Você está na página 1de 9

EEC4262 – Radiação e Propagação

Lista de Problemas

Parâmetros fundamentais das antenas

1)

Uma antena isotrópica no espaço livre produz um campo eléctrico distante, a 100 m da antena, de 5 V/m.

a)

b)

R: a)

Calcule a densidade de potência radiada aquela distância.

Calcule a potência radiada.

0,033 rˆ W/m

2

b) 4165,75 W.

2)

Uma antena com uma eficiência de 90% produz uma intensidade de radiação máxima de 200 mW/sr. Calcule, em dB, a directividade e o ganho se:

a) A potência de entrada for 125,66 mW.

b) A potência radiada for 125,66 mW.

R: a) D 0 = 13,47 dB , G = 13,01 dB b) D 0 = 13,01 dB , G = 12,55 dB.

3)

Uma antena sem perdas radia uma potência de 10 W e produz uma intensidade de

radiação dada por U = B

0

3

cos θ ,

0 θ

π / 2

e

0

φ

2π

, sendo B 0 uma constante.

a) Calcule o máximo da densidade de potência radiada a uma distância de 1 km da antena supondo que se está na região do campo distante.

b) Calcule a directividade e o ganho da antena, ambos em dB.

R: a) 6,366×10 -6 W/m 2 b) D 0 = G = 9 dB (Resolução fornecida).

4)

A intensidade de radiação normalizada de uma antena é U = sinθ sinφ sendo não nula na

região dada por 0 θ π e 0 φ

π .

a) Determine a directividade em dB.

b) Determine as larguras de feixe a meia potência no plano do azimute e num plano perpendicular a este.

R: a) D 0 = 6,02 dB b) 120º e 120º.

5) Um dipolo de meio comprimento e com uma resistência de perdas de 1 está ligado a um gerador com impedância interna de 50 + j25 e tensão de circuito aberto de 2 V. A

EEC4262 – Radiação e Propagação

impedância de entrada do dipolo, excluindo a resistência de perdas, é 73 + j42,5 . Determine:

a) A potência fornecida pela fonte.

b) A potência radiada pela antena.

c) A potência dissipada pela antena.

R: a) 12,44 mW b) 7,33 mW c) 0,1 mW.

6) Uma antena que apresenta uma resistência de radiação de 48 , uma resistência de perdas

de 2 e uma reactância de 50 , está ligada a um gerador por uma linha de transmissão

sem perdas com um comprimento de quarto de comprimento de onda e impedância característica de 100 . O gerador apresenta uma impedância interna de 50 e produz uma tensão de circuito aberto de 10 V.

a) Desenhe o esquema equivalente.

b) Calcule a eficiência de radiação da antena.

c) Calcule a potência fornecida pelo gerador e a potência radiada pela antena.

R: b) 96% c) 231 mW, 148 mW (Resolução fornecida)

7)

A reactância de entrada de um dipolo linear infinitesimal de comprimento λ/60 e raio a = λ/200 é dada por:

X in

≈− 120

ln ( l a ) − 1 tan kl ( )
ln
(
l
a
)
− 1
tan kl
(
)

O fio que constitui o dipolo apresenta uma condutividade de 5,7×10 7 S/m. Para a

frequência de trabalho de 1 GHz, determine:

a) A resistência de perdas.

b) A resistência de radiação.

c) A eficiência de radiação.

d) O coeficiente de ondas estacionárias VSWR quando o dipolo é ligado a uma linha com impedância característica de 50 .

R: a) 0,0044 b) 0,219 c) 98% d) 5072

EEC4262 – Radiação e Propagação

8)

O diagrama de radiação para o campo distante de uma antena é independente do azimute

sendo dado por:

E

θ

=

 1     0  1  2
1
0
1
2

0

θ

45º

45º

<

θ

90º

<

θ

90º

180º

Determine a directividade desta antena.

R: 3,68 (Resolução fornecida).

9) Uma antena sem perdas, a operar a 100 MHz, apresenta uma área efectiva máxima de

2,147 m 2 e uma impedância de entrada de 75 . Sabendo que a antena está ligada a uma

linha de transmissão com impedância característica de 50 calcule a directividade deste

sistema (suponha que não existem perdas de polarização).

R: 3,125.

10) A intensidade de radiação normalizada de uma antena não depende do azimute e é dada

por:

U

θ

=

cos

4

0

()

θ

θ

<

90º

90º

≤ ≤

θ

180º

Determine a área efectiva máxima da antena se a frequência de trabalho for 10 GHz.

R: 7,16×10 -4 m 2 (Resolução fornecida).

11) Duas antenas, emissora e receptora, sem perdas e com polarização adaptada estão

alinhadas segundo a intensidade de radiação máxima e separadas de uma distância de 50λ.

As antenas estão adaptadas às respectivas linhas de transmissão do emissor e do receptor e

apresentam uma directividade de 20 dB. Supondo uma potência de entrada da antena

transmissora de 10 W calcule a potência captada no receptor.

R: 253 mW.

12) Um sistema de comunicações opera a 100 MHz sendo a distância entre as antenas do

emissor e do receptor de 10 km. As antenas usadas são dipolos verticais de meio

comprimento de onda, ressonantes e sem perdas e estão ligadas a linhas de transmissão

com impedância característica de 50 . A polarização está adaptada e o alinhamento

EEC4262 – Radiação e Propagação

relativo entre as antenas é segundo a intensidade de radiação máxima. Nestas condições calcule a potência fornecida pelo emissor por forma a que a potência entregue ao receptor seja de 1 µW.

R: 699 W.

Antenas

13) Determine as expressões dos campos distantes produzidos por um dipolo elementar situado na origem das coordenadas e alinhado segundo o eixo dos xx, como se mostra na figura seguinte.

R:

z ϕ y ψ x − jkr − jkr kI le kI le E 2
z
ϕ
y
ψ
x
jkr
jkr
kI le
kI le
E
2
ψ
0
0
E
j
η
sen
ψ η
=
j
1
(
sen
θ φ
cos
)
;
H
=
ψ
ϕ
4
π
r
4
π
r
η

.

14) Uma antena filiforme de meio comprimento de onda e alimentação no ponto central foi optimizada para operar na ressonância e está ligada a uma linha balanceada com impedância característica de 50 . Determine o coeficiente de ondas estacionárias VSWR na entrada do dipolo.

R: VSWR = 1,46.

15) Um dipolo filiforme de quarto de comprimento de onda e sem perdas está alimentado no ponto central. O seu comprimento foi optimizado para operar na ressonância apresentando um coeficiente de reflexão de 0,57 quando ligado a uma linha balanceada com impedância característica de 50 . Nestas condições determine a resistência de entrada e a resistência de radiação do dipolo.

R: R in = 13,68 ; R rad = 6,84 (Resolução fornecida).

16) Determine a eficiência de radiação para os dipolos filiformes ressonantes de comprimentos λ/50, λ/4 e λ/2. Os dipolos são constituídos por condutores de cobre (σ = 5,7×10 7 S/m) com raio 10 4 λ e operam à frequência de 10 MHz.

EEC4262 – Radiação e Propagação

R: 92,3%, 95,4% e 99,1%.

Nota: para o dipolo de comprimento λ/4 considere para a resistência de radiação o valor obtido no problema 15.

17) Obtenha a expressão para o campo eléctrico distante gerado por um dipolo de meio comprimento de onda com alimentação central, centrado na origem das coordenadas e alinhado segundo o eixo dos zz. Use o método de Fourier.

Nota: Resolvido nas aulas.

18) Obtenha a expressão para o campo eléctrico distante gerado por uma antena de ondas progressivas de comprimento l, centrada na origem das coordenadas e alinhada segundo o eixo dos zz. Use o método de Fourier.

19) Um dipolo de comprimento 3 cm é alimentado por uma corrente I 0 = 10e j60º . Supondo que λ = 5 cm, calcule os módulos dos campos eléctrico e magnético a uma distância de 10 cm do dipolo e para θ = 45º.

R: 4620 V/m e 12,25 A/m.

20) Um dipolo de meio comprimento de onda (centrado na origem das coordenadas e alinhado segundo o eixo das zz) e sem perdas opera à frequência de 300 MHz radiando uma potência de 600 W. Um dipolo idêntico está centrado no ponto com coordenadas r = 200 m, θ = 90º e φ = 40º e alinhado paralelamente ao primeiro. Nestas condições determine a potência disponível nos terminais do segundo dipolo.

R: 0,26 mW (Resolução fornecida).

21) Um dipolo de meio comprimento de onda (centrado na origem das coordenadas e alinhado segundo o eixo dos zz) tem uma eficiência de 50%. Sabendo que a potência de entrada do dipolo é 100 W determine a densidade média de potência radiada num ponto com coordenadas r = 500 m, θ = 60º e φ = 0 (suponha que se está na região do campo distante).

R: 1,74×10 5 W/m 2 .

22) Um dipolo de meio comprimento de onda com impedância de entrada Z in = (73 + j42,5) opera à frequência de 1 GHz. Determine o valor da capacidade a colocar em paralelo com os terminais de entrada do dipolo para que este fique ressonante. Nestas condições qual o valor do VSWR na entrada do dipolo se este for ligado a uma linha com impedância característica de 50 .

EEC4262 – Radiação e Propagação

R: 0,95 pF e 1,955.

23) Um dipolo infinitesimal está colocado verticalmente junto a um plano condutor perfeito e

infinito. Calcule a menor distância ao plano que origina um nulo do diagrama de radiação

para θ = 30º. Quais são os nulos do diagrama de radiação?

R: 0,288λ; 0º e 30º.

24) Um dipolo infinitesimal está colocado verticalmente a uma altura de 2λ de um plano

condutor perfeito e infinito. Calcule os ângulos θ n de todos os nulos do diagrama de

radiação. Esboce o diagrama de radiação do factor de agrupamento (também denominado

neste caso de factor de terra vertical) para o plano da elevação.

R: 0º; 28,96º; 51,32º; 67,98º; 82,82º (Resolução fornecida).

25) Um dipolo infinitesimal está colocado paralelamente ao eixo dos yy a uma altura h de um

plano condutor perfeito e infinito coincidente com o plano xy. Determine o valor mínimo

de h (excluindo h = 0) de tal forma a que se gere um nulo do diagrama de radiação na

direcção dada por θ = 45º e φ = 90º. Quais são os ângulos θ n dos nulos do diagrama de

radiação no plano yz.

R: λ 2 ; 45º e 90º. Agrupamentos
R: λ
2 ; 45º e 90º.
Agrupamentos

26) Três radiadores isotrópicos estão colocados segundo o eixo dos zz e com um espaçamento

entre si de λ/4. O desvio progressivo de fase é nulo e o elemento central (colocado na

origem das coordenadas) é alimentado por uma corrente com o dobro da amplitude dos

outros elementos. Determine a expressão do factor de agrupamento e calcule os ângulos

dos nulos e dos máximos do diagrama de radiação.

R:

(

AF θ

)

=

2 1

+

cos

π

2

cos

θ

; não há nulos e o máximo é para θ = 90º.

27) Considere um agrupamento linear uniforme alinhado segundo o eixo dos zz e constituído

por três radiadores isotrópicos. O espaçamento entre elementos é de λ/2 e o desvio

progressivo de fase no sentido crescente dos zz é de –π/2.

a) Escreva a expressão do factor de agrupamento.

b) Determine os ângulos θ n dos nulos do diagrama de radiação.

EEC4262 – Radiação e Propagação

R: a)

AF

(

θ

)

=

 3  π   sen  π cos θ −   
 3 
π
sen
π
cos
θ
2
2
 1 
π
sen
π
cos
θ
2
2

; b) θ 1 = 99,6º e θ 2 = 146,4º.

28) Considere um agrupamento linear uniforme, alinhado segundo o eixo dos zz e constituído por quatro radiadores isotrópicos. O espaçamento entre elementos é de λ/2 e pretende-se que o máximo do diagrama de radiação ocorra para θ = 0º. Determine:

a) O valor do desvio progressivo de fase.

b) A região visível de ψ.

c) Os ângulos θ n dos nulos do diagrama de radiação.

d) Os ângulos θ m dos máximos do diagrama de radiação.

e) A largura de feixe até ao primeiro nulo.

f) A directividade, em dB, do agrupamento.

g) Esboce o diagrama de radiação recorrendo ao método gráfico.

R: a) –180º; b) 0º a 360º; c) 60º, 90º e 120º; d) 0º e 180º; e) 120º; f) 9 dB.

Nota: devido ao espaçamento λ/2 utilizado para além do máximo pretendido em θ = 0º resulta também um máximo em θ = 180º.

29) Pretende-se projectar uma cortina de radiação linear uniforme e longitudinal com uma directividade de 20 dB. Suponha radiadores isotrópicos alinhados segundo o eixo dos zz e considere um espaçamento de λ/4 entre elementos. O diagrama de radiação obtido deve apresentar um único máximo para θ = 0º. Determine:

a) O número mínimo de elementos do agrupamento.

b) O comprimento mínimo total do agrupamento (medido em comprimentos de onda).

c) O desvio progressivo de fase.

d) O valor aproximado da largura de feixe de meia potência.

R: a) 100; b) 24,75λ; c) –90º; d) 21,6º (Resolução fornecida).

30) Dez radiadores isotrópicos são colocados ao longo do eixo dos zz com um espaçamento de λ/4 entre si e estão alimentados por correntes de igual amplitude. Determine o desvio progressivo de fase e a directividade para os casos seguintes:

EEC4262 – Radiação e Propagação

a) Cortina de radiação transversal.

b) Cortina de radiação longitudinal.

c) Cortina de radiação longitudinal de Hansen-Woodyard.

R: a) 0º e 5; b) ±90º e 10; c) ±108º e 18.

31) Um agrupamento uniforme é constituído por 20 radiadores isotrópicos alinhados segundo o eixo dos zz e com uma distância de λ/4 entre si. Determine o desvio progressivo de fase se quiser ter:

a) Uma cortina de radiação transversal.

b) Uma cortina de radiação longitudinal com máximo apenas em θ = 0º.

c) Uma cortina de radiação longitudinal com máximo apenas em θ = 180º.

d) Uma cortina de radiação com máximo para θ = 30º.

R: a) 0º; b) –90º; c) 90º; d) –78º.

32) Considere

um

agrupamento

binomial

constituído

por

três

radiadores

posicionados ao longo do eixo dos zz. Determine:

a) A relação entre as correntes de alimentação.

b) O factor de agrupamento.

isotrópicos

c) Os nulos θ n do diagrama de radiação se o espaçamento entre elementos for λ.

d) Os máximos θ m do diagrama de radiação se o espaçamento entre elementos for λ.

e) Esboce o diagrama de radiação.

R: a) 1:2:1; b) AF()θ

= 2[1+ cos(kdcosθ )]; c) 60º e 120º; d) 0º, 90º e 180º.

33) Três radiadores isotrópicos estão alinhados segundo o eixo dos zz e espaçados entre si de λ. Pretende-se obter uma cortina de radiação transversal de Dolph-Tschebyscheff com uma relação de 20 dB entre o máximo principal e os máximos dos lóbulos secundários. Determine:

a) As amplitudes das correntes de alimentação (normalizadas pela amplitude do elemento exterior).

b) Os nulos θ n do diagrama de radiação.

c) Os máximos θ m do diagrama de radiação.

EEC4262 – Radiação e Propagação

d) Esboce o diagrama de radiação.

R: a) a 1 = 0,82 A e a 2 = 1 A; b) 53,3º, 66,3º, 113,7º e 126,7º; c) 0º, 90º e 180º.

Nota: o espaçamento escolhido implicou que para além do máximo da radiação transversal também existam máximos na direcção longitudinal.

34) Pretende-se projectar um agrupamento linear com radiadores isotrópicos, alinhados segundo o eixo dos zz e igualmente espaçados de λ/4 de tal forma que o factor de agrupamento gere nulos para θ = 0º e θ = 45º. Suponha que o desvio progressivo de fase é nulo.

a) Desenhe a região visível de z no círculo unitário.

b) Determine o número de elementos do agrupamento e as correntes de alimentação de cada elemento.

R: a) 1º e 4º quadrantes; b) 3 elementos com A 1 = 0,896 + j0,444 A, A 2 = 0,444 j1,896 A

e A 3 = 1 A (Resolução fornecida).

35) Repetir o problema anterior para um desvio progressivo de fase de 45º e nulos para θ = 0º, θ = 70º e θ = 110º.

R: a) –45º a 135º; b) 4 elementos com correntes A 1 = 0,72 + j0,69 A, A 2 = 1,72 + j1,04 A,

A 3 = 0,53 j1,94 A e A 4 = 1 A.

36) Obter a distribuição de corrente para o exemplo 2 (caso 1) fornecido relativo à síntese de Fourier.

37) Obter a distribuição de corrente para o exemplo 2 (caso 2) fornecido relativo à síntese de Fourier.