Você está na página 1de 6

CAMPESTRE CLUBE GILDA BARBOSA

REGIMENTO INTERNO

INTRODUÇÃO

Art. 1º - O Conselho Deliberativo do Campestre Clube Gilda Barbosa, doravante aqui


representado pelas iniciais CCGB, institui o presente Regimento Interno, ficando a ele
sujeitos os poderes constituídos da sociedade, associados, dependentes e visitantes.

CAPÍTULO I

Dos Fins

Art. 2º - O CCGB tem por finalidade a prática do desporto amador, recreativo, lazer e
entretenimento, e por proposta da Diretoria com aprovação do Conselho Deliberativo e
Homologação da Assembléia Geral, organizar e manter outra atividade esportiva que
assim o desejar.

CAPÍTULO II

Das penalidades

Art. 3º - Toda e qualquer transgressão às normas disciplinares deverão ser comunicadas


à Diretoria e/ou ao Conselho Deliberativo, por meio de relato circunstanciado no livro
de ocorrência do clube ou petição protocolada na secretaria do CCGB.

§1º - O prazo decadencial para qualquer comunicação de infração será de 30 (trinta)


dias, contados a partir da data do fato.

§2º - Toda e qualquer irregularidade, mesmo que ultrapassada o prazo instituído no


parágrafo anterior, deverá ser comunicada a secretaria do CCGB, mediante protocolo.

Art. 4º - As penas instituídas pelo presente Regimento Interno são de: Exclusão do
quadro social, suspensão da freqüência às dependências do clube e de advertência
escrita.

§1º - O associado condenado à pena de exclusão do quadro social, terá seu título de
sócio proprietário indenizado pelo clube, no valor de mercado da época, excetuando
(descontando) eventuais dívidas em favor do clube.

§2º - O associado condenado à pena de suspensão, durante a vigência da punição, não


poderá ingressar em qualquer dependência do CCGB, sem prejuízo do pagamento das
taxas de manutenção respectivas.
§3º - A pena de exclusão será aplicada somente nos casos previstos nos Artigos 12, 14,
17, 18 e 19 deste Regimento Interno.

§4º - A pena de Advertência deverá ser escrita e arquivada.

Das Condutas

Art. 5º - Ingressar nas dependências do Clube portando arma branca ou de fogo;


Pena: Suspensão de 180 a 720 dias.

Art. 6º - Condenação pela justiça, passada em julgado, à pena privativa de liberdade


superior a 02 (dois) anos;
Pena: Suspensão do quadro social pelo prazo em dobro ao da condenação.

Art. 7º - Prestar informações ou efetuar quaisquer comunicações falsas, tornando


público de forma comprometedora, assuntos ou fatos relativos à vida reservada do
Clube e de seus associados, dependentes e funcionários;
Pena: Suspensão de 30 a 360 dias, sem prejuízo das providências judiciais
cabíveis.

Art. 8º - Proceder e forma inconveniente nas dependências do Clube;


Pena: Advertência ou suspensão de até 180 dias.

Art. 9º - Recusar-se a exibir a carteira social, ficha de exame médico ou prova de


quitação com o Clube, quando solicitado pelos encarregados da portaria, Diretores,
Conselheiros ou funcionários competentes;
Pena: Suspensão de até 120 dias.

Art. 10 – Desrespeitar, por gestos ou palavras, qualquer sócio, dependente, Conselheiro,


Diretor ou Funcionário do Clube;
Pena: Suspensão de 30 a 360 dias.

Art. 11 – Ofender moralmente as pessoas mencionadas no Artigo anterior;


Pena: Suspensão de 30 a 360 dias.

Art. 12 – Tentar agredir ou agredir as pessoas mencionadas no Artigo 10 desse


Regimento;
Pena: Na tentativa, suspensão de 30 a 360 dias, na agressão, suspensão de 180 a
720 dias ou exclusão.

Art. 13 – Participar como cúmplice na tentativa ou agressão às pessoas mencionadas no


Artigo 10 deste Regimento;
Pena: Na tentativa, suspensão de 30 a 360 dias, na agressão, suspensão de 180 a
720 dias de exclusão.

Art. 14 – Ceder à carteira social para que pessoas estranhas ou não pertencentes ao
quadro social, ingressem indevidamente nas dependências do Clube;
Pena: Suspensão de 60 a 120 dias.
Art. 15 – Adulterar a carteira social, a ficha de exame médico ou prova de quitação com
a sociedade, bem como usar meio ilegal para ter acesso às dependências do Clube ou
que permita nelas permanecer indevidamente;
Pena: Suspensão de 30 a 180 dias, sem prejuízo do procedimento criminal
cabível.

Art. 16 – Prestar informações inverídicas que venham proporcionar sua permanência


indevida em qualquer dependência do Clube;
Pena: Suspensão de 30 a 120 dias.

Art. 17 – Utilizar-se do nome do CCGB, apropriar-se indevidamente de receitas,


móveis, utensílios ou qualquer outro bem ou valor, pertencente à sociedade, ao sócio,
dependente ou funcionário, em proveito próprio ou de terceiros;
Pena: Ressarcimento do prejuízo, suspensão de 30 a 720 dias ou exclusão, sem
prejuízo do procedimento criminal.

Art. 18 – Causar danos materiais ao patrimônio do Clube, de sócio, dependentes ou


funcionários;
Pena: Ressarcimento dos danos, suspensão de 30 a 720 dias ou exclusão.

Art. 19 – Praticar atos atentatórios à ordem pública, aos poderes constituídos, à moral,
aos bons costumes ou à disciplina social, em qualquer dependência do Clube;
Pena: Suspensão de 90 a 120 dias ou exclusão.

Art. 20 – Deixar de comunicar alterações na sua vida civil ou faltar com a verdade;
Pena: Advertência ou suspensão de 30 a 90 dias.

Art. 21 – É expressamente proibido aos sócios e aos seus dependentes o manuseio dos
aparelhos ou máquinas, que deverão ser operados exclusivamente pelos funcionários do
CCGB.

Art. 22 – É expressamente proibido o uso de “óleos Bronzeadores” para os usuários das


piscinas.
Pena: Advertência, e na hipótese de nova incidência, suspensão de 60 a 180 dias.

Das Disposições Gerais

Art. 23 – A cada infração praticada corresponde a sua respectiva penalidade, podendo


ser cumulativa.

Art. 24 – A advertência não exclui a condição de primariedade, salvo quando na


reincidência específica.

Art. 25 – As infrações cometidas por Conselheiros e membros da Diretoria Executiva


serão apuradas e apreciadas pelo Conselho Deliberativo.

Art. 26 – As infrações cometidas pelos sócios e seus dependentes serão apuradas e


apreciadas pela Diretoria Executiva, cabendo, no caso de aplicação de punição, pedido
de reconsideração e recurso ao Conselho Deliberativo, que deliberará na reunião
designada imediatamente subseqüente.

§1º - O recurso ou pedido de reconsideração da decisão punitiva, deverá ser


encaminhado à secretaria do clube, mediante protocolo, no prazo de 5 (cinco) dias após
a ciência formal da decisão pelo sócio punido, sob pena de deserção.

§ 2º - A reunião do Conselho Deliberativo, para deliberação de pedido de


reconsideração ou recurso de punição, será fechada, tendo a participação exclusiva dos
Conselheiros do CCGB, podendo, a juízo do Presidente do Conselho, convidar outros
sócios para assistir e/ou prestar esclarecimentos.

Art. 27 – Na apreciação dos casos serão levadas em consideração, para aplicação da


pena, as circunstâncias atenuadas e agravantes, sendo garantida a ampla defesa.

§1º - São circunstâncias que atenuam a pena:

I – Ter sido s infração cometida em desafronta a grave ofensa moral;


II – Ter o infrator prestado, sem remuneração, relevante serviço ao CCGB e/ou a
sociedade;
III – Ser o infrator menor de 18 (dezoito) anos da data do cometimento da infração;
IV – Ter o infrator confessado infração atribuída a outrem ou de autoria ignorada;
V – Ser o infrator primário;
VI – Não ter o infrator sofrido qualquer punição no período contínuo de 5 (cinco) anos,
imediatamente anterior à data da infração cometida;
VII – O infrator ter reparado os danos.

§ 2º - São circunstâncias que agravam a pena:

I – Ter sido a infração cometida com auxílio de outrem;


II – Ter o infrator provocado ou concorrido para a prática de infração mais grave;
III – Ser o infrator reincidente;
IV – Utilizar-se, o infrator, de qualquer arma ou instrumento;
V – Ter o infrator causado prejuízo financeiro;
VI – Ser a infração cometida contra membros do Conselho Deliberativo, do Conselho
Fiscal, da Diretoria e do quadro de funcionários;
VII – Ser o infrator membro do Conselho Deliberativo, Fiscal e da Diretoria;
VIII – Ter o infrator cometido o fato sob influência de álcool, drogas ou outras
substâncias afins.

Art. 28 – Em todos os casos, à exceção prevista no Artigo 6º deste Regimento, fica


assegurado ao infrator ampla defesa, cabendo à secretaria convocá-lo por escrito no
endereço constante de seu cadastro.

Parágrafo Único – Quando o infrator for menor de 18 (dezoito) anos a convocação será
dirigida ao sócio responsável.

Art. 29 – O não comparecimento do infrator, quando regularmente convocado,


implicará em julgamento a revelia.
§1º - Se assim desejar, poderá o infrator fazer sua defesa por escrito, protocolando o
documento na secretaria do CCGB no prazo de 5 (cinco) dias após o recebimento da
notificação.

§2º - A reunião da Diretoria Executiva, para deliberação do suposto fato infracional e


sua respectiva punição, será fechada, tendo a participação exclusiva dos Diretores
Executivos do CCGB, o defendente e/ou seu procurador, podendo, a juízo do Presidente
Executivo, convidar outros sócios para assistir e/ou prestar esclarecimentos.

§3º - Em respeito ao princípio da ampla defesa e do contraditório, o sócio acusado da


infração e/ou seu procurador poderá apresentar testemunhas, que deverão ser ouvidas
para melhor esclarecimento dos fatos e deslinde do procedimento.

Art. 30 – As infrações cometidas por pessoas estranhas ao quadro social serão


imputadas ao associado que por elas for responsável.

Art. 31 – Todas as decisões proferidas são de anotação obrigatória na ficha social do


infrator, de cujo teor tomará conhecimento por via de comunicação escrita expedida
pela Secretaria, mediante recibo.

§1º - Das decisões cabe pedido de reconsideração à Diretoria, no prazo de 5 (cinco)


dias, contados da data do recebimento da comunicação.

§2º - Mantida a decisão recorrida, cabe a interposição de recurso ao Conselho


Deliberativo, no prazo de 5 (cinco) dias contados da data do recebimento da
comunicação da decisão da Diretoria Executiva.

Art. 32 – Tanto o pedido de reconsideração quanto o recurso, não terão efeito


suspensivo ou indenizatório.

Art. 33 – Na reincidência específica, a pena será aumentada da metade prevista, e


ultrapassando a 720 (setecentos e vinte) dias, o infrator será automaticamente excluído
do quadro social.

Art. 34 – Sempre que julgar necessário aos interesses do CCGB, tendo em vista a
gravidade de infração cometida, a Diretoria Executiva poderá afastar preventivamente
do quadro social, por prazo não superior a 15 (quinze) dias, o associado ou dependente
envolvido em infrações disciplinares, o afastamento preventivo, que implica na
interdição dos direitos, poderá ser efetivado com a apreensão da carteira social, ou,
quando isto não for possível, por meio de comunicação escrita expedida pela Secretaria,
da penalidade que, porventura venha a ser imposta, será descontado o período em que o
infrator esteve afastado preventivamente.

§1º - A improcedência da acusação, reconhecida ao final, não confere ao indiciado


direito a ressarcimento pelo Clube, cabendo à Diretoria, se for o caso, a apuração da
responsabilidade do denunciante.

§2º - O afastamento preventivo não confere ao indiciado o direito de recorrer ao


Conselho Deliberativo dessa decisão tomada pela Diretoria.
Art. 35 – O sócio que não estiver quite com o Clube, perderá o direito de freqüentar
suas dependências, não podendo, outrossim, interpor recursos ou reclamações até que
normalize os pagamentos respectivos.

Art. 36 – Os sócios que não estiverem com seu título quitado, deixando de pagar por 3
(três) meses suas cotas do título (parcelamento), perderão as contribuições já pagas e
demais direitos, podendo o CCGB revender o título.

Art. 37 – Será vedado o uso das dependências do CCGB pelos dependentes ou parentes
de empregado do Clube a menos que sejam convidados de algum sócio efetivo.

Art. 38 – Será permitido que os associados se façam acompanhar de empregada


doméstica, para cuidar de seus filhos menores.

Art. 39 – Não será permitido sob nenhum pretexto animais nas dependências do Clube,
no recinto do restaurante ou bar. Em casos de insistências os responsáveis serão punidos
com advertência escrita.

Art. 40 – Fica a critério da Diretoria, e, quando for o caso, do Conselho Deliberativo, a


imposição de penalidades as infrações não previstas neste Regimento Interno.

Art. 41 – O sócio que queira alguma informação sobre a administração do CCGB, terá
que fazer por escrito, protocolando sua pretensão na secretaria.

§ 1º - Qualquer requerimento ou pretensão do sócio, somente será objeto de apreciação


se estiver com suas obrigações pecuniárias devidamente adimplidas.

§ 2º - A resposta da Diretoria Executiva será efetivada em no máximo 15 (quinze) dias


após a data do protocolo da pretensão.

§3º - A resposta do Conselho Deliberativo, se for o caso, será efetivada no máximo 15


(quinze) dias após a data da primeira reunião subseqüente à data do protocolo da
pretensão.

Art. 42 – Este regimento interno entra em vigor nesta data, ficando revogadas as
disposições em contrário.

São Fidélis/RJ, 01 de Abril de 2008.

Fábio Silva Abreu Jorge Henrique da Silva


Presidente do Conselho Deliberativo Presidente da Diretoria Executiva