Você está na página 1de 32

Centro Universitário Estácio da Bahia - FIB

CICLO HIDROLÓGICO
CICLO HIDROLÓGICO
Universitário Estácio da Bahia - FIB CICLO HIDROLÓGICO Cássia Juliana Fernandes Torres Engenheira Ambiental

Cássia Juliana Fernandes Torres Engenheira Ambiental Engenheira de Segurança do Trabalho Mestre em Engenharia Ambiental Urbana/UFBA Doutoranda em Energia e Ambiente/Cienam-UFBA

Salvador / 2016

Fenômeno global de circulação fechada da água entre a

Fenômeno global de circulação fechada da água entre a superfície terrestre e a atmosfera, impulsionado pela

superfície terrestre e a atmosfera, impulsionado pela

energia solar associada à gravidade e à rotação terrestre.

a superfície terrestre e a atmosfera, impulsionado pela energia solar associada à gravidade e à rotação
Componentes do Ciclo Hidrológico • Precipitação; • Interceptação;
Componentes do Ciclo Hidrológico
• Precipitação;
• Interceptação;

Transpiração;

Evaporação;

Infiltração;

Escoamento superficial;

Escoamento de base ou subterrâneo.

Tipos de escoamento da bacia • Superficial • Sub-superficial ??
Tipos de escoamento da bacia
Superficial
Sub-superficial ??

Subterrâneo

Tipos de escoamento da bacia • Superficial • Sub-superficial ?? • Subterrâneo
Tipos de escoamento da bacia • Superficial • Sub-superficial ?? • Subterrâneo
• Chuva, infiltração, escoamento superficial

Chuva, infiltração, escoamento superficial

• Chuva, infiltração, escoamento superficial
• Chuva, infiltração, escoamento superficial, escoamento subterrâneo Camada saturada

Chuva, infiltração, escoamento superficial, escoamento subterrâneo

Camada saturada
Camada saturada
• Escoamento sub-superficial
• Escoamento sub-superficial
• Depois da chuva: Escoamento sub-superficial e escoamento
• Depois da chuva: Escoamento sub-superficial e escoamento

subterrâneo

Camada saturada
Camada saturada

Estiagem: apenas escoamento subterrâneo

Camada saturada

Camada saturada

Camada saturada
Camada saturada

Estiagem muito longa = rio seco -Rios intermitentes

Camada saturada

Camada saturada

Camada saturada
Camada saturada
O ciclo hidrológico global e regional  Ciclo global: Evaporação = Precipitação  ciclo fechado
O ciclo hidrológico global e regional
 Ciclo global: Evaporação = Precipitação
 ciclo fechado

recirculação de toda a água

Oceanos: mais evaporação do que precipitação

Continentes: mais precipitação do que evaporação Ciclo regional

ciclo aberto

parte da água retorna

parte da água é trazida de fora pela atmosfera

balanço hídrico

Balanço Hídrico Regional Simplificado
Balanço Hídrico Regional Simplificado
Balanço Hídrico Regional
Simplificado
Balanço Hídrico Regional Simplificado
 O ciclo hidrológico pode ser representado, em unidades de altura ( mm ou polegadas)
 O ciclo hidrológico pode ser representado, em
unidades de altura ( mm ou polegadas) pela equação
do balanço hídrico :

P R G E T = Δ S

P=precipitação

R=escoamento superficial G= escoamento subterrâneo

E=evaporação T=transpiração S = armazenamento

Ciclo hidrológico em ambientes urbano e rural
Ciclo hidrológico em ambientes urbano e
rural
Unidades de medida em hidrologia Área da bacia → km² ou ha
Unidades de medida em hidrologia
Área da bacia → km² ou ha

Precipitação → mm

Intensidade de precipitação → mm/h

Evapotranspiração → mm

Infiltração → mm/h

Vazão → m³/s

Bacia hidrográfica Definição:
Bacia hidrográfica
Definição:

Área definida topograficamente, drenada por um curso d’água ou por um sistema conectado de cursos d’água, tal que toda a vazão efluente seja descarregada por uma simples saída.

É uma região em que a chuva ocorrida em qualquer ponto drena para a mesma seção transversal do curso-d’água.

Área de captação natural das

precipitações, que faz convergir os escoamentos para um único ponto de saída: o

exutório.

captação natural das precipitações, que faz convergir os escoamentos para um único ponto de saída: o
Considerações importantes
Considerações importantes
Considerações importantes
Considerações importantes

De grande importância no estudo das BH é o conhecimento do

sistema de drenagem, ou seja, que tipo de curso d’água está drenando a região.

Uma maneira utilizada para classificar os cursos d’água é a de tomar como base a constância do escoamento com o que se determinam três tipos:

a) Perenes: contém água durante todo o tempo. O lençol freático mantém uma

alimentação contínua e não desce nunca abaixo

do leito do curso d’água, mesmo durante as secas mais severas.

alimentação contínua e não desce nunca abaixo do leito do curso d’água, mesmo durante as secas
b) Intermitentes : Em geral, escoam durante as estações de chuvas e secam nas de

b) Intermitentes: Em geral, escoam durante as estações de chuvas e secam nas de estiagem. Durante as estações chuvosas, transportam todos os tipos de deflúvio, pois o lençol d’água subterrâneo conserva-se acima do leito fluvial e alimenta o

curso d’água (o escoamento superficial também contribui com o aumento da

vazão), o que não ocorre na época de estiagem, quando o lençol freático se encontra em um nível inferior ao do leito.

freático se encontra em um nível inferior ao do leito. c) Efêmeros : Existem apenas durante

c) Efêmeros: Existem apenas durante ou imediatamente após os períodos de precipitação e só transportam escoamento superficial. A superfície freática se encontra sempre a um nível inferior ao do leito fluvial, não havendo a possibilidade de escoamento de deflúvio subterrâneo.

Um rio pode deixar de ser perene, se na época das chuvas o lençol não

Um rio pode deixar de ser perene, se na época das chuvas o lençol não é reabastecido. O motivo principal é a degradação da bacia como adensamento do solo, estrutura do solo danificada. A recuperação da bacia é difícil e cara.

danificada. A recuperação da bacia é difícil e cara. Infiltração Abastecimento do lençol freático Nível dos

Infiltração

A recuperação da bacia é difícil e cara. Infiltração Abastecimento do lençol freático Nível dos rios

Abastecimento do lençol

freático

é difícil e cara. Infiltração Abastecimento do lençol freático Nível dos rios E S Picos grandes

Nível dos rios

E S ES

Picos grandes de vazão máxima
Picos grandes de vazão máxima
é difícil e cara. Infiltração Abastecimento do lençol freático Nível dos rios E S Picos grandes
Divisores de água: divisor superficial (topográfico) e o divisor freático (subterrâneo). • O divisor

Divisores de água: divisor superficial (topográfico) e o divisor

freático (subterrâneo).

O divisor subterrâneo é mais difícil de ser localizado e varia com o tempo. À medida que o lençol freático (LF) sobe, ele tende ao divisor superficial.

O subterrâneo só é utilizado em estudos mais complexos de

hidrologia subterrânea e estabelece, portanto, os limites dos reservatórios de água subterrânea de onde é derivado o deflúvio

básico da bacia.

Na prática, assume-se por facilidade que o superficial também é o subterrâneo.

Os divisores topográficos ou divisores de água são as cristas das elevações do terreno que
Os divisores topográficos ou divisores de água são as cristas das
elevações do terreno que separam a drenagem da precipitação entre
duas bacias adjacentes;

Para definir uma bacia: Curso d’água principal seção transversal de referência (Exutório); Informações de topografia.

Diferenciar áreas que contribuem para um ponto:

transversal de referência (Exutório); Informações de topografia. Diferenciar áreas que contribuem para um ponto:
Considerações importantes • Identificar para onde escoa a água sobre o relevo usando como base
Considerações importantes
• Identificar para onde escoa a água sobre o relevo usando como
base as curvas de nível.

A água escoa na direção da maior declividade. Assim, as linhas

de escoamento são ortogonais às curvas de nível.

• A água escoa na direção da maior declividade. Assim, as linhas de escoamento são ortogonais
Considerações importantes Primeiro passo: Definir o ponto em que será feita a delimitação da bacia,
Considerações importantes
Primeiro passo: Definir o ponto em que será feita a delimitação da bacia, o qual
define o exutório, situado na parte mais baixa do trecho em estudo do curso d’água
principal. Reforçar a marcação do curso d’água principal e dos tributários (os quais

cruzam as curvas de nível, das mais altas para as mais baixas, e definem os fundos

de vale).

dos tributários (os quais cruzam as curvas de nível, das mais altas para as mais baixas,
Considerações importantes circunda o curso d’água e tributários, não podendo nunca cruzá-los.
Considerações importantes
circunda o curso d’água e tributários, não podendo nunca cruzá-los.

Segundo passo: Para definir o limite da bacia hidrográfica, partir do exutório e

conectar os pontos mais elevados, tendo por base as curvas de nível. O limite da bacia

Próximo a cada limite marcado, verificar se uma gota de chuva que cair do lado de

dentro do limite realmente escoará sobre o terreno rumo às partes baixas (cruzando

perpendicularmente as curvas de nível) na direção dos tributários e do curso d’água principal (se ela correr em outra direção, é porque pertence a outra bacia).

Notar que dentro da bacia poderá haver locais com cotas mais altas do que as cotas dos pontos que definem o divisor de águas da bacia.

da bacia poderá haver locais com cotas mais altas do que as cotas dos pontos que
Considerações importantes Delimitação de uma bacia hidrográfica
Considerações importantes
Delimitação de uma bacia hidrográfica
O principal interesse em estudar a bacia hidrográfica é de que suas características constituem um

O principal interesse em estudar a bacia hidrográfica é de que suas características constituem um sistema natural de transformação de chuva em vazão.

ENTRADA

SISTEMA

SAÍDA

(chuva)

(bacia)

(vazão na foz)

natural de transformação de chuva em vazão. ENTRADA SISTEMA SAÍDA (chuva) (bacia) (vazão na foz)
natural de transformação de chuva em vazão. ENTRADA SISTEMA SAÍDA (chuva) (bacia) (vazão na foz)
Representação Gráfica de Variáveis Hidrológicas Hidrograma
Representação Gráfica de Variáveis Hidrológicas
Hidrograma
Representação Gráfica de Variáveis Hidrológicas Hidrograma Pluviograma Hidrograma+Pluviograma

Pluviograma

Pluviograma

Hidrograma+Pluviograma

Hidrograma+Pluviograma
Exercício 1)
Exercício
1)

(Questão 19 Prova de Hidrologia Concurso CPRM 2002 - Certo ou Errado)

a) (item 2) o ciclo hidrológico é o fenômeno global de circulação fechada de água entre a superfície terrestre e a atmosfera,

impulsionada exclusivamente pela energia solar.

b) (item 5) Os principais componentes associados ao ciclo hidrológico são a precipitação (P), a infiltração (I), a

evapotranspiração (ET) e o escoamento superficial (ES). A

equação do balanço hídrico para uma bacia hidrológica qualquer pode ser expressa por P + I = ET + ES.

Exercício 2) Sobre o Sistema Hidrológico no planeta Terra, assinale a alternativa
Exercício
2) Sobre o Sistema Hidrológico no planeta Terra, assinale a alternativa

INCORRETA.

a) As precipitações são entradas de energia (na forma de água) no sistema

e a evaporação é uma saída de energia.

b) Esse sistema funciona diferentemente em cada região, de acordo com o

clima, o relevo, a vegetação e a ação antrópica.

c) Constitui-se numa série de armazenagens de água ligadas por

transferências.

d) A evaporação é maior nos continentes, pois apresentam maior

aquecimento que os oceanos.

e) A energia gravitacional da Terra movimenta a água dentro do seu ciclo.

Exercício
Exercício

3) Qual seria a vazão de saída de uma bacia completamente impermeável, com área de 60km2, sob uma chuva constante à

taxa de 10 mm.hora-1?

OBRIGADA! torres_cjf@yahoo.com.br

OBRIGADA!

torres_cjf@yahoo.com.br