Você está na página 1de 3

Atividade Disciplinar Mini Artigo

 

Jonas Henrique Moura de Lima

 

R.A.

 
 

R.A.

 

Curso:

Gestão Comercial

Disciplina:

Planejamento estratégico de marketing

EXPERIÊNCIAS DE UM BRASIL AINDA NÃO DESCOBERTO

JONAS HENRIQUE MOURA DE LIMA -

1

ANA CRISTINA DA SILVA OLIVEIRA- 2

RESUMO: Quando pensamos em turismo comum vir a mente Paris, EUA e, em alguns momentos subestimamos a enorme capacidade do Brasil em proporcionar momentos inesquecíveis. O Brasil tem potencial turístico muito maior do que comumente vemos divulgado pela mídia, porem encontra barreiras em infraestrutura, capacitação de profissionais do turismo, custo alto, insegurança, transporte e até mesmo de informações sobre os roteiros turísticos. A proposta do programa “Experiências do Brasil” é a de, aos poucos, tornar o Brasil mais conhecido pelo mundo afora e, principalmente pelos próprios brasileiros.

mundo afora e, principalmente pelos próprios brasileiros. PALAVRAS-CHAVE: Turismo, Infraestrutura, Capacitação de

PALAVRAS-CHAVE: Turismo, Infraestrutura, Capacitação de profissionais

1 INTRODUÇÃO

Momm & Lessa (2009, p. 149) destacam que segundo a Organização Mundial

do Turismo, o conceito de turismo se refere às “atividades que realizam as pessoas

durante suas viagens e estadas em lugares diferentes ao seu entorno habitual, por

um período consecutivo inferior a um ano, com finalidade de lazer, negócios ou

outras". As dimensões continentais do Brasil permitem a existência de ampla

diversidade de paisagens do Oiapoque ao Chuí assim como impõe uma série de

desafios. Como integrar um país com dimensões continentais? Como mostrar e

equipar roteiros com potencialidades turísticas? Como gerar emprego e renda num

1 Graduado e bacharel em Geografia pela Fecilcam. Atualmente cursando Pós Graduação em Gestão comercial pela UNICESUMAR. 2 Graduada em Economia pela Universidade Estadual de Maringá. Especialista em Marketing pelo Instituto Paranaense de Ensino.

setor ainda não totalmente explorado? Por que é tão caro viajar pelo Brasil e como fazer para mudar essa realidade? Estes são alguns dos desafios que o governo busca enfrentar com o programa Experiências do Brasil. A proposta do Ministério do Turismo tem três objetivos principais:

Ampliar e Diversificar o Consumo Turístico no Mercado Nacional( ), Incrementar a Qualidade e Competitividade dos Produtos e Destinos( ), Implementar Mecanismos Efetivos para Cooperação Público-Privada( ) (BRASIL, 2014, p.15)

De modo geral tais propostas visam encantar turistas com as possibilidades de experiências de viagens pelo Brasil, melhorar a qualidade dos serviços, valorização do mercado interno e profissionalização das pessoas envolvidas com o setor turístico. Entre os principais benefícios que o país pode ganhar com isso Saab afirma que:

)o (
)o (

setor de turismo é estratégico para o país, voltado para o alcance dos

objetivos nacionais permanentes e contribuindo, em termos de uma política estratégica ativa orientada para o desenvolvimento econômico e social do país, para a redução de desequilíbrios regionais, a geração de empregos, a divulgação da imagem externa do Brasil, o ingresso de divisas estrangeiras, a redução do déficit do balanço de serviços e a melhoria da infra-estrutura básica, notadamente no segmento de transportes. (Saab, 1999, p.309)

2 OPORTUNIDADES NO TURISMO

Quando se procura pensar nos elementos fundamentais a serem encontrados em uma local destinado a serviços turísticos pode-se elencar a presença de: informações gerais sobre o ponto turístico principal; meios de acesso ao local (linhas de ônibus, taxi, estacionamentos, etc); serviços de hospedagem, reservas, restaurantes, comércio local, etc; entretenimento, espaços públicos e atrativos locais disponíveis; informações de serviços de emergência (hospitais, polícia, bombeiro); entre outros. Todo este conjunto de fatores exige investimento em infraestrutura urbana de tal modo que o turista tenha bom proveito em sua viagem. Lohmann (2012) elenca-nos as oportunidades e ameaças ao desenvolvimento do turismo no Brasil:

Tabela 1: oportunidades e ameaças do desenvolvimento da atividade turística

Oportunidades

 

Ameaças

 

Cenário econômico brasileiro.

Incerteza

de

cenários

futuros

em

razão

da

globalização.

 

Necessidade de pesquisas e dados em turismo.

Mudanças de governo

 

Crescente número de instituições de pesquisas atuando no âmbito do turismo e consequentemente de referências acadêmicas nacionais.

Crescente número de instituições de pesquisa atuando no âmbito do turismo

Difusão da expertise de pesquisa em turismo.

Descontinuidade de políticas públicas de fomento a pesquisa.

Necessidade de criação de um centro de pesquisa em turismo, no Brasil, de referência internacional.

Perda de talentos acadêmicos para iniciativa privada e a exterior.

Aumento da competitividade entre destinos e empresas do setor de turismo e a consequente necessidade de inovação e pesquisas na área.

Redução de recurso e linhas de financiamento a pesquisas.

Presença internacional do Brasil e papel de liderança na América Latina.

 

Realização de megaeventos esportivos no Brasil

 

Fonte: Lohmann, 2012.

3 CONSIDERAÇÕES FINAIS

As dimensões continentais do Brasil aliada a alguns erros no planejamento estratégico e logístico ao longo dos anos impõe grandes desafios ao desenvolvimento de vários setores da economia do país. O intercâmbio de informações entre as diversas empresas com atividades turísticas e administrações públicas municipais auxilia na descrição da possibilidade de vivência e planejamento da viagem (hotéis, restaurantes, linhas de transporte público, etc.). Neste ponto entra a importância de parcerias entre o governo e empresas para exploração e potencialização do uso turístico do local.

exploração e potencialização do uso turístico do local. REFERÊNCIAS LOHMANN, Paola. A inovação do turismo no

REFERÊNCIAS

LOHMANN, Paola. A inovação do turismo no Brasil: os desafios na construção de sua trajetória. Observatório de Inovação do Turismo - Revista Acadêmica Vol. VII, nº2, Rio de Janeiro, ABR. 2012

MOMM, Christiane Fabíola and LESSA, Rafael Orivaldo. Sistema de classificação bibliográfica e a conceituação do turismo: uma visão da CDU. Perspect. ciênc. inf. [online]. 2009, vol.14, n.2, pp. 141-154. ISSN 1413-9936.

Plano Estratégico de Marketing Turístico do Brasil. Ministério do Turismo. Brasil,

2014.

SAAB, William George Lopes. Considerações Sobre o Desenvolvimento do

Setor de Turismo no Brasil. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 10, p. 285-312, set.

1999