Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA


CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

Relatório 01

RESISTORES E OHMÍMETRO

Darlisson Marinho de Jesus


Elison
Lucas Caldeira Cruz
Walderi Moraes Willy Filho

Manaus, 18 de março de 2010


1. OBJETIVOS

• Familiarização com instrumentos de medida e material de


laboratório;

• Conhecer o código de cores para resistores.

2. INTRODUÇÃO TEÓRICA

Multímetro

O multímetro ou multitestes é o principal instrumento de teste e reparo de


circuitos eletrônicos. Consiste basicamente de um galvanômetro, ligado a
uma chave seletora, uma bateria e vários circuitos componentes
eletrônicos internos. Podendo ser utilizado, basicamente, como
amperímetro, ohmímetro ou voltímetro. Os multímetros com
galvanômetro são chamados de multímetros analógicos, em oposição aos
multímetros digitais, que possuem um mostrador de cristal líquido.
Ohmímetro
Um ohmímetro é um instrumento de medida elétrica que mede a
resistência elétrica, ou seja, a oposição à passagem da corrente elétrica. A
medição efetuada por um ohmímetro baseia-se na aplicação da Lei de
Ohm: o ohmímetro injeta no elemento uma corrente pré-estabelecida,
mede a tensão aos terminais e efetua o cálculo da resistência. No entanto,
para que a medição seja correta, é necessário que o elemento a medir se
encontre devidamente isolado de outros componentes do circuito, e em
particular da massa através do corpo humano. Deste modo evita-se que o
circuito envolvente retire ou injete corrente distinta daquela aplicada pelo
ohmímetro.
Resistor
Um resistor é um elemento elétrico cuja equação constitutiva é dada pela
lei de Ohm:
V (t) = Ri(t) ∀t ≥ 0
Onde R é o valor da resistência do elemento. Geralmente, podemos
encontrar resistores comerciais sob a forma de resistores de fio e de
resistores de carbono.
O valor de resistência dos resistores de carbono, o qual será utilizado na
experiência, é especificado por um conjunto de código de cores que
aparecem como faixas no corpo do resistor. Cada cor representa um dígito
de acordo com a Tabela 1. As faixas de cores são lidas a partir da faixa
mais próxima da extremidade do resistor. A primeira e a segunda faixa
indicam o primeiro e o segundo dígito, respectivamente. A terceira faixa
indica o número de zeros que segue os dois primeiros dígitos, exceto
quando as faixas ouro e prata são usadas, que representam os fatores
multiplicativos de 0.1 e 0.01, respectivamente. A quarta faixa indica a
tolerância. A ausência desta quarta faixa significa que a tolerância é de
±20%. A quinta faixa indica que o resistor possui um dígito a mais na
representação de seu valor ôhmico; neste caso a primeira, a segunda e a
terceira faixas indicam os dígitos do valor ôhmico.

Tabela 1 – Código de cores para resistores

Cor Dígito Multiplicador Tolerância

Preto 0 ×1

Marrom 1 × 10 ± 1%

Vermelho 2 × 100 ± 2%

Laranja 3 × 1.000

Amarelo 4 × 10.000

Verde 5 × 100.000

Azul 6 × 1.000.000

Violeta 7

Cinza 8

Branco 9

Prata × 0.01 ±10%

Ouro × 0.1 ± 5%

Por meio dessa Tabela que serão medidos os valores nominais das
resistências de cada um dos 09 resistores da experiência.
2. MATERIAL UTILIZADO

• Multímetro Digital

• 09 Resistores de valores diversos

• 01 Placa Protoboard.

3. PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS

Inicialmente foi dado a cada grupo a chave de suas respectivas


bancadas, possibilitando a aquisição do Multímetro Digital com seus cabos
e a placa Protoboard, ambos guardados nas gavetas. Em seguida, após o
representante do grupo, ter ido pegar as amostras de 09 resistores, dado
pelo professor, foi feita a montagem do experimento da seguinte forma:
Para medir as resistências, precisávamos primeiramente manter o
resistor devidamente isolado de outros componentes, e em particular da
massa através do corpo humano, deste modo evita-se que o circuito
envolvente retire ou injete corrente distinta daquela aplicada pelo
ohmímetro. Por isso a necessidade do uso da placa Protoboard, que foi
arrumada sobre a bancada do Laboratório, de forma que ficasse imóvel e
posicionada para que fossem utilizados seus furos na vertical da segunda
coluna, onde o circuito se encontra em série, sendo que nessa posição
teríamos o resistor isolado de qualquer interferência, além disso,
facilitando a medição.
Os resistores foram dispostos sobre a placa Protobord um a cada
medição, por meio da dobra de seus terminais metálicos flexíveis, de tal
forma que permitisse seu fácil encaixe sobre os furos da placa. Foram
tomados os devidos cuidados para que esses terminais não fossem
danificados.
A medição das resistências dos 09 resistores foi realizada com o
auxílio do Multímetro Digital, que foi ajustado por meio da chave seletora,
para o seu modo de Ohmímetro. Estando o resistor fixado sobre a placa
Protoboard, utilizamos as pontas de prova do multímetro, colocando-as
em contato com os terminais do resistor que após pouquíssimo tempo, o
resultado é mostrado no visor do Multímetro. Nessa parte da experiência,
a medição, tivemos que manter a atenção para que em nenhum momento
as pontas de prova tremessem ou saíssem do contato com os terminais do
resistor. Assim se sucedeu a medição dos 09 resistores, a cada medição
os dados foram anotados e estão dispostos na Tabela 2.

4. RESULTADOS

A Tabela 2 mostra os resultados obtidos da experiência descrita na parte


experimental desse relatório.

O cálculo do ∆R%, Desvio percentual, é dado por:


∆R%=valor medido - valor nominalvalor nominal

Tabela 2 – Medidas dos Resistores (Teórica e Experimental)

Valor Nominal Cores Tolerância Valor Medido ∆R%

150kΩ Marrom, Verde, Amarelo, Ouro 5% 155,5kΩ 3,67%

1kΩ Marrom, Preto, Vermelho, Ouro 5% 995Ω 0,5%

27kΩ Vermelho, Violeta, Laranja, Ouro 5% 26,7kΩ 1,11%

330Ω Laranja, laranja, marrom, Ouro 5% 329,4Ω 0,18%

39kΩ Laranja, Branco, Laranja, Ouro 5% 38,4kΩ 1,54%

33Ω Laranja, Laranja, Preto, Ouro 5% 32,9Ω 0,3%

1,5kΩ Marrom, Verde, Vermelho, Ouro 5% 1,52kΩ 1,33%

110kΩ Marrom, Marrom, Amarelo, Ouro 5% 107,7kΩ 2,1%

Vermelho, Vermelho, Vermelho,


2,2kΩ 5% 2,25kΩ 2,27%
Ouro

Comparando os valores nominais com os valores medidos das


resistências, nota-se que existem alguns valores medidos que ultrapassam
o valor nominal, mas a maioria fica abaixo disso. Apesar da não exatidão
dos valores, os resultados são bem satisfatórios, visto que considerando o
∆R% e a Tolerância de cada resistor, verificamos que os valores medidos
ficam dentro dessa tolerância. No caso todos os resistores da experiência
possuíam 5% de tolerância e para nenhum desses resistores a ∆R% foi
maior que 5%. Isso nos permite afirmar que dentro dessa tolerância de
5%, os valores medidos obtiveram os mesmos valores das resistências
nominais.
5. CONCLUSÕES

Ao término dessa experiência conseguimos alcançar a familiarização


com os materiais de laboratório, tais como a placa Protoboard e com o
Multímetro Digital, já que a experiência o apresentou e possibilitou o seu
manuseio. Conseguimos também, conhecer o código de cores para
resistores e sua importância nas aplicações elétricas, ressaltando que se
trata de um padrão de cores internacional.

Vale observar que o laboratório possui diversos multímetros, tanto


os digitais quanto os analógicos, notou-se nessa experiência a evidente
vantagem da utilização do multímetro digital ao analógico. O multímetro
revelou-se um instrumento de grande usabilidade para circuitos elétricos.
6. BIBLIOGRAFIA