Você está na página 1de 8

25/03/2016

Tilápia

Tilápia

SISTEMA DE BIOFLOCOS

A IMPORTÂNCIA E MANEJO DOS SÓLIDOS SUSPENSOS

Por:

Carlos Augusto Gaona - e-mail: carlosgaona@ig.com.br Fabiane da Paz Serra, Luis Henrique Poersch e Wilson Wasielesky Jr

Universidade Federal do Rio Grande – FURG Instituto de Oceanografia Programa de Pós-gradução em Aquicultura

de Oceanografia Programa de Pós-gradução em Aquicultura O cultivo de camarões marinhos em sistema de bioflocos

O cultivo de camarões marinhos em sistema de bioflocos (BFT), desenvolvido em viveiros ou em raceways, tem sido cada vez mais utilizado pelos carcinicultores ao redor do mundo. Contudo, o estímulo da produtividade natural aumenta a quantidade de sólidos suspensos na coluna da água. Em sistemas fechados, o excesso de nutrientes pode levar a um acúmulo indesejável desses sólidos e a uma eutrofização do ambiente de cultivo. Neste cenário, além do aumento na

25/03/2016

Tilápia

demanda biológica de oxigênio, é possível observar também a oclusão das brânquias dos animais cultivados, o que pode comprometer os índices de crescimento e de sobrevivência. Estudos recentes já mostraram que a remoção de sólidos promove melhores resultados no sistema BFT e, para isso, são necessárias intervenções para o controle das concentrações. O presente artigo tem como objetivo discutir os aspectos que envolvem a formação e a importância dos sólidos suspensos totais (SST) no cultivo de camarões no sistema BFT e apresentar possíveis soluções para este problema.

Uma tendência da carcinicultura mundial é trabalhar com cultivos superintensivos que estimulam a produtividade natural, muito importante na formação dos bioflocos, ou agregados microbianos como são também conhecidos. São partículas suspensas que em todas suas frações constituem os sólidos suspensos totais (SST), e que devem ser mantidos uniformemente distribuídos por toda

a coluna d´água segundo a dinâmica provocada pela aeração.

A formação do floco ou agregado microbiano ocorre a partir do acúmulo de matéria orgânica e da

disponibilidade de oxigênio no sistema de produção, quando este é realizado em viveiros ou tanques revestidos com material impermeável e com mínima ou nenhuma renovação de água. No

início do cultivo, a água clara cria a oportunidade para a proliferação de organismo fotoautotróficos. Os nutrientes presentes na água e a disponibilidade de luz para os processos fotossintéticos propiciam a dominância das microalgas nos primeiros dias do cultivo. À medida que

a concentração da amônia vai aumentando, aumenta também a concentração das bactérias

heterotróficas, beneficiadas pela sua maior capacidade de assimilação de nitrogênio amoniacal. Do resultado da ação dessas bactérias sobre a amônia observa-se o aumento da concentração

de nitrito, um composto tóxico para os animais. Níveis crescentes de nitrito, por sua vez, estimulam

a presença de bactérias nitrificantes que oxidam o nitrito transformando-o em nitrato, uma

substância bem menos tóxica para os camarões confinados. Em um processo simultâneo e contínuo vemos a formação dos bioflocos e o seu acúmulo até o final do ciclo de produção. Problemas em viveiros impermeabilizados e racewaysConcentrações excessivas de bioflocos podem causar problemas caso não sejam controladas. Nesse sistema a produção de biomassa bacteriana é muito maior que a produção de biomassa de fitoplâncton obtida em cultivos autotróficos. O resultado é um grande incremento de agregados bacterianos, ou bioflocos, como são conhecidos esse sólidos suspensos.

Em viveiros impermeabilizados com geomembrana (Figura 1), onde se trabalha com densidades de estocagem elevadas de até 180 camarões/m², o sistema de aeração é mantido por aeradores tipo pá na proporção de 20-40 HP por hectare. Entretanto, mesmo com o uso intensivo desses equipamentos, nem todos os sólidos são mantidos em suspensão, podendo ocorrer um acúmulo de lodo no fundo dos viveiros, fato que influencia significativamente na qualidade da água de cultivo. Como consequência, o sistema fica carregado de uma matéria orgânica que não entra no processo de reciclagem de nutrientes, formando zonas anóxicas que acabam por limitar a área de ocupação dos camarões, aumentando significativamente os riscos de doenças.

25/03/2016

Tilápia

Figura 1: Viveiro revestido com geomembrana e aeração intensa. O isolamento se faz necessário para manter o biofloco em suspensão e sem interferência do sedimento do viveiro

em suspensão e sem interferência do sedimento do viveiro Nos raceways (Figura 2) o acúmulo de

Nos raceways (Figura 2) o acúmulo de biofloco ocorre na coluna da água e apenas se deposita no fundo em função de deficiência na aeração. As densidades são bem maiores, podendo chegar a 400-600 camarões/m², com altíssimas taxas de arraçoamento se comparadas com os viveiros impermeabilizados. Nesse tipo de cultivo o sistema de aeração é geralmente feito por meio de ar difuso na coluna da água, que promove um fluxo vertical capaz de distribuir e manter suspenso uniformemente o material particulado por todo o tanque.Figura 2: Visão de um raceway utilizado para produção de camarões marinhos, onde utiliza-se forte aeração para manutenção do biofloco em suspensão

forte aeração para manutenção do biofloco em suspensão Como é possível ver, o maior problema associado

Como é possível ver, o maior problema associado aos sistemas fechados de produção de camarões é o risco potencial de ocorrência de uma rápida eutrofização em consequência do acréscimo de nutrientes e matéria orgânica ao longo do cultivo. Além disso, o excesso de sólidos pode causar outros impactos negativos, e o aumento da demanda biológica de oxigênio e a oclusão de brânquias dos animais cultivados são os que mais se destacam. Uma deficiência na

25/03/2016

Tilápia

capacidade de absorção de oxigênio para manter os processos metabólicos ocasionada pela oclusão, ainda que parcial, das brânquias dos camarões, irá comprometer tanto o ganho de peso quanto a sobrevivência. E este é o cenário característico de sistemas superintensivos próximo ao término dos cultivos, nos casos onde não há intervenção no controle de sólidos suspensos. Além disto, este descontrole pode refletir também em interações com outros parâmetros de qualidade de água como pH e alcalinidade (Furtado et al. 2011).

O sistema BFT exige, portanto, forte aeração com o propósito não apenas de manter os níveis de

oxigênio dissolvido para os camarões e os microorganismos aeróbicos responsáveis pela decomposição da matéria orgânica, mas também para manter em suspensão o material particulado, evitando o indesejável acúmulo no fundo. Embora os bioflocos tragam benefícios

nutricionais para os camarões e atuem na manutenção da qualidade de água, algumas ações de controle sobre a concentração dessas partículas suspensas devem ser observadas. O sucesso do manejo vai depender de um equilíbrio entre a produção desses resíduos e a capacidade de assimilação do ambiente de cultivo. Monitoramento do volume de bioflocosO controle de sólidos suspensos em sistema BFT exige a aplicação de técnicas acessíveis aos produtores para

a manutenção da qualidade da água e da sustentabilidade dos recursos hídricos, alinhado a

rentabilidade do cultivo por meio de densidades de estocagem e alimentação adequadas. Dentre os métodos para o monitoramento de sólidos suspensos presentes na água de cultivo superintensivo de camarões, o mais utilizado pelos produtores é o cone Imhoff (Figura 3) que determina o volume de biofloco por litro de água. Para a tomada de decisão na intervenção do controle de sólidos suspensos e como critério para a manutenção de sólidos na água de cultivo,

pode-se ter como referência para sólidos sedimentáveis a medida máxima de 10 ml/L ou 500 mg/L de sólidos suspensos totais medidos por peso seco (Samocha et al. 2007). Figura 3: Cone Imhoff com amostras de água para determinação dos sólidos suspensos totais.

A concentração de sólidos ocorre na porção final e não deve ser superior a marcação de 10 ml do

cone

final e não deve ser superior a marcação de 10 ml do cone Controle de sólidos

Controle de sólidos suspensosDentre os esforços para melhorar a qualidade da água em cultivo superintensivo em sistemas BFT, a clarificação possui propriedades que se adequam a remoção de matéria orgânica particulada. O processo tem como característica a remoção de sólidos suspensos por ação gravitacional sobre as partículas, em massa de água com fluxo lento.

25/03/2016

Tilápia

A diferença de densidade entre partícula e fluido, controlará o processo de separação, uma vez que partículas com velocidade de sedimentação maior do que a velocidade de fluxo massa de água tendem a sedimentação. A massa de água com fluxo lento dentro do clarificador facilitará a decantação das partículas (Figura 4), separando-as da água que retornará ao tanque de cultivo mais clara (limpa).

que retornará ao tanque de cultivo mais clara (limpa). Figura 4: Ilustração referente a decantação de

Figura 4: Ilustração referente a decantação de partículas durante o processo de clarificação, com acúmulo de material sedimentado no fundo da caixa de sedimentação

Um clarificador (decantador) simples e de baixo custo foi desenvolvido na Estação Marinha de Aquacultura da Universidade Federal do Rio Grande – FURG por Gaona et al. 2011. Este equipamento foi utilizado em um estudo de manutenção de qualidade de água e análise de desempenho zootécnico de Litopenaeus vannamei em sistema BFT durante 16 semanas, que comparou dois tratamentos, com remoção e sem remoção de sólidos suspensos, onde o parâmetro para aplicação da clarificação foi a manutenção da concentração de sólidos suspensos totais em 500 mg/L.

No tratamento com clarificação, a água do tanque de cultivo foi bombeada (bomba submersa com vazão de 4.500 L/h) para o clarificador (uma caixa de 1000 L) pela parte superior de um tubo central, reduzindo assim o turbilhonamento. Isso fez com que a água entrasse na caixa de sedimentação por baixo do tubo central e saiu, por transbordamento, pelo tubo de retorno localizado na borda superior (Figura 5). A sedimentação ocorreu ao longo deste percurso. Figura 5: Clarificador desenvolvido na estação Marinha de Aquacultura da FURG. A água entra por bombeamento no tubo central (a), para redução de turbilhonamento e decantação do material particulado (b), e sai pela parte superior do da caixa de 1000 L

(b), e sai pela parte superior do da caixa de 1000 L

25/03/2016

Tilápia

No experimento, o processo de remoção de sólidos ocorreu a partir da sétima semana, quando a concentração de sólidos totais atingiu 500 mg/L. Nesta situação foi realizado o tratamento da água por 6 horas contínuas e repetido o procedimento sempre que a concentração de sólidos (SST) ultrapassou o limite estabelecido. Já o tratamento sem clarificação seguiu acumulando material particulado até o final do estudo (Figura 6a).

A melhora nos parâmetros de qualidade da água no tratamento com clarificação refletiu em melhor desempenho zootécnico dos camarões (Figura 6b). Com camarões maiores e melhor sobrevivência (Figura 6c) a produtividade atingiu 2,15 kg/m³ (Figura 6d) ao final do cultivo, reforçando a importancia da clarificação em melhorar a produção de camarões em cultivos de bioflocos (Ray et al. 2010).

de camarões em cultivos de bioflocos (Ray et al. 2010). Figura 6: Variações das concentrações de

Figura 6: Variações das concentrações de sólidos suspensos totais (SST) ao longo do experimento (a) e produtividade (b), nos tratamentos sem clarificação (SC) e com clarificação (CC). As barras verticais indicam o desvio padrão. O início de aplicação do processo de clarificação está indicado pela seta no eixo do tempo

Clarificação em produção comercialBaseado na ferramenta para remoção de sólidos suspensos desenvolvida na FURG, a implantação do clarificador já tornou-se viável na produção comercial em viveiros impermeabilizados em um empreendimento em Santa Catarina (Poersch et al. 2012) e com resultados condizentes ao propósito do clarificador. Como medida para verificação

25/03/2016

Tilápia

dos níveis de sólidos na água foi avaliado sólidos sedimentáveis com cone Imhoff na entrada e saída (retorno) do clarificador (Figura 7a). O princípio de sedimentação por ação da gravidade é fácil de ser visualizado pela diferença da cor da água, onde a separação de sólidos e água é percepitível no cone Imhoff contendo água clara da saída do clarificador (Figura 7b).

contendo água clara da saída do clarificador (Figura 7b). Estudos sobre qualidade de água em cultivos

Estudos sobre qualidade de água em cultivos de camarões indicam relação inversa entre desempenho zootécnico e altas concentrações de sólidos suspensos na coluna de água. Desta forma, a remoção de sólidos suspensos auxilia na manutenção da qualidade de água e promove melhores índices de desempenho zootécnico, ja que permite a redução de consumo de oxigênio dissolvido por microorganismos e, consequentemente, menor resíduo de dióxido de carbono (CO2). Menores concentrações de CO2 mantém o pH e a alcalinidade em valores mais altos e adequados ao animal. A remoção de matéria orgânica também pode reduzir as concentrações de compostos nitrogenados a níveis não tóxicos aos camarões marinhos. Portanto, o controle das concentrações de sólidos suspensos é necessário para otimizar a produção de camarões em sistema BFT. A clarificação é uma alternativa viável, de baixo custo e fácil de ser aplicada, refletindo na manutenção dos níveis aceitáveis de parâmetros de qualidade de água nos cultivos superintensivos de camarões marinhos em sistema com bioflocos.Referências Bibliográficas:

Gaona, C.A.P., Poersch, L.H., Krummenauer, D., Foes, G.K., Wasielesky, W.J., 2011. The effect of solids removal on water quality, growth and survival of Litopenaeus vannamei in a Biofloc Technology Culture System. International Journal of Recirculating Aquaculture 12, in press.

Poersch, L.H., Fóes, G., Krummenauer, D., Romano, L.A., Wasielesky, W. Jr. 2012. Bioflocos: uma alternativa para camarões saudáveis. Revista Panorama da Aquicultura, v.22, n.130, p 28-37.

Ray, A.J., Lewis, B.L., Browdy, C.L., Leffler, J.W., 2010. Suspended solids removal to improve shrimp (Litopenaeus vannamei) production and an evaluation of a plant-based feed in minimal- exchange, superintensive culture systems. Aquaculture 299, 89-98.

Samocha, T.M., Patnaik, S., Speed, M., Ali, A.M., Burger, J.M., Almeida, R.V., Ayub, Z., Harisanto, M., Horowitz , A., Brook, D.L., 2007. Use of molasses as carbon source in limited discharge nursery

25/03/2016

Tilápia

and grow-out systems for Litopenaeus vanammei. Aquacultural Engineering 36, 184-191.

Furtado, P.S., Poersch, L.H., Wasielesky, W.J., 2011. Effect of calcium hydroxide, carbonate and sodium bicarbonate on water quality and zootechnical performance of shrimp Litopenaeus vannamei reared in bio-flocs technology (BFT) systems. Aquaculture 321, 130-135.

Furtado, P.S., Gaona, C.A.P., Serra, F.P., Poersch, L.H., Wasielesky, W.J., 2012. Avaliação dos níveis de dioxide de carbon em cultivo de Litopenaeus vannamei com tecnologia de bioflocos. Fenacam 2012. Anais do Simpósio.