Você está na página 1de 2

CASA MUSEU FERREIRA DE CASTRO

A casa que viu nascer o escritor osselense José

Maria

XIX

t r

r

retractando

a

o

humilde.

Este edifício

passou

i utilizações, nomeadamente, marcenaria e Casa do Povo. Só em 1965, torna a ser usufruto de

v

Ferreira de Castro é de meados do séc.

e a ç a d o

,

s u a m

de

u

r

á

r

i

r

g

a

e

l

s

do séc. e a ç a d o , s u a m de u r

por

a

Ferreira de Castro, desta vez como proprietário,

graças

a uma doação da esposa do Comendador

Artur

Gomes Barbosa por intenção deste.

Nesta data, o escritor Ferreira de Castro, já com o intuito de a tornar na sua Casa Museu, providencia a s u a d e c o r a ç ã o , conferindo-lhe o ambiente e aspecto que teve a sua casa berço. No exterior da casa conservam-se, por vontade

expressa do escritor, o quintal e o pinhal com

as árvores existentes ou, em sua substituição,

outras da mesma espécie.

Em 1967, Ferreira de Castro doa a propriedade à autarquia, que se comprometeu, desde essa data, a mantê-la e conservá-la, proporcionando

visitas guiadas a todos que o quisessem fazer.

visitas guiadas a todos que o quisessem fazer. PARQUE TEMÁTICO MOLINOLÓGICO O parque localiza- se na

PARQUE TEMÁTICO MOLINOLÓGICO

O parque localiza-se na área central da freguesia de Ul abrangendo também um troço da freguesia de Travanca.

O rio Antuã estabelece o limite entre as duas freguesias.

Destaca-se na topografia deste espaço uma sobrelevação, o monte do Crasto Neste local fixou-se em tempos remotos

um povoado da idade do ferro, tendo sido ocupado no período da romanização A topografia do Parque é caracterizada por um relevo com declives acentuados, pontuados por zonas com

vales cavados onde passam os rios Antuã, e o Ul . Estes cursos de água são o elemento estruturador da paisagem, permitindo estabelecer, a partir destes, actividades de base agrícola que, para além

do cultivo dos campos, reve-

lam-se na moagem de cereais, através dos moi- nhos de água de rodízio, uma das actividades mais mar-

cantes no contexto da freguesia (de Ul). A transformação

da paisagem marginal aos rios tem lugar com a construção

de inúmeros moinhos, bem como com as infra-estruturas que lhes dão suporte, como a rede de caminhos pedonais

(por onde acediam os moleiros com os animais de carga),

as levadas para condução da água, e os açudes, alguns com

quedas de água consideráveis. Adjacentes a estas infra- estruturas surgem os campos de cultivo, aproveitando a regularização dos cursos de água através das levadas.

a regularização dos cursos de água através das levadas. BIBLIOTECA ESCOLAR Escola Secundária D. Afonso Sanches

BIBLIOTECA ESCOLAR

Escola Secundária D. Afonso Sanches Alameda Flâmula Pais 4480 - Vila do Conde

Tel: 252640490 Fax: 252640480 Correio electrónico: bibesas@gmail.com

BIBLIOTECA ESCOLAR VIAJAR COM… Ferreira de Castro 8 de Maio 2010 Concelho de Oliveira de
BIBLIOTECA
ESCOLAR
VIAJAR
COM…
Ferreira de
Castro
8 de Maio 2010
Concelho de
Oliveira de
Azeméis

Os alunos do 3º ciclo só poderão participar quando acompanhados de um adulto e devidamente autorizados pelo Encarregado de edu- cação.

É imprescindível a autorização do Encarregado de Educação, caso o aluno do ensino secundário se inscreva sem o seu acompanhamen- to.

Nº de acompanhantes

ano, autorizo que este se desloque a Oliveira de Azeméis no dia 8 de Maio de 2010.

Aluno Professor Funcionário Encarregado de Educação. Outro 

Encarregado de Educação do aluno

Notas: O pagamento deverá ser efectuado em numerário até ao dia 30 de Abril.

Total

Preço por pessoa: 15

do

NOME

Contacto

da turma

Eu,

PROGRAMA

8:15 - Concentração em frente à Escola

8:30 - Partida para Ossada (Oliveira de Azeméis) no autocarro da CMVC.

10:30 - Roteiro Literário Ferreira de Castro:

Casa Museu

Biblioteca de Ossela

Escola Primária

Igreja Velha

12:30 - Passagem por Vale de Cambra

13:00 - Almoço no Restaurante Artclub 1883

Ementa :

Entradas

Sopa de legumes

Bacalhau à Alentejana

ou

Carne de porco com ananás

Semifrio

Café

15:00 - Partida para Ul

15.30 - Parque temático molinológico

Visita ao Núcleo Museológico do Moinho e do Pão, que contempla Centro de Recepção aos visitan- tes, o Museu do Moinho e do Pão, o Auditório e a demonstração artesanal da confecção do Pão e Regueifa de Ul em forno tradicional.

17.30 - Regresso a Vila do Conde no autocarro da CMVC.

O ESCRITOR

JOSÉ MARIA FERREIRA DE CAS- TRO nasce em Salgueiros, vila Oliveira de Azeméis, Portugal, no dia 24 de Maio de 1898. Em 1904 entra na escola primária de Ossela. Em 1911 emigra para Belém do Pará - Brasil, onde trabalha, num seringal da floresta Amazónica. Esta fase, vivida em

regime de semi-escravidão, proporciona-lhe

o contacto com o sofrimento e as injusti-

ças vividos pelo povo local, que lhe serviu de inspiração para o romance A Selva. Em 1916 publica o romance Criminoso por Ambição, cuja dis- tribuição é da sua responsabilidade. A partir daqui começa a colaborar com alguns jornais locais. Em 1917, funda, juntamente com o também português João Pinto Monteiro, um semanário intitulado Portugal. Em 1919, regressa a Portugal com a intenção de seguir a carrei-

ra literária. Nos anos seguintes produz e publica os romances: Carne Faminta (1920); O Êxito fácil (1923), Sangue Negro (1923), A Boca da Esfinge (1924), A morte Redimida (1925), que renegaria mais tarde devido à duvidosa qualidade destes, no entanto estes contribuem para o seu restabelecimento financeiro e che- ga a ser eleito, em 1927, "Presidente do Sindicato dos Profissio- nais da Imprensa". Em 1928 funda e dirige, junto com Campos Monteiro, o magazine Civilização. No mesmo ano, publica o romance Emi- grantes, que, além de receber elogios da crítica em Portugal, marca também o início definitivo da sua carreira como escri- tor. Em 1930 publica A Selva, na qual resgata as experiências vividas na Amazónia. Este romance tornou-se um grande suces- so tanto em Portugal como no Brasil. Isso porque a obra trata dos problemas sociais vividos pelo povo da região da Amazónia com objectividade e um extremo sentido crítico. Em 30 de Maio com a sua companheira Diana de Lis, interrompe as acti- vidades literárias e abandona a direcção do magazine Civiliza- ção. A obra Eternidade , publicada em 1933, marca o seu retorno às actividades literárias, que se prolongam até à sua morte, ocorrida em 29 de Junho de 1974 na cidade do Porto. Ferreira de Castro teve os seus livros traduzidos para vários

idiomas. Sem sombra de dúvidas, as obras mais importantes de sua carreira

livros traduzidos para vários idiomas. Sem sombra de dúvidas, as obras mais importantes de sua carreira

INSCRIÇÃO

,

º