Você está na página 1de 2

Quantas vezes encontramos o fracasso?

Será que sempre


acertamos em tudo que fazemos? Como saber se não fomos
precipitados em certos diagnósticos?

Estamos sujeitos a erro o tempo todo, e, sempre passando por


várias provações. Podem existir vários caminhos a serem seguidos, a
serem analisados, caminhos certos e errados. Mas quantos de nós
fechamos os olhos pra isso? Às vezes não conseguimos enxergar o
que se encontra bem a nossa frente e continuamos a insistir no erro.
Às vezes, por preguiça ou medo de voltar atrás, perdemos a
oportunidade de consertar algo simples que faria bastante diferença
no futuro. E por medo, também perdemos a chance de demonstrar
nossos sentimentos. Grande erro, pois nunca sabemos quando será a
última vez que veremos alguém.

Esquecemos que estando onde estiver e fazendo o que for,


podemos sempre recomeçar de uma forma diferente, determinando
uma nova trilha e criando nova linha de raciocínio, isto é, nos
reinventando... E dessa forma, aprendemos a aprender, afinal, é
assim que podemos testar nossa capacidade e perseverança...

Assim, aprendemos a conviver e a nos reavaliar. E nesse


momento, conseguimos ampliar nossos conhecimentos e crescer
como pessoas.

Há uma grande diferença entre os verbos VENCER e


CONQUISTAR, apesar de muitos confundirem os significados, pois
nem sempre o resultado de sua vitória existirá no amanhã, porém,
algo conquistado dura toda uma vida. Isto porque, há momentos que
acontecem e passam, são esquecidos. No entanto, têm outros que os
resultados ficam e duram eternamente. E a vida não avisa quando as
situações vão acontecer, ela apenas deixa com que elas aconteçam.
Por isso é que se deve aproveitar o agora, mesmo que o momento
não seja dos melhores pelos quais você passou, porque o aprendizado
sempre é importante. E não devemos esquecer: tudo na vida tem um
propósito, na maioria das vezes pra nos ensinar a viver de forma
diferente da qual estamos acostumados. Porém, temos o poder de
fazer de cada propósito uma oportunidade, e transformá-la
futuramente em uma conquista. É aí onde está à grande diferença em
quem sabe aproveitar o lado bom das coisas ruins da vida e quem se
rende ao fracasso.

Sempre há o surgimento de coisas novas e nossa mente está


em constante processo de adequação, e, às vezes, é preciso
reformular conceitos e reorganizar os pensamentos, pois nessas
horas pensamos ver o mundo de cabeça para baixo e ficamos sem
noção de qual escolha fazer, qual decisão tomar, o que devemos
seguir ao pé da letra, o que devemos deixar passar, e corremos
sempre o risco de perdas, assim como também, de ganhar algo
incrível e surpreendente. Essa situação é inevitável na vida de
qualquer ser humano, é uma teoria de existência da nossa espécie e
apesar de não sabermos por que existe, não podemos negar sua
existência, pois seria como renegar a nós mesmos, a tudo que somos
e podemos ser.

Nossos conhecimentos não se medem por algumas palavras


balbuciadas no espaço, apesar delas serem ditas com objetivo e
terem por função a nossa compreensão. O caminho é longo, mas
nossas decisões conseguem influenciar na maioria dos resultados,
umas vezes tornando-se luz inovadora e esclarecendo idéias
previamente encontradas, e outras, tornando-se obscura, uma linha
de pensamentos distorcidos, com sentidos vagos e idéias
completamente dispersas e sem fundamento.

Não somos perfeitos, somos seres humanos, seres comuns, e


estamos sempre em busca de conhecimento, de aprendizado e de
superação, mas nossa capacidade de reação para com as situações
as quais estamos expostos aumenta de acordo com a percepção de
se enxergar amplamente todo um horizonte, distribuído de várias
formas, onde se integra a ele diversas divisões, constituídas de
resultados diferentes.

Então, olhe dentro de si mesmo, se sinta, reflita e ouça a voz de


sua percepção. Escute o que ela diz-lhe em silêncio para não ofuscar
o abstrato. Pense no que poderia ser diferente por tão boa ou tão
ruim que seja sua vida. Imagine também que existem pessoas que
passam por situações que nem se comparam as que você passa, e
que essas mesmas pessoas nem precisam de muito para ser felizes,
apenas se contentam com um único sorriso espontâneo de alegria, se
este demonstrar toda sua paz interior. Pense em tudo que almeja ser.
Pense em tudo que quer ter. Pense em tudo que precisa. E quantas
dessas coisas na verdade não são tão importantes? Pensando bem, a
maior parte delas é simplesmente desnecessária. Pergunte a si
mesmo o que é verdadeiramente, e porque é. Se redescubra. Ache a
resposta que há em você, para que ao final de tudo, renasça com
prazer.

By: Chris 