Você está na página 1de 26
nova edição P RTA ABERTA LÍNGUA
nova edição
P
RTA
ABERTA
LÍNGUA

PORTUGUESA

Isabella Pessoa de Melo Carpaneda

Licenciatura plena em Pedagogia pela Universidade de Brasília e CEUB, com especialização em Administração e Supervisão Escolar e Orientação Educacional. Coordena, prepara material pedagógico e ministra cursos de treinamento para professores de educação infantil e ensino fundamental em vários estados, desde 1990. Atua como assessora pedagógica de educação infantil e ensino fundamental em Brasília-DF, desde 1984.

Angiolina Domanico Bragança

Licenciatura plena em Pedagogia pela Associação de Ensino Unificado do Distrito Federal, com especialização em Administração Escolar. Coordena, prepara material pedagógico e ministra cursos de treinamento para professores de educação infantil e ensino fundamental em vários estados, desde 1990. Atua como assessora pedagógica de educação infantil e ensino fundamental em Brasília-DF, desde 1970.

São Paulo 1 a . edição – 2011

fundamental em Brasília-DF, desde 1970. São Paulo 1 a . edição – 2011 MANUAL DO PROFESSOR

MANUAL

fundamental em Brasília-DF, desde 1970. São Paulo 1 a . edição – 2011 MANUAL DO PROFESSOR

DO PROFESSOR

fundamental em Brasília-DF, desde 1970. São Paulo 1 a . edição – 2011 MANUAL DO PROFESSOR

ano

Língua

Portuguesa

Porta Aberta – Língua Portuguesa – Nova edição Copyright © Isabella Pessoa de Melo Carpaneda e Angiolina Domanico Bragança Todos os direitos reservados à EDITORA FTD S.A. Matriz: Rua Rui Barbosa, 156 – Bela Vista – São Paulo - SP CEP 01326-010 - Tel. (0-XX-11) 3598-6000 Caixa Postal 65149 – CEP da Caixa Postal 01390-970 Internet: http://www.ftd.com.br E-mail: portugues@ftd.com.br

Diretora editorial Silmara Sapiense Vespasiano

Editora Maria Cecília Mendes de Almeida

Editoras assistentes Helena de Brito Rosa Visconti

Assistentes de produção Ana Paula Iazzetto Lilia Pires

Assistente editorial Denise Aparecida da Silva

Preparação de texto Iracema Santos Fantaguci Maria F. Cavallaro Renato Alberto Colombo Jr.

Revisão Adriana Rinaldi Périco Aurea Maria dos Santos Cristiane Zunno Casseb Lívia Perran T. Pires da Costa Suzimar E. de Paula Mota Tatiana Sado Jaworski

Projeto gráfico e capa Carlos Augusto Asanuma e Fabiano dos Santos Mariano Ilustrações que acompanham o projeto: Alberto Llinares Fotos da capa: Diana Ong. Home sweet home. Computação gráfica. c. 2007. Foto: Diana Ong/SuperStock/Getty Images e Photodisc/Getty Images

Coordenador de produção editorial Caio Leandro Rios

Editor de arte Roque Michel Jr.

Ilustrações

Ilustra Cartoon

Iconografia Pesquisa: Célia Rosa Daniel Cymbalista Elizete Moura Santos Assistência: Cristina Mota Rosely Ladeira

Editoração eletrônica Diagramação: Andréa Wolff Gowdak Noto Edgar Sgai Isabel Cristina Corandin Marques Imagens: Ana Isabela Pithan Maraschin Vania Aparecida Maia

Gerente de produção gráfica Reginaldo Damasceno

Alberto Llinares
Alberto Llinares

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Carpaneda, Isabella Pessoa de Melo Porta aberta : língua portuguesa, 4 o ano / Isabella
Carpaneda, Isabella Pessoa de Melo
Porta aberta : língua portuguesa, 4 o ano / Isabella
Pessoa de Melo Carpaneda, Angiolina Domanico Bragança. –
1. ed. – São Paulo : FTD, 2011.
Nova edição.
ISBN 978-85-322-7742-8 (aluno)
ISBN 978-85-322-7743-5 (professor)
1. Português (Ensino fundamental)
I. Bragança, Angiolina Domanico. II. Título.
11-03042
CDD-372.6

Índices para catálogo sistemático:

1. Português : Ensino fundamental

372.6

Querido aluno,

Desde que você nasceu, aprendeu muitas coisas: a

engatinhar, a andar, a falar

esforço que fez para superar esses desafios, não é mesmo?

Agora as metas são outras: aprender a ler e a escrever cada vez melhor para poder se informar sobre diferentes assuntos. Vai descobrir que a leitura pode ser uma deliciosa viagem. Vai aprender a falar sobre o que sabe usando melhor as palavras; vai aprender a transmitir suas ideias com clareza e, assim, aos poucos, perceber o quanto tudo isso é importante para você se tornar um cidadão consciente de seus deveres e de seus direitos.

Desejamos que seja um ano de muitas descobertas e que tenha tantas alegrias quanto nós, ao escrevermos este livro.

e, certamente, nem se lembra do

Um grande abraço.

As autoras

Alberto Llinares
Alberto Llinares
SUMÁRIOSUMÁRIO
SUMÁRIOSUMÁRIO
SUMÁRIOSUMÁRIO Unidade 1 Preparação para a leitura Texto: Para evitar lesões – Sociedade Brasileira 11 de
Unidade 1
Unidade 1

Preparação para a leitura

Texto: Para evitar lesões – Sociedade Brasileira

11

de Ortopedia Pediátrica Só para lembrar: Verbos

de Ortopedia Pediátrica Só para lembrar: Verbos

12

14

Outro texto: Minhas férias, pula uma linha,

parágrafo. – Christiane Gribel

17

Estudo da língua: Numeral

Com que letra?: Palavras que causam dúvida

Produção: Folheto

21

26

26

Unidade 2
Unidade 2
Preparação para a leitura 29 Texto: Férias na Antártica – Nathália Llovatte Com que letra?:
Preparação para a leitura
29
Texto: Férias na Antártica – Nathália Llovatte
Com que letra?: Uso de por que,
30
porque, por quê, porquê
35
Só para lembrar: Ordem alfabética
37
Estudo da língua: Encontros vocálicos –
Ditongo, tritongo e hiato
38
Outro texto: Nos tempos da vovó – Luiza
Braga 40
Projeto: Entrevista, exposição de fotos,
Ilustrações: AMJ Studio

brinquedos e objetos antigos (1ª . parte)

42

Unidade 3
Unidade 3

Preparação para a leitura

Texto: Lobinho na Escola de Enganação

Ian Whybrow

48

49

Outro texto: Cartas do Lobinho – Ian

Whybrow 52 Mais correspondência: Carta e e-mail

Só para lembrar: Sílaba tônica

Estudo da língua: Palavras oxítonas,

paroxítonas, proparoxítonas

58

60

55

Alberto Llinares
Alberto Llinares

Projeto: Entrevista, exposição de fotos, brinquedos e

objetos antigos (2ª . parte)

62

Unidade 4 Preparação para a leitura 67 Texto: Anedota – Paulo Tadeu Só para lembrar:
Unidade 4
Preparação para a leitura
67
Texto: Anedota – Paulo Tadeu
Só para lembrar: Verbos de
68
elocução 72
Outro texto: Que nome! – Tatiana
Belinky 74
Com que letra?: Palavras com s
depois de ditongos
79
Estudo da língua: Substantivos
primitivos e derivados
80
Produção: Festival de anedotas
82
AMJ Studio
Unidade 5 Preparação para a leitura 83 Texto: A cigarra e as formigas – Esopo
Unidade
5
Preparação para a leitura
83
Texto: A cigarra e as formigas – Esopo
Dê a sua opinião: Atitude das formigas
84
87
Outro texto: A cigarra e as formigas –
Monteiro Lobato
89
Só para lembrar: Pontuação no diálogo
91
Estudo da língua: Substantivos simples e
substantivos compostos
94
Com que letra?: Palavras com s depois das
consoantes n, l e r
97
Mais um texto: A raposa que fingia – Flávia Muniz
98
Ilustrações: AMJ Studio

Produção: Fábula

102

Muniz 98 Ilustrações: AMJ Studio Produção: Fábula 102 Unidade 6 104 Preparação para a leitura Texto:
Unidade 6
Unidade
6

104

Preparação para a leitura

Texto: O príncipe desencantado – Flávio de Souza

Outro texto: A cigarra e a formiga

Estudo da língua: Pronomes pessoais do caso reto

Com que letra?: Palavras com ss e ç

Produção: Revisão e montagem do Livro de fábulas

105

116

119

109

117

122 122
122 122

126

129

Unidade 7
Unidade
7

121

Preparação para a leitura

Texto: Nhaaac!!! – Revista Recreio

Estudo da língua: Pronomes pessoais do caso oblíquo

Só para lembrar: Substantivos comuns e próprios Com que letra?: Palavras terminadas em

-ação, -aço e -aça

130

Outro texto: Verde que mata – Revista Galileu

Projeto: Plantas tóxicas (1 a parte)

135

.

131

Unidade 8
Unidade
8

Preparação para a leitura Texto: Como fazíamos sem Só para lembrar: Parágrafo

Estudo da língua: Locução adjetiva

Com que letra?: Palavras terminadas em -oso e -osa

Outro texto: A mulher conquista o Brasil – <www.historiadigital.org>

Projeto: Plantas tóxicas (2ª . parte)

139

o banho – Bárbara Soalheiro

145

146

155

148

140

149

139 o banho – Bárbara Soalheiro 145 146 155 148 140 149 Unidade 9 Preparação para
Unidade 9
Unidade
9

Preparação para a leitura

Texto: Gigante atrapalhado – Revista Recreio

Estudo da língua: Artigo

Outro texto: Viagens de Gulliver – Jonathan

Swift 163 Com que letra?: Palavras com x depois de ditongos 169

Projeto: Plantas tóxicas (parte final)

157

161

170

158

Ilustrações: AMJ Studio
Ilustrações: AMJ Studio
Unidade 10
Unidade
10

Preparação para a leitura

Texto: Timorato – Lygia Bojunga

Estudo da língua: Acentuação das palavras

proparoxítonas 179

Com que letra?: Palavras terminadas em

-ágio, -égio, -ígio, -ógio e -úgio

Outro texto: O segredo – Amaury Braga da

Silva 181

Produção: Reescrita do conto

O segredo

172

173

180

185

181 Produção: Reescrita do conto O segredo 172 173 180 185 Unidade 11 Preparação para a
Unidade 11 Preparação para a leitura P 189 Texto: Chuva – Edson Gabriel Garcia T
Unidade
11
Preparação para a leitura
P
189
Texto: Chuva – Edson Gabriel Garcia
T
190
Outro texto: Akira – Ricardo Azevedo
O
194
Teca – Ricardo Azevedo
195
Estudo da língua: Grau do adjetivo
E
198
Dê a sua opinião: Ter horário para dormir é
D
i
importante?
200
Com que letra?: Formas verbais terminadas
C
em u
e
202
P
Produção: Revisão da reescrita do conto
O
O segredo
204
Ilustrações: AMJ Studio
Ilustrações: AMJ Studio
Unidade 12
Unidade
12

206

207

Alberto Llinares Alberto Llinares
Alberto Llinares
Alberto Llinares

216

217

Preparação para a leitura

Texto: Rimas de cordel com ditados

populares – César Obeid

Outro texto: O Brasil das placas – L.

Soares e José Eduardo Camargo Com que letra?: Plural de palavras

com til

Estudo da língua: Acentuação de palavras paroxítonas

Mais um texto: Vaca Estrela e Boi Fubá – Patativa do Assaré

Produção: Estrofe de cordel

210

214

222

Unidade 13
Unidade
13

Preparação para a leitura Texto: Plutão – Olavo Bilac

Outro texto: Tela Velhos companheiros de

brincadeiras – Briton Rivière

Só para lembrar: Os verbos no dicionário

Estudo da língua: Tempos verbais

Com que letra?: Palavras terminadas em

-ram e -rão

225

226

230

234

236

Produção: Recital e exposição de cordel

Referências bibliográficas

Sites

272

270

232 232 237 37 AMJ AMJ Studio Studio
232
232
237
37
AMJ AMJ Studio Studio

Caro estudante,

Estes personagens vão acompanhar você durante todo o ano.

Meu nome é Maria-Traça-Dicionário. Eu sou uma traça devoradora de livros, e o meu preferido,
Meu nome é
Maria-Traça-Dicionário.
Eu sou uma traça devoradora
de livros, e o meu preferido, claro, é o
dicionário. De tanto comer palavras, acabei
conhecendo o significado de muitas
delas. Adoro explicar palavras
difíceis.

Bom trabalho! As autoras

Eu sou o Lanterninha. Iluminar é a minha função. Toda vez que você produzir um
Eu sou o
Lanterninha. Iluminar é a minha
função. Toda vez que você produzir
um texto, eu entrarei em cena, dando
algumas dicas. Preste bastante
atenção quando minha luz acender
e juntos nós vamos
brilhar!
Meu nome é Miguita. Eu era uma formiga como as outras, até que um dia
Meu nome
é Miguita. Eu era uma
formiga como as outras, até
que um dia um livro chamou minha atenção.
Saí da fila e subi em uma das páginas cheiinha
de palavras. Adorei! A partir desse dia decidi
explorar outros livros e comecei a descobrir
muitas coisas. Agora estou aqui e vou contar
para você o que aprendi. Fique atento
às minhas dicas!
Ilustrações: Alberto Llinares

Folheto cedido pela

Sociedade Brasileira

de Ortopedia e Traumatologia

– SBOT - e

Associação de Consumidores PROTESTE

UNIDADE 1
UNIDADE
1
PREPARAÇÃO PARA A LEITURA
PREPARAÇÃO
PARA A
LEITURA
Sbot/Proteste
Sbot/Proteste

Leia parte da capa do folheto de uma campanha da Sociedade Bra- sileira de Ortopedia e Traumatologia em parceria com a Associação de Consumidores Proteste.UNIDADE 1 PREPARAÇÃO PARA A LEITURA Sbot/Proteste Alberto Llinares Discuta as questões abaixo com seus

Alberto Llinares
Alberto Llinares

Discuta as questões abaixo com seus colegas e o professor.a Associação de Consumidores Proteste. Alberto Llinares a) Professor, se necessário, informe que essa especialidade

a) Professor, se necessário, informe que essa especialidade médica se dedica ao estudo e tratamento do sistema locomotor e da coluna vertebral –

a. A ortopedia é uma especialidade médica. Do que ela trata?

b. Que perigo as mochilas escolares podem oferecer?

Espera-se que os alunos digam que, se usadas de modo incorreto, podem causar dor e desconforto.

c. Qual é o objetivo dessa campanha?

Orientar os alunos e seus pais sobre o perigo de carregar mochilas de forma inadequada.

ossos, articulações, ligamentos, tendões e músculos. Estimule os alunos a verbalizarem suas hipóteses sobre o perigo que as mochilas podem oferecer e sobre o objetivo da campanha.

11
11
TEXTO
TEXTO
Leia algumas informações do folheto para verificar se o que você pensou se confirma. Em
Leia algumas informações do folheto para verificar se o que você pensou se
confirma.
Em prol de — Em defesa de,
em proveito de.
Folheto cedido pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e
T Traumatologia – SBOT - e Associação de Consumidores PROTESTE
12
Alberto Llinares
Proteste
Sbot/Proteste
ESTUDO DO TEXTO
ESTUDO DO
TEXTO

Responda oralmente.

a. Qual é o objetivo dessa campanha?

b. De acordo com o folheto, qual é o perigo das mochilas?

O objetivo é alertar para o perigo do uso incorreto das mochilas escolares e instruir o melhor jeito de utilizá-las.

O perigo das mochilas é causar lesões na coluna quando são levadas pelos alunos incorretamente e com excesso de peso.

c. A quem se destina esse folheto? Como você descobriu?

,

Espera-se que os alunos respondam que ele se

destina aos pais, a partir da observação do texto em cor laranja: Oriente seu filho
d.

O menino que ilustra o folheto está carregando corretamente a mochila?

Justifique.

e. O que as pessoas interessadas em mais informações sobre o assunto devem fazer?

do subtítulo Como os pais podem ajudar e do texto abaixo dele.

Os alunos deverão concluir que não, porque o menino carrega a mochila apoiada apenas em um dos ombros. Além disso, a mochila está abaixo da linha da cintura, sem estar presa a ela.

Elas devem acessar os sites da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e consultar os telefones e o site da Proteste.

Responda no caderno.

a. No folheto aparecem dicas para garantir a saúde das costas. Quem as forneceu?

As dicas foram fornecidas pela Sociedade Brasileira de Ortopedia Pediátrica.
b.

Como você descobriu isso? Pelo fato de a fonte estar citada logo abaixo das dicas.

c. Por que não é adequado apoiar a mochila em apenas um ombro?

Porque esse uso pode provocar escoliose (desvio lateral inadequado da coluna), que causa dor e desconforto.

Copie as alternativas que estão de acordo com as orientações do folheto. Os pais estão sendo orientados a:

a. observar se o filho está usando corretamente a mochila.

a. observar se o filho está usando corretamente a mochila.

b. arrumar os objetos escolares na mochila dos filhos.

c. procurar um ortopedista caso o filho se queixe de dor nas costas.

c. procurar um ortopedista caso o filho se queixe de dor nas costas.

d. conversar com os professores sobre a possibilidade de diminuir o material escolar que o

d. conversar com os professores sobre a possibilidade de diminuir o material escolar que o filho leva na mochila.

e. medicar o filho no caso de dor nas costas. Sigla — Palavra formada com
e. medicar o filho no caso de dor nas costas.
Sigla — Palavra
formada com as
No final do folheto, aparece a sigla abaixo. Veja.
a
.
letras iniciais
de um nome
próprio, para
ele ficar mais
curto.
Você saberia dizer qual é o significado dessa sigla?
Sbot
Alberto Llinares
Alberto Llinaresresares

Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

Com seus colegas, descubra e escreva o significado das siglas abaixo.

a.

Captura via escâner
Captura via escâner

Museu de Arte de São Paulo

b.

Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos Captura via escâner
Associação
Brasileira dos
Fabricantes de
Brinquedos
Captura via escâner

Professor, abra espaço para que os alunos comentem que outras siglas conhecem.

13
13
*Professor, costumamos utilizar o termo peso no lugar do termo correto massa. Se julgar conveniente,
*Professor, costumamos utilizar o termo peso no lugar do termo correto massa. Se julgar
conveniente, explique que massa é a quantidade de matéria presente em um corpo, e que o
peso depende da ação da gravidade sobre um corpo.
Será que você está carregando muito peso * na mochila?
[
]
O peso da mochila não deve ultrapassar 10% do peso corporal da
criança. Ou seja, uma criança de 35 quilos só pode levar uma bolsa que pese
até 3,5 kg. [
]
Extraído do site: <http://oglobo.globo.com/>. Acesso em: 28 dez. 2010.
Para descobrir qual
deve ser o peso máximo da sua mochila,
multiplique o peso do seu corpo por 10.
O resultado deve ser dividido por 100.
Pronto! Você saberá quantos quilos
suas costas podem suportar.
Seu peso: 38 quilos
38 10 = 380
380 100 = 3,8
Peso máximo da mochila:
3,8 quilos.
Que tal, no caminho da escola, parar em uma farmácia,
pesar-se e pesar a sua mochila?
Marinez Maravalhas Gomes
Alberto Llinares
LlinaresAlberto
SÓ PARA LEMBRAR
SÓ PARA
LEMBRAR
Gomes Alberto Llinares LlinaresAlberto SÓ PARA LEMBRAR 1 Leia como foi o primeiro dia de aula

1 Leia como foi o primeiro dia de aula em uma escola.

Estudar é legal!

no primeiro dia de aula, a professora propôs um trabalho diferente

sobre o tema “Estudar é um direito de toda criança”. Junto com os alunos, ela organizou a campanha “Toda criança na escola”.

Durante dias, eles fizeram cartazes em defesa da educação para todos e

espalharam pelo bairro e pela escola. [

] [

]

Paulo Eduardo Zanettini. O mundo das crianças. São Paulo: Globo, 2005. p. 92.

14
14

Professor, participe da discussão. Comente que, infelizmente, no Brasil, ainda existem crianças que estão fora da escola: não sabem ler, tampouco escrever. Informe que o Estatuto da Criança e do Adolescente fala que “Toda criança deve estudar. Os pais têm a obrigação de matricular seus filhos na escola, e o governo deve oferecer educação primária gratuita, e também de qualidade, para que todas as crianças tenham oportunidades iguais para desenvolver suas habilidades”.

2
2

Conte para os seus colegas qual é a importância de uma campanha como essa.

Copie no caderno as palavras destacadas no trecho do texto da atividade 1 . Depois discuta as questões abaixo com seus colegas e o professor. 1. Depois discuta as questões abaixo com seus colegas e o professor.

propôs, organizou, fizeram, espalharam

a. Essas palavras dão ideia de masculino? E de feminino? Não dão ideia de masculino nem de feminino.

b. Essas palavras dão ideia de passado, de presente ou de futuro? De passado.

c. O que as palavras destacadas têm em comum? São verbos.

Você já sabe que as palavras que indicam ações chamam-se verbos. Os verbos mudam de terminação de acordo com o tempo passado, presente ou futuro.

Professor, se os alunos perguntarem sobre estudar e é, que não foram explorados, explique que eles estudarão o infinitivo na atividade 6 e o verbo ser mais adiante.

4
4

Copie as frases completando-as com as formas verbais do quadro abaixo.

faremos correu visitará encontrei sairei limpei dormirão fomos
faremos
correu
visitará
encontrei
sairei
limpei
dormirão
fomos
passado
passado
futuro
futuro

a. Ontem eu o meu quarto. limpei

b. Na semana passada Laura e eu ao cinema. fomos

c. Terça-feira passada o meu primo. encontrei

d. Meu pai na São Silvestre de 1980. correu

a. Amanhã Matheus seu avô. visitará

b. Você e eu a pesquisa. faremos

c. Eu bem cedo amanhã. sairei

d. Eles na casa da avó no próximo domingo. dormirão

Além de os verbos variarem para passar ideia de tempo presente, passado ou futuro, eles
Além de os verbos variarem
para passar ideia de tempo presente,
passado ou futuro, eles também variam de acordo
com quem pratica a ação. Por exemplo: eu gosto,
eles gostam, nós gostamos.
15
Alberto Llinares

Agora escreva no caderno a frase abaixo, alterando as formas verbais de acordo com os tempos indicados.Durante as férias eu saí da rotina e acordei mais tarde. a. presente Durante as

Durante as férias eu saí da rotina e acordei mais tarde.
Durante as férias eu saí da rotina e acordei mais tarde.

a.

presente
presente

Durante as férias eu saio da rotina e acordo mais tarde.

b.

futuro
futuro

Durante as férias eu sairei da rotina e acordarei mais tarde.

Observe os verbos destacados na frase da atividade 5 e responda oralmente. 5 e responda oralmente.

Professor, peça aos alunos que consultem no dicionário os verbos destacados na frase, para que possam visualizar que eles são registrados no infinitivo.

a. Esses verbos estão escritos da maneira como aparecem no dicionário? Não.

b. Como esses verbos aparecem no dicionário? sair, acordar sair,sair,aa r,r, acordaracordaracoracor arar No
b.
Como esses verbos aparecem no dicionário? sair, acordar
sair,sair,aa r,r, acordaracordaracoracor arar
No dicionário os verbos aparecem
escritos no infinitivo e não no tempo
presente, passado ou futuro. Por
exemplo, “vê” no dicionário aparece
como ver, e “ajuda” aparece no
dicionário como ajudar.
Alberto Llinares

Escreva no caderno os verbos abaixo do modo como eles aparecem no dicionário.aparece no dicionário como ajudar. Alberto Llinares a. quer querer b. acontece acontecer c. enxerga

a. quer querer

b. acontece acontecer

c. enxerga enxergar

d. estão estar

acontece acontecer c. enxerga enxergar d. estão estar VOCÊ JÁ LEU? Cazuza. Ilustrações Viriato Corrêa.
acontece acontecer c. enxerga enxergar d. estão estar VOCÊ JÁ LEU? Cazuza. Ilustrações Viriato Corrêa.

VOCÊ JÁ

LEU?

c. enxerga enxergar d. estão estar VOCÊ JÁ LEU? Cazuza. Ilustrações Viriato Corrêa. Renato Silva.
c. enxerga enxergar d. estão estar VOCÊ JÁ LEU? Cazuza. Ilustrações Viriato Corrêa. Renato Silva.
Cazuza. Ilustrações Viriato Corrêa. Renato Silva. São Paulo: Editora Nacional, Companhia 2004
Cazuza. Ilustrações
Viriato
Corrêa.
Renato Silva.
São Paulo:
Editora Nacional,
Companhia
2004

O menino Cazuza vive em um lugarejo do Ma- ranhão, no final do século XIX, e realiza seu grande desejo de entrar na escola. Mas o primeiro dia de aula é uma grande decepção. Cazuza se depara com um ensino rígido, que usa a punição como principal ferramenta de controle dos alunos. [ ]

Professor, nesta seção os alunos encontrarão sugestões de livros de

Viriato Corrêa. Cazuza. São Paulo: Companhia

Editora Nacional, 2004. 4 a capa.

.

literatura. A preferência recaiu sobre aqueles aprovados no Programa Nacional Biblioteca

sobre aqueles aprovados no Programa Nacional Biblioteca da Escola — PNBE, pelo fato de terem sido

da Escola — PNBE, pelo fato de terem sido distribuídos pelo Governo Federal. Assim, é provável que os livros indicados façam parte do acervo da biblioteca da sua escola.

16
16
OUTRO TEXTOT
OUTRO
TEXTOT

Professor, o objetivo desta proposta é levar os alunos a fazerem inferência a respeito do conteúdo do livro a partir da observação da capa, que contém o título da história e uma ilustração. É importante, também, chamar a atenção para o nome da autora.

O trecho do conto que você vai ler está neste livro.

2000Salamandra,Paulo:SãoOrlando.deIlustrações.parágrafolinha,umapulaférias,MinhasGribel.Christiane
2000Salamandra,Paulo:SãoOrlando.deIlustrações.parágrafolinha,umapulaférias,MinhasGribel.Christiane
1 Responda oralmente. Chame a atenção dos alunos para o

1 Responda oralmente.

Chame a atenção dos alunos para o fato de o menino estar segurando uma bola e ter nas costas uma mochila. Ainda fazem parte da ilustração um sol, um guarda-sol e parte de um campinho de futebol.

a. O que você vê na ilustração da capa?

b. Você acha que vai ler um poema, um texto com informações sobre as férias ou

uma história com personagens e fatos relacionados a esse período?

Professor, é importante que os alunos argumentem suas respostas. Levando em conta o título do livro e a ilustração da capa, é provável que respondam

17
17

que irão ler uma história com personagens e fatos relacionados às férias.

2 Leia o trecho do conto e verifique se o que você pensou se confirmou.

2 Leia o trecho do conto e verifique se o que você pensou se confirmou.

Minhas férias, pula uma linha, parágrafo.

O primeiro dia de aula é o dia que eu mais gosto em segun- do lugar. O que eu mais gosto em primeiro é o último, porque no dia seguinte chegam as férias. Os dois são os melhores dias na escola porque a gente nem tem aula. No primeiro dia não dá para ter aula porque o nosso corpo está na escola, mas a nossa cabeça ainda está nas férias. E, no último, também não dá para ter aula porque o nosso corpo está na escola, mas a nossa cabeça já está nas férias. Era o primeiro dia e era para ser a aula de português, mas não era por- que todo mundo estava contando das férias. E como todo mundo queria contar mais do que ouvir, o barulho na classe estava mesmo ensurdecedor. O que explica o fato de ninguém ter escutado a professora gritando para a gente parar de gritar. Todo mundo estava bem surdo mesmo. Mas quan- do ela bateu com os livros em cima da mesa a nossa surdez passou e todo mundo olhou para ela. Ela estava em pé, na frente do quadro, e ficou em silêncio, com uma cara bem brava, olhando para a gente. Quando um professor está em silêncio com uma cara bem brava olhando para você, é melhor também ficar em silêncio com uma cara de sem graça olhando para um ponto qualquer que não seja a cara brava do professor. A professora puxou a cadeira dela e se sentou.

AMJ Studio
AMJ Studio
18
18

Atrás dela, no quadro-negro, eu vi decretado o fim das nossas férias e o fim do nosso primeiro dia de aula sem aula. Estava escrito:

Redação: escrev er 30 linhas so bre as férias. AMJ Studio
Redação:
escrev er 30 linhas
so bre as férias.
AMJ Studio

Quando a gente transforma as nossas férias numa redação, elas

não são mais as nossas férias, são a nossa redação. Perdem toda a graça.

De repente as nossas férias ficaram silenciosas. Onde já se viu

férias sem barulho? E, além do mais, eu tenho certeza que a professora nem quer saber de verdade como foram as nossas férias. Ela quer só saber como é a nossa letra e se a gente tem jeito para escrever redação. Aqueles dois meses inteirinhos de despreocupações estavam prestes a virar 30 linhas de preocupações com acentos, vírgulas, parágrafos e ainda por cima com a letra legível depois de tanto tempo sem treino. [ ]

] [

] [

Alberto Llinares
Alberto Llinares

Christiane Gribel. Minhas férias, pula uma linha, parágrafo. Rio de Janeiro: Salamandra, 1999. p. 7-9.

Prestes — Que está para acontecer logo em seguida.

19
19
ESTUDO DO TEXTO
ESTUDO DO
TEXTO

Você já sabe que o narrador pode se apresentar de duas formas em um conto:

narrador-personagem – é personagem, a história acontece com ele;

narrador-observador – conta os fatos vividos pelos personagens, mas não par- ticipa deles.

Responda oralmente. O narrador do conto é narrador-personagem ou narrador-observador?fatos vividos pelos personagens, mas não par- ticipa deles. É narrador-personagem. A autora escreveu o conto

É narrador-personagem.

A autora escreveu o conto usando uma criança como narrador.

Discuta a questão abaixo com seus colegas. O professor vai registrar a conclusãoA autora escreveu o conto usando uma criança como narrador. na lousa. a) Professor, chame a

na lousa.

a) Professor, chame a atenção da turma para o fato

de que a linguagem usada pelo narrador contribui para

tornar a história engraçada, mais próxima deles, crianças

a. Que efeito a linguagem infantil dá ao texto?

b. O narrador faz uma brincadeira no primeiro parágrafo. O que você entendeu

e

alunos, criando uma ligação entre o narrador e o leitor.

O

leitor a que se destina o texto se identifica mais com o

narrador-personagem e com a história.

dessa brincadeira?

O objetivo da questão é chamar a atenção dos alunos para a brincadeira com

palavras que o narrador faz no primeiro parágrafo. Ele conta que existem dois dias de aula de que gosta mais: primeiro o último dia, porque depois vêm as férias, e, em segundo, o primeiro dia de aula, porque ele reencontra os amigos e fala das férias.

Responda oralmente.

Essa forma de escrever o parágrafo torna o conto confuso, engraçado ou triste?

Engraçado.

4
4

O quinto parágrafo se refere ao professor e ao aluno. Releia-o.

Escreva no caderno se os trechos abaixo se referem ao professor ou ao aluno.

a.

1.

“[

]

está em silêncio [

].”

Professor.

 

2.

“[

]

é melhor também ficar em silêncio [

].”

Aluno.

 

b.

1.

“[

]

com uma cara bem brava [

].”

Professor.

 

2.

“[

]

com uma cara de sem graça [

].”

Aluno.

 
20
20

c.

1.

“[

]

olhando para você [

].”

Professor.

 

2.

“[

]

olhando para um ponto qualquer [

].”

Aluno.

ESTUDO DAA LÍNGUALÍN
ESTUDO DAA
LÍNGUALÍN
1
1

Releia um trecho do conto infantil Minhas férias, pula uma linha, parágrafo. e res- ponda.

“O primeiro dia de aula é o dia que eu mais gosto em segundo lugar.
“O primeiro dia de aula é o dia que eu mais gosto em segundo
lugar. O que eu mais gosto em primeiro é o último, porque no dia
seguinte chegam as férias.”

a.

b.

O

que o narrador diz sobre o primeiro dia de aula?

Ele diz que é o dia de que ele gosta mais em segundo lugar.

E

o que ele diz sobre o último dia de aula? Ele diz que é o dia de que ele mais gosta em primeiro lugar.

c.

O

que você entendeu: O narrador gosta mais do primeiro ou do último dia de

 

aula? O narrador gosta mais do último dia de aula.

 

d.

Que palavras ajudaram você a chegar a essa conclusão?

 

As palavras segundo lugar e primeiro (lugar).

2
2

Leia.

As palavras primeiro e segundo são numerais.

 
Os numerais indicam quantidade, ordem, fração ou multiplicação.
Os numerais indicam quantidade, ordem, fração ou multiplicação.
Sabendo disso, responda oralmente.

Sabendo disso, responda oralmente.

 

O

que as palavras primeiro e segundo indicam nesse trecho do conto?

Elas indicam ordem.

3
3

Escreva no caderno frases com os seguintes numerais:

a. terceiro

b. quinto

c. décimo segundo

21
21
4 Utilizamos os numerais em vários momentos do nosso dia a dia. De acordo com

4 Utilizamos os numerais em vários momentos do nosso dia a dia. De acordo com sua função, os numerais podem ser classificados em:

Cardinais
Cardinais
Indicam quantidade: um, dois, três ImagesVision/GettyDigital
Indicam quantidade:
um, dois, três
ImagesVision/GettyDigital
Ordinais
Ordinais
Indicam ordem: primeiro, segundo, terceiro Oslaim Brito/Folhapress
Indicam ordem:
primeiro, segundo, terceiro
Oslaim Brito/Folhapress
Multiplicativos Indicam multiplicação: dobro, triplo, quádruplo ImagesPhotodisc/Getty
Multiplicativos
Indicam multiplicação:
dobro, triplo, quádruplo
ImagesPhotodisc/Getty
Fracionários
Fracionários
Indicam divisão: meio, metade, terço, quarto Marcus Cappellano
Indicam divisão:
meio, metade, terço, quarto
Marcus Cappellano
22
22

Escreva por extenso no caderno:a. a velocidade máxima permitida na via. sessenta quilômetros por hora c. a quantidade de

a. a velocidade máxima permitida na via. sessenta quilômetros por hora c. a quantidade de
a.
a velocidade máxima permitida na via.
sessenta quilômetros por hora
c.
a quantidade de cada produto da
lista de compras.
Jorge Araújo/Folhapress
Fernandes e Gilmar
Fernandes e Gilmar

vagem: meio quilo; batata: dois quilos; pó de café: um quilo

Leia as frases.meio quilo; batata : dois quilos; pó de café : um quilo b. o preço das

b. o preço das frutas da banca.

mamão: quatro reais; melão: três reais; uva: cinco reais; caqui: quatro reais Marinez Maravalhas Gomes
mamão: quatro reais; melão: três reais; uva: cinco reais;
caqui: quatro reais
Marinez Maravalhas Gomes

d. o andar onde trabalha o cardiolo- gista.

Editoria de arte
Editoria de arte

terceiro andar

O atleta fez muitas acrobacias. Várias pessoas assistiram à inauguração. Faltam poucos dias para a
O atleta fez muitas acrobacias.
Várias pessoas assistiram à inauguração.
Faltam poucos dias para a viagem.
à inauguração. Faltam poucos dias para a viagem. Professor, participe da discussão levando os alunos a

Professor, participe da discussão levando os alunos a perceberem que os numerais se referem sempre a uma quantidade definida de seres ou à posição que um ser ocupa em determinada sequência. As palavras destacadas nas frases não indicam quantidades definidas, por isso não podem ser classificadas como numerais.

Responda oralmente.

Apesar de as palavras destacadas representarem quantidade, elas podem ser classificadas como numerais? Por quê?

23
23

Faça um quadro como este no seu caderno.Cardinais cinco duzentos   oitenta   mil Ordinais sexto   décimo   primeiro

Cardinais

cinco

duzentos

 

oitenta

 

mil

cinco duzentos   oitenta   mil Ordinais sexto   décimo   primeiro

Ordinais

sexto

 

décimo

 

primeiro

vigésimo

Multiplicativos

duplo

triplo

quíntuplo

quádruplo

Agora complete o quadro com os numerais abaixo.

Fracionários

terço

metade

onze avos

vinte avos

duzentos duplo sexto cinco terço oitenta triplo décimo onze avos metade quíntuplo primeiro vigésimo mil
duzentos
duplo
sexto
cinco
terço
oitenta
triplo
décimo
onze avos
metade
quíntuplo
primeiro
vigésimo
mil
quádruplo
vinte avos
Michio Yamachita

Copie as frases completando-as com numerais multiplicativos. Observe o exemplo.vigésimo mil quádruplo vinte avos Michio Yamachita Neste ano choveu duas vezes mais que no ano

Neste ano choveu duas vezes mais que no ano passado. Neste ano choveu o dobro
Neste ano choveu duas vezes mais que no ano passado.
Neste ano choveu o dobro do que no ano passado.

a. Tenho três vezes a sua idade, ou seja, tenho o da sua idade. triplo

b. Mário tem o de figurinhas de João, ou seja, ele tem duas vezes mais figurinhas. dobro

c. Para construir a casa de Mariana, foram gastos quatro vezes mais tijolos que na de Ivete, ou seja, foi gasto o de tijolos. quádruplo

24
24
9 Observe o quadro abaixo e consulte-o sempre que necessário. Quadro de numerais Cardinais Ordinais

9 Observe o quadro abaixo e consulte-o sempre que necessário.

Quadro de numerais Cardinais Ordinais Multiplicativos Fracionários — — um primeiro dois segundo dobro /
Quadro de numerais
Cardinais
Ordinais
Multiplicativos
Fracionários
um
primeiro
dois
segundo
dobro / duplo
meio / metade
três
terceiro
triplo
terço
quatro
quarto
quádruplo
quarto
cinco
quinto
quíntuplo
quinto
seis
sexto
sêxtuplo
sexto
sete
sétimo
sétuplo
sétimo
oito
oitavo
óctuplo
oitavo
nove
nono
nônuplo
nono
dez
décimo
décuplo
décimo
onze
décimo primeiro
onze avos
vinte
vigésimo
vinte avos
trinta
trigésimo
trinta avos
quarenta
quadragésimo
quarenta avos
cinquenta
quinquagésimo
cinquenta avos
sessenta
sexagésimo
sessenta avos
setenta
septuagésimo
setenta avos
oitenta
octogésimo
oitenta avos
noventa
nonagésimo
noventa avos
cem
centésimo
cêntuplo
centésimo
mil
milésimo
milésimo

Professor, chame a atenção dos alunos para o fato de a terminação -ésimo ser escrita com s e não com z.

25
25
COM QUE LETRA?
COM QUE
LETRA?

Na lista abaixo estão algumas palavras que, provavelmente, você escreve com fre-COM QUE LETRA? quência. Dessas palavras, quais você acha difíceis de escrever? Registre-as no caderno. O

quência. Dessas palavras, quais você acha difíceis de escrever? Registre-as no caderno. O professor vai abrir espaço para que a turma comente quais consideraram difíceis e

por quê.

Aprender ortografia é um processo longo, em que é necessário conhecer regularidades que ajudam a decidir sobre como escrever algumas palavras e memorizar a grafia daquelas de uso frequente, cuja escrita não obedece a regras. Para avançar

nesse processo, é fundamental desenvolver nos alunos algumas atitudes, como “desconfiar” quando uma palavra apresenta um som que pode ser grafado de várias formas.

lição Oriente a reflexão coletiva sobre a escrita das palavras da lista apontadas hoje questão
lição
Oriente a reflexão coletiva sobre a
escrita das palavras da lista apontadas
hoje
questão
pelos alunos como sendo de escrita
difícil. O objetivo da atividade é a
discussão sobre o motivo por que
amanhã
pesquisa
errariam as palavras, o que oferece um
momento de reflexão e socialização de
conhecimentos sobre a escrita.
horário
ilustração
presença
discussão
próxima
trabalho
As palavras ou expressões
de uso comum devem ser
escritas corretamente
falta
colégio
mesmo que os alunos ainda
não saibam as regras ou que
elas não tenham regras.
agenda
final
seguinte
também
história
lanche
biblioteca

Junto com seus colegas e o professor, faça uma lista das palavras que usam com frequência e consideram difíceis de escrever.final seguinte também história lanche biblioteca Sugestões de respostas: português, matemática, problema,

Sugestões de respostas: português, matemática, problema, lição, casa, de repente, certa

vez, era uma vez, existia, muito, também, história, multiplicação, divisão, pesquisa etc. Esse procedimento contribui para que os alunos aprendam a escrever convencionalmente muitas palavras que são irregulares, isto é, que não obedecem a uma regra que define a grafia correta. No entanto, é preciso informar que, em alguns casos, há regras

Estimule os alunos a falarem algumas palavras ou expressões de uso frequente no ambiente escolar. Explique que irá registrar as sugestões da turma na lousa e, depois, em um cartaz, para que possam consultar sempre que necessário. Desse modo, ao verem constantemente essas palavras e expressões, os alunos poderão construir a imagem mental delas. Vale ressaltar a importância de não sobrecarregar a lista, pois isso dificultaria a consulta dos alunos.

PRODUÇÃO que definem a escrita correta das palavras. Também é importante que aprendam procedimentos que
PRODUÇÃO
que definem a escrita correta das palavras.
Também é importante que aprendam
procedimentos que os ajudem a descobrir a
escrita correta – usar o dicionário, pensar em palavras da mesma família, construir listas
de palavras usadas com frequência na sala de aula.

Você e seus colegas vão usar tudo o que aprenderam com os textos desta unidade e fazer folhetos para a campanha:

CUIDADO COM A COLUNA!
CUIDADO COM A COLUNA!

Professor, converse com os alunos sobre o fato de que carregar estojos com muitos lápis e canetinhas, brinquedos, livros e outros materiais escolares que não serão usados na aula contribui para o aumento de peso nas mochilas. A

26
26

consulta diária, em casa, sobre as aulas a que irão assistir no dia seguinte é fundamental para evitar que levem, desnecessariamente, material a mais.