Você está na página 1de 23

Relatório Final de

Estágio

Estagiário: Airã Pereira Barbosa


Especialização: Técnico Mecâtronica
Escola: ETEP “Profº Everardo Passos”
Local de Realização do Estágio: UN/REVAP-Setor: MI/EI
Período do Estágio: 02/02/2009 à
Parecer do Supervisor do Estagiário sobre o conteúdo do relatório
com relação ao estágio desenvolvido:

Supervisor

Comunicação Coordenadora de Estágio

São José dos Campos, ____ de _____________ de ______.

2
Sumario

• Historia da Petrobras................................................................................................4-6

• Conhecimento do Funcionamento da Refinaria Petrobras.......................................7-8

• Setor de Estágio MI/EI.................................................................................................9

• Objetivos....................................................................................................................10

• Segurança, Meio-Ambiente e Saúde....................................................................11-13

• Desenvolvimento das Atividades..........................................................................14-15

• Anexos..................................................................................................................16-22

• Conclusão..................................................................................................................23

3
História da Petrobras

Em outubro de 1953, com a edição da Lei 2.004, a constituição da Petrobras foi autorizada
com o objetivo de executar as atividades do setor petróleo no Brasil em nome da União.
A Petróleo Brasileiro S/A - PETROBRAS iniciou suas atividades com o acervo recebido do
antigo Conselho Nacional do Petróleo (CNP), que manteve sua função fiscalizadora sobre
o setor.
Campos de petróleo com capacidade para produzir 2.700 barris por dia (BPD);
Bens da Comissão de Industrialização do Xisto Betuminoso;
Refinaria de MATARIPE-BA (atual RLAM), processando 5.000 BPD;
Refinaria em fase de montagem, em Cubatão-SP (atual RPBC);
Vinte petroleiros com capacidade para transportar 221 mil toneladas;
Reservas recuperáveis de 15 milhões de barris;
Consumo de derivados de 137.000 BPD;
Fábrica de fertilizantes em construção (Cubatão - SP).
As operações de exploração e produção de petróleo, bem como as demais atividades
ligadas ao setor de petróleo, gás natural e derivados, à exceção da distribuição atacadista
e da revenda no varejo pelos postos de abastecimento, foram monopólio conduzido pela
Petrobras de 1954 a 1997. Durante esse período a Petrobras tornou-se líder em
comercialização de derivados no País, e graças ao seu desempenho a Companhia foi
premiada em 1992 pela Offshore Technology Conference (OTC) (*), o mais importante
prêmio do setor, e posteriormente recebeu o prêmio em 2001.
Em 1997, o Brasil, através da Petrobras, ingressou no seleto grupo de 16 países que
produz mais de 1milhão de barris de óleo por dia. Nesse mesmo ano, em 6 de agosto de
1997, o presidente Fernando Henrique Cardoso sancionou a Lei n º 9.478, que abriu as
atividades da indústria petrolífera no Brasil à iniciativa privada. Com isso a Petrobras
perdeu a exclusividade e foi legalmente obrigada a participar dos leilões promovidos pela
Agência Nacional do Petróleo - ANP, para obter áreas de exploração. Essa autarquia
federal foi encarregada pela União de promover a regulação, a contratação e a fiscalização
das atividades econômicas integrantes da indústria do petróleo.
Nos blocos que obteve em concessão da ANP, em praticamente todas as bacias
sedimentares brasileiras, a Petrobras vem realizando intensos trabalhos exploratórios e
descobrindo novos reservatórios. Vários novos campos de petróleo foram descobertos
após a quebra do monopólio, tanto nas bacias terrestres já em adiantado estado
exploratório como na plataforma continental.
Em 2003, coincidindo com a comemoração dos seus 50 anos, a Petrobras dobrou a sua
produção diária de óleo e gás natural ultrapassando a marca de dois milhões de barris, no
4
Brasil e no exterior. A Companhia identificou novas províncias petrolíferas de óleo leve, no
Espírito Santo e em Sergipe, o que pode ser considerada a sua maior conquista, na área
de exploração e produção, depois da descoberta de óleo na Bacia de Campos em 1974. O
exercício do ano seguinte foi caracterizado pelo anuncio do aumento das reservas de óleo
e gás natural, no Brasil e no exterior, em cerca de 20%.
A Petrobras ultrapassou pela primeira vez, em 12 de maio de 2005, a marca nacional de
1,8 milhões de barris de produção de petróleo por dia, chegando perto da auto-suficiência
sustentável brasileira. Nesse ano a Companhia bateu o recorde brasileiro de profundidade
de perfuração, em 12 de agosto, com um poço inclinado que chegou a 6.915 metros além
do fundo do mar. O poço foi perfurado no bloco BMS-10, na Bacia de Santos, localizado a
200 km da costa sul da cidade do Rio de Janeiro. As reservas combinadas de petróleo e
gás que eram de 8,5 bilhões de barris em 1997 cresceram 76,4%, chegando a 15 bilhões
de barris de óleo equivalente em 2005, registrando um desempenho superior à média
mundial.
No dia 21 de abril de 2006, às 14h30, o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu início à
produção da plataforma P-50, no Campo de Albacora Leste, na Bacia de Campos, que
permitiu ao Brasil atingir a auto-suficiência sustentável em petróleo. A P-50 é um FPSO,
sigla de Floating, Production Storage Offloading, unidade que possui a característica de
produzir, processar, armazenar e escoar óleo e gás. É a unidade flutuante de maior
capacidade do Brasil, podendo produzir até 180 mil barris diários.
Na área internacional a Petrobras estava presente em 11 países, em 1997. Atualmente a
Companhia mantém atividades operacionais ou escritórios em 27 países. A produção
internacional que era de apenas 58 mil barris de óleo e gás passou, em 2006, para 230 mil
barris diários. No ranking mundial a Petrobras se tornou a 14ª empresa, entre todas as
companhias de petróleo e a 7ª entre as de capital aberto.
Os resultados econômico-financeiros também demonstram que a Petrobras, no cenário
competitivo, continuou sua tendência de crescimento. O lucro passou de US$ 1,373 bilhão,
em 1997, para quase US$ 12 bilhões em 2005.
O ano de 2006 foi cenário de muitas conquistas e recordes de produção e exportação. A
Petrobras atingiu no dia 23 de outubro de 2006, a produção recorde de 1.912.733 barris de
petróleo no Brasil. Esse recorde superou em 30 mil barris o anterior, de um milhão 882 mil
barris, ocorrido no final de maio deste ano. Em novembro um novo recorde de exportação
de petróleo nacional: 484 mil barris/dia, totalizando 14 milhões e 520 mil barris no mês.
Esse recorde superou a marca anterior, alcançada em outubro, em 31 mil barris por dia.
Com tantas conquistas a Petrobras fecha o ano de 2006 integrando o Índice Mundial de
Sustentabilidade da Dow Jones Sustainability Indexes, e no primeiro mês de 2007
conquistou o selo Programa Pró-Eqüidade de Gênero 2007.
As refinarias da Petrobras no Brasil alcançaram em fevereiro de 2007 as marcas de um
milhão 892 mil 600 barris por dia (BPD) e um milhão 899 mil 200 BPD, respectivamente, de
carga total, o que configura novos recordes de utilização da capacidade de refino da
Companhia. Esse resultado é reflexo do trabalho integrado de todas as áreas do
Abastecimento, em conjunto com a área de Exploração & Produção.

5
A Petrobras iniciou, em 2007, as obras do Centro de Integração do Comperj, em
São Gonçalo. O maior projeto individual da história da Petrobras, o Comperj já demonstrou,
por diversas ações, ser o grande empreendimento do século XXI, devido aos seus
aspectos tecnológicos, pioneiros em engenharia e da área petroquímica. O Comperj será
um grande empreendimento também da área social, pois capacita e qualifica a mão-de-
obra especializada, cerca de 30 mil profissionais, para o Comperj e para as empresas que
serão atraídas pelo empreendimento.
Presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, (Brasil) e George W. Bush, (Estados Unidos da
América), visitaram instalações da Petrobras em Guarulhos, São Paulo, em nove de março
de 2007. O Presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva, acompanhado do Presidente
da Petrobras José Sergio Gabrielli de Azevedo, mostrou ao presidente americano George
W. Bush as diversas etapas de produção do etanol e biodiesel. O encontro foi marcado
pela assinatura do memorando voltado para incorporação do etanol à matriz energética
americana, o que destaca a importância do biocombustível no mercado mundial como uma
enorme contribuição ao meio-ambiente.
Numa das maiores operações empresariais já realizadas no Brasil, a Petrobras, o Grupo
Ultra e a Braskem anunciaram no dia 19 de março, o entendimento para a aquisição dos
negócios do Grupo Ipiranga, consolidando e ampliando a presença nos setores
petroquímicos e de distribuição de combustíveis.
Petrobras bate recorde de produção no Espírito Santo, em junho de 2007, ao alcançar
141,7 mil barris. Esse volume é expressivo quando comparado com a média do mês de
maio (99,1 mil barris/dia), que já tinha sido 5,7% superior à média de abril (93,7 mil
barris/dia). O recorde registrado no Espírito Santo deve-se, principalmente, ao bom
desempenho da plataforma P-34, no Campo de Jubarte, que atingiu a produção de 60 mil
barris por dia, sua capacidade máxima.
O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo participou da cerimônia de
batismo da plataforma P-54, no dia 21 de agosto de 2007. A unidade é a segunda
construída com os novos índices de nacionalização. Com conteúdo nacional de 62% a obra
gerou 2,6 mil empregos diretos e 10 mil indiretos. A importância das obras contratadas pela
Petrobras se destaca na formação de mão-de-obra especializada e no processo de
consolidação da indústria naval brasileira para competir internacionalmente.
Setembro de 2007 foi marcado por duas grandes conquistas, o início das obras da
Refinaria Abreu e Lima, em Recife e o batizado da Plataforma de Piranema, em Sergipe. A
nova refinaria será a primeira a processar 100% do petróleo pesado, enquanto que a
Plataforma de Piranema terá tecnologia pioneira no mundo, pois será a primeira unidade do
tipo FPSO com casco redondo podendo operar em condições ambientais mais severas.
Além disso, o óleo de Piranema será o mais leve (44 API) entre produzidos em águas
profundas no Brasil.
A explicação para o sucesso da Petrobras está na eficiência de suas unidades espalhadas
por todo o Brasil: nas refinarias, áreas de exploração e de produção, dutos, terminais,
gerências regionais e na sua grande frota petroleira.

6
Conhecimento do Funcionamento da Refinaria Petrobras

Uma refinaria tem a função básica de decompor o petróleo em diferentes subprodutos,


como gasolina, diesel, e querosene.
Para isso, ela recebe o petróleo na forma do chamado “óleo cru” das plataformas de
extração e o submetem os diversos processos químicos. O primeiro e mais importante
desses processos é a destilação, este processo se da em uma torre.
Nela, o petróleo é aquecido a altas temperaturas, evapora,quando volta à forma líquida
novamente,já tem boa parte de seus produtos separados.
O petróleo extraído no Brasil chega até as refinarias por oleodutos. Ao chegar à refinaria é
guardado em tanques de armazenamento, e parte daí para o processo.
O processo começa com o petróleo seguindo por dutos até uma caldeira. Lá ele é aquecido
em 370°C e vira parcialmente vapor. O que sai da caldeira é uma mistura de vapor com o
que sobrou de petróleo na forma líquida.
Essa mistura entra numa torre de destilação. A parte gasosa sobe, a líquida desce. As
partes mais densas do petróleo líquido caem até o fundo da torre. Já as menos densas
podem até virar vapor no meio da queda e começar a subir.
Na base da torre fica um aquecedor, assim aumenta ainda mais a temperatura do petróleo,
uma parte do líquido que escorre até lá vira vapor também. Mesmo assim ainda sobra um
resíduo, que nunca vaporiza. Ele é conhecido e utilizado para ser feito o piche (asfalto).
Ao longo da torre, há vários andares com pratos um tipo de grade perfurada. Ao subir,
partes do vapor de petróleo esfriam e viram líquidos de novo. Quando isso ocorre, as gotas
caem em cima dos pratos, que represam parte do óleo.
Os novos vapores que estão subindo passam pelos buracos dos pratos. Ao entrarem em
contato com a parte do petróleo já líquida, eles perdem calor. Assim, mais moléculas
gasosas se resfriam e são condensadas.
Os pratos só retêm uma pequena parte do líquido formando, o excesso transborda e
escorre até um recipiente chamado panela. A parte do petróleo acumulada em cada panela
é bombeada e segue para fora da torre por meio de dutos.
O vapor de cada subproduto do petróleo como a gasolina e o diesel, viram líquidos numa
certa temperatura, atingida em andares diferentes da torre. Ou seja cada produto enche
uma panela específica.
Os subprodutos saem da torre ainda contaminados uns pelos outros. Todos vão para um
processo de purificação, em tanques, passam por reações químicas para quebrar e
recombinar suas moléculas até estarem puros.

7
Os subprodutos obtidos ficam em outros tanques de armazenamento. Da refinaria, eles
saem por oleodutos até as indústrias petroquímicas (que usam o GLP para fazer plásticos,
por exemplo) ou rumo às distribuidoras de combustível.

8
Setor de estágio MI/EI

MI/EI – Manutenção / Elétrica Industrial


Laboratório de testes e manutenção, de DPUS e computadores da área industrial.
Testes com cartões de dados das DPUS
Instalação e programação nos computadores
Apoio à área industrial

9
Objetivos

Complementação no aprendizado na área elétrica e digital.


Conhecimento do funcionamento e montagem da parte elétrica e digital dos instrumentos.
Conhecimento das ferramentas usadas para desenvolvimento dos trabalhos.
Objetivos também de utilizar às lógicas de Sistemas Digitais, assim cumprida.

10
Segurança, Meio-Ambiente e Saúde.

As diretrizes de SMS têm por objetivo educar, capacitar e comprometer os trabalhadores


com as questões de SMS, envolvendo fornecedores, comunidades, órgãos competentes,
entidades representativas dos trabalhadores e demais partes interessadas.
Estimular o registro e tratamento das questões de SMS, e considerar nos sistemas de
conseqüência e reconhecimento o desempenho em SMS.
Atuar na promoção da saúde, na proteção do ser humano e do meio ambiente mediante
identificação, controle e monitoramento de riscos, adequando a segurança de processos às
melhores práticas mundiais e mantendo-se preparada para emergências.
Assegurar a sustentabilidade de projetos, empreendimentos e produtos ao longo do seu
ciclo de vida, considerando os impactos e benefícios nas dimensões econômica, ambiental
e social.
Considerar a eco-eficiência das operações e produtos, minimizando os impactos adversos
inerentes às atividades da indústria.
Em suma a Petrobras desenvolve uma série de programas que visam à melhoria da
qualidade de vida das pessoas envolvidas com suas atividades. Dentro de um conceito de
saúde integral, esses programas contemplam os aspectos físico, emocional, profissional,
social e espiritual, além de avaliar e prevenir os impactos dos riscos ocupacionais e
ambientais na saúde da força de trabalho e comunidades vizinhas.
Como observado as atividades realizadas no laboratório seguem o seguinte padrão que se
encontra no SINPEP, REVAP - PG- 5 AV-00045-G, que trata da questão da segurança na
execução dos ensaios, no uso de EPIS entre outros, os quais todos seguem a NR-06.
Como política e consciência de todos que seguem as diretrizes de SMS e princípios de
gestão sem lacunas como posturas para o sucesso.
1. Liderança e responsabilidade
A Petrobras ao integrar segurança, meio ambiente e saúde a sua estratégia.
Empresarial reafirma o compromisso de todos os seus empregados e contratados com a
busca de excelência nessas áreas.
2. Conformidade legal
As atividades da empresa devem estar em conformidade com a legislação vigente nas
áreas de segurança, meio ambiente e saúde.
3. Avaliação e gestão de riscos

11
Riscos inerentes às atividades da empresa devem ser identificados, avaliados, e
gerenciados de modo a evitar a ocorrência de acidentes e ou assegurar a minimização de
seus efeitos.
4. Novos empreendimentos.
Os novos empreendimentos devem estar em conformidade com a legislação e incorporar,
em todos seus ciclos de vida as melhores praticas de segurança, meio ambiente e saúde.
5. Operação e manutenção.
As operações da empresa devem ser executadas de acordo com os procedimentos
estabelecidos e utilizando instalações e equipamentos adequados, inspecionados e em
condições de assegurar o atendimento as exigências de segurança, meio ambiente e
saúde.
6. Gestão de mudanças
Mudanças, temporárias ou permanentes, devem ser avaliadas, visando a eliminação ou
minimização de riscos decorrentes de sua implantação.
7. Aquisição de bens e serviços
O desempenho e segurança, meio ambiente e saúde de contratados, fornecedores e
parceiros devem ser compatível com o sistema Petrobras.
8. Capacitação, educação e conscientização.
Capacitação, educação e conscientização devem ser continuamente promovidas de modo
a reforçar o comprometimento da força de trabalho com o desempenho em SMS.
9. Gestão de informações
Informações e conhecimentos relacionados a SMS devem ser precisos, atualizados e
documentados, de modo a facilitar sua consulta e utilização.
10. Comunicação
As informações relativas a SMS devem ser comunicadas com clareza, objetividade e
rapidez, de modo a produzir os efeitos desejados.
11. Contingência
As situações de emergência devem estar previstas e serem enfrentadas com rapidez e
eficácia visando à máxima redução de seus efeitos.
12. Relacionamento com a comunidade.
A empresa deve zelar pela segurança das comunidades onde atua, bem como mantê-las
informada sobre impactos e ou riscos eventualmente decorrente de suas atividades.
13. Analise de acidentes e incidentes.

12
14. Gestão de produtos.
15. Processo de melhoria continua.
Os princípios de gestão sem lacunas têm como escopo diminuir à máxima ocorrência de
anomalias de maneira preventiva. As doze diretrizes são baseadas na ética,
responsabilidades e profissionalismo.

13
Desenvolvimento das atividades

1. Utilização do Explore.
2. Criar e configurar pastas de arquivos.
3. Transferência e compartilhamento de arquivos na rede.
4. Utilização de alguns comandos DOS.
5. Execução de arquivos. BAT.
6. Transferência e copias de arquivos pelo HD (externo).
7. Instalação e ativação de programas Rockwell Software família Logix.
8. Instalação de placa de memória.
9. Instalação de CD no computador.
10. Instalação de placa de rede.
11. Carregar receitas nas DPUS, colocar um determinado endereço, informações na DPU.
12. Montagem de filtros com molduras e trocas dos mesmos nos painéis das DPUS.
14. Etiquetagem dos painéis, identificação (TAGS).
15. Teste de continuidade.
16. Configuração de DPUS.
Carregar receitas
Verificar o status
Colocar a DPU na rede
Configurar data, hora.
17. Teste de cartões SDCD
Cartão RX
Cartão RY
Cartão V
Cartão TC/MV
18. Criar receitas para testes de cartões RX, RY, V, TC/MV.

14
19. Instalação de programas Windows-XP, Windows XP-KB.
20. Configuração de micro e instalação de programas da Metso.
21. Instalação de Software Pach-ms.

15
Anexos
DPU/Cartões

16
Carregar receitas nas DPUS.

17
Testes de cartões RX, RY, V, TC/MV.

18
Verificação do status da DPU, sua qualidade, endereço I/O.

19
Nesta tela verificamos a calibração de cada canal do cartão, como ele varia de 0% á 100%.

20
Criar receitas para teste de cartões e seus respectivos canais para cada cartão.

21
Nesta tela acontece a configuração de cada canal dos respectivos cartões.

22
Conclusão

Nessa etapa do estágio, serviu para obter conhecimentos de técnicas de execução que não
são comuns de se ver, e praticar em seus cursos, obtive também a familiarização com os
equipamentos utilidades, dentro da refinaria, com os setores que consequentemente
influenciara na escolha das ferramentas técnicas devidas, em relação ao laboratório em
que conclui o estagio, adquirindo conhecimentos teóricos e práticos específicos na área de
elétrica e instrumentação.

23