Você está na página 1de 73
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Inflamáveis: características, propriedades, perigos e riscos; 2. Controles coletivo e
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
1. Inflamáveis: características, propriedades, perigos e riscos;
2. Controles coletivo e individual para trabalhos com inflamáveis;
3. Fontes de ignição e seu controle;
4. Proteção contra incêndio com inflamáveis;
5. Procedimentos básicos em situações de emergência com inflamáveis;
OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM Ao final da capacitação, o profissional deverá: 1. Compreender que é liquido
OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM
Ao final da capacitação, o profissional deverá:
1. Compreender que é liquido inflamável, suas características, propriedades,
perigos e riscos;
2. Entender e ser capaz de aplicar controles coletivo e individual para trabalhos
com inflamáveis;
3. Identificar, eliminar e prevenir fontes de ignição durante o manuseio com
líquidos e combustíveis inflamáveis bem como o controle adequado destas
fontes;
4. Saber diferenciar e aplicar corretamente proteção contra incêndio tais como
extintores e hidrantes;
5. Ser capaz de atuar corretamente seguindo os procedimentos básicos em
situações de emergência com inflamáveis.
PONTO DE FULGOR É a menor temperatura que um líquido inflamável libera vapor em quantidade
PONTO DE FULGOR
É
a
menor
temperatura
que
um
líquido
inflamável
libera
vapor
em
quantidade suficiente para formar uma mistura inflamável. Também
conhecido como flash point.
Exemplo: Álcool Isopropílico (Ponto de fulgor 11°C)
Na temperatura de 11°C a quantidade de vapor liberado é suficiente, para
caso ocorra uma ignição, causar o Flash Point.
O QUE SÃO INFLAMÁVEIS PARA NOSSA REALIDADE? São líquidos que possuem ponto de fulgor ≤
O QUE SÃO INFLAMÁVEIS PARA NOSSA REALIDADE?
São líquidos que possuem ponto de fulgor ≤ 60º C.
Gasolina < 0 ºC;
Etanol 15 ºC;
Diesel em geral 38 ºC.
PONTO DE IGNIÇÃO É a temperatura mínima à qual os vapores desprendidos entram em combustão
PONTO DE IGNIÇÃO
É a temperatura mínima à qual os vapores desprendidos
entram em combustão espontânea, apenas pelo contato
com o oxigênio do ar independente de qualquer fonte
externa de calor.
O QUE É ELETRICIDADE ESTÁTICA? E um fenômeno físico onde dois corpos apresentam um desequilíbrio
O QUE É ELETRICIDADE ESTÁTICA?
E um fenômeno físico onde
dois corpos apresentam um
desequilíbrio em sua
neutralidade, fazendo com
que a carga de um passe
para o outro em busca de
equilíbrio.
Pode ser produzida por
fricção, atrito, etc
FORMAÇÃO DO FOGO
FORMAÇÃO DO FOGO
O QUE ACONTECEU NESTE ACIDENTE? Ausência de aterramento para dissipar a energia estática; Falta de
O QUE ACONTECEU NESTE ACIDENTE?
Ausência de
aterramento para
dissipar a energia
estática;
Falta de instrução ou
procedimento para
eliminar o risco;
Falta de conhecimento
sobre eletricidade
estática;
ATERRAMENTO DO CAMINHÃO DESCARGA DE COMBUSTÍVEIS \Videos\RealPlayer Downloads\Ciapetro (Pocedimento Para Descarga De
ATERRAMENTO DO CAMINHÃO
DESCARGA DE COMBUSTÍVEIS
\Videos\RealPlayer
Downloads\Ciapetro
(Pocedimento Para Descarga De Combustivel) -
YouTube.mp4
ATERRAMENTO DO CAMINHÃO DESCARGA DE COMBUSTÍVEIS Longo período de movimentação; Acumulo de eletricidade
ATERRAMENTO DO CAMINHÃO DESCARGA
DE COMBUSTÍVEIS
Longo período de
movimentação;
Acumulo de
eletricidade
estática;
Maior incidência
com o tempo seco.
ATERRAMENTO CUIDADOS Fixar corretamente; Testar periodicamente o ponto de aterramento; Orientar o motorista se
ATERRAMENTO CUIDADOS
Fixar corretamente;
Testar
periodicamente o
ponto de
aterramento;
Orientar o motorista
se perceber pratica
fora do padrão.
PADRÕES DE SEGURANÇA
PADRÕES DE SEGURANÇA
SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA
SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA
FONTES POTENCIAIS
FONTES POTENCIAIS
FONTES POTENCIAIS
FONTES POTENCIAIS
FONTES POTENCIAIS DIVERSAS Calor; Fogo; Fagulhas ou Centelha.
FONTES POTENCIAIS DIVERSAS
Calor;
Fogo;
Fagulhas ou
Centelha.
TRANSPORTE CARGA A GRANEL - É a carga transportada sem qualquer embalagem, sendo contido apenas
TRANSPORTE
CARGA A GRANEL - É a carga transportada sem qualquer
embalagem, sendo contido apenas pelo equipamento do
transporte (tanque, vaso, caçamba ou contêiner-tanque).
CARGA FRACIONADA (EMBALADA) - É a carga
manuseada juntamente com seu recipiente (embalagem) em
todo o ato da carga, descarga ou transbordo.
DOCUMENTAÇÃO a) O nome apropriado para embarque. (conforme determinado no item 3.1.2 da resolução 420
DOCUMENTAÇÃO
a)
O nome apropriado para embarque. (conforme determinado no item
3.1.2 da resolução 420 da ANTT);
b) A classe ou a subclasse do produto.
c) O número ONU, precedido das letras “UN” ou “ONU” e o grupo de
embalagem da substância ou artigo;
d)
A quantidade total por produto perigoso abrangido pela
descrição (em volume, massa, ou conteúdo liquido, conforme
apropriado).
O documento de transporte para produtos perigosos, emitido pelo expedidor deve também conter, ou ser
O documento de transporte para produtos
perigosos, emitido pelo expedidor deve também
conter, ou ser acompanhado de uma declaração
de que o produto está adequadamente
acondicionado para suportar os riscos normais
de carregamento, descarregamento, transbordo e
transporte e que atende à regulamentação em
vigor.
“Declaramos que o(s) produtos constante(s) nesta
Nota Fiscal, está(ão) adequadamente
acondicionado para suportar os riscos normais
de carregamento, descarregamento, transbordo e
transporte e que atende à regulamentação em
vigor.”
TABELA DE PRODUTOS
TABELA DE PRODUTOS
FICHA DE EMERGÊNCIA FichaFichaFichaFichaFichaFichaFichaFicha dededededededede
FICHA DE EMERGÊNCIA
FichaFichaFichaFichaFichaFichaFichaFicha dededededededede
EmergênciaEmergênciaEmergênciaEmergênciaEmergênciaEmergênciaEmergênciaEmergência
Expedidor
Nome apropriado
Número de risco:
para embarque
Número da ONU:
Endereço
Classe ou subclasse de risco:
Tel.:
Área “A”
Descrição da classe ou
subclasse de risco:
Grupo de embalagem:
Papel deve ser Branco
Gramatura:75 g/m² a 90 g/m²
Tamanho: A4, Carta ou Ofício
Aspecto:
Área “B”
EPI de uso exclusivo da equipe de atendimento a emergência:
Área “C”
Impressa em uma única folha
Tarjas: Vermelhas
RISCOS
Fogo:
Mínimo 250 mm
Saúde:
Área “D”
Fonte:
Arial ou similar
Meio Ambiente:
Impressa em Gráfica ou
impressora de Computador
EM CASO Área DE ACIDENTE “E”
Nos
casos de importação ou
Vazamento:
exportação deve ser redigida
no idioma oficial do Brasil
As informações devem ser
impressa ou datilografada
Fogo:
Poluição:
Não
Não
pode ser plastificada
permitido o uso de etiquetas
Área “F”
Envolvimento
As informações não podem ser
de pessoas:
NãoNão háhá medidasmedidas definidasdefinidas
nasnas respectivasrespectivas áreasáreas
abreviadas
Informações
ao médico:
Não
é
necessário que as linhas
divisórias horizontais estejam
encostadas nas tarjas laterais
Observações:
As
Linhas horizontais de
início e final são opcionais
5
Mínimo 188 mm
Mínimo 198 mm
5
FichaFichaFichaFichaFichaFichaFichaFicha dededededededede
FichaFichaFichaFichaFichaFichaFichaFicha dededededededede
EmergênciaEmergênciaEmergênciaEmergênciaEmergênciaEmergênciaEmergênciaEmergência
(verso)(verso)(verso)(verso)(verso)(verso)(verso)(verso)
Grupo de embalagem:
Mínimo 250 mm
MínimoMínimo 198198 mmmm
IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO PERIGOSO As embalagens e veículos contendo Produtos Perigosos devem ser identificados por
IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO PERIGOSO
As embalagens e veículos contendo Produtos
Perigosos devem ser identificados por meio de
Rótulos de Risco e Painéis de Segurança
com finalidade fácil identificação.
Identificação para o Transporte de Produtos Perigosos
Identificação para o
Transporte de
Produtos Perigosos
Classificação e Definição das Classes de Produtos Perigosos Classificação adotada para os produtos
Classificação e Definição das
Classes de Produtos
Perigosos
Classificação adotada
para os produtos
classificados como
perigosos é feita com
base no tipo de risco
que cada produto
apresenta.
CLASSES DE RISCOS Indicam o Tipo de Risco, são formados por 9 classes. A importância
CLASSES DE RISCOS
Indicam o Tipo de Risco, são formados por 9 classes.
A importância dos riscos têm o seguinte significado:
Riscos
Descrição
1 Explosivos
2 Gases
3 Líquidos Inflamáveis
4 Sólidos Inflamáveis
5 Oxidantes / Peróxidos Orgânicos
6 Tóxicos
7 Radioativos
8 Corrosivos
9 Substâncias Perigosas Diversas
NÚMEROS DE RISCOS E INTENSIDADE DO RISCO Quando o Risco puder ser adequadamente indicado por
NÚMEROS DE RISCOS E INTENSIDADE DO RISCO
Quando o Risco puder ser
adequadamente indicado por um
único número, este será seguido
por zero “0”.
Exemplo: 30 - Inflamável
A repetição de um número indica
aumento da intensidade do Risco
específico.
NÚMEROS DE RISCOS E INTENSIDADE DO RISCO Exemplo: 30 - Inflamável 33 - Muito Inflamável
NÚMEROS DE RISCOS E INTENSIDADE DO RISCO
Exemplo:
30
- Inflamável
33
- Muito Inflamável
333 - Altamente Inflamável
A letra “X” antes dos algarismo significa que a
substância reage perigosamente com água.
Exemplo: X333 - Líquido Altamente Inflamável, que
reage perigosamente com água.
Aplicação 1 Produto da e 1 Risco Simbologia no V í e cu o l
Aplicação
1 Produto
da
e
1 Risco
Simbologia
no
V í
e cu o
l
Aplicação da Simbologia 2 ou mais produtos com dois riscos no V í e cu
Aplicação
da
Simbologia
2 ou mais
produtos
com dois
riscos
no
V í
e cu o
l
Aplicação da 1 produto 1 risco e mais Simbologia 1 risco 83 2789 no V
Aplicação
da
1 produto
1 risco e
mais
Simbologia
1
risco
83
2789
no
V í
e cu o
l
subsidiário
83
2789
83
2789
RÓTULO DE RISCO SUBSIDIÁRIO
RÓTULO DE RISCO SUBSIDIÁRIO
FISPQ – FICHA DE INFORMAÇÃO E SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS
FISPQ – FICHA DE INFORMAÇÃO E
SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS
CONSEQUÊNCIAS DOS ERROS
CONSEQUÊNCIAS DOS ERROS
ATMOSFERA EXPLOSIVA É uma mistura de substâncias inflamáveis na forma de gás, vapores, poeiras ou
ATMOSFERA EXPLOSIVA
É uma mistura de substâncias
inflamáveis na forma de gás,
vapores, poeiras ou fibras com o ar
(ou com O2) sob condições
atmosféricas, na qual após a
presença de uma fonte de ignição,
ou simplesmente uma superfície
quente, a combustão se propaga
provocando a explosão.
ÁREA CLASSIFICADA É um local sujeito a “probabilidade” da formação/existência de uma atmosfera explosiva.
ÁREA CLASSIFICADA
É um local sujeito a “probabilidade” da formação/existência
de
uma atmosfera explosiva.
Para classificação das áreas:
Verificar presença de substâncias inflamáveis (gases, vapores ou
poeiras)
Verificar características das substâncias presentes, como: ponto de
fulgor,
limite de inflamabilidade e temperatura de auto inflamação
Verificar equipamentos e instalações.
EXTENSÃO DA ÁREA CLASSIFICADA Dependerá da volatilidade do produto e ventilação
EXTENSÃO DA ÁREA CLASSIFICADA
Dependerá da volatilidade do produto e ventilação
ÁREA CLASSIFICADA EM CAMINHÃO TANQUE
ÁREA CLASSIFICADA EM CAMINHÃO TANQUE
CONCEITO DA EXPLOSÃO Com as três condições são encontradas “simultaneamente,” teremos a explosão.
CONCEITO DA EXPLOSÃO
Com as três condições são encontradas “simultaneamente,” teremos a explosão.
ROTULAGEM Rótulos - é um meio de informação posto à disposição colaborador- utilizador para avaliar
ROTULAGEM
Rótulos - é um meio de informação posto à disposição colaborador-
utilizador para avaliar os riscos associados aos produtos químicos
perigosos e adoptar medidas de prevenção.
?
Importante Conheçam os riscos dos produtos químicos: • Rótulos • Fichas de Dados de Segurança
Importante
Conheçam os riscos dos produtos químicos:
• Rótulos
• Fichas de Dados de Segurança
Respeitem as regras de Segurança:
• Ventilação
• EPI’s
Cuidados no Transportes de Produtos Perigosos Art. 7º - É proibido o transporte e/ou armazenamento
Cuidados no Transportes de Produtos Perigosos
Art. 7º - É proibido o transporte e/ou armazenamento de produto
perigoso juntamente com:
I – Animais;
II – Alimentos ou medicamentos destinados ao consumo humano
ou animal ou com embalagens de produto destinados a este fim.
III – outro tipo de carga, salvo se houver
compatibilidade entre os diversos
produtos transportados.
DEFINIÇÃO: REAÇÃO QUÍMICA COM DESPRENDIMENTO DE LUZ E CALOR
DEFINIÇÃO:
REAÇÃO QUÍMICA COM DESPRENDIMENTO DE LUZ E CALOR
Notas Nenhum sistema de prevenção de incêndio será eficaz se não houver o elemento humano
Notas
Nenhum sistema de prevenção de incêndio será eficaz se não
houver o elemento humano preparado para operá-lo.
Esse elemento humano, para combater eficazmente um
incêndio, deverá estar perfeitamente treinado.
É um erro pensar que sem treinamento, alguém, por mais hábi
que seja, por mais coragem que tenha, por mais valor que
possua, seja capaz de atuar de maneira eficiente quando do
aparecimento do fogo.
FOGO – TRIANGULO DA COMBUSTÃO É a reação química entre: Combustível Oxigênio do ar (comburente)
FOGO – TRIANGULO DA COMBUSTÃO
É a reação química
entre:
Combustível
Oxigênio do ar
(comburente)
Fonte de calor.
QUAIS OS TIPOS DE COMBUSTÍVEIS Sólidos Madeira, Papelão, Carvão Líquidos Gasolina, Álcool, Diesel Gasosos
QUAIS OS TIPOS DE COMBUSTÍVEIS
Sólidos
Madeira, Papelão, Carvão
Líquidos
Gasolina, Álcool, Diesel
Gasosos
Helio, GNV, Metano
COMBUSTÃO A Combustão é uma reação química. Durante esta reação química entre o combustíveis e
COMBUSTÃO
A Combustão é uma reação química.
Durante esta reação química entre o combustíveis e
os comburentes, ocorrerá à combinação dos
elementos químicos, originando outros produtos
diferentes que são:
- Fumaça
- calor
- Gases
- Chama ou incandescência
Fumaça É uma mescla de gases, partículas sólidas e vapores de água. A cor da
Fumaça
É uma mescla de gases, partículas sólidas e vapores de
água.
A cor da fumaça, serve de orientação prática, indica o tipo
do material que está sendo decomposto na combustão.
FUMAÇA DA COMBUSTÃO Fumaça branca ou cinza clara: nos indica que é uma queima de
FUMAÇA DA COMBUSTÃO
Fumaça branca ou cinza clara: nos
indica que é uma queima de combustível
comum. Ex. madeira, tecido, papel, capim,
etc.
Fumaça negra ou cinza escura: é
originária de combustão incompletas,
geralmente produtos derivados de petróleo,
tais como, graxas, óleos, pneus, plásticos,
etc.
Fumaça amarela ou vermelha : nos
indica que está queimando um combustível
em que seus gases são altamente tóxicos.
Ex. produtos químicos , etc.
TRANSMISSÃO DE CALOR
TRANSMISSÃO DE CALOR
CONDUÇÃO É O TIPO DE TRANSMISSÃO DE CALOR QUE TRANSMITE A TEMPERATURA MOLÉCULA À MOLÉCULA
CONDUÇÃO
É O TIPO DE
TRANSMISSÃO DE CALOR
QUE TRANSMITE A
TEMPERATURA MOLÉCULA
À MOLÉCULA
CONVECÇÃO A MASSA DE AR QUENTE SOBE E ENCONTRA UMA MASSA DE AR FRIA E
CONVECÇÃO
A MASSA DE AR QUENTE
SOBE E ENCONTRA UMA
MASSA DE AR FRIA E
COMO DOIS CORPOS
NÃO OCUPAM O MESMO
LUGAR NO ESPAÇO, HÁ
A FORMAÇÃO DE UM
LOOPING – AR QUENTE
E AR FRIO
IRRADIAÇÃO É A TRANSMISSÃO REALIZADA POR ONDAS CALORÍFERAS VINDAS DE UMA FONTE DE CALOR .
IRRADIAÇÃO
É A TRANSMISSÃO
REALIZADA POR
ONDAS CALORÍFERAS
VINDAS DE UMA
FONTE DE CALOR .
COMBATE A INCÊNDIOS S
COMBATE A INCÊNDIOS
S
INCÊNDIO CLASSE A - CARACTERÍSTICAS: 1ª - FOGO EM MATERAIS SOLIDOS 2ª - QUEIMA NA
INCÊNDIO CLASSE A
- CARACTERÍSTICAS:
1ª - FOGO EM MATERAIS SOLIDOS
2ª - QUEIMA NA SUPERFÍCIE E EM PROFUNDIDADE
3ª - QUEIMA DEIXANDO RESÍDUOS OU CINZAS
INCÊNDIO CLASSE B - CARACTERÍSTICAS: 1ª - FOGO EM MATERIAIS LIQUIDOS E/OU GASES INFLAMAVEIS. 2ª
INCÊNDIO CLASSE B
- CARACTERÍSTICAS:
1ª - FOGO EM MATERIAIS LIQUIDOS E/OU GASES INFLAMAVEIS.
2ª - QUEIMA SOMENTE NA SUPERFÍCIE E NÃO
QUEIMA EM PROFUNDIDADE.
INCÊNDIO CLASSE C - CARACTERÍSTICAS - EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS ENERGIZADOS - RISCO DE MORTE PARA O
INCÊNDIO CLASSE C - CARACTERÍSTICAS
- EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS ENERGIZADOS
- RISCO DE MORTE PARA O COMBATENTE
INCÊNDIO CLASSE D -CARACTERÍSTICAS: -É A CLASSE DE INCÊNDIO EM QUE O COMBUSTÍVEL SÃO METAIS
INCÊNDIO CLASSE D -CARACTERÍSTICAS:
-É A CLASSE DE INCÊNDIO EM QUE O COMBUSTÍVEL
SÃO METAIS PIROFÓRICOS.
MÉTODOSMÉTODOS DEDE EXTINÇÃOEXTINÇÃO DEDE INCÊNDIOINCÊNDIO RESFRIAMENTO FOGO RETIRA O CALOR
MÉTODOSMÉTODOS DEDE EXTINÇÃOEXTINÇÃO DEDE INCÊNDIOINCÊNDIO
RESFRIAMENTO
FOGO
RETIRA O CALOR
RESFRIAMENTORESFRIAMENTO É evidente que nos incêndios que deixam resíduos como brasas ou calor, devemos prestar
RESFRIAMENTORESFRIAMENTO
É evidente que nos incêndios que deixam resíduos como
brasas ou calor, devemos prestar muita atenção no
resfriamento, pois do contrário, uma vez extinto o fogo, as
brasas remanescentes ou o calor concentrado, reiniciam o
incêndio ao entrarem em contato com o comburente
fornecido pelo ar.
O resfriamento deve atingir toda a massa incendiada que se
encontra na profundidade. Um serviço operado
superficialmente não atingirá a parte interna do material
incendiado, o qual continuará lentamente em combustão.
MÉTODOSMÉTODOS DEDE EXTINÇÃOEXTINÇÃO DEDE INCÊNDIOINCÊNDIO ISOLAMENTO FOGO RETIRADA DO MATERIAL COMBUSTÍVEL
MÉTODOSMÉTODOS DEDE EXTINÇÃOEXTINÇÃO DEDE INCÊNDIOINCÊNDIO
ISOLAMENTO
FOGO
RETIRADA DO MATERIAL
COMBUSTÍVEL
MÉTODOSMÉTODOS DEDE EXTINÇÃOEXTINÇÃO DEDE INCÊNDIOINCÊNDIO ABAFAMENTO FOGO RETIRA O OXIGÊNIO
MÉTODOSMÉTODOS DEDE EXTINÇÃOEXTINÇÃO DEDE INCÊNDIOINCÊNDIO
ABAFAMENTO
FOGO
RETIRA O OXIGÊNIO
OO NOSSONOSSO ARAR O AR 1% 21% 78% OXIGENIO NITROGENIO OUTROS GASES NÃO EXISTIRÁ FOGO
OO NOSSONOSSO ARAR
O AR
1%
21%
78%
OXIGENIO
NITROGENIO
OUTROS GASES
NÃO EXISTIRÁ FOGO EM AMBIENTES COM MENOS
DE 13 % DE O2
EXTINTORES DE INCÊNDIOS ÁGUA CO2 PQS RESFRIAMENTO ABAFAMENTO ABAFAMENTO e RESFRIAMENTO
EXTINTORES DE INCÊNDIOS
ÁGUA
CO2
PQS
RESFRIAMENTO
ABAFAMENTO
ABAFAMENTO e
RESFRIAMENTO
ALTURA DOS EXTINTORES Os extintores devem ser colocados em locais de fácil acesso e visibilidade
ALTURA DOS EXTINTORES
Os extintores devem ser colocados em
locais de fácil acesso e visibilidade
sem qualquer obstrução.
A altura máxima, é de 1.60m de
altura.
Porém a altura mínima é que ele
esteja fora do chão, num tripé ou
suporte.
METODOS DE EXTINÇÃO DE INCÊNDIOS RESCALDO - É a operação final de um serviço de
METODOS DE EXTINÇÃO DE INCÊNDIOS
RESCALDO - É a operação final de um serviço de
extinção de incêndio. Esta operação consiste na
movimentação de todo o material sólido envolvido pelas
chamas, a fim de se ter certeza da não existência de
resíduos e a facilidade de um melhor resfriamento, cuja
complementação poderá ser feita com água, de forma
moderada.
Por mais insignificante que seja um incêndio, nunca dê as
costas de imediato para o local do sinistro, pois além do
perigo da reignição, você poderá ser envolvido pelas
chamas.
INSPEÇÕES NOS EXTINTORES Semanais: verificar acesso e visibilidade; Mensais: verificar se o bico está obstruído
INSPEÇÕES NOS EXTINTORES
Semanais: verificar acesso e visibilidade;
Mensais: verificar se o bico está obstruído e a pressão do
manômetro, o lacre e o pino de segurança;
Semestrais: verificar o peso de extintor de CO2;
Anuais: Verificar se há dano físico, avaria no pino de
segurança e no lacre;
Quinquenais: Fazer o teste hidrostático.
Equipamento para Combate a Incêndio Hidrante 1) Abra a “ caixa de incêndio”. 2) Segure
Equipamento para Combate a Incêndio
Hidrante
1) Abra a “ caixa de incêndio”.
2) Segure o esguicho da mangueira
retirando-o da “caixa de incêndio”.
3) Abra então o registro.
4) Após esticar bem a mangueira,
dirija o jato de água para a base do
fogo.
TEL. DO CORPO DE BOMBEIROS NO BRASIL
TEL. DO CORPO
DE BOMBEIROS
NO BRASIL
ALGUMA DÚVIDA?
ALGUMA DÚVIDA?