Você está na página 1de 2

Saber gerir uma empresa

Um velho professor de economia tinha o velho habito de por aos seus alunos a seguinte
questão “ para que serve uma fabrica de calçados?”. Ele chumbava todos aqueles que
respondiam que uma fábrica
de calçados servia para fazer calçados. Para ele a resposta correcta era «uma fábrica de
calçados serve para realizar lucros».

O que parcialmente parece um dito popular do velho professor, denotamos uma verdade
profunda; que toda empresa deve ser concebida para gerar benefícios. Por outras
palavras, ela deve ser rentável.

Por isso todo o gerente de empresa deve, por mais pequena que seja, ter por
preocupação constante fazer da sua empresa um empreendimento rentável. Isto supõe
que ele conheça os factores de rentabilidade e seja capaz de agir sobre eles afim de
maximizar os lucros da empresa.

Em africa nem sempre é possível e fácil dominar todos os dados do problema. Pois as
dificuldades técnicas somam-se frequentemente a outras, que é necessárias ter em conta.
E, a realidade dos nossos países, é que os empresários encontram-se sobre todo
confinados em pequenas e médias empresa.

Para poder actuar sobre os elementos que asseguram a rentabilidade da Empresa-


organização, previsão e controle orçamental, controle dos preços de custo, politicas de
vendas.

O gestor de elaborar um programa de acção bastante coerente. Porem nem sempre é


fácil fazer valer um programa do género, não só em africa como também no resto do
mundo (países desenvolvidos) principalmente porque requer uma soma de
conhecimentos e informações para tal gestores.

Em africa e muito especialmente em Angola, as dificuldades são enormes a nível das


pequenas e medias empresas. As pessoas que desejam criar um a Empresa dificilmente
recebem instruções de organismos conselheiros nestas matérias, pois quase não existem
e se existem são em números diminutos. Alem dos aspectos dos aspectos estruturais
outros problemas se põem. Pois são raros os gestores em Africa e Angola numa analise
restrita que tenham um conhecimento profundo daquilo que é um orçamento, e
encontramos uma grande debilidade nos serviços contabilísticos que acompanha e
registram todas as operações efectuadas pelas empresas quer a nível estatal como
privado, dai os constantes problemas com desvios e desaparecimento de capital,
aparecendo assim outro problema e não menos importante, a falta de mão de obra
qualificada.

Formação e Qualificação de Quadros e executantes

Os métodos de gestão das empresas por si só não são suficientes. É preciso, que haja
pessoas capazes para os aplicar. E é ai onde se pões um dos grandes problemas em
África já referidos, a falta de quadros. É evidente que para traçar um programa de acção
coerente é necessário, alem do chefe da empresa um contabilista, um responsável pela
produção, um responsável do serviço comercial e um agente de Marketing,
conhecedores técnicos das suas áreas, a fim de conduzirem a empresa a atingir os
objectivos para os foi criada. E todos sabemos que o número de pessoas formado para
cobrir as necessidades dos países africanos é ainda diminuto. Pois só para Angola, isto
baseando-se no inquérito as despesas e receitas familiares levado a cabo pelo instituto
Nacional de estatística, em 2000/01, revela que 72,7% dos inqueridos não é detentora de
qualquer profissão ou ofícios, indiciando claramente tratar-se dum segmento
populacional de reduzida ou mesmo nula formação. É ainda, ao que parece, mais fraco
no que respeita as diversas disciplina que interessam a vida das empresas.

Força estrangeira