Você está na página 1de 31
ENGENHARIA CIVIL MECÂNICA DOS SOLOS PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO PROFESSOR AUGUSTO MONTOR |

ENGENHARIA CIVIL

ENGENHARIA CIVIL MECÂNICA DOS SOLOS PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO PROFESSOR AUGUSTO MONTOR | MARÇO

MECÂNICA DOS SOLOS

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

PROFESSOR AUGUSTO MONTOR | MARÇO 2016

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

Razões e históricos da compactação

COMPACTAÇÃO processo de densificação do solo (aumento da massa específica) através da utilização de processos mecânicos;

do solo (aumento da massa específica) através da utilização de processos mecânicos; MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

SOLO FOFO: pouco resistente e pouco deformável;

 PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO • SOLO FOFO : pouco resistente e pouco deformável;

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

SOLO COMPACTADO

 PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO • SOLO COMPACTADO MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

 PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

AUMENTO DO CONTATO ENTRE OS GRÃOS

– COMPACTAÇÃO DO SOLO AUMENTO DO CONTATO ENTRE OS GRÃOS HOMOGENEIDADE DO CONJUTO (estabilidade) MECÂNICA DOS

HOMOGENEIDADE DO CONJUTO (estabilidade)

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

 PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

A compactação é empregada em diversas obras de engenharia como, por exemplo:

Aterros

Camadas constitutivas de pavimentos

Barragens de terra

Preenchimentos de muros de arrimo

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

 PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

Ensaio de compactação

1933: Eng. Proctor observou que:

“A massa específica de um solo, após a aplicação de uma energia de compactação, é função da umidade em que o solo estiver”

Umidade ótima Máxima massa específica

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

Curva de compactação

 PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO Curva de compactação MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

Curva de compactação

 PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO Curva de compactação MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

Curva de compactação

gd,max f(umidade ótima, da quantidade de energia)

Ramo seco a água lubrifica as partículas, facilitando seu rearranjo (aumento do peso específico)

Ramo úmido a água amortiza a compactação, maior volume de água do que sólidos (redução no peso específico)

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

Ensaio normal de compactação (Proctor): NBR 7182/86

Consiste na compactação do solo em três camadas, dentro de um cilindro padrão, com 26 golpes de um soquete de 2,5 kg, caindo de uma altura livre de 30,5 cm.

um cilindro padrão, com 26 golpes de um soquete de 2,5 kg, caindo de uma altura

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

 PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO MECÂNICA DOS SOLOS II
 PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

Ensaio normal de compactação (Proctor): NBR 7182/86

Exemplo: solo passante na peneira 4,75mm (N° 4)

Secar o solo até umidade higroscópica;

Separar 3000g de solo;

Acrescentar água até o solo ficar com 5% de umidade abaixo da umidade ótima estimada; Compactar cada camada com 26 golpes; Pesar o conjunto cilindro + solo úmido;

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

Ensaio normal de compactação (Proctor): NBR 7182/86

Extrair o solo do cilindro, destorroa-lo e determinar a sua umidade neste estado; Adicional 60 ml (2% de umidade) a amostra; Repetir o procedimento de compactação; OBS: deve-se realizar no mínimo 5 repetições com umidades variáveis.

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

Ensaio normal de compactação (Proctor): NBR 7182/86

PARA CADA CORPO DE PROVA

Mcil,h Massa do cilindro + solo úmido (em g) Mcil Massa do cilindro (em g) w umidade do solo (em %)

+ solo úmido (em g) Mcil  Massa do cilindro (em g) w  umidade do
+ solo úmido (em g) Mcil  Massa do cilindro (em g) w  umidade do

+ solo úmido (em g) Mcil  Massa do cilindro (em g) w  umidade do

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

Ensaio normal de compactação (Proctor): NBR 7182/86

Ensaio normal de compactação (Proctor): NBR 7182/86  Por correlação com os índices físicos:  
Ensaio normal de compactação (Proctor): NBR 7182/86  Por correlação com os índices físicos:  

Por correlação com os índices físicos:

7182/86  Por correlação com os índices físicos:     nat  em g/cm³
7182/86  Por correlação com os índices físicos:     nat  em g/cm³



nat em g/cm³ d em g/cm³ w em %

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

O ensaio padroniza três tipos de energias:

Normal

Intermediária

Modificada

de energias: • Normal • Intermediária • Modificada  NÚMERO DE CAMADAS  QUANTIDADE DE GOLPES

NÚMERO DE CAMADAS QUANTIDADE DE GOLPES

Obs: a escolha do tipo de energia varia em função do efeito que se deseja simular

MECÂNICA DOS SOLOS II

PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO

 PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO MECÂNICA DOS SOLOS II
 PRÁTICA 1 – COMPACTAÇÃO DO SOLO MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPO

TIPOS DE COMPACTAÇÃO

ESTÁTICA

Compressão rolo liso Amassamento rolo pé de carneiro

DINÂMICA

Impacto

Vibração

MECÂNICA DOS SOLOS II

EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPO

 EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPO MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPO

Fatores que influenciam na compactação e escolha do método a utilizar:

Energia de compactação:

F(peso do equipamento, n° de passadas, velocidade do rolo, espessura da camada)

de compactação: F(peso do equipamento, n° de passadas, velocidade do rolo, espessura da camada) MECÂNICA DOS

MECÂNICA DOS SOLOS II

EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPO

Fatores que influenciam na compactação e escolha do método a utilizar:

Umidade:

Umidade < umidade ótima RAMO SECO irrigação: caminhão tanque com barra de distribuição e bomba hidráulica;

 RAMO SECO  irrigação: caminhão tanque com barra de distribuição e bomba hidráulica; MECÂNICA DOS

MECÂNICA DOS SOLOS II

EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPODO SOLO

Fatores que influenciam na compactação e escolha do método a utilizar:

Umidade:

Umidade < umidade ótima RAMO SECO irrigação: caminhão tanque com barra de distribuição e bomba hidráulica;

 RAMO SECO  irrigação: caminhão tanque com barra de distribuição e bomba hidráulica; MECÂNICA DOS

MECÂNICA DOS SOLOS II

 EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPODO SOLO MECÂNICA DOS SOLOS II

EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPODO SOLO

MECÂNICA DOS SOLOS II

EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPODO SOLO

Fatores que influenciam na compactação e escolha do método a utilizar:

Umidade:

Umidade > umidade ótima RAMO ÚMIDO Aeração: utilização de escarificadores e motoniveladores;

ótima  RAMO ÚMIDO  Aeração: utilização de escarificadores e motoniveladores; MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPO

 EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPO MECÂNICA DOS SOLOS II
 EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPO MECÂNICA DOS SOLOS II

MECÂNICA DOS SOLOS II

EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPO

Fatores que influenciam na compactação e escolha do método a utilizar:

Número de passadas: inicialmente apresenta melhor eficiência.;

Número ideal de passadas de 6 a 12.

OBS: É mais eficiente aumentar o peso do equipamento ou diminuir a sua velocidades

MECÂNICA DOS SOLOS II

EQUIPAMENTOS PARA COMPACTAÇÃO EM CAMPO

Espessura da camada: Função do tipo de solo e equipamento. Em geral, 30 cm é a espessura máxima (20 cm para solos granulares);

Velocidade de rolagem: Inicialmente adota-se baixas velocidades e a medida que o solo se adensa, pode-se aumentar a velocidade;

Para se verificar a influência de cada um destes fatores na compactação em campo, é comum a realização de aterros experimentais.

MECÂNICA DOS SOLOS II