Você está na página 1de 108
MANUAL BÁSICO PARA ESTÁGIO Material adaptado de outras fontes Pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello Fontes

MANUAL BÁSICO PARA ESTÁGIO

Material adaptado de outras fontes

Pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

Fontes principais: Técnicas Radiográficas Boisson

Clark's Positioning in Radiography

Merrill Posiciones Radiograficas y Procedimientos Radiologicos

Sumário:

Membros superiores

Estudo radiográfico da mão

Estudo radiográfico dos dedos

03

Estudo radiográfico do punho

06

Estudo radiográfico do antebraço

10

Estudo radiográfico do cotovelo

12

Estudo radiográfico do braço

15

Estudo radiográfico da cintura escápular (ombro)

17

Membros inferiores

28

Estudo radiográfico dos sesamoides

31

Estudo radiográfico do pé

32

Estudo radiográfico do calcâneo

35

Estudo radiográfico da art. Tibio-tarsica

37

Estudo radiográfico da perna

39

Estudo radiográfico do joelho

41

Estudo radiográfico do fêmur

45

Cintura pélvica Estudo radiográfico da cintura pélvica (bacia)

47

Estudo radiográfico da Art. Sacroiliaca Abdome

51

Coluna vertebral Estudo radiográfico da coluna cervical

57

Estudo radiográfico da coluna torácica

63

Estudo radiográfico da coluna lombar

65

Estudo radiográfico da coluna sacra

69

Estudo radiográfico da coluna coccígea

71

Tórax Estudo radiográfico dos campos pleuropulmonares

73

Estudo radiográfico das costelas verdadeiras e falsas

79

Estudo radiográfico das costelas flutuantes

83

Estudo radiográfico do esterno

85

Crânio

Estudo radiográfico do crânio

87

Estudo radiográfico da sela túrcica

93

Estudo radiográfico da Art. Temporomandibular (ATM)

96

Estudo radiográfico da mandíbula

98

Estudo radiográfico dos ossos próprios do nariz (OPN)

100

Estudo radiográfico dos arcos zigomáticos

101

Seios da face Estudo radiográfico dos seios da face

103

Cavum

Estudo radiográfico do cavum

106

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA MÃO

Póstero-anterior (PA)

A região anterior ou palmar deve ficar apoiada sobre o chassi, com os dedos ligeiramente afastados uns dos outros.

Raio central perpendicular, penetrando na terceira articulação metacarpo falangiana.

penetrando na terceira articulação metacarpo falangiana. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

3

Oblíqua Anterior Interna (OAI)

Região anterior interna da mão mais próxima do filme.

A partir desta posição, girar medialmente com os dedos estendidos (esticados), sem ocorrer superposição entre eles.

Obliquidade mão-chassi de 45°.

Raio central perpendicular, penetrando na terceira articulação metacarpo falangiana.

penetrando na terceira articulação metacarpo falangiana. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

4

IDADE ÓSSEA MÃOS E PUNHOS

Para aferição da idade óssea, é de extrema importância a inclusão no filme de todos os componentes ósseos da mão, e mais as zonas metafisárias e epifisárias do rádio e da ulna.

Raio central perpendicular, penetrando no meio do espaço entre as terceiras articulações metacarpo falangianas de cada mão.

terceiras articulações metacarpo falangianas de cada mão. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

5

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO PUNHO

Póstero-anterior (PA)

Região anterior do punho mais próxima do filme. Mão em concha.

Raio central perpendicular penetrando um cm abaixo do processo estiloide da ulna, centralizado no ponto médio do punho.

estiloide da ulna, centralizado no ponto médio do punho. Imagem: Clark's Positioning in Radiography e Boisson

Imagem: Clark's Positioning in Radiography e Boisson Técnica Radiológica Médica

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

6

Perfil Interno (P. int.)

Regiões mediais da mão, do punho e do antebraço apoiadas sobre o chassi e a mesa.

Para a obtenção de um perfil rigoroso do punho, o braço e o antebraço devem fazer um ângulo de 90º.

Raio central perpendicular, penetrando no nível do processo estiloide do rádio, de maneira que passe um cm abaixo do processo estiloide da ulna.

que passe um cm abaixo do processo estiloide da ulna. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

7

PA com Desvio Ulnar

Região anterior do punho alinhada com a mão, apoiada sobre o chassi e a mesa.

A mão deve sofrer um desvio externo, de maneira que o polegar fique em linha com o rádio.

Raio central perpendicular, penetrando 01 cm abaixo do processo estiloide do rádio, no centro do punho.

abaixo do processo estiloide do rádio, no centro do punho. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

8

TÚNEL DO CARPO

Incidência de Gaynor-Hart

Região anterior do punho apoiada sobre o chassi.

A partir desse posicionamento, hiperestender a mão e o punho e girar levemente no sentido medial.

Raio central com uma inclinação em direção ao túnel do carpo.

com uma inclinação em direção ao túnel do carpo. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

9

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO ANTEBRAÇO

Ântero-posterior (AP)

Região posterior do antebraço apoiada no chassi.

Raio central perpendicular penetrando no meio do espaço entre as articulações do cotovelo e do punho.

do espaço entre as articulações do cotovelo e do punho. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

10

Perfil Interno (P. int.)

Regiões internas do braço, cotovelo, antebraço e punho apoiada no chassi.

Para a obtenção de um Perfil rigoroso, deve ser mantido um ângulo de 90º entre o braço e o antebraço, com a mão também posicionada como em Perfil interno.

Raio central perpendicular, penetrando no meio do espaço entre as articulações do cotovelo e do punho.

do espaço entre as articulações do cotovelo e do punho. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

11

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO COTOVELO

Ântero-posterior com Extensão (AP c/ ext.)

Regiões posteriores do braço, cotovelo e antebraço apoiadas sobre o chassi.

Raio central perpendicular, penetrando no ponto médio da prega do cotovelo.

penetrando no ponto médio da prega do cotovelo. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

12

Ântero-posterior com Flexão (AP c/ Flex.)

Região posterior do cotovelo apoiada sobre o chassi. Raio central perpendicular, penetrando no ponto médio da prega do cotovelo.

penetrando no ponto médio da prega do cotovelo. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

13

Perfil Interno (P. int.) (Incidência de Rotina)

Regiões internas do braço, cotovelo e antebraço apoiadas sobre o chassi.

Raio central perpendicular, penetrando no epicôndilo lateral do úmero.

perpendicular, penetrando no epicôndilo lateral do úmero. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

14

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO BRAÇO

Ântero-posterior (AP)

Região posterior do braço, apoiada sobre a mesa ou o chassi.

Paciente em decúbito dorsal, sentado ou em posição ortostática.

Raio central perpendicular, penetrando no meio do espaço entre a articulação escapulo umeral e o cotovelo.

espaço entre a articulação escapulo umeral e o cotovelo. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

15

Perfil Interno

Região interna ou medial do braço, mais próxima do filme.

O exame pode ser feito com o paciente em decúbito dorsal, sentado ou em posição ortostática.

A região palmar deve ficar em contato com a mesa (pronação).

Raio central perpendicular, penetrando no meio do espaço entre as articulações proximal e distal do braço.

espaço entre as articulações proximal e distal do braço. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

16

ESTUDO RADIOLÓGICO DA CINTURA ESCAPULAR ESTUDO RADIOGRÁFICO NOS TRAUMATISMOS

Ântero-posterior (AP) “sem Rotação”

Região posterior do ombro, mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática, sentado ou em decúbito dorsal.

Não forçar qualquer posição específica do braço

Raio central perpendicular, penetrando no processo coracóide da escápula.

penetrando no processo coracóide da escápula. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

17

Oblíqua Posterior (Incidência de Grashey).

Região posterior direita ou esquerda mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática, sentado ou em hemidecúbito lateral.

Obliquidade paciente-mesa de 35°. O braço do lado a ser examinado deve estar com ligeira supinação e abdução.

Raio central penetrando no processo coracóide da escápula.

central penetrando no processo coracóide da escápula. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila
central penetrando no processo coracóide da escápula. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

18

Incidência de Neer

Região anterior do braço mais próxima do filme.

Paciente em ortostática com o tronco em oblíqua anterior direita para o ombro direito e oblíqua anterior esquerda para o ombro esquerdo.

Obliquidade paciente-bucky vertical entre 45° e 60°.

Raio central com uma angulação podálica de aproximadamente 15°, penetrando na região superior do ombro, passando no contorno superior da cabeça do úmero.

ombro, passando no contorno superior da cabeça do úmero. Imagem: Clark's positioning in Radiography e

Imagem: Clark's positioning in Radiography e Merrill’s Atlas of Radiographic Positioning and Procedures

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

19

ESTUDO RADIOGRÁFICO NAS LESÕES INFLAMATÓRIAS (BURSITES)

Ântero-posterior “com Rotação Externa”

Região posterior do ombro mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática, sentado ou em decúbito dorsal.

O membro superior deve sofrer uma rotação externa, de maneira que a região palmar fique voltada para frente em supinação com o paciente em ortostática.

Raio central perpendicular, penetrando no processo coracóide da escápula.

penetrando no processo coracóide da escápula. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

20

Ântero-posterior “com Rotação Interna”

Região posterior do ombro mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática, sentado ou em decúbito dorsal.

O membro superior deve sofrer uma rotação interna, de maneira que a região palmar fique voltada para trás quando o paciente em ortostática.

Raio central perpendicular, penetrando no processo coracóide da escápula.

penetrando no processo coracóide da escápula. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

21

Axial do Ombro “Súpero-inferior”

O chassi deve ficar o mais próximo possível da região axilar, colocado entre a

região medial superior do braço e região lateral superior do tórax.

O

paciente deve sentar ao lado de uma das extremidades da mesa.

O

braço deve ser abduzido e apoiado sobre a mesa. O cotovelo, o antebraço e a

região palmar também devem estar apoiados sobre a mesa.

Raio central perpendicular penetrando no acrômio e saindo no meio do chassi.

penetrando no acrômio e saindo no meio do chassi. Imagem: Merrill’s Atlas of Radiographic Positioning and

Imagem: Merrill’s Atlas of Radiographic Positioning and Procedures

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

22

Axial do Ombro “Ínfero-superior” (Incidência de Lawrence)

Chassi apoiado na região superior do ombro, com o acrômio coincidindo com o seu ponto central.

O paciente deve estar em ortostática ou em decúbito dorsal, com o braço abduzido em 90° e a região palmar voltada para cima (supinação).

Raio central com uma inclinação tal que penetre na região axilar e saia no acrômio, perpendicular ao chassi.

região axilar e saia no acrômio, perpendicular ao chassi. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

23

INCIDÊNCIAS ESPECIAIS MAIS USADAS

Incidência de Rockwood

Região posterior do ombro mais próxima do filme, sem correções.

Esta incidência é utilizada na avaliação do esporão ântero-inferior do acrômio na síndrome do impacto.

Raio central com angulação de 30° caudal incidindo no processo coracóide.

angulação de 30° caudal incidindo no processo coracóide. Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo
angulação de 30° caudal incidindo no processo coracóide. Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

24

Incidência de Zanca

Região posterior do ombro mais próxima do filme, sem correções.

Esta incidência é utilizada na avaliação específica da articulação acrômio- clavicular.

Raio central com angulação de 20° cefálicos no processo coracóide.

com angulação de 20° cefálicos no processo coracóide. Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

25

Incidência de West Point

Chassi apoiado na região superior do ombro, com o acrômio coincidindo com o seu ponto central.

O paciente deve estar em decúbito dorsal, com o braço abduzido em 90° e com o antebraço suspenso.

Raio central com uma inclinação dupla, 25° cefálicos e 25° da linha central da mesa.

dupla, 25° cefálicos e 25° da linha central da mesa. Imagem: Merrill’ s Atlas of Radiographic

Imagem:

Merrill’s Atlas of Radiographic Positioning and Procedures

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

26

Incidência Transtorácica

Região externa do braço a ser examinado mais próximo do filme.

A incidência transtorácica permite a obtenção de um perfil rigoroso do úmero.

O paciente deve aproximar a região lateral do lado a ser examinado na estativa vertical, o outro braço deve ficar erguido ao máximo.

Raio central perpendicular ou com inclinação cefálica de 5°, penetrando na linha axilar média, saindo ao nível do colo cirúrgico do úmero.

média, saindo ao nível do colo cirúrgico do úmero. Imagem: Bontrager Tratado de Radiologia Médica 7ª

Imagem: Bontrager Tratado de Radiologia Médica 7ª edição

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

27

ESTUDO RADIOLÓGICO DOS DEDOS DO PÉ

Também chamados de pododáctilos, os dedos do pé apresentam a anatomia das falanges idêntica à das falanges da mão.

Ântero-posterior (AP)

Face plantar do artelho mais próximo do filme. Estender os dedos ao máximo, para conseguir visibilizar os espaços articulares.

Raio central perpendicular penetrando no meio do espaço entre a tuberosidade da falange distal e a base da primeira falange.

tuberosidade da falange distal e a base da primeira falange. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

28

Oblíqua Posterior Interna (OPI)

Região posterior interna do dedo mais próxima do filme. Para evitar superposição de falanges, devem ser utilizadas bolas de algodão ou isopor entre os dedos próximos ao que vai ser radiografado.

Obliquidade dedo-filme de 45°.

Raio central perpendicular ao maior eixo do dedo a ser examinado, penetrando no meio do espaço entre a tuberosidade da falange distal e a base da primeira falange.

tuberosidade da falange distal e a base da primeira falange. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

29

Perfil Interno (P. int.) e Perfil Externo (P. ext.)

Região interna ou externa do dedo mais próximas do filme.

Normalmente é utilizada a incidência em Perfil interno para o primeiro, segundo e terceiro dedos, e o Perfil externo para o quarto e quinto dedos, com a finalidade de aproximar o dedo do filme obtendo-se melhor definição da imagem.

Raio central perpendicular, penetrando no meio do espaço entre a tuberosidade ungueal e a base da primeira falange.

entre a tuberosidade ungueal e a base da primeira falange. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

30

ESTUDO RADIOGRÁFICO DOS SESAMÓIDES

Axial

Região da tuberosidade posterior do calcâneo apoiada no chassi.

Paciente sentado, estendendo os dois primeiros dedos ao máximo.

Raio central penetra perpendicularmente, percorrendo o maior eixo dos sesamóides, para isso a região plantar deve fazer um ângulo de aproximadamente 60° com a mesa.

deve fazer um ângulo de aproximadamente 60° com a mesa. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

com a mesa. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

31

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO PÉ

Dorso plantar (AP) (Incidência de Rotina)

Região plantar em contato com o chassi. Estender os dedos do pé para evitar superposição de falanges.

Paciente em ortostática sentado ou em decúbito dorsal.

O raio central deve penetrar perpendicular ao maior eixo do pé, normalmente uma inclinação entre 10° e 15°, incidindo na terceira articulação metatarso tarsiana.

incidindo na terceira articulação metatarso tarsiana. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

32

Oblíqua Posterior Interna (OPI) (Incidência de Rotina)

Região posterior ou plantar interna mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática, sentado ou também deitado.

Obliquidade pé-filme de 45°.

Raio central perpendicular ao maior eixo do pé, penetrando na quarta articulação metatarso tarsiana.

pé, penetrando na quarta articulação metatarso tarsiana. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

33

Perfil Externo (P. ext.)

Região externa ou lateral do pé mais próxima do filme.

Paciente sentado, apoiando a região externa da perna sobre a mesa.

O pé deve fazer um ângulo de 90° com a perna.

Raio central perpendicular, penetrando no meio do espaço entre a tuberosidade da falange distal do maior dedo e a tuberosidade posterior do calcâneo.

do maior dedo e a tuberosidade posterior do calcâneo. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

34

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO CALCÂNEO

Perfil Externo (P. ext.) (Incidência de Rotina)

Região externa ou lateral do pé mais próxima do filme.

Paciente sentado, com o joelho fletido, apoiando a região externa da perna sobre a mesa. O pé deve fazer um ângulo de 90° com a perna.

Raio central perpendicular, penetrando no corpo do calcâneo.

central perpendicular, penetrando no corpo do calcâneo. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

35

Axial (Incidência de Rotina)

Regiões posteriores da perna e da tuberosidade posterior do calcâneo mai próxima do filme.

Paciente sentado ou em decúbito dorsal tracionando o pé em sua direção com uma faixa, toalha ou fita adesiva.

Raio central com uma inclinação média de 30° cefálicos, penetrando na região plantar posterior, aproximadamente 05 cm acima do plano do chassi.

posterior, aproximadamente 05 cm acima do plano do chassi. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

36

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO TORNOZELO

Ântero-posterior (AP) (Incidência de Rotina)

Regiões posteriores da perna e do calcâneo, mais próximas do filme.

O pé deve fazer um ângulo de 90° com a perna, que deverá estar em linha com o terceiro dedo.

Raio central perpendicular, penetrando 1 cm para cima do maléolo medial.

perpendicular, penetrando 1 cm para cima do maléolo medial. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

37

Perfil Externo (P. ext.) (Incidência de Rotina)

Região externa ou lateral da articulação do tornozelo mais próxima do filme.

Paciente sentado com o joelho fletido apoiando a região externa da perna e do maléolo lateral ou fibular sobre a mesa no chassi.

O pé deve fazer um ângulo de 90° com a perna.

Raio central perpendicular, penetrando 01 cm acima do maléolo tibial, no meio da articulação.

01 cm acima do maléolo tibial, no meio da articulação. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

38

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA PERNA

Ântero-posterior (AP) (Incidência de Rotina)

Região posterior da perna mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal, com o pé em ângulo reto com a perna.

Raio central perpendicular penetrando no meio do espaço entre as articulações.

penetrando no meio do espaço entre as articulações. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

39

Perfil Externo (P. ext.) (Incidência de Rotina)

Região externa ou lateral da perna mais próxima do filme.

Paciente em hemidecúbito lateral ou sentado, colocando a outra perna na frente. A região externa do pé em ângulo reto com a perna em contato com a mesa.

Raio central perpendicular, penetrando no centro da região a ser examinada.

penetrando no centro da região a ser examinada. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

40

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO JOELHO

Ântero-posterior (AP) (Incidência de Rotina)

Regiões posteriores das coxas, dos joelhos e das pernas mais próximas do filme.

Paciente em decúbito dorsal, sentado ou em posição ortostática.

Raio central perpendicular penetrando ao nível do vértice da patela.

perpendicular penetrando ao nível do vértice da patela. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

41

Perfil Externo (P. ext.) (Incidência de Rotina)

Região externa ou lateral do joelho mais próxima do filme.

Paciente em hemidecúbito lateral ou sentado, colocando a outra perna na frente da que vai ser examinada.

Raio central perpendicular penetrando no meio do espaço entre o vértice da patela e a prega posterior do joelho.

entre o vértice da patela e a prega posterior do joelho. Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

42

Axial de Patela

Região anterior da coxa e proximal do joelho mais próximas do filme.

Paciente em decúbito ventral, fletindo as pernas sobre as coxas.

Raio central penetrando no nível do vértice da patela percorrendo o espaço articular paralelo ao seu maior eixo.

percorrendo o espaço articular paralelo ao seu maior eixo. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

43

EXAME RADIOLÓGICO DO TUNEL DO JOELHO

Póstero-anterior (PA) com Inclinação Cefálica

Paciente ajoelhado com a face anterior da perna apoiada na mesa e a coxa elevada.

Ângulo coxa-perna entre 130° e 140°.

Raio central perpendicular, com inclinação cefálica de aproximadamente 40°.

com inclinação cefálica de aproximadamente 40°. Imagem: Clark's Positioning in Radiography e Boisson

Imagem: Clark's Positioning in Radiography e Boisson Radiologia Médica

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

44

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO FÊMUR

Ântero-posterior (AP)

Regiões posteriores mediais e distais da coxa mais próximas do filme.

Paciente em decúbito dorsal ou sentado, fazendo uma ligeira rotação interna da coxa a ser examinada.

Raio central perpendicular, penetrando no meio dos segmentos da coxa a ser examinada.

penetrando no meio dos segmentos da coxa a ser examinada. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

45

Perfil Externo (P. ext.)

Região externa ou lateral da coxa, com o seu terço médio e distal mais próximo do filme.

O maior eixo longitudinal mediano da coxa deve coincidir com a linha central da mesa.

Raio central perpendicular, penetrando no meio dos segmentos da coxa a serem examinados.

penetrando no meio dos segmentos da coxa a serem examinados. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

46

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA CINTURA PÉLVICA

AP Comparativa com Rotação Interna e com Rotação Externa

Regiões posteriores de ambas as articulações mais próximas do filme.

Paciente em decúbito dorsal, girando os pés junto com os membros inferiores para dentro, e outra radiografia, com os pés para fora.

Raio central perpendicular, penetrando no meio das duas articulações.

perpendicular, penetrando no meio das duas articulações. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

47

AP Localizada com Rotação Interna e com Rotação Externa

No mesmo posicionamento da incidência AP comparativa, a região da articulação a ser examinada deve coincidir com a linha central da mesa.

Raio central perpendicular, penetrando no nível da articulação a ser examinada.

penetrando no nível da articulação a ser examinada. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

48

Oblíqua Posterior Direita (OPD) e Oblíqua Posterior Esquerda (OPE)

Regiões posteriores direitas e esquerdas da bacia, respectivamente, mais próximas do filme.

Obliquidade paciente-mesa de 30° a 45°.

Raio

central

examinada.

perpendicular,

penetrando

na

articulação

do

quadril

a

ser

perpendicular, penetrando na articulação do quadril a ser Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

49

Incidência de Cleaves (Posição de Rã)

Regiões posteriores das articulações coxofemorais mais próximas do filme.

Paciente em decúbito dorsal ou sentado, fletindo as coxas e as pernas com os pés apoiados na mesa.

Radiografia afastando os dois joelhos do plano mediano sagital de 60°.

Raio

central

coxofemorais.

perpendicular,

penetrando

no

meio

das

duas

articulações

perpendicular, penetrando no meio das duas articulações Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

50

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA ARTICULAÇÃO SACROILÍACA

Ântero-posterior (AP) (Incidência de Ferguson)

Região posterior da articulação mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal ou em posição ortostática, com o seu plano mediano sagital coincidindo com a linha central da mesa.

Raio central com uma inclinação entre 20° e 25° cefálicos, passando pela borda superior da sínfise pubiana.

passando pela borda superior da sínfise pubiana. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

51

Oblíqua Posterior Direita (OPD) com Angulação Cefálica

Região posterior direita da articulação mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal ou em posição ortostática, colocando o corpo em posição oblíqua.

Obliquidade paciente-mesa de 30°. O lado que está levantado é o que será radiografado.

Raio central com angulação cefálica entre 20° e 25°, penetrando 03 cm para dentro da espinha ilíaca anterossuperior mais afastada da mesa.

da espinha ilíaca anterossuperior mais afastada da mesa. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

52

ESTUDO RADIOLÓGICO DO ABDOME

Ântero-posterior (AP) Abdome Simples (Incidência de Rotina)

Região posterior do abdome mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal, com o seu plano mediano sagital coincidindo com a linha central da mesa.

Raio central perpendicular, penetrando no meio do espaço entre a sínfise pubiana e o apêndice xifoide, habitualmente coincidindo com o ponto médio entre as cristas ilíacas.

coincidindo com o ponto médio entre as cristas ilíacas. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

53

Ântero-posterior (AP) com o Paciente em Ortostática

Região posterior do abdome do paciente mais próxima do filme.

Paciente em ortostática, com o seu plano mediano sagital coincidindo com a linha central do bucky vertical.

Raio central perpendicular, penetrando no meio do espaço entre as duas cristas ilíacas.

no meio do espaço entre as duas cristas ilíacas. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

54

Perfil Direito (P. dir.) e Perfil Esquerdo (P. esq.) Paciente em Decúbito Dorsal e o RC Horizontal

Na mesa de exames com o RC horizontal penetrando no chassi com grade em posição vertical, este deve ser firmado pelo membro superior do paciente.

Raio central horizontal ao plano da mesa de exames ou da maca, penetrando no nível da caixa ilíaca.

de exames ou da maca, penetrando no nível da caixa ilíaca. Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

55

Ântero-posterior (AP) e Póstero-anterior (PA) Paciente em Decúbito Lateral e o RC Horizontal

Região posterior do abdome (AP) e anterior (PA) mais próximas do filme.

Paciente em decúbito lateral direito ou esquerdo, podendo estar deitado em uma maca para aproximar as regiões posterior ou anterior do abdome do bucky vertical.

Raio central horizontal ao plano da mesa, penetrando perpendicular no meio do espaço entre o púbis e o apêndice xifoide.

no meio do espaço entre o púbis e o apêndice xifoide. Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

56

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA COLUNA CERVICAL

Ântero-posterior (AP) (Incidência de Rotina)

Região posterior do pescoço mais próxima do filme.

O paciente em posição ortostática ou sentado.

A borda superior do chassi deve coincidir com a região mais alta do pavilhão auricular.

Raio central com inclinação cefálica de 12.

auricular. Raio central com inclinação cefálica de 12. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

57

Perfil Normal (Incidência de Rotina)

Região lateral direita ou esquerda do pescoço mais próxima do filme, devendo- se, por convenção, quando não houver indicação específica, realizar a incidência em Perfil esquerdo.

Paciente em posição ortostática, sentado ou, em última hipótese, em decúbito lateral.

Raio central perpendicular, penetrando no nível da quarta vértebra cervical.

penetrando no nível da quarta vértebra cervical. Imagem: Clark's Positioning in Radiography e Internet

Imagem: Clark's Positioning in Radiography e Internet

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

58

TRANSORAL (Incidência de Rotina)

Regiões posteriores da cabeça e do pescoço mais próximas do filme.

Paciente em decúbito dorsal, sentado ou em posição ortostática, abrindo a boca ao máximo.

Raio central perpendicular, penetrando de maneira que tangencie os dentes incisivos superiores.

de maneira que tangencie os dentes incisivos superiores. Imagem: Clark's Positioning in Radiography e Internet

Imagem: Clark's Positioning in Radiography e Internet

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

59

Oblíqua Posterior Direita (OPD) e Oblíqua Posterior Esquerda (OPE)

Paciente em posição ortostática, sentado ou, em última hipótese, em decúbito dorsal.

Obliquidade paciente-mesa de 45°.

Raio central com inclinação cefálica de 10°, penetrando no nível da quarta vértebra cervical.

de 10°, penetrando no nível da quarta vértebra cervical. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

60

Perfil com Flexão

Região lateral direita ou esquerda do pescoço mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática, sentado ou, em última hipótese, em decúbito lateral.

O paciente deve fletir ao máximo a cabeça, até que olhe em direção dos pés.

Raio central perpendicular, penetrando ao nível de C4.

Raio central perpendicular, penetrando ao nível de C4. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

61

Perfil com Extensão

Região lateral direita ou esquerda do pescoço mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática, sentado ou, em última hipótese, em decúbito lateral.

O paciente deve estender ao máximo a cabeça, até que olhe em direção ao teto.

Raio central perpendicular, penetrando ao nível de C4.

Raio central perpendicular, penetrando ao nível de C4. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

62

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA COLUNA TORÁCICA

Ântero-posterior (AP) (Incidência de Rotina)

Região posterior do tórax mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática, sentado ou, em última hipótese, em decúbito dorsal.

Raio central perpendicular, penetrando no meio do espaço entre a fúrcula esternal e o apêndice xifoide.

do espaço entre a fúrcula esternal e o apêndice xifoide. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

63

Perfil Esquerdo (Inc. de Rotina) Perfil Direito

Região lateral direita ou esquerda do tórax mais próximas do filme.

Paciente em posição ortostática, sentado ou em decúbito lateral.

Raio central perpendicular penetrando no nível da sexta vértebra torácica.

penetrando no nível da sexta vértebra torácica. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

64

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA COLUNA LOMBAR

Ântero-posterior (AP) (Incidência de Rotina)

Região lombar mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal, flexionando as pernas até as regiões plantares ficarem em contato com a mesa.

Raio central perpendicular, penetrando no ponto médio entre a borda inferior da cartilagem costal e a crista ilíaca ao nível de L3.

da cartilagem costal e a crista ilíaca ao nível de L3. Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

65

Perfil Normal Direito e Perfil Normal Esquerdo (Incidência de Rotina)

Regiões laterais, direita ou esquerda, do abdome mais próximo do filme.

Raio central perpendicular, penetrando no espaço que coincide com a terceira vértebra lombar, ao nível da crista ilíaca na altura de L3.

lombar, ao nível da crista ilíaca na altura de L3. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

66

Oblíqua Posterior Direita (OPD) e Oblíqua Posterior Esquerda (OPE)

Região posterior direita ou esquerda do abdome mais próximas do filme.

Paciente em hemidecúbito dorsal ou em posição ortostática.

Obliquidade paciente-filme 45°.

Raio central perpendicular penetrando no nível de L3.

Raio central perpendicular penetrando no nível de L3. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

67

PERFIL LOCALIZADO DE L5-S1

Região lateral direita ou esquerda da articulação lombo sacra mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática ou em decúbito lateral.

Raio central perpendicular penetrando 3 a 4 cm abaixo do ponto mais alto da crista ilíaca.

3 a 4 cm abaixo do ponto mais alto da crista ilíaca. Imagem: Clark's Positioning in

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

68

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA COLUNA SACRA

Ântero-posterior (AP) Incidência de Ferguson

Região posterior da coluna sacra mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal.

Raio central com uma inclinação cefálica entre 15° e 25°, penetrando de maneira que tangencie a sínfise pubiana.

penetrando de maneira que tangencie a sínfise pubiana. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

69

Perfil Esquerdo Normal

Região lateral direita ou esquerda da bacia mais próxima do filme.

Paciente em decúbito lateral ou em posição ortostática.

Raio central perpendicular, penetrando a aproximadamente 5 cm em sentido distal à crista ilíaca.

a aproximadamente 5 cm em sentido distal à crista ilíaca. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

70

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA COLUNA COCCÍGEA

Perfil Esquerdo (P. esq.)

Região lateral esquerda da bacia mais próximas do filme.

Paciente em decúbito lateral ou em posição ortostática.

Raio central perpendicular, penetrando na região ilíaca para passar no meio do cóccix.

na região ilíaca para passar no meio do cóccix. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

71

Ântero-posterior (AP)

Região posterior do cóccix mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal ou em posição ortostática.

Raio central com uma inclinação podálica de 5° a 15°, penetrando no meio do espaço entre as duas espinhas ilíacas anterossuperiores e a sínfise pubiana.

espinhas ilíacas anterossuperiores e a sínfise pubiana. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

72

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO TÓRAX CAMPOS PLEUROPULMONARES

Póstero-anterior (PA)

Região anterior do tórax mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática ou sentada.

A radiografia deve ser realizada em apnéia inspiratória.

Raio central perpendicular, penetrando na linha das axilas.

Raio central perpendicular, penetrando na linha das axilas. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

73

Ântero-posterior (AP)

Região posterior do tórax mais próxima do filme.

Paciente em ortostática, sentado ou em decúbito dorsal.

Raio central perpendicular, penetrando no meio do espaço entre os mamilos, em homens, ou 05 cm acima do apêndice xifoide, em mulheres.

em homens, ou 05 cm acima do apêndice xifoide, em mulheres. Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

74

Perfil Direito (P. dir.) e Perfil Esquerdo (P. esq.)

Região lateral direita ou esquerda do tórax mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática ou sentado.

Raio central perpendicular, penetrando na linha axilar média.

central perpendicular, penetrando na linha axilar média. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

75

Incidência de Hjelm-Laurell (Derrame Pleural)

Regiões anterior ou posterior do tórax mais próximas do filme.

Paciente em decúbito lateral rigoroso, deitado em uma maca com dois anteparos, um sob o ombro e outro sob o quadril, com intenção de elevar o lado que vai ser radiografado.

Raio central horizontal ao plano da mesa de exames ou maca, penetrando no meio do espaço entre os ângulos distais das escápulas.

no meio do espaço entre os ângulos distais das escápulas. Imagem: Merrill Atlas de Posicionamento Radiológico

Imagem: Merrill Atlas de Posicionamento Radiológico

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

76

Incidência Ápico-lordótica Clássica com RC Horizontal

Regiões posterior e superior do tórax mais próximas do filme.

Paciente em posição ortostática ou sentado.

Com o paciente em ortostática, manter a região posterior e superior do tórax apoiada no Bucky vertical, e a seguir com dois passos para a frente, para que o tórax se mantenha inclinado.

Raio central perpendicular ao filme, penetrando no ângulo esternal, ângulo de Louis.

ao filme, penetrando no ângulo esternal, ângulo de Louis. Imagem: Merrill Atlas de Posicionamento Radiográfico

Imagem: Merrill Atlas de Posicionamento Radiográfico

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

77

Incidência Ápico-lordótica com RC com Inclinação Cefálica

Região posterior do tórax mais próxima do filme.

Paciente sentado ou em posição ortostática.

A radiografia deve ser feita em apnéia inspiratória.

Raio central com uma inclinação cefálica de 25°, penetrando no ângulo esternal, “Ângulo de Louis”.

penetrando no ângulo esternal, “Ângulo de Louis”. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

78

ESTUDO RADIOGRÁFICO DAS COSTELAS VERDADEIRAS E FALSAS

Póstero-anterior (PA)

Região anterior do tórax mais próxima do filme. Paciente em posição ortostática, decúbito ou sentado.

O paciente deve colocar as mãos na cintura e aproximar simetricamente os ombros da estativa, com a finalidade de afastar as escápulas.

A incidência deve ser realizada em apnéia inspiratória.

Raio central perpendicular, penetrando no meio do espaço entre os ângulos distais das escápulas.

no meio do espaço entre os ângulos distais das escápulas. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

79

Ântero-posterior (AP)

Região posterior do tórax mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática, sentado ou em decúbito dorsal.

O paciente deve colocar as mãos na cintura e afastar simetricamente os ombros da estativa com a finalidade de retirar as escápulas da superposição com os arcos costais.

A incidência deve ser feita em apnéia inspiratória.

Raio central perpendicular, penetrando entre o manúbrio e o corpo do esterno.

penetrando entre o manúbrio e o corpo do esterno. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

80

Oblíqua Anterior Direita (OAD) e Oblíqua Anterior Esquerda (OAE)

Região anterior direita e esquerda do tórax mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática ou sentado. Obliquidade paciente-mesa de 45°.

Na oblíqua anterior direita são estudados os arcos costais esquerdos e na oblíqua anterior esquerda são examinados os arcos direitos.

Raio central perpendicular, penetrando no nível da quarta vértebra torácica.

penetrando no nível da quarta vértebra torácica. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

81

Oblíqua Posterior Direita (OPD) e Oblíqua Posterior Esquerda (OPE)

Região posterior direita e esquerda do tórax mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática ou sentado. Obliquidade paciente-mesa de 45°.

Na OPD é estudado o lado direito, e na OPE são radiografados os arcos costais esquerdos.

Raio central perpendicular, penetrando no nível do ângulo esternal.

perpendicular, penetrando no nível do ângulo esternal. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

82

ESTUDO RADIOGRÁFICO DAS COSTELAS FLUTUANTES

Ântero-posterior (AP)

Região posterior toracolombar mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal. Usar Técnica de Abdome.

No momento da exposição o paciente deve estar em apnéia expiratória.

Raio central perpendicular, penetrando no apêndice xifoide.

central perpendicular, penetrando no apêndice xifoide. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

83

Oblíqua Posterior Direita (OPD) e Oblíqua Posterior Esquerda (OPE)

Regiões toracolombares posteriores direita e esquerda mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal, posicionado com uma obliquidade entre 15° e 20°.

A radiografia deve ser obtida em apnéia expiratória Usar Técnica de Abdome.

A Oblíqua Posterior Direita estuda as costelas flutuantes direitas, e a OPE, as flutuantes esquerdas. Raio central perpendicular, no nível do apêndice xifoide.

Raio central perpendicular, no nível do apêndice xifoide. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

84

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO OSSO ESTERNO

Perfil Direito e Perfil Esquerdo (P. dir. e P. esq.)

Região lateral direita ou esquerda do tórax mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática, sentado ou em decúbito lateral com os braços voltados para trás e o tórax em lordose forçada.

Raio central perpendicular ao filme, penetrando no meio do espaço entre o manúbrio e o apêndice xifoide.

no meio do espaço entre o manúbrio e o apêndice xifoide. Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

85

Oblíqua Anterior Direita (OAD) e Oblíqua Anterior Esquerda (OAE)

Região anterior direita ou esquerda do tórax mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática, em hemidecúbito lateral ou sentado.

Obliquidade paciente-mesa entre 15° a 30°.

Raio central perpendicular, penetrando no nível da sexta vértebra torácica.

penetrando no nível da sexta vértebra torácica. Imagem: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagem: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

86

ESTUDO RADIOLÓGICO DO CRÂNIO

ESTUDO RADIOLÓGICO DO CRÂNIO Imagem: Bontrager Tratado de Radiologia Médica 7ª edição Apostila adaptada de outras

Imagem: Bontrager Tratado de Radiologia Médica 7ª edição

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

87

Póstero-Anterior PA (Incidência de Caldwell)

Região da face mais próxima do filme.

Paciente em decúbito ventral, sentado ou em posição ortostática.

Regiões frontal e nasal sobre a linha central da mesa, com os braços em uma posição que permita melhor apoio.

O raio central deve penetrar paralelo à LOM (linha horizontal alemã segundo Boisson), saindo no násio.

(linha horizontal alemã segundo Boisson), saindo no násio. Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill

Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

88

Ântero-Posterior (AP)

Região posterior da cabeça mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal, sentado ou em posição ortostática.

Raio central penetrando paralelo à linha orbito meatal (LOM), com uma média de 12° podálicos no násio, ou perpendicular quando se consegue manter a LHA vertical em relação ao plano da mesa.

manter a LHA vertical em relação ao plano da mesa. Imagens: Clark's Positioning in Radiography e

Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill Atlas de Posições Radiográficas.

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

89

Perfil direito (P. dir.) ou Perfil esquerdo (P. esq.)

Região lateral direita ou esquerda mais próxima do filme.

Paciente em hemidecúbito ventral, sentado ou em posição ortostática.

Quando em hemidecúbito ventral, colocar o corpo em posição oblíqua, apoiado sobre o antebraço, com o joelho fletido do lado elevado.

A cabeça deverá estar algo estendida, para melhor enquadrá-la no espaço do filme 24 × 30 cm.

Raio central perpendicular, penetrando no nível da sela turca.

central perpendicular, penetrando no nível da sela turca. Imagens Merrill Atlas de Posições Radiográficas.
central perpendicular, penetrando no nível da sela turca. Imagens Merrill Atlas de Posições Radiográficas.

Imagens Merrill Atlas de Posições Radiográficas.

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

90

Semi-Axial Ântero-Posterior (Incidência de Towne)

Região posterior da cabeça mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal, sentado ou em posição ortostática.

O paciente deve aproximar o máximo possível o queixo da fúrcula esternal com a intenção de reduzir a angulação raio central, que deve ser de 35° em relação à LOM.

O raio central penetra na região frontal, passa pelos condutos auditivos.

penetra na região frontal, passa pelos condutos auditivos. Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill

Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill Atlas de Posições Radiográficas.

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

91

Incidência de Hirtz Submentovértice

Região superior da cabeça mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal, sentado ou em posição ortostática.

Raio central penetrando perpendicular, passando no meio da LOM quando estiver paralela ao plano da mesa. Em caso contrário, inclina-se o raio central cefalicamente até que penetre perpendicular à LOM.

central cefalicamente até que penetre perpendicular à LOM. Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas.

Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas.

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

92

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA SELA TURCA Póstero-anterior (PA)

Paciente em decúbito ventral, no mesmo posicionamento da incidência Póstero- Anterior do crânio.

Plano mediano sagital coincidindo com a linha central da mesa.

Raio central deve sair no násio e poderá incidir perpendicular ou com inclinação podálica de 10°a 12°, desde que passando paralelo à LOM.

podálica de 10°a 12°, desde que passando paralelo à LOM. Imagens: Clark's Positioning in Radiography e

Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill Atlas de Posições Radiográficas.

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

93

Perfil Direito (P. dir.) e Perfil Esquerdo (P. esq.)

Paciente em hemidecúbito lateral, no mesmo posicionamento das incidências laterais do crânio.

Plano mediano sagital da cabeça paralelo ao plano da mesa.

Raio central deverá incidir perpendicular, 02 cm para frente e para cima do conduto auditivo externo.

02 cm para frente e para cima do conduto auditivo externo. Imagens: Clark's Positioning in Radiography
02 cm para frente e para cima do conduto auditivo externo. Imagens: Clark's Positioning in Radiography

Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill Atlas de Posições Radiográficas.

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

94

Semi-Axial Ântero-Posterior (Incidência de Towne)

Paciente em decúbito dorsal, no mesmo posicionamento da incidência de Towne para crânio.

Plano mediano sagital do paciente coincidindo com a linha central da mesa.

Raio central incidindo na região frontal com uma inclinação podálica de 35° em relação à linha horizontal alemã, passando pelo conduto auditivo externo.

horizontal alemã, passando pelo conduto auditivo externo. Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill
horizontal alemã, passando pelo conduto auditivo externo. Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill

Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill Atlas de Posições Radiográficas.

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

95

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR

Incidência de Schüller Bilateral

Região lateral direita e esquerda da cabeça mais próximas do filme.

Paciente em hemidecúbito lateral, com o corpo em posição oblíqua. Região da articulação coincidindo com a linha central da mesa.

De cada lado, são feitas radiografias com a boca aberta ao máximo e fechada.

Raio central com uma inclinação podálica de 25° a 30°, penetrando entre 05 e 07 cm acima da ATM mais afastada do filme e saindo na articulação mais próxima da linha central da mesa.

na articulação mais próxima da linha central da mesa. Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill

Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

96

Semi-Axial Ântero-posterior (Inc. de Towne)

Região posterior da cabeça e coluna cervical mais próxima do filme.

Paciente em ortostática ou em decúbito dorsal, com o plano mediano sagital coincidindo com a linha central da mesa.

Raio central penetrando com angulação entre 30° e 35° em relação à LOM, passando pelo meio do espaço entre as articulações temporomandibulares.

meio do espaço entre as articulações temporomandibulares. Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas.

Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas.

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

97

ESTUDO RADIOGRÁFICO DA MANDÍBULA

Póstero-anterior (PA)

Região anterior da cabeça mais próxima do filme.

Paciente em decúbito ventral, sentado ou em posição ortostática, com o seu plano mediano sagital coincidindo com a linha central da mesa ou estativa vertical.

Raio central perpendicular, passando no meio do espaço entre os dois gônios.

passando no meio do espaço entre os dois gônios. Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas
passando no meio do espaço entre os dois gônios. Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

98

Oblíquas Direita e Esquerda Incidências de Bellot

Regiões laterais inferiores direita e esquerda da face e da cabeça mais próximas do filme.

Paciente em decúbito lateral rigoroso, sentado ou em posição ortostática, pendendo a cabeça, até encostar na mesa ou na estativa.

O raio central deve penetrar no gônio mais afastado do filme.

central deve penetrar no gônio mais afastado do filme.

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

99

ESTUDO RADIOGRÁFICO DOS OSSOS PRÓPRIOS DO NARIZ OPN

Perfil Direito (P. dir.) e Perfil Esquerdo (P. esq.)

Região latera direita ou esquerda da face mais próxima do filme.

Paciente em hemidecúbito ventral, sentado ou em posição ortostática, de modo que o plano mediano sagital da cabeça fique paralelo ao plano da mesa.

Raio central perpendicular, penetrando no násio.

da mesa. Raio central perpendicular, penetrando no násio. Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

100

ESTUDO RADIOGRÁFICO DOS ARCOS ZIGOMÁTICOS

Submentovértice (Hirtz modificada)

Região superior da cabeça mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal, sentado ou em posição ortostática.

O plano mediano sagital do paciente deve coincidir com a linha central da mesa ou estativa.

Raio central penetrando perpendicular a LOM.

ou estativa. Raio central penetrando perpendicular a LOM. Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill
ou estativa. Raio central penetrando perpendicular a LOM. Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill

Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

101

Obliqua tangencial

Região superior da cabeça mais próxima do filme.

Paciente em decúbito dorsal, sentado ou em posição ortostática.

Inclinar a cabeça 15° para o lado que se esteja examinando.

Raio central tangenciando o arco zigomático.

examinando. Raio central tangenciando o arco zigomático. Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill

Imagens: Clark's Positioning in Radiography e Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

102

ESTUDO RADIOGRÁFICO DOS SEIOS DA FACE

Frontonaso (Incidência de Caldwell)

Região anterior da cabeça mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática ou sentado.

As mãos devem estar apoiadas lateralmente aos ombros

Raio central incide paralelo à LOM, saindo no násio.

Raio central incide paralelo à LOM, saindo no násio. Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

103

Mentonaso (Incidência de Waters)

Região mentoniana mais próxima do filme.

Paciente em posição ortostática ou sentado.

As mãos devem estar apoiadas lateralmente aos ombros.

O

paciente

deverá

estender

o

pescoço,

apoiando

a

cabeça

pela

região

mentoniana. A LOM deve formar um ângulo de 45°com o plano da mesa.

Raio central penetra perpendicular, saindo no acântio.

Raio central penetra perpendicular, saindo no acântio. Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

104

Perfil direito (P dir.)

Região lateral direita da cabeça mais próximas do filme.

Paciente em posição ortostática ou sentado, com o plano mediano sagital da cabeça paralelo ao plano da mesa ou estativa.

É o mesmo posicionamento da incidência em Perfil de crânio, só que a região da borda externa da órbita deverá estar coincidindo com a linha central da mesa.

Raio central perpendicular, penetrando no canto externo.

Raio central perpendicular, penetrando no canto externo. Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Imagens: Merrill Atlas de Posições Radiográficas

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

105

ESTUDO RADIOGRÁFICO DO CAVUM

Perfil Direito (P. dir.) ou Perfil Esquerdo (P. esq.) com RC Horizontal

Região lateral direita ou esquerda da face mais próximas do filme.

Paciente em decúbito dorsal, com o chassi colocado na vertical.

É considerada a projeção com o posicionamento em perfil mais rigoroso.

Raio central horizontal, penetrando no ramo da mandíbula.

Raio central horizontal, penetrando no ramo da mandíbula. Imagens: Clark's Positioning in Radiography Apostila

Imagens: Clark's Positioning in Radiography

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

106

Perfil dir. ou esq. com RC perpendicular (Boca aberta e Boca Fechada)

Crânio posicionado em perfil absoluto.

Paciente ereto, em ortostase, ou até mesmo sentado.

Com o e a cabeça orientada no plano horizontal, e em inspiração na incidência com a boca fechada.

Serão obtidas incidências em perfil pra cavum com boca aberta e fechada.

Raio Central direcionado para a adenoide, incidindo nos ramos mandibulares.

para a adenoide, incidindo nos ramos mandibulares. Imagem: Internet Apostila adaptada de outras fontes pelo
para a adenoide, incidindo nos ramos mandibulares. Imagem: Internet Apostila adaptada de outras fontes pelo

Imagem: Internet

Apostila adaptada de outras fontes pelo Prof. Paulo Roberto Prevedello

-

pauloprevedello@gmail.com

107