Você está na página 1de 4
!
!

Ordem dos Advogados de Angola

Comissão de Revisão da Lei da Advocacia e dos Estatutos da OAA

Considerando que:

  • a) por deliberação unânime da Assembleia Geral Extraordinária de Advo-

gados, de 13 de Março de 2015, foi aprovado o ajustamento e actualização

dos diplomas essenciais que regem o exercício da Advocacia, como sejam os Estatutos da OAA e a Lei da Advocacia;

  • b) se impõem a necessidade de adequar os diplomas reitores da mesma,

à actual realidade jurídica;

  • c) para o efeito, os Associados recomendaram a criação de uma Comis-

são de Trabalho;

  • d) por força Despacho n.º 7/OA-B/2015, de sua Exa. Sr. Bastonário, Dr. Her-

menegildo Cachimbombo, foi criada a Comissão de Revisão da Lei da Advocacia e dos Estatutos da OAA;

  • e) impera a necessidade de se garantir a participação activa de todos Ad-

vogados no processo de reforma em curso;

Foi elaborado o presente questionário cujo objectivo é colher o maior nú- mero de opiniões sobre as questões que se seguem e outras achadas perti- nentes ou oportunas.

I - DOS ÓRGÃOS SOCIAIS

1. Tendo em atenção o número de advogados cada vez mais crescente e a afirmação dos diferentes Conselhos Provinciais, qual o melhor figurino dos órgãos sociais para a OAA no futuro?

2. Atendendo a dimensão actual e futura da classe, acha que o Conselho Nacional deve continuar com a composição de dez advogados?

II - GARANTIAS DO EXERCÍCIO DA ADVOCACIA

  • 3. Actualmente é permitido ao advogado estagiário prestar serviços jurídi-

cos a constituintes ou representado-os oficiosamente sem acompanhamento do patrono. De Jure Constituendo será que devemos manter tal actuação dos advogados estagiários?

III - INCOMPATIBILIDADES E IMPEDIMENTOS

  • 4. O regime das incompatibilidades e impedimentos constantes nos diplo-

mas actuais congregam todas as situações capazes de perigar o exercício

adequado da advocacia?

  • 5. Qual o futuro da compatibilização do exercício da advocacia com o esta-

belecimento de vínculos jurídico – laborais (explícitos ou implícitos) com ad- vogados e/ou advogados estagiários?

IV - DEONTOLOGIA PROFISSIONAL

  • 6. Quais as medidas preventivas que a OAA deve adoptar para a protec-

ção ético-deontológica da classe e para aferir da idoneidade de candidatos para a profissão, nos processos de inscrição dos novos colegas advogados que já exerciam a profissão no âmbito de ordens profissionais estrangeiras?

  • 7. Qual a resposta legal face ao incumprimento dos deveres e obrigações

impostas ao advogado e advogado estagiário na protecção efectiva do Cons-

tituinte e/ou representado oficiosamente?

  • 8. Pode, nos termos da lei que se quer vigente, um advogado enviar a sua

newsletter a outro advogado constante da sua lista de contactos?

  • 9. Os websites de escritórios de advogados que incluem fotos dos seus

profissionais poderão considerar-se publicidade explícita? Estarão a violar a

lei?

10. Será que não há necessidade de jure constituendo de se estabelecer balizas entre a responsabilidade social do advogado e o estrito cumprimento de regras ético - deontológicas?

11. A Obrigação de manter segredo profissional deve abranger não só o Advogado mas todos os integrantes dos escritórios que, por razões adminis- trativas, mantenham contacto com a informação. Acha que esta extensão deve estar expressamente prevista na lei? Dever-se-á reformular a redacção do artigo 65.º dos Estatutos?

V - ACÇÃO DISCIPLINAR

12. Em sua opinião, o que deverá ser alterado no actual regime disciplinar?

VI - ACESSO À ADVOCACIA

  • 13. O modelo actual de acesso à Advocacia consagra que só podem ins-

crever-se na Ordem dos Advogados os nacionais angolanos titulares de um

curso superior de direito, que reúnam os demais requisitos estabelecidos nos Estatutos da Ordem.

Os estrangeiros licenciados em direito por Universidades Angolanas po- dem inscrever-se na Ordem dos Advogados se, nos respectivos países, os li- cenciados angolanos puderem, em iguais circunstâncias, usufruir da mesma regalia.

É de opinião que a nova lei alargue o regime de acesso para os advoga- dos estrangeiros não licenciados em Angola?

14. Tendo em conta o regime de acesso às magistraturas, a consagração constitucional do papel do advogado e a proliferação de Faculdades de Di- reito, acha oportuno que os advogados estagiários devam previamente ser submetidos a um exame de admissão?

  • 15. O Regime de estágio tem a duração de dezoito meses e é realizado

sob a direcção de um advogado com pelo menos cinco anos de efectivo

exercício da advocacia. Acha oportuno incluir-se também, para do mencio- nado período, a obtenção de aproveitamento positivo nos cursos obrigatóri- os ministrados pelo Centro de Estudos e Formação?

  • 16. São dispensados do estágio os docentes com a categoria de profes-

sores e antigos professores das faculdades que leccionem disciplinas de direito e os Doutores em direito. Em qualquer dos casos, com pelo menos cinco anos de exercício da docência. Acha que a categoria de Professor é suficiente para a dispensa de estágio?

  • 17. O exercício da advocacia importa determinadas especificidades cuja

compreensão requer um período de experiência (estágio). Um professor de Direitos Reais ou de Filosofia do Direito, por exemplo, terá fortes dificulda- des na elaboração de uma PI ou Contestação, sem esquecer que, se o es- tágio lhe for dispensado, cinco anos depois o mesmo poderá exercer a fun- ção de patrono, acrescendo-se o facto da proliferação de Faculdades de

Direito, muitas delas de idoneidade académica duvidosa, podem atribuir a categoria de Professor a quem não seja Doutor em Direito. Este aspecto poderá servir de base para a resposta à questão nº 8?

VII - RECEITAS E DESPESAS

  • 18. O que sugere para a diversificação dos serviços a serem prestados

pela OAA no sentido da arrecadação de receitas?

  • 19. Atendendo o alto número de associados que não pagam as suas

quotas, que medidas devem ser tomadas para a inversão deste quadro?

  • 20. Que tipos de sanções poderão ser aplicados pelos membros falto-

sos, uma vez que os que existem não funcionam, ou não são eficazes?

21.O valor actual das quotas corresponde a contribuição mais ajustada do Advogado para com a sua associação?

  • 22. Concorda que o pagamento seja feito para a conta geral da OAA em

Luanda e o seu produto seja de imediato distribuído aos Conselhos Provin-

ciais com a fórmula estabelecida nos Estatutos?

VIII - PREVIDÊNCIA SOCIAL DO ADVOGADO

  • 23. Que medidas propõe a OAA para protecção do Advogados em matéria

de previdência social?

IX - SEGURO DO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO

  • 24. Atendendo aos riscos inerentes ao exercício da advocacia, bem como

aos possíveis danos causados aos constituintes por factos culposamente imputáveis aos advogados, acha necessário a institucionalização do seguro de responsabilidade civil profissional?

Obs:

As contribuições deverão ser remetidas para os seguintes endere-

ços:

diagnosticooaa@gmail.com ou fazer a entrega físi-

ca nas instalações da Ordem dos Advogados de Angola.

CARO ADVOGADO, A SUA CONTRIBUIÇÃO É MUITO IMPORTANTE. A ORDEM SOMOS TODOS NÓS