Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

ECN075 – ECONOMIA PARA ENGENHARIA

WILLIAM STANLEY JEVONS – RESENHA DA TEORIA

André Bernardes Bitarães - 2009018596

Belo Horizonte
2015

sem receber. se mudou para a Austrália para trabalhar. tem grande utilidade marginal. mas. Estas ideias foram inspiradas na teoria da utilidade de Bentham. pois trata-se de alimentação. 𝜕𝑢/𝜕𝑥. o autor foi capaz de explicar o paradoxo da água e do diamante. Para Jevons o valor de um bem é determinado pelo “grau final de utilidade”. devido aos problemas financeiros. pois a importância da necessidade é reduzida. Completou seus estudos em Londres e trabalhou como professor universitário em Manchester. É possível observar que a altura das duas primeiras barras não está definida. Figura 1 Através desta teoria. intensidade e incerteza. cujas barras são menores. tem baixo grau final de utilidade. O estudo consiste em investigar o acréscimo de utilidade resultante da posse de mais de uma unidade do bem. “Satisfazer ao máximo nossas necessidades com o mínimo de esforço”. em vida. apresentado por Adam Smith: “Não há nada de mais útil que a água. onde cada barra representa a utilidade de um item. ou seja. menor valor. O conceito da utilidade marginal é a variação de “u” pela variação de “x”. onde permaneceu por 5 anos. A água. para as próximas unidades do bem. cuja utilidade é infinita. são representados pela “utilidade” de um bem. Fatores como o prazer gerado por um bem. que mudou o foco da Economia clássica. Morreu afogado enquanto nadava. Esta observação é a “Primeira lei de Grossen” ou lei da utilidade marginal decrescente. aos 46 anos de idade. mas se encontrará frequentemente uma grande quantidade de outros bens com o qual trocá-lo. Jevons defendeu a aplicação da economia matemática e pregava que o problema da economia era.William Stanley Jevons foi um economista pertencente à escola neoclássica e um dos fundadores da Revolução Marginalista. pela sua raridade. enquanto o diamante. reconhecimento pelos seus trabalhos e ideias. mas Jevons introduz o elemento marginal na análise da utilidade. consequentemente. dificilmente teria bens com os quais trocá-la. em 1835. em suas palavras. quase não tem nenhum valor quanto ao seu uso. Nascido na Inglaterra. e não deixou seguidores. ou seja. mas ela não pode quase nada comprar. A figura 1 é o gráfico que ilustra a utilidade de uma unidade do bem. portanto. observa-se que elas têm menor utilidade e. pelo contrário. seu “grau de utilidade”. . Conforme aumentase a disponibilidade de um bem. assim como sua duração. Um diamante. iniciou seus estudos científicos neste mesmo país. representada por “u”. A utilidade e o interesse individual seriam a base para a composição de valor dos bens. A utilidade total é definida a partir de uma quantidade de um bem. seu grau de utilidade cai.

conforme pode-se observar pela representação gráfica na Figura 2. a quantidade do produto A cresce para a direita. mas sim uma definição individual e subjetiva. Jevons tinha conhecimentos em física. O início do trabalho é prazeiroso mas. 𝜕𝑢1 𝜕𝑥 = 𝜕𝑢2 𝜕𝑦 Estabelecendo o valor em termos de utilidade. Este valor não é inerente ao bem. Se imaginarmos dois grupos diferentes. A B Figura 2 (Utilidade marginal x Quantidade de estoque) Com base nas explicações apresentadas acima. Segundo ele. desta forma. que postula que o consumidor. após um tempo. que causavam impacto na produção agrícola. torna-se desagradável por fadiga. . ou seja. Jevons analisa uma permuta de duas unidades que não têm o mesmo valor. para obter o máximo de satisfação. Ele descreve matematicamente a utilidade do trabalho. a utilidade marginal da aquisição de uma unidade adicional do produto A será maior para o grupo 2. que obedece uma curva descendente com concavidade para baixo. O ponto ideal da oferta de trabalho é onde a utilidade marginal do produto se iguala ao sofrimento adicional do trabalho para produzi-lo. metalurgia e meteorologia e acreditava que crises econômicas poderiam ser explicadas pela ação das manchas solares. Quanto maior o número de pessoas que consideram o produto útil. maior será o valor agregado do item. o grupo 1 possuindo o estoque do produto A e o grupo 2 do produto B. deve consumir até que a utilidade marginal do último dinheiro gasto em cada bem seja igual em todos os bens. Jevons estabelece que o valor de um bem é dado por sua utilidade. a troca deixa de ser vantajosa para os dois grupos. o mercado despreza coisas passadas e é orientado para o futuro. As teorias do autor tiveram grande impacto no mercado e uma aplicação é na análise da oferta de trabalho individual. o autor escreve a “Segunda lei de Grossen”. assim como a utilidade marginal de uma unidade adicional do produto B será maior para o grupo 1. pois a utilidade marginal se iguala. pois cada bem recebe um valor diferente por cada indivíduo. Neste gráfico. Além de economista. e não pelo seu custo de produção. e do produto B cresce para a esquerda. A partir do ponto de intercessão. independentemente da quantidade de esforço ou recurso utilizado na produção deste item.Adicionalmente. o trabalho empregado na produção não tem qualquer influência no valor de um bem.