSSO-TURCA
1877-8: GUERRA RUSSO-TURCA

CONFLITO RESULTA NA INDEPENDÊNCIA da Romênia, Sérvia, Montenegro e Bulgária

A RÚSSIA CZARISTA FROTA DO BÁLTICO congelada no inverno FROTA DO PACÍFICO distante do Ocidente europeu
A RÚSSIA CZARISTA
FROTA DO BÁLTICO
congelada no inverno
FROTA DO PACÍFICO
distante do Ocidente europeu
Estreito de
Bósforo
Estreito de
Dardanelos
FROTA DO MAR NEGRO
acesso ao Mediterrâneo (controle turco)

A RÚSSIA CZARISTA

O Reinado de Nicolau II (1894-1917)

  • ATRASO ECONÔMICO E INSTITUCIONAL Agricultura de baixa produtividade e monarquia autocrática;

  • IMPÉRIO MULTINACIONAL (MULTIÉTNICO)

  • INDÚSTRIA DE BENS DE CONSUMO MODESTA E DEPENDENTE DE CAPITAL ESTRANGEIRO

  • ESTREITAMENTO DIPLOMÁTICO COM A FRANÇA Acordos militares e vultosos empréstimos financeiros

NICOLAU ROMANOV (1868-1918)
NICOLAU ROMANOV
(1868-1918)
  • DISPUTAS COM O JAPÃO (1904-1905: GUERRA RUSSO-JAPONESA) Derrota fragorosa para a marinha nipônica

A RÚSSIA CZARISTA O Reinado de Nicolau II (1894-1917)  ATRASO ECONÔMICO E INSTITUCIONAL Agricultura de

A RÚSSIA CZARISTA

A RÚSSIA CZARISTA O Reinado de Nicolau II (1894-1917)  REVOLUÇÃO DE 1905 Organização dos SOVIETS

O Reinado de Nicolau II (1894-1917)

A RÚSSIA CZARISTA O Reinado de Nicolau II (1894-1917)  REVOLUÇÃO DE 1905 Organização dos SOVIETS
A RÚSSIA CZARISTA O Reinado de Nicolau II (1894-1917)  REVOLUÇÃO DE 1905 Organização dos SOVIETS
  • REVOLUÇÃO DE 1905

Organização dos SOVIETS (assembleias populares nas vilas e cidades)

  • REFORMAS POLÍTICAS Criação da DUMA IMPERIAL: Parlamento consultivo eleito em sufrágio censitário

  • I GUERRA MUNDIAL (1914-1918): agravamento da crise de abastecimento e manifestações populares contra o governo

“A Revolução Russa foi filha da guerra no século XX: especificamente, a Revolução Russa de 1917, que criou a União Soviética” (Eric J. Hobsbawm, A Era

dos Extremos. O breve século XX. 1914-1991)

NICOLAU II (1894-1917)

A 1ª GUERRA MUNDIAL

ENTENTE

IMPÉRIOS CENTRAIS

1914-1918

NICOLAU II (1894-1917) A 1ª GUERRA MUNDIAL ENTENTE IMPÉRIOS CENTRAIS 1914-1918 GUEORGUI LVOV (1861-1925)  RÚSSIA
NICOLAU II (1894-1917) A 1ª GUERRA MUNDIAL ENTENTE IMPÉRIOS CENTRAIS 1914-1918 GUEORGUI LVOV (1861-1925)  RÚSSIA

GUEORGUI LVOV

(1861-1925)

NICOLAU II (1894-1917) A 1ª GUERRA MUNDIAL ENTENTE IMPÉRIOS CENTRAIS 1914-1918 GUEORGUI LVOV (1861-1925)  RÚSSIA
NICOLAU II (1894-1917) A 1ª GUERRA MUNDIAL ENTENTE IMPÉRIOS CENTRAIS 1914-1918 GUEORGUI LVOV (1861-1925)  RÚSSIA
NICOLAU II (1894-1917) A 1ª GUERRA MUNDIAL ENTENTE IMPÉRIOS CENTRAIS 1914-1918 GUEORGUI LVOV (1861-1925)  RÚSSIA
  • RÚSSIA x IMPÉRIO ÁUSTRO-HÚNGARO

NICOLAU II (1894-1917) A 1ª GUERRA MUNDIAL ENTENTE IMPÉRIOS CENTRAIS 1914-1918 GUEORGUI LVOV (1861-1925)  RÚSSIA

Neutralizar a influência austríaca nos Bálcãs

  • RÚSSIA x TURQUIA Questão dos estreitos

    • RÚSSIA + SÉRVIA

Garantia de proteção contra

a invasão austríaca

ENORME CRISE ECONÔMICA E SOCIAL

NICOLAU II (1894-1917) A 1ª GUERRA MUNDIAL ENTENTE IMPÉRIOS CENTRAIS 1914-1918 GUEORGUI LVOV (1861-1925)  RÚSSIA
NICOLAU II (1894-1917) A 1ª GUERRA MUNDIAL ENTENTE IMPÉRIOS CENTRAIS 1914-1918 GUEORGUI LVOV (1861-1925)  RÚSSIA

ATENTADO DE SARAJEVO (28 de junho de 1914)

NICOLAU II (1894-1917)

EXPERIÊNCIA PARLAMENTAR

…OS PRINCIPAIS PARTIDOS

1906-1917

PARTIDO CONSTITUCIONAL DEMOCRATA (CADETES)

  • Burguesia

  • Reformas liberais

PARTIDO SOCIALISTA- REVOLUCIONÁRIO (SR)

  • Revolucionários terroristas

  • Apelo aos camponeses

 

PARTIDO SOCIAL-DEMOCRATA

 
 
 

MENCHEVIQUES

(SOCIALISTAS MARXISTAS)

 
  • Socialismo deve ser alcançado pela evolução natural (alianças e reformas)

  • Minoritários no tempo da dissidência partidária

BOLCHEVIQUES

 
 
  • Socialismo deve ser alcançado pela revolução operária

  • Majoritários no tempo da dissidência partidária

A QUEDA DO CZARISMO

A QUEDA DO CZARISMO A Revolução de Março de 1917  08.03: MANIFESTAÇÕES OPERÁRIAS  12.03:

A Revolução de Março de 1917

  • 08.03: MANIFESTAÇÕES OPERÁRIAS

  • 12.03: SOLDADOS ADERAM À LUTA

  • 16.03: NICOLAU II RENUNCIA AO TRONO

  • REALIDADE MARCADA POR UMA DUALIDADE POLÍTICA Governo Provisório: defesa da permanência na guerra Soviet de Petrogrado: pluralidade de partidos socialistas

  • ABRIL: LÊNIN CHEGA À RÚSSIA (“PAZ, TERRA E PÃO!”)

  • JUL-NOV: KERENSKI CHEFIA O GOVERNO PROVISÓRIO Governo provisório perde o controle da situação política

ALEXANDER KERENSKI (1881-1970)
ALEXANDER
KERENSKI
(1881-1970)
  • CRISES DE ABASTECIMENTO E AUMENTO DO NÚMERO DE DESERTORES

A ASCENSÃO BOLCHEVIQUE

OS DEZ DIAS QUE ABALARAM O MUNDO!!!
OS DEZ DIAS QUE
ABALARAM O MUNDO!!!

A Revolução de Novembro de 1917

  • 06.11: TOMADA DAS CENTRAIS TELEFÔNICAS

  • 08.11: QUEDA DO GOVERNO PROVISÓRIO

  • 15.11: BOLCHEVIQUES OCUPAM O PODER Declaração dos Direitos dos Povos!

  • SURGE UM NOVO PARADIGMA DE REVOLUÇÃO SOCIAL

  • MOVIMENTO ESPALHA-SE PELOS CAMPOS E PELAS CIDADES

  • 03.03.1918: ASSINATURA DO TRATADO DE BREST-LITOVSK Paz com a Alemanha perdas territoriais

A GUERRA CIVIL

1918-1921

A GUERRA CIVIL 1918-1921 EXÉRCITO BRANCO Contrarrevolucionários apoiados pelas grandes potências (ING, FRA e JPN) EXÉRCITO
EXÉRCITO BRANCO Contrarrevolucionários apoiados pelas grandes potências (ING, FRA e JPN)
EXÉRCITO BRANCO
Contrarrevolucionários
apoiados pelas grandes
potências (ING, FRA e JPN)

EXÉRCITO VERMELHO

A GUERRA CIVIL 1918-1921 EXÉRCITO BRANCO Contrarrevolucionários apoiados pelas grandes potências (ING, FRA e JPN) EXÉRCITO

Comandado e organizado por LÉON TROTSKI

  • COMUNISMO DE GUERRA Nacionalização de grandes empresas; tomada compulsória do excedente produtivo e trabalho masculino obrigatório (entre 16-50 anos)

  • GUERRAS RESULTAM EM DESTRUIÇÃO E PERDAS TERRITORIAIS Independências da Polônia, Finlândia, Letônia, Estônia e Lituânia

  • VITÓRIA BOLCHEVIQUE E CONSOLIDAÇÃO DO REGIME

30 DE DEZEMBRO DE 1922

UNIÃO DAS REPÚBLICAS SOCIALISTAS SOVIÉTICAS

(URSS)

A ERA DE LÊNIN

1917-1924

  • NEP NOVA POLÍTICA ECONÔMICA (1921-1928)

Práticas capitalistas no campo (livre iniciativa e pequena propriedade privada)

Estado controla setores-chave: bancos, transportes, grande indústria e comércio exterior

“UM PASSO ATRÁS PARA DOIS À FRENTE!”

  • ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL DO REGIME E DO PARTIDO Regime: sistema centralizado e autoritário - controle da vida econômica e social Partido: oligárquico, monolítico e hierarquizado - ditadura de partido único

JOSEPH STÁLIN (1879-1953) LEON TRÓTSKI (1879-1940)
JOSEPH STÁLIN
(1879-1953)
LEON TRÓTSKI
(1879-1940)

A DISPUTA SUCESSÓRIA

SOCIALISMO EM UM SÓ PAÍS

1924-1927

  • GRANDE ORGANIZADOR DO PCUS

    • CONCEPÇÃO DE PARTIDO CENTRALIZADOR

    • INSISTÊNCIA NA MANUTENÇÃO DA NEP

A REVOLUÇÃO PERMANENTE

  • TEÓRICO ERUDITO E COMANDANTE PRESTIGIOSO

  • CONCEPÇÃO DE PARTIDO MENOS CENTRALIZADORA

    • Expulso do partido (1927) e exilado da URSS (1929)

(1917) Revolução Russa Fim da URSS (1991) Guerra Civil (1918-21) LÊNIN T STÁLIN KHRUSHEV BREJNEV T
(1917) Revolução Russa
Fim da URSS (1991)
Guerra Civil
(1918-21)
LÊNIN
T
STÁLIN
KHRUSHEV
BREJNEV
T
GORB
1917
1923
1929
1935
1941
1947
1953
1958
1964
1970
1976
1982

1991

A ERA DE STÁLIN 1927-1953  PLANOS QUINQUENAIS – Planificação Econômica Ênfase na industrialização de base

A ERA DE STÁLIN

1927-1953

  • PLANOS QUINQUENAIS Planificação Econômica Ênfase na industrialização de base e coletivização agrícola (kolkhoses e sovkhoses)

  • DISCIPLINA PELO TERROR E CONTROLE IDEOLÓGICO Expurgos políticos e militares

  • EXPANSÃO TERRITORIAL E CULTO À PERSONALIDADE

Reinvenção do império czarista em novas bases político-ideológicas

  • 23.08.1939: PACTO GERMANO-SOVIÉTICO DE NÃO-AGRESSÃO

A ERA DE STÁLIN 1927-1953  PLANOS QUINQUENAIS – Planificação Econômica Ênfase na industrialização de base
  • 22.06.1941: GUERRA CONTRA A ALEMANHA

  • ENCONTROS ALIADOS: POLARIZAÇÃO COM OS EUA (GUERRA FRIA)

NIKITA KHRUSCHEV (1894-1971)
NIKITA KHRUSCHEV
(1894-1971)

A ERA KHRUSHEV

1953-1964

  • XX CONGRESSO DO PCUS (fevereiro de 1956)

DESESTALINIZAÇÃO: denúncia dos crimes de Stálin

  • DISTENSÃO POLÍTICA (“DÉTENTE”) Coexistência pacífica com o Ocidente Capitalista (Visita aos EUA em 1959)

  • Proposta de reformas no regime

  • DIVERGÊNCIAS NO CAMPO SOCIALISTA Revolução Húngara (1956) e Conflito Sino-Soviético (anos 1960)

  • CONSOLIDAÇÃO DAS FRONTEIRAS DA GUERRA FRIA:

NIKITA KHRUSCHEV (1894-1971) A ERA KHRUSHEV 1953-1964  XX CONGRESSO DO PCUS ( fevereiro de 1956

1962: Crise dos Mísseis em Cuba e Construção do Muro de Berlim

Hungria, 1956

LEONID BREJNEV (1907-1982) Praga, 1968
LEONID BREJNEV
(1907-1982)
Praga, 1968

A ERA BREJNEV

1964-1982

RETOMADA DO PODER PESSOAL

“ERA DA ESTAGNAÇÃO”

  • IMOBILISMO POLÍTICO E ATRASO ECONÔMICO Fortalecimento da Nomenklatura: estabilização dos quadros burocráticos Desempenho econômico desanimador: baixa qualidade e produtividade

  • REAPROXIMAÇÃO DO OCIDENTE CAPITALISTA Nova era de “degelo”: acordos com os EUA de redução do potencial bélico

  • 1968: REPRESSÃO À PRIMAVERA DE PRAGA (Tchecoslováquia)

Iuri ANDROPOV (1914-1984)
Iuri ANDROPOV
(1914-1984)
K TCHERNENKO (1911-1985)
K TCHERNENKO
(1911-1985)

A DIFÍCIL TRANSIÇÃO

1982-1985

  • DIRIGENTES IDOSOS E CONSERVADORES

  • IURI ANDROPOV (68 ANOS) Mais novo entre a equipe dirigente

Reformas esbarram na resistência da máquina burocrática

  • KONSTANTIN TCHERNENKO (73 ANOS) Antigo adversário político de Andropov

  • INEVITÁVEL SUCESSÃO DE GERAÇÕES

M. GORBATCHEV (n:1931)
M. GORBATCHEV
(n:1931)

A ERA GORBATCHEV

1985-1991

  • PERESTROIKA E GLASNOST Reformas econômicas e maior liberdade de expressão Tentativa de reaproximar o partido e a sociedade

  • POLÍTICA EXTERNA FLEXÍVEL

Defesa da coexistência pacífica e da aproximação com a China

  • ABERTURA DESCONTROLADA LEVA A AGITAÇÕES NACIONALISTAS Separatismos ameaçam a integridade territorial da URSS

  • REDEMOCRATIZAÇÃO DO LESTE EUROPEU

QUEDA DO MURO DE BERLIM: 09.11.1989
QUEDA DO MURO DE
BERLIM: 09.11.1989
  • 18-21.08.1991: GOLPE CONSERVADOR FRUSTRADO

  • 08.12.1991: Fundação da COMUNIDADE DOS ESTADOS INDEPENDENTES (CEI), por BORIS YELTSIN, ultrarreformista e presidente da República Russa

  • 25.12.1991: RENÚNCIA DE GORBATCHEV À PRESIDÊNCIA DA URSS

M. GORBATCHEV (n:1931)
M. GORBATCHEV
(n:1931)

A ERA GORBATCHEV

1985-1991

Se vocês acharem que as reformas na União Soviética começaram

sob pressão do Ocidente (

...

)

isso vai distorcer a realidade e

oferecer a lição errada para o futuro. As mudanças na União

Soviética é que tiveram importância decisiva (

...

)

Tivemos um longo

caminho a percorrer, desde a reavaliação crítica do modelo

comunista imposto à força ao nosso país e mantido com medidas

repressivas. Com o avanço tecnológico e a melhoria do nível

educacional e cultural, o velho sistema começou a ser refeito pelas

pessoas que viam sua iniciativa suprimida e percebiam ser

incapazes de realizar seu potencial. Os primeiros impulsos para a

reforma surgiram na própria URSS, em nossa sociedade, que não

podia mais tolerar a falta de liberdade, onde ninguém podia falar

abertamente nem escolher um partido ou um credo próprios. Na

opinião das pessoas, principalmente das instruídas, o sistema

totalitário havia esgotado suas possibilidades, moral e

politicamente. As pessoas aguardavam a reforma (

...

) Todos

supunham que o país continuaria uno. Esta era também a minha

convicção.” (Mikhail Gorbatchev , último presidente da URSS. Trecho de debate de estadistas sobre o fim da Guerra Fria, dezembro de 1995)

O que há para ler

CROUZET, Maurice. – “A revolução russa” in: Maurice Crouzet – A época contemporânea O declínio da Europa O mundo soviético História geral das civilizações. Tradução de Jacob Guinsburg e Vítor Ramos. São Paulo: Difel, 1977. (v.15). pp. 225-241.

FERRO, Marc. A reviravolta da história: a queda do Muro de Berlim e o fim do comunismo. Tradução de Flávia Nascimento. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

FERRO, Marc. A Revolução Russa de 1917. Tradução de Maria P. V. Resende. São Paulo: Perspectiva, 2004.

GORBACHEV, Mikhail. Perestroika: novas ideias para o meu país e o mundo. Tradução de J. Alexandre. São Paulo: Best Seller, s/d.

HOBSBAWM, Eric John Ernst. – “Podemos escrever a história da Revolução Russa?” in:

Eric John Ernst Hobsbawm Sobre história. Tradução de Cid Knipel Moreira. São Paulo:

Companhia das Letras, 1998. pp. 256-267.

LUXEMBURGO, Rosa. – “A Revolução Russa” in: Rosa Luxemburgo – Rosa Luxemburgo:

textos escolhidos. V. II (1914-1919). Organização e tradução de Isabel Loureiro. São Paulo: Editora da UNESP, 2011. pp. 175-212.

PIPES, Richard. História concisa da Revolução Russa. Tradução de T. Reis. Rio de

Janeiro: Best Bolso, 2008.

REED, John. Os dez dias que abalaram o mundo. Tradução de José Otávio. São Paulo:

Círculo do Livro, s/d.

O que há para ver

Beatty, Warren. Reds (1978) Eisenstein, Sergei. O Encouraçado Potemkin (1925) Eisenstein, Sergei. Outubro (1927) Lean, David. Doutor Jivago (1965) Sokúrov, Aleksandr. Taurus (2000)