Você está na página 1de 2

Bauru, 1 de abril de 2010 3º termo - Jornalismo/FAAC - Unesp

O BOOM DO CINEMA 3D
Renan Kalil do Ó
Novos lançamentos alavancam a indústria cinematográfica
Foto: Divulgação

O 3D nunca fez tanto


sucesso em sua
história como agora. São 16
também possui esta linha de
visão. “A pirataria sempre
foi um problema para o
estréias de filmes e animações cinema, desde seu início, e
no formato previstas para este estou certo de que o 3D não
ano. O cinema tridimensional será um impedimento para
cria uma experiência única, a continuidade desta prática
capaz de arrancar as pessoas ilegal”, explica Dolsic, que
das cadeiras, afastá-las de seus possui como pré-projeto a
DVDs e levá-las para as salas experiência da estereoscopia
de cinema. Para exemplificar, no cinema contemporâneo.
temos o filme “Avatar”, com Alguns cursos supe-
a maior bilheteria da história. riores do Brasil já trabalham
As estréias mais esp- com as técnicas em 3D,
eradas para este ano são Alice como explica a aluna de
no País das Maravilhas, Toy Cena do filme Avatar, de James Cameron - maior bilheteria da história Imagem e Som da UFSCar,
Story 3D e Shrek 4; e prometem Daniela Tomotake: “ Nós temos
criar filas imensas e bilheterias produção, além da companhia dos longe de acabar. “A indústria do a especialização em Hipermídia,
astronômicas. Os remakes de já conhecidos óculos 3D. cinema se protegerá; mas por que possui uma relação intima
clássicos também ganharão espaço As produções cinema- pouco tempo”, afirma Eduardo com animações em 3D”. Que
nos cartazes, como o filme de tográficas tridimensionais são Paiva, professor do curso de venham as produções brasileiras!
terror Piranha (previsto para apostas de muitos produtores Midialogia da Unicamp. “Pirataria
agosto), que receberão verdadeiras e diretores contra o avanço não tem fim e nem limite”, ressalta.
revitalizações com as novidades da pirataria; mas segundo O mestrando do curso de Imagem
tecnológicas de filmagem e pós- especialistas, este combate está e Som da UFSCar, Pedro Dolsic,

Uso dos óculos 3D levanta dúvidas no público


Espectadores preocupam-se com possibilidade de transmissão de doenças através do acessório
Renato Pincelli

A
Imagem: Google.com
exibição de filmes em 3D Baur u Shopping. Através de
está de volta. Mas, apesar e-mail, o Multiplex explica que na
dos avanços tecnológicos, o uso higienização dos óculos são usados
de óculos ainda é necessário para “sabão alcalino e bactericida para
que os personagens saltem da esterilizá-los após cada sessão.
telona. Mas muitos espectadores Enquanto roda uma sessão os
estão preocupados com a possível óculos da sessão anterior ficam na
transmissão de doenças através dos máquina para esterilização.”
óculos, que são reutilizados. Luzes Os óculos 3D são maiores do
e cores fortes também preocupam que os óculos comuns para que
o público, pois poderiam causar possam se ajustar a quem usa óculos Espectadores usando os polêmicos óculos 3D recebidos na sala de cinema.
danos oculares. de grau. Ainda segundo a empresa, problemas sérios à visão.” Sobre para que o olho se acostume com
Os óculos podem ficar com não há intenção de comercializá- as cores e luzes intensas, Kawai o 3D real.”
secreções capazes de transmitir los, pois são acessórios importados afirma que não há problema. Pelo visto, a tecnologia 3D
conjuntivite e até gripe. Por isso, e de alto custo. O médico esclarece que voltou para ficar. A não ser que o
devem ser higienizados antes do Mesmo assim, será que esses em caso de vista cansada pode filme seja de terror não é preciso
uso. Para esclarecer o processo óculos podem causar danos visuais? ser necessário tirar os óculos ter medo. Para se divertir com
de higienização, entramos em Para o oftalmologista Rogério durante o filme. Após a sessão, o saúde, basta apenas seguir as
contato com o Cinema Multiplex Masahiro Kawai, não é preciso se recomendável é “alternar o foco recomendações médicas e usar os
que mantém uma sala 3D no preocupar: “Os óculos não causam entre objetos próximos e distantes, óculos corretamente.
Diagramação: Fernando Araujo Jorn. resp.: Mauro Souza Ventura MTB: 6235
Era uma vez... A ANIMAÇÃO!
Fernando Araujo
Do 2D ao 3D, a história das histórias que encantam o mundo

A s animações vêm ganhando


cada vez mais espaço dentre
as maiores bilheterias do cinema
longa-metragem animado em
cores e sonorizado. O primeiro
longa brasileiro foi Sinfonias da
e A Bela e a Fera, 30º filme da
Disney, indicado a melhor filme
em 91, vencendo mais duas.
Disney/Pixar. O passo seguinte
foi o cinema 3D, tendência
cinematográfica atual que acabou
mundial, e até mesmo entre as suas Amazônia, de Anélio Lattini Filho. Com um clássico atrás do invadindo as animações. Na
premiações mais importantes, Daí em diante o mercado não outro, o cinema começou a mesma época em que relança
como no caso de UP! – Altas parou mais e grandes clássicos inovar cada vez mais, inserindo a uma animação em 2D (A Princesa
Aventuras, da Disney/Pixar, que surgiram, como Fantasia, de 1940, computação gráfica na animação, e o Sapo), a Disney já anuncia o
concorreu ao Oscar de melhor levando duas estatuetas do Oscar como os famosos filmes da lançamento de Rapunzel Umbraided
filme ao lado de superproduções neste ano, produzido por

Arte: Fernando Araujo


como Avatar e Guerra ao Terror. E computação gráfica totalmente
sua história de sucesso começou em 3D, seguindo a linha clássica
a mais de 100 anos. das Princesas Disney.
O francês Émile Reynaud, Além disso, a Disney relançou
inventou de um aparelho chamado A Bela e a Fera em fevereiro, nos
praxynoscópio, que projetava na Estados Unidos, totalmente
tela desenhos feitos sobre fitas em 3D. Especula-se que outros
transparentes, e foi o primeiro clássicos, como O Rei Leão –
desenho animado, exibido no maior bilheteria de animação até
Musée Grévin, em Paris, no dia Procurando Nemo, em 2003 – sejam
28 de outubro de 1892. relançados com a nova tecnologia.
Desde Émile Reynaud, a Ainda este ano, lançamentos em
animação teve um grande salto 3D como Shrek para Sempre e Toy
nos últimos 100 anos. Ainda Story 3 poderão divertir o público
na década de 30, Walt Disney enquanto aguardamos por mais
lança Branca de Neve, o primeiro O palhaço de Fanstamagorie, Branca, Bela, Rapunzel e o alien de Toy Story. novidades.

Para todas as idades


Animações em 2D e 3D são sucesso e atraem fãs e prêmios
Ana Navarrete

N
Imagem: Divulgação
ão adianta negar: todo dos grandes sucessos digitais A ideia de retornar às
mundo que já assistiu que estreiam ultimamente. origens veio com o cineasta
qualquer tipo de animação- seja A fã de animação Ana John Lasseter, responsável
ela 2D ou 3D- se deixou encantar Beatriz Neves, que coleciona pelos sucessos de “Toy Story”
pelos desenhos, músicas e estilos. e sempre assistiu aos clássicos e “Carros”, e sua enorme
Dos clássicos até as mais recentes da Disney, explica que sempre admiração pelas grandes
produções, os longas de animação conferia nos cinemas e comprava animações da década de 30.
agregam fãs em todo mundo que as fitas depois. “Gosto de ver Todo ano pelo menos
não veem a hora dos próximos como a animação evoluiu esses um grande sucesso
lançamentos. anos sem deixar de perder as cinematográfico em
A Disney, pioneira na área, raízes. As animações procuram animação explode nos
fechou 2009 e começou 2010 se contextualizar a mudanças cinemas e garante grande
com grandes surpresas. Dentre sociais e tecnológicas, hoje em bilheteria e premiações.
elas o lançamento de um longa dia o estilo e traços dos desenhos Ano passado “Up! - Altas
no formato mais tradicional, em também mudou”, diz . aventuras” conquistou o
lápis e papel, com belas músicas e Desde 2004 a Disney Oscar de melhor animação,
personagens secundários cômicos não divulga nada no formato A Princesa e o Sapo - Lançamento da Disney. melhor trilha sonora original
e marcantes (conhecidos em tradicional devido a fracassos e a indicação para categoria de
clássicos como “O rei leão” e “A em longas como “Nem que a sucessos tais como “Procurando melhor filme.
Bela e a Fera”). A ideia do filme “A vaca tussa” e apostou no formato Nemo” e “Monstros S.A.”, em
princesa e o sapo” vai na contramão digital, alcançando títulos de parceria com a Pixar Studios.