Você está na página 1de 1

4 Debates Florianópolis, abril de 2010

Dissidentes cubanos pedem ajuda


Mas presidente brasileiro diz que greve de fome não pode ser pretexto dos Direitos Humanos para libertar presos
“O presidente Lula tem escolhido Após 85 dias de greve de fome, o nal em campanha contra o governo de deste debate internacional. Antes de bandidos que estão presos em São Pau-
muito bem as viagens que fará este encanador de 42 anos Orlando Miguel Cuba. Com a greve de fome de Fariñas chegar em Cuba, 50 presos pediram lo entrassem em greve de fome e pedis-
ano”, sintetizou o porta-voz da Pre- Zapata Tamayo faleceu depois de ser como principal argumento, estes ór- por carta ao presidente brasileiro que sem liberdade”, declarou o presidente.
sidência, Marcelo Baumbach, antes transferido do presídio de Chamaguey gãos e nações solicitaram às autorida- intercedesse por suas libertações no “Temos de respeitar a determinação da
da viagem de Lula por quatro países para o hospital. No dia seguinte a sua des da ilha ao longo de março respeito encontro com os Castros. A mensagem Justiça e do governo de Cuba de deter
da América Latina – entre eles Cuba morte, 24 de fevereiro, Guillermo Fa- aos direitos humanos e libertação dos dizia que Lula seria um “magnífico in- pessoas em razão da legislação daquele
- realizada entre 21 e 27 de fevereiro riñas iniciou um jejum em defesa da 26 presos. terlocutor para conseguir que o gover- país, como quero que respeitem o Bra-
deste ano. preservação dos direitos humanos e Em contrapartida, o presidente de no cubano realize as reformas econô- sil”.
Dois dias depois de partir, em Hava- pela libertação de 26 presos doentes. Cuba, Raúl Castro, lamentou a morte micas, políticas e sociais urgentemente O presidente Lula agiu de forma cor-
na, capital cubana, a agenda do presi- Os dois cubanos estão entre os 75 dis- de Zapata, mas disse que não cederá a necessárias”. Lula afirmou não ter re- reta ao se posicionar contra o protesto
dente brasileiro incluía uma visita ao sidentes políticos detidos desde 2003, pressão de qualquer ordem. Para o lí- cebido carta alguma. utilizado pelos prisioneiros cubanos e
líder Fidel Castro e o anúncio de apoio amparados na Lei 88, que prevê “a pro- der cubano, os 75 prisioneiros não são Questionado sobre o método de creditar total legitimidade à Justiça de
à construção do porto de Mariel com teção da independência nacional e da “presos de consciência” como a Anistia protesto utilizado pelos dissidentes Cuba na condenação aos 75 presos?
investimento de US$ 300 milhões. economia de Cuba”. Internacional define, mas “mercená- políticos, o presidente brasileiro se po- O professor de Ciência Política da
No entanto, dois incidentes ocorri- Imediatamente após a morte de Za- rios” e “terroristas de Estado” a serviço sicionou contra a greve de fome e com- UFSC, Héctor Ricardo Leis, e o presi-
dos durante a estadia de Lula em ter- pata, Estados Unidos, União Européia, dos EUA. Para o governo da ilha, Zapa- parou a situação dos presos cubanos a dente do Instituto de Estudos Latino-
ritório cubano colocaram em dúvida a Organização dos Estados Americanos ta e Fariñas são duas peças manipula- dos brasileiros. “Eu acho que greve de Americano (IELA) estréiam a sessão
afirmação de Baumbach, pelo menos (OEA) e das Nações Unidas (ONU) se das contra Cuba. fome não pode ser utilizada como um Debates, do ZERO, com suas opiniões
em relação à escolha das datas das via- juntaram à organização de defesa dos Lula estava em Cuba durante os pretexto dos Direitos Humanos para sobre a questão cubana e as declara-
gens presidenciais. direitos humanos Anistia Internacio- fatos e se tornou um dos personagens libertar pessoas. Imagine se todos os ções do presidente brasileiro.

O drama de Cuba e os direitos humanos


Divulgação

Lula em Cuba “Lula não deve interferir em conflito interno cubano”


A imprensa estadunidense (leia-se CNN), jun-
Divulgação

Talvez, com a única exceção da Forças Ar- tamente com a européia e a de alguns países la-
madas Revolucionárias da Colômbia (FARC), tino-americanos, desencadeou uma propaganda
nenhum revolucionário latino americano dos sistemática contra Cuba, alegando, neste caso, o
anos 60 e 70 pretenderia seguir hoje o manu- desrespeito aos direitos humanos por parte do
al de luta armada que então guiava sua ação. governo de Havana. Na realidade, esta campa-
A democracia “burguesa” que hoje temos em nha não é nova já que teve início em 1961 quan-
toda a America Latina – com a única exceção do Fidel Castro proclamou o caráter socialista da
de Cuba – não estava nos planos dessa geração, Héctor Ricardo Leis Revolução Cubana. Por conta desta postura sobe-
no começo de sua longa marcha. Mas também professor de Ciência Política na UFSC rana, Washington se valeu do terrorismo de Esta-
é verdade que naqueles anos eram poucos os do para inviabilizar os avanços sociais da Ilha,
atores que manifestavam um compromisso sem-número de lideranças políticas de todas começando com a guerra bacteriológica contra
autêntico com a democracia e os direitos hu- as cores. Apesar disso, Lula fez como se nada os canaviais, passando pela peste suína contra os
manos, de ambos os lados do espectro político. estivesse acontecendo na ilha e subiu ao avião animais, chegando à propagação da dengue con-
O aprendizado foi de certa for- de retorno sem fazer qualquer tra os humanos e permanecendo todos estes anos Waldir Rampinelli
ma do conjunto da sociedade.
A rigor, nossas sociedades não
“Talvez Lula declaração a respeito. Para no constante ataque contra Cuba, afirmando o
não respeito aos direitos civis das pessoas.
presidente do IELA
piorar ainda mais a situação,
tinham aprendido ainda a viver não consiga já no Brasil, Lula comparou Na verdade, são os Estados Unidos os gran- los Estados Unidos. Esta foi uma revolução que
em democracia, nem a respei- des violadores dos direitos humanos. Basta ver custou milhares de vidas e não se pode permitir
tar os direitos humanos. As ex-
criticar Cuba aemsituação dos presos políticos
Cuba com a de presos co- os vários porto-riquenhos que cumprem pena que o inimigo a destrua com a complacência do
periências anteriores estiveram por pensar que muns no Brasil. de aproximadamente trinta anos em cadeias Estado socialista.
quase sempre contaminadas Arthur Koestler conseguiu estadunidenses por lutarem pela independência Um grupo de mulheres cubanas, conhecidas
por interesses oligárquicos. isso poderia ser mostrar como ninguém os la- de Porto Rico; os muitos afegãos e iraquianos como as damas de blanco, que vem se manifes-
O registro democrático do aproveitado pela birintos da mentalidade da es- torturados na base naval de Guantánamo por tando contra o governo com certa regularidade
século 20 em América Latina foi querda revolucionária. No seu se oporem à invasão de Cabul e Bagdá; os gru- não estão pleiteando liberdade para criticar o
tão pobre, padeceu de tantas in- ‘direita’” livro, O Zero e o Infinito (publi- pos de resistência no Iraque que foram presos Estado cubano – elas já o tem – e sim o direito
terrupções, que se pode afirmar cado em 1941, a propósito dos e humilhados de forma vexatória na prisão de de destruir o Estado socialista. É evidente a cone-
que o processo de transição de- Juízos de Moscou), ele nos con- Abu Ghraib; os negros, os latinos e os indígenas xão existente entre o Departamento de Estado e
mocrática, iniciado nos anos 80, foi para mui- ta a tragédia do velho bolchevique Rubachov, que sofrem um racismo constante e persistente a manifestação havida em Miami dirigida pela
tos dos países que saiam do autoritarismo o pri- que prefere confessar uma culpa que não tem, dentro da sociedade estadunidense, reclamando cantora Gloria Estefan, filha de um ministro do
meiro processo de construção democrática sem antes de acusar ao partido comunista pela sua direitos iguais aos brancos anglo-saxônicos. ditador Fulgencio Batista, passeata da qual tam-
restrições oligárquicas ou militares. No entanto, injusta prisão, já que isso poderia enfraquecer Cuba sempre foi, desde a ruptura de suas re- bém participou o terrorista Posada Carilles em
apesar de que a região retirou praticamente de a causa da revolução. lações diplomáticas com os Estados Unidos, uma apoio a estas senhoras e ao grevista Guillermo
seu horizonte a possibilidade de um retorno aos A atitude do presidente Lula com relação a democracia militarizada. Isso se deve ao não Fariñas. Pediram a intervenção da ONU, da OEA
regimes autoritários de outrora, a construção Cuba faz lembrar o comportamento do perso- reconhecimento de Washington à soberania de e dos EUA não apenas contra Cuba, mas também
democrática não transita sem sobressaltos. nagem Rubachov. Talvez o presidente brasileiro Havana. A Casa Branca tentou de todas as for- contra a Venezuela. Liberdade para intervir, este
Um exemplo disto foi dado pelo presidente não consiga criticar Cuba porque pensa que mas derrubar o governo revolucionário cuba- foi o lema.
Lula, durante sua recente visita a Cuba, um dos isso poderia ser aproveitado pela “direita”. Mas no, começando com a invasão armada (1961), Com base neste breve histórico que relatei, o
prisioneiros de consciência do regime castrista, fazendo isso estaria evidenciando uma falta passando pela Lei de Ajuste (1966), que confere presidente Lula não deve e não pode interferir em
morreu depois de um longo período de greve de de convicção democrática, já que estaria colo- a todo cubano a condição de refugiado político, um conflito interno de um Estado soberano. Antes
fome. Frente a este acontecimento houve uma cando hoje à defesa dos direitos humanos e da chegando a Lei Torricelli (1992) e Helms-Burton de exigir qualquer atitude do governo cubano, os
rápida reação por parte da comunidade inter- democracia de forma subordinada aos ideais (1996) que tratam do cerceamento do comércio organismos internacionais deveriam obrigar os
nacional, vindo tanto das mais reconhecidas or- revolucionários de ontem, expressados na sua e de negócios. O governo de Havana permite Estados Unidos a reconhecer o Estado Socialista
ganizações não governamentais internacionais anacrônica solidariedade com a “revolucioná- toda e qualquer crítica ao sistema, desde que o Cubano como uma entidade soberana.
de defesa dos direitos humanos, como de um ria” ditadura dos Castro. movimento não esteja à serviço e financiado pe-