Você está na página 1de 17

Obrascon Huarte Lain BrasilDivulgação

S.A de Resultados do 1T08


15 de Maio de 2008
Pág. 1 de 17

Divulgação de Resultado Consolidado

1º Trimestre de 2008

São Paulo, 15 de Maio de 2008.


Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 2 de 17

OHL BRASIL ANUNCIA RECEITA LÍQUIDA DE R$156 MILHÕES (+13,3%)


E EBITDA AJUSTADO DE R$93 MILHÕES (+16,5%) NO 1T08

AGENDA DE DIVULGAÇÃO São Paulo, 15 de maio de 2008 – Obrascon Huarte Lain Brasil S.A. – OHL Brasil
(Novo Mercado da Bovespa: OHLB3), anuncia seu resultado do primeiro trimestre
de 2008 (1T08), exercício encerrado em 31 de março de 2008. As informações
TELECONFERÊNCIAS
financeiras e operacionais a seguir, exceto quando indicado em contrário, são
apresentadas em base consolidada e em Reais, de acordo com a Legislação
Societária.
EM PORTUGUÊS
Sexta-feira (16/05/2008)
15h00 (São Paulo)
14h00 (US Eastern Time) DESTAQUES
Tel.: (+55 11) 4688-6301
Código: OHL ƒ Expansão no Tráfego: O primeiro trimestre do ano apresentou crescimento
Replay: Entre 16/05 e 20/05
Fone: (+55 11) 4688-6312
de tráfego pedagiado consolidado de 6,9% frente ao 1T07, considerando o Ajuste
Código: 601 Autovias.

EM INGLÊS ƒ Aumento de receita: No 1T08 a OHL Brasil obteve uma receita líquida de
Sexta-feira (16/05/2008) R$ 156,0 milhões, apresentando crescimento de 13,3% contra R$ 137,7 milhões
13h00 (São Paulo) no 1T07. Esse crescimento esta diretamente relacionado ao aumento do trafego
12h 00 (US Eastern Time)
Tel.: (+1 888) 700-0802
(+6,9%) nas Concessionárias Estaduais e ao reajuste das tarifas de pedágio
(ligações feitas dos EUA) (+5,9%) em 01/07/2007.
Tel.: (+1 786) 924-6977
(ligações feitas de outros países)

Tel.: (+55 11) 4688-6301


(ligações feitas do Brasil)

Código: OHL ƒ EBITDA Ajustado: O EBITDA Ajustado do 1T08 alcançou R$ 93,0 milhões,
Replay: Entre 16/05 e 20/05 com um crescimento de 16,5% em relação ao 1T07. A margem EBITDA Ajustado
Fone: (+55 11) 4688-6312 atingiu 59,6%, um crescimento de 160bp contra 58,0% no 1T07. Se
Código: 404 desconsiderarmos os gastos relativos aos estudos de projetos e propostas para
licitações, que se intensificaram no 1T08 consumindo R$ 3,3 milhões, a margem
EBITDA Ajustado teria sido de 61,8%.

ƒ Lucro Líquido: O lucro líquido do 1T08 foi de R$ 8,9 milhões. Ainda que a
Companhia tenha apresentado um crescimento no EBITDA Ajustado de 16,5% em
relação ao 1T07, o lucro liquido reduziu 3,0% em relação ao 1º trimestre do ano
passado. A principal causa para esta redução está relacionada com o aumento da
inflação (IGP-M), que impactou de forma negativa as despesas financeiras com a
Atualização Monetária do Ônus Fixo (+R$ 11,9 milhões), prejudicando o resultado
final da Companhia no período.

Bovespa: OHLB3 ƒ Concessões Federais: Os cinco contratos dos lotes de rodovias federais
Bloomberg: OHLB3 BZ foram assinados em 14 de fevereiro de 2008 e a Companhia passou oficialmente a
Reuters: OHLB3.SA administrar mais 2.078,8 Km de rodovias por um prazo de 25 anos e que se
encerra em fevereiro de 2033. As novas concessionárias começaram os trabalhos
Atualização em 14/05/2008
Preço Fech.: R$27,25 / ação iniciais de recuperação da rodovia, previsto para os 6 primeiros meses de
Valor de Mercado: R$ 1,9 bilhão concessão, e aguardam licenças para a construção das praças de pedágios.

ƒ Endividamento: Encerramos o trimestre com um endividamento bruto de


R$ 691,2 milhões (+35,4% frente ao 4T07) e um endividamento líquido de R$
416,1 milhões (-3,1% frente ao 4T07). O grau de alavancagem manteve-se estável
em 1,1x ( Div. Líq. / EBITDA Ajustado nos últimos 12 meses) no 1T08.

Relações com Investidores www.ohlbrasil.com.br ri@ohlbrasil.com.br

Rua Joaquim Floriano, 913, 6º andar - Francisco Leonardo M. da Costa Diretor Adm., Financ. e RI francisco.leonardo@ohlbrasil.com.br
Itaim Bibi – São Paulo – SP - Alessandro Scotoni Levy Gerente de RI alessandro@ohlbrasil.com.br
CEP 04534-013 - Vinicius Romboli Narcizo Analista vinicius@ohlbrasil.com.br
Tel.: (+55 11) 3074-2409 - Murilo Tarini Analista murilo@ohlbrasil.com.br
Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 3 de 17

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A.


Demonstração de Resultados do Exercício
(em R$ Mil)
Consolidado Variação
1T08 4T07 1T07 1T08/4T07 1T08/1T07
RECEITA BRUTA DE SERVIÇOS 170.862 182.539 150.769 -6,4% 13,3%
Receita Pedágios: 168.753 180.411 149.137 -6,5% 13,2%
Autovias 43.109 45.651 34.672 -5,6% 24,3%
Centrovias 39.293 41.476 35.421 -5,3% 10,9%
Intervias 47.726 52.124 44.345 -8,4% 7,6%
Vianorte 38.625 41.160 34.698 -6,2% 11,3%
Outras Receitas 2.109 2.128 1.632 -0,9% 29,2%

DEDUÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS (14.850) (15.859) (13.103) -6,4% 13,3%

RECEITA LÍQUIDA DE SERVIÇOS 156.012 166.680 137.666 -6,4% 13,3%

CUSTO E DESPESAS OPERACIONAIS (51.225) (50.552) (46.553) 1,3% 10,0%


Custos Operacionais (Ex. Amort. e Depre.) (28.747) (29.285) (28.478) -1,8% 0,9%
Ônus Variável (5.319) (5.682) (4.685) -6,4% 13,5%
Despesas Gerais e Administrativas (Ex. Amort.) (16.376) (13.060) (12.430) 25,4% 31,7%
Remuneração da Diretoria (375) 0 0 0,0% 0,0%
Remuneração da Administração (85) (57) 0 49,1% 0,0%
Tributárias (323) (2.468) (960) -86,9% -66,4%

EBITDA 104.787 116.128 91.113 -9,8% 15,0%


Margem EBITDA 67,2% 69,7% 66,2%

DEPRECIAÇÕES E AMORTIZAÇÕES (52.150) (50.858) (50.261) 2,5% 3,8%


Depreciação de Investimentos (39.507) (38.252) (37.316) 3,3% 5,9%
Amortização de Investimentos (3.322) (3.285) (3.293) 1,1% 0,9%
Amortização da Outorga (9.321) (9.321) (9.652) 0,0% -3,4%
AMORTIZAÇÃO DE ÁGIO SOBRE INVESTIMENTO (2.355) (2.353) (2.355) 0,1% 0,0%

EBIT 50.282 62.917 38.497 -20,1% 30,6%

RESULTADO FINANCEIRO (30.483) (31.761) (19.304) -4,0% 57,9%


Receitas Financeiras 2.190 2.209 5.030 -0,9% -56,5%
Despesas Financeiras (32.652) (33.851) (24.360) -3,5% 34,0%
BNDES/CEF (7.587) (7.933) (8.700) -4,4% -12,8%
Outras Despesas Financeiras (13.217) (8.891) (9.991) 48,7% 32,3%
Atualização Monetária do Ônus Fixo (11.848) (17.027) (5.669) -30,4% 109,0%
Variação Cambial Liquida (21) (119) 26 -82,4% -180,8%

RESULTADO NÃO OPERACIONAL 320 311 376 2,9% -14,9%

LUCRO ANTES DOS EFEITOS TRIBUTÁRIOS 20.119 31.467 19.569 -36,1% 2,8%

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (11.241) (10.546) (10.417) 6,6% 7,9%


Correntes (10.102) (9.790) (9.601) 3,2% 5,2%
Diferidos (1.139) (756) (816) 50,7% 39,6%

LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO 8.878 20.921 9.152 -57,6% -3,0%

OUTRAS INFORMAÇÕES 1T08 4T07 1T07 Var 1T08/4T07 Var 1T08/1T07

Ônus Fixo Pago (Fluxo de Caixa) (11.760) (11.761) (11.266) 0,0% 4,4%
EBITDA Ajustado 93.027 104.367 79.847 -10,9% 16,5%
Margem EBITDA Ajustado 59,6% 62,6% 58,0%
Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 4 de 17

DESEMPENHO OPERACIONAL

TRÁFEGO E TARIFA

Expansão no Tráfego: O primeiro trimestre de 2008 apresentou crescimento no


tráfego pedagiado (+17,2%) em relação ao 1T07, atingido 32,4 milhões de
veículos equivalentes pedagiados.

A seguir tabela com a evolução consolidada comparativa do tráfego e da tarifa


para cada uma das Concessionárias Estaduais:

Var % Var %
Veículos Equivalentes 1T08 4T07 1T07
1T08/4T07 1T08/1T07
Autovias 8.722.674 9.273.412 5.035.684 (5,9%) 73,2%
Centrovias 5.238.275 5.553.281 4.939.941 (5,7%) 6,0%
Intervias 11.759.090 12.832.938 11.384.337 (8,4%) 3,3%
Vianorte 6.639.105 7.064.441 6.256.705 (6,0%) 6,1%
Evolução do Tráfego (em Mil Veíc. Equiv.) Total: 32.359.144 34.724.071 27.616.667 (6,8%) 17,2%
17,2%
17,2%
-6,8%
-6,8%
Tarifa Média Var % Var %
1T08 4T07 1T07
(em R$ / veic. Equiv.) 1T08/4T07 1T08/1T07
34.724 32.359 Autovias 4,94 4,92 6,89 0,4% (28,2%)
27.617 7.064
6.639
6.257 Centrovias 7,50 7,47 7,17 0,4% 4,6%
12.833 11.759
11.384
Intervias 4,06 4,06 3,90 (0,1%) 4,2%
5.553 5.238
4.940
Vianorte 5,82 5,83 5,55 (0,1%) 4,9%
9.273 8.723
5.036 Total: 5,22 5,20 5,40 0,4% (3,4%)
1T07 4T07 1T08
Autovias Centrovias Intervias Vianorte
Para um melhor entendimento do impacto real sobre o crescimento de tráfego do
período apresentamos uma tabela com o Ajuste Autovias, onde levamos em conta
a média do volume de tráfego das praças de São Simão e Santa Rita para o
cálculo das variações de tráfego dos períodos.

Var % Var %
Veículos Equivalentes 1T08 4T07 1T07
1T08/4T07 1T08/1T07
Autovias (Média SR+SS)* 5.883.671 6.216.794 5.035.684 (5,4%) 16,8%
Centrovias 5.238.275 5.553.281 4.939.941 (5,7%) 6,0%
Intervias 11.759.090 12.832.938 11.384.337 (8,4%) 3,3%
Vianorte 6.639.105 7.064.441 6.256.705 (6,0%) 6,1%
Total: 29.520.141 31.667.453 27.616.667 (6,8%) 6,9%

Tarifa Média Var % Var %


1T08 4T07 1T07
(em R$ / veic. Equiv.) 1T08/4T07 1T08/1T07
Autovias (Média SR+SS)* 7,33 7,34 6,89 (0,2%) 6,4%
Centrovias 7,50 7,47 7,17 0,4% 4,6%
Intervias 4,06 4,06 3,90 (0,1%) 4,2%
Vianorte 5,82 5,83 5,55 (0,1%) 4,9%
Total: 5,72 5,70 5,40 0,3% 5,9%
*Médias calculadas para o 1T08 e 4T07
SS = São Simão
SR = Santa Rita

Com o Ajuste Autovias o crescimento de tráfego no 1T08 foi de 6,9% em relação


ao 1T07.
Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 5 de 17

RECEITA

No 1T08 a OHL Brasil obteve uma receita bruta de R$ 170,9 milhões, apresentado
crescimento de 13,3% contra o 1T07. Esse crescimento está diretamente
relacionado ao aumento do tráfego (+6,9%) em nossas Concessionárias Estaduais
e também ao reajuste das tarifas de pedágio (+4,4%) em 01/07/2007, em função
da variação do IGP-M no período.

Var % Var %
Receita Bruta (R$ mil) 1T08 4T07 1T07
1T08/4T07 1T08/1T07
Autovias 43.109 45.651 34.672 (5,6%) 24,3%
Centrovias 39.293 41.476 35.421 (5,3%) 10,9%
Intervias 47.726 52.124 44.345 (8,4%) 7,6%
Vianorte 38.625 41.160 34.698 (6,2%) 11,3%
Total de Receita de Pedágios: 168.753 180.411 149.137 (6,5%) 13,2%
Receitas Acessórias 2.109 2.128 1.632 (0,9%) 29,2%
Total Receita Bruta: 170.862 182.539 150.769 (6,4%) 13,3%

Deduções dos Serv. Prestados Var % Var %


1T08 4T07 1T07
(R$ mil) 1T08/4T07 1T08/1T07
Autovias (3.783) (4.000) (3.035) (5,4%) 24,6%
Centrovias (3.460) (3.648) (3.117) (5,2%) 11,0%
Intervias (4.224) (4.597) (3.928) (8,1%) 7,5%
Vianorte (3.383) (3.614) (3.023) (6,4%) 11,9%
Total: (14.850) (15.859) (13.103) (6,4%) 13,3%
Participação na Receita Bruta -8,7% -8,7% -8,7%

Os tributos incidentes sobre nossa receita bruta registraram aumento em linha


com o crescimento da receita, mantendo a relação Deduções/Receita Bruta em
torno de 8,7%. Deste modo, nossa Receita Liquida cresceu 13,3% em relação ao
Receita Líquida de Serviços (R$ Mil)
1T07, totalizando R$ 156,0 milhões.
13,3%
13,3%
-6,4%
-6,4%

166.680 Receita Líq. de Serviços Var % Var %


156.012 1T08 4T07 1T07
137.666 37.983 (R$ mil) 1T08/4T07 1T08/1T07
35.553
31.831 Autovias 39.769 42.096 31.964 (5,5%) 24,4%
48.312 44.364 Centrovias 36.326 38.289 32.714 (5,1%) 11,0%
41.156
38.289
Intervias 44.364 48.312 41.156 (8,2%) 7,8%
36.326
32.714 Vianorte 35.553 37.983 31.831 (6,4%) 11,7%
31.964 42.096 39.769 Total: 156.012 166.680 137.666 (6,4%) 13,3%
1T07 4T07 1T08
Autovias Centrovias Intervias Vianorte
Receitas de pedágios eletrônicos

A receita dos pedágios eletrônicos no 1T08 representou 47,1% do total das


receitas com pedágios da OHL Brasil, contra 46,5% no 4T07 e 44,2% no 1T07.

Pedágios Eletrônicos (% da Receita )

46,5% 47,1%
44,2%

45,4% 45,1%
41,4%

45,6% 46,7%
44,2%

46,3% 49,1% 49,7%

44,6% 46,4% 46,9%

1T07 4T07 1T08

Autovias Centrovias Intervias Vianorte


Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 6 de 17

EBITDA e EBITDA AJUSTADO

EBITDA

O EBITDA da companhia no 1T08 foi de R$ 104,8 milhões, crescendo 15,0 % em


relação ao 1T07 e apresentando Margem EBITDA de 67,2% ante 66,2% no 1T07.

EBITDA Ajustado

O EBITDA Ajustado do 1T08 alcançou R$ 93,0 milhões, com crescimento de


16,5% em relação ao 1T07. A margem EBITDA Ajustado foi de 59,6% contra
58,0% no 1T07.

Se desconsiderarmos os gastos relativos aos estudos de projetos e propostas


para licitações (Despesas Gerais e Administrativas; +31,7%), que se intensificaram
no 1T08 consumindo R$3,3 milhões, a margem EBITDA Ajustado teria sido de
61,8%.

Var % Var %
EBITDA e EBITDA Ajustado (R$ mil) 1T08 4T07 1T07
1T08/4T07 1T08/1T07
Receita Líquida de Serviços 156.012 166.680 137.666 (6,4%) 13,3%

Custo e Despesas Operacionais (51.225) (50.552) (46.553) 1,3% 10,0%


Custos Operacionais (Ex. Amort. e Depre.) (28.747) (29.285) (28.478) (1,8%) 0,9%
Ônus Variável (5.319) (5.682) (4.685) (6,4%) 13,5%
Despesas Gerais e Administrativas (Ex. Amort.) (16.376) (13.060) (12.430) 25,4% 31,7%
Remuneração da Diretoria (375) - - 0,0% 0,0%
Remuneração da Administração (85) (57) - 49,1% 0,0%
Tributárias (323) (2.468) (960) (86,9%) (66,4%)

EBITDA 104.787 116.128 91.113 (9,8%) 15,0%


% EBITDA S/ Rec. Líquida 67,2% 69,7% 66,2%

(-) Ônus Fixo pago (Fluxo de Caixa) (11.760) (11.761) (11.266) (0,0%) 4,4%
Autovias (1.238) (1.238) (1.186) 0,0% 4,4%
Centrovias (1.853) (1.853) (1.775) 0,0% 4,4%
Intervias (1.152) (1.152) (1.104) 0,0% 4,3%
Vianorte (7.517) (7.518) (7.201) (0,0%) 4,4%

EBITDA Ajustado 93.027 104.367 79.847 (10,9%) 16,5%


% EBITDA Ajustado S/ Rec. Líquida 59,6% 62,6% 58,0%

Ônus Fixo Pago ao Poder Concedente

No 1T08 pagamos ao poder concedente R$ 11,8 milhões a título de ônus fixo.

Deste modo, em 31/03/08 a quantidade de parcelas a serem pagas de ônus fixo


estava representada da seguinte forma:

Concessionarias Curto Longo Total


Prazo Prazo
Autovias 12 113 125
Centrovias 12 110 122
Intervias 12 130 142
Vianorte 12 107 119
Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 7 de 17

RESULTADO FINANCEIRO

Nossas Despesas Financeiras Líquidas apresentaram no 1T08 crescimento de


57,9% em relação ao 1T07, totalizando R$ 30,5 milhões.

Tabela a seguir mostra a composição de nosso resultado financeiro.

Var % Var %
Resultado Financeiro (R$ mil) 1T08 4T07 1T07
1T08/4T07 1T08/1T07
Receitas Financeiras 2.190 2.209 5.030 (0,9%) (56,5%)
Despesas Financeiras (32.652) (33.851) (24.360) (3,5%) 34,0%
BNDES/CEF (7.587) (7.933) (8.700) (4,4%) (12,8%)
Outras Despesas Financeiras (13.217) (8.891) (9.991) 48,7% 32,3%
Atualização Monetária do Ônus Fixo (11.848) (17.027) (5.669) (30,4%) 109,0%
Variação Cambial Líquida (21) (119) 26 (82,4%) (180,8%)
Resultado Financeiro Líquido (30.483) (31.761) (19.304) (4,0%) 57,9%
% Receita Líquida 19,5% 19,1% 14,0%

Conforme observamos, dois fatores influenciaram o aumento do resultado


financeiro líquido:

(i) Despesa com a atualização monetária do ônus fixo, que cresceu 109,0% em
função da variação de 2,38% do IGP-M no 1T08, contra 1,11% no 1T07;

IGP-M Trimestral (FGV)

3,54%

2,38%

1,11%

1T07 4T07 1T08

(ii) Crescimento de 32,3% em outras despesas financeiras em função do aumento


no endividamento bruto pelo recente empréstimo de R$ 190 milhões.

Lucro Líquido (R$ Mil) LUCRO LÍQUIDO


--3,0%
3,0%
--57,6%
57,6%
20.921 O Lucro Líquido da companhia no 1T08 foi de R$ 8,9 milhões, representando uma
queda de 3,0% em relação ao 1T07.
9.152 8.878
Conforme já comentamos, o aumento das despesas financeiras com a atualização
monetária do ônus fixo e o aumento da dívida bruta explicam a queda no lucro
1T07 4T07 1T08 líquido.
Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 8 de 17

ENDIVIDAMENTO

O endividamento bruto da companhia encerrou o 1T08 em R$ 691,2 milhões,


35,4% maior que no 4T07. Este salto ocorreu devido ao empréstimo tomado no
1T08 de R$ 190,0 milhões, para fazer frente ao inicio do programa de investimento
nas concessões federais.

Abaixo apresentamos a composição dos indexadores de nosso endividamento:

Endividamento (R$ Mil) 1T08 % 4T07 % 1T07 %


Indexadores da Dívida
TJLP 274.020 39,6% 288.531 56,5% 313.186 53,5%
CDI 412.104 59,6% 216.312 42,4% 263.913 45,1%
Outros 5.084 0,7% 5.669 1,1% 7.956 1,4%
Total 691.208 100,0% 510.512 100,0% 585.055 100,0%

Segue gráfico com a evolução do endividamento bruto da companhia:

Evolução Endividamento Bruto (R$ Milhões)

691
590 585
537 517 511
375
327 335 291
266 274 262
407 394
52 75 76
263 250 246 316
215 199 186 110 116

1T06 2T06 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08

Curto Prazo Longo Prazo

Embora o endividamento bruto da companhia tenha aumentado 35,4% no 1T08


em relação ao 4T07, a dívida líquida caiu 3,1% neste período basicamente em
função do aumento das disponibilidades e aplicações que serão destinadas para
os investimentos nas concessões federais.

Endividamento Líquido (R$ Mil) 1T08 4T07 1T07 1T08/4T07 1T08/1T07


Dívida Bruta 691.208 510.512 585.055 35,4% 18,1%
Curto Prazo 316.065 116.181 335.434 172,0% -5,8%
Longo Praxo 375.143 394.331 249.621 -4,9% 50,3%
Caixa e bancos 12.563 13.839 9.476 -9,2% 32,6%
Aplicações Financeiras 246.206 50.600 143.054 386,6% 72,1%
Aplicações Financeiras (LP) 16.326 16.807 16.203 -2,9% 0,8%
Total Disp. e Aplicações 275.095 81.246 168.733 238,6% 63,0%
Dívida Líquida 416.113 429.266 416.322 -3,1% -0,1%

Conforme podemos observar no gráfico a seguir, nosso Grau de Alavancagem


medido pela relação Divida Liquida/EBITDA Ajustado (últimos 12 meses) manteve-
se em 1,1x. Deste modo, a companhia apresenta espaço para captar novos
recursos no mercado para cumprir com suas obrigações nas concessionárias
federais.
Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 9 de 17

Grau de Alavancagem e Dívida Líquida (R$ Milhões)


1,5x 1,5x
1,4x
1,3x
1,1x 1,1x
0,8x 0,8x
0,4x

429 420 467 456 429 416

200 204
103

1T06 2T06 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08


Dívida Líquida Dívida Líquida/ EBITDA Ajustado(12 meses)

Cronograma Fianceiro de Amortização( R$ Milhões)

316
260

71
24 14 6

abr/08 a abr/09 a 2010 2011 2012 2013


mar/09 dez/09

INVESTIMENTOS

Os investimentos no 1T08 foram de R$ 49,6 milhões em nossas concessionárias


estaduais, representando 23,6% do total previsto para 2008.

Investimentos
1T08 Real % 2008 (E) %
Fluxo de Caixa (R$ mil)
Autovias 11.243 22,7% 43.488 20,7%
Centrovias 16.312 32,9% 55.004 26,2%
Intervias 5.623 11,3% 41.360 19,7%
Vianorte 7.940 16,0% 70.148 33,4%
Federais 7.591 15,3% n.d. -
Outros Investimentos* 921 1,9% - -
Total Concessionárias 49.630 100,0% 210.000 100,0%
* Investimentos em outras sociedades e ajustes de consolidação.

A seguir apresentamos o gráfico dos investimentos realizados pelas


concessionárias estaduais nos últimos dois anos e a expectativa para os próximos
cinco anos.
Investimentos Realizados e Esperados -
Concessões Estaduais (R$ Milhões)
250

210
188

118

70
50 47

2006 2007 2008/E 2009/E 2010/E 2011/E 2012/E


Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 10 de 17

Concessionárias Federais. Nas concessões federais recém incorporadas à


nossa carteira esperamos investir R$ 4,2 bilhões nos cinco primeiros anos de
concessão. Tais recursos serão destinados basicamente para recuperação da
infra-estrutura das rodovias, implantação das praças de pedágio e CCO’s,
aquisição de equipamentos e veículos, parte das duplicações de pistas e para
construções de passarelas, trevos e contornos.
Investimentos Esperados Concessões
Federais- Ano de Concessão* (R$ Milhões)
1.196

986

831
776

368

ANO 1 ANO 2 ANO 3 ANO 4 ANO 5

* Investimentos constantes em nossas propostas (valores de julho/2007).

QUADRO DE PESSOAL

A seguir apresentamos a composição e evolução do quadro de pessoal da OHL


Brasil, tendo em vista o inicio do programa de contratação para os primeiros
trabalhos de recuperação das concessões federais e estruturação das respectivas
áreas administrativas.

Quadro de Pessoal OHL Autovias Centrovias Intervias Vianorte Paulista Latina Total
31/3/2008 37 183 178 576 260 74 599 1.907
31/12/2007 27 180 168 554 252 34 177 1.392
Variação 10 3 10 22 8 40 422 515

MERCADO DE CAPITAIS

Ao longo dos três primeiros meses de 2008 as ações da OHL Brasil apresentaram
variação de -16,9%, contra queda de 4,6% do IBOVESPA.

Base 100 (28/12/2007)


110
105
100
95,4
95
90
83,1
85
80
75
70
65
28/12/07 12/1/08 27/1/08 11/2/08 26/2/08 12/3/08 27/3/08
OHLB3 IBOV
Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 11 de 17

Média Diária 1T08 4T07 1T07 1T08/4T07 1T08/1T07


Nº de Negócios 256 331 120 -22,5% 113,1%
Nº de Ações Negociadas 254.308 360.712 205.490 -29,5% 23,8%
Volume Financeiro (R$ Milhões) 4,73 10,96 6,20 -56,8% -23,7%

Podemos observar no gráfico abaixo que o valor de mercado da companhia


oscilou entre R$ 1,1 bilhão e R$ 1,6 bilhão no 1T08.

Valor de Mercado (R$ Milhões)

1700
1600
1500
1.295,1
1400
1300
1200
1100
28/12/07 12/01/08 27/01/08 11/02/08 26/02/08 12/03/08 27/03/08

Variação 31/3/2008 3 meses 1 ano 2 anos


Valor de Mercado (R$ Milhões) 1.295,1 -16,4% -36,7% -32,2%
IBOVESPA (Pontos) 60.968 -4,6% 33,1% 61,4%

COMPOSIÇÃO ACIONÁRIA

A composição acionária da companhia se manteve estável, com 60,0% das ações


sendo detidas pela OHL Concesiones (via Participes en Brasil), e 5,0% em posse
da Kendall, fundo de investimento do Banco Privado Português.

Composiação Acionária Nº Ações %


Partícipes en Brasil S.L. (OHL) 41.333.326 60,0%
Kendall Develops S.L. 3.444.445 5,0%
Conselho Administrativo 7 0,0%
Outros 24.111.110 35,0%
Total 68.888.888 100,0%

ESTRUTURA SOCIETÁRIA
Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 12 de 17

QUEM SOMOS

A OHL Brasil S.A. é maior Companhia do setor de concessões de rodovias no


Brasil em quilômetros administrados, com 3.226 Km em operação. Através de
suas nove Concessionárias, a OHL Brasil administra rodovias localizadas nos
Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraná.
Atualmente, detém 100% do capital das concessões estaduais: Autovias,
Centrovias, Intervias e Vianorte; e das concessões federais: Fernão Dias, Regis
Bittencourt, Litoral Sul, Planalto Sul e Fluminense.

A Companhia é controlada pela OHL Concesiones, sociedade espanhola que


desenvolve suas atividades na área de promoção de infra-estrutura, incluindo a
seleção de projetos, participação em licitações, financiamento, construção e
operação dos mesmos. Atualmente, a OHL Concesiones administra diversas
sociedades concessionárias de rodovias no Brasil, Espanha, Chile, México e
Argentina. A OHL Concesiones é subsidiária integral do grupo espanhol OHL, um
dos líderes dos setores de construção e concessão na Espanha.

Para maiores informações acesse:

www.ohlbrasil.com.br

CARTEIRA DE ATIVOS DE CONCESSÃO

Abaixo apresentamos as principais informações referentes a nossa carteira de


concessões:

Praças de Prazo Final Pagto. do Prazo Final da Indexador do


Concessionárias Km
Pedágio Ônus Fixo Concessão Contrato
Concessões Estaduais
Autovias 316,6 5 ago/18 ago/2018 IGP-M
Centrovias 218,2 5 jun/2018 jun/2019 IGP-M
Intervias 375,7 9 fev/2020 jan/2028 IGP-M
Vianorte 236,6 4 mar/2018 mar/2018 IGP-M

Concessões Federais
Litoral Sul 382,3 5 n.a. fev/2033 IPCA
Planalto Sul 412,7 5 n.a. fev/2033 IPCA
Fluminense 320,1 5 n.a. fev/2033 IPCA
Fernão Dias 562,1 8 n.a. fev/2033 IPCA
Regis Bittencourt 401,6 6 n.a. fev/2033 IPCA

Este comunicado contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de


resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas de crescimento da OHL Brasil. Essas são
apenas projeções e, como tal, baseiam-se exclusivamente nas expectativas da administração da OHL
Brasil em relação ao futuro do negócio e seu contínuo acesso a capitais para financiar o plano de
negócios da Companhia. Tais considerações futuras dependem, substancialmente, de mudanças nas
condições de mercado, regras governamentais, pressões da concorrência, do desempenho do setor e
da economia brasileira, entre outros fatores e estão, portanto, sujeitas a mudanças sem aviso prévio.
Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 13 de 17

ANEXO 1 DEMONSTRAÇÕES DE RESULTADOS CONSOLIDADOS

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A.


DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO CONSOLIDADO
(em R$ Mil)
Consolidado Variação
1T08 4T07 1T07 1T08/4T07 1T08/1T07
RECEITA BRUTA DE SERVIÇOS 170.862 182.539 150.769 -6,4% 13,3%
Receita Pedágios 168.753 180.411 149.137 -6,5% 13,2%
Autovias 43.109 45.651 34.672 -5,6% 24,3%
Centrovias 39.293 41.476 35.421 -5,3% 10,9%
Intervias 47.726 52.124 44.345 -8,4% 7,6%
Vianorte 38.625 41.160 34.698 -6,2% 11,3%
Outras Receitas 2.109 2.128 1.632 -0,9% 29,2%

Deduções dos serviços prestados (14.850) (15.859) (13.103) -6,4% 13,3%

RECEITA LÍQUIDA DE SERVIÇOS 156.012 166.680 137.666 -6,4% 13,3%

CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS (82.894) (82.540) (80.131) 0,4% 3,4%


Custos Operacionais (28.747) (29.285) (28.478) -1,8% 0,9%
Ônus Variável (5.319) (5.682) (4.685) -6,4% 13,5%
Depreciação dos Investimentos (39.507) (38.252) (37.316) 3,3% 5,9%
Amortização da Outorga (9.321) (9.321) (9.652) 0,0% -3,4%

LUCRO BRUTO 73.118 84.140 57.535 -13,1% 27,1%

(DESPESAS) RECEITAS OPERACIONAIS (20.481) (18.870) (16.683) 8,5% 22,8%


Gerais e administrativas (16.376) (13.060) (12.430) 25,4% 31,7%
Remuneração da Diretoria (375) - -
Remuneração da Administração (85) (57) -
Amortização de Investimentos (3.322) (3.285) (3.293) 1,1% 0,9%
Tributárias (323) (2.468) (960) -86,9% -66,4%

Amortização de ágio em investimentos (2.355) (2.353) (2.355) 0,1% 0,0%


Receitas (despesas) financeiras líquidas (30.483) (31.761) (19.304) -4,0% 57,9%

LUCRO OPERACIONAL 19.799 31.156 19.193 -36,5% 3,2%

RESULTADO NÃO OPERACIONAL 320 311 376 2,9% -14,9%

LUCRO ANTES DOS EFEITOS TRIBUTÁRIOS 20.119 31.467 19.569 -36,1% 2,8%

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (11.241) (10.546) (10.417) 6,6% 7,9%


Correntes (10.102) (9.790) (9.601) 3,2% 5,2%
Diferidos (1.139) (756) (816) 50,7% 39,6%

LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO 8.878 20.921 9.152 -57,6% -3,0%


Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 14 de 17

ANEXO 2 BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A


BALANÇOS PATRIMONIAIS LEVANTADOS EM 31 DE MARÇO DE 2008,
31 DE DEZEMBRO DE 2007 E 31 DE MARÇO DE 2007 (em R$ Mil)
Consolidado
Mar 2008 Dez 2007 Mar 2007
ATIVO

CIRCULANTE
Caixa e Bancos 12.563 13.839 9.476
Aplicações Financeiras 246.206 50.600 143.054
Contas a Receber 28.100 30.366 1
Contas a Receber - Sociedades Ligadas 87 87 87
Créditos Diversos 0 0 26.514
Estoques 3.205 1.479 1.051
Despesas Antecipadas 10.623 3.714 4.805
Impostos a Recuperar 2.740 2.600 7.355
Imposto de Renda Diferido 4.994 5.660 4.197
Adiantamento para novos projetos 1.408 6.839 3.036
Outros Créditos 870 2.720 491
Total do Ativo Circulante 310.796 117.904 200.067

NÃO CIRCULANTE
Realizável a Longo Prazo:
Aplicações Financeiras Restritas 16.326 16.807 16.203
Caucões Contratuais 0 0 0
Impostos a Recuperar 8.524 8.290 0
IR e CS diferidos 11.709 12.182 16.404
Despesas Antecipadas 185 195 295
Depósitos Judiciais 1.410 1.407 1.365
Investimentos 82.677 85.032 92.095
Imobilizado 1.552.311 1.562.171 1.514.458
Intangivel 39.064 41.773 50.725
Diferido 13.910 0 0
Total do Ativo não Circulante 1.726.116 1.727.857 1.691.545

TOTAL DO ATIVO 2.036.912 1.845.761 1.891.612

PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

CIRCULANTE
Empréstimos e Financiamentos 316.065 116.181 335.434
Fornecedores 21.680 32.005 26.814
Obrigações Sociais 12.968 11.063 8.215
Obrigações Fiscais 17.237 17.865 19.497
Outras contas a pagar 11.428 4.749 2.999
Provisões Diversas - Soc.Ligadas 847 824 854
Cauções Contratuais 10.217 5.671 6.739
Credores pela Concessão 52.042 50.437 48.151
Provisões Diversas 0 0 4.652
Dividendos a Pagar 17.785 17.785 41.848
Total do Circulante 460.269 256.580 495.203

NÃO CIRCULANTE
Empréstimos e Financiamentos 375.143 394.331 249.621
Fornecedores 32 32 64
Credores pela Concessão 471.659 473.227 479.366
Receita Diferida 98 391 94
Outras contas a pagar 7 7 7
Provisões para contingências 5.628 5.995 0
Total do Exigível a Longo Prazo 852.567 873.983 729.152

PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital Social 549.083 549.083 549.083
Reserva de Lucros 197.264 188.386 140.445
Ajuste do patrimônio líquido - variação cambial (22.271) (22.271) (22.271)
Total do Patrimônio Líquido 724.076 715.198 667.257

TOTAL DO PASSIVO E DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 2.036.912 1.845.761 1.891.612


Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 15 de 17

ANEXO 3 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA CONSOLIDADO

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A


DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA LEVANTADOS EM 31 DE MARÇO DE 2008
E 31 DE MARÇO DE 2007 (em R$ Mil)
Consolidado
1T08 1T07

FLUXO DE CAIXA DE ATIVIDADES OPERACIONAIS

Lucro líquido
8.878 9.152
Ajustes para conciliar o lucro líquido com caixa gerado pelas atividades operacionais:

Depreciação e amortização 52.150 50.261


Amortização de (deságio) ágio em investimentos 2.355 2.355
Baixa de ativos permanentes 1.614 -
Imposto de renda e contribuição social diferidos 1.139 815
(Receitas) despesas de juros, líquidas 27.160 20.787
Reversão de receita diferida (293) (279)
Recebimento de dividendos (367) -

Redução (aumento) dos ativos operacionais:


Contas a receber 2.266 490
Créditos diversos - 2.356
Estoques (1.726) 163
Despesas antecipadas (6.899) (1.323)
Impostos a recuperar (374) (1.284)
Adiantamentos para novos projetos 5.431 -
Outros 1.847 (259)

Aumento (redução) dos passivos operacionais:


Fornecedores (1.600) (417)
Obrigações sociais 1.905 (380)
Obrigações fiscais (628) 2.911
Outros 6.702 235
Cauções contratuais 4.546 1.590

CAIXA LÍQUIDO (UTILIZADO NAS) GERADO PELAS ATIVIDADES OPERACIONAIS 104.106 87.173

FLUXO DE CAIXA DE ATIVIDADES DE INVESTIMENTO


Acréscimos nos depósitos vinculados (7) (32)
Valor resgatado dos depósitos vinculados 890 5.920
Aquisição de empresa, líquida de caixa adquirido -
Pagamentos do ativo imobilizado (49.630) (48.465)
Adições ao diferido (13.910) -
Acréscimos nos investimentos (290) -

CAIXA LÍQUIDO UTILIZADO NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO (62.947) (42.577)

FLUXO DE CAIXA DE ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO


Empréstimos e financiamentos:
Captações 316.997 7.182
Pagamentos (152.066) (27.772)
Pagamento de credores pela concessão (11.760) (11.310)

CAIXA LÍQUIDO GERADO PELAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO 153.171 (31.900)

AUMENTO (DIMINUIÇÃO) DE DISPONIBILIDADES, LÍQUIDO 194.330 12.696

DISPONIBILIDADES NO INÍCIO DO EXERCÍCIO 64.439 139.274

DISPONIBILIDADES NO FIM DO EXERCÍCIO 258.769 151.970

DIVULGAÇÃO COMPLEMENTAR DE INFORMAÇÕES SOBRE FLUXOS DE CAIXA


Caixa pago no ano:
Juros pagos 10.209 10.094
Impostos sobre a renda 10.065 8.835
Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 16 de 17

ANEXO 4 EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A.


EMPRESTIMOS E FINANCIAMENTOS EM 31 DE MARÇO DE 2008
(em R$ Mil)

Instituições Credoras Encargos Vencimento Final Curto Prazo Longo Prazo


AUTOVIAS
BNDES - “Project Finance” TJLP + 5% a.a. Novembro de 2010 10.692 17.629
BNDES TJLP + 5% a.a. Abril de 2011 1.292 2.659
BNDES TJLP + 3,95% a.a. Maio de 2012 1.537 5.525
Caixa Econômica Federal TJLP + 6% a.a. Novembro de 2010 10.702 17.629
Banco Itaú BBA CDI + 2,3% a.a. Junho de 2009 1.746 2.600
Banco Fibra 101,8% do CDI Junho de 2008 23.002 -
Banco Votorantim (BNDES) TJLP + 3,3% a.a. Setembro de 2012 342 2.328
Banco Itaú BBA (BNDES) TJLP + 3,45% a.a Junho de 2012 141 1.166
Banco Unibanco CDI + 0,083% a.m. Novembro de 2010 915 15.500
Banco Itaú BBA CDI + 0,083% a.m Novembro de 2010 915 15.500
Banco Bradesco CDI + 0,083% a.m Novembro de 2010 915 15.500
Banco Citibank CDI + 0,083% a.m Novembro de 2010 915 15.500
Banco Votorantim CDI + 0,083% a.m Novembro de 2010 472 8.000
Total 53.586 119.536
CENTROVIAS
BNDES - “Automático Itaú” TJLP + 3,95% a.a. Junho de 2012 956 3.874
BNDES - “Automático Unibanco” TJLP + 3,30% a.a. Outubro de 2012 426 2.965
BNDES - “Project Finance” TJLP + 5% a.a. Agosto de 2010 21.834 30.630
Total 23.216 37.469
INTERVIAS
BNDES TJLP + UMBNDES + 5% a.a. Julho de 2011 16.838 36.218
Banco Unibanco CDI + 1% a.a. Novembro de 2010 1.446 24.500
Banco Itaú BBA CDI + 1% a.a. Novembro de 2010 1.446 24.500
Banco Bradesco CDI + 1% a.a. Novembro de 2010 1.446 24.500
Banco Citibank CDI + 1% a.a. Novembro de 2010 1.446 24.500
Banco Votorantim CDI + 1% a.a. Novembro de 2010 708 12.000
“Leasing” - parcela do mês CDI + 2% a.a. Julho de 2010 82 -
Total 23.412 146.218
VIANORTE
BNDES TJLP + 4,5% a 7,5% a.a. Agosto de 2013 19.982 68.758
Finame Votorantim TJLP + 3,3% a.a. Fevereiro de 2013 6 256
Banco ABC - Finame TJLP + 6,3% a.a. Julho de 2010 485 640
Banco Fibra - “compror” CDI + 0,37% a.m. Outubro de 2008 223 -
Banco Unibanco - “Prosoft” TJLP + 2,18% a.a. Abril de 2010 502 506
Banco Unibanco - Finame TJLP + 3,48% a.a. Abril de 2012 383 1.205
Banespa - “leasing” 1,52% a 1,87% a.m. Abril de 2009 492 -
Banco Itaú - “leasing” 1,53% a 1,66% a.m. Junho de 2008 51 -
Banco Bradesco Capital de Giro CDI + 1,5 a.m. Fevereiro de 2009 3.039 -
Banco Dibens - “leasing” CDI + 1,824% a.a. Fevereiro de 2010 163 240
Total 25.326 71.605
Latina
Banco Itau BBA 11,5%a.a. Julho de 2011 140 315
Total 140 315
OHL Brasil
Banco Santander CDI + 0,60% a.a. Setembro de 2008 85.247 -
Banco Bradesco CDI + 0,60% a.a. Setembro de 2008 55.072 -
Banco do Brasil CDI + 0,60% a.a. Setembro de 2008 50.066 -
Total 190.385 -
Total Geral 316.065 375.143
Divulgação de Resultados do 1T08
15 de Maio de 2008
Pág. 17 de 17

GLOSSÁRIO

Concessionárias Estaduais: Sociedades de Propósito Específico, criadas pela vencedora da


Licitação, com as quais foram celebrados os Contratos de Concessão, tendo por objeto social
específico a exploração da Concessão de Rodovias Estaduais e que tem como agência reguladora a
ARTESP no Estado de São Paulo. A OHL Brasil administra atualmente 4 concessionárias Estaduais
em São Paulo (Autovias, Centrovias, Intervias e Vianorte).

Concessionárias Federais: Sociedades de Propósito Específico, criadas pela vencedora da Licitação,


com as quais foram celebrados os Contratos de Concessão, tendo por objeto social específico a
exploração da Concessão de Rodovias Federais e que tem como agência reguladora a ANTT. A OHL
Brasil administra atualmente 5 concessionárias Federaisno Brasil (Autopista Planalto Sul, Autopista
Fluminense, Autopista Fernão Dias, Autopista Régis Bittencourt e Autopista Litoral Sul).

Veículos-Equivalentes: A unidade veículo-equivalente é usada como base para cobrança das tarifas
de pedágio. Um veículo leve (como um carro) é contado como um veículo-equivalente e um veículo
pesado (comerciais, como um caminhão ou ônibus) é calculado pelo numero de eixos que este tem,
(de modo que dois eixos correspondem a dois veículos-equivalentes, três eixos correspondem a três
veículos-equivalentes e quatro eixos correspondem a quatro veículos-equivalentes). Um veículo leve
equivale a um eixo de veículo pesado.

Pedágio Eletrônico/Sistema AVI: O sistema AVI é um sistema eletrônico de pagamento em uso nas
rodovias que operamos. Os motoristas que aderem ao sistema AVI colam um sensor eletrônico no
pára-brisa, que os identifica e reconhece a categoria de veículos que dirigem. Ao passar por uma pista
com sistema AVI na praça de pedágio, antenas captam os sinais emitidos e os sensores registram a
presença do veículo e calculam o valor total a ser pago, sem a necessidade de o motorista parar o
veículo.

Reajuste de Tarifas: Em relação as Concessões Estaduais de São Paulo, conforme estabelecido no


contrato de concessão, as tarifas de pedágio são reajustadas no mês de julho com base na variação
em 12 meses do IGP-M ocorrida até 31 de maio. Já os reajustes nas tarifas das concessões federais
ocorrerão com base na variação do IPCA, calculado pelo IBGE, entre o mês anterior a data de
referência na apresentação da proposta de tarifa, ou seja, junho de 2007, e o mês anterior à data de
início de cobrança de pedágios. Após esse primeiro reajuste, os demais ocorrerão anualmente também
pelo IPCA acumulado nos últimos 12 meses a contar do último reajuste.

EBITDA e EBITDA Ajustado: EBITDA é a sigla em inglês para earnings before interest, taxes,
depreciation and amortization, que traduzido literalmente para o português significa: Lucros antes de
juros, impostos, depreciação e amortização" (Lajida). O EBITDA Ajustado é o EBITDA propriamente
dito menos o valor do ônus fixo devido pela outorga das Concessões e efetivamente pago.

Ônus Fixo: De acordo com os nossos contratos de concessão, as Concessionárias Estaduais devem
pagar ao Poder Concedente um ônus fixo como contrapartida pela outorga da concessão. Estes
contratos estabelecem também que o valor de tal ônus fixo deve ser pago em parcelas mensais ao
longo do prazo de concessão. Optamos por contabilizar no nosso ativo o valor da outorga da
concessão e no nosso passivo o total da dívida a pagar ao poder concedente pelo ônus fixo e os
impactos da atualização monetária sobre tal saldo a pagar, seguindo o critério de regime de
competência,

Atualização Monetária do Ônus Fixo: Os contratos de concessão entre as Concessionárias


Estaduais e o Poder Concedente estabelecem o reajuste pelo IGP-M dos pagamentos mensais do
ônus fixo, com vencimento a partir do décimo segundo mês a contar de cada 1º de julho, data na qual
também se reajusta pelo mesmo índice a tarifa dos pedágios.

Grau de Alavancagem: A metodologia utilizada para determinar o grau de alavancagem leva em conta
a relação Divida Liquida (Divida Bruta menos Disponibilidades e Caixa) dividido pela EBITDA Ajustado
(EBITDA menos Pagamento do Ônus Fixo, constante no fluxo de caixa). Quanto menor for o grau de
alavancagem maior poderá ser o montante de capital a ser financiado junto ao mercado de crédito.

Ajuste Autovias: Em 1 de julho de 2007, a concessionária Autovias iniciou a operação da nova praça
de pedágio “Santa Rita”. Esta praça foi um “desdobramento” da praça de pedágio de São Simão.
Assim, a tarifa que era praticada em São Simão foi reduzida pela metade e passou a ser cobrada em
ambas as praças. Para um melhor entendimento do impacto real da nova praça de pedágio na
concessionária Autovias formulamos uma análise “pró-forma”, onde consideramos a média do volume
de trafego nas praças de São Simão e Santa Rita para comparamos com períodos em que havia
somente a praça de São Simão. Após o 2T08, este ajuste não será mais utilizado.