Você está na página 1de 7

Introdução

Entende-se por Responsabilidade Social as ações de uma empresa referente a


todos os públicos com a qual ela interage e a consciência de seus atos perante estes.
As organizações que são socialmente responsáveis têm consciência de que seus
compromissos devem ir além dos interesses financeiros, podendo contribuir com o bem
estar, qualidade de vida, preservação do meio ambiente e efetiva participação nas ações
comunitárias da comunidade onde está inserida.
Para atrair os consumidores, as empresas, cada vez mais, procuram agregar
valores aos seus produtos e/ou serviços, como forma de criar diferenciais competitivos e
alcançar maiores fatias no mercado.
Responsabilidade social:
Ética no comportamento gera empresas mais competitivas

Visando uma gestão socialmente responsável com ações que levem ao


desenvolvimento da sociedade e preservação do meio-ambiente, as empresas vêm, num
ritmo ascendente, procurando mudar o comportamento, antes pautado principalmente
pela busca do lucro e hoje permeado pela ética desde o processo produtivo até as
relações com fornecedores, funcionários e consumidores. Em virtude dessa nova
postura crescem os investimentos em projetos sociais, seja por meio de fundações
próprias, ações comunitárias ou parcerias com organizações não-governamentais.
Sendo assim responsabilidade social é entendida como o compromisso que uma
empresa tem com o desenvolvimento, bem-estar e melhoramento da qualidade de vida
dos empregados, suas famílias e comunidade em geral.
O Instituto Ethos Empresas e Responsabilidade Social elaborou os Indicadores
Ethos de Responsabilidade social que se trata de uma ferramenta de autodiagnóstico,
cuja principal finalidade é auxiliar as empresas a gerenciarem os impactos sociais e
ambientais decorrentes de suas atividades. Serve como um instrumento para uma auto-
avaliação das práticas empresariais além de constituir-se de uma ferramenta de gestão e
planejamento, sugerindo parâmetros de políticas e ações que a empresa pode
desenvolver para aprofundar seu comprometimento com a Responsabilidade social
Empresarial.
São sete os Indicadores utilizados para medir o nível da prática de
responsabilidade social nas empresas que servem para identificar as áreas das quais as
empresas podem estar se preocupando, investindo ou melhorando:
• Valores, Transparência e Governança
• Público Interno
• Meio Ambiente
• Fornecedores
• Consumidores e Clientes
• Comunidade
• Governo e Sociedade.
Esta ferramenta chamada de “Indicadores Ethos de Responsabilidade Social
Empresarial” se tornou referência e auxilia as empresas na incorporação de práticas de
responsabilidade social empresarial e também no planejamento e monitoramento do seu
desempenho geral.
Para que haja um retorno sólido dos investimentos, a realização de programas de
responsabilidade social deve ser uma prática inserida na cultura da organização, com a
inserção dos valores éticos na missão da empresa. É também essencial que tais valores
sejam devidamente transmitidos aos funcionários para que a cultura seja difundida e a
organização sofra um processo de valorização e admiração internas.

Mudanças Sociais

A mudança social é um fenômeno coletivo que consiste em uma transformação


estrutural ou cultural e afeta as condições de vida de seus componentes. A mudança
social pode ser intencional ou não-intencional, a diferença esta em que a intencional diz
respeito a uma intervenção ativa provocada por um agente social1 com um objetivo
consciente de promover uma alteração na magnitude e direção de um determinado
comportamento social.
As empresas promovem mudanças sociais podendo fazê-lo de forma responsável
ou não. Assim, uma empresa que pratique o desmatamento ou não trate os seus
resíduos, jogando-os in natura no ambiente, estará provocando alterações ambientais e
sociais de forma não responsável.
Outro exemplo de empresas que podem promover mudanças sociais não
responsáveis é o que Csikszentmihalyi denomina “mau negócio”2: Aquele que estimula
as pessoas a investirem em promessas que não se sustentam e as empresas que o fazem
têm pouca duração. Sobre esses negócios diz Christine Camaford Lynch, da Ártemis
Ventures:
“Lucros fartos a qualquer preço é um esquema de que não quero participar, seja qual for
o seu formato, esquema ou encaminhamento. O que me interessa é construir empresas. Não
pretendo simplesmente divulgar um conceito. Nunca pensei em fazer isto. Não pretendo me
tornar uma oportunista a esse nível e simplesmente cair fora do negócio, deixando viúvas e
crianças cujo dinheiro foi tomado ao desamparo enquanto as ações assim compradas vão
afundando. É o que vejo acontecendo inúmeras vezes, e não me serve, não quero fazer nada
parecido com isso. É como enriquecer a custa do resto do mundo. Definitivamente isto não é
correto.” Christine Camaford Lynch

1
Indivíduo multiplicador de informações que agencia o cidadão na conscientização dos direitos e
deveres, incentivando o exercício pleno de cidadania para um futuro digno de ser vivido.

2
CSIKSZENTMIHALYI, M. Gestão Qualificada: a conexão entre felicidade e negócio. Porto Alegre:
Bookman, 2004.
A Responsabilidade social empresarial diz respeito a mudanças intencionais
responsáveis promovidas no ambiente físico e social.
As organizações possuem duas orientações quanto à mudança social planejada:
uma externa, que diz respeito a promover novos comportamentos em públicos – alvo
externos à organização, e outra interna, que diz respeito ao público interno. Portanto a
Responsabilidade social refere-se à influência que a empresa exerce em relação ao seu
ambiente social interno e externo.

Investimento Social Privado

O investimento social privado é uma das várias facetas da Responsabilidade


social. Empresas cada vez mais têm investido recursos em projetos sociais e há uma
maior demanda por resultados concretos.
O investimento social privado é o uso voluntário e planejado de recursos
privados em projetos de interesse público. Ao contrário do que muitos pensam o
investimento social privado não deve ser confundido com assistencialismo.
Como qualquer investimento, as pessoas físicas ou jurídicas que financiam
projetos de cunho social têm o intuito de aferir os resultados alcançados. Há, portanto, a
preocupação em se gerar um retorno positivo à sociedade, de forma que o
monitoramento das atividades desempenhadas seja constante e envolva uma equipe de
profissionais, tais como assistentes sociais, pedagogos e educadores.

Balanço Social

O balanço social é um demonstrativo publicado anualmente pela empresa


reunindo um conjunto de informações sobre os projetos, benefícios e ações sociais
dirigidas aos empregados, investidores, analistas de mercado, acionistas e à
comunidade. É também um instrumento estratégico para avaliar e multiplicar o
exercício da responsabilidade social corporativa.
No balanço social a empresa mostra o que faz por seus profissionais,
dependentes, colaboradores e comunidade, dando transparência às atividades que
buscam melhorar a qualidade de vida para todos. Ou seja, sua função principal é tornar
pública a responsabilidade social empresarial, construindo maiores vínculos entre a
empresa, à sociedade e o meio ambiente.
O balanço social é uma ferramenta que, quando construída por múltiplos
profissionais, tem a capacidade de explicitar e medir a preocupação da empresa com as
pessoas e a vida no planeta.
O balanço social favorece a todos os grupos que interagem com a empresa. Aos
dirigentes fornece informações úteis à tomada de decisões relativas aos programas
sociais que a empresa desenvolve. Seu processo de realização estimula a participação
dos funcionários e funcionárias na escolha das ações e projetos sociais, gerando um
grau mais elevado de comunicação interna e integração nas relações entre dirigentes e o
corpo funcional.
Aos fornecedores e investidores, informa como a empresa encara suas
responsabilidades em relação aos recursos humanos e à natureza, o que é um bom
indicador da forma como a empresa é administrada.
Para os consumidores, dá uma ideia de qual é a postura dos dirigentes e a
qualidade do produto ou serviço oferecido, demonstrando o caminho que a empresa
escolheu para construir sua marca. E ao Estado, ajuda na identificação e na formulação
de políticas públicas. O sociólogo Herbert de Souza, o “Betinho” disse a seguinte frase:

"O balanço social não tem donos, só beneficiários.” Herbert de Souza “Betinho.”
Conclusão

Uma empresa socialmente responsável traz benefícios não só para si, mas
também para todo o meio no qual esta inserida e também com todos os seus públicos. A
responsabilidade social de uma empresa vai muito além de investimentos em projetos
sociais, mas sim no comprometimento dela com a sociedade e o meio ambiente.
Pode-se concluir então que todas as ações de uma empresa são de
responsabilidade social já que todas geram algum tipo de impacto sejam com
fornecedores, consumidores, governo, colaboradores internos, meio ambiente, etc. a
diferença esta na maneira como levam em consideração o impacto de suas ações,
explicando a necessidade da publicação anual de seus balanços sociais, já que a
sociedade hoje não aceita que uma empresa vise apenas o lucro, ou seja, seu interesse
pessoal.
Bibliografia
HANASHIRO, Darcy, TEIXEIRA, Maria Luisa, ZACCARELLI, Laura. Gestão do
Fator Humano: Uma Visão Baseada em Stakeholders. 2ª ed. São Paulo: Editora
Saraiva, 2008.

http://www.balancosocial.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=2