Você está na página 1de 100

MÓDULO I

PORTUGUÊS
Noções Textuais
1. INTRODUÇÃO
A base da comunicação, para Grice, está no princípio de cooperação, cujas noções
mais gerais são regidas por quatro máximas:
 máxima da quantidade: “não diga nem mais nem menos do que necessário”. “Dê a
informação em quantidade suficiente”;
 máxima da qualidade: “só diga coisas para as quais você tem evidência adequada”.
“Afirme somente o que for verdade”;
 máxima da relação: “seja relevante”;
 máxima do modo: “seja claro, seja breve, seja ordenado, evite a obscuridade de
expressões, ambigüidades, prolixidade”.
Já Van Dijk tem como ponto de partida em seus estudos as teorias desenvolvidas
pela psicologia da cognição e pela psicologia social, com destaque para a memória – forma
de interiorizar o mundo por representações mentais – e a sua importância na
interpretabilidade. É por esse motivo que o autor pressupõe que “compreender envolve não
somente o processamento e interpretação de informações exteriores, mas também a
ativação e uso de informações internas e cognitivas”. Tal posição desabilita qualquer
conceito de passividade na comunicação, pois o leitor ou o ouvinte precisa ativar muitas
informações para entender e interpretar. Traz o autor a idéia de que três tipos de memória
são ativados no processamento da informação:
 Memória de longo prazo: formação dos sentidos mais amplos e da coerência global.
Arquiva conhecimentos e valores sociais e individuais. Articula-se essencialmente com três
sistemas: lingüístico, enciclopédico e pragmático. A esses elementos unem-se importantes
formas de organização do conhecimento: roteiros, quadros, esquemas (esses elementos
cognitivos criam esquemas de expectativas que podem predizer intenções e conteúdo de
um texto).
 Memória de médio prazo: seleciona, preserva informações relevantes e vai refazendo
uma hipótese daquilo que trata o texto.
 Memória de curto prazo: limitada, cria unidades de sentido, correlações, inferências e a
coerência local.

2. INFERIR E O EQUILÍBRIO ENTRE O EXPLÍCITO E O IMPLÍCITO


Um texto é uma espécie de máquina preguiçosa, ele não executa todo o trabalho que
deveria realizar e acaba deixando “buracos”, insinuações, mensagens indiretas. Cabe
também ao leitor a tarefa de completar os sentidos. Esse é o trabalho de inferir, fazer
inferências. Como não pode haver textos totalmente explícitos, na comunicação há sempre
uma informação posta, aquilo que vem claramente expresso, e, por motivos práticos, há
também informação pressuposta, que compete ao leitor interpretá-la. O pressuposto,
embora não esteja explícito, funciona como referência e orientação para o que será
desenvolvido e formulado de forma explícita. A partir de uma informação simples,
ativamos um quadro com outras informações pressupostas:
 Posto: “O cigarro adverte: o Ministério é prejudicial à saúde”.
 Pressuposto: “O Ministério é o da Saúde”.
“O Ministério da Saúde é um órgão federal brasileiro”.
“Há um aviso semelhante nos maços de cigarro”.
“Cigarros não advertem”.
“Há uma ironia, diz o contrário daquilo que existe”.
Hoje sabemos que a língua não é um espelho do pensamento como muito já se
afirmou. Essa passagem do mundo cognitivo (o que penso) para o mundo textual (o que
escrevo) acarreta esforços diferentes. A construção de um texto possui uma estrutura
complexa, pois, além de designar as coisas do mundo, cria um entrelaçamento, uma
tessitura, um mundo próprio feito de referências internas: o texto comunica e se
autocomunica. Se a origem da palavra texto está vinculada à idéia de tecer, deve-se levar
em consideração a importância da harmonização do conjunto, a inter-relação que se dá
entre todos os constituintes textuais. A arquitetura primordial da textualização está em
alguns procedimentos organizadores, nos quais nunca se deve menosprezar a presença do
outro já no primeiro momento de reflexão. Apesar de situações distintas, o ato de escrever
jamais se desvincula da leitura e, por isso, passa a se ter um mundo em que o eu criador se
regula por causa da presença do outro, posto obrigatoriamente como parte integrante no
processo de textualização.
Todo processamento de informação exige algum esforço, algum dispêndio de
energia mental quanto à atenção, memória e raciocínio. O esforço está numa relação
comparativa com os benefícios que são alcançados, os quais, nesse caso, são os efeitos
cognitivos. De uma maneira geral, a mente opera de modo produtivo ou econômico, no
sentido de alcançar o máximo de efeitos com um mínimo de esforço. Além do conteúdo
jurídico adequado, deve haver a boa exposição, a capacidade de simplificar o percurso de
leitura. Isso, entretanto, não resulta em economia verbal ou pobreza de linguagem, mas sim
em adequação entre tudo que está no texto e no contexto. Nasce a relevância no equilíbrio
entre o esforço e os efeitos.

3. O ESTUDO GRAMATICAL
A correção da frase reflete o conhecimento gramatical. Toda língua que
normalmente possui tradição escrita também desenvolve uma sistematização dos usos.
Entre os vários registros, um passa a ser valorizado como padrão e representa o uso
exemplar, a ser seguido. Dessa forma, o desrespeito a esse uso exemplar projeta um valor
cultural negativo. Diz Mattoso Câmara que a obediência, em princípio, às regras
gramaticais firmes e vigentes na comunidade lingüística impõe-se porque elas
consubstanciam as conclusões de várias gerações de homens que se especializaram em
estudar a língua e em observar a sua ação e os seus efeitos no intercâmbio social. Muitas
normas e convenções de gramática representam uma experiência longa e coletiva em
matéria de expressão lingüística, e acatá-las é seguir uma estrada batida e correr menos
riscos, mesmo no âmbito da lógica da formulação. Conclui que as regras gramaticais se
acham apoiadas por um consenso geral e por meio delas se facilita a projeção de nossas
idéias e a aceitação do que assim dizemos.
A falha gramatical pode ser observada por três pontos distintos:
 Erro: desrespeito inquestionável às regras. Exemplo: Não houveram pagamentos à
prazo à partir de junho.
 Purismo: apesar do uso freqüente, há uma visão protecionista que impõe a
noção de mau uso. Exemplo: Face às circunstâncias do delito. Exame feito
através de peritos.
 Divergências: entre os próprios gramáticos surgem estruturas que só alguns
consideram erradas. Exemplo: Escrever à/a máquina. Um dos que veio/vieram.
Como examinador de um dos concursos de ingresso ao Ministério Público em São
Paulo, Hugo N. Mazzilli também traz uma visão de como a linguagem influi na avaliação
ao afirmar que “com mais de um milhar de inscritos, foi um custo separar uma centena de
candidatos com condições mínimas de continuar a disputa. Pululam erros primários –
extraídos de caso real – como altoridade, certão nordestino, hajiam, ouver, déve, anôma-
la, para que a lei perda a eficácia, poderia-se, negariasse, intrincicamente, progeto, tri-
pé, ambos três, poderão serem, situações individuais de cada um, que cuja a instauração,
o mérito se consiste, hora (em vez de ora), nada haver (em vez de nada a ver), se tratar-
mos, autorizão, natureza humana do homem, princípios sensives, propciar, alicerceis,
encejadora, estege...afora incontáveis erros de concordância verbal e nominal”.
A falta de correção gramatical e de conhecimento da norma culta torna-se não o
elemento lingüístico mais importante, porém conduz a certa frustração, quebra de
expectativa. Em um contexto jurídico – no qual semioticamente se tem um ambiente de
formalidade –, a correção da linguagem, segundo os preceitos da norma culta tradicional,
já tem uma finalidade de ser persuasiva, pois há uma analogia entre o poder e seu discurso.
Enquanto a gramática trabalha a correção da palavra e da frase, a produção textual
preocupa-se com as correlações e a coerência. É por isso que, apesar de a gramática não
conseguir prejudicar diretamente o sentido geral do texto, consegue atingir os valores
culturais de quem lê. Os erros gramaticais revelam certo nível de conhecimento e criam
desprestígio.

4. MAPA DAS ESTRUTURAS GRAMATICAIS

sujeito verbo complemento


estrutura do verbo concordância regência

conjugação

estrutura do substantivo flexões (gênero, número e grau)


(nome) concordância (artigo, numeral, adjetivo e pronome)

estrutura do pronome uso e colocação

estrutura ortográfica letras, palavras e expressões concorrentes


uso do hífen, formação das palavras

número de sílabas e sílaba tônica (pro par oxítona)


estrutura da pronúncia acentuação: 4 regras gerais + 5 regras específicas
separação da sílaba

termos da oração,
estrutura da oração orações coordenadas ou subordinadas
orações reduzidas ou desenvolvidas
letra, palavra, oração, período, parágrafo
estrutura do ritmo ponto final, vírgula, ponto-e-vírgula, dois pontos,
travessões, parênteses, colchetes, exclamação,
interrogação, reticências

vícios de linguagem, cacofonias, pleonasmos, arcaísmos


estrutura do estilo ambigüidades, estrangeirismos, neologismos,
má formação da palavra , impropriedade semântica
legibilidade, formatação

MÓDULO II
PORTUGUÊS
Pronomes Demonstrativos
1. REFERÊNCIA A ALGO DO PRÓPRIO TEXTO
Na produção textual, muitas vezes se quer fazer referência a elementos já
mencionados ou a ser introduzidos ainda. Para tal tarefa de referência dentro do próprio
texto, usa-se o pronome demonstrativo, criando movimentos de regressão e progressão. As
possibilidades são as seguintes:

a) Projeção
Para citar algo: este(s), esta(s), isto.
Exemplos:
• O total era este: R$ 10,00. Estes são os artigos definidos: o, a, os, as.
• Esta é a solução para muitos problemas brasileiros: educação.
• Estes são dois problemas graves: desemprego e violência.

b) Regressão geral (sem termos concorrentes)


Para resgatar algo citado: esse(s), essa(s), isso.
Exemplos:
• Os documentos foram enviados ontem. Esses documentos não lhes pertenciam.
• O desemprego e a violência aumentaram. Esses problemas caminham juntos.
• O pronome tal/tais também funciona nesse resgate.
• A inscrição para o concurso termina hoje. Tal inscrição exige documentos.

c) Regressão específica (com termos concorrentes)


Para dar exatidão: este(s), esta(s), isto (para o termo mais próximo) e aquele (s),
aquela (s) e aquilo (para o termo mais distante).
Exemplos:
• O Brasil e o Chile fizeram novo acordo. Este aceitou a proposta, aquele a fez.
• Maria saiu, mas sua irmã ficou. Esta faria o trabalho enquanto aquela passearia.
d) Regressão específica (com termos concorrentes)
Para dar exatidão: este(s), esta(s), isto (há vários elementos, porém só se quer citar o
último).
Exemplos:
• Foram visitados vários países: o Chile, a Espanha, a Argentina e o Brasil. Neste país,
ocorreu a divulgação.
• Havia verduras, carnes, peixes e frutas. Estas foram as mais apreciadas pelos turistas.

Observação — Deve-se observar que os pronomes este, esta e isto só regridem


(retomam algo já citado no texto) para determinar com extrema exatidão, evitando
ambigüidades. Não havendo a necessidade de exatidão, usa-se sempre corretamente o
pronome esse (essa, isso) para retomar os elementos já citados.

2. REFERÊNCIA A ALGO EXTERNO AO TEXTO


Também se usa o pronome demonstrativo para indicar o lugar no espaço em que um
ser ou um objeto está. As hipóteses de construção têm como base as pessoas do discurso:
Perto da Perto da Distante
1a pessoa 2a pessoa (de ambos)
(falante/escritor) (ouvinte/leitor) aquele
este esse aquela
esta essa aquilo
isto isso
Exemplo: Essa sua camisa é diferente desta camisa que visto, mas aquela na vitrine
merece elogios.
Também pode haver correlação entre esses pronomes e os advérbios de lugar:
Exemplos:
• Pegue este livro aqui/cá. Pegue esse livro aí. Pegue aquele livro ali.
• Não ali, lá. Não lá, acolá.
Há palavras que são um misto de pronome indefinido e advérbio, que também
trazem noções espaciais: algures (em algum lugar), alhures (em outro lugar) e nenhures
(em nenhum lugar). São classificadas como advérbios de lugar.

3. REFERÊNCIA AO TEMPO
O pronome demonstrativo pode fazer referência ao tempo vivido e a viver. Ao
presente sempre indica com muita exatidão, porém o passado e o futuro trarão noções
imprecisas:

presente
passado este futuro
esta
mais distante mais próximo isto mais próximo mais distante
aquele esse esse aquele
aquela essa essa aquela
aquilo isso isso aquilo
Exemplos:
• Naquele tempo, Adão vivia no Éden (passado distante). Recebeu a notícia por esses
dias (passado próximo).
• O recado chegou agora, neste minuto (presente). Neste século, o homem terá muitas
preocupações energéticas (presente).
• O salário virá por esses dias (futuro próximo). Ele estava escrevendo uma ficção
científica e naquele tempo o homem estava em extinção (futuro distante).
EXERCÍCIO

1) (MP-SC) Assinale a alternativa que contenha erro no emprego do demonstrativo:


a) Estas são algumas das características do Romantismo: subjetivismo, apego à natureza,
nacionalismo.
b) Que as reformas sejam efetuadas rapidamente: é isso o que mais desejo.
c) Pense bem no teu futuro, filho meu, és moço e podes ainda lutar; estas palavras de
admoestação e carinho eram diárias.
d) Ramaiana e Os Lusíadas são dois poemas épicos: aquele pertencente à literatura
hindu; este é de Camões e constitui uma verdadeira enciclopédia dos conhecimentos
humanos.
e) Foi vista, então, ali uma boa oportunidade. Essa aparece raro.
Gabarito: c.

MÓDULO III
PORTUGUÊS
Crase
CRASE
A crase é a junção de A+A.
Preposição a mais artigo definido feminino a, as.
Exemplo: Fez referência à tese de Darwin.
Preposição a mais pronome demonstrativo aquele(s), aquela(s), aquilo.
Exemplo: Fez referência àquela tese de Darwin.
Preposição a mais pronome demonstrativo a, as.
Exemplo: Quanto às teses, fez referência à de Darwin.

Alguns artifícios facilitam a visualização:


a) trocar por para a, na, da, na, com a, pela = à;
b) trocar por sinônimo masculino: ao = à.

Exemplos: Voltei à sala (para a sala / na sala / voltei ao salão).


Ele sempre foi fiel à norma da empresa (Ele sempre foi fiel ao regulamento).
O pedido só não foi enviado a uma mulher (enviado a um homem).
Falei a ela que viesse (Falei para ela, falei com ela, a ele).
Disso se cria a seguinte analogia:

TROCA 1

para a
na O envio dos documentos à Senhora Maria já foi feito
da porque: para a
pela à
com a Ele nunca tinha falado à mulher.
porque: com a

para
em O envio dos documentos a Vossa excelência já foi feito
de porque: para
por a
com a Ele nunca tinha falado a cada uma das mulheres.
porque: com

TROCA 2

masculino feminino
ao à Poucos fizeram alusão à idéia econômica.
porque: ao pensamento econômico

masculino feminino
a a Poucos fizeram alusão a essa idéia econômica.
porque: a esse pensamento econômico

1.1. Acento Proibido


Não se usa o acento antes de:
• palavra masculina: a bordo, a cargo de, a olho nu
• verbo: a partir de, a contar de, elas começaram a discutir
• palavras repetidas: face a face, cara a cara
• pronome pessoal: falei a ela, disse a ela
• demonstrativos esta(s) e essa(s): falei a essa/esta mulher
• pronomes de tratamento (Vossa ou Sua): falei a V. Exa.
• “a” no singular + palavra no plural: a folhas, refiro-me a leis antigas
• a maioria dos pronomes indefinidos: enviei a cada pessoa, a qualquer pessoa, a
alguém
• do artigo indefinido uma: referi-me a uma idéia antiga

1.2. Acento Facultativo


Existe acento facultativo? Não, o que existe é preposição ou artigo facultativo.
Acompanhe as possibilidades:
• quanto aos pronomes possessivos, pode-se usar ou não o artigo: referi-me à/a sua
idéia, referi-me a/às suas idéias;
• em relação à palavra até (indicando direção), o uso da preposição A é facultativa:
fomos até a/à praia, chegou até as/às praias;
• quanto aos nomes de pessoas, há algo referente ao grau de intimidade. Assim,
havendo formalidade, distância, falta de intimidade, não se usa artigo: falei a Maria,
escrevi a Maria. Caso haja uma relação mais próxima, informalidade, usa-se o
artigo: falei à Maria, escrevi à Maria.
• nas expressões adverbiais de instrumento, geralmente só se usa a preposição.
Apesar de não ocorrer crase, ou seja, a junção de dois As, o acento é por tradição
usado, havendo, porém, muitos autores que coerentemente o dispensam. Conclui-se
ser facultativo o acento neste caso: escrever a/à máquina, carro a/à gasolina, fechou
a porta a/à chave. Deve-se usar principalmente nos casos de ambigüidade: matar à
fome, cheirar à gasolina.

1.3. Construções que Geram Dúvidas


a) nomes de lugar
Fui à França, mas não a Paris
(porque: Fui para a França, mas não para Paris).

b) em expressões como “igual a, idêntica a, semelhante a, superior a, inferior a”


Comprei uma caneta igual à que você viu
(Comprei um lápis igual ao que...).
c) horário;
Nas locuções adverbiais de tempo (que indicam o horário), ocorre crase:
1h = à uma hora, 2h = às duas horas, 12h = às doze horas; 24h = à meia-noite, 0h = à zero
hora, etc.

1.4. Principais Falhas de Crase


a) Eles não foram à São Paulo..
O correto é “Eles não foram a São Paulo”, porque São Paulo não aceita artigo
(Viemos de São Paulo). Só quando estiver com alguma especificação passa a aceitar (Eles
não foram à São Paulo da garoa. Vieram da São Paulo da garoa).
b) Fizeram referência à essa dívida.
O correto é “Fizeram referência a essa dívida”, porque antes dos pronomes
demonstrativos esta/essa não se usa artigo feminino, portanto nunca ocorre crase.
c) Não houve alusão à uma saída equilibrada.
O correto é “Não houve alusão a uma saída equilibrada”, porque já se usou o artigo
indefinido (uma), portanto não se usará o definido e, por conseqüência, não ocorrerá crase.
d) Preços à combinar.
O correto é “Preços a combinar”, pois antes de verbo não vem artigo feminino,
portanto nunca ocorre crase.
e) Enfim ficaram cara à cara, frente à frente.
O correto é “Enfim ficaram cara a cara, frente a frente”, porque entre palavras
repetidas não se usa o artigo.
f) Falaram à pessoas de várias idades.
O correto é “Falaram a pessoas de várias idades”, porque se tem A (no singular) +
palavra no plural, portanto não se usou o artigo na construção. É o caso da expressão
jurídica a folhas.

g) Foi uma operação à laser.


O correto é “Foi uma operação a laser”, porque antes de palavra masculina não se
usa artigo feminino.
h) Não enviaram o pagamento à ela.
O correto é “Não enviaram o pagamento a ela”, porque os pronomes pessoais nunca
vêm precedidos de artigo feminino.
i) A prova foi solicitada à Vossa Senhoria.
O correto é “A prova foi solicitada a Vossa Senhoria”, porque os pronomes de
tratamento (iniciados por Vossa ou Sua) nunca vêm antecedidos de artigo feminino. Já os
pronomes de tratamento Senhora e Senhorita aceitam o artigo e podem, de acordo com o
contexto, vir com crase.
j) As cartas foram enviadas à cada pessoa do curso.
O correto é “As cartas foram enviadas a cada pessoa do curso”, porque o pronome
indefinido cada nunca vem precedido de artigo feminino (bem como a maioria dos
pronomes indefinidos).
l) Permaneceremos abertos de 2.ª à 6.ª
O correto é “Permaneceremos abertos de 2.ª a 6.ª ”, porque nessa correlação não se
usou artigo no primeiro (de 2.ª), por extensão não se usa artigo também no segundo (a 6.ª).
Nessas expressões que trazem correlação, apesar de não ser uma regra, pode-se ter uma
previsão ao observar o primeiro elemento. Para tornar a análise ainda mais simples,
observe como a primeira parte da expressão já traz uma pista importante:
• de segunda (sem artigo) a sexta (sem artigo também)
• da segunda (com artigo) à sexta (com artigo também)
Na dúvida, procure sempre trocar por um sinônimo masculino e manter esta
correspondência: AO = À.
• de segunda a sexta (a sábado)
• da segunda à sexta (ao sábado)
m) Aquele ato foi contra à vida de todos.
O correto é “Aquele ato foi contra a vida de todos”, porque contra não vem
acompanhado de preposição “a”. Na frase só há um artigo feminino, e não crase. No
masculino teríamos “Aquele ato foi contra o bem de todos”.

EXERCÍCIOS I

1) A cada item, apenas dois “a” devem receber o acento. Destaque-os.


a) Aquela estranha senhora andava as cegas a percorrer as ruas. Estava sempre a espera
de alguém igual a ela.
b) Aquela hora, a sociedade estaria disposta a fazer algo, pois a essa crise e a violência
deveriam dar um basta.
c) A nossa contribuição a democracia brasileira deve obedecer a_idéias amplas,
direcionar-se aqueles princípios que resgatem o valor da vida, a fim de motivar a longo
prazo o caminho inverso ao da violência. Estar face a_ face com o problema e resolvê-
lo.
d) Em resposta a seu pedido, agiremos a critério de suas ordens. Não estaremos
indiferentes aquilo que já foi combinado, mas a_quantia destinada a Senhora Antônia
Pereira será o equivalente a essa quantia que sua empresa receberá.
e) Elas fizeram uma viagem igual a de vocês. Foram a Brasília e a Vitória, mas não
chegaram a ir a maravilhosa Guarapari.

2) Escolha a alternativa que completa com correção.


a) Garantimos consumidora que compete empresa providenciar
devolução.
I) à, à, à II) à, a, à III) a, à, à IV) à, à, a V) à, a, a

b) A moça me disse ontem que lua estava linda. noite me telefonou e me animou
chegar janela. (O. L. R.)
I) a, a, a, à II) a, à, a, a III) a, a, à, à IV) à, à, a, à V) a, à, a, à

c) Trouxe mensagem Vossa Senhoria e aguardo resposta, fim de


levar pessoa que me enviou.
I) a, à, à, à, a II) à, à, a, a, à III) a, a, a, a, a IV) a, a, a, a, à V) a, à, a, a, à

d) A sensibilidade pó torna-se um dos principais motivos da alergia. O tratamento


doenças alérgicas já possui avanços.
I) à, às II) à, à III) a, as IV) a, às

e) Não dava muita atenção fofocas, por isso doou a coleção algumas crianças do
bairro, pois não tinha nada temer.
I) à, a, a II) à, à, a III) a, a, à IV) à, à, à V) a, a, a

f) Ele foi Budapeste pedido da empresa. Sua chegada cidade foi


concomitante nova proposta enviada.
I) a, a, à, à II) a, a, à, a III) a, à, à, à IV) à, a, à, à V) à, à, à, à

g) Esta loja funciona de segunda sexta, das 9h 18h. Sua encomenda virá
zero hora de hoje.
I) à, as, a II) a, às, a III) à, às, à IV) a, às, à

h) Só uma hora que a polícia muito custo conseguiu manter multidão


distância de cinco metros.
I) a, a, à, à II) à, a, a, à III) à, à, à, à IV) à, à, a, à V) à, a, à, à

3) Complete os espaços usando a, as, à, às, há.


a) Por não ter ido quele lugar, ficou remoer seu passado. b) Dar atenção
novidades é indispensável toda pessoa.
b) Não fizeram observações somente crianças, mas também pessoas adultas, pois
as dúvidas poderiam atingir ambas.
c) Graças atitude de seu amigo, exemplo de casos já ocorridos, chegou
conclusão de que deveria ficar em silêncio.
d) Isso só será reposto prateleiras daqui uma semana, época em que
mais pessoas favor dessas atividades.
e) Não disse o segredo ela, já que não me exporia situação tão delicada e
seria pouco fiel nossa amizade.
f) O trabalho ficou cargo dela, mas, uma hora exatamente, enviamos algumas
recomendações duas pessoas conhecidas.
g) Contra possibilidade de remeter a cobrança Senhora Maria Pereira por carta,
havia a hipótese de não chegar tempo.

4) Quanto à crase, julgue as construções (certo ou errado).


a) A condenação anterior a pena de multa não impede a concessão do benefício. (Art. 77,
§ 1º, CP)
b) De quinta-feira a sábado, o atendimento às pessoas com o pagamento em dia poderá
ser realizado a critério do consumidor.
c) Toda a verba será destinada a construção das casas populares. Esse era o primeiro
ataque à falta de moradia naquela região.
d) Ele foi a porta da casa e tentou arrombá-la. Visava à recuperação do bem
emprestado, mas não devolvido à data combinada.
e) Em honra as nossas distintas visitas, antes de chegar aquele momento tão esperado,
primeiro assistiram as festas do Nordeste.
f) poeta nunca deixou de fazer referência a Portugal de Camões, mas sempre se esqueceu
de aludir a França e a Espanha.
g) A lei a que ontem fizemos referência é igual a que foi questionada na última reunião. A
uma conclusão unívoca todos aspiram.
h) Ela estava a poucos quilômetros da cidade à qual os turistas tinham chegado ontem.
Enfim, pagaria a dívida.
i) Desobedeceu as ordens dos superiores. Não mais ficaria a à mercê deles. Agora só
devia obediência a a sua vontade.
j) As pessoas chegaram a margem direita do rio e, logo a frente, ficava a estação à qual
todo se dirigiram.

GABARITO

1) A cada item, apenas dois “a” devem receber o acento. Destaque-os.


a) Aquela estranha senhora andava às cegas a percorrer as ruas. Estava sempre à espera de
alguém igual a ela.
b) Àquela hora, a sociedade estaria disposta a fazer algo, pois a essa crise e à violência
deveriam dar um basta.
c) A nossa contribuição à democracia brasileira deve obedecer a idéias amplas,
direcionar-se e àqueles princípios que resgatem o valor da vida, a fim de motivar a
longo prazo o caminho inverso ao da violência. Estar face a face com o problema e
resolvê-lo.
a) d) Em resposta a seu pedido, agiremos a critério de suas ordens. Não estaremos
indiferentes àquilo que já foi combinado, mas a quantia destinada à Senhora
Antônia Pereira será o equivalente a essa quantia que sua empresa receberá.
d) Elas fizeram uma viagem igual à de vocês. Foram a Brasília e a Vitória, mas não
chegaram a ir à maravilhosa Guarapari.

2) Escolha a alternativa que completa com correção.


a) Garantimos à consumidora que compete à empresa providenciar a
devolução.
b) A moça me disse ontem que a lua estava linda. À noite me telefonou e me
animou a chegar à janela. (O. L. R.)
c) Trouxe a mensagem a Vossa Senhoria e aguardo a resposta, a fim de
levar à pessoa que me enviou.

d) A sensibilidade a pó torna-se um dos principais motivos da alergia. O tratamento


às doenças alérgicas já possui avanços.
e) Não dava muita atenção a fofocas, por isso doou a coleção a algumas crianças
do bairro, pois não tinha nada a temer.
f) Ele foi a Budapeste a pedido da empresa. Sua chegada à cidade foi
concomitante à nova proposta enviada.
g) Esta loja funciona de segunda a sexta, das 9h às 18h. Sua encomenda
virá à zero hora de hoje.
h) Só à uma hora que a polícia a muito custo conseguiu manter a multidão à
distância de cinco metros.

3) Complete os espaços usando a, as, à, às, há.


a) Por não ter ido àquele lugar, ficou a remoer seu passado. b) Dar atenção a/às
novidades é indispensável a toda pessoa.
b) Não fizeram observações somente a/às crianças, mas também a/às pessoas adultas,
pois as dúvidas poderiam atingir a ambas.
c) Graças à atitude de seu amigo, a exemplo de casos já ocorridos, chegou à
conclusão de que deveria ficar em silêncio.
d) Isso só será reposto às prateleiras daqui a uma semana, época em que há
mais pessoas a favor dessas atividades.
e) Não disse o segredo a ela, já que não me exporia a situação tão delicada e
seria pouco fiel à/a nossa amizade.
f) O trabalho ficou a cargo dela, mas, à uma hora exatamente, enviamos algumas
recomendações a/às duas pessoas conhecidas.
g) Contra a possibilidade de remeter a cobrança à Senhora Maria Pereira por carta,
havia a hipótese de não chegar a tempo.

4) Quanto à crase, julgue as construções (certo ou errado).


a) A condenação anterior a pena de multa não impede a concessão do benefício. (Art. 77,
§ 1º, CP) (certo)
b) De quinta-feira a sábado, o atendimento as pessoas com o pagamento em dia poderá ser
realizado a critério do consumidor.(certo)
c) Toda a verba será destinada à construção das casas populares. Esse era o primeiro
ataque à falta de moradia naquela região.
d) Ele foi à porta da casa e tentou arrombá-la. Visava à recuperação do bem
emprestado, mas não devolvido à data combinada.
e) Em honra às nossas distintas visitas, antes de chegar àquele momento tão esperado,
primeiro assistiram às festas do Nordeste.
f) O poeta nunca deixou de fazer referência à Portugal de Camões, mas sempre se
esqueceu de aludir à França e à Espanha.
g) A lei a que ontem fizemos referência é igual à que foi questionada na última reunião. A
uma conclusão unívoca todos aspiram.
h) Ela estava a poucos quilômetros da cidade à qual os turistas tinham chegado ontem.
Enfim, pagaria a dívida. (certo)
i) Desobedeceu às ordens dos superiores. Não mais ficaria a à mercê deles. Agora só
devia obediência a à/a sua vontade.
j) As pessoas chegaram à margem direita do rio e, logo à frente, ficava a estação à qual
todo se dirigiram.

EXERCÍCIOS II

1) (MP/RS) arque a opção em que há erro.


a) Não me refiro à moça da direita, mas à da esquerda.
b) É esta a conclusão à que acabamos de chegar.
c) Fez referência a pessoas estranhas que a visitaram ontem.
d) Referiram-se a pessoas iguais a você.
e) Apegava-se à irmã como a uma tábua de salvação.

2) (MP/SC) Assinale a alternativa que completa a frase:


“Descendo ______ terra ______ noite, o marinheiro viu um homem que vinha _______
pé.”
a) à-à-à b) a-à-a c) a-à-à d) à-a-a e) a-a-a

3) (Mag/SP)Assinale a alternativa em que deve haver crase em apenas uma das


lacunas.
a) Indago ____ Vossa Excelência ____ qual das partes incumbe adiantar despesas deste
feito.
b) O magistrado sentou-se ____ mesa e pôs-se ____ ler, uma ____ uma, ____ laudas dos
volumosos autos.
c) Andando ____ pé, em companhia da esposa, o réu dirigia-se ____ ela como ____
alguma pessoa estranha.
d) ____ uma hora morta como aquela, ele dedicava-se ____ preocupações várias, ____
seu modo.

4) (MP/SC) Assinale a seqüência que preenche corretamente.


“_______ dias não se consegue chegar _______ nenhuma das localidades_________
que os socorros se destinam.”
a) Há-à-à b) A-há-a c) À-a-à d) Há-a-a e) À-à-a
5) (Mag/SP) Identifique a alternativa correta.
a) O juiz deverá chegar amanhã cedo à Brasília.
b) Fez à pé todo o caminho de São Tiago.
c) As inscrições estarão abertas à partir do dia 16.
d) É uma paisagem semelhante à da sua terra.

6) (MP/RS)Marque a opção em que há erro.


a) Irei amanhã a Porto Alegre.
b) Chego, sem demora, a Manaus.
c) O Dr. Carneiro, saudoso, enviou cartas as suas primas.
d) Falavam a pessoas como eu.
e) Apegava-se à sobrinha como último recurso.

7) Verifique se ocorre crase no a destacado.


Se o conceito de leitura geralmente está restrito a decifração da escrita, sua aprendizagem,
no entanto, quase sempre se refere a uma formação global do indivíduo. Já entre gregos e
romanos, ler e escrever significava estar ligado a essa ampliação cultural e social, ou seja,
era uma educação voltada a ascensão intelectual, espiritual e física, possibilitando a alguma
pessoa desfavorecida integrar-se a sociedade e, em alguns casos, integrar-se a classes
superiores.

8) Julgue a frase (certa ou errada).


a) Eles foram à Curitiba e depois viajarão à França.
b) No debate, fizeram referência à essa antiga idéia.
c) Não houve alusão à uma saída equilibrada.
d) Pagamento à vista e à prazo. Preço à combinar.
e) Enfim ficaram cara à cara, frente à frente.
f) A mensagem foi enviada à pessoas de várias idades.
g) Foi uma operação à laser.
h) Ainda não enviaram o pagamento à ela.
i) A prova foi solicitada à Vossa Senhoria.
j) As cartas foram enviadas à cada pessoa do curso.
l) Aquele ato foi contra à vida de todos.
m) Só se fará a entrega do documento à mesma pessoa da foto.
n) As matrículas começam à partir de março.
o) Sacrificou o animal à punhaladas.
p) Ele chega amanhã à bela Curitiba.
q) Perante à mulher estava o réu.
r) O trem não circulará à zero hora, somente à uma hora.
s) Era uma idéia semelhante à de ontem.

GABARITO

1) (MP/RS) Marque a opção em que há erro.


a) Não me refiro à moça da direita, mas à da esquerda.
b) É esta a conclusão à que acabamos de chegar.
c) Fez referência a pessoas estranhas que a visitaram ontem.
d) Referiram-se a pessoas iguais a você.
e) Apegava-se à irmã como a uma tábua de salvação.

2) (MP/SC) Assinale a alternativa que completa a frase:


“Descendo ______ terra ______ noite, o marinheiro viu um homem que vinha _______
pé.”
a) à-à-à b) a-à-a c) a-à-à d) à-a-a e) a-a-a

3) (Mag/SP)Assinale a alternativa em que deve haver crase em apenas uma das lacunas.
a) Indago ____ Vossa Excelência ____ qual das partes incumbe adiantar despesas deste
feito.
b) O magistrado sentou-se ____ mesa e pôs-se ____ ler, uma ____ uma, ____
laudas dos volumosos autos.
c) Andando ____ pé, em companhia da esposa, o réu dirigia-se ____ ela como ____
alguma pessoa estranha.
d) ____ uma hora morta como aquela, ele dedicava-se ____ preocupações várias, ____
seu modo.

4) (MP/SC) Assinale a seqüência que preenche corretamente.


“_______ dias não se consegue chegar _______ nenhuma das localidades_________ que
os socorros se destinam.”
a) Há-à-à b) A-há-a c) À-a-à d) Há-a-a e) À-à-a

5) (Mag/SP) Identifique a alternativa correta.


a) O juiz deverá chegar amanhã cedo à Brasília.
b) Fez à pé todo o caminho de São Tiago.
c) As inscrições estarão abertas à partir do dia 16.
d) É uma paisagem semelhante à da sua terra.
6) (MP/RS)Marque a opção em que há erro.
a) Irei amanhã a Porto Alegre.
b) Chego, sem demora, a Manaus.
c) O Dr. Carneiro, saudoso, enviou cartas as suas primas.
c) Falavam a pessoas como eu.
d) Apegava-se à sobrinha como último recurso.

7) Verifique se ocorre crase no a destacado.


Se o conceito de leitura geralmente está restrito À decifração da escrita, sua
aprendizagem, no entanto, quase sempre se refere a uma formação global do indivíduo. Já
entre gregos e romanos, ler e escrever significava estar ligado a essa ampliação cultural e
social, ou seja, era uma educação voltada À ascensão intelectual, espiritual e física,
possibilitando a alguma pessoa desfavorecida integrar-se À sociedade e, em alguns casos,
integrar-se a classes superiores.

8) Julgue a frase (certa ou errada).


a) Eles foram A Curitiba e depois viajarão à França.
b) No debate, fizeram referência A essa antiga idéia.
c) Não houve alusão A uma saída equilibrada.
d) Pagamento à vista e A prazo. Preço A combinar.
e) Enfim ficaram cara A cara, frente A frente.
f) A mensagem foi enviada A pessoas de várias idades.
g) Foi uma operação A laser.
h) Ainda não enviaram o pagamento A ela.
i) A prova foi solicitada A Vossa Senhoria.
j) As cartas foram enviadas A cada pessoa do curso.
l) Aquele ato foi contra A vida de todos.
m) Só se fará a entrega do documento à mesma pessoa da foto.
n) As matrículas começam A partir de março.
o) Sacrificou o animal A punhaladas.
p) Ele chega amanhã à bela Curitiba.
q) Perante A mulher estava o réu.
r) O trem não circulará à zero hora, somente à uma hora.
s) Era uma idéia semelhante à de ontem.

MÓDULO IV
PORTUGUÊS
Concordância Verbal
1. CONCORDÂNCIA VERBAL
A regra geral é o verbo concordar em número e pessoa com o núcleo do sujeito.
Algumas falhas ocorrem porque a noção intuitiva de sujeito está restrita a duas
características: ser o agente e vir antes do verbo. É por isso que todo desvio dessa estrutura
(ser agente e vir antes do verbo) tende a dificultar ou confundir a análise. Cientes de haver
uma diversidade de características e a posição nem sempre ser fixa, constata-se a
necessidade de identificar outros elementos para ampliar a segurança na hora de concordar.

1.1. Principais Falhas de Concordância


As causas principais que afetam a concordância e geram as falhas são:
a) verbo distante do sujeito (distância)
A queda nas bolsas de valores brasileiras nos mostram o tamanho da crise.
A queda nas bolsas de valores brasileiras nos mostra o tamanho da crise.
b) verbo antes do sujeito (inversão)
Existe, em toda a realidade brasileira, pequenas amostras de soluções.
Existem, em toda a realidade brasileira, pequenas amostras de soluções.
c) termo entre o sujeito e o verbo, distanciando-os (termo intercalado)
A produção de alimentos, em regiões distantes, em breve poderão ter nova opção.
A produção de alimentos, em regiões distantes, em breve poderá ter nova opção.
d) contexto pluralizado, mas núcleo do sujeito no singular (contexto)
A análise dos autores dos crimes nos revelarão novas perspectivas para o caso.
A análise dos autores dos crimes nos revelará novas perspectivas para o caso.
e) contexto singularizado, mas núcleo do sujeito no plural (contexto)
Os limites da nova tendência econômica mundial traz uma previsão sinistra.
Os limites da nova tendência econômica mundial trazem uma previsão sinistra.
f) confusão entre agente e sujeito da oração
Coube ao ministro as análises exigidas anteriormente.
Couberam ao ministro as análises exigidas anteriormente.
Pelos peritos foram feitos anteontem o exame que prova a paternidade.
Pelos peritos foi feito anteontem o exame que prova a paternidade.
Faltaram aos brasileiros mais garra.
Faltou aos brasileiros mais garra.
Ao Ministério Público é assegurado os mesmos direitos que as partes.
Ao Ministério Público são assegurados os mesmos direitos que as partes.
g) verbo haver impessoal, formando oração sem sujeito
Deve-se formar fila caso hajam muitas pessoas.
Deve-se formar fila caso haja muitas pessoas.
Se não houvessem tantas dívidas, ele poderia obter outra proposta.
Se não houvesse tantas dívidas, ele poderia obter outra proposta.
h) verbo fazer impessoal, formando uma oração sem sujeito
Tudo estará pronto, pois já fazem trinta dias que se fez a solicitação.
Tudo estará pronto, pois já faz trinta dias que se fez a solicitação.
i) voz passiva sintética
Não se confirmou ainda as datas para a viagem.
Não se confirmaram as datas para a viagem. =
= As datas não foram confirmadas para a viagem.
Rejeitou-se os pedidos.
Rejeitaram-se os pedidos. =
= Os pedidos foram rejeitados.

j) sujeito indeterminado
Tal posição deverá ser revista, já que não se tratam de medidas a curto prazo.
Tal posição deverá ser revista, já que não se trata de medidas a curto prazo.
l) falsa análise do sujeito, influenciada pelo pronome relativo
Não houve alteração dos códigos aos quais se referiam a nota interna.
Não houve alteração dos códigos aos quais a nota interna se referia.
O acórdão analisou os recursos extraordinário e especial, aos quais foram negados
seguimento.
O acórdão analisou os recursos extraordinário e especial, aos quais foi negado
seguimento.
m) falsa análise do sujeito (forma pelo conteúdo)
Já duram três meses a expectativa de renovação administrativa.
A expectativa de renovação administrativa já dura três meses.
Pouco se comentou das movimentações financeiras nas quais surgiram a
desconfiança de corrupção.
Pouco se comentou das movimentações financeiras nas quais a desconfiança de
corrupção surgiu.
n) verbos que trazem o problema na acentuação
Essa hipótese contêm o apoio dos doutrinadores.
Essa hipótese contém o apoio dos doutrinadores.
Tais idéias não provém do Brasil, ma sim dos países vizinhos.
Tais idéias não provêm do Brasil, ma sim dos países vizinhos.
Observação – Os principais verbos são: apaziguar, argüir, averiguar, ter (e
derivados), ver (e derivados) e vir (e derivados).
o) locução verbal
No decorrer desta semana, tem-se evitado atitudes súbitas.
Têm-se evitado atitudes súbitas no decorrer desta semana. =
= Atitudes súbitas têm sido evitadas no decorrer desta semana.
p) locução verbal formada com verbo impessoal
Devem haver alterações que melhorem o atendimento.
Deve haver alterações que melhorem o atendimento.
Inúmeros problemas econômicos têm havido no Brasil.
Inúmeros problemas econômicos tem havido no Brasil.
Estão fazendo três meses que ocorreu a festa.
Está fazendo três meses que ocorreu a festa.
q) locução verbal (tríplice) encabeçada por gerúndio + verbo ser
Houve opiniões diversas, podendo serem confrontadas em outro momento.
Houve opiniões diversas, podendo ser confrontadas em outro momento.
Todos alcançaram a nota exigida, devendo serem convocados em breve.
Todos alcançaram a nota exigida, devendo ser convocados em breve.

1.2. Duplas Concordâncias


Por que nascem as duplas concordâncias na língua portuguesa? Há uma
concordância básica (verbo concorda com o núcleo do sujeito) que ocorre em todos os
casos. Paralela a essa concordância, existe outra. Por um efeito psicológico, nosso
raciocínio despreza o núcleo do sujeito e passa a dar valor a outro elemento externo ao
núcleo do sujeito. Essa possibilidade, porém, não é aberta, não permite uma liberdade
plena, ou seja, não fica a critério do usuário estabelecer. Para organizarmos tais
possibilidades, dá-se a seguinte separação:
• concordância lógica: verbo concorda, em número e pessoa, com o núcleo do
sujeito;
• concordância psicológica: um elemento externo ao núcleo do sujeito passa a
influenciá-lo. Nesse caso, passam a conviver duas concordâncias.
Os principais casos são estes (observar as especificidades de cada caso):
• sujeito posterior ao verbo: Na reunião, vieram / veio o presidente e seus
assessores.
• partitivo + adjunto adnominal: A maioria dos espectadores participou /
participaram do evento.
• porcentagem + adjunto adnominal: Trinta por cento da população foram
atingidos / foi atingida pela enchente.
• expressões como poucos de nós, quais de nós: Poucos de nós fizeram / fizemos
o trabalho por completo.
• sujeito + advérbio de companhia: O presidente com seu assessor esteve /
estiveram no local do acidente.
• pronome indefinido quem: Foram os turistas quem observou / observaram a
falha.
• a expressão um dos que: O ex-presidente foi um dos que passou / passaram a
viver no estrangeiro.
• a expressão um e outro: Um e outro transeunte notaram / notou a demolição da
casa.
• a expressão nem um nem outro: Nem um nem outro contribuíram / contribuiu
com a solução do caso.
• a expressão nem...nem: Nem o Brasil nem a Argentina receberão / receberá
carne da Inglaterra.
• nome de obras: “Os Miseráveis” se eternizaram / se eternizou na literatura
universal.
• conjunção ou (alternância): O vinho francês ou o português já alcançaram /
alcançou fama mundial.
• verbo ser (ligando coisas): A vida são/ é lutas.
• verbo ser (indicando dia): São / É dezessete de janeiro.

1.3. Falhas Extraídas de Simulados


a) O núcleo do sujeito está no singular:
ERRADO: “...o objetivo de ambos são diversos”
CERTO: “...o objetivo de ambos é diverso”
ERRADO: “a ausência do dolo ou da culpa excluem a tipicidade do fato”
CERTO: “a ausência do dolo ou da culpa exclui a tipicidade do fato”

b) O núcleo do sujeito está no plural:


ERRADO: “...pode existir interesses de incapazes envolvidos”
CERTO: “...podem existir interesses de incapazes envolvidos”
c) Pronome relativo, substituindo palavra no plural, na função de sujeito:
ERRADO: “Assim, as cláusulas que estabelece a perda total...”
CERTO: “Assim, as cláusulas que estabelecem a perda total...”
ERRADO: “Em se tratando de ações que envolva união estável...”
CERTO: “Em se tratando de ações que envolvam união estável...”
ERRADO: “ao contrário dos outros, que somente encerra uma fase ou procedimento sem
encerrar o processo”
CERTO: “ao contrário dos outros, que somente encerram uma fase ou procedimento sem
encerrar o processo”
d) Núcleo do sujeito distante do verbo + termo intercalado:
ERRADO: “Ademais, delegados de polícia, conforme toda a doutrina, não exerce a
competência ratione loci.”
CERTO: “Ademais, delegados de polícia, conforme toda a doutrina, não exercem a
competência ratione loci.”
e) O núcleo do sujeito está no singular, porém está distante e com longos termos
intercalados:
ERRADO: “O controle concentrado acionado por meio de ação direta de
inconstitucionalidade ou por meio da ação declaratória de constitucionalidade não podem
ter como objeto leis municipais.”
CERTO: “O controle concentrado acionado por meio de ação direta de
inconstitucionalidade ou por meio da ação declaratória de constitucionalidade não pode ter
como objeto leis municipais.”
ERRADO: “A vontade de não prosseguir na execução e também de que o resultado não
ocorra é que as distinguem das excludentes de antijuridicidade, culpabilidade e do
perdão.”
CERTO: “A vontade de não prosseguir na execução e também de que o resultado não
ocorra é que as distingue das excludentes de antijuridicidade, culpabilidade e do perdão.”

f) Pronome relativo como sujeito, substituindo palavra no plural, porém há contágio de


palavra singular ao lado, que traz idéia de pessoa (confusão classificatória entre a
pessoa, agente e sujeito da frase):
ERRADO: “Impronúncia é a decisão que Juiz profere no Tribunal do Júri em razão da
inexistência de fatos e indícios que o convença sobre a modalidade do crime...”
CERTO: “Impronúncia é a decisão que Juiz profere no Tribunal do Júri em razão da
inexistência de fatos e indícios que o convençam sobre a modalidade do crime...”
g) Voz passiva sintética:
ERRADO: “Exige-se informações ostensivas”
CERTO: “Exigem-se informações ostensivas”
ERRADO: “Diverge a doutrina se se aplica estes preceitos”
CERTO: “Diverge a doutrina se se aplicam estes preceitos”
h) Sujeito indeterminado:
ERRADO: “a combinação entre os artigos pode dar a impressão errônea de que se tratam
de institutos, mas não o são”
CERTO: “a combinação entre os artigos pode dar a impressão errônea de que se trata de
institutos, mas não o são”
ERRADO: “Tratam-se de um instituto de Direito Penal”
CERTO: “Trata-se de um instituto de Direito Penal”
i) Ordem inversa:
ERRADO: “Não cabe aqui grandes elucubrações”
CERTO: “Não cabem aqui grandes elucubrações”
ERRADO: “Basta indícios da autoria”
CERTO: “Bastam indícios da autoria”
ERRADO: “quando estiver em discussão apenas direitos patrimoniais”
CERTO: “quando estiverem em discussão apenas direitos patrimoniais”
j) A expressão mais de um:
ERRADO: “foram praticadas mais de uma ação”
CERTO: “foi praticada mais de uma ação”

l) Núcleo composto; correlacionado, porém não é sinônimo:


ERRADO: “o art. 4o. e o seu parágrafo único do Código de Processo Penal estabelece
que...”
CERTO: “o art. 4o. e o seu parágrafo único do Código de Processo Penal estabelecem
que...”

EXERCÍCIOS

1) Escolha uma das opções.


a) Não mais se _________________ (exigiu / exigiram), a partir daquela data,
os fiadores.
b) Na reunião não se _________________ (pôs / puseram) idéias de épocas
diferentes.
c) Ainda hoje se _________________ (alimenta / alimentam), por motivos
políticos, os preconceitos coloniais.
d) Uma sociedade reorganiza constantemente suas normas, nas quais se
_________________ (identifica / identificam) evoluções, mas, nem sempre,
_________________-se (pode / podem) visar a melhorias nas relações.
e) Todos chegaram à idéia de que não se _________________ (tratava /
tratavam) de problemas econômicos, pois _________________ (houve / houveram)
muitas generalizações.
f) _________________-se (Tem / Têm) notado em nossa sociedade fatores
importantes na formação da cidadania, porém poucos avanços _________________ (tem /
têm) havido na área da educação.
g) _________________ (Deve / Devem) haver outras formas de resolver esse
problema, mas não se _________________ (deve / devem) aspirar somente aos aspectos
positivos.
h) _________________ (Há / Hão) de nascer, quanto à resolução, expectativas,
mas nem sempre _________________ (há / hão) de haver novidades.

2) Julgue os períodos quanto à concordância verbal (certo ou errado).


a) No Brasil, confiam-se muito pouco nos políticos.
b) A hipótese não é descartada, mas em vários países se tem acreditado em discos
voadores.
c) Em época anterior, tratava-se dessas hipóteses com os mesmos métodos.
d) O prédio continha aspecto comercial. Lá se costurava, por preços módicos, roupas,
dava-se aulas particulares, lavava-se roupas.
e) Por ser domingo, haviam muitos torcedores no estádio.
f) Apesar de ser segunda-feira, haviam comparecido muitos torcedores.
g) Foi-se, por analogia, verificando as convenções comuns aos dois países.
h) Vai fazer dois meses que não houve mudanças, mas deve fazer cinco anos que o projeto
já se encontra finalizado.
i) Segundo o ministro, há de haver em breve sensíveis alterações no sistema bancário.
j) Inúmeros casos têm havido em que se tem resolvido os problemas entre os próprios
envolvidos.

3) Passe o termo sublinhado para o plural e analise se haverá conseqüências em


outros elementos da construção.
MODELO: Falta para o início das avaliações um dia.
R.: Faltam para o início das avaliações dois dias.
a) Fez-se durante o dia alguma constatação de avanço nas questões salariais.
_________________________________________________________________________
_____________________________________________________
b) Procedeu-se naquela mesma tarde à leitura do regimento interno.
_________________________________________________________________________
_____________________________________________________
c) Não se fez a correção, e chance de revisão não haverá.
_________________________________________________________________________
_____________________________________________________
d) Naquela fase teórica, foi, por dedução, havendo nova hipótese.
_________________________________________________________________________
_____________________________________________________
e) Fará amanhã um mês que o projeto foi criado.
_________________________________________________________________________
_____________________________________________________
f) Conforme foi publicado, poderá haver profunda alteração na segurança pública.
_________________________________________________________________________
_____________________________________________________
g) Ocorreu a greve, não existiu acordo e houve desacordo entre os participantes.
_________________________________________________________________________
_____________________________________________________

GABARITO

a) Não mais se EXIGIRAM, a partir daquela data, os fiadores.


b) Na reunião não se PUSERAM idéias de épocas diferentes.
c) Ainda hoje se ALIMENTAM, por motivos políticos, os preconceitos coloniais.
d) Uma sociedade reorganiza constantemente suas normas, nas quais se IDENTIFICAM
evoluções, mas, nem sempre, PODE-se visar a melhorias nas relações.
e) Todos chegaram à idéia de que não se TRATAVA de problemas econômicos, pois
HOUVE muitas generalizações.
f) TÊM-se notado em nossa sociedade fatores importantes na formação da cidadania,
porém poucos avanços TEM havido na área da educação.
g) DEVE haver outras formas de resolver esse problema, mas não se DEVE aspirar
somente aos aspectos positivos.
h) HÃO de nascer, quanto à resolução, expectativas, mas nem sempre HÁ de haver
novidades.

2) Julgue os períodos quanto à concordância verbal (certo ou errado).


a) No Brasil, confiam-se muito pouco nos políticos. ERRADO
(No Brasil, confia-se muito pouco nos políticos.)
b) A hipótese não é descartada, mas em vários países se tem acreditado em discos
voadores. CERTO
c) Em época anterior, tratava-se dessas hipóteses com os mesmos métodos. CERTO
d) O prédio continha aspecto comercial. Lá se costurava, por preços módicos, roupas,
dava-se aulas particulares, lavava-se roupas. ERRADO
(O prédio continha aspecto comercial. Lá se costuravam, por preços módicos, roupas,
davam-se aulas particulares, lavavam-se roupas.)
e) Por ser domingo, haviam muitos torcedores no estádio. ERRADO
(Por ser domingo, havia muitos torcedores no estádio.)
f) Apesar de ser segunda-feira, haviam comparecido muitos torcedores. CERTO
g) Foi-se, por analogia, verificando as convenções comuns aos dois países. ERRADO
(Foram-se, por analogia, verificando as convenções comuns aos dois países.)
h) Vai fazer dois meses que não houve mudanças, mas deve fazer cinco anos que o projeto
já se encontra finalizado. CERTO
i) Segundo o ministro, há de haver em breve sensíveis alterações no sistema bancário.
CERTO
j) Inúmeros casos têm havido em que se tem resolvido os problemas entre os próprios
envolvidos. ERRADO
(Inúmeros casos tem havido em que se têm resolvido os problemas entre os próprios
envolvidos.)

3) Passe o termo sublinhado para o plural e analise se haverá conseqüências em


outros elementos da construção.
MODELO: Falta para o início das avaliações um dia.
R.: Faltam para o início das avaliações dois dias.
a) Fez-se durante o dia alguma constatação de avanço nas questões salariais.
Fizeram-se durante o dia algumas constatações de avanço nas questões salariais.
b) Procedeu-se naquela mesma tarde à leitura do regimento interno.
Procedeu-se naquela mesma tarde às leituras do regimento interno.
c) Não se fez a correção, e chance de revisão não haverá.
Não se fizeram as correções, e chances de revisão não haverá.
d) Naquela fase teórica, foi, por dedução, havendo nova hipótese.
Naquela fase teórica, foi, por dedução, havendo novas hipóteses.
e) Fará amanhã um mês que o projeto foi criado.
Fará amanhã dois meses que os projetos foram criados.
f) Conforme foi publicado, poderá haver profunda alteração na segurança pública.
Conforme foi publicado, poderá haver profundas alterações na segurança pública.
g) Ocorreu a greve, não existiu acordo e houve desacordo entre os participantes.
Ocorreram as greves, não existiram acordos e houve desacordos entre os participantes.

EXERCÍCIOS DE PROVA

1) (MP-SC) Assinale a alternativa correta.


a) No dia 31 de dezembro fizeram trinta e oito graus de calor.
b) Devem haver sérios compromissos.
c) Necessitam-se de experiências.
d) Havia já dois anos que não a encontrava.
e) Houveram comentários e palpites.
2) (MP-RS) No testamento, ___________ ao herdeiro as propriedades que lhe
___________ por direito.
a) ficaria assegurado - coubessem
b) ficaria assegurado - coubesse
c) ficariam asseguradas - coubessem
d) ficaria assegurado - caberia
e) ficaria assegurado - caberiam
3) (MP-SC) Assinale a alternativa incorreta.
a) O resto são trastes velhos.
b) Na mocidade tudo são esperanças.
c) Eram sete de maio da era de 1439.
d) Minas Gerais possuem grandes jazidas de ferro.
e) Eram elas quem fazia a limpeza da casa.

4) (MP-RS) ______ cuidadosamente os cálculos: _______ ainda de novas verbas, pois


cinqüenta mil reais _______ para obra tão complexa.
a) Fizeram-se - necessitavam-se - é pouco
b) Fez-se - necessitavam-se - são pouco
c) Fizeram-se - necessitavam-se - são pouco
d) Fez-se - necessitava-se - são pouco
e) Fizeram-se - necessitava-se - é pouco

5) (MP-SC) Assinale a frase que contém erro quanto ao emprego do verbo “fazer”.
a) Faz cinco meses que retornaram.
b) Aqui faz invernos com temperaturas abaixo de zero.
c) Vão fazer dois anos que a vi pela última vez.
d) Fazem-se muitos projetos e pouco é realizado.
e) Já deve fazer três vezes que ele não passa no teste.

6) (MP-SC) Marque a alternativa que completa corretamente.


“Já _______ anos, __________ nesta praia muitos siris e peixes. Hoje, só _________
lembranças e arrependimentos.”
a) fazem, haviam, existe
b) faz, havia, existem
c) faz, havia, existe
d) fazem, havia, existe
e) fazem, haviam, existem

7) (MP-SC) Marque a alternativa que completa corretamente.


“Quando _________ dez minutos para o término da reunião, _________ no painel as
realizações de cada um.”
a) faltar, serão mostrados
b) faltar, serão mostradas
c) faltar, será mostrado
d) faltarem, será mostrado
e) faltarem, serão mostradas
8) (MP-SC) Assinale a alternativa em que o verbo haver não admite plural e, por isso,
está errado.
a) Os jogadores já haviam deixado o campo.
b) Será que ainda haverão vagas no estacionamento?
c) Se eles não vierem, eles se haverão comigo.
d) Os condenado houveram o perdão para seus erros.
e) Os juízes se houveram como imparciais.

9) (MP-RS) Assinale a alternativa que contém erro.


a) Mais de um Tribunal já decidiu semelhante questão.
b) Não se trata de crimes inafiançáveis.
c) As estrelas parecia sorrirem.
d) Mais de um Juiz se revezavam nas audiências.
e) Vão haver dois julgamentos na próxima semana.
10) (Mag-SP) Aponte a alternativa correta.
a) Haviam muitas pessoas na sala.
b) Fazem dez anos que não o vejo.
c) Devem haver mais processos contra o réu.
d) Existiam muitas falhas no inquérito policial.

11) (Mag-SP)Assinale a oração correta, de acordo com a norma culta da língua.


a) Na prova houve muitas falhas.
b) Na prova houveram muitas falhas.
c) Teve muitas falhas na prova.
d) Existiu muitas falhas na prova.

12) (Of. Just.-Santos) Assinale a alternativa em que a concordância está


incorreta.
a) Quantos anos faz que os ecologistas se reúnem ?
b) Cinco meses vai fazer que não chove no sertão.
c) Cento e cinqüenta mil reais ainda são pouco.
d) Precisa-se de alternativas viáveis.
e) Em nossos dias necessita-se de projetos arrojados.

GABARITO
1) D 7) E
2) C 8) B
3) D 9) E
4) A 10) D
5) C 11) A
6) B 12) C
MÓDULO V
PORTUGUÊS
Concordância Nominal
1. Concordância Nominal
É a relação que se estabelece entre o substantivo e as palavras a ele vinculadas
(artigo, adjetivo, numeral e pronome). Deve-se atentar a algumas palavras que possuem
mais de uma classificação ou são invariáveis.

1.1. Palavras que geram dúvidas


Principais palavras que oferecem dúvidas quanto à flexão:
a) São adjetivos e concordam normalmente
• anexo (As notas serão enviadas anexas.)
• apenso (Apensas, remeteremos as exigências.)
• incluso (Os objetos não poderão ir inclusos.)
• leso (Aquilo não foi um crime de lesa-pátria, mas sim de leso-continente.)
• quite (Ele só estará quite conosco se efetuar o pagamento ainda hoje.)
b) Palavra com mais de uma classificação (depende de contexto)
• bastante (significa muito ou suficiente)

Classe Morfológica Sinônimo Exemplo


Adjetivo Suficiente Já havia pessoas bastante para testemunhar.

Pronome Indefinido Muito Já havia bastante pessoas.


Advérbio Muito Já havia pessoas bastante descontentes.
Substantivo suficiente Já havia o bastante.

• meio
− como numeral fracionário
variável: Todos os meios-dias e as meias-noites
− como advérbio de intensidade
invariável: Meio cansada, continuou a falar.
Observação – Como advérbio, em caso de dúvida troque por “muito”; não havendo
flexão, o “meio” é invariável.
Ela ainda está __?__ ressentida. = Ela ainda está meio (muito) ressentida.
• junto
− como adjetivo
variável: Eles vieram juntos
− como locução prepositiva
invariável: Eles estavam junto a nós. (junto a / de / com)
• mesmo / próprio
varia como palavra reforçativa: Ele feriu a si mesmo.
Eles mesmos fizeram isso.
não varia quando significa de fato, realmente: Eles vieram mesmo?
• alerta
advérbio: Os guardas se mantiveram alerta. Todos ficaram alerta.
substantivo: Os alertas foram dados.
c) Não variam
exceto (salvo, menos): Todos foram, exceto as crianças.
menos: Quanto mais ele cantava menos pessoas aplaudiam.
• pseudo: pseudo-analistas; pseudo-homens

1.2. Principais Estruturas que Oferecem Dúvidas Quanto à Flexão


a) adjetivo composto: flexiona apenas o último elemento
base jurídico-normativa, festa nipo-brasileira, reunião luso-franco-brasileira
Exceção: surdo-mudo (surda-muda, surdas-mudas, surdos-mudos), azul-celeste e
azul-marinho (invariáveis).
b) Flexão dos adjetivos que indicam cor
Verifique se há, explícita ou implicitamente, a expressão cor+de+(substantivo),
pois esse substantivo ficará invariável: cabelos cor de mel, cortinas (cor de) vinho, tons
pastel, paredes gelo, luvas cinza, capas violeta. O mesmo ocorre com os compostos: casas
verde-musgo, camisas azul-pavão, lenços amarelo-ouro.
c) Concordância Especial
Há as expressões é bom, é necessário, é preciso, é permitido, é proibido (e
semelhantes), que ficam invariáveis graças à generalização e à falta de determinação do
substantivo. Se houver, porém, a determinação (geralmente o artigo ou os pronomes
demonstrativos ou possessivos), ocorre a concordância normalmente.
Observe: sem determinação: Entrada de estranhos é proibido.
com determinação: A entrada de estranhos é proibida.
sem determinação: É necessário liberdade de expressão.
com determinação: É necessária a liberdade de expressão.
d) É muito comum o adjetivo ser usado no lugar do advérbio. Nesse caso, ficará
invariável.
Eles falaram alto. Ela escreveu rápido.
Observação: Nessas condições o adjetivo, além de ficar invariável, recebe o nome
de adjetivo adverbializado. Em geral são construções que podem ser também usadas com o
sufixo “-mente” (falou claro - falou claramente).
e) nas formações o mais possível, o menos possível, tem-se:
• artigo no singular: Quero dois pães o mais claros possível.
• artigo no plural: Quero dois pães os mais claros possíveis.

1.3. Posição dos adjetivos


• anteposto - concorda com o substantivo mais próximo: Bom caderno e caneta.
Novo terno e gravata. Bonita sala e quartos.
• posposto - concorda com o substantivo mais próximo (caderno e caneta boa) ou
com todos os substantivos (caderno e caneta bons).
Exceção – Se houver antônimos, nomes de pessoa ou de parentesco, leva-se o adjetivo para
o plural.
Ex.: Muitos são os fãs dos maravilhosos Machado e Eça.
O amor e o ódio eternos nasceram nela.
Observação – Se o adjetivo estiver anteposto e na função de predicativo, estará
correta a concordância com o mais próximo (atrativa) ou com o conjunto: Foram
cansativos a viagem e o passeio (ou) Foi cansativa a viagem e o passeio.

1.4. Principais Falhas


• Anexo, serão enviados os documentos. (correto: Anexos)
• Aquilo era como um crime de lesa-país. (correto: leso-país)
• Ele estava agora quites com os credores. (correto: quite)
• Foram encontradas bastante falhas ali. (correto: bastantes)
• Sabiam que a peça já estava meia desgastada. (correto: meio)
• Eles ficaram alertas. (correto: alerta)
• A tese de independência jurídica-financeira encontra oposição. (correto:
jurídico-financeira)
• As paredes eram verde-claro. (correto: verde-claras)
• Todos vestiam camisas cinzas. (correto: cinza)
• É proibida entrada de animais. (correto: proibido)
EXERCÍCIOS

1) Indique a(s) forma(s) que completa(m) com correção a lacuna.


a) _______________ ao produto, foram enviados as notas fiscais e o pedido
_______________.
( ) Anexos ( ) Anexo
( ) atualizadas ( ) atualizados ( ) atualizado
b) Isto é um crime de _______________-país.
( ) lesa ( ) leso
c) Apesar de já ser meio-dia e _______________, eles não têm _______________ provas.
( ) meia ( ) meio
( ) bastante ( ) bastantes
d) Embora eles estejam ___________________, não há suspeitas ___________________.
( )alerta ( )alertas
( )bastante ( )bastantes
e) As provas devem ser o mais convincentes ___________________.
( ) possível ( ) possíveis
f) A reclamação tem fundamento, pois só enviaram sapatos ___________________.
( ) cinza ( ) cinzas
g) Ela não se cansa de dizer “muito ___________________”.
( ) obrigado ( ) obrigada
h) ____________________certidões e registros foram ___________________.
( ) As obrigatórias ( ) Os obrigatórios
( ) levados anexo ( ) levados anexos
i) É ___________________, para atualizar a dívida, a soma dos débitos de 98. ( )
necessário ( ) necessária
j) As notas serão postas ___________________ao produto.
( ) junto ( ) juntas

2) Julgue as frases (certo ou errado).


a) Um laudo de uma pseuda-perita foi identificado.
b) Enviamos-lhe anexo, conforme solicitação de Vossa Excelência, a certidão de
antecedentes do réu.
c) Embora meio cansada pela longa noite de vigília, a mulher encontrava forças bastantes
para conduzir o carro .
d) Enquanto seguia a audiência, permaneciam silenciosas a juíza, as partes,
as testemunhas e os advogados.
e) É proibido a entrada de estranhos.
f) Eles foram levados a várias clínicas médica-cirúrgicas.
g) Elas tomaram duas meias garrafas.
h) Os jogadores estavam bastante cansados.
i) Anexo, enviamos-lhe a matéria já referida.
j) Para vencer, é necessário perseverança.
k) Entregaram, anexa à carta, os comprovantes das despesas.
l) Os responsáveis pela festa ficaram alertas, porque, no final, havia menos pessoas
conhecidas.

GABARITO

1) Indique a(s) forma(s) que completa(m) com correção a lacuna.


a) Anexos; atualizados ou atualizado;
b) leso-país;
c) meio-dia e meia; bastantes;
d) alerta; bastantes;
e) possível;
f) cinza;
g) obrigada;
h) obrigatórias; levados anexos;
i) necessária;
j) junto.

2) Julgue as frases (certo ou errado).


a) pseudO-perita;
b) anexA;
c) correta;
d) silenciosA ou silenciosOS;
e) proibidA;
f) clínicas médicO-cirúrgicas;
g) correta;
h) correto;
i) AnexA;
j) correto;
l) anexOS;
m) alertA.

MÓDULO VI
PORTUGUÊS
Regência Verbal

1. REGÊNCIA VERBAL

A relação entre o verbo e seu complemento em geral é simples e descomplicada,


mas algumas construções merecem mais detalhes. As principais falhas e causas são:
• uso cotidiano diverso da norma;
• verbos com regência diferente;
• voz passiva;
• pronomes pessoais (o / lhe);
• pronomes relativos.

1.1. Uso Cotidiano Diverso da Norma


1o. nível

Assistir (sentido de ver) VTI – a Ele assistiu ao confronto, à briga.

Implicar (sentido de gerar,


VTD Isso implicará multa, implicará penalidades.
acarretar)

Ele morava na Rua da Glória, na Alameda


Morar* EM
Juruti, na Praça da Liberdade.

Obedecer VTI – a Ele obedeceu ao regulamento; obedeceu à lei.

Pagar* VTDI – a Ele pagou a compra ao caixa.

Perdoar* VTDI – a Ele perdoou a dívida ao filho.

Preferir VTDI – a Ele preferiu dormir a viajar naquela noite.

Procedeu-se ao exame; Ele procedeu à


Proceder VTDI – a
leitura.
Ele residia nesta rua há muito tempo; residia
Residir* EM
na Rua da Glória.
Visar (sentido de
VTI – a Ele visava ao cargo; visava à vaga.
objetivar, desejar)

*Verbos, como morar, habitar, residir, situar-se, exigem preposição EM: Ele
morava na Rua...residia na Avenida...situava-se na Praça...Isso também vale para os
derivados: residente na Avenida...sito na Praça...
*Os verbos pagar e perdoar exigem preposição A para a pessoa beneficiada ou
instituição/estabelecimento que a represente (banco, padaria, supermercado, etc.): pagou ao
dono da padaria, pagou ao supermercado, perdoou ao homem. Cria-se, portanto, a seguinte
regência:
• sem preposição a coisa comprada ou perdoada: pagar o presente / perdoar a
dívida
• com preposição o ser que recebe: pagar ao caixa / perdoar ao filho

2o. nível
Abençoar VTD Ele abençoou sua atitude; ele o abençoou.

Adorar VTD Ele adorou a visita de vocês; ele os adorou.

Chegou ao conceito adequado; chegou a São


Chegar –a
Paulo.
Ir –a Ele foi à rua certa, foi a São Paulo.

Namorar VTD Já namorava a moça.

Pisar VTD Ele pisou o pé dela, pisou a grama.

Simpatizar (sem pronome


Ele simpatizou com a idéia.
átono)
Sobressair (sem pronome
Ele sobressaiu na disputa.
átono)
Ver VTD Ele viu as falhas; ele as viu.

1.2. Verbos com mais de uma regência e mais de um sentido

Aspirar VTD (sorver) Ele aspirou o perfume.


Aspirar VTI – a (almejar) Ele aspirou ao cargo.

Assistir VTD (ajudar) Ele assistiu o doente.


Assistir VTI – a (ver) Ele assistiu ao jogo.
Assistir VTI – a (ter direito) O silêncio assiste ao réu.
Assistir VI – em (morar) Ele assiste em São Paulo.

Implicar VTD (acarretar) O fato implica duras penas.


Implicar VTI – em (envolver-se) Ele se implicou em assaltos.
Implicar VTI – com (aborrecer) Ele implicou com as crianças.

Visar VTD (assinar) Ele visou o documento.


Visar VTI – a (almejar) Ele visou ao cargo.

Observação: O verbo visar seguido de infinitivo permite que a preposição seja


facultativa;
Exemplo 1: O fundo mútuo visou ajudar os mais necessitados.
(ou) O fundo mútuo visou a ajudar os mais necessitados.
Exemplo 2: Sempre visava fazer o bem.
(ou) Sempre visava a fazer o bem.

1.3. Verbos com mais de uma regência com o mesmo sentido.


a) Os verbos lembrar e esquecer têm estas particularidades:
• se usados com pronome, põe-se a preposição: Ele não se lembrou da data. Ele
se esqueceu do documento. Lembrou-se da promessa.
• se usados sem pronome, não se põe a preposição: Ele não lembrou a data. Ele
esqueceu o documento. Lembrou a promessa.
b) Quanto aos verbos avisar, certificar, cientificar, encarregar, impedir,
incumbir, informar, notificar, proibir, a regência, na atualidade, tende a se formar
basicamente de duas formas:
• algo a alguém: Avisar ao menino as férias. Avisar-lhe as férias.
(objeto indireto) (objeto direto)
• alguém de algo: Avisar o menino das férias. Avisá-lo das férias.
(objeto direto) (objeto indireto)

A preocupação é não misturar as duas regências:


correto: Já lhe avisei os perigos.
(ou) Já o avisei dos perigos.
errado: Já lhe avisei dos perigos.

1.4. Limites para a voz passiva


Cria-se a voz passiva somente com transitivos diretos. Os outros tipos de verbo não
a podem formar (exceção: atender, obedecer, pagar, perdoar, responder).
correto: Todos visaram à perfeição.
Visou-se à perfeição.
errado: A perfeição foi visada por todos.

correto: Ele assistiu ao jogo.


errado: O jogo foi assistido por ele.

1.5 Dupla regência


Se os verbos possuem regência distinta, não se usa um só complemento para os dois.
Em frases como "Ele leu e gostou do livro" há falha, pois: ler algo, gostar de algo. O
correto nesse caso é usar cada um com o seu complemento, respeitando a ordem da
construção: Ele leu o livro e gostou dele. Outro exemplo:
correto: Ele resolveu vir ao Brasil e aqui ficar.
errado: Ele resolveu vir e ficar no Brasil

1.6. Uso do pronome pessoal: o / lhe


O pronome “o” funciona essencialmente como objeto direto, portanto
complementando os verbos transitivos diretos. Já o pronome “lhe” contém um uso meio
restrito, limitado a três hipóteses combinadas:
• é o complemento que sempre exige preposição A ou PARA (e mais raramente
EM) ao ser trocado por um nome;
• em geral introduz a idéia de destinatário ou ser beneficiado;
• na troca por um nome (por exemplo, José) deve assim aparecer: a José / para
José (e mais raramente em José (destinatário, receptor).

Eis alguns exemplos: Nós lhe enviamos as cartas (lhe = a José).


As crianças lhe foram obedientes (lhe = a José).
Acertaram-lhe um tiro (lhe = em José).

Na maioria das vezes também se pode fazer a substituição pelo pronome


ele, ela, porém sempre preposicionado:
Remeti-lhes as cartas. = Remeti as cartas a elas.
Não lhes foi dada nova chance. = Não foi dada nova chance a eles.
Os visitantes não lhe foram fiéis. = Os visitantes não foram fiéis a eles.
Roubaram-lhe a bolsa. = Roubaram a bolsa dela.
Também há uma estrutura em que o pronome “lhe” funciona como um pronome
possessivo, indicando o possuidor de algo:
Rasgaram-lhe a camisa (Rasgaram a sua camisa / Rasgaram a camisa dele).
Roubaram-lhe a carteira (Roubaram a sua carteira / Roubaram a carteira dele)

1.7. Pronome relativo


O pronome relativo virá acompanhado de preposição se for complemento de verbo
transitivo indireto.
correto: Houve uma opinião de que todos discordaram.
errado: Houve uma opinião que todos discordaram.

correto: “O Estado fica responsável pela reparação dos danos a que seus agentes
derem causa”
errado: “O Estado fica responsável pela reparação dos danos que seus agentes
derem causa”

1.8. Sujeito e preposição


O núcleo do sujeito não vem casado com preposição, ou seja, apesar de estarem
frente a frente, não se unem.
Observe: “Apesar de o homem faltar à convocação, houve...”
preposição sujeito verbo
evite: “Apesar dessa arma ser de brinquedo...”
use: “Apesar de essa arma ser de brinquedo...”

Em nossos códigos, há alguns exemplos:


(CPC) art. 881 - “...e a proibição de o réu falar nos autos...”;
(CPP) art. 570 - “...desde que o interessado compareça, antes de o ato consumar-
se,...”.

1.9. Falhas mais comuns


Observe as falhas mais comuns e as respectivas correções:
Ele não assistiu o depoimento ontem.
correto: Ele não assistiu ao depoimento ontem.
Ele não chegou no resultado esperado.
correto: Ele não chegou ao resultado esperado.
Depois do trabalho, ele voltou no bar e lá encontrou seu rival.
correto: Depois do trabalho, ele voltou ao bar e lá encontrou seu rival.
Quase já não se lembrava da cidade que tinha nascido.
correto: Quase já não se lembrava da cidade em que tinha nascido.
Três são as hipóteses que há a consunção.
correto: Três são as hipóteses em que há a consunção.
Aquela idéia absurda foi discordada por todos.
correto: Todos discordaram da idéia. (ou) Discordou-se da idéia.
(A voz passiva está restrita aos verbos transitivos diretos.)
Ele não concordava nem discordava dos valores cobrados.
correto: Ele não concordava com os valores cobrados nem discordava deles.
Lembrou da promessa.
correto: Lembrou-se da promessa. (ou) Lembrou a promessa.

O escritório situava-se à Rua da Glória.


correto: O escritório situava-se na Rua da Glória.
A vítima é residente e domiciliada à Av. José Bonifácio.
correto: A vítima é residente e domiciliada na Av. José Bonifácio.
Ele não perdoava o filho.
correto: Ele não perdoava ao filho.
Eles não lhe viram passar.
correto: Eles não o viram passar.
Deixando a parte de executar o julgado que lhe favorece, determinou-se o
arquivamento dos autos.
correto: Deixando a parte de executar o julgado que a favorece, determinou-se o
arquivamento dos autos.
Ambos tinham a intenção de matá-lo, caso este não tivesse o dinheiro para
pagá-los.
correto: Ambos tinham a intenção de matá-lo, caso este não tivesse o dinheiro para
pagar-lhes.
Exigiu que todos deveriam obedecê-lo.
correto: Exigiu que todos deveriam obedecer-lhe.
Já lhe haviam informado do atraso.
correto: Já lhe haviam informado o atraso. (ou) Já o haviam informado do atraso.

EXERCÍCIOS
Tópicos da Regência Verbal

Uso Cotidiano Diverso da Norma


a) As testemunhas não assistiram _______________ confronto, pois só chegaram
_______________ local depois da confusão.
()o ( ) ao
( ) no ( ) ao
b) Tal atitude implicará _______________ prevista em lei.
( ) em multa ( ) multa
c) Ele é residente e domiciliado _______________ Rua das Flores, 100.
( ) na ()à
d) Se aspiram _______________ uma vida mais tranqüila, devem dedicar-se
_______________ coisas simples, obedecendo _______________ natureza.
()a ()à
()a ()à ( ) às
()a ()à
e) O indiciado pagou primeiro _______________ vizinho e em seguida _______________
supermercado.
()o ( ) ao
()o ( ) ao
f) O enfermeiro assistiu _______________ doente.
()o ( ) ao

g) A mulher não perdoou _______________ marido, disse que jamais _______________


perdoaria.
()o ( ) ao
()o ( ) lhe
h) _______________ entender o exercício.
( ) Custei ( ) Custou-me
i) Ele preferiu a condenação _______________ confessar os erros.
( ) do que ()a ()à
j) Com o rigor na prova, visavam _______________ uma seleção rigorosa.
()a ()à
l) Eles eram _______________.
( ) em cinco ( ) cinco.
m) Esse trabalho visa _______________ respeito à lei e ao direito.
()o ( ) ao
n) O embrulho foi entregue _______________ domicílio.
( ) em ( ) à ()a

2. Um só Complemento para Verbos de Regência Distinta


Corrija as frases.
a) Segundo a Lei, ninguém será levado e mantido na prisão sem motivos.
_______________________________________________________________
b) Ouvimos e gostamos da idéia.
_______________________________________________________________
c) Ele concordava e aceitava nossos princípios.
_______________________________________________________________

d) Ele se lembrou e pagou a dívida no mesmo dia.


_______________________________________________________________

3. Verbos com Mais de Uma Regência, mas com o Mesmo Sentido


a) Afirmou que não se lembrava _______________ da briga.
( ) o porquê ( ) do porquê
b) Quanto aos candidatos, já _______________ informaram ontem a
classificação.
( ) os ( ) lhes
c) Ocorreu, paralela à festa, a explosão _______________ o avisamos.
( ) que ( ) de que
d) Avise _______________ alunos da obrigatoriedade da identificação.
( ) aos ( ) os

4. Pronomes Pessoais Átonos


a) A cultura indígena não separava homem, natureza e deuses, adorando-
_______________ dentro de um mesmo valor.
( ) os ( ) lhes
b) Quanto ao credor, o réu deve _______________ dentro do prazo estipulado.
( ) pagá-lo ( ) pagar-lhe
c) A intenção era de _______________.
( ) obedecê-lo ( ) obedecer-lhe
Observação – Com os verbos aludir, aspirar (= almejar), assistir (= ver), obedecer
(relacionado com a idéia de coisa), proceder (= realizar), visar (= almejar), não se usa o
pronome “lhe”, mas “a ele” (e variações).
Exemplo: Assistiram ao jogo. = Assistiram a ele.
Visaram aos cargos. = Visaram a ele.

5. Pronomes Relativos
Corrija as frases.
a) As idéias que discordamos podem revelar outras verdades.
_______________________________________________________________

b) Poucas eram suas palavras que podemos acreditar.


_______________________________________________________________

c) (AFTN) Ao prestar depoimento, Carlos Fernando disse que agia com outro
traficante, que a polícia prefere manter sigilo, para não prejudicar as investigações.
_______________________________________________________________

6. Verbos não Pronominais: confraternizar, simpatizar e sobressair


Corrija a frase.
a) Ele se sobressaiu no concurso, porém poucos se simpatizaram com suas idéias.
_______________________________________________________________

7. Limites para a Voz Passiva


Corrija as frases.
a) O cargo foi visado por muitos.
_______________________________________________________________
b) O exame foi procedido por bons peritos.
_______________________________________________________________
c) O jogo foi assistido por mil pessoas.
_______________________________________________________________
Exceção: atender, obedecer, pagar, perdoar e responder possuem um uso na passiva
abonado por vários gramáticos.
GABARITO

Uso Cotidiano Diverso da Norma


a) ao / ao
b) multa
c) na
d) a / às/ à
e) ao/ ao
f) o
g) ao/ lhe
h) Custou-me
i) a
j) a
l) cinco
m) ao
n) em

2. Um só Complemento para Verbos de Regência Distinta


a) Segundo a Lei, ninguém será levado à prisão e mantido nela.
b) Ouvimos a idéia e gostamos dela.
c) Ele concordava com nossos princípios e os aceitava.
d) Ele se lembrou da dívida e a pagou.

3. Verbos com Mais de Uma Regência, mas com o Mesmo Sentido


a) do porquê
b) lhes
c) de que
d) os.

4. Pronomes Pessoais Átonos


a) os
b) pagar-lhe
c) obedecer-lhe.

5. Pronomes Relativos
a) As idéias de que discordamos podem revelar outras verdades.
b) Poucas eram suas palavras em que podemos acreditar.
c) (AFTN) Ao prestar depoimento, Carlos Fernando disse que agia com outro
traficante, de que a polícia prefere manter sigilo, para não prejudicar as investigações.

6. Verbos não Pronominais: confraternizar, simpatizar e sobressair


a) Ele sobressaiu no concurso, porém poucos simpatizaram com suas idéias.

7. Limites para a Voz Passiva


a) Muitos visaram ao cargo.
b) Bons peritos procederam ao exame.
c) Mil pessoas assistiram ao jogo.

QUESTÕES DE PROVAS

1. (MP-RS) Esquecia-se freqüentemente _______________, mas não esquecia jamais


_______________ noturnas _______________ tanto gostava.
a) dos compromissos – as diversões – de que
b) os compromissos – as diversões – que
c) dos compromissos – das diversões – de que
d) dos compromissos – as diversões – que
e) os compromissos – das diversões – de que

2. (MP-SC) Assinale a alternativa incorreta quanto à regência verbal.


a) O trabalho visa o respeito à lei e ao direito.
b) O Juiz procedeu ao sorteio dos jurados.
c) O ar que aspiramos é muito limpo.
d) A casa a que me referi é de meu amigo.
e) São dois jovens a quem queremos bem.

3. (Mag-SP) Assinale a oração correta.


a) Não me simpatizo com você.
b) Não simpatizo com ele.
c) O espetáculo foi assistido por todos nós.
d) Eu lhe considero muito.

4. (Mag-SP) Assinale a oração correta.


a) O médico assistiu o paciente.
b) O médico assistiu ao paciente.
c) Este espetáculo, já lhe assisti.
d) Esta profissão, não lhe aspiro.

5. (Mag-SP) Assinale a alternativa correta.


a) Deixando a parte de executar o julgado que lhe favorece, determino o arquivamento dos
autos.
b) Quando cheguei no tribunal, custei a acreditar no volume de defeitos que há em segunda
instância.
c) Li e gostei muito do último livro de processo civil daquele autor italiano.
d) A causa por que lutamos e os princípios a que aspiramos são superiores e indiscutíveis.

6. (MP-RS) A regência está correta em:


a) Prefiro a dança ao jogo.
b) Prefiro a dança mais que o jogo.
c) Prefiro mais a dança que o jogo.
d) Prefiro mais a dança do que o jogo.
e) Prefiro à dança ao jogo.

7. (MP-RS) Há erro de regência em:


a) O garoto obedeceu ao pedido do pai.
b) Todos preferem mais o certo que o errado.
c) Essas são as verdades em que acredito.
d) O atleta aspirava ao primeiro lugar.
e) Alguém deveria assistir o rapaz ferido.

8. (MP-RS) Há erro de regência em:


a) Já o avisamos do erro.
b) Você pagou ao cobrador?
c) Esse direito assiste aos professores.
d) A vitória foi visada pelo lutador.
e) Todos desobedeceram ao guarda.

9. (MP-RS) Assinale a alternativa que completa corretamente.


Lia um autor muito difícil; não _______________ entendia nem _______________
admirava. A leitura, no entanto, não _______________ aborrecia.
a) o – o – lhe
b) lhe – o – lhe
c) o – lhe – lhe
d) lhe – lhe – lhe
e) o – o – o

10. (MP-RS) Assinale a alternativa que completa corretamente.


Ao mesmo tempo que _______________ informo de sua aprovação, felicito-
_______________ com entusiasmo e abraço-_______________ cordialmente.
a) lhe – lhe – o
b) lhe – o – o
c) o – lhe – o
d) o – o – lhe
e) o – o – o

11. (MP-RS) Assinale a alternativa que completa corretamente.


Recorreu _______________ irmã e _______________ ela se apegou como
_______________ uma tábua de salvação.
a) à – à – a
b) à – a – à
c) a – a – a
d) à – a – a
e) à – à – à

12. Assinale a alternativa incorreta.


a) Não procedem as acusações que lhe fazem.
b) O secretário procedeu a leitura da ata.
c) Do latim vulgar, procede a língua portuguesa.
d) No tribunal, procedeu-se ao inventário dos objetos.
e) Nenhum argumento procedeu.

GABARITO

1. a
2. a
3. b
4. a
5. d
6. a
7. b
8. d
9. e
10. e
11. d
12. b

MÓDULO VII
PORTUGUÊS
Conjugação Verbal
1. CONJUGAÇÃO VERBAL
Deve-se pensar que a conjugação só se erra por abundância de formas. Procura-se,
portanto, ter consciência da padronização adequada. Por exemplo: intervir é "filho" de vir,
logo veio gera interveio.

1.1. Pequena Teoria


A mínima teoria que não pode ser desprezada se refere a:
a) os tempos também possuem uma relação paternal, ou seja, há tempos que
geram outros.
Aqui serão destacados:

Tempo Primitivo Tempo Derivado

1. presentedo indicativo presente do subjuntivo (derivado)


eu caibo que eu caiba, tu caibas, etc.
2. pretérito perfeito pret. mais-que-perf. do indicativo: soubera, etc.
do indicativo: pret. imperf. do subjuntivo: se eu soubesse, etc.
eles souberam futuro do subjuntivo: quando souber, etc.

b) boa parte dos verbos irregulares ou defectivos apresentará problemas nas


formas rizotônicas (a vogal tônica está no radical).
Isso ocorre nos seguintes tempos e pessoas:

presente do indicativo presente do subjuntivo


eu, tu, ele, eles eu, tu, ele, eles

1.2. Visão do conjunto


Principais verbos que apresentam problemas nos presentes do indicativo e do
subjuntivo.

Subjuntivo Presente Indicativo Presente

passeio, passeias, passeie, passeies,


Verbos terminados em –ear. nas f. rizotônicas, passeia(m) passeie(m)
o e do radical transforma-se no ditongo ei. (mas: passeamos, (mas: passeemos,
passeais) passeeis)

medeio, medeias, medeie, medeies,


Mediar, ansiar, remediar, incendiar e odiar, medeia(m) medeie(m)
nas f. rizotônicas, o i do radical passa para ei. (mas: mediamos, (mas: mediemos,
mediais) medieis)

Adequar – defec.: só se conjuga nas , , ,


não existe
f. arrizotônicas adequamos, adequais

, , ,
Computar – defec.: não há eu, tu, ele do
computamos, não existe
presente do indicativo
computais, computam
, , ,
Precaver – defec.: só se conjuga nas
precavemos, não existe
f. arrizotônicas
precaveis
hei, hás, há,
Reaver – defec.: só se conjuga quando o
havemos, haveis, hão
verbo haver conserva a letra v em sua não existe
, , , reavemos,
conjugação
reaveis
, viges, vige,
Viger – defec.: não possui o eu no presente
vigemos, vigeis, não existe
do indicativo
vigem

, aboles, abole,
*Abolir – defec.: não possui o eu no presente
abolimos, abolis, não existe
do indicativo
abolem

, , , falimos,
*Falir – defec.: só possui as f. arrizotônicas não existe
falis

* Muitos verbos seguem abolir, repetindo as mesmas falhas. São estes os principais:
aturdir, banir, brandir, brunir, carpir, colorir, delinqüir, delir, demolir, exaurir, explodir,
extorquir, fremir, fulgir, haurir, latir, puir, ruir, retorquir, tinir, ungir.

* Muitos verbos seguem a conjugação de falir, repetindo as mesmas lacunas. São


estes os principais: adimplir, adir, aguerrir, combalir, comedir-se, embair, empedernir,
foragir-se, fornir, puir, remir, renhir, transir.

1.3. Visão Individual


Os verbos que geralmente são usados com falha:
a) ter e seus derivados
Indicativo
Presente: ele tem – ele contém – ele detém – ele entretém – ele retém
eles têm – eles contêm – eles detêm – eles entretêm – eles retêm
Pret. Perf.: tive – tiveste – tive – tivemos – tivestes – tiveram
detive – detiveste – detive – detivemos – detivestes – detiveram
contive – contiveste – contive – contivemos – contivestes – contiveram
entretive – entretiveste – entretive – entretivemos – entretivestes – entretiveram

Pret. Imperf.: tinha – tinhas – tinha – tínhamos – tínheis – tinham


detinha – detinhas – detinha – detínhamos – detínheis – detinham
continha – continhas – continha – contínhamos – contínheis – continham
entretinha – entretinhas – entretinha – entretínhamos – entretínheis – entretinham

Observação: Seguem o verbo ter: abster-se, ater-se, conter, deter, entreter, manter,
obter, reter e suster.
b) derivados de vir
Indicativo
Presente: ele vem – ele intervém – ele provém – ele sobrevém
eles vêm – eles intervêm – eles provêm – eles sobrevêm

Pret. Perf.: vim – vieste – veio – viemos – viestes – vieram


intervim – intervieste – interveio – interviemos – interviestes – intervieram
provim – provieste – proveio – proviemos – proviestes – provieram.

Observação: Seguem o verbo vir: advir, avir-se, contravir, convir, desavir-se,


intervir, provir, reconvir, sobrevir.
c) verbos terminados em –uir, –air e –oer, no “ele” do presente do indicativo,
recebem sempre a vogal “i”:
Indicativo
Presente: ele retribui
ele constitui
ele subtrai
ele extrai
ele remói
d) remediar e mediar (seguem fielmente odiar)
Indicativo
Presente: odeio – odeias – odeia – odiamos – odiais – odeiam
medeio – medeias – medeia – mediamos – mediais – medeiam
e) verbos terminados em –ear (seguem passear)
Indicativo
Presente: passeio – passeias – passeia – passeamos – passeais – passeiam
pleiteio – pleiteias – pleiteia – pleiteamos – pleiteais – pleiteiam
f) requerer (não segue o verbo querer)
Indicativo
Presente: requeiro – requeres – requer – requeremos – requereis – requerem
Pret. Perf.: requeri – requereste – requereu – requeremos – requerestes – requereram
Subjuntivo
Pret. Imperf.: requeresse – requeresses – requeresse – requerêssemos –
requerêsseis – requeressem
Futuro: requerer – requereres – requerer – requerermos – requererdes – requererem
g) prover (segue “ver” só no presente do indicativo e tempos derivados; no
restante segue o verbo regular)
Indicativo
Presente: provejo – provês – provê – provemos – provedes – provêem
Pret. perf.: provi – proveste – proveu – provemos – provestes – proveram

Subjuntivo
Presente: proveja – provejas – proveja – provejamos – provejais – provejam
Pret. imperf.: provesse – provesses – provesse – provêssemos – provêsseis – provessem
Futuro: prover – proveres – prover – provermos – proverdes – proverem
h) computar (não possui “eu”, “tu” e “ele” do presente do indicativo e todo o
presente do subjuntivo)
Indicativo
Presente:  –  –  – computamos – computais – computam

Subjuntivo
Presente: – – – – –
i) viger (não possui o “eu” do presente do indicativo e, por conseqüência, o
presente do subjuntivo inteiro; é verbo usado quase sempre na terceira pessoa).
Indicativo
Presente: – viges – vige – vigemos – vigeis – vigem
Pretérito perf.: vigi – vigeste – vigeu – vigemos – vigestes – vigeram
Pretérito imperf.: vigia – vigias – vigia – vigíamos – vigíeis – vigiam
Futuro do presente: vigerei – vigerás – vigerá – vigeremos – vigereis – vigerão

Subjuntivo
Presente: – – – – –

Formas Nominais
Gerúndio: vigendo

Observação: Atenção ao pretérito perfeito do indicativo, na terceira pessoa do


singular, pois não existem na língua portuguesa a forma “a lei vigiu”, “a lei está
vigindo”. O correto é “a lei vigeu”, “a lei está vigendo”.
j) adequar (não possui as formas rizotônicas [eu, tu, ele e eles do presente do
indicativo] e também todo o presente do subjuntivo); no restante possui conjugação
normal
Indicativo
Presente: – – – adequamos – adequais –
Subjuntivo
Presente: – – – – –
l) precaver (não possui as formas rizotônicas [eu, tu, ele e eles do presente do
indicativo] e também todo o presente do subjuntivo); no restante segue o verbo
paradigma (vender, por exemplo)
Indicativo
Presente: – – – precavemos – precaveis –
Pret. perf.: precavi – precaveste – precaveu – precavemos – precavestes – precaveram

Subjuntivo
Presente: – – – – –

m) reaver (não possui as formas rizotônicas [eu, tu, ele e eles do presente do
indicativo] e também todo o presente do subjuntivo); segue o verbo haver nas formas em
que há a letra V:
Indicativo
Presente: hei – hás – há – havemos – haveis – hão
Presente: – – – reavemos – reaveis – 
Pret. Perf.: houve – houveste – houve – houvemos – houvestes – houveram
Pret. Perf.: reouve – reouveste – reouve – reouvemos – reouvestes – reouveram

Observação: não existem na língua portuguesa reavi, reaveu ou reaviu. É o


correto: eu reouve, ele reouve.
Subjuntivo
Presente: haja – hajas – haja – hajamos – hajais – hajam
Presente: – – – – –
n) apaziguar e averiguar (trazem complicações de acento e pronúncia)
Indicativo
Presente: apaziguo – apaziguas – apazigua – apaziguamos – apaziguais – apaziguam

Subjuntivo
Presente: apazigúe, apazigúes, apazigúe, apazigüemos, apazigüeis, apazigúem
o) argüir (traz complicações de acento e pronúncia)
Indicativo
Presente: arguo – argúis – argúi – argüimos – argüis – argúem
Pretérito perf.: argüi – argüiste – argüiu – argüimos – argüistes – argüiram
Pretérito imperf.: argüia – argüias – argüia – argüíamos – argüíeis – argüiam

Subjuntivo
Presente: argua – arguas – argua – arguamos – arguais – arguam
p) ferir (apresenta irregularidades nos dois presentes)
Indicativo
Presente: firo – feres – fere – ferimos – feris – ferem
Subjuntivo
Presente: fira – firas – fira – firamos – firais – firam

Observação: Por ferir, conjugamos: aderir, advertir, aspergir, aferir, auferir,


cerzir, compelir, competir, concernir, conferir, conseguir, consentir, convergir, deferir,
despir, diferir, divergir, discernir, divertir, gerir, deferir, desferir, desservir, diferir,
digerir, expelir, impelir, indeferir, inerir, inferir, ingerir, inserir, investir, mentir,
perseguir, preterir, propelir, prosseguir, refletir, repelir, repetir, revestir, seguir, servir,
sugerir, vestir e outros.

EXERCÍCIOS

1) Indique a(s) alternativa(s) que completa(m) com correção a lacuna. No caso de


ausência, indique com .
a) Os Estados Unidos _______________ acordo no Oriente Médio. Essa intervenção
_______________ provisoriamente a situação.
( ) media ( ) medeia ( ) mediam ( ) medeiam
( ) remedia ( ) remedeia
b) Hoje, muitas organizações _______________ positivamente na sociedade, fazendo com
que a população se _______________.
( ) intervém ( ) intervêem ( ) intervêm
() ( ) precavenha ( ) precaveja
c) O governador _______________ sua posição partidária. Afirmou ser preciso que o
partido _______________ a confiança do eleitor.
( ) reouve ( ) reaveu ( ) reaviu ()
() ( ) reavenha ( ) reaveja ( ) reava
d) É viável que a prefeitura _______________ suas escolas. Em um caso, uma cidade não
_______________ por motivos políticos.
( ) proveja ()
( ) proveu ( ) proviu ( ) proveio ()
e) As dificuldades nem sempre _______________ dos grandes centros, pois as pesquisas
_______________ problemas no interior do país.
( ) provém ( ) provêem ( ) provêm ( ) 
( ) prevém ( ) prevêem ( ) prevêm ()
f) O brasileiro nem sempre _______________ a atuação de seu candidato. Essa atitude
pouco _______________ na hora das eleições.
( ) computa ()
( ) contribui ( ) contribue
g) Ele não se _______________ do acidente, mas seu bom senso _______________ na
hora. Depois todos _______________ mais segurança
( ) precaveu ( ) precaveio ( ) precaviu ()
( ) interviu ( ) interveio ()
( ) requereram ( ) requiseram

GABARITO

1) Indique a(s) alternativa(s) que completa(m) com correção a lacuna. No caso de


ausência, indique com .
a) medeiam, remedeia
b) intervêm,
c) reouve,
d) proveja, proveu
e) provêm, prevêem
f) , contribui
g) precaveu, interveio, requereram

QUESTÕES DE PROVAS

1) (Mag-SP) Escolha a alternativa que preenche as lacunas da frase abaixo com as


formas corretas dos verbos ter e vir.
A vida _______________ percalços que _______________ sem ninguém esperar; quando
um deles _______________, todos _______________ de enfrentar com decisão.
a) tem, vêm, vem, têm
b) têm, vêm, vem, tem
c) têm, vem, vêm, tem
d) tem, vem, vêm, têm
2) (Mag-SP) Assinale a alternativa correta.
a) Não adianta buscar soluções que não se adéqüem ao caso concreto, nem se
embasem na lei.
b) Ela intermedeia conflitos e remedeia situações problemáticas.
c) É mister que ele se precavenha contra tudo e contra todos.
d) Pleitea-se o que não se pode obter e opta-se por uma solução à margem da lei.
3) (Mag-SP) Assinale a alternativa correta de acordo com a norma culta da língua.
a) Se se comporem consensualmente as partes, o processo terá um fim célebre.
b) Se reaverem seus bens antes da audiência, os autores não se oporão ao fim da
demanda.
c) Porque não crêem na parte contrária, os réus mantêm uma atitude reservada.
d) O réu interviu no feito e reconviu no prazo legalmente previsto.

4) (MP-RS) Assinale a alternativa que completa corretamente o período:


“_______________ que a frase ficará mais elegante se _______________ os termos da
oração e _______________ o sujeito oculto.”
a) Convenhamos – transpormos – mantermos
b) Convimos – transpusermos – mantermos
c) Convimos – transpormos – mantivermos
d) Convenhamos – transpusermos – mantivermos
e) Convenhamos – transpusermos – mantermos

5) (MP- RS) Assinale a alternativa correta.


“Eu não _______________ outros autores; _______________ minhas falhas e
_______________ contra quaisquer críticas.”
a) plagio – remedio – acautelo-me
b) plageio – remedeio – precavenho-me
c) plagio – remedeio – acautelo-me
d) plageio – remedeio – precavejo-me
e) plagio – remedeio – precavenho-me

6) (MP-RS) Marque a opção incorreta.


a) É provável que a comissão sobreste o exame desses processos.
b) Quando o vir, dê-lhe o recado.
c) O réu reconveio, como já era esperado.
d) Quero que se consignem na ata esses protestos.
e) É preciso que se distingam as duas situações.

GABARITO

1–A
2–B
3–C
4–D
5–C
6–A
MÓDULO VIII
PORTUGUÊS
Acentuação Gráfica
Ortografia
Prefixo e Hífen

1. ACENTUAÇÃO GRÁFICA
Falhas mais comuns
a) produzí-lo
o que diz a regra: só se acentuam as oxítonas terminadas em A, E, O, EM (e plurais);
razão da falha: faz-se uma falsa analogia com construções como construí-lo, instruí-lo, que
devem ser acentuados porque seguem outra regra (do I e U tônicos e precedidos de uma
vogal);
como diferenciar: o i que não deve ser acentuado vem acompanhado de consoante (produzi-lo,
reparti-lo, dividi-lo); o i que deve ser acentuado vem acompanhado de vogal (construí-lo,
instruí-lo, atribuí-lo).
b) Pacaembú
o que diz a regra: só se acentuam as oxítonas terminadas em A, E, O, EM (e plurais);
razão da falha: faz-se uma falsa analogia com construções como Anhangabaú, Jaú, que devem
ser acentuados porque seguem outra regra (do I e U tônicos e precedidos de uma vogal);
como diferenciar: o U que não deve ser acentuado vem acompanhado de consoante
(Pacaembu, Aracaju, Botucatu, Bauru, tatu, bambu); o U que deve ser acentuado vem
acompanhado de vogal (Anhangabaú, Jaú, baú).
c) ítem, ítens
o que diz a regra: não se acentuam as paroxítonas terminadas em A, E, O, EM, AM (e plurais);
razão da falha: falsa analogia com palavras (de origem grega) como hífen, hímen e pólen, que
são acentuadas, pois a terminação é um pouco diferente, ou seja, terminadas em EN. O
mais curioso é que no plural essas mesmas palavras não recebem acento: hifens, himens e
polens. O que ocorre agora é a igualdade com a regra: paroxítona terminada em EM (ou no
plural ENS) não é acentuada; memorize que a paroxítona com:
terminação EM = não se acentua (jovem, nuvem, item);
terminação EN = se acentua (hímen, pólen, abdômen, hífen);
terminação ENS = não se acentua (himens, polens, abdomens, itens).
d) frequência
o que diz a regra: põe-se trema quando o U for sonoro e átono nas formações qüe, qüi, güe,
güi
razão da falha: houve um a divulgação de um acordo (entre países de língua portuguesa) no
qual o trema seria abolido, porém tal acordo não está em vigor. O trema, portanto,
oficialmente existe na língua portuguesa e deve ser usado.
e) econômia / emergêncial
razão da falha: cuidado ao relacionar palavras da mesma família, pois a memória pode trazer
o acento no momento inadequado. Por isso, faz-se a distinção: secretaria, secretária;
emergência, emergencial etc.
f) compôr
razão da falha: o verbo pôr recebe acento diferencial (para se distinguir da preposição por),
porém todos os derivados (compor, repor, transpor, etc.) não recebem acento.
g) eles contém / eles intervém
razão da falha: os verbos ter e vir assim ficam no presente do indicativo (na terceira pessoa):
ele tem ele vem
eles têm eles vêm
já os derivados recebe a seguinte conjugação:
ele contém ele convém
eles contêm eles convêm
Nos verbos derivados (conter e convir), a sonoridade é igual, porém, na hora de
escrever, marca-se uma diferença: o singular fica com o acento agudo (ele contém / ele
convém) e o plural com o acento circunflexo (eles contêm / eles convêm). Todos os
derivados de ter (abster-se, ater-se, conter, deter, entreter, manter, obter, reter, etc.) e vir
(advir, avir-se, contravir, convir, intervir, provir, sobrevir, etc.) recebem a mesma análise.
h) polo passivo / polo ativo
razão da falha: a palavra pólo em língua portuguesa recebe um acento diferencial, para marcar
distinção com a palavra arcaica (polo). Dessa forma, o nome do jogo ou os extremos
devem ser grafados pólo, pólos.

2. ORTOGRAFIA

Palavras e Expressões Concorrentes e Duvidosas

ACERCA DE: significa “sobre, em referência a, em relação a”:


Será enviado ainda hoje o tema acerca das novas.
CERCA DE: termo que expressa falta de exatidão; significa “perto de, aproximadamente”:
Havia ali cerca de trinta pessoas.
A CERCA DE: seguindo o raciocínio anterior, temos a idéia de “imprecisão” mais a
preposição “a”:
Ele se referiu a cerca de dez casos idênticos.
Aquilo estava relacionado a cerca de duzentas empresas diferentes.
HÁ CERCA DE: aqui também temos a idéia de “imprecisão” o verbo haver (em geral
usado com o sentido de “existir” ou se referindo a tempo passado):
Há cerca de cem casos iguais.
Isso ocorreu há cerca de dois anos.
AFIM: adjetivo que indica semelhança, afinidade
,Abundância e sobejidão são idéias afins.
A FIM DE: locução prepositiva que indica finalidade, objetivo
Ele viajou a fim de se atualizar.

AFINAL: advérbio que significa por fim, finalmente;


A FINAL: expressão usada na linguagem jurídica; significa o que vem por último, no final.
ANTE: prefixo que significa antes;
ANTI: prefixo que significa contrário.
AO ENCONTRO DE: significa “a favor de, em direção a, no mesmo sentido”
As crianças saíram ao encontro do pai, que chegava.
O projeto veio ao encontro dos anseios da população.
DE ENCONTRO A: significa “oposição, contra”
A denúncia de corrupção veio de encontro às expectativas dos eleitores.
A PAR: ao lado de, junto
Nem sempre a humildade e a riqueza andam a par.
ciente, informado
Estava a par de todas as novidades.
AO PAR: termo usado na área econômica para indicar igualdade cambial Esses papéis de
crédito estão ao par.
O câmbio estava ao par.
A PRINCÍPIO: significa no início, inicialmente, no princípio;
EM PRINCÍPIO: significa em tese, hipoteticamente.
DIA A DIA: locução adverbial, semelhante a “diariamente”
Ele melhorava dia a dia.
DIA-A-DIA: substantivo, significa “a rotina, o cotidiano”
O seu dia-a-dia era extenuante.
EM VEZ DE: expressão que significa “no lugar de” e não possui restrições, cabendo em
simples substituições e também em oposições:
Em vez de vir de carro, veio de avião.
Em vez de estudar, dormiu.
AO INVÉS DE: expressão que significa “ao contrário de” e só deve ser usada para idéias
que se opõem, para antíteses:
Perdoou ao invés de matar.
Trabalhou ao invés de descansar.
EmbriaguEZ versus CortÊS
EZA: tendo como base os adjetivos, “EZA” é um sufixo que forma os substantivos
abstratos (belo – beleza, cru – crueza, pálido – palidez);
ESA: forma adjetivo e substantivo concreto, sempre aceita a versão feminina
(holandês/holandesa) e indica origem (camponês), nacionalidade (francês), procedência
(milanês) e títulos nobiliárquicos (marquês).
Observação: Uma forma de verificação é o uso dos verbos ter e ser. Em geral, quando se
usar o verbo TER, cabe o sufixo com Z. Ao usar o verbo SER, o sufixo é S.
Verifique: Ter altivez, certeza, nobreza, riqueza.
Ser burguês, português, princesa, cortês.
HAJA VISTA: é expressão que significa “veja-se, por exemplo, atente-se para” e possui
três possibilidades de flexão:
invariável: A lei foi vetada, haja vista as inconstitucionalidades de vários artigos;
invariável, seguida de preposição (a, de): A lei foi vetada, haja vista às/das
inconstitucionalidades de vários artigos;
variável, concordando com a palavra posterior: A lei foi vetada, hajam vista as
inconstitucionalidades de vários artigos.
A letra “a)” é a opção mais recomendada hoje em dia. Destaca-se também que a
palavra “vista” é, em qualquer circunstância, invariável.
HAJA VISTO: é locução verbal (conjugado no subjuntivo) em que o verbo auxiliar haver
(haja) pode ser trocado por ter (tenha) e que aceita concordância normal com todas as
pessoas: Embora ele haja (= tenha) visto o problema, nós hajamos (= tenhamos) visto o
problema, eles hajam (= tenham) visto o problema, ninguém conseguiu resolvê-lo.
HÁ UMA HORA: indica o tempo que passou, ou seja, faz uma hora. Deve sempre se
referir ao tempo decorrido.
Exemplo: Ele saiu há uma hora.
À UMA HORA: designa o horário do relógio, ou seja, a expressão “à uma hora” pode
designar “à 1h da tarde (às 13h)” ou “à 1h da madrugada”.
Exemplo: Ele sairá só à uma hora.
A UMA HORA: geralmente estará vinculada à idéia de futuro:
A reunião começará daqui a uma hora.
A uma hora do fim, começaram as vaias.
distância:
Quanto ao litoral fica a uma hora daqui.
Indeterminação:
Chegaram a uma hora qualquer.
A uma hora dessas, tudo estava terminado.
AnalISAR versus AmenIZAR
ISAR: só grafe com S quando, na palavra primitiva, houver is + vogal (improvis + o =
improvisar / pesquis + a = pesquisar)*
aviso/avisar, camisa/descamisar, catálise / catalisar, friso / frisar, liso / alisar, paralisia /
paralisar
Atenção às derivadas: pesquisado, paralisado, paralisação, paralisante, frisado, catalisado
improvisado, pesquisado etc.
IZAR: não havendo is + vogal, grafe Z (fértil = fertilizar; canal = canalizar; ameno =
amenizar).
ameno/amenizar, baliza/balizar, batismo/batizar, canal/canalizar, catequese/ catequizar,
deslize/deslizar, cicatriz/cicatrizar, fértil/fertilizar, símbolo/ simbolizar, real/realizar,
verniz/envernizar
Atenção: batismo (is + consoante): batizar, batizado; catequese (es + vogal): catequizar,
catequizado, catequizando, catequização;
MAL: advérbio, substantivo e conjunção; antônimo de bem.
Ontem ele passou mal.
O mal atingiu a população.
Mal entrou, já quis sair.
MAU: adjetivo e substantivo; antônimo de bom.
Os bons nem sempre pagam pelos maus.
Ele disse que o trabalho não está mau.
ONDE: só use ao se referir a lugar e para os verbos e nomes que exigem preposição EM
(estar em, ficar em, entregar em);
AONDE: só use ao se referir a lugar e para os verbos e nomes que exigem preposição A (ir
a, voltar a, chegar a);
POR ORA: significa até o momento, por enquanto.
Apesar da dívida, não se falou por ora em pagá-la.
POR HORA: significa a cada uma hora, pelo período de uma hora.
Ele recebia o pagamento por hora e não por mês.
PORQUÊS – quatro são os porquês:
porque: conjunção que introduz uma causa ou uma explicação. Na maioria das vezes, pode ser
trocado pela conjunção pois:
Ele não compareceu, porque estava viajando.
Ele não compareceu, pois estava viajando.
porquê: substantivo, por isso é a única forma que aceita pluralização. Em geral, vem
acompanhado de um determinante (artigo, numeral, pronome) e pode ser substituído pela
palavra motivo, razão:
Desconheciam o porquê do tumulto.
Desconheciam o motivo do tumulto.
por que: preposição + pronome relativo; pode ser trocado fielmente por pelo qual (e
variações):
Essa era a tese por que todos deram preferência.
Essa era a tese pela qual todos deram preferência.
por que: preposição + pronome interrogativo; pode-se pospor a palavra motivo:
Por que ele não compareceu à reunião?
Por que motivo ele não compareceu à reunião?
Quando estiver perto de pausa (, ; . ! ?...), recebe acento circunflexo Não compareceu por
quê?

Exemplificação dos porquês:


Não veio ao nosso encontro, porque ficou doente.
Não veio ao nosso encontro, pois ficou doente.
Não quis falar o porquê de ter faltado.
Não quis falar o motivo de ter faltado.
Os amores por que você tem morrido dia a dia não nos explicam por que você continua a
lutar.
Os amores pelos quais você tem morrido dia a dia não nos explicam por que motivo você
continua a lutar).
Observação: Não confunda o porquê (o motivo) com por que (por que motivo). As trocas
são diferentes, bem como o sentido da construção.
SE NÃO: conjunção condicional mais advérbio de negação; pode ser substituída por caso
não:
Se não existirem mudanças, poderá ocorrer erro na contagem.
Se não = Caso não existam mudanças.
SENÃO: possui vários sentidos: a não ser, exceto:
Não faz outra coisa senão trabalhar.
mas, mas também:
Tornou-se popular não só no Brasil, senão também em todo o mundo. caso contrário:
Estude muito senão você não entenderá essas teorias.
defeito, erro:
Os senões de que você tanto fala não merecem muito crédito.
TAMPOUCO: significa também não, nem sequer:
Não veio tampouco enviou desculpas.
TÃO POUCO: significa muito pouco:
Não ganhava tão pouco como sempre afirmou.
TÃO SÓ: tão sozinho:
Vivia tão só naquele lugar.
TÃO-SÓ: tão-somente, expressão que enfatiza o uso do advérbio somente:
São atos que tão-só merecem desprezo.
TRÁS: funciona como preposição ou advérbio; forma também atrás, detrás, por trás, para
trás. Para memorizar, lembre-se de traseira.
TRAZ: refere-se ao verbo trazer, aceita mudança de tempo (trazia, trará) e também o
plural (trazem).

EXERCÍCIOS

1) (ES ou EZ – ESA ou EZA)


acid___, altiv___, arid___, calabr___, campon___, cort___, cupid___, fluid___,
estupid___,

liquid___, lucid___, mesquinh___, montanh___, mud___, nud___, palid___, pequen___


(pequeno), pequin___ (cão).

2) (S ou Z)
abali___ar, agili___ar, ali___ar, ameni___ar, bati___ar, canali___ar, carboni___ar,
catali___ar, catequi___ar,

capitali___ar, coti___ar, desli___ar, fiscali___ar, fri___ar, humani___ar, parali___ar,


sinteti___ar, sifili___ar, suavi___ar.

3) (MAL ou MAU)
a) Viu-se o _______ desempenho deles.
b) Era um ______ para todos.
c) O ______ gosto sobressaiu.
4) (ONDE ou AONDE)
a) Com tal idéia______ ele chegará?
b) Não se sabe______ está o erro.
c) Foi para o lugar_____ nasceu.

5)
a) O governo prometeu intervir urgentemente para evitar mais um grande escândalo.
( ) uma intercessão ( ) uma interseção
( ) vultuoso ( ) vultoso
b) O fato passou sem ser notado.
( ) despercebido ( ) desapercebido
c) O direito de exercer o cargo foi anulado.
( ) mandado ( ) mandato
( ) caçado ( ) cassado
d) Pediu licença para limpar o nariz.
( ) assoar ( ) assuar
e) A balança já foi fiscalizada por ele.
( ) aferida ( ) auferida
f) É necessária a colocação das características dele.
( ) descrição ( ) discrição
g) A sala de prisão era pequena.
( ) sela ( ) cela
h) Novamente vão desfazer o trato.
( ) distratar ( ) destratar
i) As falhas eram impossíveis de serem contadas.
( ) enumeráveis ( ) inumeráveis
j) A prova foi obtida por peritos.
( ) aferida ( ) auferida
l) Hoje é preciso ter bom juízo.
( ) senso ( ) censo
m) Havia urgência, pois estava prestes a acontecer o acidente.
( ) eminente ( ) iminente
n) Faltou medir a extensão do terreno.
( ) comprimento ( ) cumprimento

6) Observe as palavras destacadas e assinale a alternativa que traz formação


equivocada.

a) Saíram daqui há menos de meia hora. a) Algumas pessoas não sabem aonde chegam seus
protestos.

b) Ainda a tempo para o governo mudar. b) Pense no ideal porque trabalhamos e diga-me porque
fracassamos.

c) Eles poderão vir só daqui a pouco. c) A justiça infligiu a pena merecida aos desordeiros.

d) A colisão ocorreu há pouco tempo. d) Ele não tinha intenção de atirar, tampouco de matar o
indivíduo.

e) Todos chegaram a tempo de fazer a prova. e) Ele acompanhou o caso dia a dia.

7) Marque com um X a(s) forma(s) que completam com correção.


a) Ele saiu _______________ evitar o constrangimento.
( ) a fim de ( ) afim de
b) A prisão do corrupto é algo que vem _______________ expectativas sociais.
( ) ao encontro das ( ) de encontro às
c) Ele assumiu a paternidade, _______________ seria obrigado a fazer o exame.
( ) senão ( ) se não
d) A polícia já estava _______________ de suas ações.
( ) a par ( ) ao par

8) Indique a e expressão que completa com correção.


(porquês)
Não se sabe _______________ houve a discussão.
Nobres são as causas _______________ lutamos.
Não se sabe o _______________ da discussão.
Você não veio à reunião _______________ se atrasou?
Houve a explosão, mas ninguém sabe _______________.

(cerca de)
Não se confirmou a reunião _______________ das mudanças fiscais.
_______________ de 10 pessoas foram distribuídas as entradas.
Os portugueses chegaram ao Brasil _______________ de 500 anos.
Ainda _______________ de três milhões de dívida.

(se não / senão)


a) Só faça isso _______________ houver outra solução.
b) Faça o favor, _______________ haverá briga.
c) Ele só tinha um _______________ : mentia.

9) (MP-SC) Assinale a alternativa correta.


Algumas pessoas não determinam donde provém sua insatisfação, porque não sabem onde vão
os sentimentos bem aonde mora a consideração pelo próximo.
Pense nos ideais porque trabalhamos há tanto tempo, e diga-me porque fracassamos.
A justiça infligiu a pena merecida aos desordeiros.
Promoveram uma festa beneficiente.
A incipiência do povo levou-o a tachar de feiticeiros os espertos em astronomia.

10) (MP-SC) Assinale a alternativa incorreta.


A situação era difícil porque faltam recursos.
Eles não nos comunicaram que iriam viajar, por quê?
Ninguém conseguiu descobrir porque ele teria cometido o crime.
Gostaria de saber por que eles ficaram tão revoltados.
As razões por que as testemunhas faltaram eram evidentes.

11) (MP-RS) Marque a opção em que as palavras não são sinônimas.


censo - juízo
serrar - cortar
comprimento - extensão
degradar - rebaixar
destratar - insultar
GABARITO

(ES ou EZ - ESA ou EZA)


acidEZ, altivEZ, aridEZ, calabrÊS, camponÊS, cortÊS, cupidEZ, fluidEZ, estupidEZ,
liquidEZ, lucidEZ, mesquinhEZ, montanhÊS, mudEZ, nudEZ, palidEZ, pequenEZ
(pequeno), pequinÊS (cão).

2) (S ou Z)
abaliZar, agiliZar, aliSar, ameniZar, batiZar, canaliZar, carboniZar, cataliSar, catequiZar,
capitaliZar, cotiZar, desliZar, fiscaliZar, friSar, humaniZar, paraliSar, sintetiZar, sifiliZar,
suaviZar.

3) (mal ou mau)
Viu-se o MAU desempenho deles.
Era um MAL para todos.
O MAU gosto sobressaiu.

4) (onde ou aonde)
Com tais idéias AONDE ele chegará?
Não se sabe ONDE está o erro.
Foi para o lugar ONDE nasceu.

a) O governo prometeu intervir urgentemente para evitar mais um grande escândalo.


(X) uma intercessão ( ) uma interseção
( ) vultuoso (X) vultoso
b) O fato passou sem ser notado.
( ) despercebido (X) desapercebido
c) O direito de exercer o cargo foi anulado.
( ) mandado (X) mandato
( ) caçado (X) cassado
d) Pediu licença para limpar o nariz.
(X) assoar ( ) assuar
e) A balança já foi fiscalizada por ele.
(X) aferida ( ) auferida
f) É necessária a colocação das características dele.
(X) descrição ( ) discrição
g) A sala de prisão era pequena.
( ) sela (X) cela
h) Novamente vão desfazer o trato.
(X) distratar ( ) destratar
i) As falhas eram impossíveis de serem contadas.
( ) enumeráveis (X) inumeráveis
j) A prova foi obtida por peritos.
( ) aferida (X) auferida
l) Hoje é preciso ter bom juízo.
(X) senso ( ) censo
m) Havia urgência, pois estava prestes a acontecer o acidente.
( ) eminente (X) iminente
n) Faltou medir a extensão do terreno.
(X) comprimento ( ) cumprimento

6) Observe as palavras destacadas e assinale a alternativa que traz formação


equivocada.

a) Saíram daqui há menos de meia hora. a) Algumas pessoas não sabem aonde chegam seus
protestos.

b) Ainda a tempo para o governo mudar. b) Pense no ideal porque trabalhamos e diga-me
porque fracassamos.

c) Eles poderão vir só daqui a pouco. c) A justiça infligiu a pena merecida aos desordeiros.

d) A colisão ocorreu há pouco tempo. d) Ele não tinha intenção de atirar, tampouco de matar o
indivíduo.

e) Todos chegaram a tempo de fazer a prova. e) Ele acompanhou o caso dia a dia.

7) Marque com um X a(s) forma(s) que completam com correção.


a) Ele saiu _______________ evitar o constrangimento.
(X) a fim de ( ) afim de
b) A prisão do corrupto é algo que vem _______________ expectativas sociais.
(X) ao encontro das ( ) de encontro às
c) Ele assumiu a paternidade, _______________ seria obrigado a fazer o exame.
(X) senão ( ) se não
d) A polícia já estava _______________ de suas ações.
(X) a par ( ) ao par

8) Indique a e expressão que completa com correção.


(porquês)
Por que
Por que
Porquê
Porque
Por quê (ou Porquê).

(cerca de)
Acerca
A cerca
Há cerca
Há cerca

(se não / senão)


Se não
Senão
Senão

9) c
10) c
11) a

3. PREFIXO E HÍFEN
Os prefixos em relação ao uso do hífen se organizam em três grupos:
prefixos que sempre vêm com hífen;
prefixos que eventualmente recebem hífen;
prefixos que nunca recebem hífen.

3.1. Prefixos que Sempre vêm com Hífen

além – aquém – recém – pós – pré1 – pró – soto – sota – vice – grã – grão – sem – bem
– ex2 – não – co(m) 2

Prefixos que possuem tonicidade própria e sempre virão com hífen: além-mar,
além-túmulo, aquém-mar, aquém-fronteiras, recém-nascido, pós-graduação, pós-
operatório, pré-requisito, pró-alfabetização, soto-soberania, vice-presidente, grã-fino, sem-
cerimônia, bem-amado, ex-presidente, não-agressão, co-acusado, co-autor, co-avalista, co-
credor, co-signatário, co-fiador

Nota1: Os prefixos pós, pré, pró, que são tônicos e vêm acentuados, também possuem
formação com pronúncia átona, sem acento e sem hífen. Compare: pós-doutorado, mas
pospor; pré-aviso, mas prefixado, pró-americano,mas pronome, etc. A diferença sonora
(som aberto/som fechado) providencia, em geral, o uso adequado. Cuidado, porém, com as
formas oficiais das seguintes palavras: preadivinhar, prealegar, preanunciar, preaquecer,
precautelar, precingir, precintar, precogitar, preconceber, preconcepção, precondição,
precondicionar, predefinir, predelinear, predemarcar, predestinar, predestinado,
predeterminar, predeterminado, predispor, predisposto, predizer, preestabelecer,
preestabelecido, preexistir, preexistido, preexistente, prefazer, prefigurar, prefiltrar,
prefixar, prefixado, prefixação, preformar, prejulgar, prejulgamento, prejulgado,
prematurar, premunir, prenomear, prenotar, prenotado, preopinar, preordenação,
preordenado, prepor, prequestionar, prequestionado, pretraçar, prevaler, previver. Aqui,
nota-se uma lacuna entre a fala e a escrita.

Nota2: O prefixo ex é usado aqui com o sentido de “estado anterior”, “que foi”.
Nota3: O sentido do prefixo co(m) é “a par, juntamente, companhia”. Há formações antigas
que merecem atenção, pois são escritas sem hífen: coabitar, coação, coadjuvar (ajudar,
auxiliar), coadquirir, coadunar (junta, reunir), coator, coessência, coestaduano (do mesmo
estado), coetâneo (da mesma idade), coeterno, coexistir, coirmão, coligar. O prefixo –co
não possui uma regra que indique com clareza seu uso. O critério parece estar vinculado ao
aspecto histórico, entre as formações antigas (sem hífen) e as modernas (com hífen), e isso
não permite uma simplificação. Infelizmente, na hora de grafar palavras com esse prefixo,
ou se tem a sua imagem memorizada ou se deve consultar um dicionário.

3.2. Prefixos que Eventualmente Recebem Hífen (Síntese Mnemônica)


PREFIXOS VOGAL H R S
contra Intra pseudo X X X X
extra supra neo X X X X
infra semi proto X X X X
ultra auto X X X X

ante sobre X X X
anti arqui X X X
hiper inter super X X
ab ad ob X
sob sub X
circum pan mal X X
entre X

Exemplos
auto-elogio, auto-retrato; neo-realismo; proto-setor; pseudo-amigo, pseudo-herói, pseudo-
sócio; semi-árido, semi-real, semi-selvagem; contra-ação, contra-regra, contra-senso;
extra-oficial; intra-resistência; supra-sumo; ultra-secreto. Exceção: extraordinário. Nota:
As outras palavras virão sem hífen: extralegal, extravasar, infraconstitucional,
infravermelho, intranasal, protótipo, semifinalista, ultrademocrático.

ante-sala, ante-socrático; anti-higiênico, anti-horário, anti-semitismo; arqui-reino, arqui-


sede; sobre-humano (Exceções: sobressair, sobressaltar, sobressalente.) Nota: O restante,
sem hífen: antejulgar, antemão, antenupcial, anteprojeto, antiterrorismo, arquiinimigo,
sobreaviso, sobrecarga.

hiper-realismo; inter-humano; super-realismo. Nota: O restante, sem hífen: hiperagudo,


interagente, interestadual, intersindical, superalimentação, superego, superexposição.

ab-renunciação, ab-rogar; ad-rogar; ob-rogar; sub-regra, sub-remunerado, sub-reptício,


sub-rogar. Nota: O restante, sem hífen: subalterno, subalugar, sublocar, subsecretariado,
subitem, subtópico. Se a palavra se inicia com h, perderá essa letra: subabitar, subumano,
subidratação, subigiene.
circum-adjacente, circum-higienização; pan-americano, pan-europeu, pan-helênico; mal-
amado, mal-estar, mal-humorado. Nota: O restante, sem hífen: circumpolar,
circunavegação, circuncisão, circunflexo, circunlóquio, pancromático, pandemônio,
pansexual, pansofia, panteísmo, malcheiroso, malcriado, malnascido, malsucedido.

entre-hemisfério, entre-hospitalar, entre-hostil. Nota: As outras palavras virão ligadas sem


hífen: entreaberto, entrechoque, entrefolha, entrelinha.

3.3. Prefixos que Nunca Recebem Hífen


Quanto aos outros prefixos (e/ou radicais) que não constaram do quadro acima, use
sempre sem hífen, resguardando estas noções:
se a palavra à frente é iniciada por s, dobra-se o s: biossocial, heterossexual, dissilábico,
macrossociedade, minissérie, morfossintaxe, uníssono; hipossuficiente;
se a palavra à frente é iniciada por r, dobra-se o r: biorritmo, macrorrizo (grande raiz)
microrregional, microrreprodução, telerreportagem;
se a palavra à frente é iniciada por h, suprime-se o h: enarmonia, exausto, filarmônico,
inábil, inumano, lobisomem, niilismo, reabilitar, reaver, transumano, turboélice;
se a palavra à frente é iniciada por vogal ou consoante (exceto H, R, S), une-se ao prefixo
sem hífen: macroestrutura, microempresário, plurievidências, poliesportivo, teleobjetiva,
paraestatal.

+ saia = minissaia + ambiente = macroambiente


+ salário = minissalário + estrutura = macroestrutura
mini + organização = miniorganização macro + harmonização= macroarmonização
+ revolução = minirrevolução + satisfação = macrossatisfação
+ homem = miniomem + rotação = macrorrotação

Exemplos
bio (vida): biologia, biorritmo, biossíntese, biossocial, biossistema
eco (casa, moradia, ambiente): ecologia, economia, ecoturismo, ecoescola
foto (referente à luz): fotoatividade, fotobactéria, fotorreação, fotossíntese
geo (terra): geobiologia, geociclo, geofísica, geografia, geopolítica
hetero (outro): heterogêneo, heterônimo, heterossexual, heterossinapse
hidro (água): hidroavião, hidromineral, hidrorragia, hidrossolúvel, hidrovia
hipo (escassez, posição inferior): hipocalórico, hipoglicemia, hipossuficiente
hipo (cavalo): hipismo, hípico, hipódromo, hipópode, hipopótamo
holo (inteiro, completo): holocausto, holofote, holismo, holístico, holótipo
homo (semelhante, igual, mesmo): homógrafo, homônimo, homossexual
macro (longo, grande): macróbio, macroeconomia, macrossaia, macrorregião
meso (meio): mesóclise, mesolítico, Mesopotâmia, mesosfera, mesozóico
micro (pequeno): microempresa, microondas, microônibus, microrregião, microssistema
mini (mínimo): minimundo, miniorganismo, minirretrato, minissaia, minissérie
multi (muitas vezes): multiforme, multimilionário, multirracial, multissecular
pluri (vários): plurianual, pluricelular, pluriforme, plurilíngüe, plurissecular
poli (em grande número): poligamia, poliinfecção, polirrítmico, politeísmo
psico (espírito, alma): psicografia, psicossomático, psicossexual, psciossocial
retro (para trás): retroalimentação, retroagir, retroatividade, retrosseguir
sócio (social): sociocultural, socioeconômico (por consagração sócio-econômico)
sociolingüística, sociopolítico,
tele (longe): telecomando, teleobjetiva, telerrespostam, telerreportagem, televia
tetra (quatro): tetracampeão, tetraedro, tetraneto, tetraplégico, tetravalência
uni (um): unicelular, unilateral, unirrefringente, unissexuado, uníssono
uxori (esposa): uxoricida, uxoricídio, uxorilocal, uxório
verna (produzido em casa, doméstico): vernáculo, vernaculista, vernaculizar

Observação: O radical sócio possui um uso vacilante e aparece com hífen em algumas
construções (socioeconômico / sócio-econômico; socioideológico / sócio-ideológico). Pela
regra, não deve haver hífen.

EXERCÍCIO

Una as palavras.
a) ab+jurar:
b) extra+oficial:
c) extra+ordinário:
d) inter+americano:
e) pluri+celular:
f) semi+deus:
g) ambi+destro:
h) sobre+humano:
i) supra+sumo:
j) hipo+suficiente:
l) des+habitado:
m) anti+horário:
n) bio+social:
o) micro+ondas:
p) super+emigração:
q) sub+alugar:
r) auto+alugar:
s) des+habilitado:
t) tele+instalação:
u) arqui+inimigo:
v) pseudo+amigo:
x) pan+americano:
z) hiper+inflação:

GABARITO

a) abjurar
b) extra-oficial
c) extraordinário
d) interamericano
e) pluricelular
f) semideus
g) ambidestro
h) sobre-humano
i) supra-sumo
j) hipossuficiente
l) desabitado
m) anti-horário
n) biossocial
o) microondas
p) superemigração
q) subalugar
r) auto-alugar
s) desabilitado
t) teleinstalação
u) arquiinimigo
v) pseudo-amigo
x) pan-americano
z) hiperinflação

MÓDULO IX
PORTUGUÊS
Pontuação
Pronomes Pessoais: Colocação e Uso
1. PONTUAÇÃO
Entre os sinais de pontuação, há um que geralmente se destaca em provas ou em
correções textuais: a vírgula. A dificuldade principal no uso da vírgula nasce por a
relacionarmos com a respiração, com a pausa. A vírgula, porém, está ligada às funções
sintáticas, fazendo três movimentos essenciais (separar, isolar e destacar):
separar termos e orações que estejam no mesmo nível, repetindo a mesma função;
isolar termos e orações que estejam fora do lugar normal (deslocados ou intercalados) e em
função secundária, explicativa, não essencial;
O princípio basilar é não separar aquilo que possui relação lógica (por isso não se
põe vírgula entre sujeito e verbo, entre verbo e complemento, entre conectivo e a oração
que ele está introduzindo). Paralela a essa noção, deve-se saber isolar o termo secundário
(geralmente adjunto adverbial ou oração adverbial) que estará entre termos que possuem
relação lógica. Observe caso a caso as principais falhas e as correções:

1.1. Síntese do uso da vírgula


Uso Proibido
Sujeito + Verbo + Complemento Tal medida econômica deve melhorar o mercado interno.
Or. Principal + Or. Sub. Substantiva O ministro disse que o mercado interno deve melhorar.
Or. Principal + Or. Sub. Adj. Restritiva Foi confirmada a medida que deve melhorar o mercado interno.
Uso Facultativo
Adjunto Adverbial A medida econômica deve, daqui a um mês, melhorar o mercado.
Oração Adverbial: na ordem direta Tal medida deve melhorar o mercado interno , se houver o acordo.
Inversão dos Termos O mercado interno , tal medida econômica deve melhorar .

Uso Obrigatório
Aposto Tal medida econômica , fruto do acordo , melhorará o mercado.
Vocativo Prezados Senhores , tal medida econômica melhorará o mercado.
Or. Principal + Or. Sub. Adj. Explicativa A medida econômica , que foi confirmada, melhorará o mercado.
Oração Adverbial: antes da Oração Principal Se houver o acordo , tal medida deve melhorar o mercado interno.
Oração Adverbial: no meio da Oração Principal Tal medida , se houver o acordo , deve melhorar o mercado.
Oração Coordenada (menos e, ou, nem)
conjunção no início da oração:apenas uma vírgula antes Haverá melhoria , todavia falta concretizar o acordo ainda.
conjunção deslocada, isto é, no meio ou no final: isolar
Haverá melhoria, falta , todavia , concretizar o acordo ainda.

1.2. A Vírgula nas Orações Reduzidas

1.2.1. Gerúndio
As reduzidas de gerúndio vêm normalmente com vírgula:
duas se no meio: O Estado, visando ao bem comum, elabora suas normas.
uma se antecipada: Visando ao bem comum, o Estado elabora suas normas.
uma se no final: O Estado elabora suas normas, visando ao bem comum.
Exemplos: Esta teoria objetiva que, mesmo existindo a separação de poderes, haverá uma
interferência entre eles.
Afastando-se dessas normas, estará a sentença contaminada de vício.

1.2.2. Particípio
Nas reduzidas de particípio antecipadas, a vírgula é obrigatória.
Exemplos: Uma vez preenchidos todos os requisitos legais, o Ministério Público dispõe do processo.
Analisadas as constas estrangeiras, pode-se ter uma idéia mais evidente do problema.
Nas reduzidas de particípio intercaladas, o uso da vírgula depende do valor da oração:
Restritivo: Os dois times classificados na primeira fase participarão da semifinal.
Explicativo: O Brasil, descoberto por portugueses, fala a língua lusitana, porém com
influências africanas e indígenas.
Adverbial: Os eleitores, conferidos seus documentos, votarão em urnas individuais.

1.2.3. Infinitivo
As orações reduzidas de infinitivo (com valor adverbial), desde que deslocadas, vêm com
vírgula.
Exemplos: Esse preceito, ao efetivar-se na legislação brasileira, trouxe grande avanço nas conquistas
sociais.
Ao efetivar-se na legislação brasileira, esse preceito trouxe grande avanço nas conquistas
sociais.

1.3. Análise das Principais Falhas


1.3.1. Básico
a) Tal atitude, surpreendeu a todos.
Sem vírgula, porque sujeito e verbo não podem ser separados.

b) Todos os problemas foram resolvidos, somente por mim.


Tira-se a vírgula, pois não se separa o verbo e seu complemento.

c) Todos já sabiam que, a mesma pessoa voltaria para lá.


Não se separa o conectivo e a oração que ele introduz. Sem vírgula é o correto.

1.3.2. Médio
d) Apurou-se ainda, que o último projétil atingiu gravemente, o homem.
Entre os elementos que possuem relação lógica não se usa vírgula. Na frase acima a
relação lógica é:
Apurou-se................que...............o último projétil atingiu o homem
conectivo e a oração que ele introduz

Os elementos secundários são: ainda e gravemente. Como são advérbios, qual o


procedimento? Ou se usam duas vírgulas ou nenhuma:
Apurou-se........................que o último projétil atingiu..............................o homem.
, ainda, , gravemente,
ou duas vírgulas ou nenhuma ou duas vírgulas ou nenhuma

e) Requer-se outrossim, a oitiva das testemunhas...


Qual a relação lógica, o que se requer? O que se requer é a oitiva, portanto entre o
verbo e seu complemento (oitiva) não se pode pôr uma vírgula, separando-os. Como há um
elemento secundário entre eles (outrossim), cerque-o, isole-o, ou seja, use duas vírgulas:
Requer-se, outrossim, a oitiva.

f) A pessoa disse que ainda ontem, confirmaria tudo.


Com adjuntos adverbiais, ou duas (,ainda ontem,) ou nenhuma (ainda ontem).

1.3.3. Avançado
g) Para que haja mudanças é necessário agir.
Quando as orações adverbiais estão deslocadas (antes ou no meio da oração principal),
a vírgula é obrigatória: Para que haja mudanças, é necessário agir.

h) Tudo ficou acertado, pois mesmo que houvesse falhas, o documento seria aceito.
Há uma oração adverbial no meio de outra oração, portanto duas vírgulas:
Tudo ficou acertado, pois....................................................o documento seria aceito.
, mesmo que houvesse falhas,

i) Ele disse que se não houvesse contratempos, estaria presente no debate.


Mesmo caso: há uma oração adverbial no meio de outra oração: duas vírgulas.
Ele disse que...........................................................estaria presente no debate.
, se não houvesse contratempos,

j) artigo 107, IV do Código Penal


Observe que na citação de leis há duas ordens:
ordem direta: inciso IV do art. 107 do Código Penal
1 2 3
ordem indireta: artigo 107, IV , do Código Penal
3
vírgula obrigatória
A relação lógica é sempre entre o artigo e a Constituição, o artigo e o Código. Os
elementos que aparecerem entre eles devem estar cercados, ilhados com duas vírgulas.
ordem indireta: art. 128 , I e II , do Código Penal
vírgula obrigatória

ordem indireta: art. 5o , § 2o , da Constituição Federal


vírgula obrigatória

l) A Constituição Federal de 88 a qual trouxe importantes inovações sociais foi citada


pelo autor.
Nas orações adjetivas explicativas, deve-se sempre isolá-las: uma vírgula antes,
outra depois: A Constituição Federal de 88, a qual trouxe importantes inovações sociais,
foi citada pelo autor

EXERCÍCIOS

Identifique a falha de pontuação e justifique a correção.


1) O artigo 2º da Constituição Federal, refere-se aos Poderes da União.
2) A legislação criada pelo homem para organizar a sociedade, cuidou de assegurar essas
condições.
3) Os números pesquisados pelo IBOPE, não revelam com precisão, a verdadeira tendência
do eleitor.
4) Todos já sabiam que, a mesma pessoa voltaria para lá.
5) Ele disse que somente no outro dia, confirmaria tudo.
6) Observou-se novamente, que a partir das 18 horas, haverá a possibilidade de novo
confronto.
7) Avisamos que devido ao número de cartas recebidas, a premiação será cancelada.
8) O ator fez referência ao art. 71, parágrafo único do Código Penal. Depois citou o art. 9º,
§ 1º da Constituição Federal.
9) Houve o transporte do produto em embalagens adequadas e, a sua quebra, aconteceu no
manuseio após a entrega.
10) O problema atinge apenas o funcionário e o patrão, apesar de não aceitar tal posição,
pretende indenizá-lo.
11) Estiveram presentes José Pereira, reclamante e João Silveira, reclamado para a
realização dos depoimentos.
12) Cumpre ainda ressaltar, que tal princípio vigora no Brasil.
13) Cumpre ainda ressaltar que, no Brasil vigora tal princípio.
14) Tudo já estava combinado, pois ainda que houvesse falhas, o documento seria aceito.
15) Importante mencionar que se as pessoas desconheciam tal possibilidade, podem exigir
a inserção.
16) Foi também convocado José da Silva Xavier que estava no local do crime, mas no dia
determinado, não compareceu.
17) A Lei 9.455/97 que define o crime de tortura, é a que traz o rol citado.
18) Três cidades foram importantes nessa época: o Rio de Janeiro que concentrava o poder,
Minas Gerais que possuía riquezas naturais e agropecuárias e São Paulo que começava a se
posicionar como forte centro industrial.
19) Ele disse que se não houvesse contratempos, estaria presente.
20) Ele disse que estaria presente se não houvesse contratempos.
21) Poderá inscrever-se no concurso, todo candidato que na data prevista pelo edital,
possuir mais de 18 anos. Se houver inscrição por procuração, deverá o procurador,
apresentar documentação registrada em cartório. O prazo de inscrição, vai até o dia 30.

EXERCÍCIOS DE PROVAS

(MP/RS) Assinale a alternativa com erro de pontuação.


Recebi o dinheiro; não gastei, porém, até o fim.
Ambos sabiam que, naquele momento teria uma surpresa.
Deixou tudo: mulher, filhos, emprego...
Não fomos ao cinema, pois estava chovendo.
Não tenho disposição; não irei, pois, ao escritório.

2) (Mag-SP) O emprego da vírgula é inadequado na oração:


O Juiz, com bons fundamentos, votou vencido.
Todos os condôminos presentes, recusaram a proposta.
Não há, portanto, risco de vida.
Por esse fundamento, aqui aduzido, negaram provimento.
3) (MP/RS) Marque a opção em que há erro por falta ou emprego indevido de
vírgula.
Por tais razões, entende-se, que na hipótese dos autos, não há infringência aos arts. 222 e 223,
parágrafo único, do CPC.
Tenho a nítida impressão de que este ano será muito mais difícil para nós.
Na sistematização das leis mais complexas, seção é o conjunto de artigos que versam sobre o
mesmo tema.
O Município ofereceu contra-razões, e o Ministério Público opinou pelo improvimento do
apelo.
A Constituição de 1988 ampliou as possibilidades de se questionar a constitucionalidade das
leis e a dos atos normativos do poder público.

GABARITO

1) errado: O artigo 2º da Constituição Federal, refere-se aos Poderes da União.


razão: Nunca se separa o sujeito do verbo.
correto: O artigo 2º da Constituição Federal refere-se aos Poderes da União.
2) errado: A legislação criada pelo homem para organizar a sociedade, cuidou de assegurar
essas condições.
razão: Nunca se separa o sujeito do verbo. Como há oração adverbial entre sujeito e
verbo, deve-se isolá-la.
correto: A legislação criada pelo homem , para organizar a sociedade , cuidou de
assegurar essas condições.
3) errado: Os números pesquisados pelo IBOPE, não revelam com precisão, a verdadeira
tendência do eleitor.
razão: Duas falhas, pois nunca se separa o sujeito do verbo e, por sua vez, o verbo de seu
complemento. Como há adjunto adverbial entre o verbo e seu complemento, pode-se isolar
o elemento acidental ou não:
correto: Os números pesquisados pelo IBOPE não revelam, com precisão , a verdadeira
tendência do eleitor.
correto: Os números pesquisados pelo IBOPE, não revelam com precisão a verdadeira
tendência do eleitor.
4) errado: Todos já sabiam que, a mesma pessoa voltaria para lá.
razão: Entre o conectivo e a oração que ele introduz, a vírgula é proibida, pois seria
romper uma relação lógica.
correto: Todos já sabiam que a mesma pessoa voltaria para lá.
5) errado: Ele disse que somente no outro dia, confirmaria tudo.
razão: Para os adjuntos adverbiais deslocados, ou se usam duas vírgulas ou nenhuma. A
vírgula sozinha está incorreta, pois sempre estará separando uma relação mais
importante (sujeito e verbo / conectivo e oração). Deve-se usar um par ou nenhuma:
correto: Ele disse que, somente no outro dia , confirmaria tudo.
correto: Ele disse que somente no outro dia confirmaria tudo.
6) errado: Observou-se novamente, que a partir das 18 horas, haverá a possibilidade de
novo confronto.
razão: Idêntico ao número 5
correto (isolando os advérbios): Observou-se , novamente , que , a partir das 18 horas ,
haverá a possibilidade de novo confronto.
correto (sem vírgulas): Observou-se novamente que a partir das 18 horas haverá a
possibilidade de novo confronto.
correto (em um só dos advérbios): Observou-se novamente que , a partir das 18 horas ,
haverá a possibilidade de novo confronto.
7) errado: Avisamos que devido ao número de cartas recebidas, a premiação será
cancelada.
razão: Idêntico ao número 5
correto: Avisamos que ,devido ao número de cartas recebidas , a premiação será
cancelada.
correto: Avisamos que devido ao número de cartas recebidas a premiação será cancelada.
8) errado: O ator fez referência ao art. 71, parágrafo único do Código Penal. Depois citou
o art. 9º, § 1º da Constituição Federal.
razão: O vínculo a ser mantido é sempre entre o artigo e a Constituição, o artigo e o
Código, o artigo e a Lei. Os elementos que entre eles aparecerem devem estar cercados,
ilhados com duas vírgulas.
correto: O ator fez referência ao art. 71, parágrafo único , do Código Penal. Depois citou o
art. 9º, § 1º , da Constituição Federal.
9) errado: Houve o transporte do produto em embalagens adequadas e, a sua quebra,
aconteceu no manuseio após a entrega.
razão: Duas vírgulas erradas: a) entre o conectivo e a oração que ele introduz, a vírgula é
proibida; b) nunca se separa o sujeito do verbo. Seria correta (e também facultativa) uma
vírgula antes da conjunção “e”, porque traz sentido de oposição, equivalente à conjunção
“mas”.
correto: Houve o transporte do produto em embalagens adequadas , e a sua quebra
aconteceu no manuseio após a entrega.
10) errado: O problema atinge apenas o funcionário e o patrão, apesar de não aceitar tal
posição, pretende indenizá-lo.
razão: Apesar de a pontuação estar correta, seria mais adequado inserir uma vírgula
antes da conjunção “e”, pois os sujeitos são diferentes, o que permite tal uso.
correto: O problema atinge apenas o funcionário , e o patrão, apesar de não aceitar tal
posição, pretende indenizá-lo.
11) errado: Estiveram presentes José Pereira, reclamante e João Silveira, reclamado para a
realização dos depoimentos.
razão: Os apostos sempre vêm entre vírgulas, isolados, ou seja, uma antes e outra depois:
correto: Estiveram presentes José Pereira , reclamante , e João Silveira , reclamado , para
a realização dos depoimentos.
12) errado: Cumpre ainda ressaltar, que tal princípio vigora no Brasil.
razão: Entre a oração principal e a oração substantiva, estabelece-se uma relação lógica,
proibindo o uso da vírgula.
correto: Cumpre ainda ressaltar que tal princípio vigora no Brasil.
oração principal oração substantiva subjetiva (funciona como sujeito de cumpre
ressaltar)
vírgula proibida
13) errado: Cumpre ainda ressaltar que, no Brasil vigora tal princípio.
razão: A vírgula solitária ali está errada. O trecho, por ter um termo acidental (adjunto
adverbial) no meio, pode ser pontuado de duas formas:
correto: Cumpre ainda ressaltar que , no Brasil , vigora tal princípio.
correto: Cumpre ainda ressaltar que no Brasil vigora tal princípio.
14) errado: Tudo já estava combinado, pois ainda que houvesse falhas, o documento seria
aceito.
razão: A oração adverbial sempre virá vinculada a uma oração principal. Quando a
oração adverbial vem no meio da oração principal ou no meio de uma relação lógica,
devem-se usar duas vírgulas, isolando tal construção intercalada.
correto: Tudo já estava combinado, pois , ainda que houvesse falhas , o documento seria
aceito.
15) errado: Importante mencionar que se as pessoas desconheciam tal possibilidade,
podem exigir a inserção.
razão: Idêntico aos números 14 e 20.
correto: Importante mencionar que , se as pessoas desconheciam tal possibilidade , podem
exigir a inserção.
16) errado: Foi também convocado José da Silva Xavier que estava no local do crime, mas
no dia determinado, não compareceu.
razão: Nas orações adjetivas explicativas a vírgula é obrigatória. Depois um adjunto
adverbial deslocado (facultativo).
correto: Foi também convocado José da Silva Xavier , que estava no local do crime , mas ,
no dia determinado , não compareceu.
17) errado: A Lei 9.455/97 que define o crime de tortura, é a que traz o rol citado.
razão: Nas orações adjetivas explicativas a vírgula é obrigatória.
correto: A Lei 9.455/97 , que define o crime de tortura , é a que traz o rol citado.
18) errado: Três cidades foram importantes nessa época: o Rio de Janeiro que concentrava
o poder, Minas Gerais que possuía riquezas naturais e agropecuárias e São Paulo que
começava a se posicionar como forte centro industrial.
razão: Nessa enumeração, temos três orações adjetivas explicativas que devem ser
isoladas. Além disso, por uma enumeração com tamanho razoável, seria mais fluente se,
em vez da vírgula, fosse colocado o ponto-e-vírgula ao final de cada item da enumeração.
correto: Três cidades foram importantes nessa época: o Rio de Janeiro , que concentrava o
poder ; Minas Gerais , que possuía riquezas naturais e agropecuárias ; e São Paulo , que
começava a se posicionar como forte centro industrial.
19) errado: Ele disse que se não houvesse contratempos, estaria presente.
razão: A oração adverbial sempre virá vinculada a uma oração principal.
Quando a oração adverbial vem no meio da oração principal ou no meio de
uma relação lógica, devem-se usar duas vírgulas, isolando tal construção
intercalada:

correto: Ele disse que.........................relação lógica...........................estaria presente.


, se não houvesse contratempos ,
oração adverbial condicional no meio da relação lógica, portanto isolada
20) A frase não traz falha. Por a oração adverbial estar na ordem direta, a vírgula é
facultativa:
correto: Ele disse que estaria presente se não houvesse contratempos.
correto: Ele disse que estaria presente , se não houvesse contratempos.
21) errado: Poderá inscrever-se no concurso, todo candidato que na data prevista pelo
edital, possuir mais de 18 anos. Se houver inscrição por procuração, deverá o procurador,
apresentar documentação registrada em cartório. O prazo de inscrição, vai até o dia 30.
correto: Poderá inscrever-se , no concurso , todo candidato que , na data prevista pelo
edital , possuir mais de 18 anos. Se houver inscrição por procuração, deverá o procurador
apresentar documentação registrada em cartório. O prazo de inscrição vai até o dia 30.

EXERCÍCIOS DE PROVAS

B
B
A

2. PRONOMES PESSOAIS: COLOCAÇÃO E USO


Observe estas quatro regras, que, combinadas e respeitadas, garantem uma
colocação pronominal correta:

a) não iniciar período com pronome átono


errado: Se necessita de assistência médica.
certo: Necessita-se de assistência médica.

b) não pospor ao particípio


errado: Tendo feito-me uma acusação, dei início ao debate.
certo: Tendo-me feito uma acusação, dei início ao debate.
errado: Por ter citado-me, deveria aceitar a réplica.
certo: Por ter -me citado, deveria aceitar a réplica.

c) não pospor ao futuro (do presente e do pretérito) do indicativo


errado: Teria-se revisto o problema ainda hoje.
certo: Ter-se-ia revisto o problema ainda hoje.
errado: Essa atitude não deixaria-nos em posição inferior.
certo: Essa atitude não nos deixaria em posição inferior.

d) respeitar as palavras atrativas*


com sentido negativo: não, nunca, jamais, nem...;
advérbios (sem vírgula): sempre, aqui, lá, ontem, repentinamente, já, amanhã, aí...;
pronomes indefinidos: todos, tudo, alguém, quem, ninguém, algum...;
pronomes ou advérbios interrogativos: quem, qual, onde, quanto, por que...;
pronomes relativos: que, o qual, cujo, quem;
em + gerúndio;
orações optativas (são as que exprimem desejo).
conjunções subordinativas: conforme, caso, que, quando, enquanto, visto que, já que, a fim de que, para
que, porque, mesmo que, conforme, segundo, embora...;
errado: O prazo sempre esgota-se às 12h45min.
certo: O prazo sempre se esgota às 12h45min

errado: Esses são os livros que acham-se à disposição.


certo: Esses são os livros que se acham à disposição.

errado: Nunca questiona-se a qual pena recebem as partes.


certo: Nunca se questiona a qual pena recebem as partes.

errado: Caberá revisão em tratando-se de omissão.


certo:Caberá revisão em se tratando de omissão.

Quanto ao uso dos pronomes pessoais, em geral as principais dúvidas concentram-se


nas seguintes estruturas:

1) Era para eu ou para mim receber esses elogios. Não ocorreram brigas entre você e eu
ou entre você e mim.
Construção que se tornou muito popular na linguagem cotidiana. Pense que o eu
sempre funciona como sujeito* (vide exceção abaixo) e o mim, em oposição, nunca estará
como sujeito.
Era para eu receber esses elogios. Li a obra para eu aprender.
Na segunda frase, o sujeito é “brigas”, portanto os pronomes não estão no caso reto,
mas sim estão sendo usados como complementos, portanto no caso oblíquo. : Ocorreram
acordos entre vocês e mim. Ocorreram acordos entre eles, ti e mim.
sujeito sujeito
Nota — Tudo que se falou, nesse caso, da primeira pessoa singular (eu - mim) também
vale para a segunda singular (tu -ti).
*O eu não funciona como sujeito somente com as chamadas preposições acidentais:
exceto, menos, fora, salvo etc: Todos erraram, exceto eu; Já saíram todos, salvo eu. Já nas
orações comparativas, o eu funciona normalmente como sujeito, pois o verbo fica
subentendido: Eles são inteligentes como eu (sou). Ele corre mais rápido do que eu
(corro).

2) Precisamos falar consigo ou Precisamos falar com você.


Os pronomes se*, si e consigo só podem referir-se à terceira pessoa e funcionam
como pronomes reflexivos, as ações devem voltar-se para o próprio sujeito: Ele só fala de
si mesmo; Eles viajaram e levaram as chaves consigo. Muito egoísta, ele só pensa em si.
Assim, estão equivocadas estas construções: Precisamos falar consigo. Concordo consigo.
A correção pode ser (de acordo com o tratamento): Precisamos falar com você (contigo).
Concordo com você (contigo).
*O pronome se tem outras funções além de reflexivos:
reciprocidade: Eles se amam.
pronome apassivador: Alugam-se casas.
parte integrante do verbo: Ele se queixou ao padre.
índice de indeterminação do sujeito: Gosta-se de filmes.
palavra expletiva (ou de realce): Ele se foi muito quieto.

3) Eles virão com nós ou Eles virão conosco.


As formas conosco e convosco são as normais, mas se usa com nós e com vós desde
que haja palavra reforçativa:
conosco ou Eles virão com nós mesmos/próprios (pron. demonstrativos); com nós todos
(pronomes indefinidos); com nós três (numerais); com nós, os alunos (aposto).
Na ausência de palavra reforçativa, sempre conosco/convosco é a forma adequada.

4) Ele lhe visitou ou Ele o visitou.


Como regra geral, o pronome “o” funcionará como objeto direto e o pronome “lhe”
como objeto indireto. Como o verbo visitar é transitivo direto, exige objeto direto: Ele o
visitou
EXERCÍCIO

1) Quanto à colocação pronominal, julgue os períodos (certo ou errado). Em


seguida dê a razão do erro.
a) Muitos cidadãos têm indignado-se com a violência.
b) Pouco referiu-se aos exemplos estrangeiros.
c) Eles confirmaram que tornou-se possível a revisão salarial.
d) Poucos têm se indignado com a violência.
e) Foi aceita a proposta, à medida que tornou-se possível a mudança.
f) Nasce, cria-se, desenvolve-se e sempre reinicia-se.
g) Poderá haver novas idéias em permitindo-se a participação de todos.
h) Por ter citado-me, deveria aceitar a réplica.
i) Se necessita de assistência médica enquanto utiliza-se o remédio.
j) Essa atitude deixaria-nos em posição inferior.
l) Diria-se que a cidade, onde identificou-se a falha, não possui condições de resolvê-la.
Tornou-se impossível de não vê-la.

2) (MP-RS) Assinale a alternativa correta:


Entre mim e ela nunca houveram segredos; de maneira que, ao nos reencontrarmos ontem,
pudemos ser francos um com o outro.
Entre mim e ela nunca houve segredos; de maneira que, ao nos reencontrarmos ontem,
podemos ser francos um com o outro.
Entre eu e ela nunca houveram segredos; de maneira que, ao nos reencontrarmos ontem,
pudemos ser francos um com o outro.
Entre eu e ela nunca houve segredos; de maneira que, ao nos reencontrarmos ontem, podemos
ser francos um com o outro.
Entre mim e ela nunca houve segredos; de maneira que, ao nos reencontrarmos ontem,
pudemos ser francos um com o outro.

GABARITO

1) Quanto à colocação pronominal, julgue os períodos (certo ou errado). Em seguida


dê a razão do erro.
a) Muitos cidadãos têm indignado-se com a violência.
Não pospor ao particípio. O correto é: se têm indignado ou têm-se indignado ou têm se
indignado.
b) Pouco referiu-se aos exemplos estrangeiros.
Respeitar palavra atrativa (pronome indefinido). É o correto: Pouco se referiu.
c) Eles confirmaram que tornou-se possível a revisão salarial.
Respeitar palavra atrativa (conjunção subordinativa). É o correto: que se tornou possível.
d) Poucos têm se indignado com a violência.
Respeitar palavra atrativa (pronome indefinido). É o correto: Poucos se têm indignado.
e) Foi aceita a proposta, à medida que tornou-se possível a mudança.
Respeitar palavra atrativa (conjunção subordinativa). É o correto: à medida que se tornou
possível.
f) Nasce, cria-se, desenvolve-se e sempre reinicia-se.
Respeitar palavra atrativa (advérbio). É o correto: sempre se reinicia.
g) Poderá haver novas idéias em permitindo-se a participação de todos. Na expressão
EM + GERÚNDIO, o pronome átono fica no meio obrigatoriamente: em se permitindo.
h) Por ter citado-me, deveria aceitar a réplica.
Não pospor ao particípio. O correto é: Por me ter citado ou Por ter-me citados ou Por ter
me citado.
i) Se necessita de assistência médica enquanto utiliza-se o remédio.
Não iniciar o período com o pronome átono. É o correto: “Necessita-se”. Respeitar palavra
atrativa (conjunção subordinativa). É o correto: enquanto se utiliza.
j) Essa atitude deixaria-nos em posição inferior.
Não pospor ao futuro do indicativo. Como não há palavra atrativa, pode-se usar antes do
verbo (próclise) ou no meio (mesóclise): Essa atitude nos deixaria ou Essa atitude deixar-
nos-ia.
l) Diria-se que a cidade, onde identificou-se a falha, não possui condições de resolvê-la.
Tornou-se impossível de não vê-la.
Não pospor ao futuro do indicativo. Por estar se iniciando o período, só cabe o ênclise: Dir-
se-ia. O advérbio “onde” é palavra atrativa. O correto é: “onde se identificou”.

2) e

MÓDULO X
PORTUGUÊS
Conectivos (Inadequados)
Pleonasmos
PORTUGUÊS

Conectivos (Inadequados)

Pleonasmos

1. CONECTIVOS (INADEQUADOS)

a) A expressão “(de) vez que” é condenada pelos gramáticos. Evite-a, substituindo


por outra expressão que traga a idéia de causa (uma vez que, porque, já que, visto que,
porquanto).

evite: Resolveu protestar, vez que não o deixaram falar.

use: Resolveu protestar, uma vez que não o deixaram falar.

evite: Tal ajuste é impróprio, de vez que a lei não previu.

use: Tal ajuste é impróprio, já que a lei não previu.


b) Na introdução de causas, a expressão “eis que” não é abonada pelos gramáticos.
A expressão “eis que” é válida para indicar algo que ocorre subitamente, de forma
imprevista, de surpresa: Eis que eles entraram a correr. Eis que apareceu a solução.

evite: Não há o que pagar, eis que não existiu o consumo.

use: Não há o que pagar, porque não existiu o consumo.

c) A expressão “posto que” é outra locução conjuntiva que é usada indevidamente


como causal ou explicativa. O uso adequado de “posto que” está relacionado à idéia de
concessão e se equivale a “embora, ainda que, se bem que, conquanto” (A prova, posto
que fosse difícil, foi feita por todos.). Para introduzir uma causa ou explicação, mantenha o
uso das conjunções e expressões que não geram protestos: uma vez que, porque, já que,
visto que, porquanto, etc.

use: “a antijuricidade material não fica isenta de críticas, uma vez que se vale de
conceitos genéricos...”

use: “a antijuricidade material não fica isenta de críticas, pois se vale de conceitos
genéricos...”

evite: “a antijuricidade material não fica isenta de críticas, posto que se vale de
conceitos genéricos...”

d) No uso de “e nem” há redundância, pois estão sendo usadas duas conjunções, o


que é desnecessário; há duas opções: e não / nem.

pleonasmo: Não veio e nem nos avisou.

correto: Não veio e não nos avisou.

correto: Não veio nem nos avisou.

e) Não se deve usar “enquanto que”. A conjunção temporal é simplesmente


enquanto.

evite: Ele saiu passear enquanto que ela ficou trabalhando.

use: Ele saiu passear enquanto ela ficou trabalhando.

f) Não existe a forma no entretanto. Temos duas opções: no entanto ou entretanto.


Misturá-las é o que gera o erro. Também não se devem usar na mesma oração duas
conjunções adversativas, em frases como: “Saíram, mas voltarão, no entanto, em breve”.
Ou use usa uma (“Saíram, mas voltarão em breve”) ou a outra (“Saíram, voltarão , no
entanto, em breve”).
g) Em frases como “Se caso ele viesse”, houve aí acúmulo de conjunções
condicionais. Basta uma delas. Dessa forma, “se caso” introduzindo a mesma oração é
redundância, é excesso. Use uma (“Se ele viesse”) ou a outra (“Caso ele viesse”)

h) Não se deve usar a locução “por causa que”. O que se usa corretamente é “por
causa de”.

evite: Ele não quis sair por causa que chovia.

use: Ele não quis sair porque chovia.

use: Ele não quis sair por causa da chuva.

i) A palavra “onde” deve referir-se exclusivamente à idéia de lugar. Para substituí-


la, use os pronomes relativos “em que” e “no qual” (e variações). Observe:

use: Muitos participaram da reunião na qual se debateu a crise fiscal.

evite: Muitos participaram da reunião onde se debateu a crise fiscal (reunião não é
um lugar; ela acontece em algum lugar).

use: Ocorreu uma fase mais positiva, na qual houve crescimento econômico.

evite: Ocorreu uma fase mais positiva, onde houve crescimento econômico. (a
palavra fase traz idéia de tempo e não de lugar)

Já diferença entre onde e aonde é a seguinte:

onde: só use para os verbos e nomes que exigem preposição EM (estar em, ficar em,
entregar em). Exemplo: Esta é a cidade onde nasci (quem nasce, nasce em
algum lugar).

aonde: só use para os verbos e nomes que exigem preposição A (ir a, voltar a,
chegar a). Exemplo: Esta é a cidade aonde ele sempre ia (quem vai, vai a algum
lugar).

j) Atente-se às possibilidades de uso:

à medida que: traz a idéia de proporcionalidade e se equivale às expressões à


proporção que, ao mesmo tempo que. Exemplo: Ele pagou a dívida à medida
que novas vendas foras feitas.

na medida em que: traz a idéia de causalidade e equivale-se a tendo em vista que,


uma vez que, pelo fato de que. Exemplo: Ele terá de pagar a dívida na medida
em que assumiu tal compromisso.

Não existe na língua portuguesa a locução conjuntiva à medida em que.


EXERCÍCIOS

1. A alternativa que substitui, correta e respectivamente, as conjunções ou


locuções grifadas nos períodos abaixo é:

I. Visto que pretende deixar-nos, preparamos uma festa de despedida.

II. Terá sucesso, contanto que tenha amigos influentes.

III. Casaram-se e viveram felizes, tudo como estava escrito nas estrelas.

IV. Foi transferido, portanto não nos veremos com muita freqüência.

a) porque – mesmo que – segundo – ainda que

b) como – desde que – conforme – logo

c) quando – caso – segundo – tão logo

d) salvo se – a menos que – conforme – pois

e) pois – mesmo que – segundo – entretanto

2) Identifique a conjunção na oração abaixo e assinale a alternativa que possui


sua classificação.

Chove há três dias. Haverá, pois, enchentes novamente.

explicativa

conclusiva

concessiva

adversativa

conformativa

Nas duas questões seguintes (3 e 4), indique a alternativa em que a substituição não
mantém o mesmo valor semântico.
3) Mandou que saíssem; exigiu, portanto, o seu isolamento.

a) por conseguinte

b) então

c) porquanto

d) assim

e) pois

4) Ainda que eu merecesse, não me maltratou.

a) embora

b) se bem que

c) apesar de que

d) conquanto

e) já que

GABARITO

2. PLEONASMO

Com a repetição geralmente desnecessária de uma mesma idéia, surge o pleonasmo.


Por si só, ele não é um erro e até nos leva, às vezes, a construções mais claras ou mais
persuasivas. Sua rejeição está vinculada ao uso e não à lógica. Por isso, o pleonasmo
condenado pelos gramáticos, o chamado vicioso, não se ajusta a uma regra objetiva, mas
reflete certo preconceito que se constitui e se consagra socialmente. Daí haver repetições
que possuem aceitação (voltar atrás) e outras que se tornam muito pejorativas, de pouco
prestígio (entrar para dentro, subir para cima). O pleonasmo nasce, cresce e se multiplica
de várias formas. Observe algumas formações evitáveis em textos mais formais:

a) desconhecimento de um prefixo:

Antes preferiu aguardar o dinheiro a enviar o produto.

Foi displicente, pois não se precaveu antecipadamente.

Conviviam juntos há vinte anos.

b) desconhecimento de um sufixo:

Antes de ingerir o alimento, retire a pequena película.

Para fugir, caminhou por um pequeno riacho.

c) desconhecimento de um radical:

Era uma pessoa com uma bela caligrafia.

O carrasco tinha ordem para decapitar a cabeça do rei.

O problema dele é hepatite no fígado.

Não nos ofereceram uma outra alternativa.

d) expansão vocabular (ênfase):

Ele já havia descido lá embaixo três vezes.

Cresce o monopólio exclusivo de certas licitações.

Todos foram unânimes em negar a autoria.

e) desgaste:

No barco da ONU, só os estrangeiros embarcariam.

A realidade é dura, mas deveriam encará-la de frente.

f) restrições sintáticas:

Ele trouxe as provas, as quais prometera revelá-las.

Famoso ator escreverá sua autobiografia.

A lei começa a vigorar a partir de julho.


O elo de ligação desses países será a cultura ibérica.

Criou-se novo itinerário para os contrabandos.

Ele não veio, mas, no entanto, avisou a todos.

g) restrições espaciais:

Tal mudança ocorre em todos os países do mundo.

Sorriu muito, sorriu com todos os dentes da boca.

Após a piada, ficou com um grande sorriso nos lábios.

Vejam lá no céu as maravilhosas estrelas.

Aquilo era oco por dentro.

h) restrições convencionais:

As prefeituras municipais receberão os valores na data.

O almirante da Marinha concordou com a explicação.

i) restrições numéricas:

O comércio bilateral entre os dois países será reatado.

Ele disse que só virão ambos os dois.

j) restrições semânticas:

Há cerca de um mês atrás, houve a acusação.

Tal posição não se insere dentro de tal doutrina.

Adiaram o espetáculo para depois.

O marco de referência era uma casa.

A viúva do falecido trouxe reveladoras informações.

Ele projeta para o futuro profundas mudanças.

l) desconhecimento etimológico:

A doação pode ser de arroz, batata, cebola e etc.

Outros exemplos:
Trouxeram leite, carne, pães, legumes, etc... **

Aquilo era um abismo sem fim.

Era uma obra-prima, mas faltou um acabamento final.

A solução ainda deve demorar mais uns dez dias.

Disse que faria uma alocução breve.

Famoso ator escreverá sua autobiografia.

A árvore em breve cairia para baixo.

O cardume de peixes era maravilhoso.

A lei começa a vigorar a partir de julho.

Só entrará em vigor a partir de 2000.

Um caso qualquer, como, por exemplo, o citado pelo réu.

Com essas atitudes, até parece um demente mental.

Apelaram para o divino amor de Deus.

Estava alienado, parecia viver no escuro das trevas.

A exportação para o exterior precisa de regras.

Tirar o animal de seu hábitat natural pode matá-lo.

Houve rapidez para conter a hemorragia de sangue.

Na compra do caderno, você ganha grátis dois lápis.

Ao assinar a revista, você ganha outra gratuitamente.

A casa possuía várias goteiras no teto.

Inventaram uma nova palavra.

Na fogueira havia a beleza das labaredas de fogo.

Ele fala seis línguas diferentes.

As lojas conseguem manter os mesmos preços de abril.

O manuscrito foi feito pelas mãos do eterno Machado.

A monocultura exclusiva do trigo gerou a supersafra.


A empresa tinha um monopólio exclusivo de vendas.

Ninguém sabia a ortografia correta daquela palavra.

Na descrição, havia pequenos detalhes.

O Brasil precisa de planos para o futuro.

As falhas deveriam ser previstas com antecedência.

Quando deu a ré para trás, aconteceu o acidente.

O batalhão, ao recuar para trás, garantiu a vitória.

Ele reincidiu outra vez na falha.

Ele não conseguiu repetir outra vez as mesmas idéias.

Após o furto, ele saiu fora imediatamente.

Se caso houvesse falha, deveriam devolver o produto.

A eleição será realizada posteriormente.

Ele conhecia os seus próprios defeitos.

O item, acima supracitado, será revisto.

A atitude dele foi uma surpresa inesperada para todos.

Só há validade se for previamente previsto em lei.

O princípio só é válido se contido dentro de outro.

Ontem se deu a inauguração do novo prédio.

Em tempo: O desconhecimento de certa parte da palavra às vezes gera pleonasmos e


também construções meio ilógicas, como: Havia um erro de ortografia. O carrasco
primeiro decapitou os dedos do condenado. Exigiu-se a presença de ambos os três.
MÓDULO XI

PORTUGUÊS
Orientação para Pronúncias Questionáveis
Organização do Texto e o Ritmo da Escrita

__________________________________________________________________
Praça Almeida Júnior, 72 – Liberdade – São Paulo – SP – CEP 01510-010
Tel.: (11) 3346.4600 – Fax: (11) 3277.8834 – www.damasio.com.br
PORTUGUÊS

Orientação para Pronúncias Questionáveis

Organização do Texto e o Ritmo da Escrita

1. ORIENTAÇÃO PARA PRONÚNCIAS QUESTIONÁVEIS

Ortoepia: parte da gramática que estuda a pronúncia; o erro gera a cacoepia (falar
roba, em vez de roubar).

Prosódia: estudo da tonicidade; a pronúncia da sílaba errada faz surgir uma silabada
(rúbrica em vez de rubrica).

1.1. Guia de Pronúncia

eu adapto

ele adapta

aficionado

eu afrouxo

ele afrouxa

eu almejo (ê)

ele almeja (ê)

âmbar

eu apaziguo

ele apazigua

ele(s) apazigúe(m)
aresto (é)

eu arguo

ele argúi

eles argúem

que eles arguam

ele argüiu

austero (é)

autópsia

avaro

eu averiguo

ele averigua

ele(s) averigúe(m)

beneficente

blefe (é)

bodas (ô)

dúplex

caracteres (é)

cassetetes (é)

cateter (é)

eu cavouco

ele cavouca

condor

crosta (ô)

eu designo
ele designa

distinguir

docimasia

dolo (ó)

eu estouro

ele estoura

exegese (z)(gé)

extra (ê)

experto (ecs)

filantropo (ô)

fluido (úi)

foro (ô)

fortuito (úi)

gratuito (úi)

hábitat

hieróglifo

homizio

ibero (é)

ileso (ê)

eu impregno (é)

ele impregna (é)

ímprobo

eu impugno

ele impugna
incesto (é)

inodoro (ó)

eu inteiro

ele inteira

ínterim

juniores (ô)

látex

leso (é)

lêvedo

mercancia

misantropo (ô)

mister (é)

necropsia

Nobel

novel

obséquio (z)

ômega

pecha (é)

eu peneiro

ele peneira

probo (ó)

eu propugno

ele propugna

pudico
eu readapto

ele readapta

recorde

eu repugno

ele repugna

eu resigno

ele resigna

eu roubo

ele rouba

rubrica

ruim

eu saúdo

ele saúda

servo (é)

sesta (é)

sintaxe (ce)

sobejo (ê)

subsidiar (ci)

subsídio (ci)

suor (ó)

sursis (sí)

têxtil

torpe (ô)

tóxico (csi)
tríplex

uxoricida (cso)

xérox

Palavras com dupla pronúncia: ortoépia/ortoepia, projétil/projetil, sóror/soror,


réptil/reptil, autópsia/autopsia, acróbata/acrobata, xérox/xerox, necrópsia/necropsia.

1.2. Acréscimos, Cortes, Trocas e Afins


adivinhar (e nunca advinhar)

alcagüetar (e nunca cagüetar)

asterisco (e nunca asterístico)

beneficente (e nunca beneficiente)

cabeleireiro (e nunca cabelereiro)

caderneta (e nunca cardeneta)

caranguejo (e nunca carangueijo)

disenteria (e nunca desinteria)

doze (e nunca douze)

estupro (e nunca estrupo)

exacerbar (e nunca exarcebar)

fratricídio (e nunca fraticídio)

freada (e nunca freiada)

geminado (e nunca germinado)

lagarto (e nunca largato)

losango (e nunca losângulo)

macérrimo (e nunca magérrimo)


manteigueira (e nunca mantegueira)

mendicância (e nunca mendigância)

meritíssimo (e nunca meretíssimo)

meteorologia (e não metereologia)

mortadela (e nunca mortandela)

octogésimo (e nunca octagésimo)

opróbrio (e nunca opróbio)

plebiscito (e nunca plesbicito)

prazeroso (e nunca prazeiroso)

problema (e nunca pobrema)

reivindicação (e não reinvindicação)

sobrancelha (e nunca sombrancelha)

viger (e nunca vigir)

2. ORGANIZAÇÃO DO TEXTO E O RITMO DA ESCRITA

Na harmonização entre termos, frases, períodos e parágrafos,


estabelece-se o ritmo da escrita, uma construção que só se equilibra e
se mantém caso se projete aquele que está no outro pólo, ou seja, o
leitor. Na organização verbal, a função essencial dos sinais de
pontuação é dar um ritmo ao leitor, isso com a finalidade de gerar
clareza e facilitar a compreensão. Por tal motivo, possui uma visão
mais madura o autor que, ao escrever, retrai o ego para poder, com o
outro, dividir o ato de criar, dentro de um princípio de alteridade e
cooperação. Dessa relação entre autor e leitor, há o pressuposto da
interação, uma atitude que estranhamente se dá em tempo e lugar
diferentes, porém sem nunca perder o fio que os interliga: o texto.
2.1. Análise de Problemas Textuais

2.1.1. Repartição dos parágrafos


Alguns parágrafos revelam certa fragilidade estrutural porque sofrem
fragmentação. Por haver uma seqüência que traz o tema dentro de um mesmo
enfoque, seria, como no exemplo abaixo, mais produtiva a recomposição em um só
parágrafo.

Trecho original (A)

A Constituição Federal do Brasil, em seu artigo segundo, dispõe


que “são poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o
legislativo, o executivo e o judiciário”.

A tripartição dos poderes resultou da nova concepção de


Estado.

Antigamente, os reis encarnavam todos os poderes, ou seja,


legislavam, julgavam e administravam.

Trecho recomposto (A)

A Constituição Federal do Brasil, em seu artigo segundo, dispõe


que “são poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o
legislativo, o executivo e o judiciário”. Essa tripartição dos poderes
resultou da nova concepção de Estado, pois, antigamente, os reis
encarnavam todos os poderes, ou seja, legislavam, julgavam e
administravam.

Também há textos que trazem parágrafos longos demais. Apesar da unidade


temática, há um aspecto físico, em que a memória começa a ter dificuldade por
causa do excesso de informação em um só parágrafo. Há, portanto, um equilíbrio
entre conteúdo e tamanho a ser respeitado. A mudança de um parágrafo para outro
possui alguns limites, geralmente ligados a três aspectos (muito flexíveis): –
a mudança de tópicos (que são as unidades que o texto vai construindo);

o grau de detalhamento das informações em relação ao tópico


geral do texto;
o tamanho do próprio parágrafo.

2.1.2. Extensão dos períodos


Deve sempre haver controle na produção das frases e dos
períodos, criando um equilíbrio quantitativo e qualitativo, tanto no
desenvolvimento do conteúdo (correlação equilibrada entre a
informação já posta com aquela que ainda virá) quanto no aspecto
formal, isto é, a extensão.

Quando a extensão do período foge ao normal, traz, de forma


inevitável, um conjunto de dificuldades e imperfeições:

pontuação sobrecarregada e confusa, pois dificulta identificar as


correlações e faz nascer concorrências referenciais;

excesso de conexões e, por conseqüência, abundância de


subordinações e de orações reduzidas, principalmente as de
gerúndio.

Trecho original (B)

O controle preventivo, como o próprio nome diz, é aquele que ocorre antes
da criação da lei ou do ato normativo, pode ser feito pelo Poder Legislativo, por
meio das Comissões de Constituição e Justiça, no momento em que essas analisam
os projetos de lei que são submetidos ao seu crivo, pelo Poder executivo, por
intermédio do chamado “veto jurídico” e pelo Poder judiciário, no caso de ocorrer
violação das normas constitucionais do processo legislativo, desde que seja
provocado tal controle por quem tenha direito subjetivo ao devido processo
legislativo, em regra é o parlamentar que participa do processo legislativo.

Trecho recomposto (B)

O controle preventivo, como o próprio nome diz, é aquele que


ocorre antes da criação da lei ou do ato normativo e ele pode ser feito
pelos três poderes: pelo poder legislativo, por meio das Comissões de
Constituição e Justiça, no momento em que essas analisam os
projetos de lei que são submetidos ao seu crivo; pelo poder executivo,
por intermédio do chamado “veto jurídico”; e pelo poder judiciário, no
caso de ocorrer violação das normas constitucionais do processo
legislativo. Nesse último caso, ocorre desde que seja provocado por
quem tenha direito subjetivo ao devido processo legislativo, que, em
regra, é o parlamentar que de tal processo participa.

Outra preocupação está vinculada à fragmentação do período, construção que


não oferece o nexo necessário para facilitar a vida do leitor. A correção agora se dá
pela troca do ponto por uma vírgula e, com base na correlação criada, a inserção de
um conectivo. Ao criar um outro ritmo, também se cria uma outra forma de
apreender o trecho.

2.1.3. Fluência na leitura e ritmo


Muitos trechos exigem ou um ritmo diferente do proposto ou uma conexão
mais fluente, mudanças que permitam prosseguir sem sobressaltos. Mostra-se muito
eficiente para o leitor a colocação de elementos rítmicos que o orientam para aquilo
que vai ser redigido, a fim de que ele percorra o trecho cognitivamente preparado.

Deve-se, portanto, estar atento à capacidade de o texto comunicar e


autocomunicar-se por meio de construções que mantêm o desenvolvimento do
conteúdo e, simultaneamente, norteiam a leitura para as correlações mais
importantes ou para aquilo que deve ser percebido em destaque. Isso ocorre, por
exemplo, com os paralelismos:

Trecho original (C)

As espécies de liberdade provisória sem fiança, divide-se em


obrigatória e permitida.

Nas obrigatórias é direito incondicional do acusado e dá-se nos


casos em que se livra solto.

Já a permitida verifica-se nos casos em que não caber prisão


preventiva.

Somente o juiz de direito pode conceder liberdade sem fiança.


Trecho recomposto (C)

As espécies de liberdade provisória sem fiança dividem-se em


obrigatória e permitida. A obrigatória é direito incondicional do
acusado e dá-se nos casos em que se livra solto; já a permitida
verifica-se nos casos em que não couber prisão preventiva. A
liberdade sem fiança pode ser concedida somente pelo juiz de direito.

MÓDULO XII
PORTUGUÊS
Padronização
Má Formação ou Uso Impróprio
PORTUGUÊS

Padronização

Má Formação ou Uso Impróprio

1. PADRONIZAÇÃO

a) FALHA: 12:30HRS / 12:30HS

CORREÇÃO: a forma oficial de indicar o horário é

para as horas cheias: 12h, 13h

para as horas com minutos: 12h30min, 13h20min

b) FALHA: Lei 8971

CORREÇÃO: usa-se, nos numerais, um ponto para separa o milhar da centena: Lei
8.971. A única exceção é a data que indica os anos: 1987, 1988, 1999, 2000, etc.

c) FALHA: lei 8.071

CORREÇÃO: quando a lei é determinada, é normal vir com letra maiúscula: Lei
8.071.
d) FALHA: artigo 96, inciso III da CF

CORREÇÃO: a ligação lógica é entre o artigo e a Constituição; o que aparece entre


eles vem entre vírgulas:

artigo 96, inciso III, da CF.

Obs.: Em um texto formal (provas e documentos), são evitáveis abreviações que não
possuem domínio social. Torna-se mais adequado por extenso: Código Penal,
Constituição Federal.

e) FALHA: p/ c/ q.

CORREÇÃO: em um texto formal, não se devem usar formas não convencionadas


de abreviação.

f) FALHA: consequências

CORREÇÃO: o trema vigora normalmente: conseqüências.

g) FALHA: às zero horas, das zero horas às sete

CORREÇÃO: O numeral “zero” exige a concordância singular: da zero hora às


sete, das duas à zero hora, zero grau.

h) FALHA: de Março a Abril

CORREÇÃO: Os meses grafam-se com letra minúscula: "de março a abril".

i) FALHA: todas as Sextas-feiras, de Terça a Sábado

CORREÇÃO: Os dias da semana grafam-se com letra minúscula: todas as sextas-


feiras, de terça a sábado.

1.1. Má formação ou uso impróprio


(extraídos de textos)

a) FALHA: a nível de

CORREÇÃO: evite essa expressão, pois ela tem recebido uma rejeição social, já
que cria um tom pomposo e vazio. Substitua por em âmbito, quanto a, em relação a,
etc. Às vezes, é tão dispensável que sua falta nem é sentida:

evite: O encontro a nível internacional foi frutífero.


use: O encontro internacional foi frutífero.

b) FALHA: isto posto

CORREÇÃO: nas orações reduzidas de particípio, é este que deve iniciá-las:

Colocado o problema, Refeito o cálculo, Posto o motivo, Posto isso...

c) FALHA: ...e o mesmo ainda disse que tinha razão...

CORREÇÃO: não use mesmo no lugar dos pronomes pessoais.

evite: Francisco Xavier viu o fato, porém o mesmo não quis testemunhar.

use: Francisco Xavier viu o fato, porém ele não quis testemunhar.

d) FALHA: primeiramente

CORREÇÃO: O sufixo mente só se une aos adjetivos. Primeiro é um numeral e,


portanto, não deve receber essa derivação. Use inicialmente, a princípio, primeiro.

e) FALHA: Não houve qualquer acordo.

CORREÇÃO: em orações de sentido negativo, não use qualquer. Substitua por


nenhum ou palavra de valor negativo equivalente.

evite: Não houve qualquer falha no processo.

use: Não houve nenhuma falha no processo. (ou) Não houve falha alguma no
processo.

f) FALHA: anti-jurídico, sobre-jornada

CORREÇÃO: o prefixo anti e sobre só recebem hífen diante de palavras iniciadas


por H, R e S. Dessa forma, devem ser grafadas sem traço as palavras antijurídico e
sobrejornada.

g) FALHA: o que depreende-se / o qual manteve-se / o que determina-se

CORREÇÃO: havendo palavra atrativa, usa-se o pronome átono próximo a ela: o que
se depreende, o qual se manteve, o que se determina.

h) FALHA: a conduta visa um resultado

CORREÇÃO: o verbo visar, com o sentido de “objetivar, desejar, almejar”, é


transitivo indireto, exige preposição a. O correto é: conduta visa a um resultado.
i) FALHA: implica num comportamento positivo / o dolo eventual implica
na assunção dos riscos

CORREÇÃO: o verbo implicar, com o sentido de “acarretar, gerar, produzir”, é


transitivo direto, não exige

preposição. Dessa forma, a frase correta é:

implica um comportamento positivo / o dolo eventual implica a assunção dos riscos.

j) FALHA: o agente prefere correr o risco de produzir o resultado do que parar


de praticar a conduta.

CORREÇÃO: a regência do verbo preferir é preferir algo a outra coisa: O agente


prefere correr o risco de produzir o resultado a parar de praticar a conduta.

k) FALHA: "ele quis tão somente colaborar"

CORREÇÃO: sempre virá com hífen: tão-somente. Usa-se tal expressão para
enfatizar o advérbio somente.

l) FALHA: a conduta tem que ser voluntária

CORREÇÃO: a formação unânime para esta locução verbal é ter + de + infinitivo.


Assim: a conduta tem de ser voluntária.

m) FALHA: decorre do agente não prever o que era previsível

CORREÇÃO: decorre de o agente não prever o que era previsível

o núcleo do sujeito não vem casado com preposição. Em nossos códigos, há alguns
exemplos:

(Código de Processo Civil) art. 881 - “...e a proibição de o réu falar nos autos...”;

(Código de Processo Penal) art. 570 - “...desde que o interessado compareça, antes
de o ato consumar-se,...”.

Obs.: Não se deve, porém, criar uma situação homogênea, pois, se não existir a
função de sujeito, faz-se obrigatoriamente a combinação: “Todos sabem os seus
direitos, apesar dos deveres, apesar deles”.

n) FALHA: destaca-se, portanto, duas espécies de dolo

CORREÇÃO: falha de concordância verbal:


destacam-se, portanto, duas espécies de dolo (duas espécies de dolo são
destacadas)

o) FALHA: exige-se menos requisitos

CORREÇÃO: falha de concordância verbal: exigem-se menos requisitos (menos


requisitos são exigidos)

p) FALHA: juri

CORREÇÃO: falha de acentuação, pois as paroxítonas terminadas em i recebem


acento: júri.

q) FALHA: definí-lo, atingí-lo

CORREÇÃO: falhas de acentuação, pois as oxítonas terminadas em i não são


acentuadas: defini-lo, atingi-lo

r) FALHA: a devida tipificação não influência

CORREÇÃO: falha-se por causa do acento (ela não influencia)

s) FALHA: face a / frente a

CORREÇÃO: as expressões “face a” e “frente a” são condenadas pelos


gramáticos.Deve-se usar ante, perante, diante, em face de, em frente a.

t) FALHA: no dolo eventual, onde o agente assume o risco

CORREÇÃO: a palavra onde só serve para se referir à idéia de lugar. Nesse caso,
ficaria melhor:

no dolo eventual, no qual o agente assume o risco

u) FALHA: Devido o erro, encerraram-se as atividades.

CORREÇÃO: a locução é devido a. Dessa forma: Devido ao erro...

v) FALHA: A princípio, sua idéia será aceita.

CORREÇÃO: a expressão “a principio” só deve ser usada com o sentido de “no


início, inicialmente, no princípio” . Com a idéia de hipótese, em tese, o correto é em
princípio.

w) FALHA: "através de seu depoimento pessoal", "através de documentos"


CORREÇÃO: a expressão “através de” vem da palavra “atravessar” e significa
“transpassar, ultrapassar, no decorrer de. Evite, portanto, “através de” para
introduzir a idéia de meio, instrumento ou agente. Substitua por “mediante, por
meio de, graças a, por intermédio de”. Às vezes até preposições simples (por, com,
de, etc.) fazem sozinhas a substituição. É mais adequado: "por meio de seu
depoimento pessoal" , "mediante documentos".

x) FALHA: inobstante

CORREÇÃO: apesar do uso muito comum, é palavra discriminada por alguns


gramáticos. Para questões divergentes, adote a forma que não cabe correção: não
obstante.

y) FALHA: o não cumprimento; o não pagamento

CORREÇÃO: a palavra “não” passa a prefixo (e sempre com hífen) quando


acompanha os nomes (adjetivos e substantivos) e tem o mesmo valor de negação
que o prefixo “-in”: o não-cumprimento; o não-pagamento. Isso deixa de ocorrer
com os particípios: caso não analisado, objeto não vendido.

z) FALHA: de maiores recursos médicos-hospitalares

CORREÇÃO: nos adjetivos compostos só varia o último elemento: recursos


médico-hospitalares

Na imprensa

Direito em Português simples é necessário

(Gazeta mercantil, São Paulo, 11/01/2001)

A leitura de um texto jurídico mal escrito pode ser tão


entendiante para o profissional do Direito quanto excitante é a leitura
de um a obra de José Saramago para o apreciador da Língua
Portuguesa. Mais grave do que o tédio do leitor é a falta de
comunicação decorrente do Português ruim. Frase comum de se ouvir:
“Advogado escreve difícil”. Não faltam profissionais da advocacia que
se orgulham disso. Estão enganados e, pelo bem da profissão, talvez
devessem repensar tal postura e envidar esforços para uma
comunicação eficaz em seus textos e petições – seja o destinatário
final um cliente, um desembargador, um ministro do supremo ou o
público em geral.
Não se fala aqui, em deixar de lado as questões complexas. Defende-se, isso
sim, a abordagem de quaisquer temas, complexos ou não, por meio de uma estrutura
de texto e redação simples, clara e de fácil entendimento. A palavra-chave é
simplicidade e não simplismo. Por sua natureza científica, o texto jurídico, não raro,
envolve complexidades. Porém, não há de se confundir complexidade com
complicação. É natural que não se espere de um advogado um estilo como o de
Saramago. No outro extremo, todavia, não se pode admitir um texto jurídico que
imponha ao leitor malabarismos.