Você está na página 1de 76
CITOPATOLOGIA CITOPATOLOGIACITOPATOLOGIA Coleta da Amostra Fixação Coloração Papanicolaou
CITOPATOLOGIA CITOPATOLOGIACITOPATOLOGIA
Coleta da Amostra
Fixação
Coloração Papanicolaou
Falso-Negativos 15% Coleta 25% 60% Escrutínio Interpretação
Falso-Negativos
15%
Coleta
25%
60%
Escrutínio
Interpretação
COLETA DA AMOSTRA CITOLOGIA CONVENCIONAL CITOLOGIA EM MEIO LÍQUIDO
COLETA DA AMOSTRA
CITOLOGIA CONVENCIONAL
CITOLOGIA EM MEIO LÍQUIDO
ASPECTOS ANATÔMICOS APARELHO GENITAL FEMININO
ASPECTOS ANATÔMICOS
APARELHO GENITAL FEMININO
COLPOSCOPIA COLO UTERINO NORMAL APÓS APLICAÇÃO DE SORO FISIOLÓGICO APÓS TRATAMENTO COM LUGOL (TESTE DE
COLPOSCOPIA
COLO UTERINO NORMAL
APÓS APLICAÇÃO DE SORO FISIOLÓGICO
APÓS TRATAMENTO COM LUGOL
(TESTE DE SCHILLER)
PROLAPSO UTERINO E AS REPERCURSÕES PARA A QUALIDADE DA COLETA DA AMOSRA
PROLAPSO
UTERINO
E AS
REPERCURSÕES
PARA A
QUALIDADE DA
COLETA
DA AMOSRA
QUALIDADEQUALIDADE DADA AMOSTRAAMOSTRA As lesões malignas e pré-malignas do colo do útero só poderão ser
QUALIDADEQUALIDADE DADA AMOSTRAAMOSTRA
As lesões malignas e pré-malignas do colo
do útero só poderão ser detectadas se o
esfregaço for de boa qualidade, incluindo
elementos representativos de todas as
áreas de risco.
PROPRIEDADES DO EPITÉLIO ESCAMOSO
PROPRIEDADES
DO
EPITÉLIO ESCAMOSO
PROLIFERAÇÃO DIFERÊNCIAÇÃO DESCAMAÇÃO
PROLIFERAÇÃO
DIFERÊNCIAÇÃO
DESCAMAÇÃO
TIPOS DE AMOSTRAS CITOLOGIA CONVENCIONAL EM MEIO LÍQUIDO
TIPOS DE AMOSTRAS
CITOLOGIA
CONVENCIONAL
EM MEIO LÍQUIDO
TÉCNICA DE COLETA CITOLOGIA CONVENCIONAL CITOLOGIA DE BASE LÍQUIDA
TÉCNICA DE COLETA
CITOLOGIA CONVENCIONAL
CITOLOGIA DE BASE LÍQUIDA
Orientação adequada a mulher - Época ideal da coleta - Fatores que podem prejudicar a
Orientação adequada a mulher
- Época ideal da coleta
- Fatores
que podem prejudicar a
qualidade da amostra citológica
Instrumental, Amostragem e Preparo do esfregaço Principais Causas de Erros - Local de coleta -
Instrumental, Amostragem e Preparo do esfregaço
Principais Causas de Erros
- Local de coleta
- Material adequado para colheita
- Forma do esfregaço
- Números adequados de células e sua
representatividade
- Fixação adequada com fixador apropriado
Espéculo descartável
Espéculo descartável
Coleta Ectocérvice (JEC) Endocérvice
Coleta
Ectocérvice (JEC)
Endocérvice
Fundo de saco Ectocérvice Fundo de saco Endocérvice MSC 312118
Fundo de saco
Ectocérvice
Fundo
de saco
Endocérvice
MSC
312118
Ectocérvice Ectocérvice Fundo de saco Endocérvice MSC 312118
Ectocérvice
Ectocérvice
Fundo
de
saco
Endocérvice
MSC
312118
Endocérvice Ectocérvice Fundo de saco Endocérvice MSC 312118
Endocérvice
Ectocérvice
Fundo
de
saco
Endocérvice
MSC
312118
Confecção dos esfregaços
Confecção dos esfregaços
Esfregaço Cérvico-vaginal Ectocérvice Fundo de saco Endocérvice MSC 312118
Esfregaço Cérvico-vaginal
Ectocérvice
Fundo
de saco
Endocérvice
MSC
312118
CASO DA ROTINA NOME : M A C P IDADE : 22 ANOS UM :
CASO DA ROTINA
NOME :
M A C P
IDADE : 22 ANOS
UM : 09 / 08 / 02
EXAME : 2 7 388
CONSIDERAÇÕES CLÍNICAS :
SEM INDICAÇÃO
CONSIDERAÇÕES
CITOMORFOLÓGICAS :
CELULARIDADE REPRESENTATIVA ESCASSA E NO
LIMITE DA LAMÍNULA
Fixação dos Esfregaços Objetivo Preservar características citomorfológicas e reter certos elementos citoquímicos,
Fixação dos Esfregaços
Objetivo
Preservar características citomorfológicas e reter
certos elementos citoquímicos, que são essenciais
na etapa de coloração
Tipos de Fixação - Úmida - De Cobertura - Mista
Tipos de Fixação
- Úmida
- De Cobertura
- Mista
Tipos de Fixação Úmida Fixador mais usado: Etanol a 95% Considerações gerais - Fixação imediata
Tipos de Fixação
Úmida
Fixador mais usado: Etanol a 95%
Considerações gerais
- Fixação imediata
- Tempo de fixação – 15 a 30 minutos
Tipos de Fixação De Cobertura A maioria destes agentes têm dupla função: - fixam as
Tipos de Fixação
De Cobertura
A maioria destes agentes têm dupla função:
- fixam as células
- quando secam promovem o aparecimento de um fino
filme protetor
De cobertura Carbovax 4000 Consiste em etanol a 95% e uma película - polietilenoglicol Álcool
De cobertura
Carbovax 4000
Consiste em etanol a 95% e uma película - polietilenoglicol
Álcool – fixador
Polietileno glicol –filtro protetor
Obs: permite que os esfregaços sejam armazenados sem
distorções celulares por uma semana
De cobertura Spray Consiste em álcool isopropílico e o glicol do polietileno glicol Obs: Alguns
De cobertura
Spray
Consiste em álcool isopropílico e o glicol do polietileno
glicol
Obs: Alguns apresentam concentrações de álcool
maiores
do que as recomendadas para ótima fixação – retração
celular,condensação da cromatina e perda dos detalhes
nucleares
Não são recomendados para esfregaços hemorrágicos
De cobertura Processamento dos espécimes fixados com carbovax e spray É fundamental que sejam eliminados
De cobertura
Processamento dos espécimes fixados com
carbovax e spray
É fundamental que sejam eliminados antes da coloração
- Inibem a penetração apropriada da coloração –
especialmente da hematoxilina e o verde brilhante
- Apresenta excessiva eosinofilia
Processamento dos espécimes fixados com carbovax e spray Procedimentos antes da coloração - As amostras
Processamento dos espécimes
fixados com carbovax e spray
Procedimentos antes da coloração
- As amostras devem ficar imersas em etanol a
95% em2 cubas, no mínimo 15 minutos cada
Tipos de Fixação Mista Fixação úmida com subseqüente exposição ao ar - Procedimento - Fixação
Tipos de Fixação
Mista
Fixação úmida com subseqüente exposição ao ar
- Procedimento
- Fixação imediata em fixador líquido – etanol 95% - mín.15`
- Remover do recipiente e deixar secar ao ar ambiente
- Colocar a lâmina em recipiente para transporte
CITOLOGIA EM MEIO LÍQUIDO
CITOLOGIA EM MEIO LÍQUIDO
CITOLOGIA EM MEIO LÍQUIDO A citologia em base-líquida é um instrumento fundamental para a identificação
CITOLOGIA EM MEIO LÍQUIDO
A citologia em base-líquida é um instrumento fundamental
para a identificação de células pré-neoplásicas e neoplásicas
do colo uterino. Esta técnica tem como princípio transferir
todo material celular coletado para um meio líquido, sua
prioridade é preservar as estruturas morfológicas e as
moleculares, como as proteínas e os ácidos nucléicos. Como
método laboratorial ela auxilia no rastreamento de lesões
precursoras do câncer e nas variadas formas de neoplasia
maligna.
A Citologia em base líquida possibilita a redução de perda no
preparo da amostra e a melhor distribuição celular.
Principais Vantagens em Meio Líquido
*Maior sensibilidade: menor perda de material coletado e
melhor distribuição das células;
*Citologia em
monocamada
e
com
fundo
mais
limpo;
*Realização do teste de Captura Híbrida a partir da mesma
amostra;
*Redução
de
falsos
negativos
em
até
20%;
*Redução
de
casos
insatisfatórios
em
até
40%;
*Sensibilidade de até 86,7% em Lesões de Baixo Grau -
contra 63,6% na técnica convencional.
Técnica de coloração e Montagem da lâmina - Coloração de Papanicolaou - Corantes etiquetados e
Técnica de coloração
e Montagem da lâmina
- Coloração de Papanicolaou
- Corantes etiquetados e datados, armazenados
adequadamente, data de vencimento
- Trocados e filtrados com regularidade
- Processamento da amostra
Técnica de coloração e Montagem da lâmina - Coloração de Papanicolaou Corantes: Nuclear - Hematoxilina
Técnica de coloração
e Montagem da lâmina
- Coloração de Papanicolaou
Corantes:
Nuclear - Hematoxilina
Citoplasmático - Orange G6 e EA (Eosina, Verde
Luz ou Verde Brilhante e Pardo Bismarck)
Técnica de coloração e Montagem da lâmina Técnica de Coloração de Papanicolaou modificada Etapas Etanol
Técnica de coloração
e Montagem da lâmina
Técnica de Coloração de Papanicolaou modificada
Etapas
Etanol 95%
Fixação
Hidratação
Álcool 80%, 70%, 50% - 6 mergulhos cada
Água destilada - 6 mergulhos
Coloração
Nuclear
Hematoxilina de Harris – 30” a 2 min.
Lavagem
Água destilada/corrente - 1 a 3 min.
Técnica de coloração e Montagem da lâmina Técnica de Coloração de Papanicolaou Modificada Desidratação Etanol
Técnica de coloração
e Montagem da lâmina
Técnica de Coloração de Papanicolaou Modificada
Desidratação
Etanol 50%, 70%, 80% e 95%
6 mergulhos Cada
Coloração
OG 6 -
20” a 2 min.
Citoplasmática
Lavagem
Etanol 95% - 6 mergulhos
Técnica de coloração e Montagem da lâmina Técnica de Coloração de Papanicolaou Modificada Coloração
Técnica de coloração
e Montagem da lâmina
Técnica de Coloração de Papanicolaou Modificada
Coloração
Citoplasmática
e Nucleolar
EA 36 (EA 50 ou EA 65) - 20”a 2 min.
Lavagem
Etanol 95% - 2 banhos - 10 mergulhos cada
Desidratação
Etanol absoluto - 6 mergulhos
Técnica de coloração e Montagem da lâmina Técnica de Coloração de Papanicolaou Modificada Etanol absoluto
Técnica de coloração
e Montagem da lâmina
Técnica de Coloração de Papanicolaou Modificada
Etanol absoluto e Xilol
Clareamento
6 mergulhos
Entelan
Xilol
Montagem
Lâmínula
M.JIMÉNEZ AYALA & F.NOGALES ORTIZ 1978 ALCOOL HEMATOXILINA SUBMERGIR 5 VEZES 5’ 5 VEZES 96%
M.JIMÉNEZ AYALA & F.NOGALES ORTIZ 1978
ALCOOL
HEMATOXILINA
SUBMERGIR 5 VEZES
5’
5 VEZES
96%
HARRIS
5’
SECAGEM COM
PAPEL DE FILTRO
MONTAGEM
E.A 31 - 5’
SUBMERGIR 5 VEZES
Técnica de coloração e Montagem da lâmina Técnica de Coloração de Shorr
Técnica de coloração
e Montagem da lâmina
Técnica de Coloração de Shorr
Montagem da Lâmina Objetivo - Permitir a ligação entre a lâmina e lamínula, através do
Montagem da Lâmina
Objetivo
- Permitir a ligação entre a lâmina e lamínula, através do
meio de montagem
- Proteger o material celular da dessecação e retração
- Agir como um efetivo selador contra oxigênio, prevenindo
o desbotamento do corante
Análise Microscópica Método de escrutínio recomendado Horizontal / Vertical Terminologia recomendada
Análise Microscópica
Método de escrutínio recomendado
Horizontal / Vertical
Terminologia recomendada
Classificação - Richart
- Bethesda
Método de Escrutíneo Objetiva 10 X Objetiva 40 X Vertical Horizontal MNS 1035 LSW 261
Método de Escrutíneo
Objetiva 10 X
Objetiva 40 X
Vertical
Horizontal
MNS
1035
LSW
261
CASOS DA ROTINA NOME : M S C IDADE : 34 ANOS UM :09 /
CASOS DA ROTINA
NOME
:
M S C
IDADE : 34 ANOS
UM :09 / 09 /02
EXAME :
2 8 007
CONSIDERAÇÕES CLÍNICAS :
PC 5119/02 : NIC II
CONSIDERAÇÕES CITOMORFOLÓRICAS :
AMOSTRA LIMITADA PARA AVALIAÇÃO ONCÓTICA POR ÁREAS
ESPESSAS
ADEQUAÇÃO DA AMOSTRA AMOSTRA INSATISFATÓRIA FIXAÇÃO INADEQUADA ( RESSECADO AO AR ) ESPALHAMENTO ESPESSO
ADEQUAÇÃO DA AMOSTRA
AMOSTRA INSATISFATÓRIA
FIXAÇÃO INADEQUADA
( RESSECADO AO AR )
ESPALHAMENTO ESPESSO
ADEQUAÇÃO DA AMOSTRA AMORTRA INSATISFATÓRIA ARTEFATO DE RISCO ESFREGAÇO ATRÓFICO ( CROMATINA NUCLEAR ARRASTADA )
ADEQUAÇÃO DA AMOSTRA
AMORTRA INSATISFATÓRIA
ARTEFATO DE RISCO
ESFREGAÇO ATRÓFICO
( CROMATINA NUCLEAR ARRASTADA )
EXCESSO DE LUBRIFICANTE
ADEQUAÇÃO DA AMOSTRA AMOSTRA INSATISFATÓRIA EXCESSO DE NEUTRÓFILOS SEM CÉLULAS EPITELIAIS CITÓLISE EXCESSIVA
ADEQUAÇÃO DA AMOSTRA
AMOSTRA INSATISFATÓRIA
EXCESSO DE NEUTRÓFILOS
SEM CÉLULAS EPITELIAIS
CITÓLISE EXCESSIVA
ADEQUAÇÃO DA AMOSTRA AMOSTRA INSATISFATÓRIA EXCESSO DE SANGUE CONTAMINAÇÃO POR TALCO
ADEQUAÇÃO DA AMOSTRA
AMOSTRA INSATISFATÓRIA
EXCESSO DE SANGUE
CONTAMINAÇÃO POR TALCO
CONTAMINANTES DEPÓSITOS DE CRISTAIS CONTAMINAÇÃO POR FUNGOS GRÃOS DE PÓLEM
CONTAMINANTES
DEPÓSITOS DE CRISTAIS
CONTAMINAÇÃO POR FUNGOS
GRÃOS DE PÓLEM
PREVENÇÃO PREVENÇÃO DO DO CÂNCER CÂNCER GENECOLÓGICO GENECOLÓGICO FOLDER FOLDER PARA PARA ORIENTAÇÃO
PREVENÇÃO PREVENÇÃO DO DO CÂNCER CÂNCER
GENECOLÓGICO GENECOLÓGICO
FOLDER FOLDER PARA PARA ORIENTAÇÃO ORIENTAÇÃO DA DA
MULHER MULHER
Quais Quais as as mulheres mulheres que que devem devem se se submeter submeter ao
Quais Quais as as
mulheres mulheres que que
devem devem se se
submeter submeter ao ao
exame? exame?
O O exame exame é é doloroso? doloroso? É É demorado? demorado?
O O exame exame é é
doloroso? doloroso?
É É demorado? demorado?
O O que que é é o o exame exame preventivo preventivo do do câncer
O O que que é é o o
exame exame
preventivo preventivo do do
câncer câncer de de
útero? útero?
É É um um exame exame em em
que que é é coletado coletado o o
material material do do útero útero
e e da da vagina, vagina,
posteriormente posteriormente
colocado colocado numa numa
lâmina lâmina de de vidro vidro e e
examinado examinado ao ao
microscópio. microscópio.
Quais Quais os os cuidados cuidados que que devo devo ter ter antes antes de
Quais Quais os os
cuidados cuidados que que
devo devo ter ter antes antes de de
fazer fazer o o exame? exame?
Qual Qual serviço serviço procurar? procurar?
Qual Qual serviço serviço
procurar? procurar?
Após Após o o exame, exame, o o que que fazer? fazer?
Após Após o o
exame, exame, o o que que
fazer? fazer?
Quando Quando devo devo fazer fazer este este exame exame novamente? novamente?
Quando Quando devo devo
fazer fazer este este
exame exame
novamente? novamente?
Outras Outras doenças doenças podem podem ser ser encontradas encontradas durante durante o o exame?
Outras Outras doenças doenças
podem podem ser ser
encontradas encontradas
durante durante o o exame? exame?