Você está na página 1de 6

Jornal do Commercio - Portal do Sistema JC de Comunicação http://jc3.uol.com.br/jornal/2004/08/05/not_102757.

php

Assinantes JC
Comercial JC
» Pesquise nas edições anteriores Classificados JC

Recife, 05 de Maio de 2010 - Quarta-feira

Editorias .Home / Economia


.Economia
Índice Geral

Capa do Dia INDÚSTRIA NAVAL

Brasil
Estaleiro em Suape põe Estado na rota dos grandes
projetos
Caderno C Publicado em 05.08.2004

Capa Dois
O grupo Camargo Corrêa oficializou ontem, Áudio
com a assinatura de um protocolo no Palácio do
Cidades
Campo das Princesas, a intenção de montar, a » Ouça a entrevista do
partir de 2005, um estaleiro de classe mundial vice-governador Mendonça
Ciência & Meio Filho à Rádio Jornal
Ambiente em Suape. Segundo o Governo, será um dos
maiores e mais modernos do Hemisfério Sul. O
Economia empreendimento, um investimento de US$ 170
milhões (cerca de R$ 510 milhões), atenderá, inicialmente, encomendas de
Esportes navios e plataformas petrolíferas da Petrobras, cujas licitações ocorrem até o
final do ano. O empresário Luís Roberto Nascimento, principal executivo do
Internacional conglomerado, que faturou R$ 7,4 bilhões em 2003, adiantou que a própria
Petrobras sugeriu a entrada do grupo no setor, para ajudar o País a
Política recuperar sua frota naval e dar suporte a explorações de petróleo no México
e África. O BNDES já manifestou interesse em financiar o projeto, ou até
mesmo negociar uma participação societária. Na assinatura do acordo, o
Opinião governador Jarbas prometeu investimentos em infra-estrutura, além de
incentivos fiscais garantindo a isenção na compra de máquinas e
Artigos equipamentos na etapa de montagem e redução de impostos assegurarando
o abastecimento competitivo do aço na fase de operação. A reportagem é de
Cartas à Redação Jamildo Melo.

Charge

Editorial
MATÉRIAS VINCULADAS
Projeto se destina a fazer navios para a Petrobras
Jarbas manda lei de incentivo à AL
Semanais
Conglomerado faturou R$ 7,4 bilhões em 2003
Boa Mesa
| índice da editoria | próxima »
Imóveis

Informática

JC - Agreste
Americano é indiciado
por atentado
JC - Vale do São frustrado em Nova
Francisco York

JC na TV

Charge
Religiões

Revista JC

Turismo

Veículos

Especiais Veja Anteriores

Fale com elas


Classificados JC
Segunda Guerra -
70 anos
Escolha o tipo de
anúncio que você
Coisas de Homem procura

1 de 2 5/5/2010 05:25
Jornal do Commercio - Portal do Sistema JC de Comunicação http://jc3.uol.com.br/jornal/2004/08/05/not_102758.php

Assinantes JC
Comercial JC
» Pesquise nas edições anteriores Classificados JC

Recife, 05 de Maio de 2010 - Quarta-feira

Editorias .Home / Economia


.Economia
Índice Geral

Capa do Dia INDÚSTRIA NAVAL II

Brasil
Projeto se destina a fazer navios para a Petrobras
Publicado em 05.08.2004
Caderno C
Projeto deverá ser financiado pelo BNDES. O banco também vai
Capa Dois oferecer crédito para empresas que integrem a cadeia produtiva da
indústria naval, ou mesmo participar como sócio do empreendimento
Cidades

Ciência & Meio O empresário Luís Roberto Nascimento, representante dos acionistas
Ambiente do Grupo Camargo Corrêa e genro do falecido empresário Sebastião
Camargo, disse ontem, em entrevista coletiva, no Palácio do
Economia
Governo, que as encomendas de navios e plataformas da Petrobras
Esportes são fundamentais para que o projeto do estaleiro saia do papel. “O
projeto não sai sem a Petrobras. A empresa é fundamental neste
Internacional processo. Precisamos atender às demandas internas, nos consolidar,
para depois buscar o mercado internacional. De nossa parte,
Política
achamos que o projeto é importante para o País pois ele vai poder
reduzir gastos com fretamento de navios (construindo suas próprias
embarcações)”, frisou.
Opinião

Artigos “O Governo Federal está caminhando neste sentido com a exigência


de nacionalização de 70% das plataformas, mas precisamos avançar
Cartas à Redação mais e vamos avançar, pois o País encontrou o caminho do
crescimento”, acrescentou.
Charge

Na coletiva, o empresário também revelou que foi a própria


Editorial
Petrobras que sugeriu a entrada do grupo no setor. “Eles contam
com um volume grande de encomendas e gostariam que as
Semanais plataformas e navios fossem feitas aqui”, informou. “A empresa já
anunciou que vai comprar 52 navios, nos próximos três anos, e nós
Boa Mesa pretendemos participar dessas licitações, que estão prometidas para
sair até o final do ano, com esse estaleiro.”
Imóveis

Informática
O dirigente da Camargo Corrêa informou ainda que o Banco Nacional
de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já garantiu que vai
JC - Agreste financiar não apenas o próprio empreendimento como também as
Americano é indiciado
futuras empresas que se instalarem no Estado para dar suporte à por atentado
JC - Vale do São cadeia de produção. “Os financiamentos à construção naval são frustrado em Nova
Francisco York
importantes porque o Governo Federal sabe que não existe infra-
JC na TV estrutura para a construção de navios a curto e médio prazos. “Os
recursos do BNDES são oriundos do Fundo Nacional de Marinha
Charge
Religiões Mercante e podem ser usados para as obras do estaleiro e até
mesmo os seus clientes (a Petrobras, no caso). Uma outra
Revista JC
possibilidade é o BNDES entrar como sócio do projeto”, revelou.
Turismo

Veículos
MATÉRIAS VINCULADAS
Jarbas manda lei de incentivo à AL
Especiais Conglomerado faturou R$ 7,4 bilhões em 2003 Veja Anteriores

Fale com elas « anterior | índice da editoria | próxima »


Classificados JC
Segunda Guerra -
70 anos
Escolha o tipo de
anúncio que você
Coisas de Homem procura

1 de 2 5/5/2010 05:26
Jornal do Commercio - Portal do Sistema JC de Comunicação http://jc3.uol.com.br/jornal/2004/08/05/not_102759.php

Assinantes JC
Comercial JC
» Pesquise nas edições anteriores Classificados JC

Recife, 05 de Maio de 2010 - Quarta-feira

Editorias .Home / Economia


.Economia
Índice Geral

Capa do Dia INDÚSTRIA NAVAL III

Brasil
Jarbas manda lei de incentivo à AL
Publicado em 05.08.2004
Caderno C
O diferimento de impostos na aquisição de equipamentos é um dos
Capa Dois principais benefícios previstos no projeto de lei de incentivos para a
construção do estaleiro
Cidades

Ciência & Meio O governador Jarbas Vasconcelos anunciou ontem, na cerimônia de


Ambiente assinatura do protocolo de intenções para a construção do estaleiro
da Camargo Corrêa, em Suape, que enviará, na próxima semana, um
Economia
projeto de lei à Assembléia Legislativa prevendo a criação de um
Esportes programa de desenvolvimento para a indústria naval. “Com essas e
outras ações, damos às boas vindas ao grupo da Camargo Corrêa”,
Internacional afirmou, encerrando a parte oficial do evento.

Política Durante a coletiva com os jornalistas, o vice-governador do Estado,


José Mendonça Filho, detalhou que um dos principais incentivos para
a fase de construção será o diferimento de impostos para a compra
Opinião
de equipamentos, como máquinas. Um exemplo: as máquinas
Artigos compradas para uso próprio pagarão impostos com prazos elásticos,
de modo a não impactar os investimentos. Tudo que for compor o
Cartas à Redação imobilizado do projeto pode receber tratamemto diferenciado, sendo
postergado o pagamento do imposto até o momento da
Charge
desincorporação.
Editorial
O secretário da Fazenda, Mozart Siqueira, disse que o programa de
incentivos especial será definido esta semana e enviado na próxima.
Semanais Na conversa com os jornalistas, Mozart adiantou apenas que a
indústria de mecânica pesada será incentivada, com o diferimento de
Boa Mesa impostos. Os incentivos ao projeto do estaleiro estavam sendo
discutidos até a manhã de ontem entre as Secretarias de
Imóveis
Desenvolvimento Econômico e a Fazenda. No Rio de Janeiro, por
Informática exemplo, a importação de máquinas é isenta de impostos.

JC - Agreste O secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Alexandre


Americano é indiciado
Valença, frisou que a questão dos incentivos é importante para por atentado
JC - Vale do São garantir a competitividade do projeto, em comparação aos Estados frustrado em Nova
Francisco York
concorrentes que também produzem ou vão produzir a mesma
JC na TV mercadoria.
Charge
Religiões A observação foi feita quando o empresário Luís Roberto Nascimento
explicou que planejava usar o aço produzido pela Cosipa, em São
Revista JC
Paulo, para abastecer o projeto pernambucano. Ele explicou que a
Turismo
siderúrgica é a única empresa brasileira que produz chapas grossas,
utilizadas pelo setor naval. Além disso, afastou receio de
Veículos desabastecimento do produto, mesmo em meio a crise da matéria-
prima, por ter participação acionária no grupo. “Como somos sócios
da empresa, por meio da Usiminas, teremos prioridade. Seremos
Especiais clientes preferenciais”, explicou. Veja Anteriores

Fale com elas


No evento, o representante do Governo Federal, o secretário de
Classificados JC
Segunda Guerra - fomento para ações de Transporte do Ministério dos Transportes,
70 anos Sérgio Racci, adiantou que o Governo Federal apoiará projetos de Escolha o tipo de
construção de estaleiros com financiamentos, numa referência ao anúncio que você
Coisas de Homem procura

1 de 2 5/5/2010 05:26
Jornal do Commercio - Portal do Sistema JC de Comunicação http://jc3.uol.com.br/jornal/2004/08/05/not_102759.php

Crise no São BNDES. Selecione OK


Francisco
Além dos incentivos, o Governo do Estado anunciou que vai investir
Pernambucano
2009
R$ 100 milhões para melhorar a infra-estrutura do Porto de Suape,
como acesso, estradas, de modo a beneficiar não apenas o projeto,
Especial mas todas as empresas que planejam investir no porto local. “Numa
Retrospectiva
primeira etapa, por baixo, o valor a ser investido em infra-estrutura
Agenda TGI
deve girar entre R$ 60 e R$ 100 milhões, mas não visa atender ao
estaleiro, mas todas as empresas que vão investir em nosso Estado”,
JC Recall de Marcas afirmou.

Mais Especiais Segundo apurou o JC, o dinheiro para as obras virá do ajuste fiscal
que o Governo vem fazendo há nove meses e deixou o Estado
superávitário, com sobras de caixa. É uma carta na manga do
Serviços
governador Jarbas Vasconcelos para ajudar na eleição do seu
Edições
sucessor. O programa de obras será capitaneado pelo
Anteriores vice-governador e pelo secretário de Planejamento do Estado, Raul
Henry.
Fale com o JC

História do JC

MATÉRIAS VINCULADAS
Multimídia
Conglomerado faturou R$ 7,4 bilhões em 2003

Versão
« anterior | índice da editoria | próxima »

Comercial JC | Classificados JC | Banco de Talentos | Fale com o JC

Copyright © 1997-2010, JC OnLine-Recife-PE Brasil Sistema JC de Comunicação. É proibida a


reprodução total ou parcial do conteúdo deste site para fins comerciais.
Tecnologia e Desenvolvimento: JC OnLine

2 de 2 5/5/2010 05:26
Jornal do Commercio - Portal do Sistema JC de Comunicação http://jc3.uol.com.br/jornal/2004/08/05/not_102760.php

Assinantes JC
Comercial JC
» Pesquise nas edições anteriores Classificados JC

Recife, 05 de Maio de 2010 - Quarta-feira

Editorias .Home / Economia


.Economia
Índice Geral

Capa do Dia INDÚSTRIA NAVAL IV

Brasil
Conglomerado faturou R$ 7,4 bilhões em 2003
Publicado em 05.08.2004
Caderno C
Para o grupo Camargo Corrêa, Infográfico
Capa Dois composto por 16 empresas, não há
problemas para oferecer garantias para
Cidades
o BNDES financiar a construção do
Ciência & Meio estaleiro. Trata-se de um dos maiores
Ambiente conglomerados não-financeiros do País
Economia
O empresário Luís Roberto Nascimento
Esportes demonstrou humildade ontem na
coletiva com os jornalistas para explicar [+] Clique para ampliar
Internacional os detalhes do projeto do estaleiro de
Suape. Perguntado sobre garantias para
Política
ofercer ao BNDES em caso de financiamento, explicou, sem nenhuma
arrogância, que a apresentação de garantias não era problema para
o seu grupo. No ano passado, por exemplo, o conglomerado de 16
Opinião
empresas faturou R$ 7,4 bilhões, dando emprego a 33,2 mil pessoas
Artigos em todo o País. Em 2002, o faturamento da holding havia sido de 6,2
bilhões.
Cartas à Redação
O grupo privado é um dos maiores conglomerados não-financeiros do
Charge
País, fundado pelo falecido Sebastião Camargo, há 65 anos. A área
Editorial de construção naval é a mais nova investida do grupo, mas ele já
atua em diversos setores, como engenharia e construção, indústria
têxtil e de calçados, cimento e geração de energia.
Semanais
Na área de energia, em sociedade com a Votorantin e o Bradesco, o
Boa Mesa conglomerado faz parte do grupo controlador da CPFL, a distribuidora
paulista de energia elétrica. A Camargo Corrêa é sócia da Usiminas,
Imóveis
a maior siderúrgica do País, com uma participação de 38,1% no
Informática mercado de laminados planos em 2002 e vendas, no mercado
interno, de 3,2 milhões de toneladas de aço. A Camargo Corrêa tem
JC - Agreste 7,3% do capital votante e 3,6% do capital total da Usiminas. Todo o
Americano é indiciado
Sistema Usiminas, que inclui ainda a controlada Cosipa – grande por atentado
JC - Vale do São
Francisco
exportadora de placas de aço – obteve, no ano, receita líquida de R$ frustrado em Nova
York
6,7 bilhões.
JC na TV
Na área industrial, o negócio da empresa é a Santista Têxtil, a
Charge
Religiões primeira multinacional brasileira do setor, com fábricas na Argentina
e Chile. Outro empreendimento de sucesso é a São Paulo Alpargatas,
Revista JC
que fabrica as sandálias da marca Havaianas. O conglomerado opera
Turismo ainda a Cimento Cauê, apontado como o quinto maior produtor de
cimento do Brasil, responsável pela exportação de sílico-metálico,
Veículos matéria-prima da indústria de condutores, silicones e alumínio.

A origem do grupo vem da área de engenharia, onde existem hoje


Especiais seis empresas controladas. Na história do grupo, está a construção Veja Anteriores

de obras de infra-estrutura como a Usina Hidrelétrica de Tucuruí, a


Fale com elas
Usina de Itaipu, a ponte Rio Niterói, o Aeroporto Internacional de
Classificados JC
Segunda Guerra - Cumbica, além de várias linhas de metrô em capitais.
70 anos
Escolha o tipo de
anúncio que você
Coisas de Homem procura

1 de 2 5/5/2010 05:27