Você está na página 1de 16

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO

ESPÍRITO SANTO

ADSON AISLAN NOVAES BALBINO


ALBERTO FREDERICO SALUME COSTA

ESTUDO DE TRÁFEGO

VITÓRIA
ABRIL, 2010.
ADSON AISLAN NOVAES BALBINO
ALBERTO FREDERICO SALUME COSTA

ESTUDO DE TRÁFEGO

Estudo de tráfego referente ao projeto de


via a ser realizado durante o período,
apresentado ao professor Daniel Pereira
Silva, da disciplina de Projeto de Vias e
Terminais do Instituto Federal de
Educação, Ciência e Tecnologia do
Espírito Santo – IFES, para obtenção de
pontos para aprovação parcial no sétimo
semestre do Curso Técnico de Infra-
Estrutura de Vias de Transportes e
Estradas.

VITÓRIA
ABRIL, 2010.
SUMÁRIO

SUMÁRIO ........................................................................................................... I

1.0 - INTRODUÇÃO ........................................................................................... 1

2.0 – CONTAGEM VOLUMÉTRICA .................................................................. 3

3.0 – SÉRIE HISTÓRICA................................................................................... 4

4.0 – DETERMINAÇÃO DO VMDA ................................................................... 6

5.0 – VOLUME DE TRÁFEGO FUTURO E CLASSIFICAÇÃO DA RODOVIA . 9

6.0 – CONCLUSÃO ......................................................................................... 12

REFERÊNCIAS................................................................................................ 13

i
1.0 - Introdução
Os estudos são importantes para definirem as diretrizes iniciais do
projeto de uma via. Essas diretrizes fornecem as informações fundamentais
sob as quais o projeto será desenvolvido. É, portanto, essencial que haja um
tempo para concentração de esforços nos estudos, antes que chegue à fase de
projeto propriamente dita. Desse modo, este documento dá início ao trabalho
que será desenvolvido ao longo do semestre na disciplina, que consiste na
elaboração de projeto de uma via idealizada pelos seus autores. Antes, porém,
lista-se a seguir as fases de estudo que precedem a elaboração de projetos,
em ordem de execução:

• Estudo de tráfego;

• Estudo de traçado;

• Estudo topográfico;

• Estudo hidrológico;

• Estudo de geologia e geotecnia;

• Estudos ambientais preliminares.

Dadas as limitações de tempo e da organização curricular do Curso,


algumas dessas fases não serão consideradas neste projeto. Porém, á priori,
cabe proceder com a caracterização da rodovia.

A rodovia idealizada e que compõem este projeto se localiza numa


região qualquer, cujo relevo é tipicamente montanhoso. O horizonte de projeto
é de 10 anos, contados a partir de 2012, que é o ano de abertura (inauguração)
da rodovia. Os autores preferiram, por conveniência didática, não criarem
nomes para as cidades de origem e destino da rodovia, tampouco nome da
mesma. Importa que ela parta de uma região A e vai até B. Como o ano de
inauguração da via é 2012, o horizonte de projeto é o ano de 2022.

O presente documento, como explicado, é o estudo de tráfego da


rodovia idealizada. Tal estudo fornece o Volume Médio Diário Anual (VMDa) de
veículos da rodovia, portanto, a quantidade de veículos de cada tipo que

1
trafegarão nela. Esse volume é importante para estabelecer a classe do
empreendimento. Cada volume tem uma classe correspondente. As classes
são uma classificação quanto ás condições técnicas da rodovia. Para cada
classe há uma série de dados a serem considerados obrigatoriamente no
projeto, como raio mínimo de curva, super-elevação máxima e largura de
acostamento, entre outros.

O objetivo deste estudo é estabelecer o VMDa para o horizonte de


projeto (ano de 2022) e classificação da rodovia quanto às condições técnicas.
Desse modo, as etapas de execução do presente foram as seguintes:

• Contagem volumétrica de veículos nos dois sentidos num período


de 24 horas;

• Análise dos dados coletados em campo (contagem) e expansão


estatística dos mesmos para o horizonte de projeto;

• Determinação do VMDa para o horizonte de projeto;

• Classificação da rodovia.

A seguir, portanto, o desenrolar do presente estudo, iniciando com os


dados de contagem volumétrica.

2
2.0 – Contagem volumétrica

A contagem volumétrica num dado período de tempo fornece o volume


de veículos na via. A que compõe este estudo foi realizada no dia 23/02/2010,
terça-feira, num período de 24 horas. Os dados obtidos nela estão reunidos na
tabela seguinte:

Tabela 1 - Contagem volumétrica realizada no dia 23/02/2010, terça-feira.


Dados de contagem

TRÁFEGO (24h)
CLASSE
A B TOTAL
B A
Automóveis

CP 89 95 184

UT 11 9 20

ON 14 13 27
Ônibus

TR 2 62 64

2C 17 15 32
Caminhões

3C 13 12 25

4C 12 11 23

2S3 1 1 2
Semi-reboques

3S3 2 2 4

3C4 3 1 4

TOTAIS Σ 164 221 385


Nota-se que a contagem fornece o número de veículos de cada tipo
(classe) que trafega pela via. O total no sentido AB foi de 164 veículos e no BA
foi de 221, totalizando 385 veículos transitando na rodovia nas 24 horas de
terça-feira.

3
3.0 – Série histórica

Para melhor precisão no estabelecimento do VMDa, a contagem


volumétrica deveria ser feita durante um ano em 24 horas por dia. Porém tal
coisa é anti-econômica e difícil de ser executada. Para que um dado de um dia
de contagem possa fornecer o VMDa, como é o que este projeto dispõe, faz-se
necessário o uso de métodos estatísticos de expansão. Para tanto, deve-se
utilizar dados de contagem de um posto sazonal existente na via ou numa outra
próxima. Esses dados recolhidos do posto de contagem são denominados
“série histórica”.

A expansão consiste em estabelecer, a partir de uma contagem de 24


horas, o VMDa, ou seja, um dia de contagem transforma-se em 365 dias
(anual).

A série histórica utilizada para expansão dos dados divide-se em três


tabelas: variação semanal, variação mensal e variação anual. As tabelas são
apresentadas a seguir:

Tabela 2 - Variação semanal da série histórica.


Variação semanal
TMD %
SEG 690 16,047%
TER 655 15,233%
QUA 630 14,651%
QUI 605 14,070%
SEX 715 16,628%
SÁB 510 11,860%
DOM 495 11,512%
Total 4300 100,00%

A tabela de variação semanal mostra o volume médio (TMD) de veículos


contados pelo posto sazonal por dia da semana, para o mês de fevereiro.

Tabela 3 - Variação mensal da série histórica.


Variação Mensal / Fevereiro
TMD %
1ª Semana 720 25,53%
2ª Semana 740 26,24%
3ª Semana 690 24,47%
4ª Semana 670 23,76%
Total 2820 100,00%

4
A variação mensal mostra o volume (TMD) de veículos contados em
cada semana do mês de fevereiro.

Tabela 4 - Variação anual da série histórica.


Variação Anual
TMD %
Jan 710 8,75%
Fev 710 8,75%
Mar 730 9,00%
Abr 640 7,89%
Mai 620 7,64%
Jun 650 8,01%
Jul 705 8,69%
Ago 710 8,75%
Set 640 7,89%
Out 600 7,40%
Nov 685 8,45%
Dez 710 8,75%
Total 8110 100,00%

A variação anual mostra o volume (TMD) de veículos para cada mês do


ano. Importa nesta tabela o TMD referente a fevereiro, que corresponde à
8,75% do volume total no ano.

5
4.0 – Determinação do VMDa

Para determinação do VMDa faz-se necessário aplicar métodos


estatísticos de expansão nos dados obtidos na contagem volumétrica e na
série histórica. Deve-se calcular os fatores de expansão semanal, mensal e
sazonal.

O fator de expansão semanal é obtido na relação entre o TMD médio da


série histórica de variação semanal e o TMD do dia equivalente ao da
contagem volumétrica:

Fcsem = TMDmédio ÷ TMDdia

Ao aplicar a equação acima em cada dia da série histórica, obteve-se a


seguinte tabela:

Tabela 5 - Expansão semanal da série histórica.

Variação semanal
TMD % Fcsem

SEG 690 16,047% 0,890


TER 655 15,233% 0,937

QUA 630 14,651% 0,975


QUI 605 14,070% 1,015
SEX 715 16,628% 0,859

SÁB 510 11,860% 1,204


DOM 495 11,512% 1,240
Total 4300 100,00%
Média 614

O fator de expansão mensal é obtido na relação entre o TMD médio da


série histórica de variação mensal e o TMD da semana equivalente à contagem
volumétrica:

Fcmen = TMDmédio ÷ TMDsem

Ao aplicar a equação acima em cada semana da série histórica, obteve-


se a seguinte tabela:

6
Tabela 6 - Expansão mensal da série histórica.

Variação Mensal / Fevereiro


TMD % Fcmensal

1ª Semana 720 25,53% 0,979


2ª Semana 740 26,24% 0,953
3ª Semana 690 24,47% 1,022

4ª Semana 670 23,76% 1,052


Total 2820 100,00%
Média 705

O fator de expansão sazonal é obtido na relação entre o TMD médio da


série histórica de variação anual e o TMD do mês equivalente ao da contagem
volumétrica:

Fcsaz = TMDmédio ÷ TMDmês

Ao aplicar a equação acima em cada mês da série histórica, obteve-se a


seguinte tabela:

Tabela 7 – Expansão sazonal da série histórica

Variação Anual
TMD % Fcsazonal
Jan 710 8,75% 0,952
Fev 710 8,75% 0,952

Mar 730 9,00% 0,926


Abr 640 7,89% 1,056
Mai 620 7,64% 1,090

Jun 650 8,01% 1,040


Jul 705 8,69% 0,959
Ago 710 8,75% 0,952
Set 640 7,89% 1,056
Out 600 7,40% 1,127
Nov 685 8,45% 0,987
Dez 710 8,75% 0,952

Total 8110
Média 676

7
Calculados os fatores de expansão semanal, mensal e sazonal da série
histórica, parte-se para a determinação do VMDa, conforme a fórmula a seguir:

VMDa = Vc × Fcsem × Fcmen × Fcsaz


Onde:

Vc é o volume da contagem volumétrica feita no dia 23/02/2010, terça-


feira, num intervalo de 24 horas, conforme apresentado no irem 2.0 do
presente documento, que é igual a 385 veículos;

Fcsem é o fator de ajuste referente ao dia da semana em que a


contagem foi realizada, que é terça-feira. Desse modo, o fator adotado é 0,937;

Fcmen é o fator de ajuste correspondente à semana em que foi feita a


contagem. Como dia 23/02/2010 foi na quarta semana de fevereiro, o fator
adotado é 1,052;

Fcsaz é o fator correspondente ao mês da contagem volumétrica, que foi


fevereiro. Portanto, o fator adotado é 0,952.

Nas tabelas 5, 6 e 7 estão marcados em negrito esses fatores que serão


utilizados no cálculo do VMDa.

Aplicando os valores na fórmula, tem-se:

VMDa = 385 × 0,937 ×1,052 × 0,952

VMDa = 362veículos
O VMDa calculado neste item se refere ao ano corrente, que é 2010. A
seguir, cálculo do volume futuro para o horizonte de projeto 2012-2022.

8
5.0 – Volume de tráfego futuro e classificação da rodovia

Para que se calcule o VMDa do horizonte de projeto, é necessário que,


através dos dados da série histórica fornecida se calcule o crescimento anual
do tráfego na rodovia estudada e, então, calcula-se tal crescimento através da
fórmula de projeção linear ou projeção geométrica. O desenvolvimento do
cálculo será apresentado a seguir.

Para calcular o crescimento anual do VMDa, utilizou-se a tabela que se


encontra abaixo, da série histórica em que consta o TMD dos anos anteriores.

Tabela 8 - Taxas de crescimento de tráfego de 1980 a 2000.


Tráfego
Ano Crescimento Tráfego
TMD*102
1980 40 -
1981 41,6 4,00
1982 43,3 4,09
1983 45 3,93
1984 46,8 4,00
1985 48,7 4,06
1986 50,6 3,90
1987 52,6 3,95
1988 54,7 3,99
1989 56,9 4,02
1990 59,2 4,04
1991 61,6 4,05
1992 64 3,90
1993 66,6 4,06
1994 69,3 4,05
1995 72 3,90
1996 74,9 4,03
1997 77,9 4,01
1998 81 3,98
1999 84,3 4,07
2000 87,6 3,91
Média 3,81

9
A coluna que se refere ao crescimento do tráfego foi obtida através da
porcentagem do crescimento em relação ao ano anterior. Por exemplo, o
crescimento do tráfego no ano de 1981 em relação ao ano de 1980 foi obtido
da seguinte forma:

(TMD1981 − TMD1980 )
C.T .(%) = ⋅ 100
TMD1981

Feito isso com todos os anos da série histórica, obteve-se a média dos
crescimentos de cada ano em relação ao ano anterior, como mostra a tabela.
Esta média será utilizada na fórmula que calculará o VMD no horizonte de
projeto.

Como se trata de uma rodovia cujo horizonte de projeto é de 10 anos,


recomenda-se o uso da projeção geométrica, uma vez que a projeção linear é
recomendada para rodovias com horizonte de projeto de até 5 anos. Então se
utilizou a projeção geométrica. A fórmula e o cálculo da determinação do
tráfego no horizonte de projeto seguem abaixo:

Vp = V ⋅ (1 + t ) p

Onde:

Vp = Volume de tráfego de um determinado ano p;

t = taxa de crescimento anual (média calculada anteriormente, em número


decimal para ser utilizado na fórmula);

V = Volume de tráfego no ano base (VMDa calculado para o ano de abertura);

P = diferença entre o horizonte de projeto (2022) e o ano atual (2010) = 12.

Aplicando-se os dados obtidos através dos cálculos, temos:

10
Vp = 362 ⋅ (1 + 0,381)12

Vp = 567

Dessa forma, calculados que o volume de tráfego no horizonte de


projeto será de 566 veículos. Para classificarmos a rodovia estudada, basta
utilizarmos a tabela abaixo:

Figura 1 - Classificação da rodovia quanto às condições técnicas.

De acordo com a tabela, esta rodovia pode ser classificada como sendo
da classe de projeto III, caracterizada por pista simples, com VMD entre 300 e
700, como foi calculado.

11
6.0 – Conclusão

Através da contagem realizada e da séria histórica, foi possível que se


atingissem os objetivos do estudo. Com a utilização de métodos estatísticos, o
VMDa do ano de abertura foi devidamente calculado e, em seguida, utilizado
para calcular o TMD do horizonte de projeto e, através deste, classificar a
rodovia.

O estudo de tráfego apresentado, apesar de ter apenas objetivo didático,


possibilitou que fosse observado e experimentado o processo inicial do projeto
de uma rodovia, marcando o começo de uma série de estudos que serão
realizados ao longo da disciplina.

12
REFERÊNCIAS

1. SILVA, Daniel Pereira. Projeto de Vias e Terminais. Centro Federal de


Educação Tecnológica do Espírito Santo. Disponibilizado por correio
eletrônico em 22 de abril de 2010.

13