Você está na página 1de 6

Jean Piaget (1896-1980) foi um renomado psicólogo e filósofo suíço, conhecido por

seu trabalho pioneiro no campo da inteligência infantil. Piaget passou grande parte
de sua carreira profissional interagindo com crianças e estudando seu processo de
raciocínio.

Sua Vida

Jean Piaget nasceu no dia 9 de agosto de 1896, em Neuchâtel, na Suíça. Seu pai,
um calvinista convicto, era professor universitário de Literatura medieval.

Piaget foi um menino prodígio. Interessou-se por História Natural ainda em sua
infância. Aos 11 anos de idade, publicou seu primeiro trabalho sobre sua
observação de um pardal albino. Esse breve estudo é considerado o início de sua
brilhante carreira científica. Aos sábados, Piaget trabalhava gratuitamente no
Museu de História Natural.

Piaget freqüentou a Universidade de Neuchâtel, onde estudou Biologia e Filosofia.


Ele recebeu seu doutorado em Biologia em 1918, aos 22 anos de idade.

Após formar-se, Piaget foi para Zurich, onde trabalhou como psicólogo
experimental. Lá ele freqüentou aulas lecionadas por Jung e trabalhou como
psiquiatra em uma clínica. Essas experiências influenciaram-no em seu trabalho.
Ele passou a combinar a psicologia experimental - que é um estudo formal e
sistemático - com métodos informais de psicologia: entrevistas, conversas e
análises de pacientes.

Em 1919, Piaget mudou-se para a França, onde foi convidado a trabalhar no


laboratório de Alfred Binet, um famoso psicólogo infantil que desenvolveu testes de
inteligência padronizados para crianças. Piaget notou que crianças francesas da
mesma faixa etária cometiam erros semelhantes nesses testes e concluiu que o
pensamento lógico se desenvolve gradualmente.

O ano de 1919 foi um marco em sua vida. Piaget iniciou seus estudos
experimentais sobre a mente humana e começou a pesquisar também sobre o
desenvolvimento das habilidades cognitivas. Seu conhecimento de Biologia levou-o
a enxergar o desenvolvimento cognitivo de uma criança como sendo uma evolução
gradativa.

Em 1921, Piaget voltou à Suíça e tornou-se diretor de estudos no Instituto J. J.


Rousseau da Universidade de Genebra. Lá ele iniciou o maior trabalho de sua vida,
ao observar crianças brincando e registrar meticulosamente as palavras, ações e
processos de raciocínio delas.

Em 1923, Piaget casou-se com Valentine Châtenay, com quem teve três filhas:
Jacqueline (1925), Lucienne (1927) e Laurent (1931). As teorias de Piaget foram,
em grande parte, baseadas em estudos e observações de seus filhos que ele
realizou ao lado de sua esposa.

Enquanto prosseguia com suas pesquisas e publicações de trabalhos, Piaget


lecionou em diversas universidades européias. Registros revelam que ele foi o único
suíço a ser convidado para lecionar na Universidade de Sorbonne (Paris, França),
onde permaneceu de 1952 a 1963. Até a data de seu falecimento, Piaget fundou e
dirigiu o Centro Internacional para Epistemologia Genética. Ao longo de sua
brilhante carreira, Piaget escreveu mais de 75 livros e centenas de trabalhos
científicos.

Piaget morreu em Genebra, em 17 de setembro de 1980.

Sua Obra

Piaget desenvolveu diversos campos de estudos científicos: a psicologia do


desenvolvimento, a teoria cognitiva e o que veio a ser chamado de epistemologia
genética.

A essência do trabalho de Piaget ensina que ao observarmos cuidadosamente a


maneira com que o conhecimento se desenvolve nas crianças, podemos entender
melhor a natureza do conhecimento humano. Suas pesquisas sobre a psicologia do
desenvolvimento e a epistemologia genética tinham o objetivo de entender como o
conhecimento evolui.

Piaget formulou sua teoria de que o conhecimento evolui progressivamente por


meio de estruturas de raciocínio que substituem umas às outras através de
estágios. Isto significa que a lógica e formas de pensar de uma criança são
completamente diferentes da lógica dos adultos.

Em seu trabalho, Piaget identifica os quatro estágios de evolução mental de uma


criança. Cada estágio é um período onde o pensamento e comportamento infantil é
caracterizado por uma forma específica de conhecimento e raciocínio. Esses quatro
estágios são: sensório-motor, pré-operatório, operatório concreto e operatório
formal.

Fase 1: Sensório-motor

No estágio sensório-motor, que dura do nascimento ao 18º mês de vida, a criança


busca adquirir controle motor e aprender sobre os objetos físicos que a rodeiam.
Esse estágio se chama sensório-motor, pois o bebê adquire o conhecimento por
meio de suas próprias ações que são controladas por informações sensoriais
imediatas.

Fase 2: Pré-operatório

No estágio pré-operatório, que dura do 18º mês aos 8 anos de vida, a criança
busca adquirir a habilidade verbal. Nesse estágio, ela já consegue nomear objetos e
raciocinar intuitivamente, mas ainda não consegue coordenar operações
fundamentais.

Fase 3: Operatório concreto

No estágio operatório concreto, que dura dos 8 aos 12 anos de vida, a criança
começa a lidar com conceitos abstratos como os números e relacionamentos. Esse
estágio é caracterizado por uma lógica interna consistente e pela habilidade de
solucionar problemas concretos.

Fase 4: Operatório formal

No estágio operatório formal – desenvolvido entre os 12 e 15 anos de idade – a


criança começa a raciocinar lógica e sistematicamente. Esse estágio é definido pela
habilidade de engajar-se no raciocínio abstrato. As deduções lógicas podem ser
feitas sem o apoio de objetos concretos.

No estágio das operações formais, desenvolvido a partir dos 12 anos de idade, a


criança inicia sua transição para o modo adulto de pensar, sendo capaz de pensar
sobre idéias abstratas.

Conclusão:

Em seus estudos sobre crianças, Jean Piaget descobriu que elas não raciocinam
como os adultos. Esta descoberta levou Piaget a recomendar aos adultos que
adotassem uma abordagem educacional diferente ao lidar com crianças. Ele
modificou a teoria pedagógica tradicional que, até então, afirmava que a mente de
uma criança é vazia, esperando ser preenchida por conhecimento. Na visão de
Piaget, as crianças são as próprias construtoras ativas do conhecimento,
constantemente criando e testando suas teorias sobre o mundo. Ele forneceu uma
percepção sobre as crianças que serve como base de muitas linhas educacionais
atuais. De fato, suas contribuições para as áreas da Psicologia e Pedagogia são
imensuráveis.

Quem foi

Um dos mais importantes pesquisadores de educação e pedagogia, Jean


Piaget nasceu na cidade de Neuchâtel (Suíça) em 9/08/1896 e morreu
em 17/9/1980. Especializou-se em psicologia evolutiva e também no
estudo de epistemologia genética. Seus estudos sobre pedagogia
revolucionaram a educação, pois derrubou várias visões e teorias
tradicionais relacionadas à aprendizagem.

Foi morar na cidade de Zurique em 1918, onde trabalhou num


laboratório de psicologia e estagiou numa clínica de psiquiatria. Estudo
psicopatologia na Universidade de Sorbonne na França.

Pequisas

Piaget fez pesquisas sobre as características do pensamento infantil com


crianças francesas e também com deficientes mentais. No ano de 1921
escreveu suas primeiras teorias pedagógicas. Foi diretor do Instituto
Jean-Jacques Rousseau na Suíça e lecionou psicologia infantil na
Universidade de Genebra.

Idéias

As idéias de Piaget estão presentes em diversos colégios do mundo todo.


Suas teorias buscam implantar nos espaços de aprendizagem uma
metodologia inovadora que busca formar cidadãos criativos e críticos.
De acordo com suas teorias, o professor não deve apenas ensinar, mas
sim e antes de tudo, orientar os educandos no caminho da aprendizagem
autônoma.

Principais livros de Piaget :

- A Linguagem e o Pensamento na Criança (1923)


- O Juízo e o Raciocínio na Criança (1924).

Frases de Piaget

- "O principal objetivo da educação é criar indivíduos capazes de fazer


coisas novas e não simplesmente repetir o que as outras gerações
fizeram."
- "As estruturas operatórias da inteligência não são inatas."

Em 9 de agosto, na cidade suíça de Neuchâtel, nasce Piaget.

Com 10 anos publica na revista da Sociedade dos Amigos da


Natureza de Neuchâtel um artigo com estudos sobre um pardal branco.

Forma-se em Biologia pela Universidade de Neuchâtel.

Torna-se doutor. Sua tese foi sobre moluscos.


Muda-se para a Zurique para estudar Psicologia (principalmente psicanálise).

Muda-se para a França. Ingressa na Universidade de Paris.


É convidado a trabalhar com testes de inteligência infantil.
A convite do psicólogo da educação Edouard Claparède (Escola
Nova) passa a fazer suas pesquisas no Instituto Jean-Jacques Rousseau, em
Genebra, destinado à formação de professores.

Lança seu primeiro livro: A Linguagem e o Pensamento da Criança.

Casa-se com Valentine Châtenay, uma de suas assistentes, com quem


teve três filhos: Jacqueline (1925), Lucienne (1927) e Laureni (1931).

Começa a lecionar Psicologia, História da ciência e Sociologia em


Neuchâtel.

Em Genebra passa a ensinar História do Pensamento Científico.


Assume o Gabinete Internacional de Educação (dedicado a estudos pedagógicos).

Escreve vários trabalhos sobre as primeiras fases do


desenvolvimento, muitos deles inspirados na observação de seus três filhos.

Com as pesquisadoras Bärbel Inhelder e Alina Szeminska, publica


trabalhos sobre a formação dos conceitos matemáticos e físicos.

Participa da elaboração da Constituição da Unesco, órgão das Nações


unidas para a Educação, Ciência e Cultura.
Torna-se membro do conselho executivo e é várias vezes subdiretor geral,
responsável pelo Departamento de Educação.

Publica a primeira síntese de sua teoria do conhecimento: Introdução


à Epistemologia Genética.

É convidado a lecionar na Universidade de Sobonne, em Paris,


sucedendo ao filósofo Merleau-Ponty.
Em genebra, funda o Centro Internacional de Epistemologia
Genética, destinado a realizar pesquisas interdisciplinares sobre a formação da
inteligência.

Escreve a principal obra de sua maturidade: Biologia e


Conhecimento.

16 de setembro, morre Piaget em Genebra.

http://www.youtube.com/watch?v=6900fP-y1ek&feature=related