FACULDADE DE PINHAIS

FAPI

TRABALHO DE SOCIOLOGIA GERAL
Um paralelo entre “Discurso da servidão voluntária” e “Servidão voluntária moderna”

ADRIANO PEREIRA ADURA
1º PERÍODO NOTURNO
SOCIOLOGIA GERAL
PROF. BRUNO ZAVATARO

MARÇO – 2016
PINHAIS - PR

Esse trabalho visa abordar as questões sobre a liberdade apontada no livro
“Discurso da Servidão Voluntária - Etienne De La Boetié” em relação ao documentário

Liberdade em filosofia. antes sofrer na mão de apenas um do que de vários. Algumas tão básicas que nem nos danos conta que somos verdadeiros escravos permanentes de suas condições. levando em conta a materialidade da ideia de ser livre. quais sejam. a quem? Seres humanos estão fadados a obedecer algumas regras da vida. servindo a ela como deve ser servida para que essa seja estendida o máximo possível. esse obedecer está relacionado a que ou quem? Além disso. do escravo. uma luta para se livrar de tiranos. Porém. submissão é uma condição em que se é obrigado a obedecer e servidão é estado do servo. Claro que existe a escravidão no seu modelo mais desumano. pelas escolhas. pelas condições favoráveis ambientais. que a escravidão é eminente na condição de humana. Pontua a questão não só de escravidão material como também uma escravidão intangível uma servidão ao tempo. servir o que. Já no documentário “Servidão voluntária moderna” o qual trás uma perspectiva de escravidão consentida no seu teor. a ideia principal é mostrar como a sociedade se torna escrava da própria sociedade. É uma servidão escravocrata da nossa própria existência. que possui a liberdade deles a sua disposição. A liberdade é um conceito subjetivo do que se acredita e se quer acreditar ser a liberdade. o certo ou errado. que afirma que é melhor ter um senhor do que vários. opressores. ditadores entre outros. pela própria sobrevivência. pode ser compreendida sob uma perspectiva que denota a ausência de submissão e de servidão. No livro "Discurso da Servidão Voluntária" de Etienne De La Boetié” o autor apresenta uma fala de Ulisses. Ele apresenta a figura do tirano como sendo uma pessoa que detêm o poder da vida de seus súditos em suas mãos.“Servidão voluntária moderna”. a ideia é. ao final. pelo sim e não. Obrigação de obedecer. para ele que nasceu naquela condição seu . da sua forma de conduzir a vida e seus meios de sobrevivência. Várias guerras foram travadas tendo como pilar de luta a liberdade. Indo um pouco mais a fundo. Tanto no livro quanto no documentário a abordagem em relação a liberdade se torna um pouco superficial. Não é possível negar essa condição de que somos escravos da própria vida. colocando em cheque o que seria liberdade. Contudo. a busca pela alimentação. vamos analisar a questão do peixe no aquário. livra-se de um modelo de prisão e entrasse em outro.

Mas a questão se torna mais complexa ainda. Mas no fundo. Responder essas questões apenas tiraria algumas correntes. correntes de algumas situações e “coisas do mundo”. No final das contas. na hipótese dessas pessoas saírem dessa condição para a suposta liberdade. no entanto. outros tiranos se apresentam para tomar o lugar dos que foram extintos. vem camuflados como necessidades. Se em um determinado local as pessoas nascem dentro da condição de escravo tendem a permanecer nessa condição acreditando ser essa sua realidade. isso os tornam perfeitos para novamente tirar a liberdade do ser humano. . Saberiam viver com ela? Seria uma liberdade real? O avanço da sociedade trouxe uma gama enorme de informação para todas as pessoas do mundo. A ideia de que objetos trazem a felicidade nos coloca grilhões suficientes para que não identifiquemos essa perda. Na atual conjectura a escravidão de pessoas na sua essência é quase nula. continuamos presos a condição de seres humanos escravos por natureza das imposições da vida.mundo é assim e para ele essa condição é a mais normal possível. ao acaso? Seria fazer e deixar de fazer qualquer coisa quando bem quisesse? Seria o mais absoluto desapego com as coisas materiais da vida? Não. o que é realmente ser livre? Seria poder tomar decisões sem ter que dar satisfação a um senhor? Seria poder fazer qualquer coisa. e esses. não somos livres. mesmo aquelas contra os conceitos da sociedade? Seria deixar sua vida seguir sem rumo. Essas necessidades de possuir estão tão enraizadas na cultura que não é exagero apontar que a liberdade a muito foi trocada pelas “coisas do mundo”.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful