Você está na página 1de 26

Obrascon Huarte Lain BrasilDivulgação

S.A. de 13Resultados do 4T08


de Março de 2009
Pág. 1 de 26

Divulgação dos Resultados Consolidados

4º Trimestre de 2008

São Paulo, 13 de Março de 2009


Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 2 de 26

OHL BRASIL ANUNCIA NO 4T08 RECEITA LÍQUIDA DE R$ 193,9 MILHÕES (+16,3%),


EBITDA AJUSTADO DE R$ 126,5 MILHÕES (+20,8%) E MARGEM EBITDA AJUSTADO DE

São Paulo, 13 de março de 2009 – Obrascon Huarte Lain Brasil S.A. – OHL
AGENDA DE DIVULGAÇÃO Brasil (Novo Mercado da Bovespa: OHLB3), anuncia seu resultado do quarto
trimestre de 2008 (4T08), período encerrado em 31 de dezembro de 2008. As
TELECONFERÊNCIAS informações financeiras e operacionais a seguir, exceto quando indicado em
contrário, são apresentadas em base consolidada e em Reais, de acordo com a
Legislação Societária.

EM PORTUGUÊS
Terça-feira (17/03/2009)
14:00 (São Paulo) DESTAQUES
13:00(US Eastern Time)
Tel.: (+55 11) 4688-6301 ƒ Expansão do Tráfego: O 4T08 apresentou crescimento do tráfego
Código: OHL pedagiado de 2,6% em relação ao 4T07. Ao longo do ano de 2008, as
Replay: Entre 17/03 e 23/03
Fone: (+55 11) 4688-6312
concessionárias da companhia apresentaram crescimento de 11,5% em relação
Código: 827 ao ano de 2007, atingindo 141,2 milhões de veículos equivalentes no ano.
ƒ Início de cobrança – Concessões Federais: Em dezembro de 2008, 3
EM INGLÊS concessionárias federais da OHL Brasil iniciaram cobrança em 5 pedágios. Sendo:
Terça-feira (17/03/2009) 1 na Planalto Sul, 2 na Fernão Dias e 2 na Régis Bittencourt.
12:00 (São Paulo)
11:00 (US Eastern Time)
Tel.: (+1 888) 700-0802 ƒ Aumento de receita: No 4T08 a OHL Brasil obteve uma receita bruta de
(ligações feitas dos EUA)

Tel.: (+1 786) 924-6977 R$212,3 milhões, apresentando crescimento de 16,3% contra o 4T07. Esse
(ligações feitas de outros países)
crescimento está diretamente relacionado ao aumento do tráfego (+2,6%) e
Tel.: (+55 11) 4688-6301
(ligações feitas do Brasil) também ao reajuste contratual das tarifas de pedágio (+11,53%) em 01/07/2008
Código: OHL em nossas Concessionárias Estaduais. No ano de 2008 a receita bruta atingiu
Replay: Entre 17/03 e 23/03
Fone: (+55 11) 4688-6312 R$794 milhões, com um crescimento de 17,6% em relação ao ano anterior.
Código: 532
ƒ EBITDA Ajustado: O EBITDA Ajustado do 4T08 alcançou R$126,5 milhões,
Reunião com Acionistas e
com um crescimento de 21% em relação ao 4T07. A margem EBITDA Ajustado
Investidores atingiu 65,2%, um crescimento de 2,5pp em relação aos 62,7% no 4T07. Na
comparação anual, o EBITDA Ajustado encerrou o ano em R$474,1 milhões, com
Quarta-Feira (18/03/2009) um crescimento de 23,6% e uma margem sobre receita líquida de 65,4%.
16:00 (horário local) – Sede da
APIMEC-SP
Rua São Bento, 545 – 5ª Sobreloja ƒ Lucro Líquido: O Lucro Líquido da companhia no 4T08 foi de R$46,4
Centro – São Paulo – Capital milhões, representando um aumento de 112,4% em relação ao 4T07. Este
RSVP: (11) 3107-1571 ou
crescimento está diretamente relacionado ao crescimento do tráfego e ao reajuste
apimecsp@apimecsp.com.br
tarifário ocorrido em julho/2008. No ano de 2008 o Lucro Líquido cresceu 42%,
encerrando o ano em R$105,4 milhões.

Bovespa: OHLB3 ƒ Investimentos: No 4T08 foram investidos R$301,3 milhões nas concessões
Bloomberg: OHLB3 BZ federais, referentes aos serviços iniciais de recuperação das rodovias e
Thomson Reuters: OHLB3.BR
construção das praças de pedágios, e R$42,8 milhões nas concessões estaduais.
Atualização em 12/03/2009 Ao longo de 2008 foram investidos R$679,5 milhões em nossas rodovias.
Preço Fech.: R$ 13,80 / ação
Valor de Mercado: R$950,7 milhões
ƒ Endividamento: Encerramos o ano com um endividamento líquido de
R$915,4 milhões (+R$263,6 milhões comparado ao 3T08). Este crescimento
reflete a redução do caixa da companhia no período (-R$238,5 milhões) em função
do maior volume de investimentos realizados nas concessionárias federais. Em
razão do aumento do endividamento líquido, nosso Grau de Alavancagem medido
pela relação Divida Líquida/EBITDA Ajustado (últimos 12 meses) passou a ser de
1,9x.

Relações com Investidores www.ohlbrasil.com.br ri@ohlbrasil.com.br

Rua Joaquim Floriano, 913, 6º andar - Francisco Leonardo M. da Costa Diretor Adm., Financ. e RI francisco.leonardo@ohlbrasil.com.br
Itaim Bibi – São Paulo – SP - Alessandro Scotoni Levy Gerente de RI alessandro@ohlbrasil.com.br
CEP 04534-013 - Vinicius Romboli Narcizo Analista vinicius@ohlbrasil.com.br
Tel.: (+55 11) 3074-2409 - Murilo Tarini Analista murilo@ohlbrasil.com.br
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 3 de 26

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A.


DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS CONSOLIDADOS
(em R$ Mil)

Var% Var%
4T08 3T08 4T07 4T08/3T08 4T08/4T07 2008 2007 Ano/Ano
RECEITA BRUTA DE SERVIÇOS 212.321 222.988 182.539 -4,8% 16,3% 793.973 674.989 17,6%
Receita Pedágios - Estaduais 208.805 220.941 180.411 -5,5% 15,7% 784.119 667.329 17,5%
Autovias 52.462 55.778 45.650 -5,9% 14,9% 198.823 162.489 22,4%
Centrovias 50.098 52.015 41.476 -3,7% 20,8% 183.790 151.887 21,0%
Intervias 59.462 62.894 52.124 -5,5% 14,1% 223.041 198.123 12,6%
Vianorte 46.783 50.254 41.161 -6,9% 13,7% 178.465 154.830 15,3%
Receita de Pedágio - Federais 1.395 - - n.d. n.d. 1.395 - n.d.
Planalto Sul 346 - - n.d. n.d. 346 - n.d.
Fernão Dias 703 - - n.d. n.d. 703 - n.d.
Régis Bittencourt 346 - - n.d. n.d. 346 - n.d.
Outras Receitas 2.121 2.047 2.128 3,6% -0,3% 8.459 7.660 10,4%

DEDUÇÕES DOS SERVIÇOS PRESTADOS (18.426) (19.354) (15.859) -4,8% 16,2% (68.991) (59.176) 16,6%

RECEITA LÍQUIDA DE SERVIÇOS 193.895 203.634 166.680 -4,8% 16,3% 724.982 615.813 17,7%

CUSTO E DESPESAS OPERACIONAIS (54.305) (45.231) (50.383) 20,1% 7,8% (201.119) (186.181) 8,0%
Custos Operacionais (Ex. Amort. e Depre.) (32.613) (27.504) (29.285) 18,6% 11,4% (118.339) (112.328) 5,4%
Ônus Variável (6.533) (6.872) (5.681) -4,9% 15,0% (24.555) (20.752) 18,3%
Despesas Gerais e Administrativas (Ex. Amort.) (7.194) (10.595) (8.993) -32,1% -20,0% (50.325) (44.849) 12,2%
Remuneração da Administração (7.570) (77) (4.852) 9731,2% 56,0% (7.812) (5.090) 53,5%
Tributárias (790) (852) (2.468) -7,3% -68,0% (2.772) (5.563) -50,2%
Outras Receitas Operacionais 395 669 896 -41,0% -55,9% 2.684 2.401 11,8%

OUTRAS RECEITAS - - - n.d. n.d. - 85 -100,0%

EBITDA 139.590 158.403 116.297 -11,9% 20,0% 523.863 429.717 21,9%


Margem EBITDA 72,0% 77,8% 69,8% 72,3% 69,8%

DEPRECIAÇÕES E AMORTIZAÇÕES (49.429) (53.221) (48.323) -7,1% 2,3% (202.489) (189.724) 6,7%
Depreciação de Imobilizado (39.583) (42.476) (38.291) -6,8% 3,4% (161.832) (149.270) 8,4%
Amortização de Investimentos (3.544) (3.441) (3.284) 3,0% 7,9% (13.669) (13.147) 4,0%
Amortização da Outorga (Intangível)* (6.302) (7.304) (6.748) -13,7% -6,6% (26.988) (27.307) -1,2%

AMORTIZAÇÃO DE ÁGIO SOBRE INVESTIMENTO (2.355) (2.354) (2.354) 0,0% 0,0% (9.419) (9.419) 0,0%

EBIT 87.806 102.828 65.620 -14,6% 33,8% 311.955 230.574 35,3%

RESULTADO FINANCEIRO (19.719) (54.553) (32.694) -63,9% -39,7% (144.397) (108.872) 32,6%
Receitas Financeiras 16.752 6.222 2.209 169,2% 658,4% 28.832 11.895 142,4%
Despesas Financeiras (36.319) (60.696) (34.784) -40,2% 4,4% (173.043) (120.701) 43,4%
BNDES/CEF (2.939) (3.748) (7.933) -21,6% -63,0% (21.078) (33.345) -36,8%
Outras Despesas Financeiras (23.569) (46.446) (8.891) -49,3% 165,1% (95.744) (39.429) 142,8%
Atualização Monetária do Ônus Fixo** (9.811) (10.502) (17.960) -6,6% -45,4% (56.221) (47.927) 17,3%
Variação Cambial Líquida (152) (79) (119) 92,4% 27,7% (186) (66) 181,8%

LUCRO ANTES DOS EFEITOS TRIBUTÁRIOS 68.087 48.275 32.926 41,0% 106,8% 167.558 121.702 37,7%

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (21.650) (17.477) (11.058) 23,9% 95,8% (62.120) (47.442) 30,9%
Correntes (16.377) (15.942) (9.790) 2,7% 67,3% (53.300) (44.163) 20,7%
Diferidos (5.273) (1.535) (1.268) 243,5% 315,9% (8.820) (3.279) 169,0%

LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO 46.437 30.798 21.868 50,8% 112,4% 105.438 74.260 42,0%

Var% Var%
OUTRAS INFORMAÇÕES 4T08 3T08 4T07 2008 2007 Ano/Ano
4T08/3T08 4T08/4T07
Ônus Fixo Pago (Fluxo de Caixa) (13.117) (13.118) (11.761) 0,0% 11,5% (49.759) (46.057) 8,0%
EBITDA Ajustado 126.473 145.285 104.536 -12,9% 21,0% 474.104 383.660 23,6%
Margem EBITDA Ajustado 65,2% 71,3% 62,7% 65,4% 62,3%

* Para adequação às leis das S.A.’s, o direito de outorga classificado no ativo “Imobilizado”, foi reclassificado para ativo “Intangível” e ajustado a
valor presente. Para maiores informações vide “Mudança na Pratica Contábil” no Glossário.
** Nos períodos analisados as Despesas com “Atualização Monetária do Ônus Fixo” foram ajustadas de modo a refletirem as normas contábeis
introduzidas pela lei nº 11.638/07. Para maiores informações vide “Mudança nas Praticas Contábeis” no Glossário.
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 4 de 26

DESEMPENHO OPERACIONAL

TRÁFEGO E TARIFA

CONCESSÕES ESTADUAIS

Expansão do Tráfego: O quarto trimestre de 2008 apresentou crescimento do


tráfego pedagiado de 2,6% em relação ao 4T07. Ao longo do ano de 2008, a
companhia apresentou um crescimento de 11,5% em relação ao ano de 2007,
totalizando 141,2 milhões de veículos equivalentes no ano.

Segue tabela com a evolução consolidada comparativa do tráfego e da tarifa


média, para cada uma das Concessionárias Estaduais:
Var% Var%
Veículos Equivalentes 4T08 3T08 4T07 2.008 2.007 Ano/Ano
4T08/3T08 4T08/4T07
Autovias 9.535.805 10.128.720 9.273.412 -5,9% 2,8% 37.985.692 28.967.782 31,1%
Centrovias 5.686.317 5.881.298 5.553.281 -3,3% 2,4% 22.224.692 20.724.823 7,2%
Intervias 13.134.404 13.881.620 12.832.938 -5,4% 2,3% 51.816.703 49.708.988 4,2%
Vianorte 7.283.769 7.821.138 7.064.441 -6,9% 3,1% 29.126.967 27.200.007 7,1%
Total: 35.640.295 37.712.776 34.724.072 -5,5% 2,6% 141.154.054 126.601.600 11,5%
Tarifa Média Var% Var%
4T08 3T08 4T07 2.008 2.007 Ano/Ano
(em R$ / veic. Equiv.) 4T08/3T08 4T08/4T07
Autovias 5,50 5,51 4,92 -0,2% 11,8% 5,23 5,61 -6,8%
Centrovias 8,81 8,84 7,47 -0,3% 17,9% 8,27 7,33 12,8%
Intervias 4,53 4,53 4,06 0,0% 11,6% 4,30 3,99 7,8%
Vianorte 6,42 6,43 5,83 -0,2% 10,1% 6,13 5,69 7,7%
Total: 5,86 5,86 5,20 0,0% 12,7% 5,56 5,27 5,5%

Em virtude dos sinais de desaceleração da economia brasileira, tendo em vista os


últimos indicadores da atividade interna, a companhia estima uma redução na taxa
Evolução do Tráfego (em Mil Veíc. Equiv.) de crescimento do tráfego pedagiado para os próximos trimestres.
+2,6%
+2,6%
-5,5%
-5,5%

Ajuste Autovias: Para um melhor entendimento do impacto real sobre o


37.713
crescimento de tráfego do período, apresentamos uma tabela com o Ajuste
34.724
7.821
35.640
Autovias, onde levamos em conta a média do volume de tráfego das praças de
7.064
7.284
São Simão e Santa Rita para o cálculo das variações de tráfego dos períodos. Os
12.833
13.882
13.134
períodos ajustados pela média foram: o 3º e 4º trimestres de 2007 e os 12 meses
de 2008. Para maiores informações vide “Ajuste Autovias” no Glossário.
5.553 5.881 5.686

9.273 10.129 9.536


Com o Ajuste Autovias o crescimento de tráfego no ano de 2008 foi de 6,9% em
4T07 3T08 4T08
relação a 2007.
Autovias Centrovias Intervias Vianorte

Veículos Equivalentes 2.008 2.007 Ano/Ano

Autovias (Média SR+SS)* 25.489.865 22.727.244 12,2%


Centrovias 22.224.692 20.724.823 7,2%
Intervias 51.816.703 49.708.988 4,2%
Vianorte 29.126.967 27.200.007 7,1%
Total: 128.658.227 120.361.062 6,9%
Tarifa Média
2.008 2.007 Ano/Ano
(em R$ / veic. Equiv.)
Autovias (Média SR+SS)* 7,80 7,15 9,1%
Centrovias 8,27 7,33 12,8%
Intervias 4,30 3,99 7,8%
Vianorte 6,13 5,69 7,7%
Total: 6,09 5,54 9,9%
*Ajuste Autovias: Média Santa Rita e São Simão
SS = São Simão
SR = Santa Rita
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 5 de 26

Reajuste de Tarifas: De acordo com o previsto nos contratos de concessão das


concessionárias paulistas, em 1º de julho de 2008 as tarifas de pedágio foram
reajustadas em 11,53% de acordo com a variação acumulada do IGP-M entre
junho/2007 e maio/2008.

Vale ressaltar o crescimento de 12,8% na tarifa média da concessionária


Centrovias em relação ao quarto trimestre de 2007. Esse aumento acima do
reajuste tarifário deu-se em virtude do término de obras de duplicação na Rodovia
Engenheiro Paulo Nilo Romano, SP-225, no trecho entre Itirapina e Dois Córregos.
Neste trecho há duas praças de pedágio (Praça de Dois Córregos – com cobrança
em sentido único, interior/capital; e a Praça de Brotas – com cobrança também em
sentido único, capital/interior) que reajustaram suas tarifas ao preço de pista dupla
no dia 10 de abril (2T08), de acordo com o contrato de concessão, estabelecido
pela ARTESP.
Tarifa Centrovias (R$) Antes da Duplicação Após a Duplicação Tarifa Atual
Praça de Dois Córregos 6,60 9,80 11,00
Praça de Brotas 5,80 8,60 9,60

CONCESSÕES FEDERAIS

Em dezembro de 2008, 3 concessionárias federais da OHL Brasil iniciaram


cobrança de pedágio. Sendo:
- 1 praça na Autopista Planalto Sul, início: 19 de dezembro;
- 2 praças na Autopista Fernão Dias, início: 19 de dezembro; e
- 2 praças na Autopista Régis Bittencourt, início: 29 de dezembro.

Deste modo, o tráfego pedagiado acumulado no período foi de 997,7 mil veículos
equivalentes, conforme demonstrado na tabela a seguir:

Tráfego Federais Veículos


Tarifa (R$)
(Desde o Inicio de Operação) Equivalentes
Planalto Sul 128.096 2,70
Fernão Dias 638.639 1,10
Régis Bittencourt 230.922 1,50
Total: 997.657 1,40*
* Tarifa Média

As tarifas de pedágio foram calculadas de acordo com os contratos assinados com


o Governo Federal em 14 de fevereiro de 2008, que estipulam que o valor
oferecido no leilão seja corrigido pela variação do IPCA de junho de 2007 ao mês
anterior do início da cobrança de pedágio na primeira praça de cada concessão,
corrigido anualmente na data de abertura da primeira praça.

Resalvamos que os números de tráfego apresentados em dezembro de 2008 não


servem de base para qualquer tipo de extrapolação, projeção, inferência ou
estimativa do volume de tráfego real para o ano de 2008, bem como para
projeções futuras. Lembramos que, para efeitos de análise, deve-se levar em
consideração o efeito sazonal do período assim como a conjuntura da economia
brasileira no periodo.
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 6 de 26

RECEITA

No 4T08 a OHL Brasil obteve uma receita bruta de R$212,3 milhões,


apresentando crescimento de 16,3% contra o 4T07. Esse crescimento está
diretamente relacionado ao aumento do tráfego (+2,6%) e também ao reajuste
contratual das tarifas de pedágio (+11,53%) em 01/07/2008 em nossas
Concessionárias Estaduais, além do início de cobrança de 5 praças em três
concessões federais.
Var% Var%
Receita Bruta (R$ mil) 4T08 3T08 4T07 2.008 2.007 Ano/Ano
4T08/3T08 4T08/4T07
Autovias 52.462 55.778 45.650 -5,9% 14,9% 198.823 162.489 22,4%
Centrovias 50.098 52.015 41.476 -3,7% 20,8% 183.790 151.887 21,0%
Intervias 59.462 62.894 52.124 -5,5% 14,1% 223.041 198.123 12,6%
Vianorte 46.783 50.254 41.161 -6,9% 13,7% 178.465 154.830 15,3%
Pedágios - Estaduais: 208.805 220.941 180.411 -5,5% 15,7% 784.119 667.329 17,5%
Planalto Sul 346 - - n.d. n.d. 346 n.d.
Fernão Dias 703 - - n.d. n.d. 703 - n.d.
Régis Bittencourt 346 - - n.d. n.d. 346 - n.d.
Pedágios - Federais: 1.395 - - n.d. n.d. 1.395 - n.d.
Receitas Acessórias 2.121 2.047 2.128 3,6% -0,3% 8.459 7.660 10,4%
Total da Receita Bruta: 212.321 222.988 182.539 -4,8% 16,3% 793.973 674.989 17,6%

Deduções dos Serv. Prestados Var% Var%


4T08 3T08 4T07 2.008 2.007 Ano/Ano
(R$ mil) 4T08/3T08 4T08/4T07
Autovias (4.589) (4.869) (4.000) -5,8% 14,7% (17.399) (14.259) 22,0%
Centrovias (4.394) (4.564) (3.647) -3,7% 20,5% (16.149) (13.815) 16,9%
Intervias (5.250) (5.533) (4.598) -5,1% 14,2% (19.718) (17.527) 12,5%
Vianorte (4.085) (4.388) (3.614) -6,9% 13,0% (15.617) (13.575) 15,0%
Total Estaduais: (18.318) (19.354) (15.859) -5,4% 15,5% (68.883) (59.176) 16,4%
Planalto Sul (27) - - n.d. n.d. (27) - n.d.
Fernão Dias (53) - - n.d. n.d. (53) - n.d.
Régis Bittencourt (28) - - n.d. n.d. (28) - n.d.
Total Federais (108) - - n.d. n.d. (108) - n.d.
Total: (18.426) (19.354) (15.859) -4,8% 16,2% (68.991) (59.176) 16,6%
Participação % na Receita Bruta -8,7% -8,7% -8,7% -8,7% -8,8%

Os tributos incidentes sobre nossa receita bruta registraram aumento em linha


com o crescimento da receita, mantendo a relação Deduções/Receita Bruta em
torno de 8,7%. Deste modo, nossa Receita Líquida cresceu 16,3% em relação ao
4T07, totalizando R$ 193,9 milhões.
Receita Líq. de Serviços Var% Var%
4T08 3T08 4T07 2.008 2.007 Ano/Ano
(R$ mil) 4T08/3T08 4T08/4T07
Autovias 48.308 51.307 42.095 -5,8% 14,8% 183.092 149.678 22,3%
Centrovias 46.180 47.978 38.290 -3,7% 20,6% 169.629 139.809 21,3%
Intervias 55.140 58.186 48.310 -5,2% 14,1% 206.815 183.649 12,6%
Vianorte 42.980 46.163 37.985 -6,9% 13,1% 164.159 142.677 15,1%
Total Estaduais: 192.608 203.634 166.680 -5,4% 15,6% 723.695 615.813 17,5%
Planalto Sul 319 - - n.d. n.d. 319 - n.d.
Fernão Dias 650 - - n.d. n.d. 650 - n.d.
Régis Bittencourt 318 - - n.d. n.d. 318 - n.d.
Total Federais 1.287 - - n.d. n.d. 1.287 - n.d.
Total: 193.895 203.634 166.680 -4,8% 16,3% 724.982 615.813 17,7%
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 7 de 26

Receitas de pedágios: meios eletrônicos

A receita com a cobrança eletrônica (Sistema AVI) nas praças de pedágio das
Concessões Estaduais no 4T08 representou 51,4%, contra 51,6% no 3T08 e
46,5% no 4T07.
51,6% 51,4%
46,5%
50,2% 48,9%
45,2%

50,4% 51,0%
45,6%

54,2% 54,4%
49,0%

46,3% 52,0% 51,3%

4T07 3T08 4T08


Autovias Centrovias Intervias Vianorte

CUSTOS TOTAIS

Os custos totais (custos dos serviços prestados, somados as despesas gerais e


administrativas, remuneração da administração, tributárias e outras receitas
operacionais) cresceram 7,4%, ou R$27,7 milhões, em relação ao ano de 2007.
Segue tabela demonstrando composição de nossos custos totais:

Custos Totais* (R$ mil) 2.008 2.007 Ano/Ano


Pessoal (63.136) (54.693) 15,4%
Serviços de Terc., Conserv. Rotina e Outros (110.656) (105.173) 5,2%
Depreciação e Amortização (175.501) (162.417) 8,1%
Amortização do Ônus Fixo (26.988) (27.307) -1,2%
Ônus Variável (24.555) (20.752) 18,3%
Tributárias (2.772) (5.563) -50,2%
Custo e Despesas Operacionais (403.608) (375.905) 7,4%
* Inclui despesas gerais e administrativas, remuneração da administração, tributárias e outras receitas
operacionais.

O aumento de R$ 27,7 milhões nos custos totais da companhia ocorreu devido


aos seguintes fatores:

(i) R$8,4 milhões resultam do aumento de custo com “Pessoal” em razão


do crescimento do quadro de empregados e do dissídio coletivo de 5%
ocorrido no mês de março de 2008;
(ii) Aumento de R$5,4 milhões com custos e despesas de serviços
profissionais, de serviços de terceiros e principalmente de conserva de
rotina em razão do término de obras de duplicação na Rodovia
Engenheiro Paulo Nilo Romano, SP-225, no trecho entre Itirapina e
Dois Córregos na concessionária Centrovias;
(iii) R$13,0 milhões resultaram da finalização de investimentos e
consequente início de depreciação de diversas obras executadas nas
concessionárias ao longo de 2008, principalmente na concessionária
Centrovias. Além disso, a contabilização da depreciação e
amortização foi ajustada de modo a nos adequarmos a lei nº
11.638/07;
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 8 de 26

(iv) Redução de R$319 mil na conta de “Amotização do Ônus Fixo”, em


virtude da contabilização do Ônus Fixo à valor presente, visando nos
adequarmos a lei nº11.638/07;
(v) R$3,3 milhões do aumento do custo com “Ônus Variável”, em função
do crescimento da receita bruta de nossas concessinárias;
(vi) Redução de R$2,8 milhões em nossas despesas “Tributárias”
basicamente em virtude da extinção da CPMF no início do ano de
2008.

EBITDA e EBITDA AJUSTADO

EBITDA

O EBITDA da companhia no 4T08 foi de R$139,6 milhões, crescendo 20% em


relação ao 4T07, apresentando Margem EBITDA de 72,0% ante 69,8% ao 4T07.
Em 2008, a companhia apresentou um EBITDA de R$523,9 milhões, +21,9% em
relação a 2007.

EBITDA Ajustado

O EBITDA Ajustado do 4T08 alcançou R$126,5 milhões, com um crescimento de


21% em relação ao 4T07. A margem EBITDA Ajustado atingiu 65,2%, um
crescimento de 2,5pp em relação aos 62,7% apresentados no 4T07. Em 2008, a
companhia apresentou um EBITDA Ajustado de R$474,1 milhões, +23,6% em
relação a 2007.

Var% Var%
EBITDA e EBITDA Ajustado (R$ mil) 4T08 3T08 4T07 2.008 2.007 Ano/Ano
4T08/3T08 4T08/4T0
Receita Líquida de Serviços 193.895 203.634 166.680 -4,8% 16,3% 724.982 615.813 17,7%
Custo e Despesas Operacionais (54.305) (45.231) (50.383) 20,1% 7,8% (201.119) (186.096) 8,1%
Custos Operacionais (Ex. Amort. e Depre.) (32.613) (27.504) (29.285) 18,6% 11,4% (118.339) (112.328) 5,4%
Ônus Variável (6.533) (6.872) (5.681) -4,9% 15,0% (24.555) (20.752) 18,3%
Despesas Gerais, Administrativas e Outras* (Ex. Amort.) (15.159) (10.855) (15.417) 39,6% -1,7% (50.325) (53.016) -5,1%

EBITDA 139.590 158.403 116.297 -11,9% 20,0% 523.863 429.717 21,9%


% EBITDA S/ Rec. Líquida 72,0% 77,8% 69,8% 72,3% 69,8%

(-) Ônus Fixo pago (Fluxo de Caixa) (13.117) (13.118) (11.761) 0,0% 11,5% (49.759) (46.057) 8,0%
Autovias (1.381) (1.381) (1.238) 0,0% 11,6% (5.239) (4.849) 8,0%
Centrovias (2.066) (2.066) (1.853) 0,0% 11,5% (7.839) (7.256) 8,0%
Intervias (1.286) (1.288) (1.152) -0,2% 11,6% (4.878) (4.515) 8,0%
Vianorte (8.384) (8.383) (7.518) 0,0% 11,5% (31.803) (29.437) 8,0%

EBITDA Ajustado 126.473 145.285 104.536 -12,9% 21,0% 474.104 383.660 23,6%
% EBITDA Ajustado S/ Rec. Líquida 65,2% 71,3% 62,7% 65,4% 62,3%
* inclui despesas gerais, administrativas, remuneração da administração, tributárias e outras receitas operacionais.
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 9 de 26

No gráfico a seguir podemos observar a evolução do EBITDA Ajustado e da


Margem EBITDA Ajustado desde o 1T07. Verificamos que houve um crescimento
continuo, se comparamos os trimestres com seus equivalentes em anos
anteriores.
Evolução EBITDA Ajustado (R$ Milhões)

71,3%
66,1% 63,6% 65,2%
61,8% 62,7%
59,9% 59,8%

145,3
126,5
112,0 104,5 109,0
87,9 93,3
82,4

1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 4T08

EBITDA Ajustado % EBITDA Ajustado S/ Rec. Líquida

Ônus Fixo Pago ao Poder Concedente

No 4T08 pagamos ao poder concedente R$ 13,1 milhões a título de ônus fixo. No


exercício de 2008 pagamos ao poder concedente R$49,8 milhões. Deste modo,
em 31/12/08 a quantidade de parcelas a serem pagas de ônus fixo estava
representada da seguinte forma:

Concessionárias Curto Prazo Longo Prazo Total


Autovias 12 104 116
Centrovias 12 101 113
Intervias 12 121 133
Vianorte 12 98 110

RESULTADO FINANCEIRO

Nossas Despesas Financeiras Líquidas apresentaram uma redução de 63,9% ou


R$34,8 milhões no 4T08 em relação ao 3T08, totalizando R$ 19,7 milhões. A
tabela a seguir mostra a composição de nosso resultado financeiro.

Var% Var%
Resultado Financeiro (R$ mil) 4T08 3T08 4T07 2.008 2.007 Ano/Ano
4T08/3T08 4T08/4T07
Receitas Financeiras 16.752 6.222 2.209 169,2% 658,4% 28.832 11.895 142,4%
Despesas Financeiras (36.319) (60.696) (34.784) -40,2% 4,4% (173.043) (120.701) 43,4%
BNDES/CEF (2.939) (3.748) (7.933) -21,6% -63,0% (21.078) (33.345) -36,8%
Outras Despesas Financeiras (23.569) (46.446) (8.891) -49,3% 165,1% (95.744) (39.429) 142,8%
Atualização Monetária do Ônus Fixo (9.811) (10.502) (17.960) -6,6% -45,4% (56.221) (47.927) 17,3%
Variação Cambial Líquida (152) (79) (119) 92,4% 27,7% (186) (66) 181,8%
Resultado Financeiro Líquido (19.719) (54.553) (32.694) -63,9% -39,7% (144.397) (108.872) 32,6%
% Receita Líquida (10,2%) (26,8%) (19,6%) (19,9%) (17,7%)
* Nos períodos analisados as Despesas com “Atualização Monetária do Ônus Fixo” foram ajustadas de modo a refletirem as normas contábeis
introduzidas pela lei nº 11.638/07. Para maiores informações vide “Mudança nas Praticas Contábeis” no Glossário.
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 10 de 26

A redução no resultado financeiro líquido do 4T08 deu-se basicamente em função


de dos seguintes fatores:
(i) Aumento de R$10,5 milhões em nossa conta de “Receitas
Financeiras” em virtude de rendimentos e aplicações financeiras;
(ii) Redução de R$809 mil nas despesas relacionadas a BNDES/CEF
devido a redução do saldo devedor;
(iii) Redução de R$22,9 milhões em relação ao terceiro trimestre, na conta
“Outras Despesas Financeiras”, em virtude de despesas de IOF
decorrentes de operações de mútuo realizado pela companhia no
3T08;
(iv) Redução de R$691 mil nas despesas com “Atualização Monetária do
Ônus Fixo”, em virtude da ligeira redução do IGP-M no período; e
(v) Aumento de R$73 mil nas despesas com Variação Cambial.

No gráfico a seguir, podemos visualizar a variação do IGP-M trimestralmente


desde o 4T07 até 4T08.
IGP-M Trimestral

4,3%
3,5%
2,4%
1,5% 1,2%

4T07 1T08 2T08 3T08 4T08

LUCRO LÍQUIDO

O Lucro Líquido da companhia no 4T08 foi de R$46,4 milhões, representando um


aumento de 112,4% em relação ao 4T07. Este crescimento está diretamente
relacionado ao crescimento do tráfego e ao reajuste tarifário ocorrido em
julho/2008, ambos já comentados anteriormente.

Com relação ao 3T08, o crescimento do Lucro Líquido foi de 50,8%. Embora


sazonalmente o 3º trimestre do ano seja o período que há o maior volume de
tráfego, em 2008 o resultado do 3º trimestre foi fortemente impactado pelo
resultado financeiro, (ver “Resultado Financeiro”), apresentando assim um
resultado menor ante ao 4T08.

No ano de 2008, o Lucro Líquido foi de R$105,4 milhões, representando um


crescimento de 42% em relação ao ano anterior. Além do crescimento do volume
de veículos pedagiados e do reajuste tarifário, este aumento sobre 2007, ocorreu
também em virtude do desdobramento da praça de São Simão em meados de
2007, fazendo assim com que a concessionária passasse a ter 5 praças de
pedágio.
Lucro Líquido (R$ milhões)

+42,0%

+112,4% 105,4
+50,8%

74,3
46,4
30,8
21,9

4T07 3T08 4T08 2007 2008


Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 11 de 26

ENDIVIDAMENTO

O endividamento líquido da companhia encerrou o 4T08 em R$915,4 milhões, com


um crescimento de 40,4% ou R$263,6 milhões em relação ao 3T08.

Endividamento Líquido (R$ Var% Var%


4T08 3T08 4T07
Mil) 4T08/3T08 4T08/4T07
Dívida Bruta 1.036.716 1.011.661 517.859 2,5% 100,2%
Curto Prazo 101.646 79.059 119.204 28,6% -14,7%
Longo Prazo 935.070 932.602 398.655 0,3% 134,6%
Caixa e bancos 42.827 26.403 13.839 62,2% 209,5%
Aplicações Financeiras 73.457 326.064 50.600 -77,5% 45,2%
Aplicações Financeiras (LP) 5.036 7.392 16.807 -31,9% -70,0%
Total Disp. e Aplicações 121.320 359.859 81.246 -66,3% 49,3%
Dívida Líquida 915.396 651.802 436.613 40,4% 109,7%

O crescimento do endividamento líquido da Companhia em relação ao terceiro


trimestre de 2008 reflete a redução do caixa da companhia no período (-R$238,5
milhões) basicamente em função do maior volume de investimentos realizados nas
concessionárias federais.

Em razão do aumento do endividamento líquido, nosso Grau de Alavancagem


medido pela relação Divida Líquida/EBITDA Ajustado (últimos 12 meses) passou a
ser de 1,9x, conforme demonstrado no gráfico a seguir:

Grau de Alavancagem e Dívida Líquida (R$ Milhões) 1,9x

1,5x 1,5x
1,4x 1,3x 1,4x

1,1x 1,1x
1,0x
915

652
429 417 467 456 437 416 471

4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 4T08

Dívida Líquida Dívida Líquida/ EBITDA Ajustado (ult. 12 meses)

Abaixo apresentamos a composição dos indexadores de nosso endividamento:

Var% Var%
Endividamento (R$ Mil) 4T08 3T08 4T07
4T08/3T08 4T08/4T07
Indexadores da Dívida
TJLP 116.746 112.389 296.315 3,9% -60,6%
CDI 919.482 895.006 220.290 2,7% 317,4%
Outros 488 4.266 1.254 -88,6% -61,1%
Total 1.036.716 1.011.661 517.859 2,5% 100,2%
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 12 de 26

Segue gráfico com a evolução do endividamento bruto da companhia:

Dívida Bruta (R$ Milhões)


1.012 1.037

691 690
590 585
537 517 518
933 935
375 355
327 250
246
407 399

335 291 316 335


263
110 119 79 102

4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 4T08


Curto Prazo Longo Prazo

A seguir apresentamos o cronograma financeiro atual de amortização do


endividamento da Companhia.

Cronograma Financeiro de Amortização (R$ milhões)

886,7

101,6
21,5 18,1 8,7

2009 2010 2011 2012 2013

Notas Promissórias (NP’s): Para fazer frente aos investimentos a serem


realizados em nossas concessionárias federais, em janeiro de 2009, foram
emitidas Notas Promissórias em nome das 5 concessionárias federais, atingindo
um valor total de R$200 milhões, com vencimento de 180 dias, e um custo de taxa
DI + 5,00% a.a. O repagamento dessas NP’s será realizado via empréstimo ponte
junto ao BNDES.

BNDES (Concessões Federais): Em 10 de novembro de 2008 foi aprovado o


enquadramento junto ao BNDES do pedido de financiamento de longo prazo de
até 70% do CapEx dos 6 primeiros anos de nossas concessões federais.
Acreditamos que o fechamento desta operação de financiamento de longo prazo
ocorra em aproximadamente 8 meses.

Como primeira etapa do referido financiamento de longo prazo, estamos


negociando junto ao BNDES a obtenção de um “empréstimo ponte” cujo o
desembolso poderá se iniciar no primeiro trimestre de 2009 de forma a garantir o
desenvolvimento dos programas de investimento das concessões federais.
Estimamos o vencimento deste “empréstimo ponte” em 18 meses e custo próximo
a 13,75% + 2,6% a.a..
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 13 de 26

INVESTIMENTOS

Os investimentos no 4T08 somaram R$679,5 milhões. Abaixo apresentamos a


composição dos investimentos realizados em cada trimestre e no acumulado de
2008:

Investimentos -
1T08 % 2T08 % 3T08 % 4T08 % 2008 %
Fluxo de Caixa (R$ mil)
Autovias 11.243 22,7% 9.844 10,3% 18.383 7,4% 7.885 2,8% 47.355 7,0%
Centrovias 16.312 32,9% 12.293 12,8% 19.283 7,7% 9.253 3,3% 57.141 8,4%
Intervias 5.623 11,3% 7.903 8,2% 14.012 5,6% 15.448 5,4% 42.986 6,3%
Vianorte 7.940 16,0% 10.378 10,8% 20.659 8,3% 10.241 3,6% 49.218 7,2%
Estaduais 41.118 82,8% 40.418 42,1% 72.337 28,9% 42.827 15,1% 196.700 28,9%
Federais 7.591 15,3% 47.444 49,4% 172.085 68,9% 301.309 106,1% 528.427 77,8%
Outros* 921 1,9% 8.093 8,4% 5.477 2,2% (60.091) -21,2% (45.600) -6,7%
Total Concessionárias 49.630 100,0% 95.955 100,0% 249.899 100,0% 284.045 100,0% 679.527 100,0%
* Investimentos em outras sociedades e ajustes de consolidação.

Concessões Estaduais: Foram investidos em nossas concessionárias estaduais


ao longo do ano de 2008 R$196,7 milhões. As principais obra realizadas em 2008
foram:
(i) Recuperação de pavimento ao longo da rodovia SP-310 – Rodovia
Washington Luis e implantação de viaduto no município de
Cordeirópolis (SP) (Centrovias);
(ii) Implantação de dispositivo de entroncamento na SP-147, Km 64 –
Mogi Mirim (SP) (Intervias);
(iii) Implantação de retornos e passarelas (Autovias);
(iv) Implantação de via marginal pavimentada, SP-322 – localizado entre
Pitangueiras e Ibitiuva (Vianorte).

A seguir apresentamos o gráfico dos investimentos realizados pelas


concessionárias estaduais nos últimos dois anos e a expectativa para os próximos
cinco anos.

Investimentos Realizados e Esperados -


Concessões Estaduais (R$ Milhões)*

250

197
170

100
80
60 60

2007 2008 2009E 2010E 2011E 2012E 2013E

* Realizados: Fluxo de Caixa – Estimados: Valores reais, com base em Dezembro de 2008

Atualizamos nossas projeções de investimentos para cumprir com nossas


obrigações decorrentes dos contratos de concessão estaduais no decorrer dos
próximos anos. A nova previsão incorpora o aumento nos preços de materiais e
equipamentos até dezembro de 2008, além de novas obras e projetos para
atender readequações contratuais. Ressaltamos que algumas readequações ainda
estão pendentes de aprovação junto a ARTESP.
Dentre as principais obras para 2009 está a implantação da bi-direcionalidade em
2 praças da concessionária Centrovias.
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 14 de 26

Concessões Federais: Ao longo do ano de 2008 foram investidos cerca de


R$528,4 milhões em nossas concessionárias federais. Dentre as principais obras
realizadas estão: (i) execução dos trabalhos iniciais de recuperação das rodovias,
tais como recuperação dos pavimentos e obras de arte, melhoria na sinalização e
cortes de vegetação e (ii) construção das praças de pedágio.

Em razão da defasagem no início da construção das praças de pedágio, face ao


atraso na liberação de licenças e autorizações, revisamos nosso cronograma de
investimentos para os próximos 6 anos.

Investimentos Realizados e Esperados -


Concessões Estaduais (R$ Milhões)*

1.235 1.233
1.102

528 531

194

2008 2009E 2010E 2011E 2012E 2013E


* Realizados: Fluxo de Caixa – Estimados: Valores reais, com base em Dezembro de 2008

Segue tabela contendo estimativas para abertura de cada praça de pedágio.

Autopista Planalto Sul


Praça Localização Status Início de Cobrança
P5 BR 116/ Km 233 - SC Em Operação Cobrança desde: 19/12/2008
P4 BR 116/ Km 152 - SC Em Operação Cobrança desde: 18/01/2009
P2 BR 116/ Km 204 - PR Em Operação Cobrança desde: 04/02/2009
P3 BR 116/ Km 081 - SC Em Operação Cobrança desde: 04/02/2009
P1 BR 116/ Km 134 - PR Em Operação Cobrança desde: 22/02/2009

Autopista Fluminense
Praça Localização Status Início de Cobrança
P1 BR 101/ Km 040 - RJ Em Operação Cobrança desde: 02/02/2009
P2 BR 101/ Km 123 - RJ Em Operação Cobrança desde: 09/02/2009
P5 BR 101/ Km 299 - RJ Em Operação Cobrança desde: 10/02/2009
P3 BR 101/ Km 192 - RJ Em Construção Início previsto para: Mar/09
P4 BR 101/ Km 252 - RJ Em Construção Início previsto para: Abr/09

Autopista Fernão Dias


Praças Localização Status Início de Cobrança
P6 BR 381/ Km 659 - MG Em Operação Cobrança desde: 19/12/2008
P8 BR 381/ Km 546 - MG Em Operação Cobrança desde: 19/12/2008
P2 BR 381/ Km 007 - SP Em Operação Cobrança desde: 09/01/2009
P4 BR 381/ Km 805 - MG Em Operação Cobrança desde: 18/02/2009
P5 BR 381/ Km 733 - MG Em Operação Cobrança desde: 10/03/2009
P7 BR 381/ Km 596 - MG Em Operação Cobrança desde: 10/03/2009
P3 BR 381/ Km 902 - MG Em Construção Início previsto para: Mar/09
P1 BR 381/ Km 065 - SP Em Construção Início previsto para: Jun/09
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 15 de 26

Autopista Régis Bittencourt


Praça Localização Status Início de Cobrança
P1 BR 116/ Km 298 - SP Em Operação Cobrança desde: 29/12/2008
P4 BR 116/ Km 485 - SP Em Operação Cobrança desde: 29/12/2008
P2 BR 116/ Km 370 - SP Em Operação Cobrança desde: 22/02/2009
P3 BR 116/ Km 426 - SP Em Operação Cobrança desde: 10/03/2009
P6 BR 116/ Km 057 - PR Em Construção Início previsto para: Mar/09
P5 BR 116/ Km 542 - SP Em Construção Início previsto para: Mai/09

Autopista Litoral Sul


Praça Localização Status Início de Cobrança
P1 BR 376/ Km 637 - PR Em Operação Cobrança desde: 22/02/2009
P2 BR 101/ Km 001 - SC Em Operação Cobrança desde: 22/02/2009
P4 BR 101/ Km 159 - SC Em Construção Início previsto para: Mar/09
P3 BR 101/ Km 079 - SC Em Construção Início previsto para: Abr/09
P5 BR 101/ Km 220 - SC Em Construção Início previsto para: Abr/09

Os serviços de atendimento ao usuário como socorro mecânico, atendimento


médico de emergência, telefones 0800, viaturas de inspeção de tráfego, de
combate a incêndio e apreensão de animais, foram iniciados em 15 de agosto de
2008.

Quaisquer fatos ou atrasos nos investimentos que modifiquem as condições


contratuais deverão ser motivos de reequilíbrio econômico-financeiro dos contratos
no futuro.

QUADRO DE PESSOAL

A seguir apresentamos a composição e evolução do quadro de pessoal da OHL


Brasil e de suas controladas, tendo em vista o inicio do programa de contratação
para os trabalhos de recuperação das concessões federais e estruturação das
respectivas áreas administrativas.

Quadro de Pessoal 31/12/08 30/9/08 Variação


OHL (Holding) 64 72 -8
Autovias 186 189 -3
Centrovias 175 177 -2
Intervias 579 577 2
Vianorte 260 264 -4
Litoral Sul 147 97 50
Planalto Sul 108 39 69
Fluminense 133 124 9
Fernão Dias 301 225 76
Régis Bittencourt 237 138 99
Paulista 262 236 26
Latina 1.151 1017 134
Total 3.603 3.155 448
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 16 de 26

MERCADO DE CAPITAIS

Ao longo do ano as ações da OHL Brasil apresentaram uma desvalorização de


44,1%, contra -41,2% do IBOVESPA.

130

Base 100 (28/12/2007)


115
100
85
70 58,8
55 55,9
40
dez-07 fev-08 mar-08 abr-08 jun-08 jul-08 ago-08 out-08 nov-08 dez-08

OHLB3 IBOV

Média Diária 4T08 3T08 4T07 4T08/3T08 4T08/4T07


Nº de Negócios 130 169 331 -23,3% -60,7%
Nº de Ações Negociadas 161.901 194.778 358.129 -16,9% -54,8%
Volume Financeiro (R$ Milhões) 2,10 4,82 10,73 -56,3% -80,4%

COMPOSIÇÃO ACIONÁRIA

A seguir quadro com a composição acionária da companhia em 31/12/2008:

Composiação Acionária Nº Ações %


Partícipes en Brasil S.L. (OHL) 41.333.326 60,0%
Skopos Adm. De Recursos Ltda. 7.105.800 10,3%
Credit Suisse Hedging Griffo 3.648.400 5,3%
Kendall Develops S.L. 3.444.445 5,0%
Conselho Administrativo 7 0,0%
Outros 13.356.910 19,4%
Total 68.888.888 100,0%

ESTRUTURA SOCIETÁRIA
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 17 de 26

QUEM SOMOS

A OHL Brasil S.A. é maior Companhia do setor de concessões de rodovias no


Brasil em quilômetros administrados, com 3.226 Km em operação. Através de
suas nove concessionárias, a OHL Brasil administra rodovias localizadas nos
Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraná.
Atualmente, detém 100% do capital das seguintes concessões estaduais:
Autovias, Centrovias, Intervias e Vianorte; e das concessões federais: Autopista
Fernão Dias, Autopista Regis Bittencourt, Autopista Litoral Sul, Autopista Planalto
Sul e Autopista Fluminense.

A Companhia é uma empresa brasileira controlada pela OHL Concesiones,


sociedade espanhola que desenvolve suas atividades na área de promoção de
infra-estrutura, incluindo a seleção de projetos, participação em licitações,
financiamento, construção e operação dos mesmos. Atualmente, a OHL
Concesiones, além de ser acionista majoritária da OHL Brasil, administra diversas
sociedades concessionárias de rodovias na Espanha, Chile, México e Argentina. A
OHL Concesiones é subsidiária integral do grupo espanhol OHL, um dos líderes
dos setores de construção e concessão na Espanha.

Para maiores informações acesse:

www.ohlbrasil.com.br

CARTEIRA DE ATIVOS DE CONCESSÃO

Abaixo apresentamos as principais informações referentes a nossa carteira de


concessões:

Praças de Prazo Final Pagto. do Prazo Final da Indexador do


Concessionárias Km
Pedágio Ônus Fixo Concessão Contrato
Concessões Estaduais
Autovias 316,6 5 ago/2018 ago/2018 IGP-M
Centrovias 218,2 5 jun/2018 jun/2019 IGP-M
Intervias 375,7 9 fev/2020 jan/2028 IGP-M
Vianorte 236,6 4 mar/2018 mar/2018 IGP-M

Concessões Federais
Litoral Sul 382,3 5 n.a. fev/2033 IPCA
Planalto Sul 412,7 5 n.a. fev/2033 IPCA
Fluminense 320,1 5 n.a. fev/2033 IPCA
Fernão Dias 562,1 8 n.a. fev/2033 IPCA
Regis Bittencourt 401,6 6 n.a. fev/2033 IPCA

Este comunicado contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de


resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas de crescimento da OHL Brasil. Essas são
apenas projeções e, como tal, baseiam-se exclusivamente nas expectativas da administração da OHL
Brasil em relação ao futuro do negócio e seu contínuo acesso a capitais para financiar o plano de
negócios da Companhia. Tais considerações futuras dependem, substancialmente, de mudanças nas
condições de mercado, regras governamentais, pressões da concorrência, do desempenho do setor e
da economia brasileira, entre outros fatores e estão, portanto, sujeitas a mudanças sem aviso prévio.
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 18 de 26

ANEXO 1 DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS CONSOLIDADOS

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A.


DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS CONSOLIDADOS
(em R$ Mil)
Var% Var%
4T08 3T08 4T07 4T08/3T08 4T08/4T07 2008 2007 Ano/Ano
RECEITA BRUTA DE SERVIÇOS 212.321 222.988 182.539 -4,8% 16,3% 793.973 674.989 17,6%
Receita Pedágios - Estaduais 208.805 220.941 180.411 -5,5% 15,7% 784.119 667.329 17,5%
Autovias 52.462 55.778 45.650 -5,9% 14,9% 198.823 162.489 22,4%
Centrovias 50.098 52.015 41.476 -3,7% 20,8% 183.790 151.887 21,0%
Intervias 59.462 62.894 52.124 -5,5% 14,1% 223.041 198.123 12,6%
Vianorte 46.783 50.254 41.161 -6,9% 13,7% 178.465 154.830 15,3%
Receita de Pedágio - Federais 1.395 - - n.d. n.d. 1.395 - n.d.
Planalto Sul 346 - - n.d. n.d. 346 - n.d.
Fernão Dias 703 - - n.d. n.d. 703 - n.d.
Régis Bittencourt 346 - - n.d. n.d. 346 - n.d.
Outras Receitas 2.121 2.047 2.128 3,6% -0,3% 8.459 7.660 10,4%

Deduções dos serviços prestados (18.426) (19.354) (15.859) -4,8% 16,2% (68.991) (59.176) 16,6%

RECEITA LÍQUIDA DE SERVIÇOS 193.895 203.634 166.680 -4,8% 16,3% 724.982 615.813 17,7%

CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS (85.031) (84.156) (80.005) 1,0% 6,3% (331.714) (309.657) 7,1%
Custos Operacionais (32.613) (27.504) (29.285) 18,6% 11,4% (118.339) (112.328) 5,4%
Ônus Variável (6.533) (6.872) (5.681) -4,9% 15,0% (24.555) (20.752) 18,3%
Depreciação de Imobilizado (39.583) (42.476) (38.291) -6,8% 3,4% (161.832) (149.270) 8,4%
Amortização da Outorga (Intangível) (6.302) (7.304) (6.748) -13,7% -6,6% (26.988) (27.307) -1,2%

OUTRAS RECEITAS - - - n.d. n.d. - 85 n.d.


Outras receitas - - - n.d. n.d. - 85 n.d.

LUCRO BRUTO 108.864 119.478 86.675 -8,9% 25,6% 393.268 306.241 28,4%

(DESPESAS) RECEITAS OPERACIONAIS (18.703) (14.296) (18.701) 30,8% 0,0% (71.894) (66.248) 8,5%
Gerais e administrativas (7.194) (10.595) (8.993) -32,1% -20,0% (50.325) (44.849) 12,2%
Remuneração da Administração (7.570) (77) (4.852) 9731,2% n.d. (7.812) (5.090) 53,5%
Amortização de Investimentos (3.544) (3.441) (3.284) 3,0% 7,9% (13.669) (13.147) 4,0%
Tributárias (790) (852) (2.468) -7,3% -68,0% (2.772) (5.563) -50,2%
Outras Receitas Operacionais 395 669 896 -41,0% -55,9% 2.684 2.401

Amortização de ágio em investimentos (2.355) (2.354) (2.354) 0,0% 0,0% (9.419) (9.419) 0,0%

Receitas (despesas) financeiras líquidas (19.719) (54.553) (32.694) -63,9% -39,7% (144.397) (108.872) 32,6%

LUCRO ANTES DOS EFEITOS TRIBUTÁRIOS 68.087 48.275 32.926 41,0% 106,8% 167.558 121.702 37,7%

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (21.650) (17.477) (11.058) 23,9% 95,8% (62.120) (47.442) 30,9%
Correntes (16.377) (15.942) (9.790) 2,7% 67,3% (53.300) (44.163) 20,7%
Diferidos (5.273) (1.535) (1.268) 243,5% 315,9% (8.820) (3.279) 169,0%

LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO 46.437 30.798 21.868 50,8% 112,4% 105.438 74.260 42,0%
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 19 de 26

ANEXO 2 BALANÇOS PATRIMONIAIS CONSOLIDADOS

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A


BALANÇOS PATRIMONIAIS LEVANTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008, CONSOLIDADOS
30 DE SETEMBRO 2008 E 31 DE DEZEMBRO DE 2007 (em R$ Mil)
Consolidado
4T08 3T08 4T07
ATIVO

CIRCULANTE
Caixa e Bancos 42.827 26.403 13.839
Aplicações Financeiras 73.457 326.064 50.600
Contas a Receber 38.449 44.988 30.366
Contas a Receber - Sociedades Ligadas 87 87 87
Estoques 3.390 3.453 1.479
Despesas Antecipadas 4.771 9.119 3.714
IR e CS Diferidos 5.222 5.104 5.976
Impostos a Recuperar 11.875 3.429 2.600
Adiantamento para novos projetos 247 1.938 6.839
Outros Créditos 4.957 8.364 2.720
Total do Ativo Circulante 185.282 428.949 118.220

NÃO CIRCULANTE
Realizável a Longo Prazo: 19.672 28.863 39.326
Aplicações Financeiras Restritas 5.036 7.392 16.807
Impostos a Recuperar 1.717 10.948 8.290
IR e CS Diferidos 8.001 9.079 12.627
Despesas Antecipadas - 14 195
Depósitos Judiciais 4.772 1.421 1.407
Outras contas a receber 146 9 -
Investimentos 1.053 77.968 1.053
Imobilizado 1.817.522 1.510.670 1.194.591
Intangivel 376.236 300.732 414.068
Diferido 158.507 64.345 -
Total do Ativo não Circulante 2.372.990 1.982.578 1.649.038

TOTAL DO ATIVO 2.558.272 2.411.527 1.767.258

PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

CIRCULANTE
Empréstimos e Financiamentos 101.646 79.059 119.204
Fornecedores 124.662 91.160 32.005
Obrigações Sociais 20.921 21.224 11.063
Obrigações Fiscais 54.919 32.532 17.896
IR e CS Diferidos 4.576 724 886
Outras contas a pagar 22.473 7.814 4.751
Provisões Diversas - Soc.Ligadas 978 826 824
Cauções Contratuais 24.944 18.399 5.671
Credores pela Concessão 54.533 53.861 49.153
Provisões Diversas - - -
Dividendos Propostos 25.041 - 17.785
Total do Circulante 434.693 305.599 259.238

NÃO CIRCULANTE
Empréstimos e Financiamentos 935.070 932.602 398.655
Fornecedores - - 32
Credores pela Concessão 361.660 365.756 360.141
Provisões para contingências 3.495 4.923 5.995
Receita Diferida 429 751 391
IR e CS Diferidos 9.022 9.354 9.303
Outras contas a pagar 10 7 7
Total do Exigível a Longo Prazo 1.309.686 1.313.393 774.524

PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital Social 549.083 549.083 549.083
Reserva Legal 17.826 12.554 12.554
Reserva de Lucros 269.255 194.168 194.130
Lucros (Prejuizos) do Período - 59.001 0
Ajuste do patrimônio líquido - variação cambial (22.271) (22.271) (22.271)
Total do Patrimônio Líquido 813.893 792.535 733.496

TOTAL DO PASSIVO E DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 2.558.272 2.411.527 1.767.258


Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 20 de 26

ANEXO 3 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CONSOLIDADOS


OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A
DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CONSOLIDADOS
(em R$ Mil)

2008 2007 Ano/Ano

FLUXO DE CAIXA DE ATIVIDADES OPERACIONAIS


Lucro líquido 105.438 74.260 42,0%
Ajustes para conciliar o lucro líquido com caixa gerado pelas atividades operacionais:
Depreciação e amortização 202.489 189.724 6,7%
Amortização de (deságio) ágio em investimentos 9.419 9.419 0,0%
Baixa de ativos permanentes 4.509 4.075 10,7%
Imposto de renda e contribuição social diferidos 8.820 3.279 169,0%
(Receitas) despesas de juros, líquidas 143.217 111.392 28,6%
Reversão de receita diferida 38 18 111,1%
Redução (Aumento) de Provisão para Contingencias (2.500) 2.149 n.d.

Redução (aumento) dos ativos operacionais:


Contas a receber (8.215) (4.167) 97,1%
Estoques (1.911) (265) 621,1%
Despesas antecipadas (876) (132) 563,6%
Impostos a recuperar (2.702) (4.280) -36,9%
Outros (5.602) (3.626) 54,5%

Aumento (redução) dos passivos operacionais:


Fornecedores 31.571 14.166 122,9%
Obrigações sociais 8.861 2.468 259,0%
Obrigações fiscais 27.146 1.279 2022,4%
Cauções contratuais (5.949) - n.d.
Outros 7.924 1.752 352,3%

CAIXA LÍQUIDO (UTILIZADO NAS) GERADO PELAS ATIVIDADES OPERACIONAIS 521.677 401.511 29,9%

FLUXO DE CAIXA DE ATIVIDADES DE INVESTIMENTO


Acréscimos às aplicações financeiras restritas (2.476) (1.477) 67,6%
Valor resgatado dos depósitos vinculados 15.869 8.350 90,0%
Adiantamento para novos projetos 6.592 - n.d.
Pagamentos do ativo imobilizado (679.527) (250.405) 171,4%
Adições ao diferido (158.528) - n.d.
Adições ao intangível (11.931) - n.d.

CAIXA LÍQUIDO UTILIZADO NAS ATIVIDADES DE INVESTIMENTO (830.001) (243.532) 240,8%

FLUXO DE CAIXA DE ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO


Empréstimos e financiamentos:
Captações 1.002.033 394.719 153,9%
Pagamentos (574.367) (539.844) 6,4%
Pagamento de credores pela concessão (49.759) (45.874) 8,5%
Pagamento de dividendos (17.738) (41.815) -57,6%

CAIXA LÍQUIDO (UTILIZADO NAS) GERADO PELAS ATIVIDADES DE FINANCIAMENTO 360.169 (232.814) n.d.

AUMENTO (DIMINUIÇÃO) DE DISPONIBILIDADES 51.845 (74.835) n.d.

DISPONIBILIDADES NO INÍCIO DO PERÍODO 64.439 139.274 -53,7%

DISPONIBILIDADES NO FIM DO PERÍODO 116.284 64.439 80,5%

DIVULGAÇÃO COMPLEMENTAR DE INFORMAÇÕES SOBRE FLUXOS DE CAIXA


Caixa pago no ano:
Juros pagos 45.819 39.452 16,1%
Impostos sobre a renda 44.848 31.735 41,3%
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 21 de 26

ANEXO 4 DEMONSTRAÇÃO DE VALOR ADICIONADO

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A.


DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADCIONADO
(em R$ Mil)
2008 2007

Receitas Totais 795.396 676.485


Venda de Serviços 790.315 671.803
Outras Receitas 5.081 4.682

Insumos Adquiridos de Terceiros (195.065) (171.723)


Custos dos Serviços Vendidos (103.891) (88.158)
Custo da Concessão (85.779) (74.871)
Outros (5.395) (8.694)

Valor Adicionado Bruto 600.331 504.762

Depreciação e Amortização (211.908) (199.143)

Valor Adicionado Líquido Produzido 388.423 305.619

Valor Adicionado Recebido em Transferência 29.892 12.825


Receitas Financeiras 28.832 11.895
Outros 1.060 930

Valor Adicionado Total à Distibuir 418.315 318.444

Distribuição do Valor Adcionado

Pessoal e Encargos: 51.980 48.144


Remuneração Direta 38.296 35.512
Beneficios 10.455 9.697
F.G.T.S. 3.229 2.935

Impostos, Taxas e Contribuições 153.879 121.229


Federais (Incluindo IOF) 113.892 86.605
Estaduais 118 110
Municipais 39.620 34.146
Outros 249 368

Remuneração de Capital de Terceiros 107.018 74.811


Juros 101.854 68.560
Alugueis 4.612 6.592
Outras 552 (341)

Remuneração de Capital Próprio 105.438 74.260


Dividendos 25.041 17.785
Lucros (prejuízos) retidos 80.397 56.475

Valor Total Distribuido 418.315 318.444


Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 22 de 26

ANEXO 5 EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A.


EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008
(em R$ Mil)

Instituições Credoras Encargos Vencimento Final Curto Prazo Longo Prazo


AUTOVIAS
BNDES TJLP + 5% a.a. Abril de 2011 1.293 1.705
Unibanco (BNDES) TJLP + 3,95% a.a. Maio de 2012 1.773 4.224
Banco Itaú BBA CDI + 2,3% a.a. Junho de 2009 2.609 -
Banco Fibra 101,8% do CDI Junho de 2009 25.217 -
Banco Votorantim (BNDES) TJLP + 3,3% a.a. Setembro de 2012 676 1.832
Banco Itaú BBA (BNDES) TJLP + 3,45% a.a. Junho de 2012 330 815
Banco Votoratim - Finame (BNDES) TJLP + 3,3% a.a. Fevereiro de 2013 40 144
Banco Unibanco CDI + 0,083% a.m. Novembro de 2010 572 15.500
Banco Itaú BBA CDI + 0,083% a.m. Novembro de 2010 573 15.500
Banco Bradesco CDI + 0,083% a.m. Novembro de 2010 741 15.500
Banco Citibank CDI + 0,083% a.m. Novembro de 2010 573 15.500
Banco Votorantim CDI + 0,083% a.m. Novembro de 2010 296 8.000
Banco Santander – “CCB” CDI + 1,037% a.a. Janeiro de 2010 2117 57.478
Banco Bradesco – “CCB” CDI + 1,037% a.a. Janeiro de 2010 2117 57.478
Banco do Brasil – “CCB” CDI + 1,037% a.a. Janeiro de 2010 2.578 69.973
Banco Dibens - “leasing” 100% CDI Janeiro de 2009 9 -
Banco Dibens - “leasing” 100% CDI Novembro de 2009 89 -
Banco Dibens - “leasing” 100% CDI Fevereiro de 2011 63 74
Total 41.666 263.723
CENTROVIAS
BNDES - “Automático Itaú” TJLP + 3,95% a.a. Junho de 2012 1664 4.234
BNDES - “Automático Unibanco” TJLP + 3,30% a.a. Outubro de 2012 835 2.366
Banco Bradesco – “CCB” CDI Médio +1,037 a.a. Janeiro de 2010 4.065 89.951
Banco Santander – “CCB” CDI Médio +1,037 a.a. Janeiro de 2010 4.065 89.951
Banco do Brasil – “CCB” CDI Médio +1,037 a.a. Janeiro de 2010 3.159 69.962
Total 13.788 256.464
INTERVIAS
Banco Unibanco CDI + 1% a.a. Novembro de 2010 891 24.500
Banco Itaú BBA CDI + 1% a.a. Novembro de 2010 891 24.500
Banco Bradesco CDI + 1% a.a. Novembro de 2010 891 24.500
Banco Citibank CDI + 1% a.a. Novembro de 2010 891 24.500
Banco Votorantim CDI + 1% a.a. Novembro de 2010 436 12.000
Banco Itaú “Leasback” CDI Over Cetip Junho de 2010 3.065 1.533
Banco Bradesco – “CCB” CDI +1,037 a.a. Janeiro de 2010 2.375 77.469
Banco Santander – “CCB” CDI +1,037 a.a. Janeiro de 2010 2.375 77.469
Banco do Brasil – “CCB” CDI +1,037 a.a. Janeiro de 2010 2.450 79.969
Outros CDI + 2% a.a. Maio de 2011 55 -
Total 14.320 346.440
VIANORTE
BNDES TJLP + 4,5% a 7,5% a.a. Agosto de 2013 24.791 53.063
Banco ABC - Finame TJLP + 6,3% a.a. Julho de 2010 483 282
Banco Unibanco - “Prosoft” TJLP + 2,18% a.a. Abril de 2010 526 167
Banco Unibanco – Finame TJLP + 3,48% a.a. Abril de 2012 393 917
Banco Bradesco - capital de giro CDI + 1,5% a.a. Fevereiro de 2009 3.367 -
Banco Votorantim TJLP + 3,3% a.a. Fevereiro de 2013 65 248
Banespa - “leasing” 1,52% a 1,87% a.m. Abril de 2009 123 -
Banco Dibens - “leasing” CDI + 1,82% a.a. Fevereiro de 2010 161 121
Total 29.909 54.798
LATINA
Banco Itaú BBA 11,5% a.a. Junho de 2011 150 215
Unibanco TJLP + 1,75% a.a. Maio de 2013 245 1.351
Banco Itaú - "leasing" CDI Abril de 2011 104 139
Banco Dibens - “leasing” CDI Junho de 2011 448 672
Total 947 2.377
AUTOPISTA PLANALTO SUL
Banco Votorantim – Finame TJLP + 2,60% a.a. Agosto de 2013 81 392
Total 81 392
AUTOPISTA FLUMINENSE
Banco Votorantim – Finame TJLP + 2,60% a.a. Agosto de 2013 19 81
Banco Votorantim - BNDES TJLP + 2,60% a.a. Setembro de 2013 163 2.018
Total 182 2.099
AUTOPISTA FERNÃO DIAS
Banco Itaú – Finame TJLP + 2,60% a.a. Agosto de 2013 180 1.820
Banco Votorantim – Finame TJLP + 2,60% a.a. Agosto de 2013 323 3.885
Total 503 5.705
AUTOPISTA RÉGIS BITTENCOURT
Banco Votorantim – Finame TJLP + 2,60% a.a. Setembro de 2013 234 3.018
Total 234 3.018
AUTOPISTA LITORAL SUL
Banco Votorantim – Finame TJLP + 2,60% a.a. Agosto de 2013 16 54
Total 16 54
Total Geral 101.646 935.070
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 23 de 26

ANEXO 6 DEMONSTRAÇÃO DOS AJUSTES (MUDANÇA DAS PRÁTICAS CONTÁBEIS)

Tabela 1: DEMOSTRAÇÃO DOS RESULTADOS CONSOLIDADOS

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A.


DEMONSTRAÇÃO DOS AJUSTES NOS RESULTADOS CONSOLIDADOS REF. A MUDANÇA DAS PRÁTICAS CONTÁBEIS
(em R$ Mil)
4T07 -
4T08 3T08 4T07 Ajustes Sem Ajustes
RECEITA LÍQUIDA DE SERVIÇOS 193.895 203.634 166.680 - 166.680

CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS (85.031) (84.156) (80.005) (2.535) (82.540)


Custos Operacionais (32.613) (27.504) (29.285) - (29.285)
Ônus Variável (6.533) (6.872) (5.681) - (5.681)
Depreciação de Imobilizado (39.583) (42.476) (38.291) 38 (38.253)
Amortização da Outorga (Intangível) (6.302) (7.304) (6.748) (2.573) (9.321)

OUTRAS RECEITAS - - - - -

LUCRO BRUTO 108.864 119.478 86.675 (2.535) 84.140

(DESPESAS) RECEITAS OPERACIONAIS (18.703) (14.296) (18.701) (169) (18.870)

Amortização de ágio em investimentos (2.355) (2.354) (2.354) 1 (2.353)

Receitas (despesas) financeiras líquidas (19.719) (54.553) (32.694) 933 (31.761)


LUCRO OPERACIONAL 68.087 48.275 32.926 (1.770) 31.156

RESULTADO NÃO OPERACIONAL - - - 311 311

LUCRO ANTES DOS EFEITOS TRIBUTÁRIOS 68.087 48.275 32.926 (1.459) 31.467

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (21.650) (17.477) (11.058) 512 (10.546)


Correntes (16.377) (15.942) (9.790) - (9.790)
Diferidos (5.273) (1.535) (1.268) 512 (756)

LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO 46.437 30.798 21.868 (947) 20.921

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A.


DEMONSTRAÇÃO DOS AJUSTES NOS RESULTADOS CONSOLIDADOS 2008 E 2007
(em R$ Mil)
2007 -
2.008 2.007 Ajustes Sem Ajustes
RECEITA LÍQUIDA DE SERVIÇOS 724.982 615.813 - 615.813

CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS (331.714) (309.657) (10.777) (320.434)


Custos Operacionais (118.339) (112.328) - (112.328)
Ônus Variável (24.555) (20.752) - (20.752)
Depreciação de Imobilizado (161.832) (149.270) 38 (149.232)
Amortização da Outorga (Intangível) (26.988) (27.307) (10.815) (38.122)

OUTRAS RECEITAS - 85 (1) 84

LUCRO BRUTO 393.268 306.241 (10.778) 295.463

(DESPESAS) RECEITAS OPERACIONAIS (71.894) (66.248) (1.674) (67.922)

Amortização de ágio em investimentos (9.419) (9.419) 1 (9.418)

Receitas (despesas) financeiras líquidas (144.397) (108.872) 11.548 (97.324)


LUCRO OPERACIONAL 167.558 121.702 (903) 120.799

RESULTADO NÃO OPERACIONAL - - 1.816 1.816

LUCRO ANTES DOS EFEITOS TRIBUTÁRIOS 167.558 121.702 913 122.615

IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL (62.120) (47.442) (295) (47.737)


Correntes (53.300) (44.163) - (44.163)
Diferidos (8.820) (3.279) (295) (3.574)

LUCRO LÍQUIDO DO PERÍODO 105.438 74.260 618 74.878


Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 24 de 26

Tabela 2: BALANÇO PATRIMONIAL CONSOLIDADO

OBRASCON HUARTE LAIN BRASIL S.A.


DEMONSTRAÇÃO DOS AJUSTES NOS BALANÇOS PATRIMONIAIS REF. A MUDANÇA DAS PRÁTICAS CONTÁBEIS
(em R$ Mil)

Dez/07 -
Dez/08 Set/08 Dez/07 Ajustes Sem Ajustes
ATIVO

CIRCULANTE
Caixa e Bancos 42827 26403 13.839 - 13.839
Aplicações Financeiras 73457 326064 50.600 - 50.600
Contas a Receber 38449 44988 30.366 - 30.366
Contas a Receber - Sociedades Ligadas 87 87 87 - 87
Créditos Diversos 0 - - - -
Estoques 3390 3453 1.479 - 1.479
Despesas Antecipadas 4771 9119 3.714 - 3.714
Impostos a Recuperar 11875 3429 2.600 - 2.600
IR e CS Diferidos 5222 5104 5.976 (316) 5.660
Adiantamento para novos projetos 247 1938 6.839 - 6.839
Outros Créditos 4957 8364 2.720 - 2.720
Total do Ativo Circulante 185.282 428.949 118.220 (316) 117.904

NÃO CIRCULANTE
Realizável a Longo Prazo: 19.672 28.863 39.326 (445) 38.881
Aplicações Financeiras Restritas 5.036 7.392 16.807 - 16.807
Impostos a Recuperar 1.717 10.948 8.290 - 8.290
IR e CS Diferidos 8.001 9.079 12.627 (445) 12.182
Despesas Antecipadas - 14 195 - 195
Depósitos Judiciais 4.772 1.421 1.407 - 1.407
Outras Receitas 146 9
Investimentos 1.053 77.968 1.053 83.979 85.032
Imobilizado 1.817.522 1.510.670 1.194.591 367.580 1.562.171
Intangivel 376.236 300.732 414.068 (372.295) 41.773
Diferido 158.507 64.345 - - -
Total do Ativo não Circulante 2.372.990 1.982.578 1.649.038 78.819 1.727.857

TOTAL DO ATIVO 2.558.272 2.411.527 1.767.258 78.503 1.845.761

PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

CIRCULANTE
Empréstimos e Financiamentos 101.646 79.059 119.204 (3.023) 116.181
Fornecedores 124.662 91.160 32.005 - 32.005
Obrigações Sociais 20.921 21.224 11.063 - 11.063
Obrigações Fiscais 54.919 32.532 17.896 (31) 17.865
IR e CS Diferidos 4.576 724 886 (886) -
Outras contas a pagar 22.473 7.814 4.751 (2) 4.749
Provisões Diversas - Soc.Ligadas 978 826 824 - 824
Cauções Contratuais 24.944 18.399 5.671 - 5.671
Credores pela Concessão 54.533 53.861 49.153 1.284 50.437
Provisões Diversas - - - - -
Dividendos Propostos 25.041 - 17.785 - 17.785
Total do Circulante 434.693 305.599 259.238 (2.658) 256.580

NÃO CIRCULANTE
Empréstimos e Financiamentos 935.070 932.602 398.655 (4.324) 394.331
Fornecedores - - 32 - 32
Credores pela Concessão 361.660 365.756 360.141 113.086 473.227
Provisões para contingências 3.495 4.923 5.995 - 5.995
Receita Diferida 429 751 391 - 391
IR e CS Diferidos 9.022 9.354 9.303 (9.303) -
Outras contas a pagar 10 7 7 - 7
Total do Exigível a Longo Prazo 1.309.686 1.313.393 774.524 99.459 873.983

PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Capital Social 549.083 549.083 549.083 - 549.083
Reserva Legal 17.826 12.554 12.554 - 12.554
Reserva de Lucros 269.255 194.168 194.130 (93.176) 100.954
Lucros (Prejuizos) do Período 0 59.001 0 74.878 74.878
Ajuste do patrimônio líquido - variação cambial (22.271) (22.271) (22.271) - (22.271)
Total do Patrimônio Líquido 813.893 792.535 733.496 (18.298) 715.198

TOTAL DO PASSIVO E DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO 2.558.272 2.411.527 1.767.258 78.503 1.845.761


Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 25 de 26

GLOSSÁRIO

Concessionárias Estaduais: Sociedades de Propósito Específico, criadas pelas vencedoras das


Licitações, com as quais foram celebrados os Contratos de Concessão, tendo por objeto social
específico a manutenção, conservação e operação de Concessão de Rodovias Estaduais e que tem
como agência reguladora a ARTESP (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de
Transporte do Estado de São Paulo). A OHL Brasil administra atualmente 4 Concessionárias Estaduais
em São Paulo (Autovias, Centrovias, Intervias e Vianorte).

Concessionárias Federais: Sociedades de Propósito Específico, criadas pela vencedora da Licitação,


com as quais foram celebrados os Contratos de Concessão, tendo por objeto social específico a
exploração da Concessão de Rodovias Federais e que tem como agência reguladora a ANTT (Agência
Nacional de Transportes Terrestres). A OHL Brasil administra atualmente 5 concessionárias Federais
no Brasil (Autopista Planalto Sul, Autopista Fluminense, Autopista Fernão Dias, Autopista Régis
Bittencourt e Autopista Litoral Sul).

Veículos-Equivalentes: A unidade veículo-equivalente é usada como base para cobrança das tarifas
de pedágio. Um automóvel de passeio é considerado um veículo-equivalente e um veículo comercial
(caminhão ou ônibus) é computado pelo número de eixos possuído, sendo cada um deles contado
como um veículo de passeio. Um veículo de passeio equivale a um eixo de veículo comercial.

Pedágio por Meio Eletrônico/Sistema AVI: O sistema AVI é um sistema eletrônico de pagamento em
uso nas rodovias pedagiadas. Os motoristas que aderem ao sistema AVI instalam um sensor eletrônico
no pára-brisa, que os identifica e reconhece a categoria de veículos que dirigem. Ao passar por uma
pista com sistema AVI na praça de pedágio, antenas captam os sinais emitidos e os sensores registram
a presença do veículo e calculam o valor total a ser pago, sem a necessidade de o motorista parar o
veículo.

Reajuste de Tarifas: Conforme estabelecido nos contratos de concessão do Estado de São Paulo, as
tarifas de pedágio são reajustadas sempre no mês de julho com base na variação de 12 meses do
IGP-M ocorrida até 31 de maio. Já os reajustes nas tarifas das concessões federais ocorrerão com
base na variação do IPCA, calculado pelo IBGE, entre o mês anterior a data de referência na
apresentação da proposta de tarifa, ou seja, junho de 2007, e o mês anterior à data de início de
cobrança de pedágios. Após esse primeiro reajuste, os demais ocorrerão anualmente também pelo
IPCA acumulado nos últimos 12 meses a contar do último reajuste.

EBITDA e EBITDA Ajustado: EBITDA é a sigla em inglês para “Earnings Before Interest, Taxes,
Depreciation and Amortization”, que traduzido literalmente para o português significa: Lucros antes de
juros, impostos, depreciação e amortização" (Lajida). O EBITDA Ajustado é o EBITDA propriamente
dito menos o valor do ônus fixo devido pela outorga das Concessões e efetivamente pago.

Ônus Fixo: De acordo com os nossos contratos de concessão, as Concessionárias Estaduais devem
pagar ao Poder Concedente um ônus fixo como contrapartida pela outorga da concessão. Estes
contratos estabelecem também que o valor de tal ônus fixo deve ser pago em parcelas mensais ao
longo do prazo de concessão. Optamos por contabilizar no nosso ativo o valor da outorga da
concessão e no nosso passivo o total da dívida a pagar ao poder concedente pelo ônus fixo.

Atualização Monetária do Ônus Fixo: Os contratos de concessão entre as Concessionárias


Estaduais e o Poder Concedente estabelecem o reajuste pelo IGP-M dos pagamentos mensais do
ônus fixo, com vencimento a partir do décimo segundo mês a contar de cada 1º de julho, data na qual
também se reajusta pelo mesmo índice a tarifa dos pedágios.

Grau de Alavancagem: A metodologia utilizada para determinar o grau de alavancagem leva em conta
a relação Dívida Líquida (Dívida Bruta menos Disponibilidades e Caixa) dividido pela EBITDA Ajustado
(EBITDA menos Pagamento do Ônus Fixo, constante no fluxo de caixa). Quanto menor for o grau de
alavancagem maior poderá ser o montante de capital a ser financiado junto ao mercado de crédito.

Ajuste Autovias: Em 1 de julho de 2007, a concessionária Autovias iniciou a operação da nova praça
de pedágio de “Santa Rita do Passa Quatro”, no km 253 da Rodovias Anhanguera - SP330. Esta praça
foi um “desdobramento” da praça de pedágio de São Simão. Assim, a tarifa que era praticada em São
Simão foi reduzida pela metade e passou a ser cobrada em ambas as praças. Para um melhor
entendimento do impacto real da nova praça de pedágio na concessionária Autovias formulamos uma
análise “pró-forma”, onde consideramos a média do volume de trafego nas praças de São Simão e
Santa Rita para comparamos com períodos em que havia somente a praça de São Simão. Após o
4T08, este ajuste não será mais utilizado.
Divulgação de Resultados do 4T08
13 de Março de 2009
Pág. 26 de 26

Mudança nas Práticas Contábeis: Em 28 de dezembro de 2007, foi promulgada a Lei nº 11.638, que
alterou, revogou e introduziu novos dispositivos à Lei das Sociedades por Ações, notadamente em
relação ao capítulo XV, sobre matéria contábil, que entra em vigor a partir do exercício que se inicia em
1º de janeiro de 2008. Essa Lei teve, principalmente, o objetivo de atualizar a legislação societária
brasileira para possibilitar o processo de convergência das práticas contábeis adotadas no Brasil com
aquelas constantes nas normas internacionais de contabilidade (IFRS) e permitir que novas normas e
procedimentos contábeis sejam expedidos pela Comissão de Valores Mobiliários - CVM em
consonância com os padrões internacionais de contabilidade.

Complementarmente a esse processo, a CVM, por meio da Instrução nº 469, de 2 de maio de 2008,
orientou as companhias abertas a respeito da divulgação e do registro contábil de determinadas
alterações introduzidas pela Lei nº 11.638/07.

Entre as principais alterações trazidas pela Lei nº 11.638/07, que impactam às informações trimestrais
individuais e consolidadas da Companhia, está a obrigatoriedade da avaliação de ativos e passivos
relevantes de longo prazo, tais como “Direito de Concessão” e “Obrigações com o Poder Concedente”,
ao valor presente (Ajuste ao Valor Presente). Anteriormente a Companhia registrava o “Direito de
Concessão” e “Obrigações com o Poder Concedente” pelo valor nominal.

Os efeitos dos ajustes ao valor presente ocorridos até 31/12/2007 das rubricas “Direito de Concessão”
e “Obrigações com o Poder Concedente” foram contabilizados diretamente no Patrimônio Líquido da
Companhia em 2008. Os efeitos dos ajustes ao valor presente ocorridos no exercício de 2008 foram
contabilizados diretamente nos resultados trimestrais (1T08, 2T08 e 3T08).

Diferido: Refere-se a gastos pré-operacionais das concessionárias federais com implantação das
concessões, representadas por estudos de viabilidade, valores incorridos em reformas e obras nas
faixas de domínio necessárias para equalização de necessidade de reparos emergenciais nas rodovias
e custos de serviços prestados de acordo com o estabelecido nos contratos de concessão, incorridos
até a data de início da cobrança dos pedágios.
Os gastos pré-operacionais serão amortizados em dez anos conforme a expectativa de retorno desses
gastos pela Administração da Sociedade e de suas controladas, de acordo com a Medida Provisória no
449/08.