CONSERVAÇÃO E EFICIÊNCA ENERGÉTICA NA UTILIZAÇÃO DA ENERGIA

ELÉTRICA PARA CONSUMIDORES RESIDENCIAIS

LYGIA MATOS AQUINO
YOLANDA LORENA MOREIRA GOMES

desde suas fontes primárias até seu aproveitamento. como pressupostos básicos. contribuindo. o transporte e o uso dos recursos energéticos. de segurança e de produtividade dos usuários. A promoção da eficiência energética engloba a otimização das transformações. para a melhoria da qualidade dos serviços de energia e para a diminuição dos impactos ambientais. a manutenção das condições de conforto. . juntamente. Temse.INTRODUÇÃO Por definição. a eficiência energética consiste na relação entre a quantidade de energia empregada em uma atividade e a disponibilizada para sua realização.

deve-se buscar um equilíbrio entre sustentabilidade e bemestar. utilizam-se formas alternativas para geração de energia como termelétricas. pois a energia é empregada intensivamente na sociedade em geral e em tudo o que se faz. Com isso. quando os reservatórios estão abaixo dos níveis adequados. o Brasil desperdiça em ineficiência o equivalente a uma usina Belo Monte por ano (4. as pessoas economizarão energia com o fim de obterem o desconto na sua conta. sem antes pensar nas consequências que isso iria trazer para o meio ambiente. preservação das . por isso precisamos de métodos que reduzam a dissipação energética. ampliou-se o conceito de desenvolvimento sustentável. como para o meio ambiente. ou seja. contribuindo assim para a preservação da matéria prima utilizada na geração.600 MW médios). para que haja benefícios tanto para a população. o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) tem por objetivo promover a racionalização do consumo de energia elétrica. pois como discorrido anteriormente os hábitos da sociedade podem trazer consequências boas como a economia de energia. Isso é um dado preocupante. Criado pelo governo federal em 1985. Diante disso. Ele orienta na compra de equipamentos para que o consumidor adquira os produtos que possuem melhores níveis de eficiência energética e estimula a fabricação de itens mais econômicos energeticamente. pois quer dizer que se houvessem menos perdas teríamos uma grande economia na geração. com isso surge à necessidade do racionamento. reduzir os custos operacionais.DESENVOLVIMENTO Antigamente o modelo econômico primava pelo desenvolvimento econômico em busca do conforto a qualquer custo. Medidas como a Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) criado pelo Governo Federal foram adotadas com o intuito de beneficiar consumidores mais carentes. No período das secas. Isso é de grande incentivo para que haja diminuição no consumo. combatendo o desperdício e reduzindo os custos e os investimentos setoriais. O desconto vale para determinado consumo de (KW/h) kilowatt por hora. De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco). eliminar o desperdício e consequentemente. preservar os recursos naturais. aumentando ainda a eficiência energética. Daí a necessidade de usá-la de maneira inteligente para aumentar sua disponibilidade. porém nem sempre estas são capazes de suprir a demanda do país.

matérias primas ou consequências graves como racionamento desgaste ambiental. dentre outros. .

iluminação somente diante de necessidades específicas.CONCLUSÃO Diante disso fazem-se necessárias não só alterações no desenvolvimento econômico. dentre outros. A adoção de medidas dessa natureza. mas também uma mudança de consciência social. tais como: redução de custos e diminuição da geração e é igualmente benéfica para a sociedade. pois contribui para o desenvolvimento sustentável utilizando de menos recursos naturais. isso pode se concretizar com ações simples como: utilização de técnicas de reuso. palestras e seminários de conscientização social quanto à economia de energia. além de trazer benefícios diretos para os usuários. . substituição de dispositivos de iluminação por outros mais eficientes.