Você está na página 1de 39

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

Leis de Newton

Leis de Newton

Introdução:

A dinâmica estuda a relação entre os movimentos e suas causas, as forças que o produzem. Estudamos a cinemática para descrever o movimento. A dinâmica estudará como e porquê os corpos se movem. Força, na linguagem cotidiana, significa empuxar ou empurrar. Para entendermos a força, precisamos visualizá-la como um vetor, que é exercido por uma agente sobre outro, aplicado em um ponto denominado ponto de aplicação.

Leis de Newton

Primeira Lei de Newton Lei da Inércia.

Quando a força resultante sobre um corpo é igual a zero ele se move com velocidade constante (que pode ser nula) e aceleração nula.

Exemplos: Aplicação de forças em objetos:

1
1

Força de contato: Força Normal.

Inércia de repouso: Propriedade de um corpo de não alterar seu estado de repouso. Inércia de Movimento: Propriedade de um corpo de manter seu estado de movimento.



Segunda Lei de Newton

de manter seu estado de movimento.  Segunda Lei de Newton Quando a força resultante externa
de manter seu estado de movimento.  Segunda Lei de Newton Quando a força resultante externa
de manter seu estado de movimento.  Segunda Lei de Newton Quando a força resultante externa

Quando a força resultante externa atua sobre um corpo, sele se acelera. A aceleração possui a mesma direção e sentido da força resultante. O vetor força resultante é igual ao produto da massa do corpo pelo

vetor aceleração resultante do corpo.

n F i m a R i 1
n
F i
m
a
R
i
1

Unidade de força:

Newton: 1 N = 1kg. 1m/s²

1 dyn = 10 -5 N

1 lb =4.4484 N

Terceira Lei de Newton

Quando um corpo A exerce uma força sobre um corpo B (uma “ ação”), então o corpo B exerce uma força sobre o corpo A (uma “reação”). Essas duas forças possuem o mesmo módulo e direção, mas possuem sentidos contrários. Essas forças atuam em corpos diferentes.

Referimos a essas forças como um par ação-reação.

Força de tração ou tensão.

atuam em corpos diferentes. Referimos a essas forças como um par ação-reação.  Força de tração

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

Decomposição das forças:

Cláudio. Sérgio Sartori.  Decomposição das forças:  Exemplo 1 – Encontre a força resultante e

Exemplo 1 Encontre a força resultante e a aceleração resultante sobre o disco de massa 0.3 kg.

e a aceleração resultante sobre o disco de massa 0.3 kg.  Força resultante 2 
e a aceleração resultante sobre o disco de massa 0.3 kg.  Força resultante 2 

Força resultante

2
2
sobre o disco de massa 0.3 kg.  Força resultante 2  Ação e Reação F

Ação e Reação

F F cos20 iˆ F sen20 ˆj 1 1 1
F
F cos20
F sen20
ˆj
1
1
1
F 1 5 0.34 ˆj F 4.7 iˆ 1.7 ˆj N 1
F 1
5 0.34
ˆj
F
4.7 iˆ
1.7
ˆj
N
1

5 0.94 iˆ 8 0.5 iˆ

F F cos60 iˆ F sen60 ˆj 2 2 2
F
F
cos60
F
sen60
ˆj
2
2
2
F 2 8 0.86 ˆj F 4 iˆ 6.93 ˆj N 2
F 2
8 0.86
ˆj
F
4 iˆ
6.93 ˆj
N
2
F F F R 1 2
F
F
F
R
1
2
F 4.7 i ˆ 1.7 ˆ 4 i ˆ 6.93 ˆ j R F 8.69
F
4.7
i
ˆ
1.7
ˆ
4
i
ˆ
6.93
ˆ j
R
F
8.69 ˆ j
i
5.21
ˆ
R
F
arctg
R
y
arctg j 5.21
F
8.69
R
x
30.94
30.94
F F F R R 2 R 2 x y
F
F
F
R
R 2
R 2
x
y
F 8.69 2 5.21 2 F 10.13 N R R
F
8.69
2
5.21
2
F
10.13 N
R
R

a R

F m R a R 33.8 2
F
m
R
a R
33.8
2

m

s

F m a R a 29 i ˆ 17.4 ˆ j R m R s
F
m
a
R
a
29
i ˆ
17.4
ˆ j
R
m
R
s
2
8.69
5.21
2 F 10.13 N R R a R F m R a R 33.8 2 m

0.3 0.3

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

Exemplo 2 Discuta as forças que atuam em cada exemplo: quem exerce e quem sofre a ação da força, sua reação e o ponto de aplicação de cada uma.

(a)

sua reação e o ponto de aplicação de cada uma. ( a ) ( b )

(b)

reação e o ponto de aplicação de cada uma. ( a ) ( b ) (

(c)

e o ponto de aplicação de cada uma. ( a ) ( b ) ( c

(e)

3
3

(f)

de aplicação de cada uma. ( a ) ( b ) ( c ) ( e

Exemplo 3 Encontre cada tensão aplicada.

(d)

( a ) ( b ) ( c ) ( e ) 3 ( f )

O peso do semáforo é 125N

( a ) ( b ) ( c ) ( e ) 3 ( f )

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

Solução:

n F 0 T cos37 T cos53 0 x i 1 2 i 1 T
n
F
0
T
cos37
T
cos53
0
x
i
1
2
i
1
T
sen
37
T
sen
53
T
0
n
1
2
3
F
0
T
P
125
N
y
3
i
i
1
F m m a F a 1 2 m m 1 2
F
m
m
a
F
a
1
2
m
m
1
2
m m a F F 2 F 2 12 m m 1 2
m
m
a
F
F
2
F
2
12
m
m
1
2

F

R

12

F

T 2 37° 90° T 1 T 3 =P 53° sen 37 sen 53 sen
T 2
37°
90°
T 1
T 3 =P
53°
sen
37
sen
53
sen
90
Lei dos senos:
T
T
T
125
1
2
T
1
125 125 sen53 sen37
T T
75.1N 99.9N
2
1 2

Exemplo 4 Encontre a aceleração do corpo no plano inclinado, supondo que não há atrito.

do corpo no plano inclinado, supondo que não há atrito.  Solução: F m a F

Solução:

F m a F F F F m 1 21 21 1 m m 1
F
m
a
F
F
F
F
m
1
21
21
1
m
m
1
2
m m F m F m 1 2 1 F 2 F m m 21
m
m
F
m
F
m
1
2
1
F
2
F
m
m
21
m
m
1
2
1
2

(b) Máquina de Atwood.

m m a P P 1 2 2 1
m
m
a
P
P
1
2
2
1
2 1 2 ( b ) Máquina de Atwood. m m a P P 1 2

F

R

a

m m 2 1 g m 1 m 2
m
m
2
1
g
m 1 m
2

F

R

1

F 21

P 1 2 2 1 F R a m m 2 1 g m 1 m
n F 0 x i m a m g sen i 1 n N m
n
F 0
x i
m
a
m
g
sen
i
1
n
N
m
g
cos
0
F
m
a
y
i
i
1

a

g sen
g sen

Exemplo 5 Ache a aceleração do sistema e a

F R1

m a T P T m a m g 1 1 1 1
m
a
T
P
T
m
a
m
g
1
1
1
1

T

m m m 2 1 g m g 1 m 1 m 1 2
m
m
m
2
1
g
m
g
1
m 1 m
1
2

T

2m m 1 2 g m m 1 2
2m
m
1
2
g
m
m
1
2

força trocada entre os corpos:

(a)

1 1 T m m m 2 1 g m g 1 m 1 m 1

(c)

1 1 T m m m 2 1 g m g 1 m 1 m 1
4
4

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

F R

m m a P sen P 1 2 2 1
m
m
a
P
sen
P
1
2
2
1

a

m sen m 2 1 g m m 1 2
m
sen
m
2
1
g
m
m
1
2

(d)

5
5

F R1

m a T P T m a m g 1 1 1 1
m
a
T
P
T
m
a
m
g
1
1
1
1

T

m sen m m 2 1 g m g 1 m m 1 1 2
m
sen
m
m
2
1
g
m
g
1
m
m
1
1
2

T

m m 1 2 1 sen g m m 1 2
m
m
1
2
1 sen
g
m
m
1
2
 Exemplo 6  Força de atrito (a) (b)  Força de atrito estática: F
Exemplo 6
Força de atrito
(a)
(b)
 Força de atrito estática:
F
F
ae
 Força de atrito de destaque:
F
N
ad
e
(c)
(c)

(Máximo valor da força de atrito estática). e : coeficiente de atrito estático.

atrito estática). e : coeficiente de atrito estático.  Força de atrito dinâmica ou cinética :

Força de atrito dinâmica ou cinética:

F

ac

N c
N
c

c : coeficiente de atrito cinético. c : coeficiente de atrito cinético.

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

Leis de Newton – Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori. Material e c Aço em aço 0.74

Material

e
e
c
c

Aço em aço

0.74

0.57

Alumínio em aço

0.61

0.47

Cobre em aço

0.53

0.36

Borracha em concreto

1

0.8

Madeira em madeira

0.25 0.5

0.2

Vidro no vidro

0.94

0.4

Gelo no gelo

0.1

0.03

Madeira na neve (úmida)

   

Observe que

Madeira na neve (úmida)     Observe que e > c . O coeficiente de atrito

e >

c .
c .

O coeficiente de atrito é independente da área de contato das superfícies.

    Observe que e > c . O coeficiente de atrito é independente da área
    Observe que e > c . O coeficiente de atrito é independente da área
6
6
    Observe que e > c . O coeficiente de atrito é independente da área
    Observe que e > c . O coeficiente de atrito é independente da área
    Observe que e > c . O coeficiente de atrito é independente da área
    Observe que e > c . O coeficiente de atrito é independente da área

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

(a)

Sistema em repouso.

(b)

Sistema em movimento.

) Sistema em repouso. ( b ) Sistema em movimento. 7 ( a )  Solução:
7
7

(a)

Solução:

n F 0 x i m g sen f 0 i 1 n N m
n
F
0
x
i
m
g
sen
f
0
i
1
n
N
m
g
cos
0
F
0
y
i
i
1
f
N
m m
g g
cos sen

f

N m g m g cos e e
N
m
g
m
g
cos
e
e

sen tg

e
e

(b)

n F x m a i m a m g sen f i 1 n
n
F x m
a
i m
a
m
g
sen
f
i
1
n
N
m
g
cos
0
F 0
y
i
i 1
m a f N m m g g sen cos
m
a
f
N
m m
g g
sen cos
f m a c m N g sen f c m m g g cos
f
m a
c
m
N g
sen f
c
m m
g g
cos cos
c

a

g sen c cos
g
sen
c cos

Exemplo 8 Na figura, o coeficiente de atrito

c cos  Exemplo 8 – Na figura, o coeficiente de atrito cinético entre as duas

cinético entre as duas superfícies é c . Aplique a 2ª Lei

de Newton e mostre que a aceleração é:

a

F cos sen g m m c 2 c 1 m m 1 2
F cos
sen
g
m
m
c
2
c
1
m
m
1
2
é: a F cos sen g m m c 2 c 1 m m 1 2
é: a F cos sen g m m c 2 c 1 m m 1 2

Exemplo 7 No plano inclinado da figura, o

m 1 2  Exemplo 7 – No plano inclinado da figura, o coeficiente de atrito

coeficiente de atrito estático é e e o coeficiente de

atrito cinético entre as duas superfícies é

c . Aplique a

2ª Lei de Newton nos casos:

é e e o coeficiente de atrito cinético entre as duas superfícies é c . Aplique
é e e o coeficiente de atrito cinético entre as duas superfícies é c . Aplique

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

Leis de Newton – Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.  Exemplo 10 – Relacione as forças

Exemplo 10 Relacione as forças no reboque

 Exemplo 10 – Relacione as forças no reboque  Exemplo 11 – Diagrama de corpo

Exemplo 11 Diagrama de corpo livre:

no reboque  Exemplo 11 – Diagrama de corpo livre: indicado: ( i )  Exemplo
no reboque  Exemplo 11 – Diagrama de corpo livre: indicado: ( i )  Exemplo

indicado:

(i)



Exemplo 9 Encontre as tensões indicadas na

corpo livre: indicado: ( i )  Exemplo 9 – Encontre as tensões indicadas na sustentação
corpo livre: indicado: ( i )  Exemplo 9 – Encontre as tensões indicadas na sustentação

sustentação do motor do automóvel:

corpo livre: indicado: ( i )  Exemplo 9 – Encontre as tensões indicadas na sustentação
8
8

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

(ii)

de Newton – Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori. ( ii ) ( iii )  Lei

(iii)

– Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori. ( ii ) ( iii )  Lei de Hooke
– Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori. ( ii ) ( iii )  Lei de Hooke

Lei de Hooke

Em 1660 o físico inglês R. Hooke (1635- 1703), observando o comportamento mecânico de uma mola, descobriu que as deformações elásticas obedecem a uma lei muito simples. Hooke descobriu que quanto maior fosse o peso de um corpo suspenso a uma das extremidades de uma mola (cuja outra extremidade era presa a um suporte fixo) maior era a deformação (no caso: aumento de comprimento) sofrida pela mola. Analisando outros sistemas elásticos, Hooke verificou que existia sempre proporcionalidade entre força deformantes e deformação elástica produzida. Pôde então enunciar o resultado das suas observações sob forma de uma lei geral. Tal lei, que é conhecida atualmente como lei de Hooke, e que foi publicada por Hooke em 1676, é a seguinte: “As forças deformantes são proporcionais às deformações elásticas produzidas.” Estando uma mola no seu estado relaxado e sendo uma extremidade mantida fixa, aplicamos uma força(F) à sua extremidade livre, observando certa deformação.Ao observar esse fato, Hooke estabeleceu uma lei, a Lei de Hooke, relacionando Força Elástica(F el ), reação da força aplicada, e deformação da mola

Hooke, relacionando Força Elástica( F e l ), reação da força aplicada, e deformação da mola

F

x

k x
k
x
L L 0
L
L
0
Hooke, relacionando Força Elástica( F e l ), reação da força aplicada, e deformação da mola
9
9

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

Sistema ABS

Adaptado de:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Freio_ABS

http://carros.hsw.uol.com.br/freios-abs.htm

O freio ABS (acrônimo para a expressão

alemã Antiblockier-Bremssystem, embora mais frequentemente traduzido para a inglesa Anti-lock Braking System) é um sistema de frenagem (travagem) que evita que a roda bloqueie (quando o pedal de freio é pisado fortemente) e entre em derrapagem, deixando o automóvel sem aderência à pista. Assim, evita-se o descontrole do veículo (permitindo que obstáculos sejam desviados enquanto se freia) e aproveita-se mais

o atrito estático, que é maior que o atrito cinético (de deslizamento). A derrapagem é uma das maiores causas ou agravantes de acidentes; na Alemanha, por exemplo, 40% dos acidentes são causados por derrapagens.

História

Os primeiros sistemas ABS foram desenvolvidos inicialmente para aeronaves. Um sistema

primitivo foi o sistema Maxaret de Dunlop, introduzido na década de 1950 e ainda utilizado em alguns modelos de aeronaves. Era um sistema totalmente mecânico.

O freio ABS atual foi criado pela empresa alemã Bosch,

tornando-se disponível para uso em 1978, com o nome "Antiblockiersystem". A versão atual do sistema (8.0) é eletrônica e pesa menos que 1,5 kg, comparado com os 6,3 kg da versão 2.0, de 1978. No Brasil apenas 13% dos carros são equipados com ABS, enquanto na Europa e nos Estados Unidos o freio ABS faz parte, respectivamente, de 100% e 74% dos carros produzidos anualmente. Um dos motivos desses índices é o fato de o freio ABS ser um item opcional caro no Brasil. O item é importado, elevando o preço do automóvel em cerca de R$ 3 mil. O desconhecimento dos brasileiros sobre o sistema ABS e suas vantagens à segurança do motorista faz com que haja uma pouca valorização do item no preço de revenda do automóvel que o possui. Porém a empresa Bosch anunciou que

começou a produzir o equipamento na cidade paulista de Campinas. Boa parte das peças ainda é importada, mas a empresa garante que o processo já é suficiente para baratear o equipamento no mercado brasileiro

Funcionamento

O ABS atual é um sistema eletrônico que,

utilizando sensores, monitora a rotação de cada roda e a

compara com a velocidade do carro. Em situações de frenagem cotidianas, o sistema ABS não é ativado. Quando a velocidade da roda cai muito em relação à do carro, ou seja, na iminência do travamento, o sistema envia sinais para válvulas e bombas no sistema de óleo do freio, aliviando a pressão. Essa operação causa uma vibração quando se "pisa fundo" no pedal do freio, o

que deve ser considerado pelo motorista como operação normal do sistema (leia mais em Efetividade do ABS).

A física da derrapagem

A vantagem do freio ABS: quando as rodas ainda estão em movimento, elas sofrem com a superfície na qual deslizam uma força de atrito estático. Quando derrapam, elas sofrem uma força de atrito cinético. Como a força máxima de atrito estático tem sempre um valor maior do que a força máxima de atrito cinético, é mais vantajoso para a frenagem que a roda diminua sua rotação em movimento do que simplesmente travar. (Leia mais no artigo sobre o atrito).

Entender a teoria dos freios antitravamento é simples. Uma roda que desliza (a área da pegada do pneu escorrega em relação à estrada) tem menos aderência que uma roda que não está deslizando. Se você já ficou imobilizado no gelo ou na lama, sabe que se as rodas estão girando em falso, você não tem tração, o carro não sai do lugar. Isso acontece porque a área de contato está deslizando em relação ao solo. Ao evitar o deslizamento das rodas durante a frenagem, os freios antitravamento beneficiam você de duas maneiras: você irá parar mais rápido e será capaz de mudar a trajetória do carro enquanto freia. Existem quatro componentes principais em um sistema ABS:

o sensores de velocidade o bomba o válvulas o unidade controladora
o
sensores de velocidade
o
bomba
o
válvulas
o
unidade controladora
velocidade o bomba o válvulas o unidade controladora o Sensores de rotação: O sistema de frenagem

o Sensores de rotação: O sistema de

frenagem antitravamento precisa saber, de alguma maneira, quando uma roda está prestes a travar. Os sensores de rotação, que estão localizados em cada roda ou, em alguns casos, no diferencial fornecem essa informação. o Válvulas: Existe uma válvula na tubulação de cada freio controlado pelo ABS. Em alguns sistemas, as válvulas têm três posições:

a posição um, a válvula está aberta; a

pressão do cilindro-mestre é passada direto até o freio;

na posição dois, a válvula bloqueia o

tubo, isolando o freio do cilindro-mestre. Isso

previne que a pressão suba mais caso o motorista pressione o pedal do freio com mais força;

na posição três, a válvula libera um pouco da pressão do freio.

o Bomba: Uma vez que a válvula libera a

pressão dos freios, deve haver uma maneira de repor aquela pressão. É isso que a bomba faz: quando a válvula reduz a pressão num tubo, a bomba repõe a pressão.

10
10

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

o Unidade controladora: A unidade controladora é um computador no automóvel. Ela

monitora os sensores de rotação e controla as válvulas.

em

Existem muitas variações e algoritmos de controle para sistemas ABS. Veremos aqui como funciona um dos sistemas mais simples.

A unidade controladora monitora os sensores de rotação

o tempo todo. Ela procura por desacelerações das rodas que não são comuns. Logo antes de uma roda travar,

ela passa por uma rápida desaceleração. Se a unidade

controladora não percebesse essa desaceleração, a roda

poderia parar de girar muito mais rapidamente do que qualquer carro pararia. Levaria cinco segundos para um carro parar, sob condições ideais a uma velocidade de 100 km/h, mas quando uma roda trava, ela pode parar de girar em menos de um segundo.

A unidade controladora do ABS sabe que uma

aceleração tão rápida é impossível, por isso, ela reduz a pressão naquele freio até que perceba uma aceleração, então aumenta a pressão até que veja uma nova

desaceleração. Isto pode acontecer bem rapidamente, antes que o pneu possa mudar de rotação de forma significativa. O resultado disso é que aquele pneu desacelera na mesma relação com o carro e os freios mantêm os pneus muito próximos do ponto onde eles começam a travar. Isso oferece ao sistema o máximo poder de frenagem.

ação

ABS

precisam começar a travar antes que o ABS seja ativado na traseira. Com este sistema, é possível que uma das rodas traseiras trave durante uma parada, reduzindo a eficiência da freada. Um canal, um sensor ABS - este sistema

é bastante comum em caminhonetes com ABS nas rodas traseiras. Possui apenas uma válvula, a qual controla ambas as rodas traseiras, e um sensor de rotação situado no eixo traseiro. Este sistema opera na parte traseira da mesma maneira que um sistema de três canais. As rodas traseiras são monitoradas juntas e ambas precisam começar a travar para poder ativar o sistema ABS. Neste sistema também é possível que uma das rodas traseiras trave, reduzindo a eficiência da freada.

rodas traseiras trave, reduzindo a eficiência da freada. Este sistema é fácil de identificar. Geralmente há

Este sistema é fácil de identificar. Geralmente há uma tubulação de freio correndo ao longo de uma peça em "T" ajustada para ambas as rodas traseiras. Você pode localizar o sensor de rotação procurando por uma conexão elétrica próxima ao diferencial na carcaça do eixo traseiro.

próxima ao diferencial na carcaça do eixo traseiro. Quando o sistema ABS estiver em operação você
próxima ao diferencial na carcaça do eixo traseiro. Quando o sistema ABS estiver em operação você
próxima ao diferencial na carcaça do eixo traseiro. Quando o sistema ABS estiver em operação você

Quando o sistema ABS estiver em operação você sentirá uma pulsação no pedal de freio; isso se deve à rápida abertura e fechamento das válvulas. Alguns sistemas ABS podem operar em períodos de até 15 ciclos por segundo.

Tipos de freios antitravamento:

Os sistemas de frenagem antitravamento

usam diferentes métodos, dependendo do tipo de freios

em uso. Iremos nos referir a eles pelo número de canais - isto é, quantas válvulas são individualmente controladas - e o número de sensores de velocidade.

Quatro canais, quatro sensores ABS - este - este

é

o melhor método. Há um sensor em todas as rodas

e

uma válvula separada para cada uma. Com essa

configuração, a unidade controladora monitora cada roda individualmente para assegurar a máxima potência de frenagem.

Três canais, três sensores ABS - este método, comumente encontrado em caminhonetes com ABS nas quatro rodas, tem um sensor - este método, comumente encontrado em caminhonetes com ABS nas quatro rodas, tem um sensor de velocidade e uma válvula para cada roda dianteira, com uma válvula e um sensor para as duas rodas traseiras. O sensor de rotação para as rodas traseiras está localizado no eixo traseiro. Este sistema fornece controle individual das rodas dianteiras, assim ambas podem alcançar a potência máxima de frenagem. As rodas traseiras, entretanto, são monitoradas juntas; elas

Efetividade do ABS

Em superfícies como asfalto e concreto, tanto

secas quando molhadas, a maioria dos carros equipados com ABS são capazes de atingir distâncias de frenagem melhores (menores) do que aqueles que não o possuem. Um motorista experiente sem ABS pode ser capaz de quase reproduzir ou até atingir, através de técnicas como o threshold breaking, o efeito e a performance do carro que possui ABS. Entretanto, para

a maioria dos motoristas, o ABS reduz muito a força do

impacto ou as chances de se sofrer impactos. A técnica recomendada para motoristas não experientes que

possuem um carro com ABS, em uma situação de frenagem completa de emergência, é pressionar o pedal

11
11

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

de freio o mais forte possível e, quando necessário, desviar dos obstáculos. Com freios normais, o motorista não pode desviar de obstáculos enquanto freia, já que as rodas estarão travadas. Dessa maneira, o ABS irá reduzir significativamente as chances de derrapagem e uma subseqüente perda de controle. Em pedregulhos e neve forte, o ABS tende a aumentar a distância de frenagem. Nessas superfícies, as rodas travadas escavam o solo e param o veículo mais rapidamente. O ABS impede que isso ocorra. Algumas calibragens de ABS reduzem esse problema por diminuir o tempo de ciclagem, deixando as rodas rapidamente travar e destravar. O benefício primário do ABS nessas superfícies é aumentar a capacidade do motorista em manter o controle do carro em vez de derrapar, embora a perda de controle seja por vezes melhor em superfícies mais suaves como pedregulhos e deslizantes como neve ou gelo. Em uma superfície muito deslizante como gelo ou pedregulhos é possível que se trave todas as rodas imediatamente, e isso pode ser melhor que o ABS (que depende da detecção da derrapagem de cada roda individualmente). A existência do ABS não deve intimidar os motoristas a aprender a técnica do threshold breaking.

Distância de frenagem de 80 a 0 km/h

do threshold breaking. Distância de frenagem de 80 a 0 km/h   Situação Rodas travadas ABS
 

Situação

Rodas travadas

ABS

 
da superfície (m) (m)

da

da superfície
da superfície
da superfície
da superfície

superfície

(m)

(m)
da superfície (m) (m)

(m)

(m)
(m)
da superfície (m) (m)
   

Seca

 

60

47

 
 

Neve

 

68

79

 
   

gelo

 

270

419

 

a força nesta situação. Apesar de tudo, o ABS pode significativamente melhorar a segurança e o controle dos motoristas sobre o carro em situações de trânsito se eles souberem que não devem soltar o pedal quando o sentir pulsar, graças ao ABS.

Bomba do freio antitravamento e válvulas

12
12
graças ao ABS. Bomba do freio antitravamento e válvulas 12 Note, entretanto, que essa comparação é

Note, entretanto, que essa comparação é de certa forma simplista. Um bom motorista com um sistema de frenagem bem projetado, feito para minimizar as possibilidades de travagem acidental das rodas durante uma parada imediata, se sairá melhor do que o apresentado. Quando ativado, o ABS faz com que o pedal de freio pulse notavelmente. Como a maioria dos motoristas raramente ou nunca freiou forte o suficiente para causar a travagem das rodas, e um número significante raramente se importa em ler o manual do carro, essa característica pode ser descoberta só no momento da emergência. Quando os motoristas se defrontam com a emergência que faz com que freiem forte e conseqüêntemente enfrentam a pulsação do pedal pela primeira vez, muitos estranham e diminuem a pressão do pedal, conseqüêntemente aumentando as distâncias de frenagem, contribuindo muitas vezes para um número de acidentes maior do que a habilidade especial do ABS seria capaz de reduzir. Alguns fabricantes implementaram então sistemas de avaliação de frenagem que determinam se o motorista está tentando fazer uma frenagem de emergência e mantêm

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

Q4.1 Pode um corpo permanecer em equilíbrio quando somente uma força atua sobre ele? Explique.

Q4.2 Uma bola lançada verticalmente de baixo para cima possui velocidade nula em seu ponto mais elevado. A bola está em equilíbrio nesse ponto? Por que sim ou por que não?

Q4.3 Um balão cheio de hélio fica suspenso no ar. nem subindo nem descendo. Ele está em equilíbrio? Quais as torças que aluam sobre ele'.'

Q4.12 Por que a Terra c considerada um sistema de referência inercial apenas aproximado?

Q4.13 A segunda lei de Newton é válida para um observador no interior de um veículo que está acelerando, parando ou fazendo uma curva? Explique.

Q4.14 Alguns estudantes dizem que a grandeza ma e a "força da aceleração". E correto dizer que essa grandeza é uma força? Caso sim, onde essa força e exercida? Caso não, qual é a melhor descrição para essa grandeza?

Q4.4 Quando você voa de avião numa noite com ar calmo, não tem a sensação de estar em movimento, embora o avião possa estar se deslocando a 800 km/h. Como você explica isso?

Q4.15 A aceleração de um corpo em queda livre é medida no interior de um elevador que esta subindo com velocidade constante de 9,8 m/s. Que resultado é obtido?

Q4.5 Quando as duas extremidades de uma corda são puxadas com forças de mesmo módulo mas de sentidos contrários, por que a tensão na corda não e igual a zero?

Q4.6 Você amarra um tijolo na extremidade de uma corda e o faz girarem torno de você em um círculo horizontal. Descreva a trajetória do tijolo quando você larga repentinamente a corda.

do tijolo quando você larga repentinamente a corda. Q4.16 Você pode brincar de segurar uma bola
do tijolo quando você larga repentinamente a corda. Q4.16 Você pode brincar de segurar uma bola

Q4.16 Você pode brincar de segurar uma bola lançada por outra pessoa em um ônihus que se move com velocidade constante em uma estrada retilínea, do mesmo modo como se o ônibus estivesse em repouso. É isso possível quando o ônibus se move com velocidade constante em uma curva? Explique por que sim ou por que não.

Q4.17 A partícula do Exemplo 4.1 eslá em equilíbrio'.' Explique.

do Exemplo 4.1 eslá em equilíbrio'.' Explique. Q4.7 Quando um carro pára repentinamente, os passageiros
do Exemplo 4.1 eslá em equilíbrio'.' Explique. Q4.7 Quando um carro pára repentinamente, os passageiros
do Exemplo 4.1 eslá em equilíbrio'.' Explique. Q4.7 Quando um carro pára repentinamente, os passageiros
do Exemplo 4.1 eslá em equilíbrio'.' Explique. Q4.7 Quando um carro pára repentinamente, os passageiros
do Exemplo 4.1 eslá em equilíbrio'.' Explique. Q4.7 Quando um carro pára repentinamente, os passageiros

Q4.7 Quando um carro pára repentinamente, os passageiros tendem a se mover para a frente em relação aos seus assentos. Por quê?

Q4.8 Algumas pessoas dizecm que, quando um carro pára repentinamente, os passageiros são empurrados para a frente por uma "força de inércia" (ou uma "força de momento linear"). O que existe de errado nessa explicação?

Q4.18 A cabeça de um martelo começa a se soltar do cabo. Como você deve bater o cabo em um bloco de concreto para que a cabeça fique firme novamente? Por que isso funciona?

Q4.19 Por que um chute em uma rocha grande pode machucar mais o seu pé do que o chute em uma pedra pequena? A rocha grande deve sempre machucar mais? Explique.

Q4.9 Um passageiro no interior de um ônibus sem janela em movimento observa que uma bola que estava em repouso no meio do ônihus começa a se mover para a traseira do ônibus. Imagine dois modos diferentes de explicar o que ocorreu e descubra um método para decidir qual dos dois está correio.

Q4.10 Suponha que as unidades SI fundamentais sejam força, comprimento e tempo, em vez de massa, comprimento e tempo. Quais seriam as unidades de massa em termos dessas unidades fundamentais?

Q4.20 "Não e a queda que machuca você; é a brusca parada embaixo." Traduza isso usando a linguagem das leis de Newton do movimento.

Q4.21 Uma pessoa pode mergulhar na água pulando de uma altura de 10 m sem se machucar, mas quando ela pula de uma altura de 10m e cai sobre um piso de concreto sofre sérias lesões. Qual é a razão dessa diferença?

Q4.11 A inércia não é uma força que mantém um corpo em repouso ou em movimento. Como sabemos disso?

Q4.22 Por que, por motivo de segurança, um carro é projetado para sofrer esmagamento na frente e na traseira? Por que não para colisões laterais e capotagens?

13
13

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

Q4.23 Quando uma bala é disparada de uma arma, qual é a origem da força que acelera a bala? Q4.24 Quando um peso grande é suspenso por um fio no limite de sua elasticidade, puxando-se o fio suavemente o peso pode ser levantado; porém, se você puxar bruscamente, o fio se rompe. Explique isso usando as leis de Newton do movimento.

Q4.25 Um engradado grande é suspenso pela extremidade de uma corda vertical. A tensão na corda é maior quando o engradado esta em repouso ou quando ele se move com velocidade constante? Quando o engradado se move na vertical, a tensão na corda é maior quando o engradado está sendo acelerado ou quando sua velocidade diminui? Explique cada caso usando as leis de Newton do movimento.

longo de uma estrada com a mesma velocidade e a mesma aceleração. Quando o carro está acelerando, a força que ele exerce sobre a caminhonete possui módulo maior que, menor que, ou igual à força que a caminhonete exerce sobre o carro? A maior força resultante atua sobre o carro ou sobre a caminhonete, ou as duas forças resultantes possuem o mesmo módulo? Explique.

Q4.33 Em um caho-de-guerra duas pessoas puxam as extremidades de uma corda em sentidos opostos. Pela terceira lei de Newton, a força que A exerce sobre K possui módulo igual ao da força que B exerce sobre A. Então, o que determina qual é o encedor? (Sugestão: desenhe um diagrama do corpo livre para cada pessoa.)

Q4.26 Um engenheiro de automóveis, ao discutir o movimento de um automóvel, chama a taxa de variação da aceleração de "arrancada". Por que essa grandeza seria útil para caracterizar as qualidades da condução de automóvel?

Q4.27 Por que não é correto dizer que l kg é ígual a 9,8 N?

Q4.28 Um cavalo puxa uma carroça. Uma vêz que a carroça puxa o cavalo para trás com uma força igual e contrária à torça exercida pelo cavalo sobre a carroça, por que a carroça não permanece em equilíbrio, independentemente da intensidade da força com a qual o cavalo puxa a carroça?

intensidade da força com a qual o cavalo puxa a carroça? Q4.29 Uma garota de 450
intensidade da força com a qual o cavalo puxa a carroça? Q4.29 Uma garota de 450

Q4.29 Uma garota de 450 N andando de norte para o sul dá um bofetão em um rapaz de 800 N andando do sul para o norte. Seus dedos exercem uma força de 30 N sobre sua bochecha no sentido de leste para oeste. Podem existir outras reações, mas, de acordo com a terceira lei de Ncwlon, qual a força do bofetão?

Q4.34 Na Lua, g = l .62 m/s 2 . Lá, se um tijolo de 2 kg caísse de uma altura de 2 m sobre o seu pé, causaria uma lesão maior. menor ou igual à que causaria se o mesmo fato acontecesse aqui na Terra? Explique. Se na Lua o tijolo lesse lançado horizontalmente e atingisse você com uma velocidade de 6 m/s, causaria uma lesão maior, menor ou igual do que a lesão causada nas mesmas circunstâncias na Terra? Explique. (Na Lua. Suponha que você esteja dentro de uma cabina pressurizada. sem estar dentro da roupa especial usada pêlos astronautas.)

estar dentro da roupa especial usada pêlos astronautas.) Q4.35 Um manual para aprendiz de piloto contém
estar dentro da roupa especial usada pêlos astronautas.) Q4.35 Um manual para aprendiz de piloto contém
estar dentro da roupa especial usada pêlos astronautas.) Q4.35 Um manual para aprendiz de piloto contém
estar dentro da roupa especial usada pêlos astronautas.) Q4.35 Um manual para aprendiz de piloto contém
estar dentro da roupa especial usada pêlos astronautas.) Q4.35 Um manual para aprendiz de piloto contém

Q4.35 Um manual para aprendiz de piloto contém a seguinte passagem: "Quando o avião voa em uma altitude constante, sem subir nem descer, a força de sustentação que atua de baixo para cima sobre suas asas é igual ao peso do avião. Quando o avião está subindo com aceleração constante, a força de

sustentação que atua de baixo para cima sobre suas asas

é menor do que o peso do avião". Essas afirmações estão corretas? Explique.

Q4.30 Um caminhão grande e um automóvel compacto colidem frontalmente. Durante a colisão, o caminhão exerce uma força F sobre o automóvel, e o automóvel exerce uma força F sobre o caminhão. As duas torças possuem o mesmo módulo, ou uma delas é maior do que a outra? Sua resposta depende do valor da velocidade de cada veiculo antes da colisão? Por que ? sim ou por que não?

Q4.31 Se você perguntar a diversas pessoas que força faz um carro se acelerar para a frente, elas dirão "a força do motor". Porém, qual é a força diretamente responsável pela aceleração do carro?

Q4.32 Um carro pequeno está puxando uma caminhonete que eslava enguiçada, e eles se movem ao

EXERCÍCIOS

SEÇÃO 4.2

FORÇA E INTERAÇÕES

4.1

Duas forças possuem o mesmo módulo. Qual é

o ângulo entre os dois vetores quando a soma vetorial possui o módulo igual a

(a)

2F?

(b)

2 F

2F

(c)

0? Faça um desenho dos três vetores em cada

caso.

4.2 Em vez de usar os eixos Ox e 0y da Figura 4.5

para analisar a situação do Exemplo 4. l, use um sistema de eixos girados de 30,0° no sentido anti-horário, de modo que o eixo Ox seja paralelo á força de 200 N.

14
14

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

(a) Para esses eixos ache os componentes x e y da força resultante que atua sobre a partícula, (b) Partindo dos componentes calculados cm (a), calcule o módulo, adireção e o sentido da força resultante. Compare seus resultados com o Exemplo 4. l.

resultante. Compare seus resultados com o Exemplo 4. l. SEÇÃO 4.4 – SEGUNDA LEI DE NEWTON

SEÇÃO 4.4 SEGUNDA LEI DE NEWTON

4.7 Se uma força resultante horizontal de 132

N é aplicada a uma pessoa com massa de 60 kg em

repouso na beira de uma piscina. Qual é a aceleração produzida?

4.3 Um trabalhador de um armazém empurra

uma caixa ao longo de um piso como indicado na Figura 4. l h, aplicando uma força de 10 N de cima para baixo, formando um ângulo de 45 0 abaixo da horizontal. Ache os componentes horizontais e verticais da força.

4.8 Qual o módulo da força necessária para

imprimir uma aceleração de l .40 m/s 2 em uma geladeira com massa de 135 kg?

4.9 Uma caixa está em repouso sobre um lago

congelado, que e uma superfície horizontal sem atrito.

Se um pescador aplica uma força horizontal de módulo

48,0 N sobre a caixa, produzindo uma aceleração de 3.00 m/s 2 , qual e a massa da caixa?

4.4 Um homem está puxando uma mala para

cima ao longo de uma rampa de carga de um caminhão de mudanças. A rampa possui um ângulo de 20,0 0 e o homem exerce uma força F para cima cuja direção forma um ângulo de 30.0 0 com a rampa (Figura 4.26). (a) Qual deve ser o módulo da força F necessária para que o componente F, paralelo à rampa possua módulo igual a 60,0 N? b) Qual deve ser o módulo do componente F nesse caso?

4.10 Um portuário aplica uma força horizontal

constante de 80,0 N em um bloco de gelo sobre uma superfície horizontal lisa. A força de atrito é desprezível. O bloco parte do repouso e se move 11.0 m em 5.00 s. (a) Qual e a massa do bloco de gelo? (b) Se o portuário parar de empurrar o bloco depois de 5.00 s. qual será a distância percorrida pelo bloco nos 5.00 s posteriores?

a distância percorrida pelo bloco nos 5.00 s posteriores? kg 4.11 em Um disco de hóquei
kg
kg
4.11 em
4.11
em

Um disco de hóquei com massa de 0,160

repouso
repouso
kg 4.11 em Um disco de hóquei com massa de 0,160 repouso na origem ( x
kg 4.11 em Um disco de hóquei com massa de 0,160 repouso na origem ( x

na origem (x = 0) em uma

superfície horizontal sem atrito da pista. No instante t =

está

0,

um jogador aplica sobre o disco uma força de 0.250

N

paralela ao eixo 0x ele continua a aplicar a força até t

=

2.0 s.

FIGURA 4.26 - Exercício 4.4.

(a) Qual é a posição e a velocidade do disco no

instante t = 2.0 s?

(b) Sc a mesma força for aplicada novamente

15
15

4.5

Dois cachorros puxam horizontalmente

no

instante t = 5.0 s, qual será a posição e a velocidade

cordas amarradas a um poste: o ângulo entre as cordas é

do

disco no instante t = 7.0 s?

igual a 60.0 0 . Se o cachorro A exerce uma força de 270 N e o cachorro B exerce uma força de 300 N. ache o

4.12

Uma força resultante horizontal de 140 N

módulo da força resultante e o ângulo que ela fará com

c aplicada a uma caixa com massa de 32.5 kg que está

a corda do cachorro A.

4.6 Duas

forças,

32.5 kg que está a corda do cachorro A. 4.6 Duas forças, F 1 e F

F

1

e

que está a corda do cachorro A. 4.6 Duas forças, F 1 e F 2 atuam

F

2

atuam

sobre

um

do cachorro A. 4.6 Duas forças, F 1 e F 2 atuam sobre um F 1

F

1

ponto. O módulo de ,

forma um ângulo de 60.0 0 acima do eixo Ox no segundo

sua

direção forma um ângulo de 53. l" abaixo do eixo Ox no terceiro quadrante,

é igual a 9.00 N e sua direção

Ox no terceiro quadrante, é igual a 9.00 N e sua direção F 2 , é

F

2

,

é igual a 6.00

quadrante. O módulo de

N

e

(a) Quais são os componentes x e y da força

resultante?

(b) Qual o módulo da força resultante?

inicialmente em repouso sobre o piso de um armazém,

(a)

Qual é a aceleração produzida?

(b)

Qual a distância percorrida em 10 s?

(c)

Qual é a velocidade dela pós 10.0 s?

4.13 Um disco de hóquei se move de um ponto

A a um ponto B com velocidade constante enquanto está

submetido a diversas forças,

(a)

O que você pode falar sobre essas forças?

(b)

Faça um gráfico da trajetória do disco de

hóquei de A a B.

(c) Sobre o gráfico, prossiga a trajetória até um

ponto C se uma nova força constante for aplicada ao

disco no ponto B, sabendo que a nova força é perpendicular à velocidade do disco no ponto B.

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

(d) Continue a traçar no gráfico a trajetória até

(b) Uma força de baixo para cima de módulo

um ponto D se no ponto C a força constante aplicada no

é

exercida sobre

pela

palma da sua

ponto B for substituída por uma força de módulo

mão.

constante, porém com direção sempre perpendicular à

(c)

E a força de baixo para cima do item (b) a reação

trajetória do disco.

da força de cima para baixo do item (a)?

 

4.14 Um elétron (massa = 9.11.10 -31 kg deixa

a extremidade de um tubo luminoso de TV com

(d) A reação da força do item (a) é a força de módulo

Seu

exercida sobre

pelo

sentido é

velocidade inicial zero e se desloca em linha rela até a

(e)

A reação da força do item (b) é a força de módulo

grade de aceleração que está a uma distância de l .80

exercida

sobre

pelo

cm. Ele a atinge a 3.00 x 10'' m/s. Se a força que o

(f)

As forças dos itens (a) e (b) são iguais e opostas

acelera for constante, calcule

em virtude da lei de Newton.

(a) a aceleração; (b) o tempo para atingir a

(g)

As forças dos itens (b) e (e) são iguais e opostas

grade: (c) a força resultante, em newtons. (A força

em virtude da

 

lei de Newton. Suponha agora

gravitacional sobre o clétron é desprezível.)

agora gravitacional sobre o clétron é desprezível.) SEÇÃO 45 - MASSA E PESO 4.15 O Super-homem

SEÇÃO 45 - MASSA E PESO

4.15 O Super-homem lança uma rocha de 2400

N sobre seu adversário. Qual é a força horizontal que o

Super-homem deve aplicar sobre a rocha para que ela se

desloque com uma aceleração horizontal igual a 12,0

m/s?

4.16 Uma bola de boliche pesa 71,2 N. O

jogador aplica sobre ela uma força horizontal de 160 N. Qual o módulo da aceleração horizontal da bola?

que você exerça sobre o livro uma força de baixo para cima de módulo igual a 5 N.

(h) O livro permanece em equilíbrio?

(i) É a força exercida sobre o livro pela sua mão igual

e oposta à força exercida sobre o livro pela Terra?

(j) E a força exercida sobre o livro pela Terra igual e

oposta à força exercida sobre a Terra pelo livro?

(k) E a força exercida sobre o livro pela sua mão igual

e oposta à força exercida sobre sua mão pelo livro? Finalmente, suponha que você retire subitamente sua mão enquanto o livro se move para cima. ( l) Quantas forças atuam agora sobre o livro?

4.17
4.17
cima. ( l) Quantas forças atuam agora sobre o livro? 4.17 Na superfície de Io, uma

Na superfície de Io, uma das luas de

sobre o livro? 4.17 Na superfície de Io, uma das luas de ( m ) O

(m) O livro está em equilíbrio?

de Io, uma das luas de ( m ) O livro está em equilíbrio? Júpiter, a
de Io, uma das luas de ( m ) O livro está em equilíbrio? Júpiter, a
de Io, uma das luas de ( m ) O livro está em equilíbrio? Júpiter, a
de Io, uma das luas de ( m ) O livro está em equilíbrio? Júpiter, a

Júpiter, a aceleração da gravidade é g = 1.81 m/s 2 . Uma

4.21 Uma garrafa é empurrada sobre uma mesa e

16
16

melancia pesa 44.0 N na superfície da Terra,

escorrega para tora da extremidade da mesa. Não

(a)

Qual sua massa na superfície da Terra?

despreze a resistência do ar.

(b)

Qual sua massa c o seu peso na superfície de

(a)

Quais forças atuam sobre a garrafa enquanto ela

Io?

4.18 (a) Qual é a massa de um livro que pesa

3,20 N em um local onde g = 9,80 m/s 2

(b) Neste mesmo local, qual é o peso de um

cachorro cuja massa é 14,0 kg?

local, qual é o peso de um cachorro cuja massa é 14,0 kg? SEÇÃO 4.6 -

SEÇÃO 4.6 - TERCEIRA LEI DE NEWTON

4.19 Uma velocista de competição mundial que pesa

55 kg pode se acelerar a partir do bloco de partida com uma aceleração aproximadamente horizontal cujo módulo é igual a 15 m/s 2 . Que força horizontal deve a velocista exercer sobre o bloco de partida para produzir essa aceleração? Qual é o corpo que exerce a força que impulsiona a velocista: o bloco ou a própria velocista?

4.20 Imagine que você esteja sustentando um livro de

4 N em repouso sobre a palma da sua mão. Complete as seguintes sentenças:

(a) Uma força de cima para baixo de módulo igual a 4

N é exercida sobre o livro pela

cai da mesa ate o chão?

(b) Quais são as reações dessas forças; ou seja, sobre

quais corpos e por quais corpos as reações são

exercidas?

4.22 O piso de um elevador exerce uma força normal

de 620 N de baixo para cima sobre um passageiro que pesa 650 N. Quais são as reações dessas duas forças? O

passageiro está sendo acelerado? Em caso afirmativo, determine o modulo, a direção e o sentido da aceleração.

4.23 Uma estudante com massa de 45 kg pula de um

trampolim elevado. Considerando a massa da Terra como 6.010 24 kg, qual é a aceleração da Terra no sentido da estudante quando ela se acelera no sentido da Terra com 9,8 m/s 2 ? Suponha que a força resultante sobre a Terra seja a força gravitacional que ela exerce sobre a Terra.

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

Leis de Newton – Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori. SEÇÃO 4.7 USO DAS LEIS DE NEWTON

SEÇÃO 4.7 USO DAS LEIS DE NEWTON

4.24 Uma astronauta está ligada por um cabo forte a

uma nave espacial. A astronauta junto com sua roupa e equipamentos possui massa total de 105 kg, enquanto a massa do cabo é desprezível. A massa da espaçonave é igual a 9,05.10 4 kg. A espaçonave está longe de qualquer corpo celeste, de modo que as forças gravitacionais externas sobre ela e sobre a astronauta são desprezíveis. Supomos também que a astronauta e a

espaçonave estejam em repouso inicialmente em um sistema de referencia inercial. A astronauta puxa o cabo com uma força de 80,0 N.

(a) Qual é a força que o cabo exerce sobre a

astronauta?

(b) Visto que

N F i m a i 1
N
F i m
a
i 1

como pode um "cabo

FIGURA 1.27 Exercícios 4.27 e 4.28.

4.28 Considere a Figura 4.27, As caixas estão

sobre uma superfície horizontal sem atrito. A mulher

(ainda usando tênis especiais para tração) aplica uma torça horizontal F = 50.0 N sobre a caixa de 6.00 kg. As massas das cordas são desprezíveis.

(a) Faça um diagrama do corpo livre para a

caixa de 4.00 kg. Um diagrama do corpo livre para a caixa de 6.00 kg e um diagrama do corpo livre para a mulher. Para cada força, indique qual é o corpo que a exerce,

(b) Qual é o módulo da aceleração da caixa

de 6,00 kg? (c) Qual é a tensão T na corda que conecta as duas caixas?

4.29 Uma pára-quedista confia na resistência

17
17

sem massa" (m = 0) exercer uma força?

 

do ar (principalmente por causa do seu pára-quedas)

(c)

Qual é a aceleração da astronauta?

para diminuir sua velocidade durante a queda. Sabendo

(d)

Qual

é

a

força

que

o

cabo

exerce

sobre

a

que sua massa, incluindo a do pára-quedas é igual a

espaçonave?

(e) Qual é a aceleração da espaçonave?

4.25 Um balde com água pesando 4,80 kg é acelerado

de baixo para cima por uma corda de massa desprezível

55,0 kg e que a resistência do ar exerce uma força de baixo para cima de 620 N sobre ela e seu pára-quedas, qual e sua aceleração?

4.30 A posição de um helicóptero de

treinamento de 2.75.10 5 N é dada por:

r 0.02t3 iˆ 2.2t ˆj 0.06t 2 kˆ cuja tensão de ruptura é igual a
r
0.02t3 iˆ
2.2t
ˆj
0.06t 2 kˆ
cuja tensão de ruptura é igual a 75,0 N. Calcule a
aceleração máxima de baixo para cima que o balde
pode ler sem que a corda se rompa.
Ache a força resultante sobre o helicóptero
para t = 5.0 s.

4.26 Um elevador de massa m está se deslocando de

baixo para cima com uma aceleração de módulo d A massa do cabo de suporte e desprezível. Qual é a tensão no cabo de suporte

(a) se o elevador aumenta de velocidade enquanto

sobe?

(b) se o elevador diminui de velocidade enquanto

sobe?

4.27 Duas caixas, uma de massa de 4,00 kg e outra de

6.00 kg. estão em repouso sobre a superfície sem atrito

de um lago congelado, ligadas por uma corda leve (Figura 4.27). Uma mulher usando um tênis áspero (de

modo que ela possa exercer tração sobre o solo) puxa horizontalmente a caixa de 6.00 kg com uma força F que produz, uma aceleração de 2,50 m/s 2 ,

(a) Qual é o módulo da força F?

(b) Qual é a tensão T' na corda que conecta as

duas caixas?

6,0 kg

F

4,0 kg T
4,0 kg
T

4.31 Um ohjeto com massa m se move ao

longo do eixo Oxt. Sua posição em função do tempo é dada por x(t) = At Bt 3 onde A e B são constantes. Calcule a força resultante sobre o objeto em função do tempo.

PROBLEMASa força resultante sobre o objeto em função do tempo. 4.32 Uma bala de um rifle

4.32 Uma bala de um rifle 22, se deslocando a

350 m/s, atinge um bloco de madeira, no qual ela

penetra até uma profundidade de 0,130 m. A massa da bala é de l,80 g. Suponha uma força retardadora constante,

Qual é o tempo necessário para a bala

parar?

Qual é a torça, em newtons, que a madeira

exerce sobre a bala?

(a)

(b)

4.33 Dois cavalos puxam horizontalmente cordas amarradas a um tronco de árvore. As duas forças

que eles exercem sobre o tronco são tais que a

duas forças que eles exercem sobre o tronco são tais que a F 1 e F

F

1

e

que eles exercem sobre o tronco são tais que a F 1 e F 2 força

F

2

que eles exercem sobre o tronco são tais que a F 1 e F 2 força

força resultante R possui módulo igual ao de

a F 1 e F 2 força resultante R possui módulo igual ao de F 1

F

1

um ângulo de 90 0 com

F 2 força resultante R possui módulo igual ao de F 1 um ângulo de 90

F

1

(Figura 4.28). Seja

, e faz

F 2 força resultante R possui módulo igual ao de F 1 um ângulo de 90

F

1

=

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

1300 N e

Newton – Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori. 1300 N e R e o sentido de =

R

e o sentido de

= 1300 N. Determine o módulo, a direção

R e o sentido de = 1300 N. Determine o módulo, a direção F 2 .

F

2

.

4.34 Uma pescadora orgulhosa suspende seu

peixe em umabalança de molas presa no teto de um elevador,

(a) Se o elevador possui uma aceleração de

baixo para cima igual a 2,45 m/s 2 e oponteiro da balança indica 50,0 N. qual é o peso verdadeiro do peixe?

(a) Em que circunstâncias o ponteiro da

balança indicará 30,0 N? (c) Qual será a leitura da balança se o cabo do elevador se romper?

4.36 Os motores de um petroleiro enguiçaram

e um vento com velocidade constante de 1.5 m/s está

soprando sobre o petroleiro no sentido de um recife (Figura 4.30). Quando o petroleiro está a 500 m do

recife, o vento cessa no mesmo instante em une o engenheiro consegue consertar os motores. O timoneiro fica espantado, de modo que a única escolha é acelerar

no sentido contrário ao do recife. A massa total do

petroleiro é de 3.6.10 7 kg e, devido à açáo dos motores, uma força resultante horizontal de 8,0.10 4 N é exercida

sobre o petroleiro. O petroleiro colidirá contra o recife? Em caso afirmativo, verifique se o óleo será derramado.

O casco do petroleiro resiste a um impacto com

velocidade máxima de 0.2 m/s. Despre/e a força de

resistência da água sobre o casco do petroleiro.

F = 8.10 4 N

4.35 Dois adultos e uma criança desejam empurrar uma caixa apoiada sobre rodas no sentido indicado na Figura 4.29. Os dois adultos empurram com

forças

(a) Determine o módulo, a direção e o sentido

da menor força que a criança deve exercer. A força de atrito é desprezável.

(b) Se a criança exerce a menor força

mencionada no item (a), a caixa se acelera a 2.0 m/s 2 no sentido +Ox, qual e o peso da caixa?

v = 1.5 m/s 3.6.10 7 kg 500m
v = 1.5 m/s
3.6.10 7 kg
500m
+Ox, q ual e o peso da caixa? v = 1.5 m/s 3.6.10 7 kg 500m

F

1

e

ual e o peso da caixa? v = 1.5 m/s 3.6.10 7 kg 500m F 1

F

2

conforme mostra a figura.

FIGURA 4.30 Problema 4.36.

4.37 Um salto vertical recorde. O jogador de

basquete Darrell Griffilh estabeleceu um recorde de

salto vertical com um pulo de 1.2 m. (Isso significa que

ele se moveu de baixo para cima l .2 m depois que seus

pés abandonaram o solo.) Se o peso de Griffith era de

90 N e o tempo do salto antes de seus pés abandonarem

de 90 N e o tempo do salto antes de seus pés abandonarem o solo foi
de 90 N e o tempo do salto antes de seus pés abandonarem o solo foi
de 90 N e o tempo do salto antes de seus pés abandonarem o solo foi
de 90 N e o tempo do salto antes de seus pés abandonarem o solo foi
de 90 N e o tempo do salto antes de seus pés abandonarem o solo foi
de 90 N e o tempo do salto antes de seus pés abandonarem o solo foi
de 90 N e o tempo do salto antes de seus pés abandonarem o solo foi
o
o

solo foi de 0.300 s. qual foi a força media que ele exerceu sobre o solo?

4.38 Um anúncio afirma que um dado tipo de

carro pode "parar em uma distância de 10 centavos". Qual seria a força resultante efetiva necessária para fazer parar um carro de 850 kg que se desloca inicialmente a 45.0 km/h em uma distância igual ao diâmetro de uma moeda de 10 centavos, que é igual a l.8 cm?

FIGURA 4.28 - Problema4.33.

que é igual a l.8 cm? FIGURA 4.28 - Problema4.33. FIGURA 4.29 Problema 4.35. 4.39 Para

FIGURA 4.29 Problema 4.35.

4.39 Para estudar os danos causados por colisões de aviões com pássaros, você projeta uma arma

de

teste que acelera objelos do tamanho de uma galinha

de

modo que o deslocamento do projelil ao longo do

eixo do cano da arma é dado por x = (9,0.10 3 m/s 2 )t 3 -

(8.0.10 4 m/s 3 ).t 3 . O objeto deixa a extremidade do cano

no instante t = 0,025 s.

(a)

Qual o comprimento do cano da arma?

(b)

Qual é a velocidade do objeto quando ele

deixa a extremidade do cano da arma?

(c) Qual a força resultante sobre um ohjeto

de massa de 1.50 kg para (i) t = 0s?

(ii) t = 0.025 s?

4.40 Uma espaçonave desce verticalmente nas

proximidades da superfície de um planeta X. Uma força

18
18

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

de propulsão de 25.0 kN de baixo para cima exercida pêlos motores da espaçonave faz sua velocidade diminuir a uma taxa de l .20 m/s , porem ele aumenta de velocidade a uma taxa de 0.80 m/s 2 com uma propulsão vertical de 10,0 kN. Qual é o peso da espaçonave nas proximidades da superfície do planeta X?

4.41 Um trem (a locomotiva mais quatro

(b) Qual é sua aceleração quando ele diminui

de velocidade? Supondo uma aceleração constante e considerando-o uma partícula?

(c) Qual a torça que ele exerce sobre o solo

quando diminui de velocidade? Expresse essa força em newtons e como múltiplo de seu peso.

4.45 A cabeça de um martelo de 4.9 N que se

vagões) está aumentando de velocidade hori/onialmente com uma aceleração de módulo a. Se cada vagão possui massa m e atrito desprezível, qual é

desloca de cima para baixo com velocidade de 3,2 m/s pára fazendo um prego penetrar 0.45 cm em uma placa de pinho. Além de seu peso, existe uma força de 15 N

 

(a)

a força da locomotiva sobre o primeiro

aplicada de cima para baixo sobre o martelo por uma

vagão?

pessoa que o está usando. Suponha que a aceleração da

 

(b)

a força do primeiro vagão sobre o segundo

cabeça do martelo seja constante durante o contato com

vagão?

o

prego,

 

(c)

a força do segundo vagão sobre o terceiro

(a)

Faça um diagrama do corpo livre para a

vagão?

(d)

a força do terceiro vagão sobre o quarto

cabeça do martelo. Identifique a força de reação a cada uma das forças incluídas no diagrama,

vagão?

(b)

Determine a força F de cima para baixo

 

(e)

Quais seriam as quatro forças anteriores se

exercida pela cabeça do martelo durante o contato com

o trem estivesse diminuindo de velocidade com uma

aceleração de módulo |a|? Sua resposta aos itens anteriores deve ser acompanhada de diagramas do corpo livre com dísticos claros.

o prego.

(c) Suponha que o prego esteja em contato com

madeira dura e que a cabeça do martelo só se desloque 0,12 cm até parar. A força aplicada sobre o martelo é a

mesma do item (b). Qual será então a força F de cima para baixo exercida pela cabeça do martelo durante o contato com

4.42 Um ginasta de massa ni está subindo em

uma corda vertical presa ao teto. O peso da corda pode

ser desprezado. Calcule a tensão na corda quando o ginasta está

Calcule a tensão na corda quando o ginasta está ( a ) ( b ) (

(a)

(b)

(c)

uma aceleração de modulo

o ginasta está ( a ) ( b ) ( c ) uma aceleração de modulo

a ;

uma aceleração de módulo

uma aceleração de modulo a ; uma aceleração de módulo o prego? subindo com velocidade constante;
o
o

prego?

de modulo a ; uma aceleração de módulo o prego? subindo com velocidade constante; suspenso em
de modulo a ; uma aceleração de módulo o prego? subindo com velocidade constante; suspenso em
de modulo a ; uma aceleração de módulo o prego? subindo com velocidade constante; suspenso em

subindo com velocidade constante;

suspenso em repouso na corda;

subindo e aumentando de velocidade com

4.46 Um cabo uniforme de peso w é pendurado

verticalmente de cima para baixo, equilibrado por uma força w de baixo para cima aplicada em sua

extremidade superior. Qual é a tensão no cabo

(a)

em sua extremidade superior?

(b)

em sua extremidade inferior?

(c)

em seu ponto médio? Sua resposta para

(d) descendo e aumentando de velocidade com

resposta para ( d ) descendo e aumentando de velocidade com a . cada parte deve

a

.

cada parte deve incluir um diagrama do corpo livre. (Sugestão: Para cada questão, isole a seção ou o ponto

do cabo que você analisará.)

(d) Faça um gráfico da tensão no cabo em

função da distância à sua extremidade superior.

4.43 Um elevador de carga com o cabo muito

usado possui massa total de 2200 kg e o cabo pode

suportar uma tensão máxima de 28.000 N.

(a) Qual a aceleração máxima do elevador

de baixo para cima que o cabo pode suportar sem se

romper?

o

elevador estivesse na Lua, onde g = l ,62 m/s 2 ?

(b) Qual

seria a resposta do

item (a)

se

4.44 Caindo no solo. Urn homem de 75,0 kg

pula de uma plataforma de 3,10 m de altura acima do solo. Ele mantém suas pernas esticadas à medida que

cai, mas no momento em que seus pés tocam o solo,

seus joelhos começam a se encurvar, e, considerando-o uma partícula, ele se move 0,60 m antes de parar.

(a) Qual é sua velocidade no momento em que

seus pés tocam o solo?

4.47 Os dois blocos indicados na Figura 4.31

estão ligados por uma corda uniforme pesada com

massa de 4,00 kg. Uma força de 200 N é aplicada de baixo para cima conforme indicado,

(a) Desenhe três diagramas do corpo livre, um

para o bloco de 6.00 kg, um para a corda de 4,00 kg e

outro para o bloco de 5,00 kg. Para cada força, indique qual é o corpo que exerce a referida força.

(b)

Qual c a aceleração do sistema?

(c)

Qual é a tensão no topo da corda pesada?

(d)

Qual é a tensão no meio da corda pesada?

bola de 0,0900 kg é lançada

verticalmente de baixo para cima no vácuo, portanto

4.48

Uma

19
19

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

sem nenhuma força de arraste sobre ela, atingindo uma altura de 5,0 m. Quando a bola é lançada verticalmente de baixo para cima no ar. em vez do vácuo, sua altura máxima é de 3.8 m. Qual é a torça média exercida pelo ar sobre a bola em seu movimento de baixo para cima?

onde k 1 , k 2 , e k 3 , são constantes. Determine em função

e o vetor velocidade

do tempo o vetor posição r

função e o vetor velocidade do tempo o vetor posição r t v t . 4.49

t

e o vetor velocidade do tempo o vetor posição r t v t . 4.49 Um

v

t

.

4.49 Um objeto de massa m inicialmente em

repouso é submetido a uma força dada por:

são

constantes. Determine a velocidade v(t) do objeto em função do tempo.

F k iˆ k t 3 ˆj 1 2
F
k
k
t
3
ˆj
1
2

onde

k 1

e

k 2

F = 200N = 200N

4,00 kg

6,00 kg

5,00 kg

CAPÍTULO 5ˆj 1 2 onde k 1 e k 2 F = 200N 4,00 kg 6,00 kg

APLICAÇÕES DAS LEIS DE NEWTONk 1 e k 2 F = 200N 4,00 kg 6,00 kg 5,00 kg CAPÍTULO 5

QUESTÕES PARA DISCUSSÃO

Q5.1 Um homem esta sentado em um assento suspenso por uma corda. A corda passa por uma polia presa ao teto, e o homem segura a outra extremidade da corda em suas mãos. Qual é a tensão na corda e que torça o assento exerce sobre o homem?

Desenhe um diagrama do corpo livre para o homem.

Q5.2 Em geral, a torça normal não é igual ao

peso.Dê um exemplo em que os módulos dessas duas forças são iguais e pelo menos dois exemplos em que os módulos dessas duas forças não são iguais.

FIGURA 4.31 Problema 4.47. PROBLEMAS DESAFIADORES

iguais. FIGURA 4.31 Problema 4.47. PROBLEMAS DESAFIADORES Q5.3 Uma corda para secar roupas é amarrada cm

Q5.3 Uma corda para secar roupas é amarrada cm dois postes. Por mais que você estique a corda e aperte o nó em torno dos postes, a corda ficaa sempre com uma concavidade em seu centro. Explique.

ficaa sempre com uma concavidade em seu centro. Explique. *4.50 Conhecendo-se F ( t ) ,
ficaa sempre com uma concavidade em seu centro. Explique. *4.50 Conhecendo-se F ( t ) ,
ficaa sempre com uma concavidade em seu centro. Explique. *4.50 Conhecendo-se F ( t ) ,
ficaa sempre com uma concavidade em seu centro. Explique. *4.50 Conhecendo-se F ( t ) ,

*4.50 Conhecendo-se F(t), a força em função do tempo, para um movimento retilíneo, a segunda lei de Newton fornece a(t) a aceleração em função do tempo. Podemos então integrar a(t) para obter v(t) e x(t). Contudo, suponha que em vez disso você conheça F(v).

(a) A força resultante sobre um corpo que se

move ao longo do eixo Ox é igual a Cv 2 . Use a

segunda lei de Newton escrita como

a – Cv 2 . Use a segunda lei de Newton escrita como Q5.4 Um carro
a – Cv 2 . Use a segunda lei de Newton escrita como Q5.4 Um carro
a – Cv 2 . Use a segunda lei de Newton escrita como Q5.4 Um carro

Q5.4 Um carro se desloca com velocidade constante subindo montanha íngreme. Discuta as forças que atuam sobre o carro. O que empurra o carro para cima da montanha'.'

Q5.5 Quando você aperta uma porca em um parafuso, como você está aumentando a torça de atrito? Como funciona uma arruela de aperto?

n dv F i m i 1
n
dv
F i m
i
1

dt e faça duas integrações para

mostrar que:

x

m x ln v 0 0 C v
m
x
ln
v 0
0
C
v

(b) Mostre que a segunda lei de Newton pode

ser escrita como

n dv F i mv i 1
n
dv
F i mv
i 1

dx . Deduza a mesma

expressão obtida na parte (a) usando essa forma da segunda lei de Newton fazendo uma integração.

4.51 Um objeto de massa m está inicialmente

em repouso na origem. No instante t = 0 aplica-se uma nova força F(t) cujos componentes são:

F

x

F

y

t t

y 1 2 k k t k . 3
y
1
2
k k
t k .
3

Q5.6 Quando você empurra uma caixa para

cima de uma rampa, a força que você exerce empurrando horizontalmente é maior ou menor do que a força que você exerce empurrando paralelamente ao

plano da rampa? Por quê?

Q5.7 Um bloco está em repouso sobre um plano inclinado que possui atrito suficiente para impedir seu deslizamento para baixo. Para lazer o bloco se mover, é mais fácil empurrá-lo para cima do plano, para baixo do plano ou em uma direção lateral? Por quê?

Q5.8 Uma caixa com livros está em repouso sobre um piso plano. Você deseja movê-la ao longo do piso com velocidade constante. Por que a torça que você exerce puxando a caixa com um ângulo θ acima da horizontal é menor do que a força que você exerce

20
20

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

empurrando

a

caixa

com

um ângulo

O

abaixo

da

ou você não pode?

horizontal?

Q5.9 Para fazer um carro parar em uma estrada com gelo e melhor pisar forte no pedal do freio para "bloquear" as rodas e tazê-las deslizar ou pisar lentamente no pedal de modo que as rodas continuem a rolar? Por quê?

Q5.18 Considere o movimento cm uma montanha-russa grande e com muitas voltas. Se você se deslocasse com velocidade constante, em que pontos a força normal seria maior e menor? Por que não seria necessário fazer compensação da inclinação lateral das curvas no topo das subidas?

Q5.10 Pode uma força de atrito cinético aluando sobre um objeto fazer esse objeto aumentar de velocidade. Caso não possa, explique por quê. Caso possa, forneça pelo menos um exemplo. Repita o raciocínio para o caso de uma força de atrito estático.

Q5.11 Quando você está descalço em pê sobre uma banheira úmida, apoiar-se parece ser seguro, embora o risco de escorregar seja grande. Explique isso em termos do coeficiente de atrito estático e do coeficiente de atrito cinético.

Q5.19 Uma revista de automóveis chama uma curva com raio decrescente de “a desgraça do motorista inexperiente. Explique.

Q5.20 Se você pendurou um dado no seu espelho retrovisor e está fazendo uma curva com inclinação lateral, como você pode saber se a sua velocidade ê maior, menor ou igual ao valor da velocidade usado no cálculo do ângulo de inclinação lateral da curva?

Q5.12 Por razões medicas, ê importante que um astronauta determine sua massa em intervalos de tempo regulares. Descreva um modo de medir massas em um ambiente com peso aparente igual a zero.

Q5.21 Se existe uma força resultante aluando sobre uma partícula que descreve um movimento circular uniforme, por que a velocidade escalar da partícula permanece constante?

Q5.22 O ângulo de inclinação lateral de uma curva foi calculado para uma velocidade de 80 km/h. Contudo, a estrada está coberta de gelo e você deseja se mover lentamente a 20 km/h ao longo da parte mais elevada da curva. O que ocorrerá com seu carro ? Por quê?

elevada da curva. O que ocorrerá com seu carro ? Por quê? Q5.23 Se você faz
elevada da curva. O que ocorrerá com seu carro ? Por quê? Q5.23 Se você faz
elevada da curva. O que ocorrerá com seu carro ? Por quê? Q5.23 Se você faz
elevada da curva. O que ocorrerá com seu carro ? Por quê? Q5.23 Se você faz

Q5.23 Se você faz uma bola girar na extremidade de um fio leve descrevendo uma trajetória circular com velocidade constante, o fio nunca permanece exatamente ao longo do raio vetor do centro do círculo até o local da bola. O fio fica acima ou baixo do plano horizontal? Em relação ao sentido do movimento da bola, o fio fica antes ou depois do raio vetor? Use um diagrama do corpo livre da bola para explicar suas respostas. (Note que a resistência do ar pode ser um fator.)

Q5.13 Ao deixar cair sua bolsa em um elevador, a mulher nota que a bolsa não atinge o piso do elevador. Como o elevador está se movendo?

atinge o piso do elevador. Como o elevador está se movendo? Q5.14 As balanças para pesar
atinge o piso do elevador. Como o elevador está se movendo? Q5.14 As balanças para pesar
atinge o piso do elevador. Como o elevador está se movendo? Q5.14 As balanças para pesar

Q5.14 As balanças para pesar objetos são classilicadas como as que usam molas e as que usam massas padrão para equilibrarem as massas desconhecidas. Qual o tipo de balança que fornece medidas mais precisas em um elevador acelerado? E sobre a superfície da Lua? Existe diferença entre a determinação do peso e da massa nesses locais?

Q5.15 Um batedor de bola de beisebol pode fazer a bola adquirir uma velocidade maior do que a sua velocidade terminal de 43 m/s. Explique como isso ê possível?

Q5.16 Por causa da resistência do ar, dois corpos com massas diferentes não caem precisamente com a mesma aceleração. Se dois corpos com massas diferentes, porem com a mesma forma, são largados da mesma altura, qual dos dois atinge o solo primeiro? Explique.

Q5.17 Uma bola de ténis ê largada do alto de um tubo cilíndrico sem ar: em outra experiência, ela ê largada do alto do tubo cilíndrico com ar. Você examina fotografias de múltipla exposição (como as indicadas na Figura 2.18) obtidas nas duas experiências. Das fotos ohlidas, como você poderia identificar as duas quedas,

Q5.24 A força centrífuga não foi incluída nos diagramas indicados nas Figuras. 5.28b e 5.29b. Implique por que.

Q5.25 Um prolessor faz uma rolha de borracha girar naextremidade de um fio em um plano horizontal na sala de aula. Aproxima-se de Carolina, que está sentada na primeira fila e diz que irá largar o fio quando a rolha estiver passando em frente do seu rosto. Carolina deve se preocupar?

Q5.26 Para manter dentro de certos limites as forças que atuam sobre os passageiros de uma

21
21

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

montanha-russa uma curva projetada para dar uma volta completa (loop-the-loop) deve possuir, em vêz de ser um circulo vertical perfeito, um raio de curvatura na base maior do que o raio de curvatura no topo. Explique.

Q5.27 Você joga uma bola de beisebol diretamente de baixo para cima. Se a resistência do ar não for desprezada, como se compara o tempo que a bola leva para subir do ponto de onde ela foi lançada ale sua altura máxima e o tempo que ela leva para descer da sua altura máxima ale o ponto onde ela foi lançada?Explique sua resposta.

Q5.28 A torça de atrito sobre uma bola de beisebol é sempre oposta a sua velocidade mesmo quando um vento está soprando? Explique.

5.2 Na Figura 5.35 cada bloco suspenso possui

peso w. As polias não possuem atrito e as cordas possuem peso dcsprezível. Calcule em cada caso a tensão T na corda em termos do peso w. Para cada caso inclua um diagrama do corpo livre ou diagramas necessários para obter sua resposta.

22
22

Q5.29 Quando pode uma bola de beisebol ter um componente da aceleração de baixo para cima? Explique em termos das forças sobre a bola e em termos dos componentes da velocidade em comparação com a velocidade terminal. A resistência do ar nãodeve ser desprezada.

Q5.30 Quando uma bola de beisebol se move com arraste do ar, ela leva mais tempo para subir até a altura máxima de sua trajetória ou para descer da altura máxima até o solo? Ou esse tempo é igual nos dois casos? Explique em termos das forças que atuam sobre a bola.

Explique em termos das forças que atuam sobre a bola. FIGURA 5.35 Exercício 5.2. 5.3 Um
Explique em termos das forças que atuam sobre a bola. FIGURA 5.35 Exercício 5.2. 5.3 Um

FIGURA 5.35 Exercício 5.2.

5.3 Um arqueólogo aventureiro passa de um

rochedo para outro se deslocando lentamente com as mãos por meio de uma corda esticada entre os rochedos. Ele pára e fica em repouso no meio da corda (Figura 5.36). A corda se romperá se a tensão for maior do que 2.50.10 4 se a massa do nosso herói for de 90 kg.

que 2.50.10 4 se a massa do nosso herói for de 90 kg. (a) (b) Se
(a) (b)
(a)
(b)

Se θ = 10,0 0 qual é a tensão na corda?

Se θ = 10,0 0 qual é a tensão na corda?
Se θ = 10,0 0 qual é a tensão na corda?
(a) (b) Se θ = 10,0 0 qual é a tensão na corda? Qual deve ser

Qual deve ser o menor valor de θ para a

corda não se romper?

Q5.31 Quando uma bola de beisebol se move com arraste do ar percorre uma distância horizontal maior quando ela sobe até a altura máxima de sua trajetória ou quando desce da altura máxima até o solo? Ou essa distância é igual nos dois casos? Explique em lermos das torças que aluam sobre a bola.

5.4 Um quadro está suspenso em uma parede

por dois lios ligados em seus cantos superiores. Se os dois fios fazem o mesmo ângulo com a vertical, qual deve ser o ângulo se a tensão em cada fio lor igual a 0,75 do peso do quadro? (Despreze o atrito entre a parede e o quadro.)

Q5.32 “Uma bola é lançada da extremidade de uma montanha elevada. Independentemente do ângulo de lançamento, devido àresistência do ar, ela por fim acabará caindo verticalmente de cima para baixo.Justifique essa afirmação.

EXERCÍCIOS

SECAO 5.2

USO DA PRIMEIRA LEI DE NEWTON:

PARTÍCULAS EM EQUILÍBRIO

5.1 Dois pesos de 25,0 N estão suspensos nas extremidades opostas de uma corda que passa sobre uma polia leve e sem atrito. O centro da polia está ligado a uma corrente presa ao teto.

O centro da polia está ligado a uma corrente presa ao teto. FIGURA 5.36 Exercício 5.3.

FIGURA 5.36 Exercício 5.3.

(a)

Qual a tensão na corda?

5.5 Resolva o problema do Exemplo 5.3

(b)

Qual a tensão na corrente?

usando um sistema em que o eixo OX seja horizontal e

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

o eixo Oy seja vertical. Você encontra a mesma resposta usando esse conjunto diferente de eixos?

5.6 Uma rua de São Paulo possui uma

inclinação de 17.5 0 com a horizonlal. Qual é a força paralela à rua necessária para impedir que um carro de 1390 kg desça a ladeira dessa rua?

baixo de uma rampa inclinada de 11,0 0 acima da

horitontal. Despreze o atrito que atua sobre o piano. Se

a força aplicada pelo homem for paralela ao plano inclinado, ache o módulo dessa força.

5.11 Na Figura 5.39 o peso suspenso é igual a

60,0 N.

 

(a)

Qual é a tensão na corda diagonal?

5.7

Uma bola grande de um guindaste de

(b)

Ache os módulos das forças horizontais F,

demolição é mantida em equilíbrio por dois cabos de

aço leves (Figura 5.37). Se a massa m da bola for igual

a 4090 kg. qual é

(a) a tensão T, no cabo que faz um ângulo de

40 0 com a vertical?

(b) a tensão T no cabo horizontal?

0 com a vertical? ( b ) a tensão T no cabo horizontal? e F, que

e F, que devem ser exercidas para manter em equilíbrio

esse sistema? FIGURA 5.39 Exercício 5.11. 23 90 0 F 1 45 0 F 2
esse sistema?
FIGURA 5.39 Exercício 5.11.
23
90 0
F 1
45 0
F 2
90 0
w

FIGURA 5.37 Exercício 5.7.

5.8
5.8

5.12 Uma bola está presa por um fio em um

suporte vertical (Figura 5.40). Se o tio no qual a bola esta amarrada possui comprimento de l,40 m e a bola possui raio de 0.l l0 m e massa de 0.270 kg, qual é a tensão na corda e a torça que o suporte exerce sobre a bola? Despreze o atrito entre o suporte e a bola. (O fio está amarrado de tal forma que a linha rela ao longo do fio passa pelo centro da bola.)

que a linha rela ao longo do fio passa pelo centro da bola.) Ache a tensão

Ache a tensão em cada corda na Figura

pelo centro da bola.) Ache a tensão em cada corda na Figura 5.38. sabendo que o
pelo centro da bola.) Ache a tensão em cada corda na Figura 5.38. sabendo que o
pelo centro da bola.) Ache a tensão em cada corda na Figura 5.38. sabendo que o
pelo centro da bola.) Ache a tensão em cada corda na Figura 5.38. sabendo que o
pelo centro da bola.) Ache a tensão em cada corda na Figura 5.38. sabendo que o

5.38. sabendo que o peso suspenso é w.

FIGURA 5.38 Exercício 5.38.

que o peso suspenso é w . FIGURA 5.38 Exercício 5.38. 5.13 Dois blocos, cada um

5.13 Dois blocos, cada um com peso w, são

mantidos em equilíbrio em um plano inclinado sem atrito (Figura 5.41). Em termos de w e do ângulo «do

plano inclinado, determine a tensão:

(a)

na corda que conecta os dois blocos.

(b)

na corda que conecta o bloco A à parede.

(c)

Calcule o módulo da força que o plano

parede. ( c ) Calcule o módulo da força que o plano inclinado exerce sobre cada

inclinado exerce sobre cada bloco.

= 0 e

(d) Interprete suas respostas para os casos

= 90 0 .
= 90 0 .

5.9 Quando você está dirigindo da sua casa à

faculdade, seu carro de massa igual a 1600 kg viaja a uma velocidade constante igual a 72 km/h sem nenhum vento. O exame de um mapa topográfico mostra que na auto-esirada por onde você passou a altura diminuía de

200 m a cada 6000 m de percurso. Qual e a força resistiva total (atrito mais resistência do ar) que estava aluando sobre o carro quando ele se deslocava a 72

km/h?

5.10 Um homem empurra um piano de 180 kg

de modo que ele desliza com velocidade constante para

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

FIGURA 5 40 - Exercício 5.13.

Cláudio. Sérgio Sartori. FIGURA 5 40 - Exercício 5.13. FIGURA 5 41 - Exercício 5.13. 5.14

FIGURA 5 41 - Exercício 5.13.

5.14 Um avião voa em um plano horizontal com velocidade constante. Existem quatro forças atuando sobre ele: seu peso w = mg , uma força

orientada para a frente fornecida pelo motor (força de arraste) a resistência do ar, ou força de arraste f que atua em sentido contrario ao do movimento, e uma força de sustentação L oriunda das asas e que atua ortogonalmente a direçao do vôo. A força de arraste é proporcional ao quadrado da velocidade,

comprimento igual a 1.50 m e deslizado para baixo atingindo uma velocidade de 2,50 m/s na base da rampa. Qual e o ângulo entre a rampa e a horizontal?

24 28 kg 15,0 kg
24
28 kg
15,0 kg

(a)

Mostre que F = f e que w = L.

FIGURA 5.42 Exercício 5.15.

(b)

Suponha que o piloto empurre a alavanca

para a frente fazendo dobrar a propulsãoF enquanto

mantém a altitude constante. O avião finalmente atinge uma outra velocidade constante de módulo mais elevado. Para essa nova velocidade constante, como o novo valor de f se relaciona com o antigo valor?

(c) Qual é a razão entre o novo valor da

velocidade e o valor anterior?

razão entre o novo valor da velocidade e o valor anterior? 5.17 Uma corda leve está
razão entre o novo valor da velocidade e o valor anterior? 5.17 Uma corda leve está
razão entre o novo valor da velocidade e o valor anterior? 5.17 Uma corda leve está
5.17
5.17

Uma corda leve está amarrada a um bloco

anterior? 5.17 Uma corda leve está amarrada a um bloco de massa 4,00 kg que repousa
anterior? 5.17 Uma corda leve está amarrada a um bloco de massa 4,00 kg que repousa
anterior? 5.17 Uma corda leve está amarrada a um bloco de massa 4,00 kg que repousa

de massa 4,00 kg que repousa sobre uma superfície horizontal sem atrito. A corda horizontal passa sobre uma polia sem massa e sem atrito, e um bloco de massa m é suspenso pela outra extremidade da corda. Depois que os blocos são libertados, a tensão na corda e igual a 10.0 N.

SEÇAO 5.3

USO DA SEGUNDA LEI DE NEWTON

(a) Desenhe um diagrama do corpo livre para o

bloco de 4.00 kg e outro para o bloco de massa m.

DINÂMICA DAS PARTÍCULAS

(b)

Qual e a aceleração de cada bloco?

 

(c)

Qual e a massa m do bloco suspenso?

(d)

Como a tensão na corda e relacionada com

5.15 Máquina de atwood. Uma carga de tijolos com 15,0 kg é suspensa pela extremidade de uma

o peso do bloco suspenso?

corda que passa sobre uma pequena polia sem atrito.

 

5.18

Um avião de transporte levanta voo de

Um contrapeso de 28,0 kg está preso na outra extremidade da corda, conforme mostra a Figura 5.42. O sistema é libertado a partir do repouso,

uma pista plana rebocando dois planadores, um atrás do outro. A massa de cada planador é de 700 kg. e a

(a) Desenhe um diagrama do corpo livre para a

carga de tijolos e outro para o contrapeso.

(b) Qual é o módulo da aceleração de baixo

para cima da carga de tijolos?

(c) Qual é a tensão na corda durante o

movimento da carga? Como essa tensão é relacionada com a carga? Como essa tensão e relacionada com o contrapeso?

5.16 Um bloco de gelo de 8,00 kg é libertado a partir do repouso no topo de uma rampa sem atrito de

resistência total (atrito com a pista mais o arraste do ar) sobre cada um deles pode ser considerada constante e igual a 2500 N. A tensão na corda entre o avião e o primeiro planador não pode ser maior do que 12.000 N.

(a) Se uma velocidade de 40 m/s é necessária

para a decolagem, qual deve ser o comprimento mínimo necessário para a pista de decolagem? b) Qual é a tensão na corda entre os dois planadores durante a aceleração para a decolagem?

5.19 Um estudante de física de 550 N está

sobre uma balança portátil apoiada no piso de um

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

elevador. Quando o elevador esta parando, a leitura da balança indica 450 N.

(a) Calcule a aceleração do elevador (módulo,

direção e sentido).

(b) Determine o módulo, a direção e o sentido

da aceleração quando a leitura da balança indicar 670

N.

(c) Quando a leitura da balança indicar peso

zero, o estudante deve ficar preocupado? Explique.

(b) um bloco de massa M deslizando para cima

ao longo de um plano inclinado sem atrito formando um

cima ao longo de um plano inclinado sem atrito formando um ângulo com a horizontal; (

ângulo com a horizontal;

(c) um bloco de massa M deslizando para cima

ao longo de um plano inclinado com atrito cinético,

cima ao longo de um plano inclinado com atrito cinético, formando um ângulo com a horizontal;

formando um ângulo com a horizontal;

(d) blocos de massas M e m deslizando para

baixo ao longo de um plano inclinado com atrito, como indicado na Figura 5.43a. Nesse caso, flaça diagramas do corpo livre para os dois blocos separadamente.

Identifique as forças que são pares de ação e reação.

(e) Desenhe diagramas do corpo livre para os

blocos de massas M e m indicados na Figura 5.43b. Identifique as forças que são pares de ação e reação. Existe uma força de atrito entre todas as superfícies em contato. A polia não possui massa nem atrito. Em todos os casos, certi fique-se de que usou os sentidos correios das forças e de que ficou completamente claro em seu diagrama do corpo livre sobre quais objetos as forças estão atuando.

m M (A)
m
M
(A)
sobre quais objetos as forças estão atuando. m M (A) ( B ) FIGURA 513 Exercício

(B)

FIGURA 513 Exercício 5.23.

5.20 Uma estudante de física está jogando um

disco de hóquei em uma mesa de ar (uma superfície sem atrito) e verifica que se ela lançar o disco com velocidade de 3.8 m/s ao longo do comprimento da mesa (de l .75 m) em uma extremidade da cabeceira, o disco vai atingir a outra cabeceira com um deslocamento lateral de 2.50 cm para a direita, mas ainda possuindo um componente da velocidade ao longo do comprimento com módulo de 3.8 m/s. Ela conclui corrctamente que a mesa não está situada em um plano horizonlal e calcula sua inclinação mediante os dados acima. Qual é o ângulo de inclinação?

5.21 (a) Qual será a deflexão do acelerômetro

da Figura 5.14 se o carro estiver em repouso sobre um plano inclinado?

(b) Suponha agora que o carro esteja sobre

uma rampa de uma montanha com gelo (portanto, sem atrito). Depois de empurrado, o carro sobe a rampa, diminui de velocidade, pára e retorna para a base da rampa. Qual será o sentido da deflexão do acelerómelro em cada etapa do movimento? Explique suas respostas.

em cada etapa do movimento? Explique suas respostas. 5.22 Verifique qual será a deflexão do acelerómetro
em cada etapa do movimento? Explique suas respostas. 5.22 Verifique qual será a deflexão do acelerómetro
em cada etapa do movimento? Explique suas respostas. 5.22 Verifique qual será a deflexão do acelerómetro

5.22 Verifique qual será a deflexão do acelerómetro da Figura 5.14 nas seguintes condições:

(a) O carro está se movendo para a esquerda e

sua velocidade está aumentando,

(b) O carro está se movendo para a esquerda e

sua velocidade está diminuindo.

(c) O carro está se movendo para a direita e sua

velocidade está aumentando. Explique suas respostas.

5.24 (a) Uma rocha grande repousa sobre uma

superfície horizontal rugosa. Um trator empurra a rocha com uma força horizontal que cresce lentamente, começando de zero. Em um gráfico, lance T no eixo Ox

e a força de atrito f no eixo Oy, começando de T = 0 e mostre a região em que não ocorre nenhum movimento,

o ponto no qual a rocha está na iminência de se mover,

e a região em que a rocha está em movimento, h) Um corpo de peso w está em repouso sobre uma prancha

horizontal rugosa. O ângulo θ de inclinação da prancha

e aumentado gradualmente ate que o bloco começa a

escorregar. Desenhe dois gráficos, ambos com o ângulo θ no eixo Ox Em um dos gráficos, mostre a razão entre

a força normal e o peso

/w. cm função de θ. No

SEÇÃO 5.4 FORÇAS DE ATRITO

5.23 Diagramas do corpo livre. As duas etapas iniciais para aplicar a segunda lei de Newton para resolver um problema são isolar um corpo para análise e a seguir um diagrama do corpo livre para indicar as forças que atuam sobre o corpo escolhido. Desenhe diagramas do corpo livre para as seguintes situaçóes:

(a) um bloco de massa M deslizando para baixo ao longo de um plano inclinado sem atrito formando um ângulo a com a horizontal;

sem atrito formando um ângulo a com a horizontal; segundo gráfico, mostre a razão entre a

segundo gráfico, mostre a razão entre a força de atrito e

o peso w, em função de θ.

25
25

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

Indique a região em que não ocorre nenhum movimento, o ponto no qual o bloco está na iminência de se mover, e a região em que o bloco esta em movimento.

CAPÍTULO 5

APLICAÇÕES DAS LEIS DE NEWTON

5.25 Um trabalhador empurra uma caixa com massa de l l ,2 kg sobre uma superfície horizontal com velocidade constante igual a 3.50 m/s. O coeficiente de

atrito cinético entre a caixa e a superfície é igual a 0.20.

(a) Que força horizontal deve ser aplicada pelo

trabalhador para manter o movimento?

(b) Se a força calculada em (a) fosse removida,

qual seria a distância percorrida pela caixa ate ela entrar em repouso?

5.28 Uma caixa de laranjas de 85 N está sendo

empurrada ao longo de um piso horizontal. À medida que ela se move sua velocidade diminui a uma taxa constante de 0.90 m/s a cada segundo. A força aplicada possui componente hori/.ontal de 20 N e um componente vertical de 25 N de cima para baixo. Calcule o coeficiente de atrito cinético entre a caixa e piso.

5.29 Um cofre de 260 kg deve descer com velocidade constante de uma rampa de 20,0 in de comprimento do alto de um caminhão de 2,00 m de

altura,

(a) Se o coeficiente de atrito cinético entre o cofre

e a rampa for igual a 0.25. deve o cofre ser empurrado

para cima ou para baixo?

(b) Qual seria a torça paralela necessária à rampa?

5.26 Uma caixa com bananas pesando 40,0 N esta

em repouso sobre uma superfície horizontal. O

coeficiente de atrito estático entre a caixa e a superfície

e igual a 0,40, e o coeficiente de atrito cinético entre a caixa e a superfície é igual a 0,20. (a) Se nenhuma força horizontal for aplicada sobre

a caixa, quando ela estiver em repouso, qual será o valor da força de atrito exercida sobre a caixa?

5.30 (a) Se o coeficiente de atrito cinético entre os

pneus e um pavimento seco for de 0.80, qual é a menor

distância para fazer um carro parar bloqueando as rodas com o freio quando o carro se desloca a 28,7 m/s?

(b) Sobre um pavimento molhado, o coeficiente de

atrito cinético se reduz a 0.25. A que velocidade você poderia dirigir no pavimento molhado para que o carro parasse na mesma distância calculada em (a)?

(Nota: Bloquear os freios não é a melhor maneira de parar.)

(b)
(b)

Se um macaco aplicar uma força horizontal de

de parar.) (b) Se um macaco aplicar uma força horizontal de 6.0 N sobre a caixa,
de parar.) (b) Se um macaco aplicar uma força horizontal de 6.0 N sobre a caixa,
de parar.) (b) Se um macaco aplicar uma força horizontal de 6.0 N sobre a caixa,
de parar.) (b) Se um macaco aplicar uma força horizontal de 6.0 N sobre a caixa,
de parar.) (b) Se um macaco aplicar uma força horizontal de 6.0 N sobre a caixa,
de parar.) (b) Se um macaco aplicar uma força horizontal de 6.0 N sobre a caixa,

6.0 N sobre a caixa, quando ela estiver em repouso, qual será o valor da força de atrito exercida sobre a

26
26

caixa?

5.31

Uma arruela polida de latão desliza ao

(c)

Qual a força horizontal mínima que o macaco

longo de uma superfície de aço até parar. Usando os

deve aplicar sobre a caixa para que ela comece a se

valores da Tabela 5.1. qual a distância a mais que ela

mover?

poderia deslizar com a mesma velocidade inicial se a

(d)

Qual a força horizontal mínima que o macaco

arruela fosse revestida de Teflon?

deve aplicar sobre a caixa para que ela, depois de começar a se mover, possa se manter em movimento com velocidade constante?

(e) Se o macaco aplicar sobre a caixa uma força

horizontal de 18,0 N. qual será o valor da força de atrito exercida sobre a caixa?

5.27 Em um laboratório de física, uma caixa com

6.00 kg é empurrada através de uma mesa larga por uma força horizontal

(a) Se a caixa se move com velocidade constante

igual a 0,350 m/s e o coeficiente de atrito cinético entre

a caixa e a superfície e igual a 0,12, qual é o módulo de

a caixa e a superfície e igual a 0,12, qual é o módulo de F ?

F ?

e a superfície e igual a 0,12, qual é o módulo de F ? ( b

(b) Qual e o módulo de F quando a caixa

aumenta de velocidade com uma aceleração constante

de 0.180 m/s ?

(c) Quais seriam as mudanças das respostas dos

itens (a) e (b) se essas experiências fossem realizadas na Lua, onde , g L = l .62 m/s?

5.32 Considere o sistema indicado na Figura

5.44. O bloco A possui peso w, e o bloco B possui peso

w. Suponha que o bloco B desça com velocidade

constante, a) Ache o coeficiente de atrito cinético entre

o bloco A e o topo da mesa. (b) Suponha que um gato, também com peso w caia no sono sobre o bloco A. Se o bloco B agora se move livremente, qual é sua aceleração (módulo, direçao e sentido)?

qual é sua aceleração (módulo, direçao e sentido)? FIGURA 5.44 Exercício 5.32, Exercício 5.35 e Problema

FIGURA 5.44 Exercício 5.32, Exercício 5.35

e Problema 5.36.

Física 1 Capítulo 3 Leis de Newton Prof. Dr. Cláudio. Sérgio Sartori.

(c) Para esse ângulo, ache a velocidade da

caixa depois que ela percorreu 5.0 m ao longo do plano inclinado.

5.33 Duas caixas estão ligadas por uma corda

sobre uma superfície horizontal (Figura 5.45). A caixa A possui massa m A e a caixa B possui massa m B . O coeficiente de atrito cinético entre cada caixa e a superfície é C . As caixas sáo empurradas para a direita

5.37 Um engradado grande de massa m está em repouso sobre um piso horizontal. Os coeficientes de atrito entre o piso e o engradado são C e S . Uma mulher o empurra para baixo

formando um ângulo θ abaixo

exercendo uma força F da horizontal.

(a) Ache o módulo da força F necessária para manter o engradado se movendo com velocidade constante,

Se S for maior do que um valor limite, a

constante, Se S for maior do que um valor limite, a com velocidade constante por uma