Você está na página 1de 11

G UI A DE E ST UDO

P ARA A
E P Í ST O L A DE M AQ SÚD

 INTRODUÇÃO
Os cristãos estão familiarizados com as suas Epístolas. Falar-lhes da "Epístola aos
Hebreus" ou da "Epístola aos Romanos" é falar-lhes de algo que não lhes é estranho.

E nós? Será que estamos familiarizados com as nossas Epístolas? Nomes como
"Epístola do Mundo", "Epístola de Maqsúd", "Epístola do Carmelo" e "A Mais Sagrada
Epistola" são-nos familiares? E será que além do nome também estamos familiarizados com o
conteúdo?

O presente documento pretende servir como orientação para o estudo - individual ou


em grupo - da Epístola de Maqsúd. Pode ser utilizado por professores e palestrantes Bahá'ís,
em conferências, escolas Bahá'ís ou aulas de aprofundamento.

Pelo seu conteúdo podemos considerar a Epístola de Maqsúd ideal para um primeiro
contacto com as Escrituras de Bahá'u'lláh.

 AS EPÍSTOLAS DE BAHÁ'U'LLÁH REVELADAS APÓS O AQDAS


Shoghi Effendi identificou três categorias distintas de Escritos de Bahá'u'lláh
revelados em ‘Akká:

1. as Escrituras reveladas na sequência da proclamação da Sua missão em


Adrianópolis;
2. as leis e mandamentos da Sua Dispensação, que na sua maioria estão
registadas no Kitáb-i-Aqdas;
3. as Epístolas que enunciam e reafirmam parcialmente as crenças
fundamentais e os princípios subjacentes a essa Dispensação.1

A Epístola de Maqsúd pertence à terceira destas categorias enunciadas por Shoghi


Effendi. A importância destas Epístolas é descrita por Shoghi Effendi com as seguintes
palavras: " Estas Epístolas - efusões poderosas e finais da Sua infatigável pena - devem
figurar entre os frutos selectos que a Sua mente brotou, e assinalam a consumação de um
ministério de quarenta anos de duração "2
1
A Presença de Deus, pag. 284 [God Passes By, pag. 205-206]
2
A Presença de Deus, pag. 297-301 [ God Passes By, pag. 216]
Pag. 1 de 11
Escola de Verão 2010 Guia de Estudo para a Epístola de Maqsúd

Segundo Shoghi Effendi, os principais temas das Epístolas reveladas após o Aqdas
são:

1. o princípio da unidade e integridade da raça humana;


2. lamenta as deficiências da ordem prevalecente;
3. considera que o "amor à humanidade" e o serviço aos seus interesses como os
mais dignos e louváveis esforços humanos;
4. lamenta que "a vitalidade e crença dos homens em Deus esteja a morrer em todas
as terras";
5. lamenta que a "face do mundo" esteja voltada para a "desobediência e descrença";
6. proclama a religião como "uma luz radiante e fortaleza inexpugnável para a
protecção e bem-estar dos povos do mundo" e "principal instrumento para o esta-
belecimento de ordem no mundo";
7. afirma que o propósito [da religião] é a promoção da unidade e concórdia entre os
homens;
8. adverte para que não a [à religião] transformem numa "fonte de dissenção,
discórdia e ódio";
9. ordena que os seus princípios [da religião] sejam ensinados às crianças nas escolas
do mundo de modo a que esta não seja causadora de preconceito ou fanatismo;
10. prediz "convulsões" de tal severidade que "farão tremer os membros da
humanidade";
11. insta sem reservas ao princípio de segurança colectiva;
12. recomenda uma redução nos armamentos nacionais;
13. proclama como necessária e inevitável a convocação de uma reunião mundial em
que os reis e governantes do mundo deliberem sobre o estabelecimento da paz
entre as nações;
14. enaltece a Justiça como "a luz dos homens" e seu "guardião", como "revelador
dos segredos do mundo do ser e porta-estandarte do amor e da bondade";
15. declara que a sua radiância é incomparável;
16. afirma que desta [a justiça] depende a "organização do mundo e a tranquilidade
da humanidade";
17. caracteriza os seus "dois pilares" - "recompensa e punição" - como "fontes de
vida" para a raça humana;
18. adverte os povos do mundo para agirem em antecipação ao seu advento;
19. profetiza que após um intervalo de grande tumulto e penosa injustiça, a sua estrela
voltará a brilhar com pleno esplendor e glória;
20. inculca o princípio de "moderação em todas as coisas";
21. declara que tudo, seja "liberdade, civilização e qualquer outra coisa", que "passe
dos limites da moderação" "exercerá uma influência perniciosa sobre os
homens";
22. assinala que a civilização ocidental tem perturbado e alarmado gravemente os
povos do mundo;
23. prediz que se aproxima o dia em que a "chama" da civilização "levada a um
excesso" "devorará as cidades";
24. estabelece a consulta como um dos princípios fundamentais da Sua Fé;
25. descreve-a como "uma lâmpada que guia", como "concessora de compreensão" e
um dos dois "luminares" do "Céu da Sabedoria Divina";
26. afirma que o conhecimento é como "asas para a vida do homem, uma escada para
a sua ascensão";
27. considera que a sua aquisição [de conhecimento] "incumbe a todos";
Marco Oliveira Pag. 2 de 11
Escola de Verão 2010 Guia de Estudo para a Epístola de Maqsúd

28. considera que "artes, ofícios e ciências" são conducentes ao enaltecimento do


mundo do ser;
29. recomenda que a riqueza seja adquirida através ofícios ou profissões;
30. reconhece a dívida dos povos do mundo para com os cientistas e artesãos;
31. desencoraja o estudo de ciências que não são proveitosas para o homem, e que
"começam com palavras e terminam com palavras"
32. enfatiza a declaração "associai-vos com todos os homens num espírito de amizade
e camaradagem" e reconhece que essa associação é conducente à "união e
concórdia", as quais, afirma Ele, instituem a ordem e são vivificadores das nações;
33. repete enfaticamente a necessidade de adopção de uma língua auxiliar universal;
34. lamenta a perda de tempo envolvida no estudo das diversas línguas;
35. afirma que com a adopção de uma tal língua e escrita [auxiliar] toda a terra seria
considerada como "uma cidade e um país";
36. apresenta-Se como conhecedor de ambas e prontifica-Se a transmitir a qualquer
um que a Ele venha em sua busca;
37. aos fideicomissários da Casa de Justiça atribui o dever de legislar sobre assuntos
não expressamente previstos nas Suas Escrituras e promete-lhes que Deus os
"inspirará conforme desejar";
38. o estabelecimento de uma forma de governo constitucional, em que os ideais do
republicanismo e a majestade da monarquia - caracterizada por Ele como "um dos
sinais de Deus" - estejam combinados, é considerado uma realização meritória;
39. salienta que se deve prestar especial atenção aos interesses da agricultura;
40. faz referência específica aos "jornais que surgem rapidamente", descreve-os como
"espelho do mundo" e como "um fenómeno extraordinário e poderoso", e impõe a
todos os responsáveis pela sua produção o dever de se santificarem da malícia,
paixão e preconceito, a ser justos e equitativos, a ser minuciosos na busca da
verdade e a averiguarem todos os factos em todas as situações;
41. elabora mais detalhadamente a doutrina da Mais Grandiosa Infalibilidade;
42. reafirma a obrigação imposta aos Seus seguidores de se comportarem perante o
governo do país onde residem com lealdade, honestidade e veracidade;
43. dá novamente ênfase à proibição de se travar guerra santa e destruir livros;
44. faz um elogio especial aos homens de conhecimento e sabedoria, que considera
como "olhos" para o corpo da humanidade, e como as "maiores dádivas" conce-
didas ao mundo;
45. estabelece os princípios da verdadeira filosofia.

Marco Oliveira Pag. 3 de 11


Escola de Verão 2010 Guia de Estudo para a Epístola de Maqsúd

 MÉTODO DE TRABALHO
Como forma de referência ao texto desta Epístola procedemos a uma numeração dos
parágrafos. Esta Epístola contém 51 parágrafos; o parágrafo Nº1 contém as palavras "Ele é
Deus, excelso é Ele, o Senhor de Majestade e Poder"; o parágrafo Nº2 começa com as
palavras "Um louvor enaltecido acima de toda a menção ou descrição... ". Sugere-se que o
leitor utilize um lápis para numerar os parágrafos da Epístola nas margens do livro.

Ao longo deste documento os diferentes parágrafos da Epístola são referidos pelo


respectivo número entre parentesis rectos [ ].

 SUGESTÃO PARA A ESTUDO DA EPÍSTOLA DE MAQSÚD


Para efectuar o estudo sugere-se o seguinte método: numa folha à parte deve-se
desenhar um quadro (com 52 linhas e 3 colunas) semelhante ao seguinte.

Nº Parágrafo Tema(s) Observações


1
2
3
...
...
49
50
51

À medida que se vai lendo a Epístola deve-se registar o número de cada parágrafo e
o(s) respectivo(s) tema(s). Cada tema deve ser identificado com uma palavra ou frase.

Na coluna sob o título "Observações" pode-se colocar qualquer comentário que dese-
jarmos (Ex: referência a outras Escrituras de Bahá'u'lláh, referências a outros livros que
tenhamos lido ou qualquer ideia que nos possa ocorrer)

Se se estiver em grupo pode-se dividir um certo número parágrafos por cada membro
do grupo.

Marco Oliveira Pag. 4 de 11


Escola de Verão 2010 Guia de Estudo para a Epístola de Maqsúd

 OS PRINCIPAIS TEMAS DA EPÍSTOLA DE MAQSÚD


Ao contrário da maioria dos escritores, Bahá'u'lláh não aborda os seus temas de uma
forma linear. Os diferentes temas das escrituras de Bahá'u'lláh aparecem frequentemente
cruzados entre si. Assim, um tema pode ser abordado sob diferentes perspectivas em
parágrafos ou frases não-sequenciais no texto. Esta forma de escrever, tal como o uso de
figuras de estilo e a frequente descrição dos atributos de Deus, são talvez o aspecto mais
notório para quem tem o seu primeiro contacto com as Escrituras Bahá'ís.

Não é fácil resumir quais são os principais temas de qualquer Livro ou Epístola de
Bahá'u'lláh. Na Epístola de Maqsúd podemos dizer que existem três temas centrais, cada um
com diversos sub-temas:

 Revelação e a Religião
 Deus
 O Verbo de Deus
 A Religião

 A Civilização
 As convulsões que afectam a humanidade
 A Nova Ordem Mundial
 A Justiça
 Uma Língua Auxiliar

 O Ser Humano
 A sua posição aos olhos de Deus
 O seu comportamento na sociedade
 As suas palavras
 Os sábios e eruditos

Além destes temas centrais existem outros, nomeadamente invocações [2, 34], um
louvor a Maomé [4] e várias palavras dirigidas a Maqsúd.

Exercício: Identifique o(s) tema(s) dos seguintes parágrafos:

[7] __________________________________________
[11] __________________________________________
[15] __________________________________________
[27] __________________________________________
[37] __________________________________________
[44] __________________________________________

Marco Oliveira Pag. 5 de 11


Escola de Verão 2010 Guia de Estudo para a Epístola de Maqsúd

 METÁFORAS
Nas Suas Escrituras, Bahá'u'lláh utiliza com frequência uma série de metáforas que
ilustram diferentes conceitos. As metáforas são, portanto, imagens e não devem ser tomadas
no sentido literal.

Além da beleza poética que as metáforas transmitem ao texto, estas permitem ainda
transmitir significados que de outra forma não poderíamos apreciar.

Eis exemplos de algumas metáforas na Epístola de Maqsúd:

"Eu sou o falcão real no braço do Omnipotente. Eu desdobro as asas caídas de cada
ave desfalecida e impulsiono-lhe o vôo" [20]

"Eu sou o sol da Sabedoria e o Oceâno do Conhecimento. Eu animo os desfalecidos


e revivifico os mortos." [20]

"Ele suplicou a remissão dos seus pecados ao oceâno do perdão do seus Senhor"
[45]

Exercício: Tente explicar o(s) significado(s) das metáforas atrás referidas

Marco Oliveira Pag. 6 de 11


Escola de Verão 2010 Guia de Estudo para a Epístola de Maqsúd

 ATRIBUTOS DE DEUS
Nas Suas Escrituras, Bahá'u'lláh também enumera, com frequência, os atributos de
Deus. Eis alguns exemplos na Epístola de Maqsúd:

"Ele é o Omnipotente, o Poderoso, O Omnisciente, o Que tudo Percebe. Ele ouve e


vê; Ele é o Que Tudo Ouve, o Que Tudo Vê." [51]

"Em verdade, o nosso Senhor de Misericórdia é o Auxiliador, o Sapiente, o Sábio"


[34]

"...o Adorado, o Possuidor de Todas as Coisas visíveis e Invisíveis..." [2]

Em várias das Suas Escrituras, Bahá'u'lláh declara que Deus está elevado acima de
todos os atributos e que "não podemos associar qualquer atributo à essência de Deus".
Qualquer atributo que Lhe queiramos associar é limitado, e portanto Ele deixaria neces-
sariamente de ser Deus.

'Abdu'l-Bahá explicou-nos que tudo o que uma pessoa possa pensar sobre Deus é
produto da sua própria imaginação; afirma ainda que a única maneira que O podemos
compreender é voltando-nos para as palavras dos Seus Manifestantes. O infinito não pode ser
compreendido pela mente limitada do ser humano.

No entanto, 'Abdu'l-Bahá declara também que podemos associar alguns atributos a


Deus. Não fazemos isto para provar que Ele é possuidor de atributos enaltecidos - atributos
que estão para além da nossa compreensão - , mas antes para O dissociar da falta de
atributos.3

 EXPRESSÕES
Nas Suas Escrituras, Bahá'u'lláh utiliza várias expressões e títulos para designar Deus,
os Seus Manifestantes ou outras entidades. Nesta Epístola o termo "Grande Ser" é utilizado
com frequência como uma referência a Deus; o termo "Injuriado" é utilizado como referência
ao próprio Bahá'u'lláh.

Exercício: Tente identificar a quem é que Bahá'u'lláh se pretende referir ao utilizar os


seguintes títulos e expressões:

 A Pena do Altíssimo [14]


 O Ponto Primaz [2]
 A Pena da Glória [2, 48]
 O Verdadeiro Conselheiro [6]
 Aquele que conversou com Deus [23]

Exercício: Tente identificar outros títulos e expressões que Bahá'u'lláh utiliza na Epístola de
Maqsúd.

3
Ver Epístola ao Dr. Auguste Forel
Marco Oliveira Pag. 7 de 11
Escola de Verão 2010 Guia de Estudo para a Epístola de Maqsúd

 QUESTÕES SOBRE OS TEMAS PRINCIPAIS

A CIVILIZAÇÃO: Convulsões que afectam a Humanidade

1. Ao referir-se às convulsões que afectam a humanidade, Bahá'u'lláh diz que é


desconcertante e confuso o comportamento da humanidade [6]. A que é que Ele se
refere?
2. Bahá'u'lláh afirma que a humanidade se recusa a utilizar as suas próprias capacidades para
terminar com as convulsões actuais [27]. Que faculdades serão essas?
3. Segundo Bahá'u'lláh, quais são as causas das actuais convulsões que a humanidade
atravessa? [33]

A CIVILIZAÇÃO: Uma Nova Ordem Mundial

1. O que é que Bahá'u'lláh considera como pilares da estabilidade mundial? [6] Não será
isso uma contradição com "tolerância e rectidão"? [21] Qual a relação desses pilares
com a justiça? [6]
2. Qual a utilidade dos armamentos numa futura Nova Ordem Mundial? [8]
3. Que pretende Bahá'u'lláh afirmar ao referir-Se aos reis e governantes como "espelhos da
graça e omnipotência do nome de Deus"? [8]
4. Qual deve ser a atitude dos governantes perante a justiça? [12]
5. Que significados podemos ler nas palavras "uma união que conduza à desunião ou uma
concórdia que crie discórdia"? [14]
6. Quem poderá guiar a humanidade a reconhecer os seus melhores interesses? [26] O que
são estes "melhores interesses"?

A CIVILIZAÇÃO: Uma Língua Auxiliar Internacional

1. Segundo Bahá'u'lláh, quais os procedimentos a seguir para adoptar uma língua auxiliar
internacional? [9]
2. De que forma uma língua auxiliar Internacional pode ser útil para a unidade e concórdia
dos povos? [9]

A CIVILIZAÇÃO: a Justiça

1. Qual a correlação entre justiça e tirania?


2. Bahá'u'lláh condena repetidamente a tirania [11, 23]. Qual o povo perseguido, cujos
perseguidores são condenados nesta Epístola? [23]

O SER HUMANO: a Sua Posição aos Olhos de Deus

1. O que é que tem privado o homem de revelar todas as suas potencialidades? [3]
2. O que poderá significar a frase "com uma palavra procedente da boca de Deus ele foi
chamado à existência"? [3]
Marco Oliveira Pag. 8 de 11
Escola de Verão 2010 Guia de Estudo para a Epístola de Maqsúd

3. Qual seria a atitude do ser humano se pudesse apreciar plenamente a grandeza da sua
posição? [27]

O SER HUMANO: o seu Comportamento na Sociedade

1. Qual deve ser a atitude perante as artes, ciências e outros ramos do conhecimento? [17]
2. Quem é o "enaltecido Ser" que apenas procurou fomentar o espírito de amor e
camaradagem entre os homens? [38]
3. Qual a importância de consulta e da moderação nas actividades humanas? [17,19]

O SER HUMANO: as suas Palavras

1. Qual a importância das palavras humanas? [29, 30]


2. Que tipos de influências podem ter as palavras para serem comparadas com "Luz" e com
"Fogo"? [31]
3. De que forma as palavras podem contribuir para que o homem alcance a sua posição?
[31]

O SER HUMANO: os Sábios e Eruditos

1. Poderão os sábios e os eruditos contribuir para a unidade mundial? [28]


2. Qual a importância destes homens para a humanidade? [18,24]

REVELAÇÃO E RELIGIÃO: Deus

1. O que é que a metáfora do "falcão real" sugere acerca da atitude de Deus para com o ser
humano? [20]
2. O que é que sugerem as alegorias utilizadas para descrever o Poder de Deus? [44]

REVELAÇÃO E RELIGIÃO: A Palavra de Deus

1. Descreva com as suas próprias palavras o poder da Palavra de Deus? [32]


2. Que outros escritos de Bahá'u'lláh descrevem o poder da Palavra de Deus?

REVELAÇÃO E RELIGIÃO: A Religião

1. Qual é o propósito da religião? [15]


2. Que benefícios pode a religião trazer à humanidade? [15]

Marco Oliveira Pag. 9 de 11


Escola de Verão 2010 Guia de Estudo para a Epístola de Maqsúd

 COMPARAÇÃO COM OUTRAS EPÍSTOLAS

 Compare os seguintes textos com os parágrafos nº 6, 15 e 19 da Epístola de Maqsúd.


Indique quais as semelhanças que encontra. Indique de que forma é que os textos se
complementam.

"A religião é o maior de todos os meios para o estabelecimento de ordem no mundo


e para o contentamento pacífico de todos os que aí habitam. O enfraquecimento dos
pilares da religião fortaleceu as mãos dos ignorantes e tornou-os ousados e arro-
gantes."

"A religião é uma luz radiante e uma fortaleza inexpugnável para a protecção e
bem-estar dos povos do mundo, pois o temos a Deus impele o homem a segurar-se
firmemente àquilo que é bom e a repelir todo o mal. Se a lâmpada for obscurecida,
caos e confusão reinarão, e as luzes da equidade, da justiça, da tranquilidade e da paz
deixarão de brilhar."

[Bahá'u'lláh citado em World Order of Bahá'u'lláh, 186-187]

"A civilização, tão frequentemente louvada expoente eruditos das artes e ciências, se
lhe for permitido ultrapassar as barreiras da moderação, trará um grande mal aos
homens... Se levada a um excesso, a civilização mostrar-se-á uma fonte prolífica de mal
tal como se tem mostrado uma fonte prolífica de bem quando mantida nos limites da
moderação"

[Bahá'u'lláh citado em World Order of Bahá'u'lláh, 194]

 Compare o seguinte texto com os parágrafos nº 8 e 12 da Epístola de Maqsúd. Indique


quais as semelhanças que encontra. Indique de que forma é que os textos se comple-
mentam.

"Os soberanos do mundo devem firmar um tratado obrigatório e estabelecer um


convénio, cujas disposições serão claras, invioláveis e definitivas. Devem proclamá-lo
a todo o mundo e obter a sanção da raça humana... Todas as forças da humanidade
devem ser mobilizadas para assegurar a estabilidade e permanência deste Mais
Grandioso Convénio... O princípio fundamental subjacente a este Pacto solene deve ser
tão forte que se qualquer governo, mais tarde, violar qualquer das suas provisões,
todos os governos da terra se devem levantar para o reduzir à absoluta submissão, ou
melhor, a raça humana como um todo deve decidir, com todo o poder ao seu dispor,
destruir esse governo."

['Abdu'l-Bahá citado em World Order of Bahá'u'lláh, 192]

Marco Oliveira Pag. 10 de 11


Escola de Verão 2010 Guia de Estudo para a Epístola de Maqsúd

 No livro The World Order of Bahá'u'lláh [pag. 187-188], Shoghi Effendi identifica uma
série de características do que ele designa por "uma sociedade decadente... que deve
renascer ou perecer"

1. O recrudescimento da intolerância religiosa, da animosidade racial e da arrogância


patriótica;
2. Crescentes evidências de egoísmo, suspeitas, medo e fraude;
3. Disseminação do terrorismo, marginalidade, alcoolismo e crime;
4. Insaciável sede e busca fervorosa de vaidades, riquezas e prazeres mundanos;
5. O enfraquecimento da solidariedade familiar;
6. O descuidado no controlo dos pais;
7. O incorrecto comportamento de indulgência perante a luxúria;
8. A atitude irresponsável em relação ao casamento e a consequente onda crescente do
divórcio;
9. O degenerar da arte, música, a infecção da literatura e a corrupção da imprensa;
10. A extensão e influência daqueles "profetas da desgraça" que advogam o companhei-
rismo matrimonial, que pregam a filosofia do nudismo, que designam a modéstia
como uma ficção intelectual, que se recusam considerar a procriação como propó-
sito sagrado e primário do casamento, que denunciam a religião como ópio do povo,
que - se lhes fosse dada rédea livre - levariam a humanidade de volta ao barba-
rismo, ao caos e à extinção final.

Quais destas características são referidas por Bahá'u'lláh na Epístola de Maqsúd?

 Compare o seguinte texto com o parágrafo nº 31 da Epístola de Maqsúd. Indique quais as


semelhanças que encontra. Indique de que forma é que os textos se complementam.

"... a língua é um fogo em brasa e o excesso de palavras é veneno mortal. O fogo


material consome o corpo, enquanto que o fogo da língua devora tanto o coração como
a alma. A força do primeiro dura apenas pouco tempo, mas os efeitos do último
persistem por um século"

(Kitáb-i-Íqán, pag. 119)

Marco Oliveira Pag. 11 de 11