Você está na página 1de 3

DISCIPLINA: Química Geral – Farmácia e Bioquimica

1º Sem 1º Semestre – 2010


Profa. MsC. Gisele Ribeiro Felix

AULA 04 : Geometria e Polaridade das moléculas


1 – Introdução

A geometria molecular depende da orientação mais estável dos pares eletrônicos ao redor do
átomo central. O número de pares eletrônicos ao redor de um átomo (ligações múltiplas são
consideradas como um único par eletrônico), solitários ou compartilhados, é o seu número estérico.
Esse número determina a orientação espacial dos pares eletrônicos, de acordo com a teoria das
repulsões inter-eletrônicas

1.1 - A repulsão dos pares eletrônicos

Como os pares eletrônicos se repelem entre si devido a suas cargas, o arranjo mais estável de
pares eletrônicos é aquele em que as repulsões entre os pares são as mínimas possíveis. Esse
arranjo permite-nos predizer a forma geométrica de uma molécula. O método para determinar a
orientação mais estável dos pares eletrônicos ao redor de um átomo central numa molécula e, a
partir disto, a geometria da molécula, é denominado método VSEPR.
O método supõe três teorias:

** Os pares eletrônicos da camada de valência do átomo central numa molécula ou num íon
poliatômico tendem a se orientar de forma que sua energia total seja mínima. Isto significa que eles
ficam tão próximos quanto possível do núcleo e ao mesmo tempo ficam o mais afastado possível
entre si, a fim de minimizar as repulsões.

** A magnitude da repulsão entre pares depende do fato dos pares estarem ou não
compartilhados. Se os dois pares estão compartilhados, a repulsão é mais fraca, é intermediária
entre um par solitário e um par compartilhado e é mais forte entre dois pares solitários. É fácil
entender isto tendo em vista que a nuvem eletrônica de um par compartilhado se espalha além do
átomo central devido à atração exercida pelo núcleo do segundo átomo, o que aumenta a distância
entre esta nuvem e outros pares eletrônicos ao redor do átomo central e, portanto, reduz as
repulsões entre eles. Por outro lado, a nuvem eletrônica de um par solitário se espalha lateralmente
e se aproxima mais dos outros pares da camada de valência, o que leva a repulsão mais fortes entre
os pares.

** Forças repulsivas decrescem bruscamente com o aumento do ângulo entre pares. Quanto maior
o ângulo entre dois pares eletrônicos, menor a repulsão entre eles.

1.2 - NÚMERO ESTERICO E GEOMETRIA MOLECULAR

Número Polaridade
Geometria Valência do átomo central Exemplos
estérico
linear Uma ligação covalente 1 apolar H2, Cl2
linear Uma ligação covalente 1 polar HCl, HF
linear Duas ligações covalentes 2 apolar BeF2, CdBr2, HgCl2
trigonal plana Três ligações covalentes 3 apolar BF3, B(CH3)3, GaI3
trigonal plana Três ligações covalentes 3 polar BClF2, GaClI2
piramide trigonal Três ligações e um par polar
4 NH3, PCl3
ou piramidal eletrônico
Duas ligações e dois pares polar
angular 4 H2O, H2S
eletrônicos
tetraédrica Quatro ligações covalentes 4 apolar CH4, SiF4, TiCl4
tetraédrica Quatro ligações covalentes 4 polar CClH3, TiFH3
bipirâmide -
Cinco ligações covalentes 5 PCl5, MoCl5, TaCl5
trigonal
octaédrica Seis ligações covalentes 6 - SF6, SbF6-, SiF6-2
DISCIPLINA: Química Geral – Farmácia e Bioquimica
1º Sem 1º Semestre – 2010
Profa. MsC. Gisele Ribeiro Felix
DISCIPLINA: Química Geral – Farmácia e Bioquimica
1º Sem 1º Semestre – 2010
Profa. MsC. Gisele Ribeiro Felix

AULA 04 : Roteiro de estudos


Estudo do átomo: Geometria e Polaridade das moléculas

1) O gás CO2 é o principal causador do aquecimento global, chamado “efeito estufa”. É produzido em
grande quantidade pela queima de hidrocarbonetos dos combustíveis industriais, e, quando
liberado para a atmosfera, absorve os raios infra-vermelhos do Sol, impedindo a sua dissipação. A
respeito do CO2, indique:
a) Qual a sua fórmula eletrônica. Dados: C (Z=6), O (Z=8)
b) O tipo de ligação química ocorrida
c) Qual a geometria da molécula, JUSTIFICANDO SUA RESPOSTA COM OS ESQUEMAS
d) A existência (ou não) de polaridade na molécula , justificando com os vetores adequados

2) A água é uma molécula polar ou apolar? JUSTIFIQUE SUA RESPOSTA, apresentando todo o seu
raciocínio. Dados de número atômico H=1, O=8

3) Dados os valores de número atômico H=1, C=6, N=7, sabe-se que a fórmula do ácido cianídrico á
HCN. Indique a geometria da molécula, e comente a existência ou não de polaridade.

4) Sabendo que o número atômico do oxigênio é 8 e o do enxofre é 16, indique:


a) A fórmula de Lewis da substância SO2
b) O tipo de ligação química ocorrida nesta substância
c) A geometria da molécula de SO2
d) A existência ( ou não ) de polaridade na molécula
e) A fórmula de Lewis da substância SO3
f) O tipo de ligação química ocorrida nesta outra substância
g) A geometria da molécula de SO3
h) A existência ( ou não ) de polaridade na molécula

5) O metano é o menor dos hidrocarbonetos (substâncias formadas somente por átomos de carbono
(Z=6) e hidrogênio (Z=1) )
a) Dê a fórmula de Lewis do metano, e indique que tipo de ligação química há na molécula
b) Determine a geometria da molécula de metano
c) Indique se a molécula é polar ou apolar
d) O cloro metano é uma substância na qual um dos átomos de hidrogênio do metano foi
“substituído” por um átomo de cloro (Z=17), mostre a fórmula de Lewis do cloro metano
e) Indique o tipo de ligações químicas existentes na molécula
f) Indique a geometria da molécula
g) Verifique a existência ou não de polaridade na molécula

6) Observe as substâncias abaixo e coloque-as na ordem crescente de polaridade.


H-H H-F H-Cl H-Br H-I F-F

7) Dentre as substâncias explique qual deve se dissolver melhor em água (O2, O3, CCl4, HCl, CO2)

8) O carbono e o silício pertencem à mesma família da tabela periódica


a) Qual o tipo de ligação química existente no composto SiH4 ?
b) Embora a eletronegatividade do silício seja maior que a do hidrogênio, a substância SiH4 é
apolar. Explique este fato.

• RUSSELL, John B. Química Geral. 2 ed. São Paulo: Makron Books, 2004. (Volume 1).
Pag. 406/407 – 8.32, 8.33, 8.35, 8.39, 8.52 e 8.53

• ATKINS, Peter, JONES, Loretta. Princípios de química: questionando a vida moderna e o meio
ambiente. 3 ed. Porto Alegre: Bookman, 2007
Pag. 224 – 3.2A e 3.2B Pag. 231- 3.5A e 3.5B