Você está na página 1de 45

Princípios da Interação da Luz com o tecido: Refração, Absorção e

Espalhamento

Prof. Emery Lins

Curso Eng. Biomédica

Introdução

Introdução

Breve revisão: Questões • O que é uma radiação? E uma partícula? • Como elas

Breve revisão: Questões

O que é uma radiação? E uma partícula?

Como elas se propagam no espaço e nos meios materiais?

O que ocorre quando elas interagem com os

materiais?

Como as radiações e partículas são geradas e

detectadas?

Como é possível manuseá-las e aplicá-las?

O que é uma radiação? • É uma forma de propagação de energia no espaço

O que é uma radiação?

É uma forma de propagação de energia no espaço

Até o final do século XIX a física clássica entendia as radiações como ondas eletromagnéticas

(freqüência, amplitude e fase).

Porém haviam falhas na física clássica: teoria do

corpo negro não era explicada matematicamente.

O que é uma radiação? Resultados experimentais: A primeira contribuição foi feita pela teoria de

O que é uma radiação?

Resultados experimentais:

A primeira contribuição foi feita pela teoria de Rayleigh-Jean; a

segunda pela teoria de Wien.

Resultados experimentais: A primeira contribuição foi feita pela teoria de Rayleigh-Jean; a segunda pela teoria de
O que é uma radiação? • Wien determinou uma expressão empírica para o radiador de

O que é uma radiação?

Wien determinou uma expressão empírica para o radiador de cavidade em função da temperatura absoluta e do comprimento de onda.

R

c

1
1

5

c 2

e

.T

1

Porém não explica fisicamente.

O que é uma radiação? • Em 1895 Max Planck postulou que a energia deveria

O que é uma radiação?

Em 1895 Max Planck postulou que a energia deveria se propagar em

quantidades bem definidas (quantum), ou seja, não pode assumir qualquer valor.

E

nh,

n

1,2,3,

valor. E  nh, n  1,2,3,  • Fatos novos: energia dependendo da freqüência. •

Fatos novos: energia dependendo da freqüência.

h = 6,63.10 -34 J.s (constante de Planck)

Efeito fotoelétrico • Em 1905 Einstein publica um trabalho sobre o efeito fotoelétrico, mostrando que

Efeito fotoelétrico

Em 1905 Einstein publica um trabalho sobre o efeito fotoelétrico, mostrando que a emissão eletrônica não dependia da amplitude da radiação, mas sim da sua freqüência.

que a emissão eletrônica não dependia da amplitude da radiação, mas sim da sua freqüência. E

E h.v

que a emissão eletrônica não dependia da amplitude da radiação, mas sim da sua freqüência. E
Efeito fotoelétrico • Seus resultados levaram à proposição que as radiações fossem composta por entidades,

Efeito fotoelétrico

Seus resultados levaram à proposição que as radiações fossem composta por entidades, os fótons, as quais carregavam um quantum de energia, dada por:

E = h x ν

[Joules]

Porém a freqüência de uma onda está relacionada com o seu comprimento de onda através da sua velocidade. Uma vez que as radiações se propagam na velocidade da luz, temos:

E

h.c

8

c 3 x10 m / s

Exercício • Calcule a energia de um fóton de luz vermelha, sabendo que seu comprimento

Exercício

Calcule a energia de um fóton de luz vermelha, sabendo que seu comprimento de onda é de 600nm?

Qual a quantidade desses fótons presente em um feixe com 1 Joule de energia?

Qual a potência deste mesmo feixe sabendo que 1 Joule de energia foi detectado em 2,4 segundos?

Qual é a Intensidade do feixe quando incide sobre uma área de 5 cm 2 ? E qual a sua densidade de energia ?

Espectro eletromagnético

Espectro eletromagnético

Espectro eletromagnético
Espectro eletromagnético Diagrama Detalhado do Espectro Eletromagnético Fonte: Vo Dihn, T. Biomedical Photonics Handbook

Espectro eletromagnético

Espectro eletromagnético Diagrama Detalhado do Espectro Eletromagnético Fonte: Vo Dihn, T. Biomedical Photonics Handbook

Diagrama Detalhado do Espectro Eletromagnético Fonte: Vo Dihn, T. Biomedical Photonics Handbook

Espectro eletromagnético Tipos de Radiação: • Ionizantes – Raios gama (< 0,01 nm), raios-x duros,

Espectro eletromagnético

Tipos de Radiação:

Ionizantes Raios gama (< 0,01 nm), raios-x duros, raios-x moles,

radiação UV (A, B, C).

Não-Ionizantes Luz visível (390nm a 700nm, violeta, azul, verde,

amarelo, laranja e vermelho), Infravermelho próximo (700nm a

2200nm), infravermelho médio (2.200nm a 5.000nm), infraver-melho distante (5.000nm a 20.000nm), microondas (freq = GHz), radio frequências (f = Mhz e KHz).

Espectro eletromagnético

Espectro eletromagnético

Espectro eletromagnético
Ionização Espectro eletromagnético • Retirada de elétrons da estrutura eletrônica do átomo • Porque a

Ionização

Espectro eletromagnético

Retirada de elétrons da estrutura eletrônica do átomo

Retirada de elétrons da estrutura eletrônica do átomo • Porque a ionização é tão prejudicial (exemplo

Porque a ionização é tão prejudicial (exemplo oxigênio singlete)

Espectro eletromagnético Curiosidades • Comprimento de onda dos Raios gama e o raio atômico de

Espectro eletromagnético

Curiosidades

Comprimento de onda dos Raios gama e o raio atômico de Bohr.

Corpo negro temperatura do corpo e meio ambiente. Associação da temperatura com infra distante, microondas e radiofrequência.

Propagação das radiações • No espaço livre: 1 c   0 0

Propagação das radiações

No espaço livre:

1 c   0 0
1
c 

0
0
Propagação das radiações • Do ponto de vista prático (observável), as radiações se propagam em

Propagação das radiações

Do ponto de vista prático (observável), as radiações se propagam em linha reta dentro

de um material uniforme:

• Do ponto de vista prático (observável), as radiações se propagam em linha reta dentro de
• Do ponto de vista prático (observável), as radiações se propagam em linha reta dentro de
Interação da luz com a matéria

Interação da luz com a matéria

Interação da luz com a matéria Há fundamentalmente 3 propriedade que governam a interação da

Interação da luz com a matéria

Há fundamentalmente 3 propriedade que governam a interação da luz com a matéria:

1. Refração

2. Absorção

3. Espalhamento

Refração Índice de Refração n(λ): É a propriedade óptica referente à propagação da luz nos

Refração

Índice de Refração n(λ):

É a propriedade óptica referente à propagação da luz nos meios

homogêneos

Possui parte real e imaginária

Define a velocidade de fase da luz no meio e

o comprimento de onda da luz no meio

Possui parte real e imaginária Define a velocidade de fase da luz no meio e o
Refração Reflexão e Refração na interface: Quando a onda (luz) encontra a superfície de uma

Refração

Reflexão e Refração na interface:

Quando a onda (luz) encontra a superfície de uma interface, a

propagação da onda obedece à lei de Snell.

na interface: Quando a onda (luz) encontra a superfície de uma interface, a propagação da onda
na interface: Quando a onda (luz) encontra a superfície de uma interface, a propagação da onda
na interface: Quando a onda (luz) encontra a superfície de uma interface, a propagação da onda
Refração Reflexão e Refração na interface:

Refração

Reflexão e Refração na interface:

Refração Reflexão e Refração na interface:
Refração Reflexão Interna Total :

Refração

Reflexão Interna Total :

Refração Reflexão Interna Total :
Definição: Espalhamento O espalhamento ocorre quando a radiação encontra um meio que muda o seu

Definição:

Espalhamento

O espalhamento ocorre quando a radiação encontra um meio que

muda o seu caminho óptico (meio heterogêneo)

A mudança de caminho sempre ocorre quando a radiação encontra uma matéria com índice de refração diferente do inicial

O redirecionamento da radiação depende da polarização da

mesma (preferência de direção)

diferente do inicial O redirecionamento da radiação depende da polarização da mesma (preferência de direção)
Espalhamento Seção Cruzada de Espalhamento σ s (m 2 ): É a propriedade óptica da

Espalhamento

Seção Cruzada de Espalhamento σ s (m 2 ):

É a propriedade óptica da matéria relacionada com a área

hipotética da probabilidade de espalhar a luz.

É definido como a relação entre a potência de luz (P scatt , em

Watts) espalhada pela matéria na direção s^, a partir de uma onda plana com intensidade I 0 (I 0 , em W/m 2 ). Possui unidade de área (m 2 )

s^, a partir de uma onda plana com intensidade I 0 (I 0 , em W/m
Espalhamento Seção Cruzada de Espalhamento σ s (m 2 ):

Espalhamento

Seção Cruzada de Espalhamento σ s (m 2 ):

Espalhamento Seção Cruzada de Espalhamento σ s (m 2 ):
Espalhamento Seção Cruzada Diferencial de Espalhamento dσ s /dΩ (m 2 /graus): Uma vez que

Espalhamento

Seção Cruzada Diferencial de Espalhamento s /dΩ (m 2 /graus):

Uma vez que o espalhamento depende da polarização da onda, a definição da seção cruzada se refere ao espalhamento médio

tomando como parâmetro os eixos ortogonais de propagação da

radiação

Mesmo assim, a seção cruzada diferencial de espalhamento (dσ s /dΩ ) define a distribuição angular de σ s .

Espalhamento Seção Cruzada Diferencial de Espalhamento dσ s /dΩ (m 2 ):

Espalhamento

Seção Cruzada Diferencial de Espalhamento s /dΩ (m 2 ):

Espalhamento Seção Cruzada Diferencial de Espalhamento dσ s /dΩ (m 2 ):
Espalhamento Coeficiente de espalhamento (μ s ) : Para definição teórica, consideraremos que σ s

Espalhamento

Coeficiente de espalhamento (μ s ) :

Para definição teórica, consideraremos que σ s independe da orientação eletromagnética da radiação. Assim o espalhamento será idêntico em todas as direções, de forma que:

será idêntico em todas as direções, de forma que: Neste caso, se o meio possui uma

Neste caso, se o meio possui uma distribuição uniforme de partículas espalhadoras, o coeficiente de espalhamento (μ s ) da matéria pode ser definido como:

espalhamento (μ s ) da matéria pode ser definido como: Onde ρ é a densidade de

Onde ρ é a densidade de absorvedores por unidade de volume

Espalhamento Caminho médio livre do espalhamento (l s ): Há também a definição do caminho

Espalhamento

Caminho médio livre do espalhamento (l s ):

Há também a definição do caminho médio livre do espalhamento

(l s ), definido por:

médio livre do espalhamento (l s ), definido por: O caminho médio livre do espalhamento se

O caminho médio livre do espalhamento se refere à distância

média de propagação do fóton dentro da matéria, antes de ser

espalhado.

Espalhamento O limite Rayleight: O espalhamento de radiações por agentes espalhadores com dimensão muito menor

Espalhamento

O limite Rayleight:

O espalhamento de radiações por agentes espalhadores com

dimensão muito menor que o comprimento de onda da radiação obedece o limite Rayleight de espalhamento.

Nos meios biológicos, os componentes celulares e alguns agentes extra-celulares, como colágeno, são exemplos de estruturas que induzem o espalhamento Rayleight da luz visível e infravermelha.

Espalhamento O limite Rayleight: Quando a relação entre o tamanho da partícula e o comprimento

Espalhamento

O limite Rayleight:

Quando a relação entre o tamanho da partícula e o comprimento

da onda é desprezível, a teoria clássica das ondas mostra que a partícula observa um campo uniforme em todo lugar do espaço.

A conseqüência é a matéria oscilando na condição de dipolo na mesma freqüência do campo aplicado, evitando a radiação de dipolo. Esse efeito linear de oscilação dá ao espalhamento Rayleight a condição de espalhamento elástico (ou linear). Nessa condição de espalhamento a freqüência antes e depois do espalhamento são iguais (fótons com mesma energia).

Espalhamento O limite Rayleight: A seção cruzada diferencial do espalhamento de uma agente espalhador esférico

Espalhamento

O limite Rayleight:

A seção cruzada diferencial do espalhamento de uma agente

espalhador esférico de diâmetro a no limite de Rayleight é calculado segundo a equação:

a no limite de Rayleight é calculado segundo a equação: Aqui θ é o ângulo de

Aqui θ é o ângulo de espalhamento da radiação, ns é o índice de refração do agente espalhador e nm é o índice de refração do

meio.

O regime Mie: Espalhamento O regime de espalhamento Mie é definido para qualquer relação entre

O regime Mie:

Espalhamento

O regime de espalhamento Mie é definido para qualquer relação

entre tamanho da partícula e comprimento de onda da radiação. Porém é particularmente usado quando o espalhador é da ordem do comprimento de onda (0.5μm a 2μm para radiação visível e infravermelha) e nem o limite Rayleight nem a aproximação geométrica podem modelar o espalhamento.

Fibras, mitocôndrias, núcleos, entre outras organelas espalham luz sob este regime.

O regime Mie: Espalhamento O espalhamento neste regime deve considerar efeitos não- lineares de oscilação

O regime Mie:

Espalhamento

O espalhamento neste regime deve considerar efeitos não-

lineares de oscilação de carga dentro do agente espalhador, o que induz um momento de dipolo não-linear. A conseqüência é luz espalhada em um regime não-linear onde a frequência da

radiação propagante é (eventualmente) menor que a da radiação incidente.

Absorção Seção Cruzada de Absorção σ a (m 2 ): É a propriedade óptica da

Absorção

Seção Cruzada de Absorção σ a (m 2 ):

É a propriedade óptica da matéria relacionada com a área

hipotética da probabilidade de absorção da luz.

É definido como a relação entre a potência de luz (P abs , em Watts) absorvida pela matéria a partir de uma onda plana com intensidade (I 0 , em W/m 2 ). Também possui unidade de área.

pela matéria a partir de uma onda plana com intensidade (I 0 , em W/m 2
Absorção Coeficiente de absorção (μ a ) : A seção independe da orientação da molécula

Absorção

Coeficiente de absorção (μ a ) :

A seção independe da orientação da molécula em relação à onda

da radiação.

Se o meio possui uma distribuição uniforme de partículas

absorvedoras, o coeficiente de absorção (μ a ) da matéria pode ser definido como:

de absorção (μ a ) da matéria pode ser definido como: Onde ρ é a densidade

Onde ρ é a densidade de absorvedores por unidade de volume

Absorção Caminho médio livre de absorção (l a ): Há também a definição do caminho

Absorção

Caminho médio livre de absorção (l a ):

Há também a definição do caminho médio livre de absorção (l a ), definido por:

médio livre de absorção (l a ), definido por: O caminho médio livre de absorção se

O caminho médio livre de absorção se refere à distância média de

propagação do fóton dentro da matéria, antes de ser absorvida.

Absorção Lei de Beer-Lambert: Para um meio qualquer, o coeficiente de absorção obedece à relação:

Absorção

Lei de Beer-Lambert:

Para um meio qualquer, o coeficiente de absorção obedece à

relação:

qualquer, o coeficiente de absorção obedece à relação: Esta relação culmina na Lei de Beer-Lambert, definida

Esta relação culmina na Lei de Beer-Lambert, definida por:

Esta relação culmina na Lei de Beer-Lambert, definida por: Aqui, I 0 é a intensidade inicial

Aqui, I 0 é a intensidade inicial (em W/m 2 ) que atinge a matéria, z é a distância de propagação (m) e I é a intensidade (em W/m 2 ) no meio

Absorção Atenuação ou Absorbância (A): Dentro do meio, a relação entre a intensidade I na

Absorção

Atenuação ou Absorbância (A):

Dentro do meio, a relação entre a intensidade I na profundidade z

e a intensidade inicial é denominada Transmissão (admensional).

A Atenuação da luz ou Absorbância da luz (A, admensional) ou

ainda Densidade Óptica (OD) está relacionada com a Transmissão, segundo a equação:

da luz (A, admensional) ou ainda Densidade Óptica (OD) está relacionada com a Transmissão, segundo a
Absorção Observações importantes: A absorção das radiações pela matéria depende da estrutura e da energia

Absorção

Observações importantes:

A absorção das radiações pela matéria depende da estrutura e da

energia do fóton que atinge a matéria.

O conjunto de dados referentes à absorção de um conjunto de

fótons com energias diferentes implica no espectro de absorção da matéria

Absorção Observações importantes:

Absorção

Observações importantes:

Absorção Observações importantes:
Absorção Observações importantes:
Absorção Observações importantes:
Absorção Observações importantes: A absorção ocorre no nível dos elétrons e do núcleo, porém a

Absorção

Observações importantes:

A absorção ocorre no nível dos elétrons e do núcleo, porém a

probabilidade do fóton atingir a nuvem eletrônica é maior que a probabilidade de atingir o núcleo.

núcleo, porém a probabilidade do fóton atingir a nuvem eletrônica é maior que a probabilidade de
Absorção Observações importantes: Porém segundo a teoria quântica o fóton só será absorvido se a

Absorção

Observações importantes:

Porém segundo a teoria quântica o fóton só será absorvido se a

sua energia corresponde exatamente à diferença de energia entre dois níveis energéticos da molécula

absorvido se a sua energia corresponde exatamente à diferença de energia entre dois níveis energéticos da
absorvido se a sua energia corresponde exatamente à diferença de energia entre dois níveis energéticos da