Você está na página 1de 17

Configuração De Acesso Remoto Em DVR

Conteúdo:

1 DVR.

2 ACESSO REMOTO

3 TIPOS DE REDES

4 CONSEITOS DE REDES

4.1

REDE LOCAL

4.2

ENDEREÇO IP

4.3

DNS

4.4

MASCARA DE SUBREDE

4.5

GATEWAY

4.6

PORTAS DE COMUNICAÇÃO

5 DDNS

5.1 COMO TER SEU PRÓPRIO DDNS

6 FORMAS DE ACESSO REMOTO.

6.1 ACESSO REMOTO VIA SOFTWARE DE MONITORAMENTO

6.2 ACESSO REMOTO VIA BROWSER

6.3 ACESSO REMOTO VIA CELULAR

7 CONFIGURAÇÃO DO DVR

8 CONFIGURAÇÃO DO MODEM/ROTEADOR

9 TESTANDO O ACESSO

9.1

TESTANDO ACESSO INTERNO

9.3

TESTANDO ACESSO EXTERNO

10 CONFIGURANDO O INTERNET EXPLORER

10.1 CONTROLE ACTIVEX

10.2 ATIVANDO A COMPATIBILIDADE DO NAVEGADOR

1

DVR

DVR é a sigla para Digital Vídeo Recorder, seria traduzido ao pé da letra o gravador de vídeo digital. Os DVRs são muito comuns e desempenham papel fundamental na segurança eletrônica, cada dia as empresas estão aperfeiçoando mais e mais seus equipamentos, há alguns anos atrás os DVRs eram enormes e pesados, hoje estão cada vez menores, mais leves e mais potentes. Parece até que os fabricantes estão aderindo alinha dos fabricantes de celulares.

Estes equipamentos possuem entradas de USB, Cartão de memória, alguns possuem entrada para CD-Rom, HD interno e externo, fones de ouvido e etc.

para CD-Rom, HD interno e externo, fones de ouvido e etc. 2 – ACESSO REMOTO Acesso

2 ACESSO REMOTO

Acesso remoto, em relação a sistemas de câmeras de segurança, nada mais é do que acessar as imagens do sistema de câmeras via rede. Seja por internet, seja pela rede local, 3G e etc. Resumindo, é o acesso há um determinado local, virtualmente. Através da rede local ou internet, você acessa outros dispositivos que também devem estar conectados a internet ou rede local para que o acesso seja feito com sucesso. Veja na imagem abaixo:

conectados a internet ou rede local para que o acesso seja feito com sucesso. Veja na

3

TIPOS DE REDES

LAN = Local Area Network: Rede local onde as maquinas se encontram no mesmo espaço físico (podem ser em prédios diferentes)

WLAN = Wireless Local Area Network: É uma rede local que usa ondas de rádio para fazer uma conexão Internet ou entre uma rede, ao contrário da rede fixa ADSL ou conexão-TV, que geralmente usa cabos.

WAN = Wide Area Network: É uma grande rede (internet) que tem suas sub-redes. Onde cada rede pode estar em qualquer lugar do planeta.

4 CONSEITOS DE REDES

4.1 Rede Local: Num pequeno escritório ou mesmo em residências com mais de um

computador, surgem necessidades específicas. Estas situações tem uma solução simples que é a interligação entre os computadores, formando uma rede local aonde todos os recursos poderão ser compartilhados.

4.2 Endereço IP: É o endereço na rede que um computador ou dispositivo de rede se

encontra. É a identificação do dispositivo na rede. O termo endereço é propositalmente utilizado, e tem a mesma conotação do que acontece na vida

cotidiana: “Qual o seu endereço?”, “Onde você mora?”.

Os endereços IP, podem ter duas formas de atribuição:

IP Dinâmico ou DHCP ("Dynamic Host Configuration Protocol"): Permite que todos os micros da rede recebam suas configurações de rede automaticamente a partir de um servidor central, sem que você precise ficar configurando os endereços manualmente em cada um.

IP Fixo: O administrador ou usuário define qual o número do IP (ou endereço na rede) que seu dispositivo vai trabalhar.

4.3 DNS (Domain Name System): É um sistema de gerenciamento de nomes hierárquico e distribuído operando segundo duas definições:

Examinar e atualizar seu banco de dados

Resolver nomes de domínios em endereços de rede (IPs)

De uma maneira resumida, o DNS funciona como uma máscara. Seria uma atribuição de um nome a um endereço IP, de modo que sua identificação seja muito mais fácil. Por exemplo, os sites que costumamos acessar na internet, nada mais são do que um DNS de fácil memorização. O site www.uol.com.br esta direcionado para o IP 200.147.67.142. É mais fácil memorizar www.uol.com.br do que 200.147.67.142.

4.4

Mascara de subrede: Uma máscara de subrede, também conhecida como subnet

mask ou netmask, é um número de 32 bits usado num IP para separar a parte correspondente à rede pública, à subrede e aos hosts. Uma subrede é uma divisão de uma rede de computadores, é a faixa de endereços lógicos reservada para uma organização. A divisão de uma rede grande em menores resulta num tráfego de rede reduzido, administração simplificada e melhor desempenho de rede. No IPv4 uma

subrede é identificada por seu endereço base e sua máscara de subrede.

4.5 Gateway: É uma máquina intermediária geralmente destinada a interligar redes,

separar domínios de colisão, ou mesmo traduzir protocolos. Exemplos de gateway podem ser os roteadores e firewalls, já que ambos servem de intermediários entre o

utilizador e a rede.

DICA: Geralmente ao configurar seu sistema de câmeras o gateway acaba tendo o mesmo endereço do seu roteador.

4.6 Portas de comunicação: As portas do sistema de câmeras são as que fazem com

que você tenha o acesso ao sistema, elas quando corretamente configuradas “dizem” a internet por onde, quem está acessando deve seguir. Funciona mais ou menos assim:

Você digitou lá no seu navegador http://ipdodvr:portahttp se a porta HTTP do seu DVR for a porta 8000, por exemplo, o seu roteador sabe que se alguém digitar o endereço de IP do sistema e colocar essa porta 8000 ele sabe que deverá direcionar o acesso para o DVR.

Por isso existem essas portas, pois se você digitasse somente o endereço de IP local ou IP externo tanto faz, e não colocasse porta nenhuma, como o roteador não sabe o que você está querendo fazer ele não te “leva” em lugar nenhum e provavelmente aparecerá um erro.

DICA: Evitar usar a porta 80 para acessar o DVR, essa porta já é usada por varias aplicações e seu uso resultara em conflito.

Veremos mais à frente a função do roteador e você entenderá melhor caso tenha ficado alguma dúvida.

5 DDNS

O DDNS é uma função que permite atribuir um nome, ou tecnicamente falando um domínio a um determinado endereço de IP. Em quase todos os serviços de internet disponíveis o nosso IP externo não é fixo, e sim dinâmico, ou seja, toda vez que seu roteador é desligado ou desconectado a próxima vez que ele se conectar com seu serviço de internet será com um IP diferente. Aí esta o problema, para acessar o DVR nos precisamos saber o IP externo atual da rede que ele esta conectado, já que não é viável ir ao local onde o DVR esta fisicamente para conferir o endereço IP toda vez que o roteador é desligado nos iremos usar um serviço que atualize o IP automaticamente.

5.1 Como ter seu próprio DDNS: Os serviços de DDNS mais usados são o No-IP e DynDNS, os dois são pagos mas o No-IP tem a possibilidade de atualizar gratuitamente até três IPs por conta, por este motivo eu vou usar o No-IP para demonstração, mas nos dois a configuração é basicamente a mesma.

Primeiramente crie uma conta no No-IP, após isso entre na conta criada e clique em "Add Host".

isso entre na conta criada e clique em "Add Host". Na próxima pagina escolha o "

Na próxima pagina escolha o "Host Name" que usara para acessar seu DVR, não altere mais nada e clique em "Add Host" no final da pagina.

para acessar seu DVR, não altere mais nada e clique em " Add Host " no

Pronto seu hostname/domínio esta criado.

Pronto seu hostname/domínio esta criado. 6 - FORMAS DE ACESSO REMOTO. Existem muitas formas de se

6 - FORMAS DE ACESSO REMOTO.

Existem muitas formas de se acessar um sistema de câmeras, mas no modo geral citarei aqui as principais e mais eficientes formas de acesso existentes.

6.1 Acesso remoto via software de monitoramento: Consiste em acessar as câmeras do sistema através de um programa, conhecido como CMS que geralmente é adquirido junto com o equipamento das câmeras, após instalação do programa em um computador, configura-se o programa para acessar o sistema de câmeras remotamente através do IP e a porta HTTP ou DDNS e a porta HTTP.

O acesso remoto pelo software de monitoramento é o mais simples de se fazer mais

fácil de operar. Todo sistema de câmeras possui um software de monitoramento,

alguns softwares possuem ferramentas robustas onde é possível gravar as imagens em tempo real, programar o software para emitir avisos sonoros quando houver alguma anormalidade. Até mesmo fazer o download de uma imagem de um determinado dia,

e hora remotamente. Eu acho que acessar um sistema de câmeras pelo software é

melhor, devido a ter que configurar o acesso apenas uma vez, e desta forma toda vez que você abrir o software automaticamente as câmeras irão se conectar.

6.2 Acesso remoto via Browser: Consiste em acessar as câmeras do sistema através do navegador de internet utilizando o IP Externo e porta HTTP ou o DDNS e porta HTTP. A maioria dos DVRs só são compatíveis com o Internet Explorer, se você quiser pode tentar usar o navegador de sua preferência, mas é muito provável que não funcione. O acesso remoto via browser é feito utilizando o endereço de IP e a porta de acesso HTTP. Se você estiver na rede local, ou seja, na mesma rede do seu sistema de câmeras, você deverá acessá-lo pelo endereço de IP local, ou seja, pelo endereço de IP do DVR, que você previamente configurou.

Veremos isso mais a frente. Lembre-se que a primeira vez que você for acessar, precisará habilitar os controles ActiveX conforme falaremos mais a frente.

Na rede local funciona assim: http://ipdodvr:portahttp e na rede externa, ou seja, acesso remoto externo funciona assim: http://ipexternoouddns:portahttp

externo funciona assim: http://ipexternoouddns:portahttp 6.3 – Acesso remoto via celular : consiste em acessar as

6.3 Acesso remoto via celular: consiste em acessar as câmeras do sistema remotamente, através de um software instalado no celular que geralmente é baixado conforme especificações do fabricante do seu equipamento. O acesso remoto via Browser no celular não funciona! Apresenta erros, pois os navegadores de celular não possuem recursos para tal função.

Também deve se configurar o IP externo ou DDNS no aplicativo do celular para que o acesso remoto funcione corretamente. Para fazer o acesso remoto via celular o procedimento é similar ao procedimento de acesso via software de monitoramento. Através de um aplicativo recomendado pelo fabricante do seu sistema de câmeras você irá configurar o endereço de IP externo, porta para dispositivo móvel, mais

usuário e senha de acesso ao sistema. Pronto, feito isso apenas uma vez basta você abrir o aplicativo que já visualizará as câmeras remotamente via celular. Este procedimento de IP, porta, usuário e senha geralmente é padrão de quase todos os aplicativos de sistema de câmeras, porém você deve se atentar se você quer acessar da rede local ou externamente, mudando apenas o endereço de IP/domínio conforme procedimentos anteriores.

endereço de IP/domínio conforme procedimentos anteriores. 7 – CONFIGURAÇÃO DO DVR Com o DVR ligado ao

7 CONFIGURAÇÃO DO DVR

Com o DVR ligado ao monitor, conecte um cabo de rede com internet na porta de rede do DVR. Feito isso, acesse o menu principal do seu DVR e vá na opção de rede, é onde iremos começar a configurar o DVR para acesso remoto.

Já na tela de rede que poderá ser diferente de DVR para DVR, mas uma coisa é certa, as funções de rede sempre são iguais não importa qual é o modelo do seu DVR. Você deve ter ai IP, Máscara, Gateway, e a parte que fala das portas. Deve ter também a opção de Manual e DHCP.

Coloque seu DVR no modo DHCP para que seja atribuído a ele um endereço de IP automaticamente. Feito isso salve as configurações e reinicie seu DVR. Este processo deve ser feito sempre que você salvar as configurações.

Assim que seu DVR reiniciar volte novamente na função de rede, anote a configuração de rede que seu DVR atribuiu, IP, Máscara, Gateway e DNS. Depois de anotado desabilite a função DHCP e coloque como fixo, ou seja, manual. Isso fará com que o IP do seu DVR nunca mude a configuração.

Lembre-se de quando colocar o IP fixo, colocar um final maior do que foi dado pelo DHCP, para evitar conflito de IP. Exemplo: O DHCP deu ao DVR o IP 192.168.102, depois de desativar o DHCP coloque o IP fixo como 192.168.0.150.

Quanto às portas do seu DVR altere a porta HTTP que geralmente por padrão vem com 80, mude para uma porta “alta”, por exemplo, 8000. E altere também a porta para dispositivo móvel para 8001, por exemplo. Essa é a porta que você ira usar para o acesso via celular e tablet. Em alguns dispositivos a porta para dispositivo móvel não vem na parte e rede, e sim na de serviços.

Pronto no DVR não há mais nada a fazer quanto à questão de prepará-lo para ser acessado remotamente. Agora você já pode acessa-lo pela rede interna. O próximo passo é irmos configurar o acesso dentro do seu roteador.

8 CONFIGURAÇÃO DO MODEM/ROTEADOR

Acesse o seu roteador, caso não saiba como acessar seu roteador no manual do roteador tem explicando como realizar o acesso, caso não tenha mas o manual e não encontre nada a respeito na internet o que é difícil, o IP do seu roteador é o mesmo que foi atribuído no Gateway do DVR.

Ao acessar o seu roteador, você deve liberar as portas do seu DVR, para liberar portas no seu DVR, você deve procurar por funções como: NAT, Virtual Server, Redirecionamento de Portas,

Forwarding e etc. Depende de roteador para roteador direcione as portas para o IP do DVR, por exemplo:

Mas o processo sempre é o mesmo,

o IP do DVR, por exemplo: Mas o processo sempre é o mesmo, O que eu

O que eu fiz no exemplo foi, dizer que se alguém tentar acessar meu IP externo colocando o IP

externo seguindo de: 8000 direcione esse alguém para o IP do DVR 192.168.0.150. Na maioria das vezes basta fazer isso que a porta já estará liberada, claro que cada roteador é feito diferente, às vezes está em outro idioma, às vezes a ordem que eu coloquei no exemplo está diferente, mas o que importa aqui é você entender o processo, se você entender claramente

como é feito você será capaz de fazer em qualquer roteador.

No caso do exemplo utilizei a porta 8000 que é HTTP que eu já havia mudado como falei anteriormente, e essa outra 8001 é que faz funcionar o acesso de celulares. Caso tenha mais portas vá liberando conforme essa explicação libere todas, mas sempre altere a porta HTTP.

Ainda no roteador vamos configurar a DMZ, para evitar que haja conflitos no firewall. Procure

a opção DMZ no seu roteador, já nela você vai ativar, colocar o IP do seu DVR e salvar. Feito isso, agora vamos configurar o DDNS.

No seu roteador tem a função chamada DDNS, em alguns casos está como Dynamic DNS, não importa o processo será o mesmo. Na configuração DDNS você vai colocar as seguintes

informações:

Provedor de Serviço Normalmente as opções são DynDNS e No-IP.

Usuário O nome que você fez o cadastro no provedor de DDNS.

Hostname/domínio O que você criou. Exemplo: domínio.no-ip.org

Senha A mesma senha que cadastrou no provedor de DDNS.

Depois disso aplique as configurações e reinicie roteador, volte nesta função apenas para garantir que o processo realizado deu certo e suas configurações ficaram salvas.

ATENÇÃO: A maioria dos DVR’s possui a função DDNS na parte de rede deles, mas não configurem o seu DynDNS lá, pois não irá funcionar, aquele caso é somente quando você não possui roteador, e o cabo de rede vai direto para o DVR.

9 TESTANDO O ACESSO

9.1 Testando acesso interno: Vamos testar primeiramente o acesso internamente

para saber se já temos o mais básico, que é o acesso interno. Para isso digite no seu

navegador que geralmente deve ser o Internet Explorer para casos de acesso remoto às câmeras, pois temos mais garantias de que funcione.

Se estiver tudo certinho, irá aparecer os campos para você colocar o usuário e senha, e o DVR vai pedir para instalar o ActiveX no navegador. Caso de algum erro ao instalar o ActiveX, não aparecer nada ou aparecer a pagina com erros, pule para a parte de configuração do Internet Explore e volte para refazer os testes.

Se abriu a pagina de login, e depois de logar aparecer as câmeras corretamente, o acesso interno esta funcionando. Agora está pronto para testar o acesso externo.

9.2 Testando acesso externo: Primeiro vamos testar se as portas estão abertas.

Acesse o site: http://ping.eu/port-chk/

Coloque seu IP externo, que aparece no topo da pagina, a porta e clique em Go. Faça isso com todas as portas. Se todas as portas resultarem como abertas, faça o mesmo processo, mas ao invés de colocar o IP coloque o domínio do DDNS.

Feitos todos os testes de portas, com resultados positivos, seu acesso externo já esta funcionando. Normalmente o acesso por DDNS não funciona na mesma rede, então para você testar o seu acesso polo domínio no navegador terá que fazer isso pela rede externa.

Para

acessar

pela

rede externa

digite

no

Internet

Explorer, como

no

exemplo:

10 CONFIGURANDO O INTERNET EXPLORER

10.1 Controles ActiveX: Os Controles ActiveX são os responsáveis por permitir ou bloquear alguns recursos de algumas aplicações Web, existem alguns sites, blog, portais, que necessitam que os ActiveX estejam habilitados para que o acesso seja tranquilo e você possa visualizar corretamente a página acessada. Com o acesso remoto via browser acontece a mesma coisa, alguns equipamentos para permitir o acesso a eles, solicitam que os ActiveX estejam habilitados no seu navegador para que você consiga visualizar as câmeras do seu sistema. Abaixo veja como habilitar os controles Active x:

No Internet Explorer, clique no menu Ferramentas > Opções de internet.

controles Active x: No Internet Explorer, clique no menu Ferramentas > Opções de internet. www.interside.org 12

Selecione a aba de Segurança e depois clique no botão Nível Personalizado.

Selecione a aba de Segurança e depois clique no botão Nível Personalizado . www.interside.org 13

Na tela que abriu, localize o item Plugins e Controle ActiveX e em todos os itens relacionados a ele, deixe selecionado o item ATIVAR/HABILITAR. Como na figura abaixo:

selecionado o item ATIVAR/HABILITAR. Como na figura abaixo: Tendo localizado os Plugins e Controles Active X,

Tendo localizado os Plugins e Controles Active X, ATIVE TODOS (posição HABILITAR) inclusive aqueles que emitirem alerta de "NÃO SEGURO ou NÃO RECOMENDADO".

Após habilitar todos os Plugins e Controles Active X, clique em Aplicar e depois em ok. O navegador emitirá um aviso de segurança - responda SIM. Note que ficará uma tarja amarela de aviso indicando que o sistema está vulnerável a programas instalados automaticamente. Reinicialize seu Internet Explorer e pronto.

10.2 Ativando a compatibilidade do navegador: Em alguns casos mesmo depois de habilitar o ActiveX no Internet Explorer, pode dar um erro com a mensagem: Login failed. Please check your network environment. Muitas vezes o motivo desse erro é que o DVR não é compatível com as novas versões do IE. Isso pode ser solucionado de uma forma simples, configurando o modo de exibição de compatibilidade.

Clique

Compatibilidade.

no

menu

Ferramentas

>

Configurações

do

Modo

de

Exibição

de

Clique Compatibilidade. no menu Ferramentas > Configurações do Modo de Exibição de www.interside.org 15

E adicionar o IP ou domínio ao modo de compatibilidade.

E adicionar o IP ou domínio ao modo de compatibilidade. E clique em Fechar. www.interside.org 16

E clique em Fechar.

E adicionar o IP ou domínio ao modo de compatibilidade. E clique em Fechar. www.interside.org 16

Contato

Tutoria em segurança eletrônica e informática blog.interside@gmail.com www.interside.org